domingo, abril 11, 2021

Saab Naval

Palestra Programa Fragatas Classe Tamandaré

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O Clube Naval, em parceria com a DGMM (Diretoria-Geral do Material da Marinha), convida a todos para assistir no dia 07 de outubro, às 16h, a palestra Programa Fragatas Classe Tamandaré.

Diante das medidas restritivas à propagação da COVID-19, o evento conta com a transmissão ao vivo da alocução do Almirante de Esquadra José Augusto Vieira da Cunha de Menezes (Diretor-Geral do Material da Marinha) no canal do Clube Naval no YouTube.

- Advertisement -

202 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
202 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo R

Programa de construção das fragatas TAMANDARÉ
Muita conversa….
Nenhuma construção…
Se fosse na China, já tinham construído seis em 8 meses de obras no estaleiro…e já estavam na sétima…. antes de um ano….

Allan Lemos

Não somos porque temos sido governados por incapazes e corruptos desde a proclamação da república. Na época do Império,o Brasil deslumbrava ser um top player mundial. O potencial ainda existe,mas nos faltam estadistas comprometidos com o Brasil.

Last edited 6 meses atrás by Allan Lemos
Fernando "Nunão" De Martini

Top player mundial? Acho que vc exagerou. Regional ele era sim. Mundial não. E nem se imaginava como. Buscava-se já no Império uma aproximação maior com os EUA, para contrabalançar a influência europeia na América do Sul, mas sabendo muito bem a enorme distância que separava o Império do Brasil dos grandes players mundiais.

Last edited 6 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Allan Lemos

Mundial sim,tínhamos uma das marinhas mais poderosas e éramos um dos países que mais crescia. Top player regional nos já somos,e mesmo com esses presidentes medíocres que temos,dificilmente deixaremos de ser,visto que não temos rival à altura na América Latina.

Obs: Quero dizer um dos top players.

Last edited 6 meses atrás by Allan Lemos
Camargoer

Caro Allan. A história dos EUA mostra que a política daquela república foi tão corrupta ou até mais corrupta que a república brasileira, e ás vezes até mais incompetente. O período da “Lei Seca”, o período da gripe espanhola, a condução da epidemia de gripe (que aparece no Kansas e virou espanhola. “they were definitely not in kansas anymore”). Recentemente, assisti a “Serpico” (na lista dos meus favoritos) e o quadro da política em NY na década de 70 é de corrupção disseminada. Iran-contras. A invasão do Iraque após 11/set. A crise de 2008. O acidente da Challenger e os… Read more »

Flanker

Respeito sua opinião e a de muitos outros aqui, mas monarquia já foi…j á era….não volta….foi feito até plebiscito e perdeu! É pra frente que se anda e se olha…..o Brasil pode ser melhor, independente de ser monarquia, república presidencialista, etc…

OSEIAS

Caro Flanker, acredito que nosso colega mencionou o fato de que na era da monarquia o país era mais prospero e bem melhor do que depois do golpe militar de Deodoro. E é um fato que depois disso só fomos de mal a pior, sempre sustentando uma casta no poder que é pior que monarca e gastamos muito com eles. Não fiz uma relação direta, mas acredito que haja muito mais alto escalão na republica sugando recursos do que na monarquia. Não estou defendendo regime A ou B, só fato histórico mesmo. Abraço.

EduardoSP

Um país muito próspero e melhor, sim, sei…
Economia de base primária ancorada na escravidão. Muito próspero e melhor…
Fantasiar o passado é uma forma de escape dos problema do presente.

Wilson Look

Igual aos EUA, na época.
O sucesso inicial dos EUA se deveu ao trabalho escravo. Compare como foi a abolição em ambos e veja como o processo brasileiro foi mais bem sucedido, mesmo tendo demorado mais.

Camargoer

Caro WIlson. Os EUA eram praticamente dois países. Os estados do norte eram industrializados e com uma economia liberal baseada no consumo de uma ampla classe operária. Os estados do sul eram grandes fazendas que forneciam algodão para a Inglaterra baseada em trabalho escravo (aliás, o sul dos EUA era muito parecido ao Brasil). A guerra da secessão está mais ligada aos interesses da classe proprietária de terras do sul em manter o seu status quo de fornecedores de algodão para a Inglaterra do que uma questão moral em torno da escravidão. O filme “Lincoln” de Spilberg faz um retrato… Read more »

Wilson Look

Se o desastre é pelo tempo que levou, ou por não ter considerado uma forma de incluir os escravos a sociedade, então podemos dizer que o processo americano foi um desastre ainda pior, pois causou um trauma enorme no País e também não tinha nada sobre como incluir os escravos a sociedade.

As políticas tomadas após a abolição em ambos os países foram diferentes, mas em ambos os negros foram muito prejudicados.

Camargoer

Olá Wilson. Difícil dizer onde o desastre foi pior, mas concordo que os ex-escravos foram muito prejudicados tanto nos EUA quando no Brasil. A Guerra da Secessão foi parecida com uma revolução burguesa, com o sistema capitalista do norte disputando a hegemonia com o sistema pré-capitalista do sul (essencialmente o modelo colonial de grandes fazendas fornecendo matéria prima para a metrópole industrializada). A revolução brasileira ocorreu em 1930, quando o “tenentismo” derrubou a oligarquia ex-escravagista mas ainda agroextrativista da República Velha. Após a Guerra da Secessão, o direito do voto dos negros foi restringida nos estados derrotados do sul dos… Read more »

Camargoer

Olá Eduardo. Concordo com você;
.

Alex Rocha

Concordo contigo Oséias.

Camargoer

Caro Oseias. O Brasil no período do império era inculto, insalubre, desnutrido, doente (a expectativa de vida era de 30 anos), desigual, não-democrático, escravagista, uma economia predominantemente agropecuária e extrativista, racista (lembrando que escravocrata é diferente de ser racista), misógino, preconceituoso, pobre (o PIB per capita era inferior ao da Índia por exemplo), corrupto (as eleições eram manipuladas nas vilas e comarcas em favor dos políticos tradicionais), o funcionalismo público era ocupado por parentes e apadrinhados.

Ricardo Bigliazzi

Em 1810 apenas dois países tinham um expectativa de vida maior que 40 anos: Reino Unido e Holanda.

Luciano

Camargoer vou te convidar pra dar umas palestras! Tem certeza que vc nao tem uma formação em história ai na manga?rs Há muita idolatria sobre um passado que encanta pelo mito (mais um!). Sobre as condições da população brasileira no final do Império, sugiro “O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil”, da Lilia Moritz Schwarckz, e “Cidade febril: cortiços e epidemias na corte imperial”, do Sidney Chalhoub. Abraços

Wilson Look

Eu gostaria de colocar algumas pequenas observações sobre o período em si.

Os mitos surgem de verdades, a diferença é que são muito aumentados atingindo níveis fantasiosos, por exemplo, dizer que a MB foi a 4ª maior marinha de guerra do mundo, a verdade é que a MB foi a 4ª maior em bocas de fogo do mundo em 1870 e por pouco tempo, no caso uns 2 meses.
Outro ponto é que não se tinha muito conhecimento sobre quais eram as causas das doenças e como trata-las, esse desconhecimento resultará em casos como os surtos de cólera em Londres.

