sábado, fevereiro 27, 2021

Saab Naval

Israel muda doutrina naval com as corvetas Sa’ar 6

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

JERUSALÉM – Israel receberá o primeiro de quatro navios Sa’ar 6 em dezembro, como parte de uma ampla mudança na doutrina naval que fará com que o país defenda mais áreas no mar a uma distância mais longa por um período mais longo, de acordo com as Forças de Defesa de Israel (IDF).

A mudança que se aproxima na atividade marítima ocorre após Israel assinar um acordo de gasoduto com Chipre e Grécia no verão, e se juntar a um fórum de gás do Mediterrâneo Oriental com Chipre, Grécia, Egito, Jordânia e Autoridade Palestina. Ele também surge em meio a novos investimentos no porto israelense de Haifa, que podem envolver os Emirados Árabes Unidos; os dois países concordaram recentemente em melhorar as relações.

Uma cerimônia de 11 de novembro verá a bandeira israelense substituir a bandeira alemã no navio, que foi feito em Kiel, na Alemanha, pela Thyssenkrupp Marine Systems. A IDF espera que a Sa’ar 6 defenda a infraestrutura offshore – constituindo uma área com o dobro do tamanho do território de Israel. A descoberta de reservas de gás natural e o desejo de Israel de proteger sua zona econômica exclusiva foram as principais motivações por trás da decisão de 2013 de encomendar os navios.

As plataformas de gás e a infraestrutura marítima, incluindo os campos israelenses de Karish-Tanin, Leviathan e Tamar, são essenciais e devem ser defendidos, disse a IDF.

“De acordo com as avaliações, os exércitos terroristas em nossa região possuem a capacidade de disparar foguetes de alta trajetória de amplo alcance, capazes de atingir as plataformas de gás”, explicou a IDF. “Queremos impedir que os inimigos até mesmo mirem nas plataformas. A Sa’ar 6 tem um radar enorme, então pode ser uma unidade autônoma. As habilidades e a probabilidade de proteção aumentam, pois está conectada ao Iron Dome, David’s Sling e outras defesas aéreas. Se detectar ameaças, pode transferir dados para redes terrestres para engajar os alvos.”

Plataformas de gás são alvos estratégicos vulneráveis; um ataque de míssil pode ser catastrófico. Além disso, disse a IDF, a Marinha informa que Israel recebe 98% de suas importações por mar.

O comandante da Marinha de Israel, General Eli Sharvit, também observou que “a missão de defender a zona econômica exclusiva de Israel e seus ativos estratégicos no mar é a principal missão de segurança da Marinha de Israel. Esses ativos são essenciais para a continuidade operacional do Estado de Israel, e ter a capacidade de protegê-los é de extrema importância.”

O que o navio pode fazer?

Vários dos navios serão desdobrados para proteger os campos de gás, deixando um ou dois para realizar outras missões com o resto da frota de Israel, que consiste em submarinos, corvetas Sa’ar 5 e barcos com mísseis. A primeira das corvetas Sa’ar 6 será comissionada como INS Magen.

Em briefing com o comandante naval da IDF, que só pôde ser identificado pelo N inicial por motivos de segurança, o chefe disse que a INS Magen foi feita sob medida para as necessidades operacionais de Israel, destacando que a principal tarefa dos navios será a defesa dos zona econômica exclusiva. Isso também significa que o navio tem um tipo de configuração plug-and-play para que Israel possa incorporar complementos de sistemas de combates autóctones, muitos dos quais têm uma arquitetura aberta para interoperabilidade com outros sistemas israelenses.

A ThyssenKrupp ajustou o casco do navio e instalou os sistemas mecânicos e elétricos, e a tripulação realizará o treinamento perto do estaleiro antes de embarcar para Israel.

