Home Indústria de Defesa Itália planeja novos destróieres para entrega em 2028

Itália planeja novos destróieres para entrega em 2028

6970
173
A Marinha Italiana está preparando as bases para um novo programa de destróieres DDX, acrescentando poder de fogo naval para o país em uma região mediterrânea cada vez mais volátil (Marinha Italiana)

ROMA — Recém-saída de um surto de construção naval estimulado pela retirada de serviço de antigos navios, a Marinha Italiana está de volta à prancheta para projetar o que considera a pedra angular de sua frota — novos destróieres.

Depois de construir 10 fragatas da classe FREMM — o mesmo tipo adquirido pelos Estados Unidos para a sua FFG(X) —, bem como projetar novos navios multimissão de 4.500 toneladas, um porta-helicópteros de assalto anfíbio de 33.000 toneladas e novos navios de logística, um estudo de redução de risco deve começar em dois destróieres de 10.000 toneladas apelidados de DDX.

“Destróieres são fundamentais para uma frota de águas azuis como a da Itália, que deve ser capaz de projetar capacidade no mar e do mar enquanto opera em todo o espectro de operações marítimas e conjuntas”, disse o  Vice-Almirante Aurelio De Carolis, subchefe de gabinete da Marinha italiana, ao Defense News.

“Além de porta-aviões, navios anfíbios e submarinos, você precisa de destróieres com capacidade de ataque terrestre e de proteção de grupos-tarefa”, acrescentou.

A Marinha quer que os navios de 175 metros de comprimento substituam dois destróieres antigos, o ITS Durand de la Penne e o ITS Mimbelli. Essas duas embarcações entraram em serviço no início da década de 1990 e se juntaram ao serviço de dois navios da classe Horizon da Itália mais recentes, que a Marinha classificou como destróieres.

Destróier Durand de la Penne

Destróier Francesco Mimbelli

“Sempre tivemos dois pares de destróieres em serviço, desde a década de 1960”, disse De Carolis.

Com € 4,5 milhões (US$ 5,3 milhões) orçados até agora para estudos de viabilidade e redução de risco de dois anos começando no início do próximo ano, a Marinha pretende ter um requisito operacional final até 2022, assinar um contrato de construção em 2023 – se o financiamento permitir – completar o projeto em 2025 e receber o primeiro navio em 2028.

Os planos atuais prevêem embarcações com 24 metros de boca, calado de 9 metros e mais de 300 tripulantes, oferecendo uma velocidade máxima de mais de 30 nós usando o sistema de propulsão CODOGAL (COmbined Diesel Or Gas And eLectric), disse De Carolis. O sistema permite o uso de turbinas a gás ou diesel, além de propulsão elétrica para velocidades mais baixas.

A Itália está renovando sua Marinha em meio à mudança do Mar Mediterrâneo de um remanso para uma caixa de pólvora enquanto a Turquia joga seu peso ao redor, a Líbia permanece tensa após anos de conflito e a Rússia tenta aumentar sua influência regional.

Quando totalmente orçados, os navios provavelmente serão construídos pela estatal italiana Fincantieri, mantendo o estaleiro ocupado após uma série de recentes construções navais graças à chamada Lei Naval de US$ 6,3 bilhões da Itália em 2014 que levou à construção do porta-helicópteros de assalto anfíbio (LHD), navios de multimissão (PPA) e programas de navios logísticos.

Outra concepção do futuro DDX

Equipando o navio de guerra

O poder de fogo de longo alcance para os destróieres será garantido por seis lançadores de mísseis de oito células para um total de 48 células, com dois lançadores voltados para a proa (à frente do passadiço) e o restante a meia nau.

Serão adotados mísseis antiaéreos Aster, já em uso em outras embarcações italianas, bem como um míssil de ataque terrestre. “A Marinha precisa de uma capacidade confiável de ataque em terra e estamos considerando opções agora”, disse De Carolis.

Isso poderá levar a Marinha a considerar a variante naval da MBDA do míssil Scalp. O que está confirmado é a aquisição do míssil antinavio Teseo Mk2 Evolved do consórcio europeu, que o almirante disse que oferece “capacidade de ataque terrestre no litoral”. A arma será disparada de lançadores localizados imediatamente atrás da superestrutura, ele confirmou.

Um hangar e um convoo de helicópteros na popa poderão acomodar dois helicópteros EH101 da Marinha ou dois SH90.

Os canhões do navio serão do mesmo tipo de construção italiana que se tornou o padrão para os navios da Marinha Italiana nos últimos anos. Um canhão Leonardo 127 mm na proa do navio disparará as munições guiadas Vulcano da empresa, enquanto dois canhões Leonardo 76 mm mais atrás no navio dispararão a munição Dart guiada, novamente desenvolvida pela empresa italiana.

Um terceiro canhão de 76 mm está montado sobre o hangar do helicóptero na popa do navio. Apelidado de “Sovraponte” e construído para ser posicionado no topo de estruturas de navios, o canhão foi desenvolvido inicialmente para os navios PPA. “Estamos satisfeitos com o Sovraponte”, disse o almirante.

O canhão é um exemplo de como o destróier vai alavancar novas tecnologias financiadas pela Lei Naval, com o radar outro exemplo. Os destróieres vão receber o Kronos da Leonardo, um radar ativo de varredura eletrônica com uma face fixa, bem como antenas de banda C e X, que são montadas atrás de painéis acima do passadiço. Essa tecnologia foi usada nas duas versões “Full” das sete embarcações PPA.

A Leonardo também fornecerá o mesmo radar rotativo de banda L de longo alcance, para ser posicionado na poapa da embarcação, que também foi adotado para o LHD Trieste.

O sistema de gerenciamento de combate, bem como as comunicações e conjuntos de guerra eletrônica serão derivados daqueles desenvolvidos para os navios mais novos da frota, enquanto as capacidades antissubmarino incluirão sonares (ambos montados no casco e rebocados), lançadores de torpedo e chamarizes.

O LHD Trieste está em término de construção

O que vem depois?

O LHD Trieste deve se juntar aos três navios de assalto anfíbios da classe San Giorgio da Itália para fornecer uma frota anfíbia de quatro navios, que exigirá proteção, disse De Caroils.

“Precisaremos de pelo menos dois destróieres prontos o tempo todo, o que significa quatro navios no total”, explicou. “A aquisição também faz parte do nosso compromisso com a OTAN, uma vez que fazemos parte de um projeto para criar novas forças-tarefa anfíbias, cada uma contendo três elementos de desembarque de batalhão com combate relacionado e apoio de serviço de combate, o que significa quatro navios anfíbios e destróieres para proteção.

“Esses destróieres irão defender — junto com as fragatas de guerra antissubmarino, submarinos e aviação naval embarcada — grupos-tarefa navais anfíbios durante seu movimento em direção a áreas de assalto e, em seguida, fornecer apoio efetivo de fogo naval para a sustentação de projeções e operações em terra realizadas por elementos da força de desembarque. Tudo isso é necessário, incluindo a capacidade de desempenhar o papel crucial de coordenação e controle do espaço aéreo sobre a área de objetivo anfíbio.

“Os EUA e a Rússia ainda operam cruzadores, mas a maioria das outras marinhas hoje depende de destróieres para seu poder de combate. Eles devem cobrir as operações antiaéreas, antinavio e antissubmarino com foco na defesa aérea e antimísseis integrada, incluindo a defesa contra mísseis balísticos.”

A “tarefa mais crítica” para os destróieres, acrescentou ele, é proteger os grupos de batalha de porta-aviões e desempenhar o típico “shotgun role” para os porta-aviões. Os exemplos que ele deu incluem a Guerra do Golfo Pérsico de 1990-1991, quando o navio italiano ITS Audace fazia parte da escolta ao porta-aviões USS Theodore Roosevelt da Marinha dos EUA, e durante a Operação Enduring Freedom em 2002, quando o ITS Durand de la Penne escoltou os porta-aviões USS John C. Stennis e John F. Kennedy.

“A Itália não pode prescindir de uma Marinha equilibrada cobrindo todas as operações de águas azuis, verdes e marrons e bem no litoral, da varredura de minas a submarinos e porta-aeronaves de asa fixa, com proteção aérea geral fornecida por destróieres e guerra antissubmarino executada principalmente por fragatas”, ele acrescentou.

