Home Indústria de Defesa Amazul contrata a Nuclep para fazer a montagem de reator nuclear para submarino

Amazul contrata a Nuclep para fazer a montagem de reator nuclear para submarino

4557
149

São Paulo, 24 de novembro de 2020 – Celebrado em evento da Marinha, com a presença do Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, o início da montagem do protótipo do reator de propulsão nuclear em Iperó é um marco importante também para a Amazul (Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A.).

Com ativa participação no Programa Nuclear da Marinha (PNM), Programa Nuclear Brasileiro (PNB) e Programa de Desenvolvimento de Submarinos (ProSub), a Amazul é a empresa que contratou a Nuclep (Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A.) para a fabricação de parte do protótipo do reator de propulsão nuclear.

O contrato entre Amazul e Nuclep prevê a fabricação, montagem e fornecimento do vaso (cilindro) e estruturas internas de contenção onde será montado o reator, além do tanque de blindagem primária.

Essas estruturas compõem o Bloco 40, que faz parte do Labgene – Laboratório de Geração de Energia Nucleoelétrica, protótipo em terra e em escala real dos sistemas de propulsão que serão instalados no futuro submarino de propulsão nuclear (SN-BR) Álvaro Alberto.

A Amazul faz a gestão administrativa do contrato e é responsável pelos pagamentos à Nuclep com recursos financeiros transferidos pelo Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo. O contrato, no valor de R$ 55 milhões, está dividido em 33 entregas (33 eventos) até agosto de 2023.

Maquete do reator nuclear brasileiro PWR
Maquete do reator nuclear brasileiro PWR
Detalhe da parte interna do reator PWR brasileiro
Pastilhas de Urânio usadas no reator nuclear

Nas próximas fases do programa, o reator, bem como os turbogeradores, o motor elétrico e outros sistemas similares aos de um submarino com propulsão nuclear serão testados de forma controlada no Labgene. O objetivo é validar a operação do reator e dos diversos sistemas eletromecânicos integrados a ele, antes da instalação no submarino com propulsão nuclear.

Finalizados os testes, um reator similar será instalado no submarino Álvaro Alberto, no Complexo Naval de Itaguaí, no Rio de Janeiro. Em Itaguaí também estão sendo desenvolvidos os quatro submarinos com propulsão diesel-elétrica previstos no ProSub: o Riachuelo (S-40), já lançado, o Humaitá (S-41), o Tonelero (S-42) e o Angostura (S-43).

A Diretoria Técnica da Amazul reúne profissionais de diversas especialidades envolvidos em projetos estratégicos para o país. Dentro do ProSub, a empresa ajuda a desenvolver tecnologias como o Sistema Integrado de Gerenciamento de Plataforma e o Sistema de Combate de Submarinos.

LABGENE e seus equipamentos
LABGENE e seus equipamentos (clique na imagem para ampliar)
Visão em corte simplificada do SN-BR. Observar a semelhança com o Scorpene S-BR
Visão em corte simplificada do SN-BR. futuro submarino brasileiro com propulsão nuclear

DIVULGAÇÃO: Amazul

Subscribe
Notify of
guest
149 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

Espero que não privatizem a Nuclep, como o Governo Federal estava querendo.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Não se preocupe, o Isaias não quer privatizar tudo, só algumas coisas, afinal é preciso manter o cabidão.

Joao Moita Jr
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Se fosse pelo “Governo Federal”, até esse sub seria privatizado. Sairia navegando com uma bandeirinha da Shell, na defesa do petróleo brasileiro. Com a condição que o negócio passe pelo banco do Guedes, claro…

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Não João, acho que deveríamos estatizar tudo de novo! E fazer Concursos Públicos para 1 milhão de vagas!!! Sem meta, sem gerenciamento e dando cargos para apadrinhados de políticos, assim o Brasil funcionaria muito melhor!!

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

Sou a favor da não interferência estatal na economia, mas empresas estratégicas, como a Nuclep ou a Petrobrás, não podem ser privatizadas. Fazer isso é suicídio.

Zé merenda
Zé merenda
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Allan Lemos! Comentário sensato e com seriedade. Sem infantilidades e sem defender entreguismo e consequente traição à terra onde nasceu.

Marcos
Marcos
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan, a Petrobras hoje como empresa estatal não tem dinheiro para nada, além de ela não conseguir refinar o ‘petróleo pesado’ pois temos que mandar para fora do país, é proibido por lei que outras empresas façam o refino, então ao mesmo tempo que não conseguimos, fazemos com que ninguem mais faça, perdendo bilhões de reais com a construção de novas refinarias e geração de milhares de empregos… Viva as estatais, o petróliu é noçuuu!!!