Camargoer

Olá Luciano, meu amigo. Combinado. Será uma excelente oportunidade para ir com a família visita-lo e aproveitar a viagem para trabalhar um pouco também. Acho que a gente vai vendo cada coisa estranha que nos obriga a ler um punhado para manter a mente firme nestes tempos pantanosos. Obrigado pelo carinho de suas palavras. Já aprendi tanto com você aqui. Obrigado pelas sugestões de leitura. Vou buscar sim.

Agressor's

A República nasceu para atender a necessidade de oportunistas, aventureiros, mal-caráteres, bandidos de toda sorte. E foi empurrada goela a baixo do brasileiro até que todos esquecessem do seu passado monárquico. Essa é a história da nossa República, que a 130 anos vem de golpe em golpe, ditadura em ditadura, corrupção generalizada. Nos últimos 90 anos apenas 4 presidentes foram eleitos diretamente e cumpriram o mandato até o fim. Hoje a nossa história é distorcida, onde alienam a população para fazê-los acreditar em qualquer coisa que determinam que seja ensinado, como perfeitos cães treinados. Até mesmo aqueles que ajudaram a… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Agressor's
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro

Conversa fiada. Lembro do plebiscito, eu tinha 15 anos, o mais sujo, o mais sacana da História, a mais corrupta e ridícula máquina de desinformação que eu ha vi na vida.
Tinha até o “arjumento “popular que se a monarquia voltasse, a escravidão também voltaria.
Algo que faria os mensaleiros petistas corarem se acharem amadores.

Camargoer

Caro Francisco. Campanhas eleitorais são sujas desde sempre. Por um tempo, achei que a internet serviria para resolver este problema, mas as redes sociais mantiveram o mesmo padrão de desinformação. Lembro da polícia civil colocando camisas de partidos políticos no sequestradores do Abílio Diniz, lembro do “kitgay” mais recente, lembro do Mario Amato dizendo que os empresários deixariam o país, lembro do debate editado pela Globo… no Império era pior porque o voto era aberto. Voto secreto (#meuvotosecreto) foi instituído, veja só, por Vargas. Há um documentário no Netflix sobre a discussão nos EUA entre o que seria “direito ao… Read more »

Flanker

Todos seus argumentos não mudam o fato de que monarquia é peça de museu….foi…já era….graças a Deus…….

Fernando "Nunão" De Martini

Allan Lemos, a Marinha Imperial era certamente uma marinha de destaque, mas mesmo no seu auge estava muito atrás das mais poderosas do mundo, e na década final do Império, mesmo com todos os esforços para construir seus próprios navios de ferro e aço, não tinha mais condições de acompanhar o ritmo da evolução tecnológica e já estava sendo alcançada pelas armadas da Argentina e Chile. Só piorou, e muito, na década que se seguiu à Proclamação da República, mas o processo de ficar pra trás, até mesmo aqui na América do Sul, já tinha começado.

Sequim

Defender uma monarquia escravagista que nada fez para desenvolver uma economia moderna no Brasil e que fez este ser o último país do Ocidente a acabar com a escravidão é dose. Mesmo com toda a renda gerada pela economia cafeeira, renda essa que ficava concentrada, pois não havia programas estatais de proteção social no Brasil do século 19, não conseguiu, como bem disse o Nunão, fazer com que a Marinha Imperial acompanhasse o desenvolvimento tecnológico de outras marinhas.

Wilson Look

A crítica ao desenvolvimento da economia na Monarquia é valida, mas lembre-se que os EUA também não tinham uma política nacional econômica, o que se tinha lá era um grau de liberdade e empreendedorismo que levou a esse desenvolvimento. Sobre o fim da escravidão, mesmo ela tendo demorado, o processo brasileiro é visto como muito mais bem sucedido do que o americano por exemplo, o processo brasileiro foi muito menos traumático em todos os níveis. Sobre programas sociais, ninguém tinha, isso era coisa de comunista na época, a primeira ação no sentido de trazer alguns benefícios sociais como férias remuneradas… Read more »

Sequim

Os EUA sempre tiveram uma política protecionista. A Guerra da Secessão teve como um dos motivos a divergência entre o norte industrial , que queria manter sobretaxa sobre o tecido britânico, e o sul agrícola, que queria acabar com essa sobretaxa, com medo de afetar as suas exportações de algodão bruto para a Inglaterra.

Wilson Look

Mas a principal causa da Guerra Civil foi a 13 emenda, que abolia a escravidão, de todos os motivos esse foi o maior, pois a economia do Sul dependia do trabalho escravo.

O Brasil não teve uma política protecionista sempre, mas teve em certos momentos, sendo que nesses momentos teve um grande boom industrial, sendo que as industrias aqui se concentravam mais na indústria têxtil e química.

Ricardo Bigliazzi

Ainda bem que o norte ganhou… senão seriam mais uma “Republica de Bananas”… ops… “de algodão”.

Claudio Moraes

Sequi m, há fatores e outros fatores, e não é nessa linha que vc esta indo, sugiro ir mais a fundo no tema, enfim nem vou perder tempo explicando, vamos parar de simplicar o raciocínio.

Sequim

Pois então, meu caro. Eu citei alguns fatores. E quanto ir mais a fundo, bom eu nao escrevi uma tese de doutoramento, mas tão-somente uma postagem.

Last edited 6 meses atrás by Sequim
Camargoer

Caro Claudio. Fiquei curioso sobre quais são estes fatores que você disse existir. Gostaria de conhecer a sua argumentação. Será ótimo para o debate.

Camargoer

Olá Sequim. O Brasil foi o último país da América a acabar com a escravidão, o que ainda é uma coisa terrível. O império era inculto, insalubre, desnutrido, corrupto, escravocrata, racista e desigual.

Claudio Moraes

Ola Camargoer, pois então, algo não muito diferente de hoje, ainda que atenporalmente diferentes com contextos diferentes, mas a essência se manteve igualmente o mesmo. Desde a colônia o Brasil manteve a sua econômia no latifúndio escravocrata, até o fim do regime monárquico, que foi um golpe patético. Com o início do regime republicano, a elite manteve resquisios disso tudo, coisa evidente até hoje, vide o coronealimos presentes ainda no nordeste do país, jeitinhos de uma sociedade que carrega esses males infelizmente. Dom Pedro II apesar dos problemas crassos do regime era um estadista que visava um futuro para o… Read more »

Agressor's

Meu caro Allan Lemos, a pouco tempo atrás chegamos até ser a sexta maior economia do mundo superando os britânicos, isso só exportando “banana”. Exportando coisas como soja e minério in natura, cujo valor agregado hoje é algo irrisório economicamente. O Brasil não é e nunca foi um país de “terceiro mundo”, ele é mantido assim por uma política colonialista de dominação político-econômica que foi instaurada aqui, pela ação de agentes externos. Esta ideia de que somos uma nação pobre e miserável não passa de uma bravata criada por essa classe dirigente que nos governa, pra enganar a população deste… Read more »

Caio

Monarquistas viajam e muito.

Wilson Look

Vejo muitos republicanos que viajam igual.

Alexandre Cardoso

Nos faltam estadistas. O que tem aparecido são pessoas que somente pensam nos próprios interesses.

filipe

Mas o Brasil é uma democracia, a China é uma ditadura comunista totalitária com partido único o PCC. O Brasil vai ser por direito próprio uma grande economia como é os EUA, daqui a alguns anos, é uma questão de tempo.