FONTE: Defense News

Subscribe
Notify of
guest
173 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Caique
Caique
2 meses atrás

Eu jurava que as Andrea Doria que substituíram esses destroieres.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Caique
2 meses atrás

Diz duas vezes na matéria que a Marinha Italiana possui dois pares de destroyers, um total de 4
Os “Orizzonte” ou “Andrea Doria” substituiram os “Audace” mais antigos não os “Durand de la Penne”

Caique
Caique
Reply to  MestreD'Avis
2 meses atrás

Com a construção das Andrea Doria eu pensei que todos os destroieres italianos seriam substituídos por elas sem distinção, mas ao que parece eles querem manter o conceito de 2 classes distintas.

filipe
2 meses atrás

Enquanto a Italia (DDX) e a Alemanha (MKS180) já estam em 10 000 Toneladas, o Brasil esta iniciando com 3500 Toneladas das MEKO A-100MB com prospectiva de chegar as 7000 Toneladas com as MEKO A-400 RN, talvez depois das 6 FCT , o próximo passo deverão ser Destroyers de 7000 Toneladas (o Dobro da Tonelagem das FCT), espero que o Brasil não fique mais uma vez para trás… A Desvantagem dos Navios com Turbina a Gas é o alto consumo de combustivél , o que torna os custos de operação caros, mas já são navios com IEEP ou CODOGAL ,… Read more »

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  filipe
2 meses atrás

É óbvio que o Brasil ficará para trás … Já está e permanecerá, salvo uma mudança muito grande ocorra, coisa que duvido muito, infelizmente …

sj1
sj1
Reply to  Alexandre Cardoso
2 meses atrás

Estão ocorrendo reuniões e grupos de estudo para pensar em decidir como faremos para iniciar os grupos de gerenciamento do projeto das Tamandaré… não estamos parados.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sj1
2 meses atrás

Pensando…pensando…pensando

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sj1
2 meses atrás

Decidindo…decidindo…decidindo

Jorge Knoll
Reply to  sj1
2 meses atrás

PARADOS JÁ ESTAMOS HÁ DÉCADAS, a MB está a caminho de de se tornar uma Marinha apequenada, com poucos belonaves, ela já contou com mais de 160 unidades, de toda ordem e classe, e hj não conta com pouco +50 em atividade, levando em conta, os barcos fluviais,. A que ponto que chegamos, uma vergonha internacional. Antes mandávamos meia dúzia de navios participar da Operações UNITAS, hj vê-se, apenas um navio ser escalado para representar a nossa marinha, em alguma atividade similar `Op. UNITAS. E teve ano que o Brasil não mandou nenhum navio à essas operações.

Dalton
Dalton
Reply to  Jorge Knoll
2 meses atrás

Jorge, tenho revistas das décadas de 1970/1980 com a composição da marinha brasileira e não fecha esse número de mais de 160 unidades. . Se você está referindo-se a marinha imperial , não apenas há muito exagero sobre isso, como, já faz muito tempo também. . O número maior de combatentes de superfície, os “18” foi conseguido a base de se manter navios antigos mais tempo do que o planejado, muitos deles de pouco valor em uma guerra moderna, mas, que ainda eram adequados ao nosso teatro de operações. . Com o tempo tornou-se cada vez mais difícil encontrar bons… Read more »

Plinius
Plinius
Reply to  filipe
2 meses atrás

A situação na Itália e na Alemanha é muito diferente. TKMS não é Fincantieri. Los canhãos, radares, mísseis não são os mesmos. En Noruega, Egipto, EAU, Qatar, Australia, Canadá, Estados Unidos, etc a competição da Fincantieri é sempre Naval Group e Navantia, nunca TKMS.

https://www.wsj.com/articles/german-engineering-yields-new-warship-that-isnt-fit-for-sea-1515753000

https://www.navaltoday.com/2017/12/22/germany-returns-lead-f125-frigate-to-builder-report/

https://nationalinterest.org/blog/buzz/germanys-military-total-mess-no-working-submarines-new-equipment-defective-35272

Moriah
Moriah
2 meses atrás

Justo. A Itália é a única força respeitável no extremo do mediterrâneo, podendo confrontar a marinha otomana. Esses mega destróieres darão enorme envergadura para os italianos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Moriah
2 meses atrás

França e Espanha não são marinhas de respeito? E Itália já tem 2 destroyers e não está num extremo do Mediterrâneo.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Hcosta, a Itália tem 4 destroyers no total, 2 Durand de la Penne do inicio da década de 90 e os 2 Orizzonte da década de 00.
A França e a Espanha podem deixar um pouco o Mediterrâneo ao “cuidado” dos Italianos mas o meios que ambas possuem na região estão décadas á frente de qualquer outra marinha na área

Black Typhoon
Black Typhoon
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

A Marinha Italiana tem atualmente 4 destroyers, não dois. O terceiro é o “Luigi Durand de la Penne” e o quarto é o “Francesco Mimbelli”, ambos ainda em atividade. Para ver os meios atuais cliquem aqui: https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_active_Italian_Navy_ships

Hcosta
Hcosta
Reply to  Black Typhoon
2 meses atrás

Sim, eu sei. Eu queria realçar que já têm destroyers semelhantes aos que querem construir, ou seja, será um aumento na quantidade e nem tanto na qualidade.
Aliás o artigo faz referência a esses dois.

Last edited 2 meses atrás by Hcosta
Jorge Knoll
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Mas serão melhores armados, com software de combate moderno, o que faz uma arma ofensiva e defensiva, sujeita a sobreviver numa operação real de combate.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jorge Knoll
2 meses atrás

Estou a falar das Horizon ou orizzonte em italiano, equivalentes aos T45, um dos melhores navios em operação.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Só se reúnes as marinhas da Espanha, França e Itália então sim, são uma força respeitável de contra partida com a Turquia.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

Como??? Vc acha que são precias essas 3 marinhas para dissuadir a Turquia?
A marinha Grega já é o equivalente á marinha Turca… Em quantidade e qualidade de navios a ligeira superioridade turca desaparece quando pensa que eles têm que dividir a esquadra entre o Mediterrâneo e o Mar Negro.
Não falando de França e Espanha que como já disse se focam tmb no Atlântico, a Marina Militaire está vários andares acima de qualquer outra na região

Kemen
Kemen
Reply to  Moriah
2 meses atrás

A França, a Espanha, a própria Grécia, a Turquia devido a formarem parte da OTAN, o Egito também, esses paises tem Marinhas com poder ofensivo a boas distâncias, poder aéreo naval somente a França e a Italia e em menor grau a Espanha..

Zorann
Zorann
2 meses atrás

Aí temos a Itália com muito mais navios do que o Brasil, navegando muito mais do que a gente e com um efetivo de 30.000 homens. Aqui quase não temos nem navios, muito menos modernos, mas temos 80.000 homens/faz nada consumindo o orçamento.

A diferença é gritante

Thiago
Thiago
Reply to  Zorann
2 meses atrás

Zoran, não muda nem contrária o sentido do seu colocado, apenas complementando, a MM quer fixar como mínimo ideal o número 34.500 efetivos para cumprir suas obrigações. A diferença com a MB ainda é substancial mesmo considerando a guarda costeira italiana com seus 11.000 afetivos.

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Pois já ultrapassou os 34.500, ultima informação 35.200 de ativos embarcados, sem contar os fuzileiros (tudo indica que parte deles são do Exército e parte da MM), ainda haveria a guarda costeira separada da MM, sem contar a administração e a guarda das bases maritimas e portos, sem as reservas normais de qualquer Marinha, pelo jeito vamos dançar o samba dos números.. não existem “milagres” não, tem belonaves em grande numero, então precisa de efetivos o resto é diferença no número de efetivos em função das diferenças na organização e atribuições da MB e da MM, além de numero de… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Superou ? Semana passada frente a “Commissione Difesa della Camera”, o almirante Giuseppe Cavo Dragone declarou justamente um contrário , que houve uma redução crítica, que é necessário aumentar o efetivo. Quanto a infantaria de marinha, sim ha os fuzileiros navais da MM , BRIGATA SAN MARCO( não chegam a ser 4000) , e os LAGUNARI” SERENISSIMA ” do exército, especializados em operações de assalto anfíbio , novamente sendo um “reggimento ” não penso supera 3000 unidades). Adicione também os 12.000 da guarda costeira , adicionem o 5000 da Guardia di Finanza( só o servizio naval aereo e o comando… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Embarcados apenas, se houve redução, vão aumentar, até tendo em vista novas belonaves sendo disponibilizadas.

