Home Aviação Naval Navios e aeronaves da MB realizam patrulha nos extremos da ‘Amazônia Azul’

Navios e aeronaves da MB realizam patrulha nos extremos da ‘Amazônia Azul’

3140
73
Fragata “União” em patrulha na área do Arquipélago de Fernando de Noronha

No período de 27 de outubro a 4 de novembro, em continuidade às Operações “Ágata” e “Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida – Fase 4”, a Fragata “União”, navio da Esquadra brasileira, e o Navio-Patrulha Oceânico “Araguari”, subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste, realizaram patrulha naval na Zona Econômica Exclusiva (ZEE) dos Arquipélagos de Fernando de Noronha e de São Pedro e São Paulo.

Na ocasião, foram empregadas as aeronaves AH-11B “Wild Lynx”, embarcada na Fragata “União”, e AF-1C “Skyhawk”, pertencente ao 1o Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque, que operou a partir da Base Aérea de Natal (RN) e efetuou pouso logístico no Aeroporto de Fernando de Noronha. As aeronaves realizaram ações de esclarecimento, em proveito da patrulha naval, que teve o objetivo de monitorar o tráfego marítimo de interesse, combater a pesca ilegal e os crimes transfronteiriços, até o limite da ZEE dos dois arquipélagos.

A operação garantiu, também, a continuidade da 4ª fase da Operação “Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida”, iniciada em 5 de outubro, que tem o objetivo de monitorar as áreas marítimas e litorâneas, incluindo praias e manguezais, que foram afetadas pelo criminoso derramamento de óleo ocorrido no ano passado.

A ação de presença da Marinha na ZEE demonstra o permanente compromisso da instituição de contribuir para a defesa dos interesses nacionais na “Amazônia Azul”, rica região marítima que corresponde a cerca de 67% do território nacional.

Aeronave AF-1C Skyhawk pousada no aeroporto de Fernando de Noronha

FONTE: Marinha do Brasil

Subscribe
Notify of
guest
73 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zezão.
Zezão.
1 mês atrás

Muito bom. Assim que se faz, força total empregada na Defesa da Pátria! Parabéns à MB assim como ao EB e à FAB!!!

Rafael costa
Rafael costa
1 mês atrás

Não vejo a hora de ver as fragatas Tamandaré patrulhando a Amazônia azul e escoltando o PHM Atlântico, vai ser uma coisa linda de ver !

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
Reply to  Rafael costa
1 mês atrás

Acrescente aí uns Gripens operando a partir de bases navais ao longo da costa.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rogério Loureiro Dhierio
1 mês atrás

Pode ser a partir das Bases Aéreas também…

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Exatamente.
Concordo.

Zorann
Zorann
Reply to  Rogério Loureiro Dhierio
1 mês atrás

Se forem Gripens da Marinha, tomara que não. Para quem mal navega, para quem nem patrulha aérea quer fazer, chega a ser um absurdo querer voar caças.

Já está difícil reequipar a FAB com os Gripens que ela precisa. O que não precisamos é da MB concorrendo com a FAB por verbas para o mesmo fim.

Quem precisa de mais Gripens é a FAB. A MB deveria focar nos navios e submarinos que ela deveria ter e não tem.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Também acho. Primeiro o dever de casa (meios de superfície).

MMerlin
MMerlin
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Mas sempre tem alguém que, mesmo morando em uma casa simples e tendo os filhos estudando em colégio público, vai lá e compra uma BMW. O importante não é melhorar as condições de vida da família, mas sim ostentar.
Tem que fazer primeiro o básico!

Alang
Alang
Reply to  Rafael costa
1 mês atrás

Mais fácil ver os almirantes gordos nos seus gabinetes com arzinho e todas as mordomias.