OSEIAS

quero viver para ver isso, e Deus te ouça.

Funcionario da Comlurb

😂😂😂😂😂😂😂

elcimar fulgencio menassa

engano seu, seguindo seu raciocínio , estadista tem agora ,por ele estaríamos melhor equipados , mas tem dois locais nesse contesto que não pensam da mesma forma, duas casas pra falar mais franco, entendeu ne!
presidente não governa sozinho.

Caio

Kkkkkkkkkkk

Camargoer

Caro Allan. Durante o Império, a taxa de analfabetisamo era maior que 80% de uma população de 10 milhões, dos quais 15% eram escravos. Além disso, o voto era restrito aos homens que sabiam ler e escrever, proprietários de terras ou de rendas. Durante a Guerra do Paraguai, o EB foi incapaz de completar as suas tropas, optando por enviar escravos do Império que seriam libertados no fim da guerra. Os filhos das famílias ricas convocados para a guerra podiam pagar para uma outra pessoa ocupar o seu lugar. Havia uma enorme concentração de renda, baixos índices de saúde. A… Read more »

Claudio Moraes

Olá Camargoe concordo com tudo o que disse, são fatores verdadeiros, porém apesar de todos os crassos problemas no país na época do regime monárquico, havia um projeto de nação com objetivos e interesses do país a se preservar. Eu considero a proclamação da República um “aborto” de uma nação nascente que estava querendo ou não ressolver os problemas fundamentais de um novo tempo que chegava. O Brasil perdeu o bonde como sempre, os problemas foram só se augeando pós início do regime republicano, que era uma ditadura do Deodoro, depois o Floriano que matou um monte de gente, e… Read more »

celio andrade

falou tudo !

Agressor's

Uma nação paupérrima de auto estima que destila todo tipo de ideologia absurda que muitos aceitam como verdade absoluta, transformando a família e a sociedade numa orgia de devaneios assombrosos onde: “o certo se torna errado e o errado se torna certo”…”onde o poste mija no cachorro e não o contrario”…”onde bandido se torna vitima e a lei é desprezada”…”onde filósofos de porta de butiquim, recitam a lógica do assalto, roubando assim a honestidade (que deveria ser uma virtude primordial) …”onde universidades se parecem mais com territórios dominados por gangues (panfletos, pichações, balburdias) do que um centro acadêmico de respeito,… Read more »

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Esses dias eu lia uma biografia do José Bonifácio (Mary del Priore, recomendo) e ali, mostrava-se evidente que a monarquia de Pedro I era tão corrupta quanto a república que veio décadas depois. E Bonifácio foi alvo de intrigas palacianas, de fake news em jornais apócrifos e campanha de desmoralização tal qual muitos politicos da república. Se é verdade que com Pedro II não havia um monarca corrupto, o fato é que corrupção nunca deixou o país.

Camargoer

Olá Fabio. Obrigado pela sugestão de leitura. Pois é. Além do Rio de Janeiro, a corrupção das vilas e comarcas do país era disseminada, inclusive com amplo uso da violência pelos chefes políticos locais, por meio de assassinatos, contratação de jagunços, manipulação da justiça, falsificação de documentos, sonegação, contrabando, grilagem de terras, fraudes eleitorais…

Claudio Moraes

Caro FÁBIO MAX MARSCHNER MAYER, corrupção sempre teve desde sempre nos primórdios do Brasil colônia. Pedro I não era nenhum santo, quem merece mais consideração sendo mais deixada de lado é Dona Leopoldina, que ajudou mais no processo de independência do que o próprio marido, ela tinha recursos tirados dela mesma pelo próprio Pedro, além de ser corneada. Eu tenho dúvidas se o governo dele era mais corrupto ou não, essa endemia corrupta vem desde muito tempo, no início, estando intrisencada na nossa sociedade infelizmente. Penso que esse endemismo corrupto se alavancou mais e vem se augeando desde o início… Read more »

elcimar fulgencio menassa

galante boa noite…tenho uma curiosidade.
esse lançador vertical para os Mísseis ,que segundo informado e ilustrado será de apenas 12 ( acho pouco caso minha pergunta seja a que penso)
tem possibilidade de recarga ? ou somente esses 12 mesmo?.

Cristiano de Aquino Campos

Acho que ele se referia a realização de reuniões, palestras e obvio, coqueteis caros, sem muita coisa prática em um programa pequeno como o nosso.

Wilson Look

Eu gostaria de colocar uma coisa sobre a realização de reuniões.
Pode parecer algo sem valor prático, mas o que é definido nessas reuniões é o que define o bom, ou mal, andamento de um projeto, quando estava fazendo design de games, na criação de um jogo, o grupo tinha 6 meses para fazer o jogo, gastava-se 4 meses somente com reuniões e documentação, somente nos 2 últimos meses é que se programava o jogo propriamente dito.

Só um adendo, não é a quantidade de reuniões que faz a diferença, mas a qualidade delas.

JOAO

Como assim não é uma potência econômica? Estamos entre as maiores economias do mundo. É tudo uma questão de vontade política e gestão. Temos um dos maiores orçamentos militares do mundo. Gastamos muito com o pessoal, quando a MB vai entender que não precisa de 70 mil homens para uma esquadra quem mal existe?! Ou 300 oficiais dentistas. Usemos como comparação outros países com orçamentos similares ao nosso. Vamos usar como exemplo a marinha da Austrália. É uma potência militar e econômica?

Jorge Knoll

Não o somos por culpa nossa, pois temos tudo para sermos a 5º ou 6ª economia mundial, mas nossos governos deixam a desejar, e apenas alimentam a corrupção.

zé

Como não?? Um dos maiores PIB e orçamento militar do mundo! Especifique.

Gabriel

Cada pais com suas peculiaridades, usando teus argumentos nível “gillete deitada”.

Se fosse na China e fizesse esse tipo de afirmação, você já não usaria mais rede social.

Camargoer

Caro Marcelo. De fato, se fosse na China, eles já teriam produzido várias fragatas, gerado emprego para os engenheiros e técnicos chineses, feito encomendas para as empresas de máquinas e equipamentos chineses. Então, aproveitando para aprender com os chineses, a MB está certa em contratar a fabricação em um estaleiro nacional.

Camargoer

Olá Marcelo. Podemos pensar de outro modo. Instaurar um regime de partido único, de viés político de esquerda, instituir uma censura na imprensa, instituir um representando do PC em cada quarteirão, estatizar o setor bancário e empregar os recursos depositados para incentivar o setor industrial (e enfim resolver o nó da economia financeira que tem esgotado os recursos públicos). Com isso, talvez, será possível construir fragatas sem conversar com ninguém, sem papo-furado com TCU, MPF, legislativo, setor financeiro. Particularmente, prefiro processos lentos e democráticos, com amplo debate, transparência e garantia dos direitos humanos. O problema é a concentração bancária….

GFC_RJ

Complementando,

Sabe qual é o programa de previdência pública chinês? Praticamente nenhum. É o famoso… “Te vira, malandro, porque quando você ficar velho é só tu e tua família”.

