segunda-feira, março 1, 2021

Saab Naval

Submarino Riachuelo realiza mergulho dinâmico e atinge profundidade de manobra

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O submarino Riachuelo – S40 realizou no dia 27 de novembro seu primeiro mergulho dinâmico.

Dando prosseguimento aos testes de mar, o primeiro submarino classe “Scorpène” fabricado no Brasil também atingiu sua profundidade de manobra.

O êxito nos testes é resultado de mais uma década de cooperação e transferência de tecnologia entre o Naval Group, a Marinha do Brasil e a ICN – Itaguaí Construções Navais .

- Advertisement -

126 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
126 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tutu

Lembra uma mini Los Angeles.

Tutu

Um*

Paulo

A pintura já muito desgastada.

Paulo

Galante, quando da cerimônia de entrega não estava pintado? Ou o farão quando da entrega para o operacional da MB?

Jean Jardino

Estranho ir para o mar sem pintura, nao eh normal isso.

Junior

Pelo visto, os indianos deixaram para pintar totalmente o seu só depois de completar todos os testes

India’s 1st Scorpene Submarine In Sea Trials – YouTube

Joao

O fato é que não pintaram ou tá desgastada a pintura. É um questionamento interessante saber pq está sem pintura. O Galante talvez saiba informar.

Last edited 2 meses atrás by Joao
Leandro Costa

Imagino que se devido aos testes for constatado que necessite fazer alguma mudança, não vai ser preciso se preocupar com a remoção da pintura ou de ter que pintá-lo novamente.

Satyricon

O nome disso é primer,
É um anti-oxidante

Joao

Pois é, segundo o Caiafa, a pintura do Riachuelo está queimada por causa do Sol. Conclusão tirada na recente visita a Itaguaí. Podemos chamar isso de desgaste?

Fernando "Nunão" De Martini

Em todo post do Riachuelo é feita a pergunta da pintura. Nada contra a curiosidade e o questionamento, muito pelo contrário. Mas sugiro verem comentários dos posts anteriores.

Esteves

Virou viral.

F35 no Atlântico, Phalanx no Atlântico, Osprey no Atlântico (esse culpa dos editores).

Agora é a tinta do Riachuelo.

Fernando "Nunão" De Martini

Tem o viral do radar Artisan também, que falaram que seria degradado no nosso porta-phalanx, quer dizer, no nosso porta-astros 2020, ou melhor, porta-helicópteros, digo, navio-aeródromo multipropósito.

Marcelo Andrade

Esqueceu das OHP , tem fetiche aqui para todos os gostos!

Starlord

Só digo uma coisa, que maquina linda!!!!

Saldanha da Gama

2!!!!!

PACRF

Esse é um projeto de defesa do Brasil que está dando certo e parece estar dentro do cronograma, apesar das rusgas que o atual governo tem com a França.

Esteves

Contrato. Santo contrato.

EduardoSP

Na verdade está bem atrasado em relação ao cronograma original, de 2007 ou 2008, se não me engano.

Vicente Araujo

umas 10 embarcações dessas faria qualquer capitão de uma possível esquadra agressora pensar duas vezes antes de querer fazer uma incursão em águas Brasileiras!

Saldanha da Gama

2!!!!

DOUGLAS TARGINO

E esse seu número é realmente o que precisamos de mínimo (além de umas 4 nucleares para poder ficar mais tempo em mar).

Camargoer

Caro Vicente. Um SBR custa algo em torno de meio bilhão de dólares. A MB tem 5 IKL Tupi aguardando concluir o PMG por algo em entre US$ 150 e US$ 200 milhões. A MB tem a chance de operar uma frota de 9 submarinos convencionais por uma fração do que seria gasto com um quinto SBR

Esteves

Mestre,

Temos 5 IKL em PMG? Um dos motivos para assinar com a T foram os offsets que incluiriam periscópios e alças. Contratamos?

Se bem recordo…pela leitura recente…salvaríamos 1 IKL para somar aos 4 Scorpenes. Talvez 2.

9…não sei não.

Camargoer

Caro Esteves. O que escrevi é que sai mais barato concluir o PMG dos cinco IKL Tupi do que contratar a fabricação de um quinto SBR. Se a MB vai fazer, depende menos do frentista do posto da esquina que do almirantado. Aliás, postinho sem vergonha com gasolina adulterada.

