quinta-feira, maio 13, 2021

Saab Naval

Chile vai receber mísseis SM-2 Block IIIA para suas fragatas classe ‘Adelaide’

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O Departamento de Estado dos EUA aprovou o pedido do Chile para comprar mísseis Standard Missile-2 (SM-2) Block IIIA da Raytheon.

O contrato está estimado em US$ 85 milhões e cobriria 16 mísseis SM-2 Block IIIA, 2 seções de orientação MK 89 Mod 0; e 1 kit de dispositivo de detecção de alvo MK 45 Mod 14 e suporte relacionado.

Esta venda apoiaria as capacidades de guerra antiaérea do Chile para as duas fragatas da classe Adelaide recentemente transferidas para a Marinha do Chile, disse um comunicado da Agência de Cooperação para a Segurança da Defesa (DSCA).

As fragatas Melbourne (FFG 05) e Newcastle (FFG 06) foram oficialmente transferidas pela Austrália para o Chile em abril de 2020. Polônia e Grécia também expressaram sua intenção de comprar os navios de guerra, que estão relativamente em boas condições técnicas.

Ambos os navios foram adquiridos no âmbito do programa Puente IV do Chile para substituir as duas fragatas da classe Jacob van Heemskerck ex-Marinha Real da Holanda, construídas em meados da década de 1980 e compradas pelo Chile em 2005.

O SM-2 Block IIIA

O míssil SM-2 Block IIIA tem velocidade de Mach 3.5, alcance de 90 milhas náuticas (167 km) e pode atingir alvos até 24.400 (80.100 pés) metros de altitude.

Ele foi projetado especificamente para o Sistema de Combate Aegis e o sistema de lançamento vertical Mk41. Os mísseis Block III diferem dos blocos anteriores pela adição do dispositivo de detecção de alvo MK 45 MOD 9, para melhor desempenho contra alvos de baixa altitude.

O míssil Block IIIB possui adicionalmente um buscador semi-ativo/infravermelho duplo para homing terminal. O buscador duplo destina-se ao uso em ambientes com alto ECM, contra alvos no horizonte ou com uma pequena seção transversal de radar.

O seeker foi originalmente desenvolvido para o míssil ar-ar AIM-7R Sparrow cancelado. Todos os mísseis USN Block III e IIIA devem ser atualizados para Block IIIB.

Os mísseis Block IIIA são operados pela Força Marítima de Autodefesa Japonesa em seus destróieres Aegis classe “Kongō” e classe “Atago”. Os navios equipados com Aegis nas marinhas espanhola e sul-coreana também o utilizam.

Fragatas Almirante Latorre FFG-14 e Capitão Prat FFG-11 da classe “Adelaide”

Lançador Mk.13 para mísseis Standard das fragatas OHP e Adelaide
Lançador Mk.13 para mísseis Standard das fragatas Adelaide e Oliver Hazard Perry

Míssil SM-2 Block IIIA
Míssil SM-2 Block IIIA

Armamento da fragata classe Adelaide

VÍDEO: Lançamento de míssil Standard SM-1 MR por fragata OHP da US Navy em 1995

- Advertisement -

321 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
321 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zorann

Não sei se vieram mísseis junto com a compra dos navios da Austrália. Eles tem só estes 16? Mas de qualquer forma, é uma boa notícia para o Chile.

São navios nais capazes do que qualquer escolta que a marinha brasileira possua.

Vovozao

06/02/2021 – sábado, btarde, Zorann, quando do recebimento das Adelaides pelo Chile, postei que o Brasil estava perdendo uma grande oportunidade de podermos contar com duas fragatas muito bem armadas, com otimas atualizações. Porém, os ESPECIALISTAS, simplesmente criticaram, dizendo que eram sucatas e alem de tudo estariam desdentadas. Preferem que continuemos com as classes(N) e (G), completamente desatualizadas e quiçá ainda consigam sair das docas, sera que hoje temos mais de 3 que estejam ainda operacionais???? Dificil dizer trata-se de segredo???

Alexandre

Vovozão, o chile ainda não comprou esses misseis, apenas houve uma autorização de venda. Então, essas fragatas estão desdentadas e continuarão assim até o chile comprar, a fabrica entregar e ocorrer a integração dos mesmo, conte ai uns 3 anos ou mais nesse processo.
É bom dizer que o chile tem hoje apenas 6 fragatas operacionais, porque uma está em testes no mar e outra esta´docada.

Flanker

Apenas 6 fragatas….hummmm….e, dessas 6, qual delas é pior que qualquer uma das escoltas brasileiras??? Das nossas 9 escoltas, quantas estão operacionais??? Qual delas tem, ou vai ter, um míssil com a capacidade e alcance dos SM-2 Block3A???

Alexandre

Penso que as fragatas niteroi estão melhor equipadas que a fragata tipe22 com seus misseis bakak 1 e tem desempenho semelhante as fragatas classe M com seus misseis sea sparrow. Veja, além dos misseis ASPIDES 2000 terem desempenho um pouco melhor, temos um sonar de casco mais moderno, uma defesa de ponto muito superior e helicópteros orgânicos também superiores .Essas fragatas chilenas citadas só levam vantagem no míssil anti navio, porque no caso, tem mais alcance. Na verdade, a grande realidade é que, das 8 fragatas chilenas, só 5 tem helicóptero orgânico, 3 delas não tem, e aí eu pergunto,… Read more »

Flanker

Cara, eu já coloquei minha opinião em vários comentários aqui. Se vc quer continuar pensando que a MB está tão bem assim, ótimo. Um abraço.

Alexandre
Vovozao

06/02/2021 – sábado – bnoite, Alexandre, não entendi, seria este o unico armamento disponivel???? Então os Chilenos realmente estão com 2 fragatas desdentadas; e, para complementar hoje chilenos com 6 fragatas OPERACIONAIS, e a MB???? Segredo de estado, se não me engano, sempre só participam 3; cade as outras, fazem parte do patrimônio só para constar…..hoje dos 7 submarinos que possuimos (nesta conta entram 2 Riachuelos ja lançados); somente o TUPI esta operacional…. que adianta. So para o patrimonio, não ha condicoes de utilizar num prazo inferior a 4 meses, e ate la?????

Alexandre

Boa noite vovozão, é isso mesmo, o chile pagou 70 milhões por duas fragatas desdentadas, só para vc entender, essas duas fragatas completamente armadas, teria um custo de mais ou menos 500 milhões de dólares só com as armas.
O fato de termos alguns submarinos em PMG, não quer dizer que não temos os ativos. Na verdade, ninguém sabe a disponibilidade verdadeira de outras marinhas da região e que pode ser muito pior que a nossa.

Glasquis7

As Fragatas chegaram ao Chile com seus respectivos armamentos. Estes mísseis são pra reposição de estoques.

Tem quem não consegue reconhecer isso por que vê uma ofensa pra sim no progresso dos outros.

Estas Fragatas foram compradas em uma negociação Governo a Governo e os valores envolvidos nesta operação são informações clasificada.