Bem… isso explica parte da alta poupança interna dos chineses, mas isso é outro papo pra outro dia…

Camargoer

Olá GFC. Pelo que apurei, a China tem um sistema de previdência pública, mas parece que restrito aos que tem emprego formal. Há tanto a contribuição do empregado de 8% na maioria das províncias, e entre 14% e 20% do empregador, também dependendo da província. Eles usam a mesma base usada no Brasil, EUA, França, Inglaterra, Austrália… que define o valor do benefício no momento da aposentadoria considerando o tempo de contribuição e os valores, que devem estar entre um piso e um teto (dependendo da província). E

GFC_RJ

Ah é? Sabia não.

Bem… não vou procurar saber mais porque estou meio cansado desse assunto. Confio na apuração do mestre.

Camargoer

Olá GFC. Sem problema. O problema na China é a enorme quantidade de chineses fora do mercado de trabalho formal sem direito á previdência. O aumento da expectativa da vida na China também tem provocados sucessivos deficts previdenciários que demandam aportes adicionais de recursos públicos, mas apena economonstros diriam que a elevação da expectativa de vida seria um problema.

GFC_RJ

A questão é que se o déficit previdenciário vai a níveis consideráveis não sustentáveis, cenário perfeitamente plausível diante da alteração demográfica acelerada que eles apresentarão em um par de décadas, o que fará o partidão? Simplesmente cortará pensões ou valores unilateralmente? (afinal, eles podem)
Mas… teóricos dizem que os chineses estão tolerando as restrições de liberdade, não só pela repressão, mas pela prosperidade e ganho de bem estar… Diante disso, o partidão terá coragem de cortar e abrir mais brechas para possíveis convulsões?
Só questões retóricas. Jogando questões no ar sem qualquer ambição de respondê-las.

Camargoer

Olá GFC. Quando estava procurando noticias e estudos sobre a previdência chinesa, encontrei uma recente sobre a criação de um fundo nacional a partir da transferência de 10% do capital das empresas estatais que será usado para complementar os fundos previdenciários das províncias. É uma ideia muito mais efetiva do que simplesmente privatizar as empresas públicas (se as empresas públicas geram lucro, é uma excelente ideia que este lucro seja revertido para um bem social como complementar o déficit previdenciário do que ser vendido, geralmente para grupos estrangeiros, que irão ampliar o deficit da balança de pagamentos.

GFC_RJ

“se as empresas públicas geram lucro, é uma excelente ideia que este lucro seja revertido para um bem social” Tenho muita discordância com você sobre isso. Solução do séc. XX, diante de desafios do sé. XXI. Um Estado pode ter estatais? Deve. Quais? Aquelas que geram grandes benefícios a sociedade que não são contabilizados em um tradicional DRE (o que é o oposto ao que você disse). Isto porque o setor privado não entratrá, uma vez que não é lucrativa, e a sociedade é muito melhor com ela do que sem ela, apesar dos custos. Exemplo: Embrapa. Seu DRE é… Read more »

Sequim

Nunca devemos nos esquecer do Japão, que era a potência econômica ascendente do fim do século 20. Bastou uma crise imobiliária para afundar o dinamismo japonês. Há economistas que alertam sobre a fragilidade do sistema bancário chinês. Se houver uma crise sistêmica bancária, como a pouco transparente China reagiria?

Camargoer

Olá Sequim. O Japão é um bom exemplo de um país que estava em amplo crescimento econômico, mas que foi nocauteado por uma crise imobiliária (lembro de uma entrevista com um corretor japonês sobre um apartamento no centro de Tóquio, que havia sido adquirido pelo investido por US$ 4 milhões, e agora estava á venda por US$ 1 milhão. Fico pensando até que ponto a crise japonesa foi apenas doméstica, ou induzida externamente para interromper a ascensão japonesa (não acredito em bruxas, mas elas existem….). As grandes crises dos últimos anos (exceto a da covid) parecem envolver o setor imobiliário,… Read more »

Mariner

É muito gasto em conversa e reunião e pouco resultado.

Fernando "Nunão" De Martini

Marcelo, acho que vc está confundindo ritmo de entregas, de navios em construção simultânea em mais de um estaleiro, com tempo de construção. A China não constrói fragatas em 8 meses do primeiro corte de metal à entrega.

Zorann

Nao quero polemizar, mas realmente ‘e muito bla bla bla. E no clube naval ne?

Jorge Knoll

FRAGATA?
O projeto é de corveta, o Almirantado apenas apelidaram de “corvetas” para enganar a torcida e sites.

Alex Rocha

Marcelo R compreendo sua revolta é a minha também, mas não adianta fazer comparação com a China. Estamos muito atrás deles e de outras nações até em idade e experiências. São mundos diferentes. Histórias diferentes. O que podemos pegar dos asiáticos e nisso eu generalizo de forma geral é sua disciplina, capacidade engenhosa e criativa e uma busca constante por conhecimento. Por isso pode observar que nações como Singapura, Japão, Coréia do Sul, China estão crescendo. O brasileiro por si só é um povo inteligente e criativo, mas nossa cultura é uma cultura da postergação. O Brasil não foca em… Read more »

Marcio

Somos o país da corrupção onde aqui tudo é obscuro, comparar o poder de construção do Brasil com a China ? tem que pensar um pouco.

Roberto Bozzo

Será que finalmente vão divulgar a configuração final das fragatas ?!?

Souto.

Amigos alguma informaçao sobre o retorno da fragata Defensora?

sj1

Comissões, Palestras, rega-bofes… enquanto isso lá fora armas de energia dirigida, dispensadores de drones, mísseis anti-satélie…!

Marcio

Bem-vindo ao Brasil onde tudo se empurra com a barriga.

LUIS NATAL

Pelo menos tá definido que é Fragata e não corveta!

Camargoer

Fragueta

Pecatoribus

Ou “corvata”

Camargoer

Olá Pecatoribus. “Corvata” parece que sai entortado.

Guilardo Pedrosa.

Fragata por decreto. Poderia ser considerada até encouraçado. O Brasil é um país pândego.

Wilson Look

Corveta de 3.500 toneladas?

A título de comparação o projeto do CPN deslocaria 2.790 toneladas, o projeto escolhido é do porte de uma Niterói, chama-lo de corveta seria meio que forçar a barra.
Muitos sites gringos consideram a corveta Barroso como uma Fragata Leve por causa do seu deslocamento.

Zorann

O nome pouco importa. Pode chamar ate de caiaque que nao interfere em nada. O que importa ‘e a capacidade do navio.

Alex Rocha

Fato.

Allan Lemos

O nome pouco importa,o Brasil poderia chamá-las de Arleigh Burke e ainda assim seriam pequenas e mal armadas.

Zorann

Na atual realidade, as Tamandares sao ate “grandes” demais.

Jamais irao operar full…. com muni’cao e misseis em quantidade. O dia que pararem para PMG, ficarao la 10 anos paradas por falta de verbas, como acontece com as Niteroi. Modernizacao de meia vida? Quem sabe algo bem simples. Nada que fuja do que a gente ja esta acostumado.

Comprar ‘e diferente de operar e manter.

Wilson Look

A forma de operação desses navios será totalmente diferente, na prática toda a vida delas está programada, até o desmanche.

Isso foi apresentado na palestra.

Zorann

Pois ‘e… o video funcionou, vc acreditou.

Se nao tiver dinheiro para manter a contento, tudo isto ai vira ficcao.

Wilson Look

O que vai acontecer daqui pra frente, não tem como saber, o que é certo é que esses navios estão trazendo uma filosofia de gestão de ciclo de vida até então inexistente na MB.
O salto que esses navios representam será tão grande quanto foi a chegada das Niterói.