Esteves

Quando o Esteves vai até Araraquara abastece no posto da usina local. O rendimento é 30% a 40% maior. Eu acho que não existem mais meios (peças, máquinas, componentes, reposição) para realizar um plano de manutenção geral nesses submarinos. Talvez atualização. Manter 4 ou 5 submarinos aprestados e no estado da arte…quando a conta do PMG chega…eu não vi o Excel, mas assumo que 1 novo é melhor que 4 ou 5 reformados. Mas…o estado geral dos ânimos com os franceses…não temos grana para contratar mais outro…contrato bom precisa de pai justo… Mestre…cadê o plano econômico dessa gente? 2021 está… Read more »

Camargoer

Caro Esteves. Concordo que um novo será melhor que alguns usados. Se for um nuclear novo será melhor que muitos usados. Eu só abasteço com gasolina, isso aumenta a autonomia (aliás, estive semana passada no IPEN, faço o bate-volta com um tanque de gasolina). De onde menos se espera é de lá que nada sai… o plano é esperar as coisas se arrumarem sozinhas, custe o que custar. Operação Avestruz.

Esteves

rsrsrs…

Nao fosse a pandemia o que seria dessa gente?

Camargoer

Caro Esteves. Quem não entende de cozinha desanda até gelatina. Não fosse a pandemia seria outra coisa….deixar exame de Covid perder a validade em plena pandemia…. a explicação parece aula do Prof. Raimundo…”a gente deixou vencer porque sabia que a validade não vale”. Coisa de doido que coloca a máscara acima do nariz ao invés de cobrir a boca.

nonato

Alberto Fernandes mandam lembranças.
Contar com aliados no Brasil é importante…
Sempre criando factoides em.benefício da turma de Maduro…

Dalton

Camargo, o “Tupi” passou “recentemente” pelo último “PMG” que o permitirá continuar ativo até 2024, prolongar a vida dele para além disso não parece muito vantajoso.
.
Outros 2 o “Tamoio” e o “Tikuna” deverão retornar ao serviço no próximo ano, então, segundo foi informado aqui no “PN” há dúvidas quanto ao “Timbira” e ao “Tapajó”, que poderão ser retirados do inventário precocemente caso não haja fundos para seus respectivos períodos de manutenção.

Marujo

O Tupi pode ser mantido operacional após 2024. Taiwan ainda usa Guppys.

Dalton

Taiwan não tinha alternativas Marujo e segundo o que li ambos possuem limitações como por exemplo, quanto a profundidade que podem ir, velocidade, tempo que permanecem no mar, etc.
.
Com novos submarinos a caminho e problemas de “caixa” estender ainda mais a vida do “Tupi” para além de 35 anos não parece bom negócio e/ou exequível.

ednardo curisco

taiwan tem um teatro de operações muito pequeno. Praticamente só o entorno das ilhas.

e como a ameaça é o dragão, até bacamarte serve, porque uma guerra ali é conflito total

Alfredo Araujo

Pois é… ótima observação!
Trago como exemplo, também, o caso da Coréia do Norte. Os mesmos operam pencas de mini-submarinos… Apesar de existir dúvidas quanto ao valor bélico dos mesmos, teoricamente, eles só precisariam patrulhar uma pequena porção de mar… Uma exigência bem pequena, em relação a autonomia de mar…

Last edited 2 meses atrás by Alfredo Araujo
ednardo curisco

Noruega tem vários navios de pequeno porte para combater costeiro e nos fiordes.

A lição da 2gg explica isso.

Já os EUA, penso que a força deles não é para defesa de costa. é para missões além mar mesmo.

Teropode

Pois é , derrepente passamos a pensar como a USNAVY , descartando equipamentos que poderiam exercer funções em áreas costeiras , servindo inclusive para adestrar tripulantes , …

Salim

Concordo com sua visão Camargoer, seria o mais sensato e produtivo.

Teropode

Eu também concordo , só não vou dizer para não alimentar mais ainda o ego dele 🤣🤣🤣🙏🙏🙏🙏🙏, neste caso específico .

Camargoer

Olá T. Pode alimentar sim… ele é bonzinho, nunca morde a mão de quem o alimenta… mas é valente em proteger o dono. Ai vira uma fera (riso).