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Marcos
1 mês atrás

A culpa disso é da incompetência dos políticos, não do modelo de gestão.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Culpa do modelo de gestão? Vc quis dizer ROUBALHEIRA né Allan? rsrs…mas eu tbm concordo com vc que certas coisas poderia manter estatizadas se fôssemos um país sério, mas no Brasil é praticamente impossível ter uma estatal sem corrupção!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Petrobrás, estatal ou privada não mudaria muito o estado das coisas. O maior lucro da empresa e com os preços carissimos que pagamos pelo mosso combustivel e o maior lucro do governo e com os impostos que tornam o nosso petróleo carissimo.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Todo país que se propõe ser sério mantém suas empresas estratégicas. Somente o João Grandão Bobão não faz isso.

M.@.K
M.@.K
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

(on module sarcasm) Ou não fazer concursos públicos, mas aumentar as CC’s… dai não teríamos apadrinhamento… Boa! ( off)…;)

Agressor's
Agressor's
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

Porque vc não diz que os países ditos ricos, ou seja, as nações hegemônicas das regiões frias do planeta são na verdade POBRES, são penúrias em riquezas naturais, todas elas: minério, água potável, subsolo fértil, sol, biodiversidade etc e que por isso fazem nosso país de colônia para encherem suas reservas não deixando nosso país crescer?… Porque vc não diz que eles compram nossos políticos corruptos para que esses mesmo políticos possam desmantelar, esfacelar e sucatear nossas estatais, colocando assim, péssimos gestores, tirando investimento e impedindo que se faça investimentos nas estatais, enquanto empresas privadas do sistema financeiro internacional(cujo os… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Agressor's
1 mês atrás

Isso! Continue colocando A culpa pelas nossas mazelas nos outros…nunca em nós……e quando a culpa é nossa, é sempre dos políticos corruptos…..que caem do céu ou se materializam do nada lá em Brasilia…….nunca é do povo, né? Ora, deixa desse discurso repetitivo e vitimista…..os políticos corruptos….os empresários corruptos.. ….os funcionários públicos corruptos….O judiciário corrupto….. saem de onde? Do povo!!! O povo é santinho……não joga sequer uma biruca de cigarro no chão, de tão correto que é!! Com um povo desses, não precisamos de estrangeiro nenhum querendo nos impedir de ser um país de verdade……

Heli
Heli
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

É serio um comentário enriquecedor desses?

Marcos10
Marcos10
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Pois é, Moita, mas vários exércitos estão privatizando até as operações de combate. Sai mais barato.

Nilo
Nilo
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Dircussão sobre privilégios é tão distinta da discussão de soldado “MAIS BARATO” (se você considerar o soldado como cidadão com direito a integrida de sua saúde mental).

Zé merenda
Zé merenda
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

João Moita Jr! O senhor foi perfeito no comentário! Isso é bra$$$$$ZZZZil.

Nilo
Nilo
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Inclua Aramar para Texaco.
A segurança nacional vai passar por intensas provações, o elástico vai ser esticado para tencionar, quebrar. Não existe mocinho ou mocinha 🤣 🤣 🤣 🤣 🤣 🤣 .
Fala do Pujol, não aceitamos nada menos que o ético, respeito a Republica e Constituição.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Joelson
Joelson
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Seria bom vender pra Shell do Brasil…
Cosan S.A. é uma empresa brasileira com negócios nas áreas de açúcar, álcool, energia, … Joint-venture entre a Cosan e a Shell..
Kisses!

JORGE PETROLA FERREIRA
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Um reator nuclear naval é um artefato que gera problemas complicados. Depois de iniciada a operação desse reator os impostos de nossos bisnetos estarão ainda pagando os custos de desativação do projeto. A infraestrutura necessária a operação da embarcação e sua manutenção vão exigir recursos de grande monta que não poderão ser redirecionados pelos próximos 200 anos. Não tento aqui justificar pq não devemos ter uma máquina deste tipo, tento justificar que devemos ter um planejamento de longuíssimo prazo para não gerarmos um problema sem solução para as gerações vindouras. Minha opinião é a de que esta é uma empreitada… Read more »

Teropode
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Admiro seu esforço para se tornar mais tolo do que o próprio governante , o cara não é um gênio mas odia_lo por suspeita de homofobia já é demais , compreendo seu corporativismo mas de nada adianta a militância hipócrita .

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Privatizar pode funcionar ou não, como também pública também pode funcionar ou não, é um tema complexo, nos EUA praticamente todos os projetos de defesa estão na mão de empresas privadas e a coisa dar certo, mas por outro lado em países com orçamentos menores a coisa funciona melhor com empresas públicas que podem sobreviver melhor a períodos de vaca magra ( a custo de jogar o prejuízo para o governo), infelizmente não existe solução perfeita!