E outra com certeza que um navio novo é muito mais barato de manter do que um com mais de 40 anos e que algumas de suas peças não são mais fabricadas.

Camargoer

Caro Zoran. Fazendo um exercício de futurologia. Colocando 2020 e 2021 para fora, é possível esperar que em 2022/2023 o país esteja com uma atividade econômica similar á de 2019. Portanto, com uma grande capacidade ociosa da indústria e um alto desemprego, mas com um nível de consumo (e portanto renda e impostos) equilibrada. Haverá o problema da dívida pública gerada neste período, mas que terá que ser solucionada a médio prazo, como todos os países. Será possível esperar que a partir de 2025 a economia mantenha um crescimento anual entre 1,5% (pessimista) e 3% (otimista), talvez ficando mesmo em… Read more »

Zorann

Desculpe-me, mas isto não tem nada a ver. Já tivemos no passado recente crescimento economico pujante, divida publica controlada e nem por isso a situação das FFAA melhoraram. Na Marinha, aproveitaram o período para aumentar o efetivo em 40%.

Como a irresponsabilidade no gasto do orçamento de Defesa continua, como todos os fatos recentes mostram que nada vai mudar, não posso me enganar.

Eu, particularmente,acho um desrespeito alimentar falsas esperanças nos jovens aficionados por assuntos militares, que leem este tipo de notícia e acreditam em tudo.

As pessoas tem de ser mais realistas.

Camargoer

Caro Zorann. Uma coisa é a crise político-econômica que vem afetando a atividade econômica desde 2015 e que foi agravada pela crise da covid. Isso é fato. Outra coisa é a competência que as forças armadas brasileiras têm de administrar seus recursos. Se por um lado, é possível tomar decisões perdulárias que resultam em desperdícios de recursos públicos durante períodos de crescimento econômico, há um nível mínimo de recursos abaixo do qual qualquer atividade fica inviabilizada, qualquer que seja o nível de competência administrativa. Para evitar expectativas e debates inúteis, tenho apresentado dados estatísticos dos gastos das forças armadas brasileiras,… Read more »

filipe

A MB esta de parabéns, pelo menos é uma MB mais realista e pragmática , esta fazendo projectos eficientes e de acordo com a nossa realidade actual, primeira missão concluir o PROSUB (1 SNBR + 4 SBR + EBN + LABGENE), segunda missão reconstruir o núcleo do poder naval baseado em navios de superfície, começando com o projecto Fragatas Classe Tamandare de 3500T, talvez a partir dai será uma readaptação do PROSUPER , evolução do projecto actual de 3500 Toneladas para 5600 Toneladas ou 7000 Toneladas, nada de embarcar em aventuras como o PRONAE ou PROANFB pelo menos por agora,… Read more »

LUIS NATAL

Entrega da primeira Fragata em Setembro de 2025 (planejado), com a possibilidade de mais 2 unidades!

Fernando "Nunão" De Martini

Sim. Corte do primeiro metal por volta de março de 2022 e entrega 3 anos e meio depois. Prazo bem razoável e factível, não havendo percalços.

Camargoer

Olá Nunão. Também tive a impressão que 3 anos~3,5 anos é razoável para a construção de uma fragata de 3,5 mil ton. Portanto, para que uma quinta FCT seja entregue em 2029, ela precisa ser contratada até 2025/2026. Não precisa ser antes.

Tomcat4,2

Corte da primeira chapa por volta de março 2022 ainda ?????????????

Camargoer

Olá Tom. O contrato foi assinado há poucos meses (acho que foi março). O estaleiro precisa ser adaptado e isso demanda algum tempo para o projeto e para a aquisição do maquinário novo. O projeto do navio também precisa ser adaptado para as especificações da MB. As equipes precisam ser treinadas e homologadas.

TeoB

Minha preocupação é como ficará a esquadra até 2030, que é quando teremos de fato as Tamandaré operacionais…
vamos precisar de no mínimo 4 escoltas de segunda mão até lá!

Camargoe

Caro TeoB. O que sido comentado aqui no PN é que as duas Greenhalgh e outras duas Niteroi serão retiradas de serviço em breve. Creio que a MB chegará em 2024 com 3 Niterói remanescentes, com a Barroso e com Julio de Noronha. Imagino que as 3 primeiras FCT irão substituir as Niteroi remanescentes e a quarta FCT irá substituir a Julio de Noronha. Como uma FCT precisa de 3,5 anos para ser construída, o prazo da MB contratar outras duas seria início de 2025/2026. Estas duas FCT adicionais seriam entregues em 2029 e 2030. Espero que a MB conclua… Read more »

Leandro Costa

Camargoer, estou botando a carroça na frente dos cavalos, porque infelizmente perdi a palestra e espero conseguir assistir ainda hoje. Mas esse prazo de construção de mais ou menos três anos e meio não pode ser diminuído uma vez que as primeiras duas ou três unidades forem construídas, contando com a experiência/expertise adquirida e otimização de todo o processo? Ou seria uma questão de se fixar esse prazo para manter o estaleiro e a linha de produção abertas, mas em baixa cadência para justamente preservar essa experiência/expertise no aguardo de mais encomendas? Se fosse o caso, não seria uma má… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Oi, Leandro. O tempo previsto de 3,5 anos do 1º corte de metal até a entrega é para a primeira unidade. Gradativamente é esperado (e isso está na palestra e cronograma) que esse tempo diminua. Se vai ser cumprido são outros 500. Mas é algo que, apesar de otimista levando em conta as condições brasileiras de sempre, é mais factível que o extremamente otimista e quase irreal cronograma original do Prosub, que tinha poucas probabilidades (na opinião do PN expressada aqui 13 anos atrás) de ser cumprido sem atrasos. Felizmente os atrasos aqui não ficaram até que momento muito diferentes… Read more »

Leandro Costa

Olá Nunão. Obrigado pela info. Acho que uma grande solução para o cronograma de todo e qualquer cronograma de projetos militares ou não no nosso país é justamente a mudança de cultura que praticamente inviabiliza um cronograma mais realista desses programas. Mas isso é outro papo.

No mais vamos torcendo para que os frutos desses planejamentos sejam colhidos em tempo hábil e fico feliz que certos cronogramas estejam sendo cumpridos mais ou menos dentro do que foi previsto (Gripen, por exemplo) e que as FCT saiam conforme planejado.

Camargoer

Olá Leandro. Como disse o Nunão, 3~3,5 anos para construir um navio de combate de 3,5 mil ton parece realista. Acho que todo mundo ficou envolvido com a possibilidade de outras duas FCT para serem entregues em 2029/2030 e 2030/2031. Considerando 4 anos o prazo entre assinar o contrato deste segundo lote e a entrega, a MB poderia esperar até 2025 para assinar o contrato. Portanto há um calendário com relativa folga. Talvez seja até possível contratar outras 2 ou 4 FCT em um terceiro lote. ou 2 ou 3 fragatas de maior porte (5~6 mil ton) para serem entregues… Read more »

Esteves

Navio caro. Mas…teremos o que será possível manter. Manter para a guerra. Significa que não será possível contar com as 4 por todo o tempo de paz. 1 para aprestamento, 1 em manutenção, 2 em missão. As 6 serão muito necessárias. O Esteves só discorda de 1 coisa. O programa extrapola a família naval e deveria ser incluído nas escolas militares e martelado frequentemente nas mídias internauticas. Estamos construindo nossos navios. Mais virão. Para ocupar nosso lugar em um mundo disputado. Nossa Marinha. Até o pipoqueiro da USP que vende pipoca com queijo deve saber sobre. Parabéns a vocês todos… Read more »

Mariner

O Brasil é assim ,muda o governo, muda as metas.ex.estaleiro de rio grande, abandonado e apodrecendo.e por aí vai..