Diego

Ou não, se o armamento não funcionar por falta de apoio e sobressalentes…
Ideal seria fazer ao menos o sistema de combate e armamento nacionais

Saldanha da Gama

Nós somos privilegiados, acompanhamos a longa gestação deste projeto, nasceu e estamos vendo se desenvolver, testando suas habilidades, já que vem de um ótimo DNA. Que venham muitos mais, o orgulho e emoção enchendo o peito, salve o BRASIL, salve a gloriosa MARINHA BRASILEIRA!

Esteves

Marinha do Brasil.

Fabio Araujo

Boa notícia, não vejo a hora de ter os testes de armas no mar!

Last edited 2 meses atrás by Fabio Araujo
Jef2020

Ola amigo…essa é a cereja do bolo e todos estão de olho!!! Será que o alvo servirá alem de alvo para o riachuelo tb para o mansup??? Acho bem provável que a marinha teste os 2 sistemas de uma unica vez!!! Ja faz tempo que ocorreu o ultimo teste do mansup e outro ja deve estar a caminho…

Fábio de Souza

Linda embarcação !!!

Nilson

Ótima notícia. Alguém poderia explicar ao leigo qual é a profundidade de manobra?

Fabio Araujo

Já fabricamos três modelos de submarinos europeus, sendo que um U-209 nós modificamos a ponto de ser outra tipo e os scorpennes também modificados, e estamos construindo a partir de um projeto diesel-elétrico modificado o nosso submarino nuclear, isso não é pouca coisa, parabéns à Marinha!

Esteves

Montamos. Não fabricamos. Não construímos.

Um novo recomeço. Novamente.

Fabio Araujo

Fabricamos, os módulos estão sendo fabricados aqui, são enviadas e montadas no estaleiro na base, isso é um avanço importante pois a tecnologia foi repassada por isso pagamos caro!

Nilson

Pois é, Fábio, com certeza é um grande avanço o estágio do ProSub convencional, a discussão é como fazer para não perder (de novo) a tecnologia obtida por caríssimo processo de transferência. Vamos torcer para a MB conseguir alguma solução para não a perdermos (de novo).

Esteves

Não tem transferência nada. Tem pagamentos pelos direitos de uso.

Essa história de transferência…igual ao KC390 que produzimos os assentos. E a Coca-Cola…ops, essa também cobra direitos.

Cadillac

“Não tem transferência nada. Tem pagamentos pelos direitos de uso.
Essa história de transferência…igual ao KC390 que produzimos os assentos. E a Coca-Cola…ops, essa também cobra direitos.”

Aí vc falou um monte de m****

Esteves

Só tem 1 jeito. Seguir fazendo.

Se parar, desaprendeu.

Esteves

No último salão do automóvel aqui entrevistaram o presidente da Hyundai que no Brasil divide-se entre as operações da CAOACHERY e da Hyundai em Piracicaba que produz o HB20 e o Creta. O CEO da Hyundai quis deixar claro que aqui somos montadores. Eletrônica, mecânica e direitos vem da Coréia. E retornam no formato de royalties. Com os Scorpenes é assim também. Compramos os direitos de montar 4+1. Pagamos e pagaremos aos proprietários dos direitos industriais. Se desejarmos montar mais 2…tem que assinar contrato para mais 2…baterias, MEP, calotas, periscópios, alças…começa tudo novamente. Até o aço que disseram que seria… Read more »

Parabellum

Apesar de sermos enorme fornecedor de minério de ferro, somos fracos em siderurgia. Nem a lâmina de barbear é feita aqui.

Esteves

A empresa dona das patentes da lâmina é francesa.

Também.

Esteves

Um dos problemas é que não dispomos de reservas de carvão mineral usado na produção das ligas de aço.

Fernando "Nunão" De Martini

Esteves, você já leu e comentou inúmeras matérias sobre o Prosub, e sabe que não é só montagem. As seções do casco, as estruturas, um monte de coisas são fabricadas em processos de corte, conformação, usinagem, solda, enfim, etapas de fabricação a partir da matéria prima de chapas de aço. E falando em aço, não sei de onde vocês tiram que o Brasil é fraco em aço. Aqui é produzido mais aço do que o consumo nacional. Apenas uma parcela das necessidades em ligas específicas é importada, além de compras em que o preço seja vantajoso. Mas para um consumo… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Esteves