Sabe-se apenas que antes, estes navios foram oferecidos a Grécia por um valor de 180 milhões de euros sem armamento.

Esse papo de que foram vendidas por 70 milhões é lorota.

Alexandre

A verdade sempre é clara, em toda mídia chilena, se noticiou o preço de 70 milhões de dólares por essas duas fragatas, mais precisamente , foram 60 milhões, porque 10 milhões serviu para o treinamento do pessoal chileno nos meses que estiveram na Austrália.
Aqui uma das tantas matérias em meios chilenos sobre isso.
https://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/chile/2020/04/24/revelan-que-armada-pago-70-millones-de-dolares-a-australia-por-dos-fragatas-usadas.shtml

Rudi PY3TO

Isso que é MARINHA DE GUERRA….e não, marinha de guerra

Last edited 3 meses atrás by Rudi PY3TO
Joao Moita Jr

O Brasil nem marinha de guerra tem mais. A infelicidade é que tirando os subs, o que existe é uma guarda costeira, e mesmo assim minúscula para o tamanho do pais.

Zorann

Devemos ter 1 ou 2 submarinos operacionais…. Não dá para contar com os novos, que ainda vão entrar em serviço e que demorarão alguns anos até estarem plenamente operacionais.

Foxtrot

Até para se tornar uma guarda costeira, nossa marinha precisa melhorar muito.

MMerlin

E sabe o que é pior? O almirantado nem isto enxerga. Se fosse diferente, a MB já estaria se mobilizando, nem que fosse a nível de projeto.

Gelson

Pois é, e mesmo assim ainda se lê comentários defendendo esta situação completamente absurda. Tudo conforme o regulamento (ou a lei), segundo os próprios!?
É tão ridículo que chega-se a perder o interesse pelo assunto. Difícil é saber que a manutenção dessa instituição provém de dinheiro muito suado de gente honesta e que realmente pensa e deseja viver num país melhor.

Marcelo Andrade

Gerson, eu sou um que defendo sim a MB. Estamos tentando correr atras do tempo perdido. Qual país na região tem um Programa como o PROSUB? Ou um F-39, KC-390? Quanto às escoltas, estas também vão sair. E estamos no meio de uma pandemia!!! Temos é que parar de bater palmas para os outros e ver as nossas necessidades , o nosso TO. Não estou tapnado o sol com a peneira, estamos atrasados e muito!! Mas é impressionante a qunatidade de entusiastas (eu acho) que denigram nossas FFAA sem nenhum fundamento!! Se a MB estivesse comprando navios usados, iriam reclamar… Read more »

Gelson

Sim, Marcelo! Sei, sei…logo ali adiante a MB vai ter uma força poderosa e vai poder cumprir com todas as suas missões constitucionais. Nesse dia eu mudo meu nome para “Cryptus AG”. Que vergonha! Esse país é uma verdadeira desgraça. Bato palmas sim para as nações que levam esse assunto (defesa) à sério mesmo tendo tantos ou até mais problemas do que o Brasil – e bem menos dinheiro disponível. Me admiro que tenha algumas almas que venham aqui defender esta instituição (só podem estar defendendo o seu próprio soldo). Tem-se que apurar responsabilidades e imputar as devidas penas, assim… Read more »

Alexandre

Perfeito, essas mesmas pessoas que hoje falam que as fragatas Tamandaré não serão fabricadas, são as mesmas que diziam isso mesmo sobre os Gripens, Astros , Kc 390, Blindados iveco, etc,etc…

Marcelo Andrade

Caramba! Que medo do Chile!!! O Brasil está construindo submarinos e vamos contruir nossas escoltas, armadas com misseis Sea Captor, mas tem gente que sempre acha que a grama do vizinho é mais verde…. !! Calma pessoal, demora mas sai!! O Peru é que tem que se preocupar!!

JuggerBR

Vamos? Ainda durante nossa existência humana? Melhor desmobilizar a MB, gastar os recursos com coisas mais efetivas, porque marinha sem barco não é marinha…No máximo Iate Clube.

Marcos

Cai por terra a falácia dos chilenos do “Razon y Fuerza” de que um lote de 180 mísseis foram cedidos pela Austrália

16 mísseis, parabéns aos chilenos. E vamos ver se a compra vai ser efetivada mesmo, lembro dos ESSM que não foi pra frente

Last edited 3 meses atrás by Marcos
Alexandre

Exatamente Marcos, também falei que essas fragatas vieram desdentadas, pagaram 70 milhões de dólares por 2 adelaides, valor igual ao que a Marinha do Brasil pagou por alguns kits de modernização dos torpedos mk 46. Cai por terra o forum razion y fuerza e a lorota de outros chilenos. Agora veja, apenas 16 misseis SM 2, e como vc lembrou, nenhum ESSM, que foram aprovados para o chile, mas nunca foi finalizada a venda. Vamos acompanhar para ver se o chile terá condições de pagar 85 milhões por esses poucos misseis sm2, valor maior que o valor pago pelas 2… Read more »

Welington S.

Ou seja, a Marinha do Chile também está enfrentando problemas. Se a ESSM não foi efetiva, não devemos esperar muito desses mísseis que, há qualquer momento, a situação, pode mudar pro lado dos chilenos. Agora com essa questão da pandemia que dificultou com muita coisa, as forças armadas da AL vão passar por problemas orçamentários.

Alexandre

Isso mesmo, veja que hoje está sendo noticiado outro quebra quebra nas ruas do chile. Eles estão em pé de guerra desde 2019. Imagina agora com a pandemia.

Welington S.

Complicado, né? Se está difícil para o Chile, imagine para a Argentina. Os russos estão oferecendo de tudo. Oferecer é muito fácil, o difícil é adquirir e manter o que foi escolhido. Eu fico me perguntando: Se a Argentina está com dificuldade de manter os poucos caças que possuem, como podem então manter caças russos? Ainda mais se tratando de Sukhoi e Mig? É complicado. A nova agora que estou vendo é sobre o Mirafe F-1M, que seria uma possiblidade para a Força Aérea Argentina. ( https://www.zona-militar.com/2021/02/06/mirage-f-1m-de-una-posibilidad-para-la-fuerza-aerea-argentina-a-agresores-de-draken-international/ ). Agora, apesar dos problemas orçamentários que temos, conseguimos nos manter, mesmo na… Read more »

Fernando C. Vidoto

Mirage f1 é fim de feira.

Sobre as Falklands digo uma coisa: General Belgrano.

Os Argies colhem o que plantam

Last edited 3 meses atrás by Fernando C. Vidoto
Alexandre

Amigo, não vá na conversa desse chileno, o que ele fala, não se escreve, mostro agora o site oficial da Armada chilena, que foi atualizado a pouco tempo, veja as características das fragatas classe M com mísseis sea sparrow. É simplesmente lamentável que pessoas venham aqui num site sério fazer desinformação.
Mas gostaria muito de ver a fonte que diz que essas fragatas tem mísseis ESSM, seria muito proveitoso para o debate.
Mas não creio que o site da armada chilena esteja mentindo!
https://www.armada.cl/armada/unidades-navales/superficie/fragatas/ff-15-almirante-blanco-encalada/2014-04-15/155932.html

Glasquis7

O Chile usa ESSM nas M Class. É o armamento padrão dessa fragata.

