Home Aviação Naval Conexão Defesa nº 4: Live com os editores da Trilogia Forças de...

Conexão Defesa nº 4: Live com os editores da Trilogia Forças de Defesa

805
8

Na próxima sexta-feira, 16 de outubro de 2020, às 20h de Brasília, teremos o quarto programa Conexão Defesa no Youtube e Facebook, um bate-papo com os editores da Trilogia de sites Forças de Defesa.

Atendendo a pedidos, Alexandre Galante, Fernando “Nunão” De Martini e Guilherme Poggio vão conversar e procurar responder a perguntas sobre o Plano Estratégico da Marinha – 2040 e vários assuntos correlatos, como o futuro da Aviação Naval brasileira, Aviação de Patrulha, substituição dos AF-1 Skyhawk, emprego de Aeronaves Não Tripuladas para Vigilância Marítima, etc.

Conforme o tempo disponível também comentaremos os assuntos de destaque da semana.

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
TeoB
TeoB
3 meses atrás

que foto linda!!!!

Alexandre
Alexandre
3 meses atrás

Bom dia aos editores, gostaria que vcs fizessem uma análise da informação divulgada pelo comandante da nossa MB, sobre a capacidade do navio Atlântico de receber aeronaves de pouso vertical. Inclusive mostrou uma foto de um osprey que pesa 20 toneladas no convoo do Atlântico.
Ele salientou que um sítio foi especialmente preparado pelos ingleses para esse tipo de operação. Então, a pergunta básica todos nós sabemos qual é, pode receber o F35 ?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Alexandre Galante
3 meses atrás

Obrigado pela atenção Galante, um abraço e até a live!

LUIS NATAL
LUIS NATAL
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
3 meses atrás

Adriano, neste site só li elogios ao A-140! É a nossa Nau Capitanea e espero que continue sendo até o próximo PEM!

LUIS NATAL
LUIS NATAL
3 meses atrás

Numa breve leitura do PEM 2040, vcs concordam que a Marinha, ao adquirir o A-140, cumpriu parte do item referente à construção do poder naval (EN 6.2), especificamente quanto ao NCAM? Muito foi discutido sobre a aquisição de PA para a MB, bem como aeronaves de asa fixa, mas o documento deixa claro: “…operar com aeronaves de asa fixa, rotativas e/ou remotamente pilotadas”. Boa live a todos.