A IDF disse que mais de 90 por cento dos sistemas de batalha da corveta classe Sa’ar 6 serão de projeto israelense, com a instalação de sistemas das três principais empresas de defesa de Israel, incluindo:

  • Radar Adir multimissão da Israel Aerospace Industries
  • A versão naval do sistema de defesa Iron Dome da Rafael Advanced Defense Systems
  • Interceptores de mísseis Barak-8 da IAI
  • Um conjunto de guerra eletrônica da Elbit Systems
  • Chamarizes offboard C-Gem de Rafael para conter ameaças de mísseis
  • Um canhão principal de 76 mm

O comandante naval da IDF disse que “muitos dos sistemas” do navio são novos, destacando os sistemas de detecção da embarcação, como um radar com alcance superior a 100 quilômetros, e suas armas e sistemas de defesa que podem reagir a foguetes de alta trajetória. Em setembro, a Marinha e a Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Defesa conduziram com sucesso um teste de um sistema de mísseis mar-mar da IAI destinado à Sa’ar 6.

Israel diz que a Sa’ar 6 é furtiva e tem uma seção transversal de radar baixa. O país pretende que esses navios sejam a espinha dorsal de sua frota naval por três décadas.

FONTE: Defense News

Corvetas Sa’ar 6 em diferentes etapas da construção

- Advertisement -

88 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
88 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Moriah

Interessante esse projeto e elas já têm capacidade AAW com o Barak 8 com até 80 km de alcance.

Vovozao

06.11.2020 – sexta-feira, btarde, mesma concepção arquitetônica das FCT, porém, considero as SA’AR 6 mais bem armadas em relação ao deslocamento das mesmas 1900 X 3600.

filipe

Uma coverta cheia de VLS , enquanto que a FCT terá apenas 12 VLS, acho que a MB deveria rever o projecto das FCT e acrescentar pelo menos mais 12 VLS, totalizando 24 VLS e mais um lançador quadruplo , totalizando 8 x Mansups /EXcets , 4 é pouco, 8 já esta bom de mais , essa SAAR-6 tem 16 misseis Harpon enquanto que as FCT só tem 4, que vergonha.

Ernesto Gontijo

Alem de apresentar um conjunto de armamento superior (mísseis), conforme citado, ainda temos que considerar que as novas Corvetas da IDF, possuem o comprimento de 90 metros e boca de 13 metros, ou seja, bem menor que o projeto das FCT.

filipe

Lembrando a todos que o projecto das FCT é quase 1 Bilhão de usd ou mais do que isso , para no final de tudo ter apenas 12 VLS, nem as MEKO da Africa do Sul e da Argélia tem tão poucas armas… No minimo 24 VLS e 8 Mansups.

elcimar menassa

olha a realidade da área que eles tem que patrulhar,controlar e manter,olha os vizinhos deles,olha o cenário da região,um barril de pólvora…já na terra brasilis !!….a fartura corre solta….farta tudo…..se deixar a marinha trabalhar com os recursos dos Royalts do petróleo que lhe cabe,sem contingenciar ou outras manobras que fazem..acho que daria um folego na nossa construção naval mexeram no fundo da marinha mercante agora,mas o montante é pouco para se ter uma frota de grandes tonelagens para a MB. sobrando para construção de navios patrulhas. falta vontade politica nessa questão. .muitos acham que o país quer uma corrida armamentista… Read more »

Zorann

Tem de entender a verdadeira finalidade das Tamandares. Elas serao usadas em 99% do tempo como um OPV. Um “patrulhão” bombado que possivelmente nunca tera todos seus VLS preenchidos. Isto simplesmente porque é tradição de nossa Marinha não comprar misseis em quantidade. O dia que precisarem do navio de verdade (1% do tempo restante), ele não terá os dentes para cumprir a missão. Tamandarés, ou qualquer outra escolta para nossa Marinha, é desperdício de dinheiro. Nem para dissuasão elas servem. Possivelmente, jamais serão usadas como um navio de guerra de verdade: ou por não ser necessario, ou por nao estar… Read more »

filipe

Mas tivemos a missão da ONU no Libano , tivemos que equipar uma fragata para missões internacionais, nunca se sabe se teremos outra missão do mesmo tipo, acho melhor a MB pensar nisso, o dinheiro já é pouco , então tem que ser bem usado…

Zorann

O dinheiro não é pouco. Muito pelo contrário.