Abner
Abner
Reply to  Rafael costa
1 mês atrás

Uma pergunta por que a MB não constrói ou compra navios contratorpedeiros ? Mais sim constrói fragatas, não seira melhor ter navios mais potentes em armas e capacidade. Eu não sei muito por isso a pergunta

Thrash Metal
Thrash Metal
1 mês atrás

Se conseguirem mais 2 Light Frigates Tamandaré, para fechar 6, já seria um avanço. Poderiam, já lidando com a realidade brasileira, fechar para construírem 4 MEKO® A-100 Patrol Corvette. O MEKO ® A-100 Patrol Corvette é a menor versão da família A-100, com um deslocamento na classe de 2.200 toneladas. O MEKO ® A-100 Patrol Corvette é uma combinação de uma plataforma compacta e muito acessível com opções de desempenho poderosas e flexivelmente escaláveis ​​para plataforma e suíte de combate. O navio retém o suporte de aviação e recursos de modularidade de missão dos navios maiores da família A-100, e tem a capacidade de ser atualizado… Read more »

Leonel Testa
Leonel Testa
Reply to  Thrash Metal
1 mês atrás

Concordo com mais 2 tamandares pra mim na configuraçao anti submarinas mas o pratico agora seria terminar o Prosub e concluir os 3 macaes que faltam e construir mais uns 5 pelo menos

sergio ribamar ferreira
Reply to  Thrash Metal
1 mês atrás

Concordo com Sr.Thrash Metal. Seria uma ótima opção. Geraria trabalho dentro da realidade. Combinação a critério através de um sistema modular. Teria de perguntar ao governo e depois a MB pois a megalomania ainda imperam. Se para construir localmente dois patrulhas de 500 toneladas, uma burocracia e falta de desempenho, imagina iniciar um programa em continuidade. Lá para 2040 segundo a previsão do planejamento de defesa da MB. Mesmo assim apoio sua ideia. Grande abraço.

Carlos Gomes
Carlos Gomes
1 mês atrás

A pergunta é séria, mas de um leigo. Se o Brasil tem dificuldades em construir escoltas modernas, necessita de navios patrulha e já domina a tecnologia de construção de submarinos (arma naval de dissuasão por excelência), não seria o caso de priorizar a construção de navios-patrulha – de construção mais rápida e barata -, e de submarinos? Para complementar, uma aviação naval baseada em terra, no litoral, com capacidade de lançamento de armas anti-navio e anti-submarino?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Carlos Gomes
1 mês atrás

Essas perguntas são boas e podem gerar debates muito construtivos, vou tentar responder elas de forma simples, o problema maior na construção de escoltas modernas no Brasil não está tão relacionado a complexidade desses navios, mesmo sendo um fator de aumento de custos dado ter que adequar os estaleiros e capacitar mão de obra, o problema está na parte orçamentária e na parte burocrática de viabilizar uma processo de continuidade. Sobre priorizar navios patrulha, como a MB por lei atua tanto como uma marinha de guerra e uma guarda costeira ambos os lados são necessários, sendo que no momento a… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Acho que já temos 6 bases ao longo da costa… A FAB não PROÍBE a MB de operar a partir das suas Bases.

Renan
Renan
Reply to  Carlos Gomes
1 mês atrás

O que nos falta é vontade política de reestruturação da carreira militar para inibir os gastos desnecessário e focar os recursos a marinha de guerra. É necessário uma profunda reforma no ministério da defesa. Criar mecanismos legais para transferir os militares excedentes para outras áreas publica, assim continuam sendo funcionários públicos mas agora como cívil. Regularizado está questão é necessário focar no que a marinha necessita para mostrar bandeira e empurrar água. Então começa pelos navios fluviais, navios logístico, navios anti minas, patrulhas, patrulhas oceânicas. É necessário começar a escada de algum lugar ou inicia de baixo e vai subindo… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Renan
1 mês atrás

Tem dois e quatro apoios, respectivamente, contando com o meu…

Renan
Renan
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Obrigado mestre

Pedro
Pedro
Reply to  Renan
1 mês atrás

Foi lá ver tinham 4 votos e dei meu apoio e foi para cinco. Depois voltei para confirmar e só aparecem os mesmos 4.

Renan
Renan
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Obrigado pela força Pedro

Renan
Renan
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Tá com 9, para vota é necessário se cadastrar e fazer o login. Obrigado pela força

Helio Silva
Helio Silva
Reply to  Carlos Gomes
1 mês atrás

Boa noite a todos!
Acho que falta é visão.
Aventaram, em janeiro deste ano, a compra de Hornets. Avião que trabalha embarcado, sendo que nem NAE temos mais e não tem pouso vertical (como os f35) pra, talvez, usa los no PHM Atlântico.
Saudações!