Country  ItalyType Navy Size 35,200 personnel

Fuzileiros navais + “Fuzileiros” do exército
Sim, San Marco em Brindisi e Lagunari em Veneza.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

É bom lembrar também que a extensão do litoral italiano é maior que o brasileiro … 7914 km…. e lembrar também do número operações e teatros onde as FFAA italianas estão envolvidas

Thiago
Thiago
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Operazioni_Militari_IT_07_10_2020_.jpg
Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Caro Thiago, entenda que não estou atacando a Italia nem a MM, estou apenas mostrando isso. — O efetivo naval da Marine Militare não esta completo no que se refere aos números de 32.500, pois a organização da MM é diferente da MB, não estão incluidos fuzileiros navais, não estão incluidos a segurança e guarda dos portos e bases que é de responsabilidade da MM, não contempla efetivos da Guarda Costeira que não é da MM, não contempla os efetivos da aviação naval, não contempla efetivos de reserva temporal que toda Marinha tem, dai não se pode comparar com o… Read more »

Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Contabilize todos e mesmo assim não chega ao efetivo da MB. Continua com um maior número de meios ( sem mencionar a qualidade) e obrigações em teatros internacionais, com muitas mais horas navegação. Para mim contínua sendo necessário reestruturar e repensar as atribuições e tarefas da MB .

sj1
sj1
Reply to  Zorann
2 meses atrás

15.000 FNs !!! Não é o máximo !!?!

Kemen
Kemen
Reply to  sj1
2 meses atrás

15.520 é ultima informação, são fuzileiros navais de agua doce e salgada e formam parte dos efetivos da Marinha, graças a Deus, deveriam ultrapassar os 20.000, se levarmos em conta a nossa população.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Kemen
2 meses atrás

O problema do Brasil não é número de efetivos. Somos um país enorme, continental e nosso efetivo é menor do que de vários outros países. Os problemas principais são dois: 1) previdência militar, muito generosa, aposwnta cedo, recebe muito (100%), pensões para esposas vitalícia e 100%, pensões para filhas, baixo valor de contribuição e pouco tempo de contribuição. O pagamento de INATIVOS e pensionistas consomem 50% do orçamento, não é o pagamento dos ativos. Fizeram a reforma, mas deveria ter sido melhor. No Reino Unido o normal é aposentar com 60% do salário. Dependendo do país um pouco mais ou… Read more »

sj1
sj1
Reply to  Kemen
2 meses atrás

300.000 devia ter, vamos projetar poder sobre a Africa.

Kemen
Kemen
Reply to  Zorann
2 meses atrás

Precisamos considerar que a Europa já sofreu duas guerras mundiais, alguns desses paises tem territórios longinquos e ilhas distantes, dai não seria bom para sua defesa ter Marinhas sem capacidade de operações à distância.__ Com relação a esses números da Marinha Italiana que o colega publicou, sugiro verificar com detalhe o que esta incluido no efetivo de 30.923 e o que esta incluido no efetivo da Marinha Brasileira para não divulgarmos numeros errados e interpretações incorretas._- dai certamente surgirão os mais diversos comentarios baseados nessa informação distorcida e errada, tchau! Pessoal embarcado Fuzileiros Navais Guarda Costeira Pessoal não embarcado Pessoal… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Nilo
Nilo
Reply to  Zorann
2 meses atrás

Dolares não é ploblema para a MB.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
2 meses atrás

Vou só lembrar pra vocês algo importante: a Itália tem um orçamento militar menor que o brasileiro.
Enquanto houver gente defendendo “falta de verba” nas FAs brasileiras, elas continuarão sendo esse enorme ralo de dinheiro gerido por uma trupe lesa-pátria.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Tem sim. Por conta da guerra e das consequências da guerra, a Itália abriga 90 bases americanas e em torno de 15 mil soldados dos EUA. Por conta da OTAN a Itália recebe não somente agrados mas, metas, missões e objetivos como conter as despesas com custeios e investir em torno de 40% do orçamento. Metas ambiciosas. Se cumprem 50% da meta…sem dobrar…significa investir 20% do orçamento de defesa X 1% a 3% do Brasil. Até 20 vezes mais investimentos que o Brasil. A Itália tem seus segredos. Não se sabe como a Fiat comprou a Chrysler+Dodge+RAN+Jeep e ainda arrumou… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Esteves The Block Man
Thiago
Thiago
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

A Itália é infelizmente um país em franco declínio demográfico e consequentemente econômico mas possui ainda a segunda manufatura europeia, atras apenas da Alemanha, um excelente exportador de bens industrializados com uma consideravel colocação nos indicadores de complexidade econômica.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Thiago
2 meses atrás

E fazem bicicletas excepcionais.

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Esteves, acrescento que fazem também motos mais do que excepcionais: Ducati, MV Agusta, Aprilia, Moto Guzzi… E carros que fazem parte de nossos sonhos: Ferrari, Lamborghini, Maserati, Pagani…
Ô povo pra fazer coisas lindas!

Kemen
Kemen
Reply to  737-800RJ
2 meses atrás

Meu caro, é coisa para aqueles quem tem alto poder aquisitivo, não é o nosso caso, vende muito em paises do Golfo árabe.__ “Pô meu vê se levanta a Ferrari em toda F1 espero a coisa mudar e nada… cansei de esperar!”

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Não é bem assim.

Uma Ferrari custa 200 mil dólares nos EUA.

Preço de casa padrão.

Kemen
Kemen
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Mais de 1,1 milhão de reais, tem que ganhar na loteria para gastar isso num carro aqui no Brasil, também tem imposto de importação e IPVA mais alto (dobro) por ser importado.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Nos EUA preço de casa padrão. No Brasil preço de casa de alto.

Claro…errados estão os americanos.

Last edited 2 meses atrás by Esteves The Block Man
Kemen
Kemen
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Não colega, um parente meu contratou a construção de uma casa de 2 pavimentos, 4 dormitorios na Carolina do Norte, em uma cidade pequena com isolação térmica e aquecimento por pouco mais de US $ 100.000.__ É claro que em New York e Los Angeles, grandes cidades, conforme o lugar custam muito mas muito mais.__ Não tem como comparar salario nosso com salario norte americano, principalmente se especializado.
No Brasil, São Paulo,tem casa em Alphaville e no Morumbi que custa mais de 6 milhões._Vai ver o preço dos AP na Vieira Souto, RJ.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Tem casa de 50 mil. Tem casa de 50 milhões. Por todo o mundo.

Nos EUA uma Ferrari nova custa 200 mil dólares. Preço de casa padrão.

Kemen
Kemen
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Não existe casa padrão nos E.U.A.N. pode existir na Coréia do Norte.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Casas de 200 mil dólares. Casas padrão. Casas de condomínio.

Existem por todo o lado, por todo o mundo.

Como também existem casas de milhões.

Não muda o fato que por 200 mil dólares compra-se uma Ferrari. Nova.

Kemen
Kemen
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Não muda o fato que no Brasil custa mais de 1,1 milhão de Reais.__ Quem gasta isso num carro deve ter seus varios milhões.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

—External Debt (USD)
Brasil: $547,400,000,000
Italia: $2,444,000,000,000

Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

E ??? Contínua sendo um pais mais capaz que o nosso doa quem doer . É apenas a verdade, quanto dívida, você sabe que não tudo né? Que existem n fatores influência essa mesma dívida que são importantes tanto quanto?
Pegar dados aleatórios sem explicar é fácil:

1 EURO = 6, 37 reais

Last edited 2 meses atrás by Thiago
Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Aleatórios?__ O que você deseja que eu explique, estou a disposição de qualquer colega para expor minhas considerações._As dividas acima dos paises estão em dólar norte americano, as duas.__ O detalhe é que é possivel a uma pessoa fisica, juridica ou pais se endividar comprando.__ No caso, se a MB quisesse e fosse aprovado pelos poderes do Estado, poderia ter uma frota de guerra modernissima era só obter financiamentos, se endividar como a Italia e ter porta aviões, inúmeras fragatas do ultimo tipo, enfim teriamos Forças armadas modernissimas, mas isso tem um preço, endividamento!__ A Italia tem uma divida enorme,… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Capaz em que?__ Isso não define nada.

Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

PIB-Brasil.jpg
Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Todos paises com uma dívida maior que a nossa ….
Aconselho procurar o índice de complexidade econômica brasileira, e também quais itens são os carros chefes das nossas exportações …

Screenshot_20201110-152536_Chrome.jpg
Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Não sera necessario.
comment image

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Olha mais atentamente KAMEN, qual porcentagem da divida pública é detida por estrangeiros? Não chega a ser 31% , desses você pode subtrair 7% que são filiais no exterior de fundos de investimentos italianos. Aponto isso porque os fundos estrangeiros em momentos de turbulência são os primeiros a fugir . Dito isto procure a riqueza privada da famílias italianas, sejam estas financeiras ou em imóveis por exemplo, procure saber a dimensão das reservas de ouros italianas, e mais, procure saber os ativos de Cassa Depositi e Prestiti SpA. Vai ver porque alguns paises tem como garantir suas dívidas e outros… Read more »

Segatto
Segatto
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Só tem um problema Kemen, a dívida externa não é a dívida do governo italiano para o exterior mas sim do governo e dos cidadãos italianos ao exterior, sendo que a dívida privada que é a grande maioria dessa dívida externa, não o governo, deveria utilizar a dívida PÚBLICA italiana. A dívida pública italiana é em sua maioria interna, eles devem aos próprios italianos, não estão nutrindo seu orçamento militar com recursos emprestados de outros países e também não é o orçamento militar o grande problema financeiro deles que consome mais recursos, mas o gigantesco estado de bem estar social… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Segatto
2 meses atrás

” deveria utilizar a dívida PÚBLICA italiana”___ Dívida é divida, e mais uma vez o Brasil sai muiiito na frente.___ Italia:131,8% do seu PIB – quinto endividado do mundo.___ Brasil: 84% do seu PIB – trigesimo segundo individado do mundo.___ Não tem saida, repito a Italia é um pais muito endividado, a pouco estivemos lendo uma falida Grecia comprando as ultimas tecnologias militares, prioridades são prioridades e a nossa certamente não é rearmamento as pressas, entretanto poderiamos comprar o que quisessemos para reequipar nossas FA´s, apenas obtendo mais verba ou mesmo financiamentos e ainda assim não ultrapassariamos a Italia na sua… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Vovozao
Vovozao
Reply to  Kemen
2 meses atrás

11/11/2020 – quarta-feira, btarde, Kemen, estou acompanhando as postagens e infelizmente sou obrigado a discordar de voce: CASO, venha acontecer do aumento da verba para o MD, será que…. veja …dentro das FFAA’s iriam utilizar esta verba extra para comprar meios/equipamentos navais??? Ja que estamos falando em gastos, gostaria de saber de voce: POR QUE a MB tem 9 (nove) almirantes-de-esquadra, quando nem uma esquadra decente possuimos???? Com os entendidos a resposta?????

