Home Marinha do Brasil Força de Submarinos participa da ‘Submarine Staff Talks’, nos EUA

Força de Submarinos participa da ‘Submarine Staff Talks’, nos EUA

1375
36
Comandantes das Forças de Submarinos do Brasil e dos EUA selaram acordos durante o encontro
Comandantes das Forças de Submarinos do Brasil e dos EUA selaram acordos durante o encontro

A última semana de outubro foi marcada por um importante evento para as Marinhas do Brasil e dos Estados Unidos. Foi realizada, entre os dias 27 e 29, a conferência Submarine Staff Talks, na cidade de Norfolk, EUA, sede do Commander, Submarine Force Atlantic (COMSUBLANT). Ao longo dos três dias de trabalho, foram conduzidas reuniões entre as delegações representativas das Forças de Submarinos dos dois países.

Desde 2013, as duas Forças possuem um plano de engajamento, visando ao alcance de objetivos mútuos. Durante o evento, foram produzidos documentos com o propósito de reorientar e aprimorar este relacionamento de forma ainda mais consistente, com foco nas esferas estratégica, operacional e de desenvolvimento, em um contexto cooperativo e de operação combinada.

Para o Comandante da Força de Submarinos, Contra-Almirante Thadeu Marcos Orosco Coelho Lobo, o evento ratificou a boa relação entre as Forças. “Brasil e Estados Unidos compartilham valores primordiais de liberdade e democracia e construíram uma amizade duradoura. O Oceano Atlântico é nossa fronteira, onde nossas Marinhas têm laços sólidos, fomentados por décadas de operações combinadas. Nossas Forças Submarinas expressam um desses laços, trabalhando cooperativamente visando ao interesse mútuo e ao desenvolvimento”.

Do lado do anfitrião do encontro, a impressão também foi positiva. “O Brasil é um parceiro importante para a Força de Submarinos dos EUA e prezamos nossa parceria duradoura”, afirmou o Comandante da Força de Submarinos dos Estados Unidos, Vice-Almirante Daryl Caudle.

O evento marca um importante intercâmbio oceanoestratégico, no âmbito das operações de submarinos, reforçando os laços naturais entre as Marinhas do Brasil e dos Estados Unidos.

FONTE: Marinha do Brasil

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
2 meses atrás

Quantos submarinos estão em plena capacidade operativa hoje no Brasil?

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

Apenas o submarino Tikuna. Os 4 Tupis estão nesse momento parados.
Tem o Riachuelo em fase final de teste.
Na minha opinião uma pena estar com os 4 Tupis parados, dava para passarem por uma modernização de meia vida e em poucos anos teríamos uma força de 9 submarinos convencionais (4 Scorpene, 4 TUPI e 1 Tikuna).

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Podiam também nem modernizar, só botar pra empurrar água, uma vez que não são exatamente navios desatualizados em demasia, ainda mais quando comparamos a todo o resto da marinha brasileira. Mas não, o país que não tem grana pra manter 4 tupi’s empurrando água jura de pés juntos que conseguirá manter 4 scorpenes + 1 nuclear.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Uma força de 9 submarinos, mesmo que convencionais, garantiria um tremendo poder de dissuasão para nossa MB.
Em momentos tão conturbados e com o Brasil começando a ficar na vitrine de muitos países, é essencial manter as forças armadas operacionais e com meios suficientes.
Talvez com as declarações de Biden nossos governantes possam começar a levar a defesa como algo importante para nação.
Vejamos os próximos capítulos….

sergio ribamar ferreira
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Perfeito. De acordo com o Sr. Fernando Turatti. Também gostaria de saber dessa proeza ? Não tem grana nem de construir navio-patrulha de quinhentas toneladas, só queria estar vivo para ver?

Flanker
Flanker
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Sua última frase sintetiza tudo! E vamo que vamo……até quando, eu não sei…..

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

“Mas não, o país que não tem grana pra manter 4 tupi’s empurrando água jura de pés juntos que conseguirá manter 4 scorpenes + 1 nuclear.”

Eu vivo dizendo isso, mas tem nego aqui que jura por Deus que esses 4 Riachuelos serão os últimos subs convencionais que a MB fará, e depois disso ela só operará subs nucleares…

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Um país que gasta cinco bilhões de reais em auxilio moradia, mantendo os privilégios de juízes e procuradores. Não pode afirmar que não tem dinheiro para melhorar suas forças armadas.
Tudo é uma questão de comando e prioridades.

nonato
nonato
Reply to  Antonio Palhares
2 meses atrás

Sim.
E daí?
Noutros países existe isso?
E se acabasse com o auxílio quem disse que o dinheiro iria para a marinha?