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Helio Silva
1 mês atrás

Bom, não houve nada de oficial, então no meu entender isso deve ser tratado como um rumor apenas, e sobre operar o F-35 no NAM Atlântico, é mais fácil ver ele operando drones do que um avião tipo o F-35, pelo que eu saiba o navio precisaria de muitas mudanças estruturais para isso.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Interessante é que o Atlântico custou, para a MB, o preço de um F-35B novo.

Zorann
Zorann
Reply to  Carlos Gomes
1 mês atrás

Você está certo Carlos Gomes. A MB deveria sim focar em navios/aeronaves de patrulha e submarinos. Negar realmente o uso do mar e saber quem navega aqui.

As Tamandarés são um tremendo desperdício de recursos.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Submarinos sozinhos não vencem guerras navais.

Navios de patrulha, navios de escolta, submarinos, aviação, navios de apoio, etc, tudo isso é necessário para realmente negar o uso do mar.

Zorann
Zorann
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Ahammm

PACRF
PACRF
1 mês atrás

Pergunta de leigo: quais são os armamentos que AF-1C Skyhawk da Marinha é capaz de utilizar? Todas as fotos postadas na Trilogia o mesmo está apenas com os tanques externos de combustível (imagino) sob as asas.

Edaurdo
Edaurdo
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Canhões (metralhadoras) e bombas burras…

Rudi PY3TO
Rudi PY3TO
Reply to  Edaurdo
1 mês atrás

Saudações a todos…me parece que os AF-1C estão sem seus conhões organicos.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Edaurdo
1 mês atrás

Se não me engano podem operar o Harpon também

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Acho que não…Talvez um Arpão.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Fico imaginando se esses navios vão armados, com mísseis em prontidão, enfim, armas em prontidão, mesmo que não seja 100% para alguma ocorrência inesperada.

Eduardo
Eduardo
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Também gostaria de saber isto.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Os navios vão armados, mas presumo que não na sua totalidade, como é comum em todas as marinhas. Missões ditas “não de combate”, são feitas, por norma, com parte dos misseis retirados, por vezes para manutenção, mas também para poupar o desgaste nos mesmos. A Marinha brasileira assim como muitas europeias também, são “apanhadas” várias vezes a navegar as suas fragatas com, por exemplo, 2 misseis anti navio apenas. Os lançadores como o míssil encontram se muitas vezes ausentes. Portugal também o faz, sendo que completamente armados so costumam estar quando em missões que o exigem ou quando integradas nas… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

É isso apesar da falta de meios se nós não fizermos isso ninguém o fará por nós, muito pelo contrário vários vão se aproveitar!

Nilson
Nilson
1 mês atrás

Fica cada vez mais caracterizado o uso do A-4 como aeronave de reconhecimento, devido às ótimas características de seu radar. Inclusive em ações conjuntas com a FAB o A-4 foi utilizado como identificador de alvos para outros esquadrões.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Alexandre Galante
1 mês atrás

Alcance ar-mar de até 160 milhas náuticas.

marcos r
marcos r
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Acho curioso a marinha utilizar caça para reconhecimento e se recusar a assumir os meios adequados para isso deixando os P3 a cargo da Fab.

Samuca cobre
Samuca cobre
Reply to  marcos r
1 mês atrás

Concordo plenamente…mas apenas 9 P3 é pouco, e nem todos os 9 estão em ação, precisa no mínimo ter o dobro de aeronaves…olha o tamanho do nosso litoral..tudo bem que tem os banderulhas, mas eles não tem o mesmo desempenho que os P3..

Last edited 1 mês atrás by Samuca cobre
Flanker
Flanker
Reply to  marcos r
1 mês atrás

O radar EL/M 2032 dos AF-1 tem que “conversar” e operar em conjunto com os meios de superfície, como as fragatas. A MB não está pensando em utilizar os AF-1 para missões normais e rotineiras de patrulha. No caso dessas missões “rotineiras”, eu acho que seria mais que adequado a MB assumir essa função com os P-3AM ou outra aeronave semelhante.

Tomcat
Tomcat
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Estou notando isso, os A-4 estão tendo vida agitada nas ultimas semanas, e estou achando bom, vamos usando o que temos. Seria bom se a MB tivessse drones também operando dos navios.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Estranhando essa movimentação. Não era assim.
Tão querendo mostrar algo?