Zé merenda
Zé merenda
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Fábio Araújo! ” nos EUA praticamente todos os projetos de defesa estão na mão de empresas privadas”. Sugiro o senhor dar uma pesquisada melhor! As grandes corporações nos eua podem e são sim privadas mas sob rígido controle do governo, PRINCIPALMENTE as empresas estratégicas como a Boeing por exemplo!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Zé merenda
1 mês atrás

Sim trabalham com normas rígidas, mas são privadas.

Leitor Sincero
Leitor Sincero
Reply to  Zé merenda
1 mês atrás

Zé merenda é fora da casinha… kkkkk Tomando pau de todo lado.

M.@.K
M.@.K
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Boa!!!

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Os EUA não podem ser usados como exemplo nesse caso, a indústria de defesa lá é gigantesca, as empresas têm vários clientes externos e ainda recebem bilhões em subsídios do governo federal. No Brasil isso não daria certo pois essas empresas estratégicas logo iriam terminar nas mãos do capital estrangeiro. Acho que deveria haver uma lei proibindo a venda de empresas privadas do setor de defesa brasileiro, imagina se alguém compra a Avibrás?! Seria uma tragédia.

Emerson
Emerson
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

O problema de privatizar ou não privatizar se chama Brasil. A impressão que dá é que aqui os assuntos relacionados as forças armadas não vão para frente. E se vão para frente é nessa marcha lenta e nas quantidades de conta-gotas que estamos acostumados a ver. Isso não mudará…

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Já foi publicado. Até fim de 2021 privatiza a NuclEP. Tchau reator nuclear. Tchau subnuc. Não foi bom enquanto durou.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Nada disso. O governo não conseguiu privatizar nenhuma estatal até agora e nem vai conseguir porque não tem capital político para isso.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Eu pensei que esse contrato já tinha sido feito, mas em todo caso é bom saber que estamos avançando!

Glasquis 7
1 mês atrás

Abaixo da linha do Equador, ninguém avançou tanto na tecnologia nuclear quanto o Brasil. Um logro digno do gigante sul americano.

Luiz Henrique
Luiz Henrique
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Só que não….

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Luiz Henrique
1 mês atrás

O que ele disse de errado?

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Acho que ele se referiu ao avanço de 50 anos.

Outro assunto cansativo no PN.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Mas o Programa ficou adormecido há anos, tem que se levar isso em consideração e dentro da era militar!

Camargoer
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

Olá Marcelo. Pois é. O programa do submarino começou em 2009. Antes ele focou o desenvolvimento do enriquecimento do urânio

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O Programa começou quando o Governo do Estado de São Paulo cedeu por comodato de 99 anos as instalações do Ipen para uso pela Marinha do Brasil com o objetivo de construir o submarino nuclear. Nos anos 1980. Construir o reator pelo Ipen poderia ter acontecido nos anos 1970, 1980, 1990… O que ainda impede o Ipen de construir um reator de 4a.geração ou vários reatores incluindo outro reator multiproposito? Nada. O reator do Almirante chegou para tapar as desconfianças que o Ipen colaborava com a bomba do EB, que o Ipen através de cálculos tinha e tem a capacidade… Read more »

Camargoer
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Olá Esteves, “memories”. Parece musica do “Cats”. Pode colocar na conta do regime militar. Se o país tivesse prosseguido a normalidade constitucional, provavelmente o submarino nuclear estaria pronto. O regime militar teve vários avanços econômicos e n infraestrutura, mas teve muitos problemas. Militar é militar. Político é político. Homem é homem, macaco é macaco.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Estávamos na “normalidade constitucional” quando o ex presidente C + o ex presidente F congelaram os gastos com defesa.

Estávamos no “pos normalidade constitucional” quando U bradou a constituição cidadã.

O reator e o submarino estão atrasados pelos motivos conhecidos.

Envelhecimento
Descontinuidade
Obsolescência
Ausência de pátria
Desconfiança
Espionagem
Corrupção
Dependência
Corrupção
Corrupção

O regime militar somente passou.

Camargoer
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Olá Esteves. Foram duas décadas para restabelecer a normalidade constitucional. O pessoal parece ter dificuldade de entender que a normalidade constitucional siginifica continuidade. Trancos e barrancos interrompem e prejudicam projetos de longo prazo.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Encontraram um monólito em Utah. Parecido com aquele do filme 2001.

Ninguém ainda se apresentou para contar porque, pra que e quem.

Mas se está lá foi colocado por alguém.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

Ficou.

Cortaram recursos. Deixaram o Ipen e a CNEN à míngua.

Collor, FHC e os primeiros anos de Lula quase sepultaram definitivamente o submarino nuclear e o reator.

