segunda-feira, março 8, 2021

Saab Naval

HMS Bristol da Marinha Real é desativado após 47 anos

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

HMS Bristol, destróier Type 82

O HMS Bristol foi o único destróier Type82 da Marinha Real, projetado originalmente para defender uma classe de porta-aviões nunca foi construída

O segundo navio comissionado mais antigo da Marinha Real foi aposentado após 47 anos em serviço.

O HMS Bristol baixou seu White Ensign pela última vez em uma cerimônia de desativação em Portsmouth no dia 28 de outubro.

Representantes do Comando da Marinha, a Associação HMS Bristol, organizações de jovens e tripulantes de navios estiveram presentes para o pequeno serviço em seu convés superior.

O oficial comandante do HMS Bristol, o capitão de corveta David Price, disse: “Sabíamos que chegaria o dia em que o HMS Bristol seria retirado da frota, por isso é meu privilégio como seu oficial comandante final abaixar o White Ensign pela última vez em nome dos milhares de marinheiros e cadetes para os quais este navio foi uma plataforma de treinamento inestimável, e também para todos aqueles que serviram a bordo durante sua primeira comissão.”

A cerimônia marcou o fim de uma carreira única para o destróier Type 82, que começou em março de 1973.

Projetado originalmente para defender uma classe de porta-aviões que nunca foi construída, o HMS Bristol foi o único destróier Type 82 entregue à Marinha Real.

Ele notavelmente entrou em ação nas Falklands durante 1982, liderando um grupo de dois destróieres, cinco fragatas e um navio de suprimentos RFA chegando com reforços.

O navio mais tarde se juntou ao grupo-tarefas de batalha de porta-aviões para cumprir seu papel como um destróier de defesa aérea e então assumiu as funções de capitânia.

Depois de quase duas décadas no mar, o HMS Bristol foi comissionado novamente e convertido em um navio de treinamento do porto em 1993 em Whale Island, Portsmouth, onde permaneceu desde então.

Enquanto estava lá, o navio forneceu um ambiente de treinamento para uma variedade de alunos, incluindo engenheiros e pessoal médico.

Embora retirado da frota, o navio permanecerá no porto de Portsmouth até que seu futuro seja definido.

Sua tripulação restante de cerca de 20 será redistribuída no Ano Novo.

FONTE: forces.net

HMS Bristol lançando o Sea Dart

NOTA DO EDITOR: Para realizar sua missão de escoltar porta-aviões, o HMS Bristol foi equipado inicialmente com o sistema de mísseis antiaéreos Sea Dart e o sistema de mísseis antissubmarino Ikara. Para receber o dois sistemas o navio acabou ficando grande e muito caro, por isso a Marinha Real decidiu posteriormente equipar navios escolta com apenas um dos sistemas: os destróieres Type 42 receberam o Sea Dart e as fragatas Leander foram modernizadas com o Ikara.

Lançador duplo de mísseis Sea Dart na popa do HMS Bristol

- Advertisement -

26 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus Mascarenhas

No aguardo do primeiro que vai vir dizer que o Brasil deveria comprar esse navio

Paulo Henrique

Compra de “oportunidade” para o Brasil kkkkk

Kemen

Talvez para o Uruguai KKKKK

Ramiro Lopes Andrade

Deve ser uma pechincha ………… compra compra antes que os falidos americanos comprem ………….. hahahahahaha

Moriah

Seria uma compra de oportunidade há algumas décadas kkkk Eu nem lembrava mais do Bristol, mas apenas de sua maquinaria envolvendo turbinas a gás e a vapor.

Anderson

Entrei só para ver se tinha alguém falando isso.

Bryan

Eu também! kkkk

Joao Moita Jr

“ projetado originalmente para defender uma classe de porta-aviões nunca construída”
Opa!!! Perfeito então!!!
As más línguas dizem que uma comitiva da MB já está lá em Portsmouth…
😅

mendonça

hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha😅😅😅😅😅😅😅😅.
os barrigudos amanhã deve desembarcar em londres hahahahahahahahahahahahaha , eu acho eles engraçados e ao mesmo tempo ridículos .
tem uma matéria ou tinha ,dizendo que os barrigudos daqui ,na época da guerra das malvinas ,que ficaram impressionados com o poder de fogo da ARGENTINA ,não foi com o da grã bretanha , imagine … se ficaram de boca aberta por causa dos argentinos ,e eles perderam a guerra , bem capaz sim deles correr atrás disso .

Last edited 4 meses atrás by mendonça
marcus

Levou para o arsenal da marinha, e deu duas mãos de tinta,está pronto para prestar valorosos serviços para MB por mais 20 anos.

Leandro Costa

Época em que os navios de guerra eram muito bonitos. 🙂

Alison

Realmente um navio imponente

WELLINGTON RODRIGO SOARES

Tenho quase certeza que alguma fragata da classe Niterói será desativada com 50 anos rsrr…

Cássio Silva

É uma bela embarcação. Cumpriu o seu papel, como tudo na vida ; um dia chega ao fim.

Andrigo

“Será que com algumas modernizações não navega por mais uns 15 anos?”

do Brasil, Marinha.

J R

é verdade esse bilhete. kkkkk

Kemen

Até a Royal Navy guarda velharias, o saudosismo bate forte neles e ainda não sabem o que farão depois de desativa-lo.!

Carlos Pietro

Atenção marinha brasileira,bela compra de oportunidade.

Luiz Floriano Alves

Atracado foi bem como escola para treno seguro de muitas operações navais. Os Brits sabem o que fazer com seus barcos. Deixar afundar, no cais, não é da tradição dos marinheiros de Sua Majestade.

Top Gun Sea

Muito bem usado, parece em bom estado de conservaçao. Sou favorável ao uso das embarcaçoes por longas datas desde que haja um programa de manutençao sério.

Flanker

Curiosamente, ele serviu por mais tempo como navio de treinamento, no porto, do que como navio de combate, navegando.

Dalton

O “Bristol” foi retirado de serviço em 1991 e convertido em navio de treinamento estático.
.
Existe algo similar na US Navy que são 2 antigos submarinos de propulsão nuclear em vias de serem definitivamente descartados que serão substituídos na função por 2 classe Los Angeles inativados.

jonas

Em Fevereiro vi-o quando visitei o Porto onde está atracado. É uma pena, sempre o considerei o navio mais bonito da Royal Navy. Quando o vi, já não tem os mastros que calculo tenham sido retirados por questões de estabilidade.

Dalton

O mastro principal e também o dianteiro onde encontrava-se o radar 1022 só foram removidos em 2010 quando ele passou por uma revitalização visando estender a vida por mais 10 anos.
.
Foram removidos por não terem utilidade, aproveitando-se o período no estaleiro para revitalização e não por “questões de estabilidade” que se fosse o caso teriam sido removidos muito antes.

J. Ricardo

As fragatas Brasileiras da classe Niterói tem alguma semelhança em seus sistemas com esse navio ??

Gerson

Chega quando??

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Doutrina de engajamento da US Navy contra submarinos inimigos

A doutrina de Guerra Antissubmarino (ASW) da US Navy (Marinha dos EUA) prioriza a destruição dos submarinos de um...
- Advertisement -
- Advertisement -