Mariner

São grandes investimentos que vão para o ralo.

Mariner

Não é só falta de dinheiro , é investir muito mal.Ex.Forças armadas sucateadas ou com equipamentos ultrapassados.

Mariner

Quando tem projetos é para 2030 ,40 , 50 , até lá estão ultrapassados ou nosso poder dissuasor vira piada.E triste se não fosse trágico.

Dod

As tamandarés vão ter 12 lançadores VLS ?

Wilson Look

Não foi informado ainda.

Quando sair a configuração final ai saberemos.

Dod

Obrigado 🙂

Esteves

Exageros. As discussões no mundo do futebol mostram as mesmas críticas. Táticas, conversações, estratégias, palestras e pouco resultado. É o modelo de sociedade que permitimos fosse construído. O estado que se auto devora sem ambições e sem objetivos. O ex presidente agora novamente palestrante repete que o Brasil “sempre vai estar entre os 8 qualquer coisa”. Qualquer coisa. A Defesa está obsoleta e envelhecida porque deixaram ficar. Somente ela? Nossa segurança pública evoluiu? Nossa polícia? Educação? Construção civil? O pessoal do Sinaval reclama da carga tributária, dos custos portuários, das burocracias, da navegação de cabotagem sem incentivos. Até parece que… Read more »

Flanker

Sem entrar no mérito das capacidades e modernidade desses navios, falando apenas em be-le-za…….aquele bordo de proa é feio pra caramba!!!! Parece um rebocador…..

comment image

comment image

comment image

Bardini

Vendo o cronograma: . Corte de Chapa 2022 FCT1 2025 FCT2 2026 FCT3 2027 FCT4 2028 . Volto a bater na mesma tecla: Urge a necessidade por iniciar um outro programa, em paralelo a este da FCT, para aquisição de um OPV visando o emprego como meio de Esquadra, para resguarda capacidade de mostrar bandeira e atuar em cenário de baixa intensidade. Meios novos, de menor complexidade, sendo inseridos em um contrato de suporte logístico integrado para dar baixa nas velharias da Esquadra, que não servem pra mais nada. Coisa que realmente iria agregar ao longo de muitos anos de… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Bardini
filipe

Não há dinheiro para OVP, o que há é opção para mais duas FCT, dai a razão da encomenda por 6 Canhoões OTO MELARA de 76mm, ou seja 4 já encomendados e 2 de opção, claro que a MB vai construir 6 FCT, e já ta de bom tamanho, a medida que as 6 Niterois forem desativadas serão substituídas por 6 FCT, nada mal , apenas é uma reposição da esquadra actual, o bom disso é que são serão navios novos em folha, navios no estado da arte, espero que a MB nunca mais receba nenhuma sucata ( as chamadas… Read more »

Bardini

Então tu está me dizendo que não existe dinheiro para comprar OPV, mas existe US 1 bilhão para exercer a opção por mais duas FTC, que chegariam se muito em 2029 e 2030?
.
Queridão, que papo é esse de que está muito bom para uma reposição da Esquadra atual???
A “Esquadra Atual” é resultado de uma sangria que vem ocorrendo a mais de uma década, onde vários meios já deram baixa sem reposição.

Zorann

Fala sério!! os OPVs deveriam ter sido a primeira escolha. Tem dinheiro pra comprar tamanduá, mas nao tem para comprar OPV que é na atual situação, muito mais importante?

sergio ribamar ferreira

Concordo com o Sr. Bardini. Disse tudo. Argentina com as OPV 87 e as Colombianas são exemplos. Sem mistério. O que mais me interessou no seu comentário foi “meios novos de menor complexidade, sendo inseridos em um contrato de suporte logístico integrado”. Tem lógica, inda mais dentro de um orçamento cada vez mais apertado. Grande abraço.

CRISTIAN NUNES MENDES

Bardini você encontrou a tonelagem do OPV da Vard 7-100? Na ficha do fabricante eles não informam, mas se comparar o comprimento com o Damen OPV 2600 deve estar em 2600 ton. Esses na minha opnião são execelentes opções embora com ton acima dos 1800ton que a Marinha havia definido.

Bardini

Esse OPV tem tonelagem próxima da FCT, se não mais… . Esse navio aí serviu de base para o projeto dos novos Cutters do USCG, que se não me engano vai construir 11 unidades com opção pra mais não sei quantas… . É um navio que tem características de persistência bem elevadas. Muitos e muitos dias de mar e um alcance enorme. . Resumindo, nas palavras folclóricas do mundo da defesa brasileira: “é demais para nós”. É bom demais. . Eu penso que o que mais importa nessa solução do OPV, não é nem o modelo do navio em si,… Read more »

Tomcat4,2

Precisamos é de mais, muitos mais , napa 500, seja classe Macaé ou os futuros Napa 500 BR.

jodreski

O que é tem que tem de novidade para dizer sobre isso?
Novidade para mim só se essa belonave já estiver pronta e navegando daqui 1 ano, o que sabemos que é impossível.

Cleber

Palestra , seminario , reuniao e bla bla bla …enquanto isso na Russia : misseis hipersonicos .

Guilardo Pedrosa.

Bem, disseram lá em cima que a China é rica pelo que pode construir inúmeros navios. Concordo, apesar de que nas décadas de 70/80 éramos mais ricos. Agora, o nosso PIB é maior do que o da Rússia. E aí ? …

Mariner

E o (ralo) para bom entendedor uma palavra basta.

Tutu

A Rússia gasta 5,3% do pib deles em defesa, teoricamente eles estão dando tudo que podem.

Luiz Floriano Alves

A China é comunista para certos fins. Na economia se posiciona como bom mercantilista. Adotouas práticas de ´rodução dos Tigres Asiáticos, notadamente o sistema de Qualidade Total ou Excelência. Seus bancos agem como qualquer banco internacional. Sus milionários são os cbeças de lista de celebridades financeiras mundiais. ,Estão seguindo De Gaulle no sentido deles. O melhor do Capitalismo, naa economia e o melhor do comunismo na politica exerna e na organização social.

MMerlin

O melhor do comunismo na organização social? O que a China tem é o “melhor” do comunismo para o controle social.

Camargoer

Caro Luiz. As técnicas de gerenciamento e de produção nada tem a ver com o regime econômico adotado por um país. Politicamente, a China é um regime de pouca liberdade (o simples fato de só existir um partido já compromete qualquer ideia de democracia). O colapso da URSS e o massacre na Praça da Paz em 89 serviram de lição ao governo chinês que era necessário ampliar o bem-estar da população por meio do consumo para garantir a estabilidade do regime. A cor do gato não importa, desde que ele pegue o rato. Mas continua sendo um gato. O governo… Read more »

Ted

Se o Brasil implementar este grau de 5.3% do PIB, estaria multiplicando por 3 o seu gasto com defesa. US85 bi. De verdinhas. Pode mandar vir as frem, S500, Leo 2A6, segundo lote de NG, com meteor.