Pressão norte-americana.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Final dos anos 90 o Brasil tava na pindaíba.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Tava porque colocaram.

O frango de 1 real e o fim da correção monetária ressuscitaram o país.

Milagre.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

Somente após o segundo mandato do ex presidente L é que a CNEN e o Ipen retornaram do vale das sombras.

Glasquis 7
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Não, me refiro ao avanço em soluções de energia nuclear pra propulsão desde o refino e enriquecimento e urânio às suas aplicações, tanto militares quanto civis.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Isso está, estava e esteves dentro do Ipen. Desde os anos 1960.

Não avançamos porque somos abestados.

Glasquis 7
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Bom, aí é outro problema.

Independente do tempo, este é um grande logro.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Fantasmas existem?

Tem quem acredita.

O Ipen foi fundado para construir reatores nucleares.

Desde 1960.

Bardini
Bardini
Reply to  Luiz Henrique
1 mês atrás

Tem muita gente que precisa ler sobre o programa nuclear argentino…

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Teve o atentado contra a AMIA em 1994. Parece que os argentinos estavam colaborando com os judeus e/ou com outro inimigo do Irã na capacitação de produção.

A Invap também colaborou com um reator multiproposito na Austrália. Reator para produzir radiofármacos.

Eles tem conhecimento.

O Ipen tem tudo.

Matheus
Matheus
Reply to  Luiz Henrique
1 mês atrás

Late vira-lata late…
Aposto que adora lamber uma bota internacional.

Lucas
Lucas
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

a África do Sul já teve bombas nucleares

Glasquis 7
Reply to  Lucas
1 mês atrás

Tal vez tenha sido pouco específico. Me refiro à tecnologia de propulsão nuclear.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

A tecnologia de propulsão nuclear é construir um reator nuclear para fazer mover o submarino.

Qual é o segredo?

sj1
sj1
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Cara, já li que construir um SN é mais complexo do que uma ogiva nuclear pura e simples, que é tecnologia da década de 40… Creio que os países médios que não possuem a bomba o fazem mais para evitar o custo político do que por não possuir a tecnologia.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sj1
1 mês atrás

Se.

Se a MB tivesse insistido com os IKL teríamos um submarino autóctone?

Difícil saber.

O reator…sem ser repetitivo…mantidos os investimentos no Ipen…hoje seríamos o terceiro polo nuclear do mundo? O quarto?

Possivelmente.

Política…a velha política.

sj1
sj1
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

confuso…

Glasquis 7
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

“Nenhum, por isso todos os países da América Latina tem seus respectivos submarinos com propulsão nuclear.”

Ironic mode off.

sj1
sj1
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Hahaha. Agora sério, para vc, o Esteves e outros que queiram se aprofundar no tema submarinos nucleares eu recomendo o canal do Mário Sérgio Porto, ex oficial e que já trabalhou no programa nuclear paralelo na década de 80, tem excelentes análises lá, sem nenhum víes político ou ideológico.

Last edited 1 mês atrás by sj1
Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sj1
1 mês atrás

O Esteves não quer se aprofundar. O Esteves não é submarino e não tem CPF negativado.

Esteves acompanha essas notícias radiocorporativas desde 1980.

Os meninos não haviam nascido.

Um dos motivos do reator do Almirante ter dado certo foi torná-lo oficial.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Quando leio que as indústrias montadoras de veículos estão trazendo carros para serem lançados primeiro no Uruguai, na Colômbia, na Argentina, no Chile…

Logo seremos ultrapassados pela Ilha de Páscoa.

Marcos
Marcos
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Remedinho tarja preta pelo visto acabou

sj1
sj1
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Um meio de Bromazepam de manhã e outro a noite pá.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sj1
1 mês atrás

Esse não conheço.

Tomo catuaba+ginseng+tríbulos. Uma colher de chá cheia diluída no café.

Glasquis 7
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

É simples. Basta vc ter uma opinião ou fazer algum comentário, que aparecerão logo os que quererão se impor tentando mostrar sua “Superioridade”

Nem Argentina, que tinha uma cooperação com Brasil nem o Chile que tinha dois programas, um pra uso energético e conhecido, e outro em segredo apoiado pela Inglaterra, avançaram nos seus programas ao ponto de conseguirem colocar um navio com propulsão nuclear.

Isso até agora, só o Brasil.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Faz parte da vida.

Aquilo que não é sustentado pelo conhecimento é tolice.

Teve alguma coisa com o Paraguai também.

As pessoas se alimentam de teorias e de histórias contadas.

Glasquis 7
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Aquilo que não é sustentado pelo conhecimento é tolice.”

Então me mostre, qual nação abaixo da linha do Equador tem um avanço quanto à propulsão nuclear, superior à do Brasil?