Quem diz que não tem fala apenas por ufanismo.

Miguel

M’s também usam Exocet MM40 B3C

não se esqueça disso, alguém da vizinhança mantém em posse deles, centinela…eu digo Alexander?

Alexandre

De que adianta ter missil exocet mm40bk3 se não tem meios aéreos suficiente para fazer designação do alvo além do horizonte?
E se usar os poucos que tem, serão abatidos por nossos caças A4!
Nós aqui na vizinhança mantemos posse de misseis harpoons AGM bk2 com 280km de alcance, ou seja, 100km a mais que esses do chile, não se esqueça disso, sentinela… eu digo miguel?

Alexandre
Flanker

As oito fragatas chilenas são melhores que qualquer fragata ou corveta brasileira! A frota de superfície da MB é uma vergonha…um país desse tamanho e com uma economia dessas, possuir uma Marinha nessas condições?? Quanto aos mísseis, o alcance do CAAM/Sea Ceptor é de quantos km? E o alcance do SM-2 BlockIIIA é de quantos km? Antes de falar mal da Marinha do Chile, temos que olhar para a situação vergonhosa, vexatória, da MB!!!

Ted

Quem libera recursos para as forças armadas são os políticos e não os militares. Este descaso vem de longe.

Zorann

Os militares não liberam recursos, mas torram como bem entendem.

A questão não é falta de grana. Não reclame disso que é passar vergonha.

Amaury

Recursos? O orçamento da Defesa só perde para Saúde e Educação. O que falta não é verba. É gestão e vergonha na cara

Agnelo

Concordo!
Os Forças Armadas cumprem tarefas q em outros países são, por exemplo, do Transporte do Desenvolvimento Regional e da Justiça, e deveriam receber recursos destes para tal!
Além disso, pensionistas, ex-combatentes e dependentes e anistiados também não deveriam contar notoriamente da Defesa, como nos outros países!
Absurdo!!!

Agnelo

Notoriamente = no orçamento

Flanker

Exatamente! Querem que as FFAA façam todas as missões aacessórias, todas as campanhas de vacinação, transporte de urnas eletrônicas, construção de estradas, ações de saúde, etc, etc, etc….então que essa dinheiro saia dos ministérios correspondentes! Pensionistas, etc, etc, deveriam passar para outro fundo de pensão ou mesmo para o INSS…..Concordo contigo, Agnelo.

Agnelo

O GF acabou com o fundo de pensão militar, e jogou pro orçamento. Virou Brasilia-DF.

Glasquis7

Ma pra que comprar médios de defesa se com A 4 armados com bombas acauã e mísseis Harpoon é suficiente segundo o especialista do fórum.

Só não sei como os A4 da MB conseguiram operar com Harpoon mas o especialista deve ter informações especiais só te o assunto.

Alexandre

Tem matéria aqui no site sobre a integração desses misseis nos caças A4 modernizados.
O que não tem aqui é matéria sobre radar AESA em caça chileno, um especialista de teclado chileno afirmou isso em 2017!
Mas para fazer defesa aérea contra a armada do chile, nossos A4 só precisam do canhão de 20mm, afinal, para que mais que isso para derrubar um P3 orion, ou um C295 persuader, ou um helicóptero Super puma?

Alexandre

Na verdade. é difícil para algumas pessoas, aceitarem a realidade, um missil SM 2 tem pouco mais de 160 km de alcance, é o máximo da defesa aérea dos mesmos, e isso quando comprarem. Já um caça A4 tem um raio de combate de cerca de 1000km, isso sem fazer reabastecimento em voo!
Se fizer REVO, um caça A4 pode estar presente em todo o Atlântico, e aí, eu quero ver se alguma marinha aqui da região tem peito para entrar no atlântico com um P3 ou um helicóptero qualquer para fazer guerra anti submarina ou anti navio!

Alexandre

Primeiro é bom esperar que a armada do chile compre os misseis SM2, depois vc vem aqui e faz comparação, porque no momento amigo, as fragatas do chile, que custaram apenas 70 milhões, estão sem qualquer armamento. Eu prefiro uma Niteroi com 2 canhões de 40 mm e mísseis ASPIDE 2000 para defesa aérea que uma fragata com BARAK 1 e canhões de 30 mm ou mesmo mísseis sea sparrow e canhão de 30mm também. Aqui abro um parêntese, porque, ao contrário do vc disse sobre os sea ceptor, as fragatas T23 armadas com os misseis Sea ceptor, são as… Read more »

Flanker

Meu caro, eu não discuto mais isso……se para ti a MB está tão bem assim, deixa quieto.

Glasquis 7

Vc tem que levar em conta as frustrações. Imagina que um cara um dia disse que os F 16 Chilenos não tinham radar, nem misseis, que os leopard do Chile não estabam operativos assim como os submarinos. Que a Argentina invadia sempre o Chile, que os torpedos chilenos voltam contra o próprio submarino, em fim. ão os traumas de um indivíduo que tem traumas contra o Chile e utiliza o forum como válvula de escape pra seu despeito.

Traumas assim são difíceis de tratar.

Alexandre
Miguel

aliás, como o SM2, o Chile já é um usuário CAMM … mísseis ao vivo, em fragatas operacionais … todos integrados ao asmar talcahuano

Alexandre

Mostre a fonte chileno, porque no site oficial da marinha do chile não fala nada sobre ESSM. Mas como bom chileno, vc faz igual ao outro, e nao aceita a realidade que foi mostrada aqui nesse mesmo site sobre uma compra de 650 milhões de dólares para uma suposta modernização dos velhos caças F 16 MLU, que hoje não em INS, GPS, radio criptografado, mira no capacete ou radar AESA, ele simplesmente não aceita isso e não explica o motivo do chile querer gastar tanto dinheiro em coisas banais que deveriam estar operacionais em todo F 16 da Fach. É… Read more »

Alexandre
Zorann

Lógico que o Chile enfrenta problemas de grana. Quem não os enfrenta? A questão é que eles gastam 6 vezes menos que a gente e tem uma marinha muito melhor e a muitos anos. Sempre estão um passo a frente. Só completando seu comentário mais acima: não se trata de ter submarinos passando por PMG, trata-se de ter submarinos parados a 4, 5 anos, com tripulação que não sabe mais o que é mar, esperando PMG que não vai vir. Tem muito navio da marinha aí que não vê mar a mais de uma década!! fico imaginando o nível destas… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Zorann
Dalton

Por outro lado durante quase 10 anos a marinha enviou navios para capitanear a força marítima da UNIFIL no Líbano ,4 das Niterois a “Barroso” revezando-se e em uma ocasião um dos Navios Patrulha Oceânicos que foi levar peças para uma fragata e a substituiu por um curto período de tempo. . Não estou tentando “dourar a pílula”, mas, “PMG” de submarino deixou de ser crítico por conta de 4 submarinos ainda mais capazes estarem em construção, uma nova base, um novo navio de salvamento e espera-se o primeiro de um pequeno esquadrão de submarinos “nucleares” para ´daqui 10 anos… Read more »

Slow

A nossa é muito boa né ? Olha a nossa marinha e vc ainda quer criticar o Chile ? Brasil pais mais rico e maior da América do Sul não faz nem o minimo que é ter uma marinha decente e vc ainda quer criticar o Chile ?

