Home Indústria de Defesa Japão lança ao mar novo submarino da classe ‘Taigei’

Japão lança ao mar novo submarino da classe ‘Taigei’

4753
94

O mais novo submarino Taigei do Japão (anteriormente conhecido como 29SS) foi lançado no estaleiro Mitsubishi Heavy Industries (MHI) em Kobe, Prefeitura de Hyogo

Taigei significa “Grande Baleia” em japonês e já foi usado como o nome de um submarino da Marinha Imperial Japonesa. A Força Marítima de Autodefesa do Japão (JMSDF) usa nomes de submarinos para se referir a (1) coisas relacionadas a fenômenos oceanográficos, (2) criaturas lendárias e (3) animais subaquáticos.

Isso deixa três classes principais de submarinos a serem operados pela JMSDF no futuro: a classe “Oyashio” tem o nome de correntes subaquáticas e marés, os submarinos da classe “Sōryū” têm o nome de dragões, e parece que a nova classe “Taigei” será com o nome de baleias ou peixes grandes.

A aparência externa do Taigei não é muito diferente da classe “Sōryū”, mas por dentro há um submarino completamente diferente. Primeiro, o Taigei usa baterias de íon de lítio em vez do sistema AIP 4V-275R Mk. III, que foi instalado a bordo dos primeiros 10 submarinos da classe “Sōryū”.

Em segundo lugar, as capacidades do sonar e do sistema de comando de combate foram aprimoradas, bem como o uso de novos materiais absorventes acústicos e uma estrutura de piso flutuante para torná-lo mais silencioso. Ele também é equipado com Torpedo Counter Measures (TCM), que ejeta iscas para evitar torpedos inimigos para melhorar a capacidade de sobrevivência.

O Taigei está programado para ser comissionado na JMSDF em março de 2022, após o que será usado como um submarino de teste, de acordo com as “Diretrizes do Programa de Defesa Nacional para o ano fiscal de 2019 e além” publicadas em dezembro de 2018. Em outras palavras, o Taigei será o navio dedicado a conduzir todos os testes futuros de tecnologia em submarinos da JMSDF.

Especificações básicas de Taigei

  • Deslocamento padrão: cerca de 3.000 toneladas
  • Comprimento: 84 metros
  • Boca total: 9,1 metros
  • Tripulação: cerca de 70
  • Propulsão: propulsão diesel-elétrica com baterias de íon-lítio

FONTE: Naval News

Subscribe
Notify of
guest
94 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Dong Feng
Dong Feng
14 dias atrás

Parece ser maior que o S40

Dalton
Dalton
Reply to  Dong Feng
14 dias atrás

É o Japão cumprindo o que planejara anos atrás quando anunciou que aumentaria sua força de submarinos dos históricos 16 além de outros 2 usados exclusivamente para treinamento o que contribui para a grande profissionalização da força para pelo menos 20 além dos 2 de treinamento.
.
O décimo segundo e último “Soryu” está quase pronto e irá juntar-se aos 11
“Oyashios”, dos quais os 2 mais antigos são usados para treinamento.
.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Dalton
14 dias atrás

quanto anunciaram esse monte de sub, teve protesto d China que disse que isso ia mudar o equilíbrio da balança de poder na Ásia.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Carlos Campos
14 dias atrás

Que mude. Um único desses pode transformar em recife artificial um Type 003 com todo o seu grupamento aéreo.

Jodreski
Jodreski
Reply to  Rafael M. F.
14 dias atrás

A Claro… assim como um único Borei colocaria os 11 Nae Americanos no fundo do oceano.. tudo é simples assim é trivial como vc mencionou…

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Jodreski
13 dias atrás

Quem falou em Borei?
Qum falou em afundar 11 NAe americanos?

Não diga coisas que ninguém afirmou.

E sim, um único Taigei com tripulação bem treinada pode furar as defesas de um Carrier Strike Group chinês e meter a pique um Typ. 003.

O mesmo vale para um Borei-class ou um Typ.093-class contra um Carrier Strike Group centrado em um CVN.

Teropode
Reply to  Rafael M. F.
13 dias atrás

Não ligue , ele expressa medo desta forma ,kkkkkkk

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Carlos Campos
14 dias atrás

Os chineses são uns fanfarrões…

Kemen
Kemen
Reply to  Adriano RA
13 dias atrás

Tem chines aqui?