Camargoer
Reply to  Lucas
1 mês atrás

Olá Lucas. Acho que ela investiu muito sim na tecnologia nuclear mas creio que nao chegaram a detonar um dispositivo como fizeram o Paquistão, Índia e Coreia do Norte (os mais recentes)

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Detonação serve para mostrar poder. Para o vizinho.

Israel não detona bombas.

Camargoer
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Caro Esteves (na fase do contra). Israel não serve de parâmetro pois eles teriam que explicar de onde vieram tantas bombas….. outros países que que as desenvolveram em segredo necessariamente detonam um dispositivo para mostrar poder. A África do Sul teria detonado um dispositivo se tivessem chegado a um.

sj1
sj1
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Realmente isso de Israel é estranho… uma eu sei que detonaram em conjunto com a AS no Índico, o resto…

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Sim.

Mas…a cooperação do Ipen com o EB foi feita para não ser necessário detonar.

Ok.
Teve o buraco.

Mas não precisa detonar. Precisa dos computadores para calcular a detonação.

sj1
sj1
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Pois é, já ouvi isso também… mas daí se vc faz uma ogiva nuclear e se valendo apenas de modelos matemáticos, o detonador não é testado, não fica uma coisa muito confiável.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sj1
1 mês atrás

Todo militar quer explodir.

Camargoer
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Olá Esteves. Que explodam (sic).

JT8D
JT8D
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Eles detonaram. E Israel estava envolvido. Pesquise sobre o Incidente Vela

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

A África do Sul detonou sim e chegou a ter Armas Nucleares, mas desistiram delas, pra mim o caso de maior estupidez militar e política que eu já vi. existem pessoas/jornalista por aí que dizem que Israel participou desse desenvolvimento de armas nucleares da África do Sul.

sj1
sj1
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Detonou no Índico, em conjunto com Israel, na época os dois sofriam sançoes internacionais. Depois no início dos 90 ela desmontou o dispositivo.

Camargoer
Reply to  sj1
1 mês atrás

Olá SJ1. Obrigado pela correção. Aprendi mais uma.

JT8D
JT8D
Reply to  sj1
1 mês atrás

Isso

JT8D
JT8D
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargo, pesquise sobre o “Incidente Vela”

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Esqueceu da Austrália querido, eles conseguem fazer enriquecimento de Urânio a Laser, que é mais rápido, e menos chamativo, ou seja os Australianos em pouco tempo podem fazer uma bomba atômica sem ninguém perceber.

Glasquis 7
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Esqueceu da Austrália querido, eles conseguem fazer enriquecimento de Urânio a Laser, “

Respondi aí acima.

Tal vez tenha sido pouco específico. Me refiro à tecnologia de propulsão nuclear.”

Enriquecer o urânio é apenas uma parte do processo. Extrair, otimizar, enriquecer, construir o gerador, miniaturizá-lo (ou pelo menos faze-lo caber) colocá-lo num submarino e integrá-lo ao seu sistema de propulsão é um processo completo.

A Austrália faz isso.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
1 mês atrás

Outro contrato.

Vida que segue.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

A tecnologia de reatores e submersíveis avança vertiginosamente. É uma excelente ocasião para reavaliar esse projeto. Motorizações mais silenciosas, baterias mais eficientes, (como se usan em aviões e carros). O reator pode ser de baixa radioatividade (quarta geração) sem implicar em sanções internacionais por gerar Plutônio. Enfim reduzir custos e prazos e produzir uma embarcação mais letal cim custos compatíveis cim o que é produzido nos paises avançados.. Não podemos nos dar ao luxo de gastar bilhões para produzier um Náutilus capenga.

Camargoer
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Caro Luiz. A revisão crítica do projeto já foi feita há alguns anos. Agora é construir. Um revisão nesta altura do projeto demandará a obsolescência do Labgene e uma enorme atraso no projeto.

Nilo
Nilo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Bingo, Camargoer, é a fase agora de execução e terminar o quantos antes e iniciar o SUBNUC. Estudo crítico e sistematico da capacidade tecnologica e de produção que darão sustentabilidade (como diria o SPOK), vida longa a esse complexo indústrial de tecnologia refinada. Daqui a 30 anos poderiamos dizer a Marinha criou uma Embraer Naval.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Marinha vírgula.

Esforços do Ipen+CNEN.

Tivessem dado os bilhões de euros ao Ipen…

JT8D
JT8D
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Se, se, se …
Conheci uma pessoa que dizia: “palavras o vento leva, nada substitui a realização”

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  JT8D
1 mês atrás

Se a MB não tivesse aportado no Ipen…

JORGE PETROLA FERREIRA
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Diante desta situação em que após iniciada a operação teremos mais de 200 anos de gastos comprometidos, sou favorável ao seu argumento. Vale a pena esperar o máximo possível e possuir o sistema que menos nos onere a longo prazo.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Isso é tudo isso que você menciona pode ser produzido pelo Ipen.