Marcelo Andrade

Tá e o PROSUB é no Chile ou aqui? As Fragatas Tamandaré é lá ou aqui? Sou um entusiasta do Chile, mas menos né…

Glasquis 7

A matéria trata da ARCh não da MB. Não vejo o por que vc quer fazer essse tipo de comparação. Lembre que o PROSUB fornecerá à MB uma clase de submarinos que o Chile opera ha 15 anos. E as Tamandaré estão no papel, assim como as fragatas Chilenas de construção local. Então não vejo vantagem na sua colocação. O Slow se refere ao momento atual e neste momento o Chile opera 8 Fragatas, (Uma docada pra conclusão da integração do sistemas e do CAMM, o mesmo que as Tamandaré pretendem). Também tem que entender que cada país tem as… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Glasquis 7
Fernando Turatti

Dois navios da marinha chilena terão mais defesa antiaérea do que, literalmente, todas as forças armadas brasileiras somadas.
E continuarão tendo mesmo após as fraguetas Tamandaré chegarem.

Alexandre

Terão ou não, não custa lembrar que em 2017 foi liberada a venda de misseis ESSM para o chile, e recentemente foi liberada uma modernização mequetrefe para os F 16, no entanto, o chile não concluiu a negociação nos dois casos por falta de dinheiro. Então a liberação desses poucos misseis pelo governo americano, não quer dizer que o chile poderá finalizar a compra. Vamos aguardar, mas desde já digo, 16 misseis não dá para fazer muita coisa não, principalmente quando sabemos que os sistemas de combate dessas adelaides não são preparados para um ataque de saturação.

Fernando Turatti

Se 16 mísseis de longo alcance não fazem verão, pensa só que o Brasil inteiro não tem um só sistema de médio ou longo alcance.

Alexandre

Super trunfo amigo? um sistema de defesa para ser de longo alcance precisa de um sistema OHT de qualidade, isso significa muitos aviões AEW, de patrulha e helicópteros com essa capacidade. Quem não tem essas capacidades em quantidade e qualidade, ficará sempre restrito ao horizonte radar.

Fernando Turatti

Conta pra mim quais os nossos mísseis antiaéreos com um alcance maior do que o horizonte de radar das Adelaide e os helicópteros da armada chilena, por favor.

Alexandre

Não precisamos de misseis com alcance maior que o horizonte radar, basta vc entender que um míssil anti navio só é detectado a mais ou menos 15 km do alvo, ou seja, de que adianta vc ter um missil com mais de 100km se vc só vai detectar o alvo quando ele estiver a 15 km de seu navio? Se o alvo for um caça inimigo, certamente ele vai voar próximo do mar para se esconder no horizonte radar. Quanto aos helicópteros do chile, que são 5 apenas, ou seja, não completa nem as 8 fragatas do chile. E que… Read more »

Bosco

Alexandre, Um míssil classe Exocet é detectado mais longe, cerca de 25 km. Mas eu entendo seu raciocínio, mas não funciona assim. Um míssil com alcance de 167 km tem condições de negar um imenso volume do espaço aéreo ao inimigo e ele se verá obrigado a voar/operar num volume de espaço que não seria o de sua escolha. Ou seja, um míssil de defesa de área tem o potencial de negar a inciativa de forma plena ao inimigo. Um exemplo é que o inimigo não poderá usar bombas guiadas para atacar o navio. Um míssil de defesa de área… Read more »

Alexandre

Concordo com vc Bosco, mas hoje , com misseis como harpoon(280km), exocet AM 39(70 km), já presentes nas nossas forças e até mesmo as novas Spice recentemente anunciadas com 150km de alcance, faz com e um sistema SM 2 não seja tão decisivo. Acho que a capacidade de lidar com um ataque de saturação mais importante, e nesse quesito, os sea ceptor são superiores a esses SM2 instalado nas adelaides.

Bosco

Sem dúvida o sistema Sea Ceptor é mais avançado no que diz respeito à autodefesa pelos motivos que você citou, mas isso não afasta a imensa utilidade de navios dotados de capacidade de defesa de área.

Glasquis7

O Navio com sistema de defesa antiaerea de zona nega espaço aéreo ao seu adversário impedindo que este posa empregar seus belos embarcados pra adquirir o alvo. Uma fragata armada com um míssil antinavio com alcance de 59, 70, 100 ou mais Km. Será inútil ao não poder utilizar seu belo para ampliar seu horizonte radar. É aí que um míssil com 165 km de alcance mostra a sua utilidade. Impede que o inimigo utilice seus médios de ampliação de horizonte e com isso torna inviável o ataque. A situação é a mesma pra ataques aéreos, o SM2 nega espaço… Read more »

Bosco

Concordo Glasquis! Só acho que um sistema de míssil de defesa de área (ou zona, como queira) tem potencial para “dificultar” o emprego de meios que possam ampliar a designação de alvos, já que o inimigo sempre pode buscar a proteção se escondendo abaixo do horizonte radar.
O meio que tem potencial de impedir de fato o uso do espaço aéreo é o porta-aviões com sua ala aérea.

Alexandre

Exatamente Bosco, ou então caças usando bases aéreas em terra, como é o caso da Marinha do Brasil. Apesar de algumas pessoas desmerecerem esses caças, mas podemos afirmar que numa guerra contra marinhas da região, os A4 garantiriam que nenhum avião ou helicóptero de patrulha, de guerra anti submarina ou anti navio voassem aqui pelo atlântico impunemente. E ai fica a pergunta, como fazer um ataque além do horizonte ou anti submarino se vc não pode colocar uma aeronave para voar com segurança? Qual a chance de um P3, ou um c295 Persuader ou um helicóptero Super puma contra um… Read more »

Miguel

ponto interessante, agora me explique como vai passar a primeira camada de SM2, depois CAMM e ESSM, depois Barak 1 … tudo isso sem contar ECM e que você pode obter de volta um exocet MM40 BIIIC ou um arpão … ou um AM39 de pumas ou SM39 de scorpene … scorpene que treina dia a dia com barcos com sonar anaconda ou 2087 ou Spherion … até albatroz …
por favor sua ajuda para entender

Glasquis 7

Por favor, não continue. O cara vai pirar. Ele não tem embasamento técnico a não ser um ódio traumático contra o Chile. Não perca seu tempo.