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  nonato
2 meses atrás

Caro Nonato. O detalhe é que, não é nem daí e nem daqui. É apenas uma constatação de que o problema não é dinheiro. É uma questão de prioridade e comando.

pangloss
pangloss
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Wellington, o problema é que essas modernizações de meia vida duram uma vida e meia até ficarem prontas.
“O Brasil corre o risco de estar obsoleto antes de ficar pronto.”

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  pangloss
2 meses atrás

Bem observado meu caro, infelizmente é isso mesmo o que acontece. Tem uma fragata da classe Niterói que já está completando 9 anos em manutenção.

nonato
nonato
Reply to  pangloss
2 meses atrás

Eu sou crítico da indústria de defesa mundial.
Cobram uma nota, levam uma eternidade para construir, depois ficam em operação 5 anos, depois mais 5 anos em manutenção.
Minha filosofia seria que armamentos caros (navios, aviões, submarinos etc) não fossem usados no dia a dia ou muito pouco (ah, mas precisa treinar – pior é treinar muito e, na hora de uma guerra, o equipamento estar fora de operação, quebrado, etc)
Deveria ser igual a mísseis.
Compra para guardar.
Só usa na hora da necessidade.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Putz, e eu achando que era uns 3. Estamos sem nada então, valendo-se da máxima quem tem dois tem um, e quem tem um, às vezes fica sem nenhum!

Dalton
Dalton
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Conforme já noticiado apenas o “Tupi” está operacional, enquanto o “Tamoio” e o “Tikuna” deverão ser devolvidos em 2021 após a conclusão de suas respectivas manutenções enquanto o “Timbira” e o “Tapajó” aguardam manutenção, ambos portanto não operacionais.
.

GILBERT
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Há alguns anos atrás eles passaram por modernização de sistemas e armas podendo usar os modernos torpedos Mk-48 ADCAP.
O que precisamos é que voltem a ficar disponíveis e que a MB trace uma plano (cronograma se já não tem) para substituição gradativa dos Tupis por SBRs. A medida que um Tupi da baixa já tenha ou um SBR finalizado a provas de mar de aceitação.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 meses atrás

Mas do que na hora de atualizar a doutrina dos submarinos da MB. Aproveitemos a oportunidade para nos atualizarmos pois a Rússia e principalmente a China esta pelo mundo mostrando suas garras…

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Luiz Trindade
2 meses atrás

Hoje, dia 06/11/2020 acredito que a maior ameaça a soberania Brasileira virá dos EUA e Europa.
Ano passado Macron já começou essa questão de meio ambiente, porém não teve apoio dos EUA.
Agora com Biden, Macron e outros amiguinhos da Europa, acredito que nosso maior entrave serão eles e não China/Rússia.
Lembrando que hoje a China é nosso principal parceiro comercial.

Welington S.
Welington S.
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Vindo dos EUA e Europa será no máximo sanções. Eles não são loucos de querer se aventurar na Amazônia com esse discurso esfarrapado de que o Brasil ou o brasileiro está tocando fogo na Amazônia, matando Girafas e torrando Elefantes. Essa conversa não cola! Vão querer perder mais de 50 mil soldados como no Vietnam? Quer dizer, na guerra do Vietnam eles não aprenderam nada? No Iraque? Nada? Por isso acho que essa história de também intervir militarmente no Brasil está fora de cogitação. Óbvio, temos sim, que estarmos cada vez mais preparados e bem armados para quais quer eventualidades… Read more »

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Welington S.
2 meses atrás

Também não acredito em uma aventura militar americana e europeu por aqui. Por mais que nossos meios navais e aéreos não seriam problemas para eles, quando começassem a desembarcar iriam ver a furada que entraram. Temos muitos militares e comandos especiais em todas as forças.
Agora falando das sanções, se isso realmente acontecer, seria uma burrice tremenda dos EUA e Europa, pois estariam empurrando cada vez mais o Brasil ao mercado Chinês, que hoje já é de longe nosso maior parceiro comercial.