Bille
Bille
Reply to  Nilson
1 mês atrás

As aeronaves de patrulha e ASW deveriam ser da MB.

Kemen
Kemen
1 mês atrás

Deve existir uma razão para a MB utilizar uma fragata para patrulhar a região, normalmente não existindo conflitos de alta intensidade, poderiam ser utilizadas as OPV Amazonas, talvez seja porque a União já tivesse suprimentos embarcados e a tripulação estivesse em operação.__ Faz algum tempo que não temos noticia de nenhuma das tres Amazonas.

Flanker
Flanker
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Como não? O Apa está, ou estave há pouco, na costa africana em operação de treinamento com as marinhas daquele continente. E, nessa matéria aqui, está escrito que, junto com a União, estava o Araguari.

Kemen
Kemen
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Senti falta de uma foto de nossas novas OPV´s, temos visto fotos e mais fotos das Niteroi e outras belonaves de grande porte, nossas OPV´s tem muita importância quando se trata da vigilância da ZEE e plataformas maritimas.__ Não só de grandes belonaves precisa uma Marinha, todos os navios de patrulha são importantes, as de patrulha fluvial e maritima também.

Kemen
Kemen
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Eu entendo e não sou eu para dizer o que deveria fazer a MB, mas gostaria de saber por que usamos uma fragata que é um navio de proteção, escolta e combate direto para patrulhar?__ fragatas e belonaves de grande porte em tempos de paz costumam ser utilizadas ocasionalmente em operações de apoio a ONU (exemplo Libano), treinamento e operações conjuntas com outras Marinhas.__ Entretanto os navios de patrulha em tempos de paz estão periodicamente e sempre em vigilância do litoral próximo, uma atividade de suma importância que realmente protege o nosso litoral e ZEE, mas não da marketing…

Dalton
Dalton
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Não há navios específicos para patrulha em número suficiente, aliás, nenhuma nação os tem então navios da esquadra complementam os distritais no caso brasileiro.
.
Na US Navy eventualmente se vê “Arleigh Burkes” e “LCSs”
que não estão escalados para missão ao exterior ou mesmo aguardando manutenção, auxiliando a Guarda Costeira.

Renan
Renan
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Aprontou operacional é melhor o navio empurra água e dar trabalho aos marinheiros ou ficar parado no cais, com marinheiros em terra?

Renan
Renan
1 mês atrás

Eu não sabia da capacidade de receber caça em Fernando de Noronha ( Fernão de Loronha), então ao meu ver qualquer nação invasora obrigatoriamente irá tomar primeiro Fernando de Noronha para servir de base aeronaval.
É necessário se pensar nisso

Pedro
Pedro
Reply to  Renan
1 mês atrás

Em Fernando de Noronha existe um aeroporto que é guarnecido por uma guarnição da FAB. Ele recebe aeronaves comerciais e existe até rotas de algumas empresas aéreas como a GOL. “O Aeroporto de Fernando de Noronha – Governador Carlos Wilson (IATA: FEN, ICAO: SBFN), é um aeroporto brasileiro e foi construído em 1934. Em 1942, durante a segunda guerra mundial a Força Aérea do Exército dos Estados Unidos da América através do ‘Programa de Desenvolvimento de Aeroportos’, construiu a nova pista e o terminal de passageiros. Em 1975, houve ampliação para a aterrissagem de Boeings. O aeroporto opera voos domésticos e… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Pedro
Pedro
Pedro
Reply to  Renan
1 mês atrás

comment image

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Renan
1 mês atrás

Acredito que neste caso virará alvo fixo de foguetes vindo do continente.

Renan
Renan
Reply to  Palpiteiro
1 mês atrás

Amigo são 375 km de distância até o continente, ainda não temos uma foguete capaz de fazer isso

rafaehl
rafaehl
1 mês atrás

Ainda prefiro viver dentro da realidade brasileira e deixar os sonhos pra depois, essa realidade mostra que em breve não teremos mais aviões de ataque na marinha(os Falcões) Não ,Não teremos Gripens Navais,F18,mig29 etc.etc.etc. ficaremos com os Trakheres e os helicópteros. Por isso creio que visando manter o padrão de vôo e a ala aérea fixa operacional, PROVISORIAMENTE, a marinha poderia encomendar aos nossos Hermanos 12 Pampas3, barato e dentro das possibilidades no momento. Reparem que eles não teem esse preconceito nosso de comprar dos vizinhos, Estão negociando nossos guaranis e talvez os supertucanos, Sei, sei que esse avião é… Read more »

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
1 mês atrás

O Esteves também prefere música dos anos 1970.