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Kemen
12 dias atrás

Muitos. Todos os telefones, tablets, laptops e computadores aonde estão malhando a China…hehe

Teropode
Reply to  Carlos Campos
13 dias atrás

Só pra não perder o costume , basta fornecer uma sopa de morcego que eles relaxam .

Jagdverband#44
Jagdverband#44
14 dias atrás

Que bela máquina! E… adotando nomes da antiga IJN…

Dalton
Dalton
Reply to  Jagdverband#44
14 dias atrás

Verdade…e muito justo, pois há muito do que se orgulhar também.
.
Como alguém que gosta e muito da “IJN” lembrei do nome “Taigei” que foi construído como navio auxiliar, mas, graças ao programa “Shadow” poderia ser rapidamente convertido em um NAe leve e foi o que ocorreu, quando em fins de 1942 ressurgiu como o “Ryuho”, não confundir com o “Ryujo”.
.
Enquanto sendo convertido para NAeL o Taigei foi danificado levemente por um dos B-25s que decolaram do USS Hornet para atacar o Japão em abril de 1942, uma das grandes façanhas da guerra.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
Reply to  Dalton
14 dias atrás

Sou fã da IJN também.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
14 dias atrás

Japão se armando de verdade. Eses submarinos Japoneses são fantástico, mesmo que de propulsão convencional.
Submarinos são e continuarão sendo o meio naval que mais garante a soberania de uma nação sobre o seu mar.
Imaginem nossa MB com uns 12 scorpenes?😃😁

Teropode
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
13 dias atrás

Acredito que umas 250 ogivas atômicas nas FA japonesas daria um status gigantesco na região , eu se fosse eles faria isto ,já que é para botar prá f**** , armas atômicas já …..

Nonato
Nonato
Reply to  Teropode
12 dias atrás

Exatamente.
Colocar os chineses para correr…

Falcon
Falcon
Reply to  Teropode
12 dias atrás

O Japão tem capacidade de construir vários artefatos nuclear em curto espaço de tempo se assim decidir …

Teropode
Reply to  Falcon
12 dias atrás

Falcon , imagine um Japão com as dimensões territoriais da Índia ? Não tinha pra ninguém cara .

Zorann
Zorann
14 dias atrás

A arma mais importante no mar, ‘e o submarino. Parab’ens ao Japao

M.@.K
M.@.K
14 dias atrás

Interessante adotarem uma propulsão diesel-elétrica ao invés de um sistema AIP.

Marcos R
Marcos R
Reply to  M.@.K
14 dias atrás

Por conta da, grande capacidade de armazenar energia das baterias de lítio… Só temo os riscos de incêndio incontrolável das baterias de lítio.

M.@.K
M.@.K
Reply to  Marcos R
14 dias atrás

Sim, imagino que seja isso mesmo…

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  Marcos R
13 dias atrás

O AIP francês usa células de hidrogênio (elemento mais instável da tabela periódica)…

Tomcat4,2
Reply to  M.@.K
14 dias atrás

Essa vai pra turma “especialista de internet” que malhou pau na MB por não optar pelo sistema AIP !!!;-)

M.@.K
M.@.K
Reply to  Tomcat4,2
14 dias atrás

Pois é, sempre achei que o sistema AIP fosse algo melhor que o diesel-elétrico, mas qdo a MB do Brasil não optou, achei que foi um erro, mas conversando com alguns colegas, me explicaram que o sistema AIP seria mais lento ao algo assim. Bem como não entendo muito disso, a opção japonesa parece quem vem confirmar.

_RR_
_RR_
Reply to  M.@.K
14 dias atrás

M.@.K, A MB não optou pelo AIP por vários fatores, dentre os quais certamente pesou a opção pelo submarino nuclear. O rendimento do AIP realmente é baixo, mas pode permitir dias de operação ininterrupta, garantindo que o vaso não precise vir para próximo da superfície e usar snorkel para recarregar baterias. Salvo melhor juízo, o modelo japonês é derivado do tipo Stirling, que é dos mais simples. Funciona queimando O2 e diesel para manter aquecido um conjunto cilindro-pistões inserido em uma câmara isolada, e cujo gás na extremidade aquecida do cilindro expande e impele os pistões para a região fria,… Read more »