Segatto
Segatto
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Sim, dívida é dívida, com certeza, a Itália é bem mais endividada, não neguei isso, mas cada uma se aplica em suas áreas, não adianta trazer a dívida privada alta e dizer que é o governo se endividando com outros países para manter as forças armadas, isso tem relação nenhuma, está falando que a dívida de uma entidade é a de outra, se fosse a dívida pública externa, aí sim concordaria contigo, as forças armadas são orçamento do governo. Também te apresento também outro marcador econômico:riqueza nacional, ou em inglês, national wealth, a soma dos ativos em um país, a… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Poder de compra. (Purshasing Power) em dólares norte americanos.

Brasil: $3,300,000,000,000

Italia: $2,344,000,000,000

Ora, temos a MB com falta de meios de superficie com alta tecnologia porque o Estado quer que seja assim!

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Pois é, mas ainda há várias pessoas que ficam insistindo nessa conversa mole de “falta de verba”, muitos inclusive aqui na trilogia. Não nos falta dinheiro, falta a boa administração desse dinheiro, além de vontade política.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Comparar as Marinhas de Brasil e Itália é de uma insensatez tremenda. Que a verba militar Brasileira poderia ser melhor administrada, isso é fato. Assim como a de qualquer outro ministério. Ao invés de comparar nossas FFAA com a de um país cuja História, geografia, mentalidade, capacidade industrial são completamente diferentes, não é melhor tentar identificar mais detalhadamente os problemas aqui no Brasil que nos impedem de ter meios militares adequados e pensar em soluções para esses problemas?

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Dinheiro é dinheiro, seja aqui, seja na Itália, onde pagam tudo numa moeda que vale mais do que o dólar. Se é insensato comparar dois orçamentos idênticos, bom, nada mais é sensato. O problema do Brasil vai desde a absolutamente inchada folha de pagamentos, até o não menos inchado valor das aposentadorias(aqui, integrais e lá não). O Brasil obviamente teria alguns ajustes com a mesma grana. Esses seriam: 1 – caso resolvessemos comprar o grosso de prateleira, teríamos BEM MAIS meios que os italianos. 2 – caso queiramos fabricação local, teríamos um percentual a menos de meios em primeiro momento,… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Comparar orçamento, sem apresentar as atribuições de cada uma, sim isso é insensato.

Por lei a MB, tem as funções de Marinha de Guerra, Guarda Costeira, e tudo o mais relacionado as atividades marítimas, tem que ver se os italianos tem um caso similar ou tem mais do que uma entidade, se for o segundo caso, então deve-se somar os orçamentos de todas as entidades e seus efetivos para comparar com a MB.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Wilson Look
2 meses atrás

Veja a missão da Marinha do Brasil.

Preparar e empregar o poder naval. Exercer o poder naval. Dentro e nas fronteiras. Cumprir a lei.

Para a MB dar cumprimento ao seu dever constitucional precisa de navios.

Não tem navios. Não cumpre a missão.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Em nenhum momento eu levantei a questão se cumpria ou não, isso é um debate diferente.

Primeiro debate as atribuições, depois debate se elas são cumpridas ou não.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Wilson Look
2 meses atrás

A atribuição única da MB é cumprir sua missão.

Kemen
Kemen
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Navios tem, não tem navios de combate de superficie modernos e na quantidade necessaria, por uma simples questão do que é prioritário em relação a despesas._ Não defendo esse ponto de vista, mas na nossa situação atual e a dos ultimos anos, temos que pensar que todo marinheiro ou recruta das Forças Armadas tem comida na mesa, é um emprego a mais no Brasil por um curto periodo, a adequação à modernidade e a tecnologia de ponta nas F.A´s vira com o tempo e com o progresso econômico tão esperado, que infelizmente hoje, ainda se encontra fora do nosso horizonte,… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Kemen
2 meses atrás

HAHAHAHA defesa de transferência de renda na instituição com aposentadorias de 10k em média.
Isso aí não ajuda o Brasil a “sair de crise”, é o exato oposto. A crise no Brasil é FISCAL: gastamos mais do que arrecadamos. Gastar mais só piora e empurra o problema.
Estamos, DE MANEIRA TOTALMENTE IMORAL, vendendo o futuro pra pagar o presente… E isso já acontece HÁ DÉCADAS!

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Um dos problemas do regime estatutário é manter as aposentadorias e as pensões do jeito que estão. Pensionista segue recebendo a aposentadoria (viúvo ou viúva) como se estivesse na ativa…recebendo aumentos, incentivos, gratificações e prêmios até maiores X os ativos. Os inativos estatutários (eu tenho casos municipais aqui) vão muito além do teto do executivo e desses 10 mil. O CLT em teto de 5 mil. O estatutário tem o teto de Deus. Pode passar de 50 mil e…passa. A viúva que nunca trabalhou recebe 100% mais todas as gratificações da função do falecido. Há estados que seguem pagando salários… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Quem se aposentou com 10K ?__ A maioria dos aposentados da MB não são Almirantes, nem oficiais de alta patente!

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Você até agora há pouco era o “garoto dos números”, agora não está querendo ir atrás desses dados? Engraçado.
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/07/06/militar-inss-servidor-gasto-rombo-renda.htm
Fique à vontade e disponha.

Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Voltou o “garoto dos números”, só que agora alertando para uma persepção que o colega não viu ou comentou. Militares na maioria se aposentam por ter atingido tempo máximo de serviço, recebem na maioria o máximo previsto para sua categoria. A maioria dos civis se aposentam por tempo de contribuição. Tem muito civil se aposentado com poucos anos de trabalho.__ A pouco tempo aumentaram o tempo necessario, vão receber ainda menos em média nos próximos anos. Não são os militares aposentados que ganham muito, são os civis que ganham pouco e os politicos pioraram ainda mais a sua condição recentemente.… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Vamos redistribuir a miséria entre os aposentados, totos eles, civis, militares, funcionarios públicos, é uma vergonha vendida como a salvação do pais que não tem (ou tinha) os problemas econômicos alegados para essas mudanças ou essas pretendidas e sugeridas mudanças!.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Os meninos do PN ficaram de postar problemas da nossa Marinha Mercante.

Não temos navios. Nossos portos são obsoletos. Nossa burocracia é impeditiva.

Mostrar navios da Classe Niterói dos anos 1970 em 2020…

Quem é o responsável?

Kemen
Kemen
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Tal como na Italia mostram os velhos Durand De la Penne._Tal lá, tal cá.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Kemen, as niteroi são velhas porque já estrapolaram o seu tempo de vida útil, os la Penne ainda não o fizeram. Foram comissionados em 1992. A niteroi em 1972.

Fossem os dois velhos, facto é que o la Penne é incomparavelmente mais bem armado, moderno e capaz, não apenas que as niteroi, maas também do que outros tipos e classes de navios, alguns novos, em serviço pelo mundo.

Kemen
Kemen
Reply to  Peter nine nine
2 meses atrás

Algumas primaveras de diferença, entretanto teve colega no site afirmando que os navios da MM estiveram sempre operando muito mais que as da MB, se verdadeiro então a vida útil deles seria menor.__ As fragatas Niteroi passaram por modernizações, e entre muitas uma delas foi o nosso sistema de combate nacional.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Os caras estão defendendo efetivo gigante e sem navios de patrulha, sem navios de combate, sem nada além de pessoas. Se só pessoas a pé resolvem o problema, passemos essa encrenca para o exército logo, lá tem bastante gente!

Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

 “sem navios de patrulha”

É preciso saber o que escreve para ter a minima credibilidade.__ Vai comparar com quem Turiatti?__ Com um pais que você disse que tem mais litoral que o nosso, a Italia, e tem um serviço próprio de Guarda Costeira?
comment image

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Navios tem, o que não tem são pocos navios de superioridade naval em superficie.__ Algumas colocações em relação a Italia são surpreendentes…
Que a Italia tem maior costa maritima, entretanto a sua Guarda Costeira tem menos navios.

-Brasil: 22

-Italia: 16

O que vão inventar agora?