Salve Doutor Fernando, Tudo bem com vocês? Família, Uspianos, editores? Doutor, Uma indústria metalúrgica de montagem também corta e dobra chapas de aço. As montadoras de automóveis compram o aço em bobinas ou em lâminas. A etapa seguinte é a prensa para cortar e dobrar. Depois monta e solda. Isso é manufatura. Pode incluir robô nos processos de solda…eficiente nos ponteamentos mas, necessários de revisão se forem soldas de arame tipo MIG, TIG ou TAG. Aqueles soldadores que aparecem nas matérias que vocês publicaram usam solda de arame. Precisa tatear depois que solda. E olhar. Soldadores experientes. Aquela prensa de… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“ As montadoras de automóveis compram o aço em bobinas ou em lâminas. A etapa seguinte é a prensa para cortar e dobrar. Depois monta e solda.” Esteves, tudo bem por aqui. E com você? Montadora é um termo que vem desde a primeira implantação de indústrias de veículos no Brasil, ainda na década de 1920, quando basicamente foram inplantadas linhas de montagem para partes mandadas em kits (o famoso CKD) fabricadas fora do país. Num tempo em que o transporte marítimo de veiculos completos estava muito longe das facilidades de hoje, era muito mais econômico mandar as partes encaixotadas… Read more »

Esteves

Doutor, O Doutor entra acelerado. Tem bastante material sobre o aço HY e seu uso nas construções navais. Assim como suas substituições já que essas HY como a HY80 que usamos no PROSUB requerem custos elevados no processo de soldagem. Quem inventou essas ligas para blindagem? A Krupp. Esse tipo de aço como também o aço carbono precisam estar limpos e isentos de poeira ou haverão problemas com as soldas de arame. Lembro dos soldadores ponteando as chapas com solda de eletrodo. Quem soldava com MIG usava uma escova na outra mão. Parece que existem alternativas para essas ligas HY.… Read more »

Ted

Sem falar que o sujeito desconhece as jazidas de carvão mineral em Santa Catarina

Esteves

Olha…

Esteves não vai mexer nesse assunto de aço, ligas de aço.

O Esteves sabe que não somos competitivos e não temos capacidade para produzir certas ligas como o HY100.

Jazida de carvão mineral tem na esquina. E?

Saber da composição das ligas e se nosso carvão mineral tem volume e aproveitamento para aços…Esteves não vai procurar não.

Hoje é dia de ler o Tarot.

Fernando "Nunão" De Martini

Quando acabar o Tarot, pode começar por aqui, mas há inúmeras outras fontes:

https://acobrasil.org.br/site/wp-content/uploads/2020/04/Mini_anuario_2020_completo.pdf

Sem tempo pra buscar outras agora.

Gabriel BR

Você teve acesso aos contratos do Prosub?!
Ou é só suposições da sua cabeça ?

Esteves

Tem um buscador lá em cima.

A série sobre o PROSUB que o PN produziu é um dos melhores trabalhos jornalísticos realizados por quem entende de Defesa.

Pablo Maroka

Zerado e com cheiro de fabrica.

Gilson

essas imagens ja rodou o mundo e só agora é divulgada aqui.

John Paul Jones

A gente não consegue nem manter o Riachuelo pintado decentemente …., quanto mais ter 10 SBR kkkkk

Compara a pintura do Riachuelo com os Scorpenes do Chile e India em teste, ou a cor mudou para o Cinza ou tá desbotando a olhos vistos …

Jef2020

Ola amigo…vc acha que um sub impoe respeito pelo polimento e pintura ou pelo que ele entrega?? A pintura fica pra depois sem problema nenhum…

Sagaz

Como é da turma da lacração, devia querer que ele fosse rosa…

John Paul Jones

O Sagaz, já que vc acha que eu quero rosa envia a foto do brioco da tua irmã para eu ver o tom rosa dela ….

Esteves

É cada uma. Não terminou os testes, ainda não foi aceito e já querem pintar de amarelo.

Que coisa.

John Paul Jones

Também acho mas em 30 anos de submarino nunca vi um SB desbotar em menos de dois anos, no lançamento a pintura estava nova, o que eu quero comentar me parece a baixa qualidade dessa tinta da Naval Group.