KKK

Alexandre

Primeiro de tudo, chile não tem SM2 e ESSM. Em segundo lugar, barak 1 é obsoleto. Em terceiro lugar , ECM de 6 fragatas contra o ECCM de: 6 caças A4, 9 aviões P3 orion, 6 helicópteros Sea Hawk, 8 helicópteros super lynx, 2 aviões C 295 persuader e mais 12 aviões P 111 modernizados, fora os 5 aviões E 99 e 3 aviões R 99! É sério isso ? Em quarto lugar, receber um contra ataque de exocet ou harpoon como chileno? Como vc poderia penetrar uma defesa AA composta por misseis ASPIDE 2000 , cerca de 12 canhões… Read more »

Alexandre

Vcs chilenos vão pirar, kkkkkk

Marcelo Andrade

Vai ter amigo, aguarde!!

Miguel

E diga-me, que país da América pode realizar um ataque de saturação que pode derrotar o Escuadra de Chile?
Quer dizer, fora do Canadá e dos EUA.

a verdade? NINGUÉM.

Alexandre

O Brasil com certeza, pois temos 9 aviões P3 Orion e compramos 20 misseis harpoon.
Então chileno, 20 misseis de uma só vez, é um ataque de saturação!
Talvez a Venezela tb possa, pois tem mísseis anti navio integrados em seus caças Su 30, só não sei a quantidade.
Uma coisa é certa, o chile não tem capacidade de fazer um ataque por saturação!
e os chilenos choram por causa disso, kkkkkk

Miguel

claro, eles também têm o X fighter, certo? a verdade é que os orions brasileiros se chegarem ao Chile … não vão embora, as nasams e excalibur se divertirão muito com esses brancos deliciosos … o A4? a sério? contra um F16? … embora sejamos bons … contra um Tiger III? você vê possibilidades? aí você perde imediatamente aqueles arpões e o que quer que o a4 tenha ligado … e as fragatas … nenhuma delas atracou no porto afundou? e na capacidade de defesa e ataque do nosso time, talvez você esteja interessado em ler algo “oficial” amigo, toma… Read more »

Alexandre

Chileno, é verdade que vc disse que um P 3 orion não chega no chile? kkkkkkkkk Entenda chileno, um P 3 orion chega em qualquer ponto da américa do Sul, mas nem precisa entrar no espaço aéreo do chile, porque os harpoons que equipam esses mísseis, tem 280km de alcance. Então, saindo de rio branco no Acre, que fica a 1200 km de Iquique ou de Antofagasta, que são as bases aéreas dos F 16 no chile(cerca de 20 deles em cada), nossos P3 só precisariam voar mais ou menos 900 km para lançar essas armas, ainda em espaço aéreo… Read more »

Flanker

A FAB possui 8 P-3AM completos. O nono é usado para treinamento e não para missões operacionais. E desses 8, quantos estão operacionais, tendo já realizado a revitalização das asas? Os P-95M são 8, não 12. Dos 7 submarinos, só 1 está operacional. Mesmo que algum almirante ou brigadeiro enlouquecesse, mesmo assim ele não lançaria 20 Harpoon de uma vez só! Você acha que missões antinavio são feitos para serem usados em ataques de saturação??? E mesmo com toda essa papagaiada super trunfo, como vc imagina uma guerra naval entre Chile e Brasil? Nós vamos lá ou eles vem aqui??… Read more »

Alexandre

A FAB possui 9 aviões P 3 orion modernizados, um é usado para treinamento, se não me engano, na base aérea de Salvador, mas que pode ser colocado em uso normal numa guerra. Os P 111 eram um pouco mais de 80, alguns foram retirados e sobraram 50, e destes, 10 estão sendo modernizados. Muito superior ao chile que conta com apenas 2 orion, 2 persuader e 3 P 111 no geral. Dos 7 submarinos, um scorpene praticamente já finalizou suas provas de mar, devendo ser incorporado até mês que vem. Um tupi está plenamente operacional, outros dois estão esperando… Read more »

Welington S.

Só em seus sonhos, amigo.

Fernando Turatti

Por favor, me dê exemplos de defesas AA no Brasil. Vamos aos fatos.

Alexandre

Vc está esquecendo dos ASPIDES 2000 e dos sea wolf na nossa Marinha?

Fernando Turatti

Você nunca leu sobre os dois e nem sobre o SM-2 né?

Alexandre

Vc pediu exemplos de defesa AA na nossa marinha, ou não pediu?

Ted

Né. Né. Né. Né. Trejeitos desnecessários. Foco no debate

Juarez

Os Sea Wolf estão vencidos e inoperantes.

Alexandre

Será? não tenho certeza disso, poderia mostrar a fonte?

Welington S.

Não preciso. O próprio amigo ai lhe deu um baita de um exemplo, rs.

Glasquis 7

Sim, Sea Wolf.

Alexandre

Tem vídeo de sea wolf disparando das nossas fragatas, o que não tem é vídeo de ESSM ou de SM 2 disparando de fragatas chilenas, não é verdade Welington?

Glasquis7

Terão não, tém. O único armamento que foi retirado dessas fragatas são os Phalanx e foi amplame te noticiado. Qualquer outra arma retirada também seria.

É por isso que o Chile solicitou manter o valor do negócio em segredo.

Dalton

O Chile tem como vizinho o Peru e isso tem que ser levado em conta. Provavelmente se o Brasil fizesse fronteira com um país com uma população bem maior, houvesse alguma rivalidade, etc, a situação das forças armadas
seria outra mesmo penalizando programas sociais.
.
Para o Chile compensa mais ter as duas fragatas que recentemente adquiriu
enquanto para o Brasil compensa mais ter uma robusta força de fuzileiros navais mais reservistas.

Fernando Turatti

Nossa situação atual já penaliza em 110 bilhões de reais por ano os programas sociais, ao passo em que não entrega nada nem próximo de países com gastos equivalentes.
Eu estaria feliz se nossos gastos hoje fossem baixos como nossa qualidade… Ou que nossa qualidade fosse alta como nossos gastos.

Palpatine

Perfeito

Dalton

Com um grau de percepção de ameaça maior, mais sacrifícios precisariam ser feitos e seriam feitos. . Admiro a marinha chilena e o bom custo x benefício, mas, no frigir dos ovos, trata-se de apenas de 8 principais combatentes de superfície e 4 submarinos e por conta de manutenções e revitalizações menos ainda estão certificados para missão e do outro lado da fronteira o Peru e a Bolívia sem falar que em 1978 Argentina e Chile por pouco não entraram em guerra, ou seja, é um histórico e tanto por lá. . Não me entenda mal, preferia que a marinha… Read more »

Gabriel

Parabéns pela excelente análise.

Poucos frequentadores do Blog conseguem pensar com uma visão macro, saindo do “super trunfo”.

Glasquis7

Os combatentes de superfície do Chile são 11. Além deles tem mais dos em reserva.

Dalton

Oito principais combatentes, 1 T-22, 3 T-23, 2 “M” e agora 2 “Adelaides”.
.
Quanto a navios na reserva só se a marinha chilena for diferente das demais que não incluem no inventário e não investem pesadamente para reativação em caso de necessidade, além do mais, navios na reserva não impedem o desgaste dos poucos que estão na ativa.