A MB cumpre as missões com navios dos anos 1970…gosto não se debate.

Alexandre
Alexandre
1 mês atrás

A nossa marinha precisa se expandir!!!

Nilo
Nilo
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Corre alto risco da expansão provocar uma IMPLOSÃO.
E levar o orçamento das outras forças junto.

Marc elo Andrade
Marc elo Andrade
1 mês atrás

Pode parecer legal, sem desmerecer o trabalho da MB, até porque , esses navios já estavam em exercício perto dessas áreas mas, a tarefa de Patrulha Naval deve ser efetuada por Navios-Patrulha , como a Classe Amazonas por exemplo, é muito caro manter uma escolta para a realização deste tipo de mssão. Salvo melhor juízo, pois, como disse, esses navios já se encontravam na área. mas, o dia a dia, devem ser utilizados NaPa de 200 a 1.500ton, de acordo com a distancia e área de patrulha. É a falta da Guarda Costeira!

Last edited 1 mês atrás by Marc elo Andrade
Renan
Renan
Reply to  Marc elo Andrade
1 mês atrás

Uma guarda costeira gastará algo em torno de 15 bilhões de dólares, para ter o básico para patrulha.

Uma marinha de guerra sem porta aviões e sem submarinos nucleares custa alguma coisa próximo a 20 bilhões de dólares.

Ou seja com 35 bilhões de dólares já dá para ter uma MB de respeito.

Algo em torno de 210 bilhões de reais o dobro do orçamento da defesa.

Henrique Pinheiro
Henrique Pinheiro
1 mês atrás

Comentário de um leigo civil que acompanha de perto o site, e principalmente os comentários da turm, nunca se envolvendo: Não seria interessante para a MB focar em uma força de submarinos (algo como 8 ou 10 Riachuelos, apenas uma hipótese..), combinada com uma forte defesa costeira aérea (aviões de patrulha e gripens, por ex)? Digo, meios de superfície são importantíssimos, mas sao caros de construir (mais que os subs, acredito) e manter, além de serem alvos relativamente fáceis a depender da situação (na opinião do leigo). Então acho que 4 Tamandarés, mais algumas corvetas (novas) e barcos de patrulha… Read more »

Renan
Renan
Reply to  Henrique Pinheiro
1 mês atrás

Um patrulheiro de 1800 a 2000 toneladas é o que a MB necessita pois existe muitos crimes nas nossas águas, então não é possível ficar só na marinha de guerra. Acredito que 14 ou 12 patrulha de 2000 toneladas. Mais 48 ou 50 de 500 toneladas, faria MB ter melhor a consciência situacional do nosso território. Podendo assim manda ao local de necessidades sua esquadra. Acredito que cada navio patrulha de 500 toneladas fique de 50 a 75 milhões de dólares dependendo do recheio. Se pegar 50*50= 2,5 bilhões de dólares O patrulheiro de 2000 toneladas deva custa uns 150… Read more »

Alang
Alang
1 mês atrás

BRASIL, UMA VERGONHA MUNDIAL!!!
Preferimos pagar milhares de oficiais pra ficar engordando nos seus gabinetes com arzinho gelado e todas as mordomias ao invés de equipar nossas forças armadas com equipamentos de ponta.
Quando a população acordar será tarde, seremos obrigados a aprender chinês, russo, inglês, francês…

Alang
Alang
Reply to  Renan
1 mês atrás

Acho que não adianta, as mordomias e privilégios são tantos que é capaz de ter uma guerra civil no Brasil.

FRITZ PILSEN
FRITZ PILSEN
1 mês atrás

FERNANDO DE NORONHA é o maior porta aviões do mundo.

Jose Juscelino de Oliveira Neto
1 mês atrás

Operação “Mar limpo é vida” , parece expressão infantil.

fresney
fresney
1 mês atrás

Esperava isso!!!! A-4 no nosso limite!!! Elta no povo!!! Galante, o F-5 M ja operou alguma vez em Noronha?? Espero que os A-4 ou demais da FAB continuem operando em Noronha e no Amapá!!!!!