Jef2020

Ola amigo…se vc procurar nas primeiras imagens do sub riachuelo em inicio dos ensaios esse clareamento ja estava presente…se observar com atenção nessa foto atual ainda se observa partes com o tom ainda mais escuro.. pode ser que seja em consequencia da propria maresia + sol…mas enfim não é nada que devemos nos preocupar, mas sim que ele seja aprovado em todos os ensaios…até porque é um baita sub com tecnologia de ponta…e no final isso que é importante né

Last edited 2 meses atrás by Jef2020
Aridyvan Santos

Impressão minha ou esqueceram de pintar a parte de cima do submarino?

ednardo curisco

Como está em testes, e nesta fase, a pintura iria até dificultar o acesso a diversos componentes que eles precisam checar . Pode ver que carros em fase de testes também só são pintados depois que a fábrica aprova o bicho

Jef2020

Lindo submarino…pelo que tudo indica a MB acertou em cheio nesse projeto!!! Concordo com comentarios aqui feitos destacando o poder de dissuasão que seria obtido com um maior numero de submarinos!!! É na minha opinião a principal ferramenta de dissuasão em uma marinha devido a dificuldade de detecção dele durante um conflito…pode paralisar toda uma forca de ataque enquanto não for localizado e destruido…seria a favor de se tiver que priorizar entre novo lote do prosub ou as novas fragatas Tamandaré escolheria a primeira opção…sei da urgencia de termos tb as novas fragatas mais se tivessemos um numero maior de… Read more »

OSEIAS

Um programa militar de bilhões e os maiores engenheiros em construção de submarinos reclamando da pintura. É pra caba. Isso é um sub não é uma lula que dispara tinta!

ednardo curisco

kkkkkkkkkkkkk

Luiz Floriano Alves

Boa notícia. Breve incorpora na MB. Agora é uma oportunidade para conferir a assinatura acústica. Se for como dizem os indianos teremos que colocar revestimento acústico.

Esteves
rommelqe

O revestimento acústico é uma padrão adotado em todos os submarinos no mundo. Claro que cada qual com suas caracterísiticas e, certamente, seus segredos, Sómente são aplicados após os testes de comissionamento iniciais, e mesmo assim sobre o revestimento de proteção anti corrosão (pintura) que ainda não foi executada para não prejudicar as inspeções pós ensaios na estrutura.. Como é o caso atual do Riachuelo…. Ah, notar que certamente uma série de futuros ensaios também terá a função de verificar a eficácia do revestimento acústico; normalmente os revestimentos não mudam a assinatura sônica propriamente dita, mas sim a intensidade (… Read more »

Esteves

Arial…Arial.

Isso é do tempo das máquinas de escrever.

Marcelo Baptista

né não, a gente usa no computador também, hehe

rommelqe

É que ele esteves no passado, escrevendo com uma tal de máquina de estrever Remington….rsrsrsrsr

Marcelo Baptista

Ou Olivetti, kkkkk.

marcos r

Me parece que o problema dos indianos foi a baixa qualidade da mao de obra do estaleiro local que executou os trabalhos.

alexandre de barros barboza

Eu não sou do meio, mas mesmo sendo um ignorante naval me parece óbvio que o acabamento de uma grande estrutura de milhares de toneladas, que terá que resistir ao contato com água salgada,é um pouco diferente da pintura de um Renault Kwid…..

Zorann

Excelente noticia

Gabriel

Rapaz, tem um povo aqui complicado.

O cara se depara com uma mulher linda, cheirosa e sexy.

O que ele repara? na cor das unhas!

Ai fica difícil.

Esteves

Os sapatos também são importantes.

rommelqe

A pintura é como a roupa….há quem prefira que se apresente sem…..pelo menos em algumas ocasiões, certo? Afinal a embarcação em testes está em plena lua de mel, certo?

Esteves

Essa gente quer dormir com a mulher sem namorar.

Tempos modernos. Juventude.

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Esteves

Vi submarinos japoneses levando hidroaviões.

carvalho2008

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Cinturão de Orion

Parabéns (e obrigado), Carvalho 2008!

Sempre nos brindando com “bom” conhecimento.

Esteves

Não pode comentar nada que Mestre Carvalho vai buscar a solução.

Que ódio.

Carvalho2008

Rzrzrzr….

À miniaturização das coisas trouxe os drones. Agora existem o Loitering Munitions que nada mais são que drones suicidas….os subs começarão a ficar repletos deles. Pode demorar um pouco porque os modelos atuais de subs são mesmo aqueles não nucleares, estrategicos e caros, mas logo logo vão surgir modelos mais baratos e simples focados para aplicações de outras armas que nao sejam apenas torpedos e misseis estrategicos

M65

Estas fotos parecem de um filme que via na Sessão da tarde na adolescência. Só não lembro o nome.