É só fazer.

Wagner
Wagner
1 mês atrás

Vamos esperar que misteriosamente quando estiver para entrar em produção esse não de algum problema também como aconteceu com o VLS…

Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

Uma estatal contratando outra.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Como de costume ué. Ou vão fazer serviços sem contrato?

Luis Maranhão
Luis Maranhão
1 mês atrás

Ainda querem privatizar a NUCLEP, empresa estratégica de defesa, absurdo isso.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Luis Maranhão
1 mês atrás

Caldeiraria pesada. Mecânica pesada. Plataformas de petróleo. Linhas de transmissão. Submarinos. Reatores.

Não precisa privatizar. Precisa fazer entregar resultados.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Luis Maranhão
1 mês atrás

Querer não é poder. Se houver pressão por parte do povo pra que não seja feito a privatização, pronto, não avançará. O problema de muitos é só ficar reclamando na Internet e ação que é bom, nada!

Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

Não sei qual é a fissura que o brasileiro tem por empresa estatal.

Sequim
Sequim
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Vdd. Boa é a multinacional espanhola que deixou o Amapá no escuro por quase 1 mês, né não?

Johan
Johan
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Você escreve como se as estatais fossem um exemplo de eficiência. Aqui no RJ tivemos excelentes exemplos dessa eficiência como Telerj (filas para fazer uma simples ligação), CERJ ( algumas regiões só passaram a ter energia nos anos 2000) e por aí vai. Ah já ia esquecendo a CEDAE com fezes na água…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Johan
1 mês atrás

Ninguém aqui defende estatal BR como se elas fossem o supra-sumo da eficiência e boa gestão ( e eu moro em SP, e sei o quanto o SPTrans e a Caixa suga minha sanidade mental ). O que se questiona é essa mentalidade neoliberal BR, que prega que tudo deve ser vendido pra iniciativa privada, da forma mais rápida possível. Como se a iniciativa privada fosse exemplo de boa gestão, preocupação com cliente e de transparência. O que não falta no Brasil são exemplos de estatais ou obras públicas que custaram bilhões ao bolso do contribuinte, mas que foram vendidas´´… Read more »

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Empresa nasce para faturar. Pública ou privada toda empresa precisa vender.

A baixa renda do consumidor brasileiro é e sempre tem sido uma grande barreira econômica para desenvolver o país.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Não questiono que o papel de empresa privada seja dar lucro.
O que questiono é essa mania BR de achar que, só porque a empresa é privada, automaticamente ela é exemplo de gestão e eficiência. E questiono nossa classe política que dá, a troco de pinga, obras públicas que custaram bilhões pra iniciativa privada.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Lucro = resultado. Resultado pode ser apurado de várias formas.

Empresa nasce para faturar. Vender. Se vai dar lucro é uma questão de sobrevivência.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Herança portuguesa. Amamos um gabinete.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Sabe sim.
É o sonho de 9 entre 10 brasileiros ter estabilidade eterna de emprego (em alguns casos realmente existe Post Mortem), possuir maior salário com menos pressão, benefícios intermináveis e a possibilidade de mandar um superior para aquele lugar amparado pela proteção sindical.
Sabemos sim…

Last edited 1 mês atrás by MMerlin
Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Salário de 70 mil para diretor.

Em uma audiência na Câmara…um deputado federal perguntou a um diretor do Banco Rural se ele não tinha vergonha de receber 70 mil por mês de uma estatal para executar e destruir pequenas atividades leiteiras no NE.

Produtores de leite de cabra estavam sendo expropriados por deverem…300 reais…700 reais…190 reais.

O diretor de 70 mil riu.

Sequim
Sequim
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Em qual Brasil? Temos hoje umas das maiores taxas de desemprego da História. Tudo fruto da tragédia do coronovirus aliado a um (des)governo que só sabe abrir buracos no casco do navio.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
1 mês atrás

Quantos subnucs serão construídos, ou essa lenga-lenga toda é para construir um único submarino?

Camargoer
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Caro DF. A estrutura que está sendo construída permitira construir e operar vários SBN. O primeiro será o primeiro. Depois dele virá o segundo. Depois do segundo virá o terceiro. Sem o primeiro, não em segundo nem terceiro.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Boa. Um de cada vez.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Pensei que houvesse um plano para construir vários ao longo do tempo, tal como os Scorpènes.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

A história mostrou que temos capacidade para operar até 6 submarinos. Prontos. Aprestados.