Missão de paz que nossa marinha participa é coisa tranquila. Se o bicho estivesse pegando, chamariam uma marinha de verdade. Até um dos classe Amazonas, o Apa, ja foi para a Unifil.

Last edited 3 meses atrás by Zorann
Zorann

A questão é: qual a nossa doutrina? Nós temos alguma doutrina que valha alguma coisa? Ou são só doutrinas obsoletas? Existe algum plano sério de defesa da nossa costa?

Planos pra 2040 não adiantam nada se tivermos que nos defender hoje. Qual o plano para a defesa de nosso litoral , para agora?

Os Tupis estão parados né? Olha o tamanho da irresponsabilidade.

Esteves The Block Man

Negar o mar. Com 4 submarinos + 1

Projetar poder até a Antártida e até a costa da África. Com 4

Assegurar a navegabilidade das nossas águas…com os AHTS e os patrulhas.

Porque a MB ganhou 9 bilhões.

glasquis 7

Projetar poder até a Antártida e até a costa da África”

???

Esteves The Block Man

É o que consta nos planos&programas da MB.

Incluindo esse de 2040.

glasquis 7

O Brasil não tem territórios nessa região. Os interesses brasileiros deverão ser apenas científicos.

Wilson Look

No geral ninguém tem.

O que se tem são reclamos de partes da Antártida por alguns países(7 ao todo, sendo que Argentina, Chile e Reino Unido reclamam praticamente o mesmo pedaço).

Se considerarmos os locais das bases científicas como territórios dos países, então o Brasil tem um pedaço, na Ilha do Rei George, onde se encontra a Estação Comandante Ferraz. E sobre os interesses, além se científicos, tem também os políticos e econômicos.

glasquis 7

Os reclamos de soberania antártica são apenas isso, reclamos.

Mas, toda essa região tem mar territorial soberano do Chile, da Argentina e até da Inglaterra.

Não entendo o por que o Brasil precisa projeção de força nessa região. Seria como se a Argentina projeta-se força sobre as ilhas de Trindade.

Esteves The Block Man

Então…precisa reescrever planos&programas&documentos que consideram a costa da África de interesse geopolítico.

A Antártida apareceu nesse de 2040.

Devaneios?

glasquis 7

Só pode pois, pro Brasil atingir essas costas teria que invadir mar territorial de outros países ou, dar um reinício à política de colonização de territórios de ultramar.

Sobre o interesse geopolítico nas costas africanas, são regiões diretamente frontais às costas brasileiras mas a região do Polo Sul não.

Teropode

Pra vc projetar poder pra qualquer outra região , vc tem , vejam bem , vc tem que estar sentado sobre no mínimo 200 armas nucleares , do contrário vc leva bola nas costas , o melhor é cuidar de nossas matas e sardinhas .

Carlos Gallani

AHTS??? Nossa marinha tem umas coisas que não dá pra acreditar! O que o Brasil precisa é de submarinos para negação em uma guerra de verdade e um punhado de opvs, o fassmer opv 80 que o Chile possui é exatamente o sapato que caberia em nosso pé, seja pelo preço que é de banana ou seja pela capacidade pois já operam em condições no mínimo tão ruins quanto o Atlântico sul, pode ser meio desdentado mesmo pra ser ainda mais barato pq o atrito vai ser com pesqueiros chineses, um canhão meia boca e 4 mansup se quiser só… Read more »

Xerem

Carlos Gallani entao nos fale quanto e esse preço de banana do OPV Chileno ?

Carlos Gallani

Eu dei o nome e o modelo, só dar um google!
Fassmer opv 80!

Esteves The Block Man

DoutrInas norte-americanas.