Heli
Heli
Reply to  _RR_
13 dias atrás

O AIP Stirling é o de menor rendimento energetico e ainda tem o barulho, ainda que muito pouco, devido ao motor. Contudo os suecos ja lancaram uma nova versao do Stirling com maior rendimento e menos barulho . O API alemao, celulas de combustivel, nao faz barulho, assim como o PESMA frances.
A MB preferiu por mais combustivel nos seus Scorpenes e abdicou do AIP pelo projeto do nuclear e principalmente por custos, já que o AIB é caro para os padroes da MB…

_RR_
_RR_
Reply to  M.@.K
14 dias atrás

O mais, desconheço o rendimento dessas baterias de lítio, mas custo a crer que se tenha um rendimento próximo de um AIP.

Os modelos mais avançados de AIP, até onde sei, podem proporcionar mais de 15 dias de imersão ininterruptos, ao passo que as baterias convencionais garantem aí umas 90 horas, se a memória não me falha…

De toda sorte, se essas baterias de lítio garantirem ao menos o triplo das convencionais, então talvez valha a pena juntamente por deixar o submarino mais simples…

M.@.K
M.@.K
Reply to  _RR_
12 dias atrás

Obrigado para explanação meu bruxo!

Kemen
Kemen
Reply to  M.@.K
13 dias atrás

Pois é, as Marinhas européias estão todas erradas. As Marinhas quando optam hoje por Li-ión é pelo seu custo operacional e preço ser mais barato que sistemas AIP, nada mais, Li-ion hoje dobram a capacidade de submersão das Chumbo-ácido nada mais, e bem abaixo de um AIP.

M.@.K
M.@.K
Reply to  Kemen
12 dias atrás

Hummm interessante… outro problema que me relataram seria o tipo de combustível no AIP, ao contrário do diesel..

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Tomcat4,2
14 dias atrás

Mas a MB não usa baterias de ion litio

Peter Nine-nine
Peter Nine-nine
Reply to  Tomcat4,2
14 dias atrás

Looooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooool

Salim
Salim
Reply to  Tomcat4,2
13 dias atrás

Este sub com baterias lítio será usado em testes desta nova tecnologia. Esta classe está muito a frente dos atuais, e uma opção ao AIP, visto que Japão utiliza AIP em seus outros subs. Talvez futuro lancem AIP com baterias l ithio. Os scorpene são inferiores aos subs japoneses, porém mais baratos.

Peter Nine-nine
Peter Nine-nine
Reply to  M.@.K
14 dias atrás

MK, os submarinos a AIP também são diesel elétricos… o AIP é só mais um recurso à disposição.

rommelqe
Reply to  Peter Nine-nine
12 dias atrás

Exatamente!

M.@.K
M.@.K
Reply to  Peter Nine-nine
12 dias atrás

Eu pensava que o combustível no AIP fosse outro e não diesel e por isto teria sito um dos fatores da MB não ter adotado. Valeu!

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  M.@.K
12 dias atrás

Cada modelo de AIP tem um desempenho diferente e requerem mesmo um combustível próprio. Tem um canal no Youtube chamado Mario Sergio Porto, que tem vários vídeos sobre defesa e por ele ser um engenheiro naval da MB acaba trazendo luz sobre pontos muito interessantes, ele tem muitos vídeos sobre as dificuldades de se construir submarinos e tem um vídeo sobre esse assunto, ele mostra as vantagens e desvantagens de cada sistema de AIP.

Salim
Salim
Reply to  M.@.K
11 dias atrás

Alem do diesel, o AIP , dependendo sistema, leva oxigênio líquido, ethanol e ate hidrogênio. Basicamente você retira oxigênio desta fonte e alimenta motor diesel, independente de subir a superfície, deste modo submarino fica submerso por ate 30 dias sem necessidade de subir para ter ar e rodar motor.. Preço uns 60 a 100 USS milhões e uma. Seção a mais no sub para armazenamento. Pros varias semanas submerso, menor ruido, alta manobrabilidade, custo menor, desempenho tático furtivo muito superior convencional Desvantagens em relação ao nuclear, menor velocidade submerso e necessidade estrutura para reabastecimento. Também na desativacao e igual diesel… Read more »