É a vida.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Plano de longo prazo existe, até porque toda a infra-estrutura montada mais ou menos que habilita isso. Mas inicialmente em previsão só existe o primeiro. O que é perfeitamente natural. O primeiro passando em todos os testes de mar, adquirindo experiências, leva-se aos ajustes naturais de projeto, fazendo com que uma segunda unidade e posterior fabricação de mais unidades em uma nova classe, torne-se não apenas possível, como desejável.

Mas sabe como é… a decisão disso não está nas minhas mãos, claro hehehehe

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Isso é minha preocupação, um projeto que já tem metade da vida de um ser humano, tinha que ter ao menos uma projeção de novas unidades num determinado período de tempo, ao menos 4. Fazer 1 agora e outro 40 anos depois é idiotice.

Felipe Augusto Batista
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Com certeza. Fazer um agora e outro 40 anos depois é jogar o conhecimento por água abaixo. Mas o primeiro é praticamente um protótipo. Só existiu um USS Nautilus, testaram viram o que funcionava e o que precisava melhorar e partiram para uma nova classe de submarinos com os conhecimentos adquiridos, o mesmo com o CVN Enterprise, só foi feito um de sua classe, e depois desenvolveram uma nova. Imagino que será o mesmo com o nosso. Imagine se já tivessem encomendado 4 como o Scorpene. Após colocar o primeiro na água e começarem os testes de mar descobrem uma… Read more »

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Felipe Augusto Batista
1 mês atrás

Precisa separar.

O esforço da CNEN+Ipen é dos anos passados. A reportagem da Veja nos anos 1980.

Mas…governos não enxergaram adiante. Presidentes não foram críveis na aceitação da pulsão pela morte. A guerra faz parte de nós desde Gilgamesh.

O contrato com os franceses é recente (2008) e empoderou o esforço marinheiropeniano. Grana.

Quando a Marinha+Ipen tiveram os recursos…está aí. Recompensa e reconhecimento.

Da grana pra essa gente e redescobrem o país.

Camargoer
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Caro DF. O ProSub tem 11 anos.

Flanker
Flanker
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O Prosub, sim….há ums 10/11 anos. Mas, a ideia, a intenção, os estudos, os projetos, os desenvolvimentos para um sub nuclear para a MB, começaram há uns 40 anos, sim. Ká passou muita água sob essa ponte …..e muito dinheiro tb…..

Camargoer
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Olá DF. O ProSub prevê a construção de 4 SBR e do SN10, além da construção da nova base de submarinos, do estaleiro e do Labgene. O programa já completou praticamente 2/3 dos objetivos. Ainda falta homologar o Labgene, construir o complexo radiológio em Itaguaí e construir o SN10. O SN10 deslocará 6 mil ton, praticamente três vezes maior que um SBR. Eu estimei o custo de fabricação em torno de 2 a 2,5 vezes o custo de um SBR. Assim como a MB tem até 2024 para contratar um segundo lote de FCT para manter a cadência de fabricação… Read more »

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Mestre, Oráculo Mestre.

O CEO da Natura disse que eles estão preparados para tempos difíceis. Que o ano de 21 será medonho.

O PN publicou a tanga da ThyssenKrupp na Alemanha sendo fatiada e…dos nossos contratos tamandarescos cada vez mais indianos.

Teremos que nos acostumar com masala na feijoada?

Camargoer
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Olá Esteves, o beato Salú. Em outro momento comentei que programas militares como o ProSub, FCT, F39E/F são mais longos que ciclos políticos que costumam ser mais longos que ciclos econômicos. Acredito que 2021 e 2022 serão anos difíceis economicamente mas também serão o saída da pandemia. Um frentista de posto de gasolina não conseguirá aproveitar as oportunidades. A vaidade restringe a inteligência.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Deus deu a ele 4 filhos e 1 economista.

Deus realmente escreve torto por linhas retas.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
1 mês atrás

Nos anos 1970/80/90/2000…

O Brasil teve 2 milhões de economistas por metro quadrado.

Hoje só tem o Posto Ipiranga.

Quem tem 1 não tem nem 1.

Nilo
Nilo
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Escrever rápido minha internet caindo.
Esteves TBM – Camargoer – SJ1, desculpe se deixei alguém de fora.
Obrigado por elevar o nível da pauta em discussão.
Esteves aceito a vírgula em reconhecimento ao papel dos engenheiros do Ipen e CNEN no desenvolvimento de
 Engenharia de Materiais, Metalúrgica, Energia Nuclear, Saúde, Radiações, Materiais, Tecnologia Química e Meio Ambiente, Lasers, Energias Sustentáveis …
O Prosub agregou ganhos ao Ipen e CNEN.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Parabéns a vocês empreendedores da ciência, da tecnologia, do conhecimento e de todos os esforços que resultaram nesse centro de excelência resumido em poucas letras.