Nossas plataformas tem a mesma vulnerabilidade dos “ativos israelenses no mar”.

elcimar menassa

quais

sergio ribamar ferreira

Concordo plenamente com o Sr. Zorran. Precisávamos para ontem. Irresponsabilidade, falta de gestão, incompetência Nenhum projeto evoluído das classes Niterói. Sempre indo para o fundo.

elcimar menassa

submarinos e outros meios precisam de manutenção de meia vida e outros pontuais. no caso de um submarino,já viu como se é feita essa manutenção? separam as partes dele,é fácil né !
escoltas,
questão de armamentos é a mesma ladainha de sempre,economia de gastos e equipamentos muito caros,como os misseis antiaéreos.
acho que deveriam fazer um navio desses levando a logica de hoje em dia,deixar espaço pra futuras melhorias,sera que é possível futuramente acrescentar mais vls na proa? sera que esses lançadores seriam passiveis de receber outro tipo de míssel no futuro ?….são muitas questões na curva da duvida

100nick-Elã

A nossa doutrina é ser submisso aos EUA e combater comunistas imaginários. O nosso exército, marinha e aeronáutica servem para combater esquerdistas de dentro do nosso país, nossas FA não foram feitas para combater estrangeiro real.

Antoniokings

Com quatro navios não vai mudar nada.

Heinz Guderian

Quatro navios extremamente modernos, caças F-15, F-16, F-35, Drones. Um dos melhores sistemas de AA do mundo, um exército bem treinado, motivado e com equipamentos modernos, um dos melhores tanques de guerra do mundo como o Merkava, uma das agências de inteligência mais bem preparada do mundo. Realmente, não muda em nada…

Pablo Maroka

emocionei agora

elcimar menassa

acho que ele se referiu as nossas 4 escoltas.

horatio nelson

e os f22 estão vindo ai tbm !

Esteves The Block Man

Acho que se a MB tivesse sabido que ganharia os 9 bilhões…talvez…tivessem feito diferente.

O que poderiam ter feito com 9 bilhões?

Rudi

com 9 Bilhoes , a Marinha iria abrir concurso para novos marinheiros e ia promover Capitães à Almirantes!
E abrir mais Capitania de Portos!
Infelizmente essa é nossa MB

Zorann

Se para eles nao muda nada, sendo que sao um pais minusculo. Imagina para nós o tanto que muda ter 4 Tamanduás.

Jagdverband#44

Nossa, avisa a IDF disso! Realmente você deve ter algum conhecimento que eles não têm.

Caio

Parrudinha essa nave!pelo países vizinhos consegue fazer frente aslafayete da Arábia Saudita, e as Godwin egípcias.

sub urbano

Caramba investiram mesmo nos eletrônicos. Deve ter uma capacidade monstra de SIGINT, com aquela torre gigante dá pra escutar coisas que até Deus duvida.

Marcelo

Achei estranho usar o Harpoon ao invés do Gabriel.

Last edited 3 meses atrás by Marcelo
Esteves The Block Man

Estranho realmente. Mas não deve ser fácil dizer não aos americanos.

Amizade eterna. Laços.

Defensor da liberdade

Para Israel é mais fácil que dizer não à criança, EUA é meretriz de Israel desde os tempos de Herzl, não farão nem beicinho…

Esteves The Block Man

Raizes.

Otomanos, luteranos, ortodoxos, judeus.

Nada separa essa gente.

Salim

Você e bem anti semita. O que tem a ver com corveta??? Pare de destilar seu ódio e seja mais produtivo comentando a matéria com algo que acrescente.

ianiv

A alianca com os americanos comecou pos 67. Reparou que nenhum dos equipamentos antes disso eram americanos?

Dalton

Talvez porque Israel ainda tenha muitos “Harpoons” no inventário e toda a logística já contratada, mas, dependendo da fonte, existe também a informação de uma nova versão do “Gabriel” sendo embarcado nos navios israelenses.

glasquis 7

Tem, são efetivos e “tal vez” sejam mais fáceis de integrar.

ADRIANO MADUREIRA

Com navios provavelmente subsidiados pelo governo e povo alemão,fica fácil equipar uma marinha.