Esteves

Deve ser Anáguas a Bordo. 1959.

https://youtu.be/0jmXnrFxj8M

Leandro Costa

Excelente filme.

Esteves

Terra do drama.

Ta pintado? Tem torpedo? É da China? É de Oxford? Pica?

É um submarino. Uma arma de guerra. Presta pra afundar navios inimigos. Serve pra matar gente.

É um tubo. Feio pra caramba.

Welington S.

Fazer umas perguntas aqui…

Como é feito uma esquadra? Existe um número exato de embarcações?
.
Suponhamos que a MB faça acontecer a tão sonhada segunda esquadra. A mesma quantidade de embarcações da primeira esquadra também deverá ser a mesma na segunda ou a quantidade e modelos variam muito?

Camargoer

Caro Wellington. Atualmente, uma segunda esquadra pode ser uma organização virtual. assim como a primeira. Ela é organizada com os meios que forem necessários. Ela não precisa ter necessariamente uma frota física fixa mas precisa ter o comando e a rede de comunicação ativa. Para cada missão, a segunda ou primeira frota podem ser reforçadas com determinados meios no número necessário e disponível. Por exemplo, a frota de submarinos pode ter sua administração/operação independente do resto da MB, mas quando solicitado, ela forneceria os meios disponíveis para compor uma determinada “força-tareda” ou “esquadra”. Creio que a FAB faz isso com… Read more »

Parabellum

Certamente, a formação de uma FT depende da dinâmica do combate e, é claro, do valor do inimigo. Sem dúvida um moderno sub, ainda que diesel-elétrico é uma forma de negação do mar. No caso dos 2 IKL que estão na reserva eu faria o seguinte: 1) criar uma fábrica de baterias da MB, pois este é um ítem vital, assim como são as munições navais. Isto evitaria aquisições ofensivas desta indústria com a finalidade de impedir a produção local, 2) faria uma remotorização M1A1. Nada muito espatacular ou caro . 3) empregaria estes 2 subs para treinamento, patrulha e… Read more »

Welington S.

Obrigado Camargoer. Tirou minhas dúvidas!

Camargoer

Olá W. Sou quem quem agradece pela amizade.

Gabriel BR

Vive le Brésil et vive la France

Lobo

Bem, parece que para entregar faltam só os testes de subsistemas de combate, disparo de armas , umas 10 mãos de tinta e arrancar fora os equipamentos da Crypto AG.

rommelqe

Caro Floriano, Voltando um pouco à assinatura sônica  referida aos submarinos. Logicamente, sabemos que a “assinatura” no caso refere-se às perturbações que o submarino ativamente induz no meio aquoso e que, por suas particularidades, podem identificar qual  é e onde se encontra o emissor. Não confundir com os ecos de resposta de sonares ativos emitidos por naves inimigas, cujas ondas também são atenuadas pelo tal de revestimento sobre o qual estamos falando. Voltando à assinatura, a mesma pode ser composta por nome e sobrenomes, englobando desde sons de baixa intensidade e erráticos emitidos (tais como uma tubulação mecanicamente mal isolada… Read more »

rommelqe

Perdão, “Excelentes centros de pesquisa “…

filipe

A Venezuela tem os dias contados… Força MB, Bravu Zulu…

EduardoSP

Finalmente!
Primeiro mergulho dinâmico depois de 2 anos do lançamento ao mar. O presidente era Michel Temer e a primeira dama Marcela Temer.

Luiz Floriano Alves

Rommelque

Agradeço a gentileza de sua atençõ ao meu comentário. Não quero entrar nos detalhes da situação acustica do Scorpene. A minha curiosidade é referente a procedencia da queixa da Marinha Indiana. Os americanos se gabem de seus Subs, ao adotarem o logo: Run Deep, Run Silent. Ao mesmo tempo vejo os japoneses colocarem barreiras acústicas nos seus submarinos da classe Soryu. São casos que levei em consideração ao abordar o assunto. Não duvido da capacidade da MB, que bem conheço. Muita manutenção fiz nos submarinos e barcos da MB quando trabalhei nas oficinas do Porto de Rio Grande. Abraço.

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Doutrina de engajamento da US Navy contra submarinos inimigos

A doutrina de Guerra Antissubmarino (ASW) da US Navy (Marinha dos EUA) prioriza a destruição dos submarinos de um...
- Advertisement -
- Advertisement -