Jef2019
Jef2019
14 dias atrás

Parabéns ao Japão. Fazendo o que é certo, reforçando o poder de dissuasão. Agora tenho uma dúvida..pq paises que foram derrotados na WWII hj estão muito melhor aparelhados do que países que inclusive enviaram tropas para combate na ação dos aliados contra os países do eixo? Se analisarmos os paises do eixo todos estão muito bem equipados em termos de defesa, mesmo esses sofrendo sanções e forte controle militar após o conflito…

Doug385
Reply to  Jef2019
14 dias atrás

Não inclua a Alemanha nessa conta. apesar de contarem com equipamento moderno, a disponibilidade anda bem baixa.

jef2019
jef2019
Reply to  Doug385
14 dias atrás

Olá Amigo…obrigado pelo comentário, mas incluo a alemanha sim, pois o meu objetivo foi fazer uma comparação direta com nosso Brasil, que participou através da FEB e da FAB junto aos aliados…e alemanha é o principal motivo de meu questionamento…eles causaram tudo e foram duramente punidos após o fim da guerra, e hj eles tem sim um aparato militar considerável, inclusive comparado com o Brasil…claro que em termos de tamanho de território existe uma grande diferença, mas eles tem em seu inventário tanques Leopard 2A6 (considerado um dos melhores do mundo), os poderosos obuseiros PZH2000, veículos de infantaria PUMA, a… Read more »

Alex Rocha
Alex Rocha
Reply to  Jef2019
14 dias atrás

Jef2019 temos que levar em conta que estes países que faziam parte do eixo se tornaram democráticos e aliados do Tio Sam. Como é o caso do Japão., Os EUA desempenharam papel fundamental na reconstrução destes países pós guerra junto com outras nações. Isto fez toda a diferença.

jef2019
jef2019
Reply to  Alex Rocha
14 dias atrás

Olá amigo, obrigado pela resposta…tb acho que eles se beneficiaram de serem alinhados com os EUA e acho que principalmente pela guerra fria existente no pós guerra e a divisão alemanha ocidental e oriental quando da existência do muro de berlim…engraçado isso, a divisão de um país derrotado gerou investimentos de ambos os lados, ou seja, EUA e Russia, que depois foram unificadas com a queda do muro,,,talvez esse foi o principal motivo de terem se mantido relativamente bem armados e modernos, principalmente o lado ocidental…não entendo como o Brasil não surfou nessa onda da guerra fria, sendo o Brasil… Read more »

Alex Rocha
Alex Rocha
Reply to  jef2019
13 dias atrás

Concordo com vc em parte, mas vejo jef2019 que nosso país sempre se auto sabotou. A visão brasileiro enquanto nação é muito superficial e nós como brasileiros somos pouco patriotas. O Brasil sempre teve grave conflitos internos e acho que este é o grande calcanhar de Aquiles. Isto atrapalha o desenvolvimento de nossa nação, pois têm muitos que remam em lados contrários. Valeu.

jef2019
jef2019
Reply to  Alex Rocha
13 dias atrás

Pois é amigo….defesa nunca foi prioridade por aqui…mas também é fato que sempre fomos controlados pelos EUA.. controle de acesso a tecnologia e à equipamentos de ponta, eis a questão, aliados pero no mucho.. o tio SAM sempre nos observou com ressalvas… abraços

Nonato
Nonato
Reply to  jef2019
12 dias atrás

Não confunda os países que estiveram diretamente envolvidos no conflito (por sinal, alguns anos depois do fim da segunda guerra mundial, devido à crise econômica, havia um forte movimento pró-comunismo na Europa, o que levou os Estados Unidos a fazerem o plano Marshall, para melhorar a situação por lá). Ou seja, diferentemente da Rússia, que invadiu países que sequer eram seus inimigos, os Estados Unidos, ao ocupar países inimigos derrotados os ajudou. Até como forma de se contrapor ao comunismo. O Brasil, pelo menos na segunda guerra, não teve papel tão relevante. Na verdade, alguns desses países como Japão e… Read more »

jef2019
jef2019
Reply to  Nonato
12 dias atrás

Olá amigo. Concordo contigo que abordagem utilizada pelos EUA e Russia frente aos países que tiveram ingerência destes foram bem distintas. Mas penso que o Brasil foi sim um importante aliado, apesar de ter entrado apenas no final do conflito, ambos os lados flertavam com o Brasil, o qual deveria ter obtido melhor proveito da situação do pós guerra.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jef2019
14 dias atrás

por mi Getúlio devia ter continuado no seu amor pelos fascistas, assim o Brasil seria invadido, hoje estaríamos melhor apesar da cizatriz.