A Marinha do Brasil…grande admiração pela visão.

Somados somos invencíveis.

Caio
Caio
1 mês atrás

De todo esse empreendimento do nosso submarino nuclear pelo menos, ganhamos know-how para algumas “palavras nucleares” para “dialogar” com os donos do mundo.

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Vamo que vamo !

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

O agente da CIA já deve ter feito o serviço a essa altura: “aqui meu garoto, corta um fiozinho lá, solta um parafuso, só isso”. 20 milhões pingando na conta do cara no outro dia. VLS 2.0

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

O Simplicio é de Itú. O Simplório é de todos os lugares. A empresa que forneceria as baterias para o PROSUB foi embora. Disseram que a vida estava dura. Você…apoia um governo tipo liberal centro esquerda meio elitista. Esse governo apoiado em demandas populares elege gastos populistas como prioridades constitucionais reduzindo investimentos em ciência e tecnologia porque, afinal de contas, o país precisa de educação e saúde básicos. Descobrimos que 50% dos alunos das escolas públicas não tem acesso ao mundo digital. Podem enviar nudes. E basta. Bora lá. Elege um governo tipo centro direita meio ufanista. Esse chega falando… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Esteves The Block Man
1 mês atrás

Segundo o diagrama de Nolan, liberais são de direita. Esquerda e liberalismo não combinam.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

O Brasil é imprevisível.

sj1
sj1
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

E dizer que 20 anos depois ainda tem quem acredite na tese da sabotagem… realmente o governo da época sabia o que estava fazendo quando disseminou esse boato pra se eximir pelo fracasso e vidas perdidas resultantes da falta de aporte financeiro no programa.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  sj1
1 mês atrás

Aquele sabotador clássico dos filmes hollywoodianos…esse não.

O congressista alimentado pelo lobista…

Edésio Mendes
Edésio Mendes
1 mês atrás

Tecnologia tem custo e anda a passos lentos. Quantos destas pessoas é formada em Física, Química, Engenheiro Aero espacial, Engenheiro Naval, Mecatrônica, Programação de Software, para terem soluções tão prática e criticar tudo. Gostam tanto de esculachar o que é do Brasil e não incentiva a produção própria, nunca pensa na nação e sim no bolso(egoísta). Vivem brigando por partido político e se morrerem o máximo que pode acontecer é usar sua morte para ganhar votos e se manter no poder. Acompanho esta trilogia há cinco anos e tenho aprendido muita coisa com as reportagens e sempre tem um que… Read more »

Claudio
Claudio
1 mês atrás

Uma crítica e uma pergunta a trilogia, porque o excesso de publicidade nas páginas ?
Cara tive que usar adblock browser pra não tampar a tela de tanta propaganda

sj1
sj1
Reply to  Claudio
1 mês atrás

A coisa tá feia.. matérias a cada 3 dias, anúncios a cada minuto…

Roberto Santos
Roberto Santos
1 mês atrás

Agora foi que fizeram isso ? Oxe, faz mais de 20 anos que escuto essa lenga lenga

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Ótima notícia.
Só espero que algum almirante “gênio” utilize criptografia, Chips etc de empresas controladas pela CIA, Mossad e demais inteligências estrangeiras.
Lá atrás eu já vinha alertando sobre isso no programa SGDC, pois temos a Cryptus que inclusive anunciou um chip nacional.
Mas como sempre fui zombado, escolachado etc.
Vejam que está com a razão agora!

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

O Esteves é testemunha. Zombado e ainda mandavam ir estudar.

CRSOV
CRSOV
1 mês atrás

Daqui a 50 anos veremos nosso primeiro submarino nuclear navegando !!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  CRSOV
1 mês atrás

E olhe lá !

Igor
Igor
1 mês atrás
Luiz Floriano Alves
Reply to  Igor
1 mês atrás

Se não temos como vender submarubos, não podemos montar um universo de produção para seis exemplares. Que é a bossa capacidade de absorver, na frota. Temos que copiar os grandes construtores. Vender para as republicas de bananas que querem submarino, apenas para justificar seus almirantados.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Se o Japão teve a iniciativa de atualizar seu projeto da classe Soryu, porque o nosso pessoal técnico não tem como reavaliar o Scorpene?, da mesma forma. O Japão removeu o equipamento AIP, eis que o banco de baterias de Litio Ion proporciona maior velocidade, mais tempo de submersão e menos ruído. Taiwan está começando a construção de umaa série de oito submarinos. Já possuem submarinos holandeses e americanos, muito antigos. Operam barcos de 30 anos, ou mais. Não podem se dar ao luxo de baixar esses bercos. A assisstencia técnica vai modernizar esses projeto. A conferir.