Renan

Tá doido, tem reportagem que o ministro que disse a frase a baixo.
Então meu caro se triplica o valor da defesa, com certeza terá que triplica o soldo de reservista, da ativa e os coitadinho dos pensionista.

“Eu tenho vergonha do que eu recebo do Exército, isso eu tenho vergonha. Se eu mostrar pro meu filho que eu sou general de Exército, e ganho líquido R$ 19.000, eu tenho vergonha”, disse o ministro, que entrou para a reserva em 2011.

Então não deve falar em aumentar e sim em mudança.

Ted

Suposição meu caro. Mas em caso de conflito de alta intensidade, a coisa vai por aí. Com toda cadeia produtiva da nação direcionada para o esforço de guerra. E se alguém acha que ganha pouco! Peça demissão.

Camargoer

Olá Ted. Pois é. Acho que a ideia de que os militares devem receber um tratamento especial em tempos de paz está bastante equivocada. Um militar em tempos de paz deve ser tratado com um profissional. Um segurança de carro forte corre mais risco que um soldado em sua vida profissional. Se eles cortarem o número de generais de exército pela metade, dá para dobrar o soldo com o mesmo orçamento.

ADRIANO MADUREIRA

“Eu tenho vergonha do que eu recebo do Exército, isso eu tenho vergonha. Se eu mostrar pro meu filho que eu sou general de Exército, e ganho líquido R$ 19.000, eu tenho vergonha”, disse o ministro, que entrou para a reserva em 2011.

Está com vergonha de ganhar R$19.000 paus?! Coitado…

Carvalho2008

$19 mil é salario de gerente na iniciativa privada

Não é superintendente, gerente executivo ou diretor que ganham bem mais

ADRIANO MADUREIRA

“Eu tenho vergonha do que eu recebo do Exército, isso eu tenho vergonha. Se eu mostrar pro meu filho que eu sou general de Exército, e ganho líquido R$ 19.000, eu tenho vergonha”, disse o ministro, que entrou para a reserva em 2011. Está com vergonha de ganhar R$19.000 paus?! Coitado… Se ele queria fazer fortuna na Carreira militar tomou a decisão errada ou deveria ter ido para o Us Army. Sabemos o quanto é nobre defender a pátria mas ao invés de proporcionar regalias o certo deveria ser diminuí-las,de todos os poderes. Se já não bastasse a classe política… Read more »

Renan

Linha de miserável pessoas com rendimentos inferiores a US$ 1,90 por dia

No Brasil são 13,5 milhões de pessoas

Linha de pobreza extrema com renda de US$ 5,50 por dia

No Brasil são 52,3 milhões de pessoas

Coitado do general que tá na reserva e tem que se contentar com 19 mil coitado

ADRIANO MADUREIRA

em compensação a dívida deles comparada a eua,china e brasil é muito inferior…

GFC_RJ

Caro AM, Mais importante do que o tamanho da dívida bruta do país, é seu perfil. Juros e prazos médios dizem muito. Ex. Um sujeito A e um sujeito B possuem dívidas respectivamente de 20.000 e de 10.000. Os juros médios da dívida de A é de 2%aa e o de B é 10%aa. Já os prazos médios de A são de 15 anos e de B de 5 anos. Qual dívida é “melhor”? Provavelmente a de A, pois apesar de ser o dobro do tamanho, ela possui um perfil muito melhor que a de B. Outros fatores importantes são… Read more »

Camargoer

Olá GFC. Pois é. Uma das coisas mais nefastas foi a ideia de que as contas públicas devem ser controladas como se uma dona de casa controlasse as despesas de uma família.

Sequim

Professor, exato! Os gastos públicos geram demanda agregada, o que gera emprego e renda. Aí estão China e EUA para provar isso. Tem gente aqui que quer o Brasil com dinamismo chinês, mas acha “normal ” o teto de gastos, que é basicamente engessar a economia.

Camargoer

Olá Sequim. Pois é. A tal “lei do teto” determina que o gasto público deve ser igual ao do ano anterior, corrigido pela inflação e pela taxa do PIB. Portanto, em um período de recessão, ele se torna uma força em amplia a recessão e em períodos de expansão uma força que restringe a expansão, sem falar que projeto o futuro a partir do passado ao invés de avaliar o presente. Jênios.

GFC_RJ

Só que outras leis obrigam o Estado a aumentos automáticos de gastos com custeio, mesmo quando a arrecadação despencou. Vamos combinar que isso também é “jenial”. 
Afinal, o que é mais ou menos “jenial”? 
EU acho que daria para ajeitar dos dois lados para caber uma solução consensual. Mas… NÃO acho que isso seja de interesse de muitos beneficiários de tal dicotomia.
Só acho.

Camargoer

Caro GFC. Há anos o funcionalismo federal deixou de ter aumentos automáticos. As promoções no executivo dependem de mérito (por exemplo concursos internos, relatórios de desempenho, etc). Os reajustes dependem de lei aprovada no congresso que são negociados a cada 5 ou 10 anos. Os salários dos servidores estão todos disponíveis no portal da transparência. Os supersalarios estão 1. no Judiciário e no MPF (por meio dos auxílios moradia e da farra das diárias), nos cargos de diretoria e conselhos das estatais (mas estes cargos nada tem a ver com a carreira de servidor estatutário). Há um discurso equivocado que… Read more »

GFC_RJ

“Há anos o funcionalismo federal deixou (…). Houve evoluções, muito poucas por sinal, passos de cágado, e não é generalizado. E ainda tem os executivos estaduais, municipais, forças armadas etc. E outra… independente da regra que for e aonde, o gasto obrigatório federal cresce 5 a 6% ao ano, sem qualquer ação do executivo ou do legislativo. Ponto. Isso é uma sangria que tem que ser estancada, pois como a arrecadação caiu, a conta é paga necessariamente com dívida pública. “Os supersalarios estão (…). Eu não estou falando só de supersalários. Os supersalários são muito simbólicos, mas eles não pesam… Read more »

GFC_RJ

“Os jênios da lei do teto criaram uma regra essencialmente recessiva (…)” A regra em si não é recessiva. Seu argumento limita-se ao fato de impedir maior investimento pelo setor público. É verdade. Isto é péssimo. Mas… ao mesmo tempo permitiu cair as taxas de juros para níveis historicamente baixos. Isso de forma alguma é recessivo.  Ainda… que se os juros médios estão mais baixos, a conta de juros é diminuída, liberando espaço no orçamento. Mas isto não está ocorrendo, pois o espaço para o investimento está cada vez menor porque o gasto obrigatório está cada vez maior. Portanto, voltamos… Read more »

GFC_RJ

“Os gastos públicos geram demanda agregada”… Uma vez que estamos num portal naval… Como diria meu avô… Gastos públicos é “um barco cheio de gente”. Afinal a qual gasto público se refere? Existem diferenças entre investimentos e custeio. Investimentos tem capacidade multiplicadora, mas custeio muito pouco. Só que “gastos públicos” envolvem as duas coisas. E no caso brasileiro, o segundo está muito maior que o primeiro. Digamos… Nossa capacidade dissuasora será incrementada porque nossos oficiais receberam aumento de soldo (custeio)? Dificilmente. E se aumentarmos o número de submarinos, mísseis e aviões de caça (investimentos)? Com certeza. O problema do gasto… Read more »