Nelson
Nelson
Reply to  Carlos Campos
14 dias atrás

Carlos Campos, certeza que se os nazistas tivessem dominado nosso país, provavelmente tu nem terias nascido.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Nelson
13 dias atrás

pode ser verdade, mas quem disse que eu ligo se eu nasci?

jef2019
jef2019
Reply to  Carlos Campos
14 dias atrás

Olá amigo, obrigado pela resposta…o Brasil tentou desfrutar da neutralidade até o último minuto, tentando ganhar dos 2 lados. Eu já acho que foi melhor assim, pois se alemanha tivesse como aliado o Brasil, qual seria o resultado final da guerra? imprevisivel…outra coisa, talvez nem tivesse oportunidade de ter nascido…gerações foram dizimadas principalmente na europa…não teria sido nada legal termos um importante teatro de operações aqui na america do Sul…acho que o Brasil escolheu o lado certo, dos vencedores, só não soube aproveitar melhor a situação

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  jef2019
13 dias atrás

Muito legal seu pensamento em proteger a vida, mas ainda descordo acredito que iríamos sofrer, porém no longo prazo daríamos mais valor a não ser refém das grandes potências, hj teríamos um país mais prospero e com capacidade de se defender, bem é a minha opinião.

jef2019
jef2019
Reply to  Carlos Campos
12 dias atrás

Olá amigo. uma coisa é verdade, os três países do eixo (alemanha, Itália e Japão) se transformaram em grandes nações, alcançaram prosperidade econômica, níveis elevados de industrialização e possibilitam uma boa qualidade de vida a seus povos, alem de respeitavel poder de dissuassão em defesa, tema objeto de nosso debate …alcançaram o 1 mundo enquanto nós empacamos no 3 mundo…foram muito castigados durante a WWII e se reergueram…o Brasil até obteve ganhos no aspecto econômico, mas não priorizou a defesa…como disse penso que o Brasil fez a escolha certa…devido ao fato de se posicionar ao lado dos vencedores e da… Read more »

Kemen
Kemen
14 dias atrás

Estranho o Japão ter abandonado o sistema AIP, pois as baterias de Li-ion não propiciam a mesma capacidade de submersão de um AIP, entretanto o AIP usado no Japão é de tecnologia sueca, o Sterling, mais barato mas antigo e bem defasado em relação aos de célula de combustivel, por exemplo que permite um maior tempo de submersão.__ O fato dessa mudança poderia estar na opção de apostar mais na discrição, no silencio, o Sterling por ser a tecnologia de AIP mais antiga é mais ruidoso que os outros.__ Esse projeto foi o proposto na concorrência da Australia, que foi… Read more »

Last edited 14 dias atrás by Kemen
rommelqe
14 dias atrás

Traçando um paralelo com o Taigei – sempre lembrando que a indústria japonesa é extremamente experiente em submarinos – o nosso SNBR Alvaro Alberto certamente teria que cumprir, antes de entrar em operação com uns 5 anos ou mais de ensaios e certificações após ser lançado ao mar; com isso, essa primeira unidade da MB será na realidade uma plataforme de desenvolvimento, seja de projeto e fabricação até o detalhamento de conceitos operacionais. Mesmo sendo altamente em favor do programa de propulsão nuclear brasileiro, a MB não poderá se dar ao luxo de dispensar o emprego de submarinos diesel-elétricos. Defendo… Read more »

Tomcat4,2
14 dias atrás

Pois é, no mar o perigo fica submerso, que a MB priorize mais submarinos e chegue ao menos em uns 10 SBR e ,sonhar não custa, uns 6 SNBR .

Doug385
14 dias atrás

Se não me engano os nossos Scorpenes também possuem baterias de litío, não?

Alexandre Galante
Alexandre Galante
Reply to  Doug385
14 dias atrás

Não, os S-BR têm baterias de chumbo-ácido.