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Colega KEMEN,seus dados primeiramente nao são veridicos e 2 a Guarda Costeira, faz uma parte das tarefas … so entre as DATTILO ,as 900 e as 200s o número ja É de muito superior as esses dados aleatórios qie você continua postando.

Adicione também os meios da MM (EX. As classe comandanti, sírio, cassiopea, esploratore…) e do serviço naval da Guardia di Finanza …por favor traga informações verídicas e completas

Last edited 2 meses atrás by Thiago
Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Se tem Guarda Costeira os navios a considerar são os da Guarda Costeira, navios de pequeno porte da MM e OPV não contam pois não é função dela. Guarda di Finanza corresponde a nossa Policia Federal, não vamos misturar tudo ou fazer um “embrollo” Pois bem, sendo assim.__ ClassePiratini – 5 Corveta Imperial marinheiro, usada em patrulha – 1 Classe Mearaim – 3 Classe Piratini – 5 Classe Pedro Teixeira – 2 Classe Roraima – 3 Classe Grajaú – 12 Classe Bracui – 4 Classe Macaé – 2 Rebocadores usados em patrulha – 2 Monitor Parnaiba – 1 Classe Amazonas… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Thiago
Thiago
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Também, não acho insensato comparar os dois, se a MB não consegue assim como está organizada, é bom observar outras propostas pra reformar e reestruturar ela , se for preciso tirar algumas tarefas e atribuir à outras instituições. É verdade que a MARINA MILITARE tem carência de efetivos, ja foi declarado que o número mínimo desejável é de 34.500; É verdade que o EI( Esercito Italiano) possui um regimento especializado em operações de assalto anfíbio( LAGUNARI SERENISSIMA) que em conjunto com a BRIGATA San Marco formam a força de projeção anfíbia (Forza di proiezione dal mare); é verdade que possuem… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

É óbvio que é uma comparação um tanto ridícula. ÓBVIO. Dá uma olhada no mapa, na densidade demográfica, na História recente e antiga dos caras. Durante a Segunda Guerra Mundial eles tinham uma esquadra moderna, que os ingleses temeram durante um bom tempo. O suficiente para ativamente tentarem perseguir e destruir os navios. Todos feitos na Itália. A tradição naval por lá não começa em 1500 não, vem desde os tempos em que os Romanos descobriram que para sobreviverem precisavam de embarcações e os Fenícios estavam ficando ricos com isso. O povo Italiano sabe muito bem disso. Aliás, eles conhecem… Read more »

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Tentar somente não.

Precisa fazer. Precisa das soluções. Soluções todas bastante conhecidas.

Enquanto existirem gavetas…bota na gaveta.

Kemen
Kemen
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Sem dúvida, isto é uma excelente observação. Mas além do apoio local militar dos E.U.A.N na Italia fazendo com que possa ter uma maior redução em seus efetivos, a Italia esta muito mais endividada que o Brasil, por esse caminho poderiamos ter inúmeras compras militares extraordinárias, Porta Aviões com caças de ultima tecnologia, umas 8 fragatas novinhas, além das 4 corvetas e 5 submarinos novos a caminho, mais compras de caças para a FAB e para o Exército, e ainda estariamos muito pouco endividados em relação a Italia. Simples assim.

danieljr
danieljr
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

A grosso modo, reduzir muito o número de aprovados em concursos para reduzir o efetivo, informatizar e modernizar o máximo possível as tarefas secundárias administrativas para reduzir mais o efetivo necessário. Unificar treinamentos comuns entre forças, bem como instalações físicas (quartéis, bases, etc poderiam ocupar o mesmo terreno físico poupando manutenção e desgastes com logísticas desnecessárias quando possível). Aproveitando esse tópico, no exército poderiam juntar vários quartéis em uma única instalação, não tem razão para manter uma unidade de cada coisa em uma cidade diferente se várias unidades podem conviver em uma única área. Deve ter muito mais coisas, tipo… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Não tem orçamento menor não, é fácil se armar, é só se endividar com a compra de armamentos!

—Defense Budget USS $

Brasil: $27,800,000,000

Italia $27,800,000,000

—External Debt (USD)

Brasil: $547,400,000,000

Italia: $2,444,000,000,000

Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Passa pano KEMEN, isso acobertar a ineficiência e justifica os desperdícios…
Só pra lembrar a extensão do litoral italiano é maior que o brasileiro, a area de atuação , numeros de missões e operações internacionais também, o número de horas de navegação e voô então…
So pra lembrar dívida faz quem pode , quando não podes ninguém te empresta, você deve ter assets valiosos, riquezas privada acumulada 4 /5 vezes seu pib, reservas de ouros, moeda crível …etc

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Thiago
2 meses atrás

O cara descobriu o valor absoluto da dívida italiana… Mas não se preocupou em olhar a trajetória recente da mesma.
Uma economia muito mais diversificada, com deficits fiscais despencando nos últimos 6 anos antes da pandemia. Isso aí é o que ele quer comparar com a dívida brasileira, sendo nós um país agrícola, irresponsável e cuja dívida explodiu nessa década. Ah, claro, bom lembrar: brasileiro não poupa dinheiro e ninguém no planeta Terra é louco de usar Real como moeda de reserva.

Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Apresente algo mais que puro blá, blá blá, colega. E o que você esta fazendo pelo seu pais além de malhar?

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Temos mais riquezas e reservas monetarias que a Itália.__ Qualquer instituição financeira particular ou estatal de um pais financiaria o Brasil.__ Vai comprovar colega.
-Qual a produção de petróleo da Italia?
-Qual a produção de ferro da Itália?
-Qual a produção de ouro da Itália?
-Qual as reservas petroliferas (ouro negro) da Itália?
-As reservas monetarias da Italia são menores, somos o décimo pais no mundo, a Italia é decimo quinto, o Brasil é mais indicado para receber financiamentos internacionais que a Italia no quesito reservas monetarias.

https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_foreign-exchange_reserves#Foreign_exchange_reserves

Thiago
Thiago
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Vai pro banco e pede um empréstimo uns 700.000 reais sem garantias , sem emprego, sem bens móveis e imóveis no seu nome , tudo isso a baixo juros ou nulos… vê se funciona.

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

O colega esta misturando emprestimo pessoal com financiamento internacional para um pais com a garantia de seu Banco Central, não tem o minimo sentido a sua colocação, são duas coisas totalmente distintas.

Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

O colega “oriundi (Turatti)” deve ter nascido no Brasil acredito.__ Minha esposa brasileira é neta de napolitanos e galegos.__ A solução da MB não é essa, é uma reorganização estrutural, e mais verba.__ Mudar as regras da aposentadoria dos militares certamente geraria economia, mas seria uma economia insignificante pois não se pode deixar de pagar o pessoal da ativa, isso não é uma “solução salvadora”, seria um paliativo minimo e o problema permaneceria.__ Sugerir cortar vagas tornaria o efetivo menor em nosso pais, que tem grande população, territorio e mar para ser defendido.__ Espero que um dia não precisemos da… Read more »

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Claro que efetivo vai defender o país, afinal, numa guerra a gente dá redbull pros membros da FAB sem aviões, assim eles criam asas e defendem o espaço aéreo. Para a Marinha a gente dá uns pés de pato, snorkel e roupa de natação. Pronto.
Não tendo dinheiro para 80 mil pessoas e navios, cortam-se as pessoas, afinal, em momentos de necessidade, pessoal tu encontra na esquina e treina em poucos meses… Boa sorte fazendo um navio de combate no Brasil em menos de 5 anos.

Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Sim e dando emprego, tu não precisas disso né, mas tu esqueces do teu próximo.

O Tema agora é FAB?

A FAB tem aviões sim, e novos estão chegando, os C-130 a Embraer esta montando, vai prestar serviço na tua Italia, vai comer o pão que Deus amasou e a tua polenta, depois volta chorando para o Brasil.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Flanker
Flanker
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Meu caro, ser a que vc não percebe a quantidade de militares em comparação com o número de equipamentos nas FA?? Não percebe que os militares se aposentam no auge da idade produtiva?? Não percebe que a maioria dos militares segue carreira militar por conta da estabilidade e dos benefícios, conjugados com a aposentadoria em idade bem baixa?? A MB tem ao redor de 80.000 militares e, somando todos os meios, inclusive distritais, não deve chegar a 200 navios….mas, consideremos que sejam 200…..isso dá 400 militares por navio…..claro que tem os FN….mas, mesmo assim, se considerarmos tripulações e pessoal de… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Kemen
Kemen
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

“Vou só lembrar pra vocês algo importante: a Itália tem um orçamento militar menor que o brasileiro.”

Não é menor não, é igual!

Só poderia, pois a Italia gasta muito menos com seus efetivos.

“Enquanto houver gente defendendo “falta de verba” nas FAs brasileiras, elas continuarão sendo esse enorme ralo de dinheiro gerido por uma trupe lesa-pátria.”

Posição simplesmente politica, tem mais tropas por consequencia mais despesas.__ Quase o dobro de efetivos, quase o dobro de despesas com eles.