Glasquis7

Os combatentes de superfície do Chile são 11. 8 Fragatas, 3 SAAR V e conta com duas L Class em reserva até 2022.

Sobre desgaste de médios, até às Fragatas L Class dadas de baixa no Chile, são de construção mais recente que as Niterói.

Dalton

Glasquis…a maioria das marinhas classifica seus navios como pequenos e grandes combatentes ou principais e secundários, estou referindo-me aos principais que são 8 na ativa. . Alguma vez a marinha chilena reativou algo da reserva ? A US Navy até pouco tempo atrás tinha o “Kitty Hawk” na reserva, que segundo li não estava sendo bem mantido e no fim das contas não foi reativado, nem mesmo para aliviar o peso dos demais por conta do atraso na entrega do “Gerald Ford” que ainda não está certificado. . O que importa é o que está na “ativa” mesmo assim a… Read more »

Glasquis7

“alguma vez a Marinha do Chile reativou algo da reserva…” Sim, já foram reativados médios de reserva pra prevenção de ataques. Em 1975 a ARCh assim como a FACh e o ECh reativaram material da reserva e até material dado de Baixa pra enfrentar uma invasão peruana a território Chileno. Está ameaça latente se manteve até 1978 quando Argentina depois de pedir laudo arbitral sobre as ilhas do Canal do beagle, ignorou o a sentença e pensou em tomar as ilhas à força. Também teve que ser reativado material de reserva inclusive, militares da reserva foram reiterados. Antes disso, em… Read more »

Alexandre

Dalton, pelo raciocínio do rapaz aí, podemos dizer que temos porta aviões, quem sabe não montamos a segunda frota com ele e com os outros navios que já deram baixa!

Glasquis7

Os navios em disposição da ARCh na atualidade estão todos em condições de combate. Os 4 Submarinos passaram por suas respectivas PMG e Modernizaões até o ano 2020. O único combatente de superfície que se encontra em modernização atualmente é uma Fragata Type 23 que está instalando sistemas e o CAMM. Só um detalhe. Os PMG no Chile não demoram 10 anos. Além disso, os médios de patrulha Oceânica do Chile tem menos de 10 anos a exceção do Piloto Pardo. É a vantagem de construir e manter localmente em vez de comprar com TOT pra que uma empresa estrangeira… Read more »

Marcos

“pra que uma empresa estrangeira venha construir na tua casa”

Estão vindo 1500 alemães construir os navios. Vamos contratar 1000 chilenos com experiência em construir fragatas e corvetas

“Scorpene produzidos por DCNS em solo Brasileiro.”

Foi construído por 3 mil franceses em solo Brasileiro, todos recebendo em reais

Ted

Menos!

Glasquis7

Talvez seja bom vc dar uma olhada no artigo que notícia que a thyssenkrupp comprou a Oceana, aquele estaleiro que vai construir as Tamandaré.

TOT da thyssenkrupp pra ela mesma.

Wilson Look

De todos os estaleiros do short list, apenas o Oceana, não tinha algum tipo de ligação com a empresa líder, a Ficantieri iria usar um estaleiro dela aqui no Brasil, o Wilson Sons já trabalha com a Damen a mais de 20 anos e a Naval Group estava com o Enseada que parte pertence a Odebrecht, empresa que já trabalha com a Naval Group no Prosub.

Pode-se dizer que somente os candidatos que escolheram o AMRJ que não teria como algo assim acontecer.

Glasquis 7

Não tinha, vc postou certo, não tinha… agora não apenas tem ligação como também é propriedade da thyssenkrupp.

Alexandre

Tot de Alemão para Alemão? como assim? dá um pulo na Helibrás, na Ares, no estaleiro da Fincantieri e procura alguém falando Alemão, italiano ou hebraíco.
Todos esses receberam tot de suas matrizes!
No entanto, quem recebeu as tot foram os Brasileiros.

Dalton

Então eu não entendo nada de marinha, porque o que sei é que sempre há navios em treinamento, navios em manutenção de rotina além de revitalizações. . Duvido que a marinha chilena tenha munição para todos os seus navios e submarinos…nem a US Navy tem. . Quanto a comparações com a marinha brasileira não discuto que a disponibilidade dos meios chilenos seja maior porque compreendo e li sobre isso até em revistas estrangeiras que o grau de percepção de ameaça é maior que o brasileiro, como escrevi mais acima. . Prefiro a marinha brasileira do jeito que está, do que… Read more »

Glasquis7

” duvido que a Marinha do Chile tenha munição para todos os seus navios e Submarinos” Aí já passa a ser achismo seu. Vc duvidar por duvidar é apenas isso, dúvida, a mesma coisa que “achar” e de achismos este fórum está cheio mas, não se faz uma força militar com achismos. Tem quem “acha” que os F 16 do Chile não tem mísseis,tem quem acha que as Fragatas Chilenas não tem armas, tem quem acha que os mísseis chilenos ficam estocados nós EEUU, tem até quem acha que tem que pedir permiso pra usar armamento americano. Em fim, que… Read more »

Funcionario da Comlurb

Já que você é tão sabichão, vai no dicionário Espanhol-Português que vai descobrir que a tradução de Armada é Marinha. O blog é em português. Portanto está correto sim escrever Marinha Chilena, mas sua habitual arrogância não permite, não é ?

Glasquis7

“Quanto a comparações com a Marinha brasileira…”

Aí já entra em conflito a compreensão de leitura pois, até aqui, eu não comparei a ARCh com a Marinha do Brasil.

É isso demostra certo ufanismo da sua parte pois, lê uma matéria jornalística e já se sente “atacado” com comparações que não fiz.

Alexandre

Dalton, discutir com esse chileno é bater palma pra doido dançar. Para ele, tudo nas forças chilenas é 100%, e no Brasil é zero, SQN. Ele já postou aqui na trilogia que os F16 do chile tinham radar AESA, isso em 2017, ele já disse que os KC 390, os scorpenes, os sistema ASTROS não existem, enquanto que no chile se fabrica tudo. Veja, ele acabou de dizer que os navios de patrulha oceânica do chile foram desenvolvidos pelo chile, e na verdade é um projeto Alemão que foi vendido ao chile e a Colômbia com transferência de tecnologia. O… Read more »

Miguel

amigo, o dia em que seu país colocar calças compridas insulta o meu ou seus habitantes.
a propósito, seu estilo de escrita … você não será peruano? você escreve tanto como um anti-chileno que enxameia a internet.

Então eu convido você a comentar sobre o lupos desatualizado …..