Doug385
Reply to  Alexandre Galante
14 dias atrás

Uma lástima.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Doug385
14 dias atrás

Quais os motivos para ser uma lástima? Essa é uma tecnologia nova do Japão e existe muitos riscos de incêndios atrelados ao uso dessas baterias. Os Scorpenes são ótimos !

Last edited 14 dias atrás by WELLINGTON RODRIGO SOARES
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
14 dias atrás

Wellington,se o homem ficasse apenas pensando nos riscos,então ele não teria ido ao espaço ou à lua,ou até mesmo cruzado os mares. Para estar na vanguarda,é necessário correr riscos,caso contrário sempre ficará atrás dos melhores.

De qualquer forma,eu prefiro que a MB continue investindo na tecnologia do submarino nuclear,ao invés de bateria de lítio ou AIP.

Henrique
Henrique
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Cara.. uma coisa é você ser uma Marinha um país que a população comprou teu discurso e todo mundo ta alinhado com ele e todo mundo vai tentar de volta se tudo der errado pq eles sabem a importância do objetivo Agora outra coisa é você ser a MB e viver em um país onde muito pouca gente tá alinhada com que você fala e maioria te vê com gasto inútil… a MB não tem espaço pra errar nesse projeto e não pode querer inovar agora e correr o risco do projeto dar errado. se der algum erro no prosub… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Henrique
13 dias atrás

População apoia MB sim, veja orçamento de nossas forças defesa entre 10 maiores mundo. Quem não ajuda e a marinha que virou Cabidao empregos e sem meios. Olha fortuna gasta pra 4 subs, olha o que gastaram no PA e aeronaves e depois encostaram PA com medo reforma. Olhas a situação napa500. População apoia sim porem os caras são ruinzinho a beça.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
13 dias atrás

Essa reforma já havia extrapolado, o valor de 1,5 bilhão de dólares e não havia certezas se o navio teria o desempenho desejado, a reforma tinha que ter sido feita quando ele foi comprado, mas na época o governo não se mostrou muito receptivo quanto a isso e para o planejamento da MB na época o sucessor já estaria pronto em 2015 ou até mesmo antes disso, então o São Paulo seria apenas temporário, o resto da história já é conhecida. Sobre os napa500 ex-EISA, isso não é culpada MB se o estaleiro faliu e que depois a mesma não… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
11 dias atrás

Se MB fosse competente só aceitaria Foch com a reforma na França,compraram pra reformar aqui depois dai ficaram com medo fazer mal serviço como o feito Ceara que saiu torto da reforma geral e teve que ser desativado. Napa 500 era pra ser 26, fizeram 3 inace em 3 anos navegando ate hoje, ai inventaram estaleiro eisa/rj que faliu, desde 2012 parado, indo pra 3 anos no AMRJ, sendo um fase final construção, cadê os outros 20 napa500. Desculpe eu conheço esta historia MB você esta querendo tapar sol peneira. Barroso 14 anos, fragata defensora 8 anos e ainda nao… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
11 dias atrás

E o governo federal estava disposto a liberar os 250 milhões de dólares para a reforma do Foch? Vocês amam usar a Barroso por causa do tempo que ela levou para ser construida, e se esquecem dos 4 Inhaúma construídas dentro do prazo, das Niterói, e de todos os outros, é fácil criticar. A MB não inventou nada, ela fez uma licitação nova e o INACE NÃO QUIS PARTICIPAR, aqui não é uma ditadura para obrigar uma empresa a construir algo, e quem poderia dizer que o EISA iria falir. Sobre esse tempo todo no AMRJ tem 2 coisas importantes,… Read more »

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Alexandre Galante
13 dias atrás

Baterias são um item de troca mais simples ou existem outros sistemas atrelados às mesmas (inversores, controladores…)?

Allan Lemos
Allan Lemos
14 dias atrás

É evidente que os japoneses sabem das próprias necessidades melhor do que qualquer um,mas não entendo porque eles nunca demonstraram interesse em submarinos nucleares. Me pergunto se os acordos firmados entre eles e os americanos os proíbem de fabricá-los.