Efetivos ativos

Brasil: 334.500

Italia: 175.000

Reservas.

Brasil:1.340.000

Italia:182,000
.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Jefferson
Jefferson
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Não tem nada disso, o que nao existe lá são tantos privilegios para militares, aposentadoria tão precoce e aposentadoria integral até para familiares após mais de 1 geração.
7 mil generais aposentados é coisa de doido, imagina quantidade de sargentos aposentados com 50 anos…meu vizinho, amigo de corrida aposentado do eb, cara que adoro, amigão, ganha 11 mil reais como sargento aposentado, desde os 49 anos
É muitoooo dinheiro para que trabalhou tão pouco.
Isso tem que mudar…hospitais próprios, vagas em universidades, escolas e colegios para filhos etc…muito distante da pobreza que existe no Brasil.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Concordo Turatti. Mas o que esperar de um país onde 3 de cada 4 cidadãos sonha em ser um servidor público?

Kemen
Kemen
Reply to  MMerlin
2 meses atrás

Baixemos o nivel de compra da população e consequentemente o nosso IDH que não é dos melhores, aumentemos a diferença do poder aquisitivo entre os ricos e os pobres, redistribuamos a miséria.__ Se sonham serem servidores públicos é porque o empreendedorismo privado paga pouco e vai pagar menos ainda com o futuro, o emprego não tem as minimas garantias, empresas fecham e abrem todo dia, não existe uma estabilidade econômica, sempre estivemos em altos e baixos, temos um salario minimo que mal chega a 200 dólares, onde pode viver um pai de familia que ganha isso senão em favelas e… Read more »

Marcos10
Marcos10
2 meses atrás

Que tristeza!
E aqui já concluíram aqueles barcos de 500 ton?

Marcos10
Marcos10
2 meses atrás

… completar o projeto em 2025 e receber o primeiro navio em 2028.
Isso é menos tempo que o São Paulo ficou parado aguardando verba.

Thiago
Thiago
2 meses atrás

O espelho da decadência da sociedade ocidental, eu me incluo no meio. Um país tão capaz em termos de conhecimento e capacidade , com uma marinha militar de peso entre as melhores do Mediterrâneo, é incapaz de proteger os próprios interesses nacionais. A sociedade ocidental não aceita a morte, incapaz de sofrer baixas e sangrar no terreno e nos mares. Esqueceu conceitos como interesse nacional, soberania e força. Enquanto sociedade com menos conhecimento e capacidades, porém mais determinadas e cínicas como a Turquia seguem em franca expansão conquistando no campo de batalha espaço e relevância . Podemos observar essa incapacidade… Read more »

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Brother, se você acha que a Turquia está em “franca expansão”, não deve ter acompanhado os últimos anos… Nem deve ter visto o quanto o ocidente tem “presenteado” os gregos.
Só não tem pavor a sangue quem não faz ideia do que diz, quem é bárbaro por padrão, quem é absolutamente o oposto daquilo que cultuamos como o berço da civilização ocidental.
Lutar guerras estúpidas como o Vietnam foi o problema, não ter saído dele. Derramar sangue a troco de nada é coisa de pessoas imorais e com falta de capacidade intelectual, não coragem.

Thiago
Thiago
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

Fernando, a Turquia nos últimos anos mostrou uma capacidade de penetração e assertividade impensável para uma país até pouco tempo atrás considerado em desenvolvimento. Veja-se a Somália e África oriental, lembro do caso da SILVIA ROMANO, sequestrada por grupos jihadistas, a Itália naquela situação teve que pedir a colaboração da Intelligence turca para libertar a cidadã italiana, algo para mim impensável ate o começo dos anos 2000. Veja-se a Líbia, onde os Turcos estão efetivamente boots on the ground, conseguiram se infiltrar pela incapacidade italiana de apoiar materialmente Tripoli, não apenas com palavras e sim com os fatos, deixou um… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  Thiago
2 meses atrás

”Boots on the ground” os Turcos??? Por isso, é que na Líbia, os Turcos só deram equipamento militar, como drones e proteção com Sam, a uma das frações dos Líbios, que são quem tem as ”boots on ground”, e também levaram combatentes Sírios para a Líbia. O que a Turquia fez á Itália, ajudando a cidadã Italiana, a pedido da Itália, é corriqueiro entre países da NATO, a França ainda à pouco libertou reféns em poder de terroristas em África,, reféns Franceses e Americanos, também ainda á pouco a França matou o número 1 da Al Qaeda no norte de… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  rui mendes
2 meses atrás

Concidência ou não, esta semana que passou, mais um dos líderes terroristas islâmicos, foi abatido por forças especiais Francesas, mas como de costume, só alguma comunicação social de alguns países, é que divulgou essa informação, mas não importa, o serviço foi feito e chega.

Thiago
Thiago
Reply to  Fernando Turatti
2 meses atrás

“Lutar guerras estúpidas como o Vietnam foi o problema, não ter saído dele. Derramar sangue a troco de nada é coisa de pessoas imorais e com falta de capacidade intelectual, não coragem.”
Ai está Fernando, e compactuo com você, recentemente um imã incentivando a jihad contra os “infiéis europeus ”
tinha dito algo muito parecido tipo ” venceremos , deixem eles nos terror, pois eles amam a vida e nos amamos a morte “

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Pois é, o estado islâmico foi varrido do mapa.__ Prontos para o próximo.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Olhe a história recente da Europa (os últimos 120 anos) e veja se as sociedades européias tem pavor e repúdio ao sangue e suor. Dezenas de milhões de mortos. Países inteiros destruídos.
Depois de tudo isso, com as mudanças demográficas e as populações envelhecidas, é razoável que esses países não tenham o mesmo interesse em se envolver em conflitos que tinham no passado.

Wilson França
Wilson França
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Porque os turcos teriam menos “capacidade” para alguma coisa?
E nós, brasileiros, temos também menos “capacidade”?

Thiago
Thiago
Reply to  Wilson França
2 meses atrás

Por capacidade entenda conjuntos de habilidades, conhecimentos ( sejam civis ou militares), e até sistemas e instituições criadas e formadas ao longo de décadas para fornecer e agregar valor a nação. Além da capacidade de coesão, colaboração,determinação…capacidade de perseguir objetivos a médio e longo , capacidade produtiva, intelectual etc. Não sinta-se ofendido amigo, não levante a bandeira do “preconceito” e discriminação . É simplesmente a realidade, isto não quer dizer que não podemos chegar lá, apenas que nesse momento não possuímos as mesmas capacidades/ habilidades. É o mesmo entre indivíduos . Não é porque um pais possui x de população,… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Thiago
Hcosta
Hcosta
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Não percebo em como a marinha da Turquia se compara com a Marinha Italiana. As FREEM serão piores do que os MEKO dos anos 90 ou das Perry?

E sabe quantos militares europeus estão em missões de combate em muitos países de África, Afeganistão e Médio Oriente?

Thiago
Thiago
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

É justamente aí a questão hcosta, a qualidade é superior mas a atitude e determinação é infima, a opinião pública não aceita baixas, não aceita danos colaterais, as repercussões do debate político abalam a capacidade efetiva de um pais de ter realmente uma posição mais assertiva e firme frente a agressividade dos adversários. Veja se o Afeganistão, “perdemos” aquela guerra, é inegável. “Nossos” meios são superiores, “nossa” capacidade economica financeira também. Mas cada morte, atentado, dano colateral, além do esforço econômico, mesmo obtendo vitorias e conquistando posições, provoca uma redução na vontade de querer realmente vencer o conflito. Ja para… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Isso vê-se, basta ver a história das últimas décadas, ou até do século. Agora os Europeus não são estúpidos, e só fazem guerra em última hipótese, mas já outros povos nunca entraram numa guerra, e ainda falam que os outros ė que não aceitam baixas. Haja lata e falta de vergonha.

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

E por acaso na época a União Sovietica não se retirou do Afeganistão? Não é um problema dos paises ocidentais. No Afeganistão tem muitos grupos que não aceitam ingerência estrangeira, as tropas e os apoiadores sempre vão enfrentar ataques e atentados!

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Thiago
Thiago
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Eu tiro pela Italia , teve seu quintal jogado no caos, criando situações perigosas para a própria estabilidade, no quesito de segurança energética e migratória. em nenhum momento eles tiveram coragem de usar seus próprios militares para impor ordem na Líbia, ou no mediterrâneo, são incapazes de tomar decisões fora das ações da OTAN, ONU ou UE. É essas organizações nem sempre refletem ou compatcuam os mesmo interesses nacionais italianos. Veja a Turquia um país teoricamente com menos recursos, porém mais assertivo e determinado, foi capaz de agir sozinho e tomar atitudes de alto risco .

Hcosta
Hcosta
Reply to  Thiago
2 meses atrás

É a vantagem de viver em democracia. Só numa ditadura e com muito controlo sobre os meios de comunicação é que se consegue fazer isso.
E não me parece que a Turquia tenha alcançado algo de muito relevante. Ela tenta mas não me parece que tenha alguma consequência. Talvez sejam as acções de uma ditadura em tentar disfarçar os seus falhanços e a perda de aliados. Talvez algo semelhante com Argentina e a invasão das Falklands.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Vai lá para a consola, e aprende a falar do que sabes.