Certamente,esses navios também serão,assim como os submarinos Dolphin II da Howaldtswerke-Deutsche Werft (HDW), uma unidade da ThyssenKrupp,com o Governo Alemão pagando 46% do custo total.

A época,o Parlamento da Alemanha aprovou a venda e concordou em pagar por € 135 milhões (US$ 180 milhões) da transação, ou cerca de um terço do valor dos submarinos.

comment image

filipe

Isso tá na conta dos 11 milhões de judeus mortos no Holocausto, a Alemanha ainda vai bancar muitos equipamentos militares para Israel, nessa fase Israel tira partido daquilo que a Industria Alemã tem melhor no campo militar : Submarinos U-209/Dolphin + Fragatas MEKO…

Esteves The Block Man

E da geografia alemã.

Um pé em Israel. Outro na Turquia.

Defensor da liberdade

Ridículo, os alemães de hoje não tem culpa do que seus avós fizeram no passado. Em vez do dinheiro ir ajudar pessoas carentes em Israel, faz é comprar armas para Israel massacrar palestinos.

Fosse eu chanceler alemão, Israel iria ver um total de zero euros de indenização.

filipe

Mas os Alemães vão pagar sempre pelas duas guerras mundiais, mas essa deles ajudarem Israel com armamento é bem sensível por causa do sentimento de culpa por todo o mal que eles causaram aos Judeus, naquela altura entre 1938 e 1945 eles confiscaram o dinheiro e as propriedades de milhões de Judeus, acho que essa dívida vem dai…

Jagdverband#44

Ponto de vista raso. A dívida é do estado, não do cidadão.

Defensor da liberdade

Ah tah, o Estado alemão faz abracadabra alakazam e surgem euros para os israelenses?

Adriano Madureira

O governo alemão já pagou tudo oque devia aos sobreviventes e a seus descendentes.

E foi pago bilhões de euros, e muito mais.

Antonio Palhares

11 milhões de judeus mortos ? Eu pensei que fossem 6 milhões.
Devo estar mal informado.

Esteves The Block Man

Jesus multiplicou pães…ele multiplicou os judeus.

glasquis 7

Vc não sabia?
Judeus se reproduzem depois de mortos.

glasquis 7

11 milhões de judeus mortos no Holocausto”

Nessa época viviam apenas 9 milhões de Judeus na Europa.
Desses 9 milhões se calcula que dois terços foram mortos. Isso dá um total de 6 milhões.

Ou os judeus se reproduzem depois de mortos, ou o senhor está errando, por muito, na conta.

Salim

Os cascos vão custar em torno de usd 400 milhões. Israel vai colocar mais usd 2,6 bi em equipamentos e vão ficar corvetas bombadas. Israel e inteligente em pedir e aceitar ajuda. Veja nosso caso com fundo Amazônia, jogamos tudo no lixo por burrice. Parece que vcs tem algum complexo de inferioridade em relação usa e israel. E só trabalhar bastante e usar cabeça ( educação forte ) que chegamos lá. Reclamar dos outros e atestado de incapacidade.

sergio ribamar ferreira

O problema não é em Israel. Parabéns. O problema é ,e sempre será aqui com a falta de vergonha em nunca tentar melhorar. Festas, concursos, Clubes, aumento. Defesa fica para depois. Dependência total . Subserviência total. Soberania já foi para as cucuias. Uma vergonha.

Luiz Floriano Alves
Ainda temos as Macaés. AAtmadaas com o velho e bom 40 mm. Bofors.
Luiz Floriano Alves

Ainda temos as Macaé.Dotadas com o velho e bom 40 mm.