Astolfo
Astolfo
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Os japoneses, caso quisessem, poderiam fazer submarinos nucleares. Dado o nível de aliança estratégica entre japoneses e americanos e o fato de os americanos não impedirem o Japão de transformar a classe Izumo em porta-aviões para os F-35B, é questionável que impeçam os japoneses de fabricarem submarinos nucleares. A verdadeira questão é que o uso de energia nuclear para fins militares é um tabu no Japão desde as bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki. Esse é um grande fator para que eles não fabriquem submarinos nucleares. Pode-se argumentar também que o Japão tem forças eminentemente defensivas (as Forças de Autodefesa… Read more »

Control
Control
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Jovem Allan Porque não precisam. O objetivo básico da marinha japonesa é defensivo sendo sua área principal de operação as águas no entorno do Japão. Também é importante lembrar que um submarino em patrulha opera em velocidades baixas (uns 5 a 12 nós) para que seus hidrofones funcionem com boa eficiência, sejam diesel elétricos, AIP s ou nucleares. Observe também que a maior velocidade sustentada que os nucleares podem manter só é útil para deslocamentos em águas profundas onde o ruído que geram em alta velocidade é mais amortecido. E nestas condições eles navegam praticamente as cegas visto que o… Read more »

Zorann
Zorann
14 dias atrás

Para a galera que pensa em nossa situação, ao ver esta reportagem sobre o Japão, o que precisamos é garantir a modernização de todos os Tupis, que ainda tem em media mais de 20 anos de serviço pela frente.

Uma frota de 9 submarinos em operação é um fator dissuasório considerável, podendo realmente fazer diferença no Atlantico Sul.

trocar a modernização dos Tupis por 4 tamandarés é um absurdo. E não se engane, é isto que está acontecendo. Deram prioridade para as tamanduás

_RR_
_RR_
Reply to  Zorann
14 dias atrás

Zorann,

Todos os IKL do projeto original já alcançaram os 25 anos… Já se pode considerar que estão em idade consideravelmente avançada. E sabe-se lá o quanto já mergulharam e quanta pressão já encararam… Do que foi produzido daquele projeto, que reste somente o Tikuna mesmo.

Submarino não é que nem vaso de superfície, que se pode bater uns anos a mais pra além do planejado.

O mais, que se invista o máximo possível para se ter novos submarinos…

Zorann
Zorann
Reply to  _RR_
13 dias atrás

Estou falando de mais 20 anos de serviço. Isto é o que era previsto, não representa mudança nenhuma, nada além do que era planejado.

Ainda tem de se levar em conta que alguns estão parados a quase 5 anos!! Fora alguns que passaram por PMGs que também atrasaram.

A idade não representa o tempo de serviço, principalmente no que se refere aos nossos submarinos.

Nesse caso você está enganado.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Zorann
13 dias atrás

Qual era o tempo de serviço máximo projetado para os tupi?

Porque o Tupi já tem 31 anos de serviço e eu não conheço nenhum submarino que tenha chegado aos 50 anos de serviço, pelo que conheço eles são tirados de serviço antes de completarem os 40 anos de serviço.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Zorann
13 dias atrás

Zoraan, uma das coisas que disse muito bem, é que a idade não representa o serviço efectivo, nem o desgaste. Aliás, algo mais. Novo pode ficar mais desgastado que algo mais velho. Uma. Embarcação que esteja em reparação por mais tempo tende a ter a vantagem de não estar a empurrar mar. Por outro lado, discordo que seja um absurdo priorizar as tamandare pelos tupi. Repare, neste momento investimento é feito em novos subs, com um já na água, enquanto que as novas escoltas ainda nem viram devidamente os seus equipamentos selecionados, sendo portanto uma prioridade. A situação das escoltas… Read more »

_RR_
_RR_
Reply to  Zorann
13 dias atrás

Zorann… Um submarino é uma plataforma exigente, de uma sensibilidade muito maior que um vaso de superfície… Para os IKL em particular, recomenda-se 3 PGM ao longo de sua vida útil, cada qual realizado após 6000 horas de imersão. Se não me engano, todos os IKL brasileiros já fizeram seu segundo PGM. Entendo, portanto, que todos já estão no terço final de suas vidas úteis… Cada PGM envolve o corte do casco em seções para se fazer as manutenções de equipamentos de maior porte. É evidente que esse procedimento fragiliza o casco, e juntar de novo é um processo complexo,… Read more »

Salim
Salim
Reply to  _RR_
11 dias atrás

RR, estamos praticamente sem escoltas, 3 niterois terão parar reforma, só tem a valente Barroso e um tupi. Scorpene vai demorar mais uns anos ficar operacional, os 4 tupis tem mais 15 anos de vida útil projetadas e comprovadas em teste. Seria o mais viável pra manter defesa costa, visto esta caca que MB deixou por falta planejamento.