Dalton
Dalton
Reply to  Welington S.
2 meses atrás

Falando em Vietnã, o Vietnã do Norte contava com o apoio da URSS e depois que os EUA retiraram-se definitivamente em 1973, com uma redução gradual de tropas desde 1969, a URSS triplicou à ajuda enquanto os EUA retiraram toda à ajuda ao Vietnã do Sul.
.
Em suma, sem essa ajuda o Vietnã do Norte não teria conseguido unificar o país em 1975 então sem o apoio de uma potência o Brasil não teria condições de encarar o poderio militar dos EUA sozinho.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Dalton
2 meses atrás

E nós seríamos totalmente incapazes de proteger nosso tráfego marítimo, nem mesmo de uma potência média como a França, ou seja: nada de receber ajudinha da Rússia ou China.

sergio ribamar ferreira
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Concordo com o Sr. Wellington Rodrigo.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Eu sempre achei isso. Pensando pragmaticamente. Nossos inimigos seriam sempre Estados Unidos e Europa. E nosso futuro mercado será a Ásia. Basta olha e ver onde estão nossas oportunidades.

nonato
nonato
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Biden é aliado da China…

Up The Irons
Up The Irons
2 meses atrás

É importante a integração com uma marinha que possui uma poderosa força de submarinos, pois a troca de experiência nesse nível é muito valiosa. Já imaginaram o Brasil operando, em pouquíssimo tempo, 9 submarinos (4 Tupis, 1 Tikuna e 4 Riachuelos) até a chegada dos nucleares ou de uma nova leva da classe Riachuelo? O momento geopolítico é propício, mesmo o econômico sendo um pouco desfavorável.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

O duro é nossos almirantes terem essa mentalidade. Preferem deixar os 4 Tupis parados, sendo que poderiam passar por uma manutenção geral e atualização, deixando o Brasil com um baita poder de dissuasão.
Mas o que temos hoje é apenas o Tikuna operacional. Lembrando que o Riachuelo ainda está em fase de testes.

Flanker
Flanker
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

O Tikuna está em manutenção geral. O único operacional é o Tupi.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Flanker
2 meses atrás

Obrigado pela correção Flanker. Resumindo, de 5 apenas 1 operacional.
Que venham logo esses 4 scorpenes, somando -se ao tikuna e quem sabe a dois Tupis revitalizados, deixando a força com 7 submarinos.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

brother, nem a marinha acreditava em 9 submarinos, tu vai acreditar?
Eles tem um foco: Pessoal(ativo+aposentados) e só.
Encomendaram 5 submarinos, os otimistas pensaram: agora a gente vai ter 10?
Achamos errados, otários!
Vão vender os Tupis e SE MUITO, com MUITA SORTE vamos ficar com o Tikuna. Isso, claro, no papel, já que na água mesmo vamos ter sempre um a três e olhe lá. Hoje temos 5 e só um tá empurrando água, então talvez com 6 submarinos a gente passe a ter 2 vez ou outra.

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
2 meses atrás

“O Brasil é um parceiro importante para a Força de Submarinos dos EUA e prezamos nossa parceria duradoura”, afirmou o Comandante da Força de Submarinos dos Estados Unidos, Vice-Almirante Daryl Caudle.

Pareceu-me o discurso da “Metrópole” falando sobre sua “colônia”.

Last edited 2 meses atrás by Ricardo da Silva
Wellingtonsoares2020
Wellingtonsoares2020
Reply to  Ricardo da Silva
2 meses atrás

Realmente é isso aí. EUA são uma potência que tem dezenas de submarinos nucleares a sua disposição. Hoje o Brasil só está com um submarino operacional e o Riachuelo em testes.
Perto dos EUA não somos nada.

sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

Mais de trinta anos que podiam evoluir e nada. Sempre recebendo refugo. Sempre de joelhos. Só pensaram em seus umbigos. Hoje estamos vendo a covardia e desleixo de trinta anos atrás. Só fazendo concurso , e pensando em aumento. Conversa que só colocam a culpa nos políticos. Covardes isso sim. Guerra é fazer soldado, marinheiro fazer faxina ou levar as senhoras dos oficiais para fazerem compras. Uma vergonha. Deveriam ficar calados. Só ideias megalomaníacas. Projetos que se perderam e só bagunça. Oba, oba…farinha pouca, pirão primeiro.

Diego
Diego
2 meses atrás

👏👏

Last edited 2 meses atrás by Diego
Sergio Cintra
Sergio Cintra
2 meses atrás

Dentro dessas atuais manutenções dos Tupi’s a troca do sistema de armas para o americano estão sendo concretizadas agora, ou já foram?

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
2 meses atrás

RasgaSeda, OK, mas teve RegaBofe de responsa?