Bardini

Esse sistema radar de painéis fixos e essa combinação de Barak-8 e C-DOME é de dar muita, muita inveja… . Será um baita ativo para a defesa de área dentro da ZEE de Israel. . Por aqui, perdemos a chance de estar tocando o projeto um combatente de nível semelhante em capacidades, que poderia ter sido equipado com o mesmo radar de painéis fixos israelense e os seus mísseis. Perdemos a chance de ter um casco perfeito para o futuro da MB e seu reconstrução, focando na padronização de da logística e a necessidade de construir mais navios sem ter… Read more »

MEKOA200.JPG
Last edited 3 meses atrás by Bardini
rommelqe

Considerando que a área marítima de interesse economico de Israel é da ordem de 15000~ 20000 milhas quadradas e que a do Brasil é da ordem de 20 vezes esses valores, teríamos que , para termos uma abrangencia similar, ter encomendado 80 Tamandares…. ou vice versa, Israel ter encomendado um bote salvavidas… Logicamente essa é uma comparação do nivel de “padaria”, porque, como todos aqui sabem, lá o mar, para a sobrevivencia de Israel, tem uma importância muito mais significativa do que aqui, para o Brasil, visto que nossas vias de acesso e meios de sobrevivencia básica (por exemplo em… Read more »

rommelqe

Mais uma coisa: lá eles tem que poder combater forças aéreas que possuem o equivalente a muitas FABs mais FAVs em conjunto…Aqui nós temos que ter VLS? Sim, claro! Mas dobrar a quantidade de VLS´s nas Tamandarés custa quanto? Não seria melhor investirmos em umas doze NaPac´s ?Ou vamos ter que afundar pesqueiros irregulares com Meteor? Entendo que num conflito de meia intensidade (algo como ter que espantar alguns mal intencionados que queiram se establecer em Fernando de Noronha, por exemplo…) vamos ter que, em primeira análise, mobilizar F5 (armados com que?), Orions (com Penguim/Harpoons) e F39 (com Taurus) mais… Read more »

Gabriel BR

São lindas!

Alexandre

Eu acho que o Brasil deveria ter uma Guarda Costeira assim como os outros países possuem, e focar a Marinha só na parte das embarcações de guerra, que são os meios de esquadra (Corvetas, Fragatas, Submarinos, Porta-Helicópteros), e embarcações de pesquisa e logística.

Esteves The Block Man

Todos acham. Ou muitos acham. Mas quem decide pensa que uma GC irá dividir o orçamento. Ou receber um orçamento novo que poderia vir para o que e quem já existe tomando o lugar daquilo que sempre falta. Também poderia ser uma Marinha de águas marrons com navios patrulha oceânicos…o que multiplicaria a quantidade de meios de vigilância. Exemplo, os 9 bilhões das Tamandarés poderiam financiar 20 ou mais patrulhas oceânicos talvez até missileiros. Mas quem decide prefere uma Marinha de águas azuis porque nosso mar é continental e avança 300 km mar adentro (ZEE). Para esse mar continental replicaram… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Esteves The Block Man
ADRIANO MADUREIRA

Guarda costeira para ser mais uma boca a comer recursos para a defesa,que já é muito pouco tendo em vista o percentual que sobra para aquisições,manutenção e projetos de defesa estratégicos.



Esteves The Block Man

Chique.

0D698526-2E1C-4A66-8F03-C4673E8309DB.jpeg
Renan

Guarda costeira deve ser igual a polícia militar cada estado que arque com a sua

Salim

Concordo, seria mais barato e producente.

Kemen

Vai ter colega aqui achando que a Sa’ar 6 é uma fragata leve.

Last edited 3 meses atrás by Kemen
Esteves The Block Man

Leves serão as nossas. Só falta aparecer que as Meko israelenses com tudo que levam estão custando menos que as nossas.

Não será um choque.

Wilson Look

Como eu fiquei curioso, fui atrás para saber o custo das Meko A100 de Israel(sim, as corvetas Sa’ar 6 são baseadas na Meko A100 corvette), o que eu achei foi que o custo de construção dos 4 navios é de 430 milhões de euros sendo que uns 115 milhões estão sendo pagos pelo governo alemão, só que tem uma pegadinha nesse custo, esse valor é sem os armamentos e sensores apenas, que serão instalados em Israel, o custo total estimado do programa que eu achei é de 3 bilhões de dólares, enquanto o custo do programa Classe Tamandaré é estimado… Read more »

Esteves The Block Man

Acho que nosso orçamento também não contempla os recheios.