Thiago
Thiago
Reply to  rui mendes
2 meses atrás

Rui , não sinta-se ofendido, sei bem que você é português e defendes a UE com unhas e dentes.. Eu “defendo” a EUROPA, não a UE, não são sinônimos, não essa UE feminista ou braço político da OTAN… a UE nem sempre faz os interesses das nações europeias , infelizmente
PS. eu não preciso ir para a consola, posso ir lá diretamente e votar , expressar minha opinião meu descontentamento , mas acho bem difícil, é necessário uma mudança cultural, um golpe brusco.

Last edited 2 meses atrás by Thiago
Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

A U.E. passou a ser braço politico da OTAN?__ Pois é a U.E. que faz as retaliações econômicas de importações dos E.U.A.N., em resposta as sobretaxas impostas aos seus produtos, pelo maior financiador da OTAN os E.U.A.N.e seu agora falido estadista.__ Ora ora economia é uma coisa e aliança militar outra, bem distintos, essa associação feita pelo colega não tem fundamentação.__ Aqui fica a minha primeira critica ao nosso Estado, sobretaxaram as nossas exportações, elas cairam 32% para os E.E.U.U. e o estado não retaliou.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

A Italia não é um pais que tenha equanimidade.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Isso ! Se inclua e me exclua desse seu comentário esdrúxulo.

Thiago
Thiago
Reply to  Funcionario da Comlurb
2 meses atrás

Argumente funcionário ! Seria tão bom ler sua opinião. sim eu me incluo, sou ocidental, vivo em sociedade ocidental e vejo /observos reações e atitudes. Não dou minha vida para defender essa sociedade …se acomode.

Last edited 2 meses atrás by Thiago
Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Mas é tipicamente esdruxulo, esta escrevendo num site de noticias militares.

Kemen
Kemen
Reply to  Thiago
2 meses atrás

Pois é, mas disse tudo ao contrario do que vem apregoando, sem efetivos não tem sangue nem sacrificios pela pátria e não é uma belonave ou um avião de caça, que sem marinheiros ou pilotos irão salvar a pátria.__ Nas Malvinas e no Iraque morreram combatentes ocidentais, também no Afganistão e nas missões de paz da ONU, dizer que a sociedade ocidental tem repúdio ao sacrificio é mera ideologia politizante, as maiores guerras sempre ocorreram a partir do ocidente, na Europa, e se alastraram a outros hemisférios, é histórico, quem não sabe?.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Up The Irons
Up The Irons
2 meses atrás

Se o Brasil, gigante do jeito que é, tivesse os mesmos equipamentos da Marina Militare e na mesma quantidade, já seria bastante imponente! Só o que eles têm de FREMM e submarinos já impõe respeito!

Andrew Martins
2 meses atrás

Essa classe Durand de la Penne não seria interessante para a Marinha do Brasil?

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Andrew Martins
2 meses atrás

Não.

Kemen
Kemen
Reply to  Andrew Martins
2 meses atrás

São tão velhos quanto nossas Niteroi.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Não, não são, foram comissionados em 92.

Concordo que não sejam ideais para a MB, ou aliás para qualquer outra marinha. Não são tão velhas como as niteroi, sendo aliás bem mais capazes, mas não sendo “velhos” estão longe de novos e pouca falta para que sejam, de facto, “velhinhos”. Tivessem sido disponibilizados nos anos 2005/2010 já seria outra história.

nonato
nonato
2 meses atrás

Não haverá nada de moderno, de inovação?
Nada stealth?
Armas a laser?
Sistema aegis já usado pela Espanha?
Achei pouco só 48 mísseis para um navio de 10 mil toneladas.
Esses mísseis antiaéreos Aster acho muito fracos.
Apesar que vi agora que o Aster 30 tem um alcance de até 120 km. Para míssil antiaéreo o que não dá é 25 km de alcance.
Nenhum avião sério vai voar tão próximo para atacar.
Hoje em dia até as SDBs planam 50 km com facilidade.
Mísseis antinavio lançados de avião tem alcance muito maior.

Hcosta
Hcosta
Reply to  nonato
2 meses atrás

Tem especificações muito semelhantes a qualquer outro.
Em vez de equipamentos americanos tem europeus.
Aegis/PAAMS, ESSM e SM/Asters etc. E não são 48 mísseis, são 48 silos.
E mesmo os SM têm um alcance de 70 a 160 Km e estes a um preço ridículo.
Não há nada que não seja inferior com alguma relevância ao que existe.

nonato
nonato
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

6 lançadores de 8 células. 48 células podem abrigar quantos mísseis? Entendo que 48 mísseis. Ou seriam 96? Ou 192? Entendo que um navio tão grande e caro deveria trazer alguma inovação, no mínimo alguma furtividade. Não se pode comparar um navio desenvolvido há 30 anos com um navio que atuará até 2050, pelo menos. Não basta um casco qualquer com os melhores mísseis e radares disponíveis (se bem que já seria alguma coisa). Como falei acredito que uma maior furtividade, inclusive térmica, materiais que reduzissem ruídos. Preparação para receber armas laser que podem ser a moda em breve. Espaço… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  nonato
2 meses atrás

Uma “célula” pode abrigar até 4 mísseis “menores” como por exemplo o “ESSM” ou o “Sea Ceptor” que podem ser usados contra uma variedade de alvos, depende de como se pretende rechear as “células” da disponibilidade de recursos, etc.
.
E falando em recursos, é preciso entender que todas as nações tem recursos limitados e uma série de outras prioridades então simplesmente não se pode ter tudo, mas, de maneira geral o navio italiano terá capacidade de receber melhorias ao longo das décadas de vida inclusive tecnologias que hoe ainda não estão “maduras”.

Dalton
Dalton
Reply to  nonato
2 meses atrás

Serão 3 canhões de 76 mm e respectivos paióis e isso rouba espaço para outras coisas, mas, aparentemente atende melhor as necessidades italianas enquanto por exemplo navios americanos de tamanho similar obrigatoriamente embarcam nos silos verticais um número maior de mísseis de ataque a alvos terrestres como o Tomahawk e mísseis ASRoc contra submarinos enquanto os italianos operam com mísseis A/S que não dependem de silos verticais exigindo espaço próprio para eles.

nonato
nonato
Reply to  Dalton
2 meses atrás

Qual a utilidade desses canhões?
Só se for para munição guiada, ou defesa antimíssil.
Por falar nisso não tem CIWS?
Acredito ser item obrigatório em navios modernos.

Dalton
Dalton
Reply to  nonato
2 meses atrás

Os canhões de 76 mm terrão alta cadência de tiro, podendo ser utilizados contra alvos aéreos, como aeronaves, tripuladas ou não, mísseis e também contra alvos navais como pequenas embarcações velozes então não deixam de ser uma espécie de “CIWS” com menor cadência do que um canhão menor, mas este por outro lado verá sua munição esgotar rapidamente.
.
E não adianta apenas embarcar armamento para combater grandes navios e mísseis além do mais são muito caros, então é preciso pensar em várias situações onde um canhão médio trará melhor custo x benefício.

Plinius
Plinius
Reply to  nonato
2 meses atrás

Tem especificações excelentes:
-é um design stealth
-o sistema Aster é o único na Europa com capacidade de mísseis antibalísticos
-os radares Leonardo para mísseis antibalísticos também são usados nos  destróieres franceses Horizon (Aegis = EUA não Espanha)
– o sistema de projéteis guiados Vulcano e Strales é o único sistema desse tipo no mundo
– 64+16 (Teseo e Milas) = 80 mísseis
– CAMM-ER e ASTER 30 Bock 1 NT

Alguns deles são iguais para FREMM, que são impressionantes e funcionam muito bem:

https://www.plymouthherald.co.uk/news/uk-world-news/royal-navy-type-45-destroyers-3765942

https://www.wsj.com/articles/german-engineering-yields-new-warship-that-isnt-fit-for-sea-1515753000

Dalton
Dalton
2 meses atrás

Achei estranho 24 metros de boca e 9 metros de calado para um navio que deslocará 10.000 toneladas, deduzo, carregado, mas, não encontrei muito mais sobre ele e outras fontes dão apenas o comprimento de 175 metros.
.
O “Zumwalt” é que poderia rivalizar com ele em boca e calado, mas, tem um deslocamento carregado estimado em 15.000 toneladas.