Glasquis 7

Não dé trela, o cara mente desesperadamente olha, acaba de dizer que eu postei isso: “Veja, ele acabou de dizer que os navios de patrulha oceânica do chile foram desenvolvidos pelo chile” Jamais postei isso. Todo mundo sabe que o Chile constrói OPV 80 da FASSMER. Todos conhecem a FASSMER. é o mesmo projeto que a Colômbia comprou. Entende o nível de ódio e xenofobia que o cara tem contra o Chile? Imagina que usa como fonte o Tomas Moschiati da Bio Bio, é como ter o programa do Ratinho para falar de assuntos militares. Percebe que o cara não… Read more »

Alexandre

Amigo, no dia que seu país vestir calças compridas, seus habitantes vão parar de tocar fogo nas ruas e nas estações de metrô.
Seria um orgulho comentar como um peruano, então eu convido vc a comentar em sites chilenos, porque aqui vc não se cria, saludos cordiales!

Salim

Caro mestre Dalton, Brasil gasta usd 25 bi ano com forças armadas, entre os dez maiores mundo. Brasileiros so tem a lamentar este gasto enorme ( porem necessario) com resultados ridículos indicando muita incopentencia ou corrupção pesada, pois em nenhuma das forcas estamos capacitados com equipamentos capazes e em quantidade suficiente para época paz relativa, face aos recursos gastos nestas forças. Fora o cabide empregos. Quanto ao nr fuzileiros, vejo que 25 mil fuzileiros sub armados e com equipamentos antiquados , quantidade insuficiente e sem navios para transporte e meio engana incauto, lembro também que Inglaterra tem oito mil fuzileiros… Read more »

Glasquis7

“vejo que 25 mil fuzileiros sub armados…”

Tenho entendido que o corpo de fuzileiros da MB é bem menor do que isso.

Dalton

Acredito que ele confundiu-se. Os fuzileiros dependendo da fonte estão na faixa de 16.000 .

sj1

Para projetar poder no País das Maravilhas…

Dalton

Se você acha que fuzileiro naval só serve para isso, tudo bem, mas, o Corpo de Fuzileiros Navais também pode complementar o exército contribuindo com uma força melhor treinada e motivada capaz de operar até mesmo na enorme bacia fluvial.
.
Na minha “ignorância” uma força robusta de fuzileiros navais mais reservistas se for necessário pode ser de melhor utilidade diante das necessidades brasileiras do que 3 fragatas, uma em manutenção, uma treinando e uma certificada.

Glasquis7

Me parece contraditória a sua argumentação. Por um lado diz que a falta de disponibilidade de médios é justificada e que não perde o sono com as ameaças. Por outro, justifica uma força de fuzileiros… Pra que se, segundo vc mesmo, as ameacas não justificam?

sj1

Se precisa de tropas de terra bem treinadas põe no Exército, lá é o lugar delas. Marinha é pra manter o inimigo longe da nossa costa..

Salim

Caro mestres Dalton. Tem site com 18000, porem no passado pesquisei e achei 25000, ainda sim e mais dobro fuzileiros ingleses e com falta de meios navais para transporte dos mesmos. O correto seria marinha focar em meios navais e ter uma força de fuzileiros bem menor ,capaz materialmente e treinada. Função fuzileiros e semelhante ao exercito, e um desvio de função que onera sobre maneira MB faltando recursos.

Alexandre

Os fuzileiros do chile, chamados de infantes, não passam de 5000 homens, e sem qualquer meio de desembarque blindado!

Dalton

Pois é…mas veja por exemplo que o HMS Queen Elizabeth não está embarcando nenhum avião da Royal Navy, metade será da RAF e a outra metade dos US Marines que também contribuirão com o pessoal de manutenção para o esquadrão americano e o destroyer americano que fará parte do “grupo” com todo respeito aos T-45s e T-23s é muito mais capaz. . Há outros exemplos que permitem uma Royal Navy mais enxuta, apesar da falta de pessoal, mas, não irei repetir-me. . A Royal Navy pode se dar ao luxo de ter menos fuzileiros porque opera diretamente com os EUA… Read more »

Pedro Bó

Permita-me discordar, mestre Dalton, mas entre as décadas de 1950 e 1980 o Brasil tinha a Argentina melhor armada aqui ao lado, extremamente populista e os movimentos brasileiros para contrabalançar o poderio naval da nação portenha eram tímidos. Nos anos 50 eles receberam Avro Lancasters e não tínhamos nada semelhante. Receberam F-86 enquanto a FAB ainda voava Meteors (salvo engano). No início dos anos oitenta tinham aviação naval embarcada, Type 42 com mísseis Sea Dart e novamente não tínhamos nada que equilibrasse o jogo. Só nos anos 70, com os Mirage III e F-5 é que tínhamos igualdade (talvez até… Read more »

Wilson Look

Apesar de ainda se considerar uma ameaça de invasão pela Argentina na época, isso já era menor do que em anos anteriores, a última ameaça real da Argentina é de 1906 ou 1907, quando o governo considerou invadir o sul do Brasil caso o Brasil não aceita-se a exigência argentina de ceder 1 dos novos encouraçados classe Minas Gerais a Argentina, mas esse plano caiu na imprensa e a população foi totalmente contra, derrubando um monte de gente do governo argentino. O período de maior superioridade da Argentina na região é de meados de 1920 e vai até perto de… Read more »

Leandro Costa

Qual era o efetivo do Exército Argentino ao longo desse tempo todo e qual era o efetivo do EB? OBS.: O fato de os Argentinos terem obtido Lancasters fez com que o Brasil chegasse à estudar a possibilidade de aquisição de B-29’s lá do deserto, mas imaginou-se com razão, que os Meteor conseguiriam interceptá-los tranquilamente, já que não teriam escolta caso viessem para o Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo os Sabre também tinham pernas curtas. De qualquer maneira, isso influenciou tanto que decidiu-se por dar o pontapé inicial na indústria aeronáutica Brasileira, primeiro se fabricando componentes para os Fokker… Read more »

Dalton

Discordar faz parte …mas…em que essa ” enorme” superioridade argentina afetou o Brasil ? Vou mais longe, poucos anos após o recebimento dos encouraçados Minas Gerais e São Paulo, os argentinos adquiriram dois considerados mais capazes e na década de 1930 à Argentina tinha cruzadores e contratorpedeiros de fazer inveja a nossa marinha. . Essa suposta superioridade argentina em algumas áreas, nas décadas que você mencionou pois em matéria de guerra anti submarina o Brasil estava melhor, não garantiria uma vitória sobre o Brasil , com um exército mais numeroso, maior número de reservistas, etc, etc. . O motivo dessa… Read more »

Vovozao

06/02/2021 – sábado, btarde, DALTON, voce foi um dos que criticaram quando eu postei que as Adelaides seriam uma otima aquisicao para a MB, ja que as que possuimos hoje são verdadeiras antiguidades e não sabemos se ainda estão operacionais??? Voce disse que não seriam interessantes para a MB, navios derivados das Perry’s, com muitos anos, fugiam o que a MB almeja, e, agora como sempre continuamos sem escoltas (hoje operacional so vejo 3 fragatas), nossas tao sonhadas fragetas será (repetindo será) comissionada ate 2025, operacional ate 2027???? E eu estarei bem mais velho porem verei ainda as Adelaides na… Read more »

Gabriel

Essa é a Diferença de quem tem conhecimento e argumento (Dalton) sobre o que fala e quem parece uma criança achando que está escolhendo brinquedo na prateleira.