Governo alemão…governo alemão…alemão faz navio bom…

Se tivéssemos contado algumas histórias tipo compensações de carbono, cuidados florestais, evangelização dos nativos…talvez…vai saber se o alemão também não descontava algumas centenas.

Eles…não tem uma compensação por danos ambientais acho que em SC que ficou pendente?

Wilson Look

Acredito que no nosso caso deva ter uma estimativa dos equipamentos, já que o custo do programa é próximo do custo do programa de Israel, que é mais caro por ter mais armas e sensores para usa-las.

Lembrando que os 430 milhões é a construção dos cascos dos 4 navios e que esse valor é mais ou menos o esperado para 1 única Tamandaré, só o casco não seria tão caro, mesmo no Brasil.

Salim

Exato, se fossemos inteligentes conseguiríamos uma contra partida ambiental. Porem esta não e uma características de nosso pessoal, geralmente contrapartidas são negociadas em contas particulares e visando interesses estranhos em relação ao Brasil e Brasileiros.

Carlos Gallani

Mais feio que tropeçar com a mão no bolso!

GILBERT

Caramba!!! Nunca pensei que viria uma navio voar, aqui até isso a gente vê.
Parabéns pela reportagem.

Leonardo

Não vi na matéria os custos de cada corveta, alguém sabe? O projeto é bem interessante pra eles, mas não sei se caberia dentro do nosso orçamento.

Wilson Look

O custo do programa como um todo é da ordem de 3 bilhões de dólares, se pesquisar na net achará o valor de 430 milhões de euros para os 4 navios, só que esse valor é apenas o navio sem os equipamentos.

A titulo de comparação o programa das Tamandaré é da ordem de 2 bilhões de dólares.

Renan

Será que 48 dessas serve a MB ou o mar revolto daqui não deixa este barquinho navegar?

Salim

Tem praticamente mesmo tamanho que napaoc classe amazonas. Acredito que alem de uma bela plataforma ataque/defesa terá uma capacidade de guerra eletrônica e de inteligencia estupenda. Parabéns israelenses. Olha tamanho costa Israel comparado com nossa costa. Conforme comentários acima o casco sera euro 105 milhões e equipamento sera israelense. Em resumo vão gastar com equipamento israelense. E um belo exemplo de nacionalismo, criar tecnologia, empregos e futuras exportações.

Renan

O Brasil necessita mostrar bandeira e estas corvetas seriam ótimas para o Brasil. Acredito no seguinte: Compra 48 cascos e motores com a embarcação já preparada para receber todo o recheio disponível. Porém não recheia, coloca o canhão e aos poucos vai equipando. O básico para sair em missão de patrulha Compra só umas 2 totalmente equipadas para saber como montar tudo. Depois conforme o dinheiro surgir vai equipando o resto. Pois 60 a 70% do valor está nos armamentos, então pode com calma fazer isto depois, visto que não temos inimigos. Assim teremos 48 novas patrulhas. E aos poucos… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Renan
Salim

Concordo com você em grau e gênero. Poderia equipar boa parte com equipamento nacional. Ai teríamos uma Marinha guerra sendo equipada conforme necessidade e disponibilidade monetária.

Wilson Look

Fazendo uma conta de padaria, como são 430 milhões de euros o valor total dos 4 cascos, isso daria uns 107,5 milhões de euros por casco.

Pelo que eu pude entender os equipamentos serão montados em Israel, mas isso não significa que todos eles sejam equipamento israelenses, mas como o trabalho será feito em Israel vai gerar empregos do mesmo jeito.

Salim

Wilson, conforme o texto 90% dos equipamentos serão de projeto e empresas israelenses. Deveríamos seguir exemplos bons e este caso e um deles.

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

O afundamento da fragata INS Khukri pelo submarino PNS Hangor na Guerra Indo-Paquistanesa de 1971

Conheça a história do primeiro afundamento de navio de guerra por um submarino após a Segunda Guerra Mundial A fragata...
- Advertisement -
- Advertisement -