Kemen
Kemen
2 meses atrás

Eu não tenho certeza se o termo “Destroyer” se aplicaria a essas belonaves do futuro de grande tonelagem alguns ainda as clasificam como fragatas, é algo a ser discutido sem dúvida, se examinarmos o Luigi Duran de la Pena, ele dispõe de 4 canhões e esse conceito de “Destruidor” vem da 2a. guerra, quando uma belonave estava equipada com muitos canhões._ A diferença de possiveis funções que definiriam uma ou outra também não é definida de forma exata… o que uma chamada Fragata bem armada de 6.000 tn não poderia fazer em relação ao que faria um chamado Destroyer de… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Usando a US Navy como parâmetro lá o “destroyer” (DDG) tem uma maior capacidade antiaérea de longo alcance na forma de uma maior variedade de mísseis e maior quantidade deles, incluindo o SM-3 para lidar com mísseis balísticos de alcance intermediário além do “obrigatório” míssil de ataque a alvos terrestres, o Tomahawk. . Durante um tempo pensou-se no “Zumwalt” como um (DD) ao invés de (DDG), já que teria apenas defesa antiaérea de ponto como os DDs classe Spruance, mas, na forma de um nome melhor, grandes demais para fragatas e não possuindo a função de um cruzador , acabaram… Read more »

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Lembro de uma explicação aqui no PN que os contratorpedeiros ou destróieres vocacionavam para o combate contra submarinos. Combate naval.

Velocidade, manobrabilidade, poder de fogo.

Hoje…poder de fogo se conta com mísseis. As fragatas tem essa limitação de não levar a mesma quantidade e o mesmo poder de combate dos destróieres.

Canhões de tiro rápido e muitos mísseis. Veremos na guerra como isso funciona.

Valter Sales
Valter Sales
2 meses atrás

Estou impressionado. Masacredito que exista algum engano com esses dados de dimensões dos novos destróieres. 24m de boca…????????????!!!!!!!!!
Os 175m de comprimento não são surpresa(ainda que sejam maiores que um Ticonderoga(171m)
parabéns a MMI.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
2 meses atrás

Daqui a pouco aparece um tudologo falando que não é suficiente para peitar a Turquia e a Rússia em águas mediterrâneas.

Renan
Renan
2 meses atrás

Será que aceita um financiamento de 20 anos para duas dessas para o Brasil?

Marc elo Andrade
Marc elo Andrade
2 meses atrás

A Classe Trieste seria um futuro Nae com aeronaves Stovl para a MB. Por que não. pergunta (meu teclado esta sem a interrogaçao)

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Marc elo Andrade
2 meses atrás

Tudo depende dos requisitos que o navio deve cumprir.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Wilson Look
2 meses atrás

Também depende do nosso histórico em sustentar navios com alas aéreas embarcadas, fixas ou rotativas.

Aos preços e custos de hoje…vamos de Atlântico.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Na verdade o histórico, serve para aprender com os erros do passado.

Mesmo a MB tendo um programa para novos NAEs, não será agora que vão se concentrar nele, o NAM Atlântico já permite que parte considerável da lacuna gerada pela indisponibilidade e posterior desmobilização do São Paulo seja preenchida, e como o Atlântico tem uns 20 anos de vida útil, ou mais até, a espaço para se concentrar em outras áreas, como a força de superfície.

Esteves The Mobile Man
Esteves The Mobile Man
Reply to  Wilson Look
2 meses atrás

A história e o histórico servem para a tomada de decisão. É a maldita experiência que deveria gerar competências mas acaba em um lamento de interrupções.

20 anos de vida útil navegando a 14 knots.

Sem forçar. As Pielstick agradecem.

Last edited 2 meses atrás by Esteves The Mobile Man
Esteves The Man
Esteves The Man
Reply to  Wilson Look
2 meses atrás

O histórico serve para sustentar as decisões do presente.

O Atlântico tem 25 anos. Foi lançado em 1995. Mais 20 anos serão quase meio século.

Maquinas Pielstick com 50 anos…talvez, se existirem, estacionárias. Empurrando água ainda que a 14 knots como vai o Atlântico não tenho certeza. Li mas não guardei um trabalho de Portugal sobre essas máquinas.

35 anos.

Não penso que a MB se confortem com helicópteros. Podem aumentar o horizonte. Proteger e atacar com os pinguins. Ok. Mas helicóptero não substitui avião.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Esteves The Man
2 meses atrás

Semântica. Asa fixa e asa rotativa são aeronaves, então porque não chamar um mero porta helicópteros de porta aeronaves e deixar que pensem ser um porta aviões (o vulgo iguala aeronave com avião…)? Assim procede o advertising, a mais baixa forma de arte, dourando a pilula do moribundo que exige glamour.

Last edited 2 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
2 meses atrás

Precisa ver isso. Chamam de microfisio. Terapeutas. Eles tem mais navios, outros tem mais mísseis, nós temos mais gente. O canhão pode ser maior…tem que ser. A frustração é essa maldita comparação. Passou uma série no G1. Premiada. Expulsando jihadistas da Síria. Temível e terrível. Sobram as mulheres de preto que vão chegando de caminhão. Grupos pequenos. Logo somaram 5 mil. 5 mil em 1 campo elegendo 1 liderança para fugir e cortar as cabeças de quem estava do lado de fora do campo. — Queremos dinheiro e maridos ou cortaremos suas cabeças. “…que é a pulsão de morte, que… Read more »

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Esteves The Block Man
2 meses atrás

Boa! E Freud, tão clássico, foi cancelado pela liberação e desrecalque do oprimido desejo. Quero porque quero e prendo e arrebento quem ficar no caminho. Tudo se justifica quando todos não têm razão, impera a destruição quando a criação foi deposta, a cobra morde o próprio rabo e a pilha de cadáveres se eleva, inutilmente, ao céu.

Last edited 2 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Jefferson
Jefferson
2 meses atrás

Que surra no Brasil! Somos uma vergonha!

guilardo
guilardo
Reply to  Jefferson
2 meses atrás

Amigo, não se estresse não. Ontem à noite o nosso presidente fez uma ameaça velada aos Estados Unidos. Curiosamente, até a semana passada éramos os melhores aliados do Tio Sam. A partir de ontem, somos o maior inimigo. Pois bem, Bolsonaro chamou os americanos para a briga. Certamente no Pentágono ninguém dormiu . A preocupação é grande. Mas, voltando à Marinha, como ninguém supõe como o Brasil enfrentará os EEUU, eu acho que uma invasão no norte do nosso país ocorreria. Agora, as batalhas na floresta nós venceríamos. Mas, por outro lado, como não possuímos marinha alguma, apenas oficiais, praças… Read more »

Renan
Renan
Reply to  guilardo
2 meses atrás

EUA está preocupado que o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, publicou na noite desta terça-feira (10) uma mensagem congratulando o Corpo de Fuzileiros Navais americano pelo aniversário de 245 anos

captura-de-tela-2020-11-11-as-09.17.32.jpeg
Sampaio
Sampaio
Reply to  guilardo
2 meses atrás

Na guerra somos insignificantes para EUA !

Plinius
Plinius
Reply to  Jefferson
2 meses atrás

TKMS não foi considerado em Qatar, Australia, Canadá, Estados Unidos, etc, mas no Brasil eles ganharam. Fincantieri, Naval Group, Navantia sempre, TKMS nunca. Como TKMS ganharam no Brasil? O problema não é o orçamento

Valter Sales
Valter Sales
2 meses atrás

São autênticos \cruzadores. Praticamente um Slava.

Esteves The Block Man Again
Esteves The Block Man Again
Reply to  Valter Sales
2 meses atrás

Slava

10BAE5C5-2DAE-4E60-949A-F6F43B1A3E4C.jpeg
Esteves The Block Man Again
Esteves The Block Man Again
2 meses atrás

Que coisa….mas por que tão bloqueando o Esteves?

Glasquis 7
2 meses atrás

Um off que merece uma certa atenção.

Um alto oficial Argentino, denunciou na semana passada que a ARA e. o governo Macri, sabiam da posição do ARA San Juan pelo menos 20 depois do acidente mas preferiram esconder a informação pra beneficiar a empresa que um anos depois resgataria os restos do naufrágio. Consta no processo dos familiares.

https://www.clarin.com/politica/ara-san-juan-almirante-armada-sabia-submarino-20-dias-despues-hundio_0_kp_3ER1XA.html#:~:text=La%20posici%C3%B3n%20del%20sumergible%20argentino,por%20el%20hundimiento%20del%20nav%C3%ADo.&text=El%20ARA%20San%20Juan%20hundido%20el%20noviembre%20de%202017.

De se confirmar, será um duríssimo golpe pra imagem da ARA e do governo argentino.

Plinius
Plinius
Reply to  Glasquis 7
2 meses atrás

E daí?

—External Debt (USD)
Brasil: $547,400,000,000
Italia: $2,444,000,000,000
Japao: $4,649,000,000,000

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
2 meses atrás

6 Tamandaré e 4 FREMM seria de uma satisfação tremenda para a MB! O problema é que nosso almirantado e políticos fingem demência e permitem que essa força seja vista como chacota.

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
2 meses atrás

Se bobear quando a Itália já tiver construído o quinto novo destróier o Brasil ainda estará construindo a primeira Tamandaré…

Last edited 2 meses atrás by Yuri Dogkove