Kemen
Kemen
14 dias atrás

Ué! Cade meu comentario?

Gabriel BR
Gabriel BR
14 dias atrás

Para um submarino convencional o Taigei é enorme.

Astolfo
Astolfo
Reply to  Gabriel BR
13 dias atrás

O Japão produz os maiores submarinos convencionais do mundo. Isso já era verdadeiro na classe Sōryū, e é mais verdadeiro ainda agora com a classe Taigei.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
14 dias atrás

O Ocidente domina o Ar e o Fundo do Mar.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Ricardo Bigliazzi
13 dias atrás

Se alguem ainda duvida do acerto no emprego de baterias de metal leve, que leia atentamente as especificações deste submarino. Todo projeto que vier depois disso terá as influencias destes barcos. A simples substituição das baterias propicia melhor tempo de submersão que qualquer AIP,. e a segurança adicional de não ter que lidar com gases de recarga das chumbo-ácido, oxigênio e hidrogênio. O lançamento deste Sub coloca o Japão na liderança desta tecnologia.

eder
eder
13 dias atrás

E o Bolsonaro que prometeu melhorar as Forças Armadas corre para abafar o escândalo do dinheiro na cueca do seu líder no senado.

Astolfo
Astolfo
Reply to  eder
13 dias atrás

O que tem a ver com a matéria? Vá falar suas baboseiras em outro site, g1, etc.

Paulo Costa
Paulo Costa
13 dias atrás

Tem o infográfico do sub japonês,que diz que com a bateria de lítio s,
a 7 nos pode ficar 30 dias submerso

Baterias de litio nos subs Japoneses.jpg
Ivan
Ivan
Reply to  Paulo Costa
13 dias atrás

Excelente infográfico.
.
Os dois últimos submarinos da classe Sōryū, o S-511 Ōryū (comissionado em março de 2020) e o S-512 Tōryū (que será comissionado em março de 2021) já usam as baterias de íons de lítio.
.
Interessante observar que o novíssimo Taigei que deve ser comissionado em março de 2022 promete ter as mesmas dimensões da classe anterior, a Sōryū: comprimento de 84 metros e boca de 9,1 metros.
Portanto as mudanças serão principalmente internas, notadamente nos sistemas.
.
Forte abraço,
Ivan, um antigo infante metido em assuntos de marinheiros.

smichtt
smichtt
Reply to  Paulo Costa
13 dias atrás

A densidade energética das baterias aumentou 400%. Grande feito de ciência e engenharia. Daqui a alguns anos o mercado civil se beneficiará disso.

Moriah
Moriah
Reply to  smichtt
12 dias atrás

ele ainda terá quase o dobro da capacidade em 2030. baterias de estado sólido são bem mais eficientes que as de lítio comuns.

Last edited 12 dias atrás by Moriah
Ivan
Ivan
13 dias atrás

Um registro importante:
.
Entre março de 2009 e março de 2021 a JSDMF comissionou um submarino classe Sōryū por ano, sempre no mês de março. Até este ano foram 11 subs da mesma classe e já está programado para março de 2021 o comissionamento do 12º, chamado Tōryū.
.
Em março de 2022 deve ser comissionado o novíssimo Taigei.
.
Precisão alemã ou suíça?
Que nada.
Precisão japonesa.
.
Forte abraço,
イワン

Ivan
Ivan
Reply to  Ivan
13 dias atrás

Detalhe:
.
Os 11 submarinos da classe anterior – Oyashio – foram todos comissionados no mês de março, sempre um por ano, entre 1998 e 2008, com uma única exceção: o Setoshio foi comissionado no dia 28 de fevereiro de 2007.
Erraram por um dia… a menos.
😉
Forte abraço.



Luiz Floriano Alves
Reply to  Ivan
10 dias atrás

E nós, aqui no fim do mundo pensando em desenvolver fornecedores de baterias de chumbo-ácido, com tecnologia da WWI. É o progresso, tipo rabo do cavalo. Para baixo…..

Teropode
13 dias atrás

Já assisti o vídeo várias vezes .