Camargoer

Olá GFC. Concordo que é preciso ser cuidadoso quando se fala em gastos públicos. Geralmente, o debate acaba sendo prejudicado por mal-entendidos. È bastante frustrante. Recentemente, foi feito um estudo do impacto das universidade públicas de SP sobre a produtividade do setor industrial. A premissa é que o salário pago pelo empregador deve ser inferior ao da riqueza que ele é capaz de gerar. Portanto, salários mais altos no setor privado estariam ligados á produtividade do empregado. Foram levantados os salários do egressos das universidades públicas em relação aos salários dos egressos de instituições privadas (no mesmo cargo). A conclusão… Read more »

Sequim

Meu caro, por favor… Sei que estou falando com alguém intelectualmente preparado, mas que insiste (propositalmente?) em misturar alhos e bugalhos. Há no orçamento público a figura da rubrica, que é a destinação nominal de cada verba do orçamento. Se realmente quisessem impedir um crescimento desordenado de despesas de custeio ( tipo folha de pagamento), poderiam ter limitado o teto de gastos a tais rubricas. Mas não! Os “çábios” ou ” jênios” resolveram colocar despesas e investimento no mesmo saco, e criaram um mecanismo para travar a economia, como muito bem explicou o Camargoer. Burrice (ou má-fé) pouca é bobagem.

Last edited 6 meses atrás by Sequim
GFC_RJ

“insiste (propositalmente?) em misturar alhos e bugalhos”. “Os “çábios” ou ” jênios” resolveram colocar despesas e investimento no mesmo saco, e criaram um mecanismo para travar a economia”. Sabe quem insiste em misturar os alhos e bugalhos e colocar no mesmo saco? O FMI, a OCDE, o BACEN, o TN, o IBGE… Todo mundo e de todos os governos. Sabe por que? Porque como falei logo ali acima, a destinação dos recursos é distinta, mas as FONTES são absolutamente as mesmas: Tributos e dívida pública.  Portanto, não interessa o órgão, ou o poder, ou o tipo de gasto público. No… Read more »

Camargoer

Olá GFC. Excelente observação (gastos distintos, mas fonte única). Os recursos para manter o Estado virão sempre da sociedade. O desafio sempre foi identificar os gargalos da economia mas que o setor privado é incapaz ou está desinteressado em resolver, quais os serviços públicos que demandam gastos prioritários e quais as demandas sociais que precisam ser atendidas. Acho que nem o tamanho da dívida pública nem o tamanho do Estado são os problemas. São duas consequências do que a sociedade demanda. Uma vez o Delfin Netto disse em uma entrevista que algumas despesas decorrem de uma opção da sociedade e… Read more »

Foxtrot

Cada vez que vejo esse navio mais me abismo com a escolha da MB.
Anteparas da ponte de comando muito retas, o que propícia a refletividade radar, o mesmo serve para bombordo e estibordo.
Seria melhor ter escolhido o projeto Sigma, pelo menos é mais sthealt do que essa CCT/Meko gambiarra.

Renan

O atual presidente deveria ao menos iniciar um programa estratégico, pois até o momento não fez nenhuma aquisição nova de armamentos para o Brasil. Todos os programas já estavam em vias de fato, as Tamandaré fora prorrogado a assinatura para dar louro a quem não fez nada. A única coisa que o Jair fez até o momento é melhorar a carreira militar agindo como sindicalista. Vamos la ilustre presidente, faça algo relevante para a nação, aproveita que tá falando com o Trump e compra alguma coisa para defesa anti aérea, compra uns helicópteros de ataque, compra drones de ataque global,… Read more »

Astolfo

Você quer que ele inicie um programa estratégico com o país tentando se recuperar da crise econômica provocada pelo vírus chinês? Está de sacanagem?

Se você quer criticar o presidente, o faça, mas não por motivos que não fazem sentido algum. Não há condições políticas ou financeiras para gastos de grande vulto em projetos estratégicos neste momento.

O que ele pode fazer, e está fazendo, é tentar manter os projetos existentes com um mínimo aporte financeiro de tal forma que não haja prejuízos. Neste momento, considerando o que eu falei, é o suficiente.

Camargoer

Olá Astolfo. Concordo com você que as forças armadas têm vários programas em andamento. È necessário conclui-los antes de começar outros, até porque os programas estratégicos são os submarinos as FCT, o Gripen e o KC390. 2020 ficará na história como um dos mais difíceis do sec.XXI em vários aspectos. Vírus não tem passaporte. Apenas para lembrar, um dos mais mortais virus da classe de febres hemorragicas é o Sabia, identificado pela primeira vez no Brasil (nem por isso deve ser chamado de vírus brasileiro), até porque o vírus da gripe espanhola foi identificado pela primeira vez no Kansas. A… Read more »

Renan

Amigo adquirido a tecnologia é muito mais barato agora fazer os equipamentos solicitados.

Um governo que diz abertamente não entender de economia com certeza não deve saber, que a indústria de defesa gera riqueza.

Imagina para construir um navio quantos empregos e imposto gera direta e indiretamente.
Em um momento de crise econômica o investimento federal pode amenizar está crise, se o governo investir em infraestrutura, saneamento básico e equipamentos militares produzido aqui no país poderia alavanca a economia nacional. Gerando emprego, renda, aumentar o consumo interno.

Não é impossível basta trabalhar

Camargoer

Olá Renan. Pois é. Há bastante tempo venho falando isso. A aquisição de material militar precisa ser feita de empresas sediadas no Brasil, que geram empregos no Brasil. É difícil esperar que um frentista consiga pensar como um gerente de posto de gasolina.

Camargoer

Caro Renan. A pior opção seria a aquisição de material militar por simples importação. Neste momento, as forças armadas têm ao menos 5 programas estratégicos de grande porte que precisam ter continuidade, 1. Os submarinos Riachuelo, 2. o Gripen, 3. O KC390 (aproveitando que a Boeing foi embora, seria o caso de esquecer o nome MIlleniun; me lembra uma das piores versões do WIndows), 4. O labgene/SN10 e 5. as FCT. Além deles, ainda existem o 6. Guarani, 7 ManSup, 8 as suas Macaé, 8. Concluir a aquisição dos helicópteros Caracak H225, a modernização dos A1 remanescentes da FAB, dos… Read more »

Renan

Sim Camargoer eu sou péssimo em português e devo não ter conseguido passar a mensagem.

Deve ter dinheiro para continuar os projetos já em andamento e já contratar novas encomendas só que mais barato pois compramos a tecnologia.

Neste trecho digo “o Brasil comprou a transferência de tecnologia então tudo que for fazer será uns 30% mais barato agora.”

Então não falei em compra de prateleira.
Falei para comprar o que foi adquirido a tecnologia.

Camargoer

Olá Renan. Concordo com você. Após o primeiro lote, que demanda a implantação de uma infraestrutura e no treinamento das equipes de engenharia, os lotes sucessivos são realmente mais baratos (eu também faço uma estimativa que o preço dos lotes subsequentes pode ser até 2/3 do preço do primeiro lote). Então, com exceção dos Scorpenes, porque considero que o objetivo do ProSub são os submarinos nucleares, o Gripen, o KC390, o Guarani e as FCT, poderão receber novas encomendas focadas na fabricação nacional ou nacionalizada. Acho que concordamos mesmo.

ADRIANO MADUREIRA