Funcionario da Comlurb

X2!

Wilson Look

Eu também não considero esses navios como uma boa oportunidade para o Brasil, e vou dizer o porque. As 2 Adeilades estão entrando no lugar de 2 navios que na Armada chilena faziam a defesa aérea da frota, com misseis SM-1, e as Adeilades vão fazer a mesma coisa, só que com misseis SM-2.

O x da questão é que a missão desempenhada por esses navios, não é tão prioritária na MB quanto navios multifunção, como serão as Tamandaré, e sobre isso de tempo ao tempo.

Glasquis7

Amigo, a defesa antiaerea pretendida pelas Tamandaré era o CAMM de um alcance abaixo dos 30 km. O Mesmo das Fragatas Type 23 da ARCh.

As Fragatas Adelaide, assim como as L CLASS decomisionadas, cumprem a função de defesa antiaerea de zona com um alcance de 90 MN. São navios e funções inexistentes na America Latina.

Wilson Look

O que eu quis dizer é que no momento é mais importante para a MB ter navios multitarefas, sem uma especialização, do que buscar ter navios com alguma especialização, como é o caso das Adelaide.

Não é que o navio seja ruim, ou desnecessário, é que no momento tem outras prioridades maiores do que buscar um navio especializado em defesa aérea de área.

Glasquis7

Entendo. No caso da ARCh as prioridades são outras. Neste momento o Chile está mais preocupado em manter os seus médios pra não perder a sua capacidade de defesa. Isto por que tem conseguido manter vigentes seus navios de apoio e agora está iniciando o processo de renovação dos mesmos.

Estes navios foram adquiridos pra manter uma boa cobertura de defesa Antiaerea de Zona e manter as tripulações com suas doutrinas atualizadas.

Se sabe que terão capacidade de operar entre 18 a 20 anos mas se espera que sejam substituídos antes desse prazo com navios novos de construção local.

Miguel

multitarefa?

como a classe Adelaide, com spherion, albatroz e petrel? guerra submarina, anti-minas e anti-torpedo,

ou anti superfície, com o arpão

ou fogo de apoio naval, com Oto 76/62?

eu digo…

Wilson Look

O tipo de navio que a MB precisa, nesse momento, é a classe Tamandaré, poderiam até melhorar a quantidade de armas do navio, mas no geral é isso.

Uma deficiência, das Adelaides, isso é oriundo das OHP, é que tanto o SM-2 como o Harpoon são lançados do lançador Mark 13, isso leva a ter que escolher entre atacar um alvo de superfície ou a defesa aérea, não tem problema se tem outras escoltas operando junto, só que isso não seria o caso na Brasil, devido ao envelhecimento em massa da frota.

Alexandre

As adelaides que o chile comprou são tão boas, que todas as outras que a Austrália tinha, com quase a mesma idade, já foram pro saco. Inclusive uma dela serviu de alvo em exercícios !

Alexandre

Tem que esperar primeiro o chile comprar os SM2, depois esperar as entregas, para então dizer que tem deles nas adelaides.. Até lá, se for como no caso dos ESSM que o chile acabou não comprando, as fragatas adelaides já deram baixa!

Leandro Costa

Esses navios eram, e ainda são, uma péssima opção para o Brasil, Vovozão. São caríssimos de operar e manter e com a idade já avançada, vão requerer ainda mais manutenção. Se é para ficar com navios velhos, vamos com a logística que dominamos. Já temos quatro engatilhadas, e ficar gastando grana assim vai simplesmente matar as já baixas possibilidades de contratarmos novos lotes. Então é melhor sempre não ficar jogando contra.

Glasquis7

Sem dúvidas são navios com seus anos de operação mas, ainda vigentes e na atualidade são os mais poderosos e capazes dentro do seu tipo na região. A compra deles obedece à necesidade de cobrir lacunas deixadas pelas L Class e não são apenas uma boa opção, são a única opção no momento pois não existem navios de estas prestações a disposição na atualidade. Estas Fragatas são a terceira opção da ARCh que pretendia as Type 2 em primeiro e as Halifax em segunda opção mas, nao chegarão a ser ofertados antes de 2025. Estes navios deverão estar em operação… Read more »

Miguel

erro, o que foi comprado foram vários sistemas de armas, que podem ser usados ​​para futuras fragatas ARCH (não esqueçamos o agradecimento do Primeiro Senhor do Mar, ao Chile, pelo projeto tipo 31)
Além disso, é um presente que venham mais atualizados e com maior poder de fogo do que qualquer coisa que flutua do México à Argentina, ou seja …

Wilson Look

O primeiro senhor do mar foi Portugal, seguido da Espanha, a Inglaterra só acende como potência naval no século 18 e é só após Trafalgar que se torna senhora dos mares, posição que perde após a Segunda Guerra Mundial para os EUA.

Alexandre

Essa conversa fiada de contribuição chilena nas T 31 é uma piada pronta, não conseguem fabricar nem um navio de patrulha sem ajuda da Europa, como podem ter dado alguma contribuição nesse projeto?
Bastou a Marinha Real dar um elogiozinho que os caras piram, kkkkkkk
Talvez os chilenos tenham contribuído com um novo tom na pintura das T 31!
kkkkkkk

Miguel

https://www.infodefensa.com/latam/2020/05/25/noticia-royal-destaca-aporte-armada-chile-fragata.html
Estou falando do verdadeiro primeiro senhor do mar … aquele que realmente conta, aquele que todos respeitam.

Beijos

Alexandre

Menos a Argentina, que deu um sufoco neles!

Bruno Mezenga

Vc deve saber mais que o profissional mesmo…

Dalton

Acho que você está me confundindo com outro Vovô, pois de minha parte defendi que quando as últimas “OHPs” foram descomissionadas pela US Navy em 2015, se houvesse recursos e/ou interesse seria uma boa aquisição um par delas com 30 anos ou menos de uso para a marinha brasileira. . Isso teria sido ideal em 2015 pois se teria o que se chama de “hot transfer” quando a tripulação do navio o entrega para a nova tripulação. . Se eu escrevi ser contra seja “OHP” ou “Adelaide” talvez tenha sido dentro de um outro contexto , por exemplo, falta de… Read more »

Juarez

Você Dalton e eu batemos nesta tecla, mas…..

Pablo Maroka

Chile tem o Peru no costado

sj1

Fuzileiros pra virar guerrilha ?!

DOUGLAS TARGINO

Pois é, e nossas futuras fragatas com alcance 4 vezes menor. Aqui é tudo uma palhaçada.

Salim

Como exemplo temos corvetas israelenses e russas que são bem menores que a nossas futuras e muito , muito mesmo, mais armadas que as nossas. Ressalto que até momento não existe nada concreto na produção das mesmas ( batimento quilha, compra armamentos, equipamentos básicos, etc…) o que preocupa bastante.

Fernando Turatti

Mais do que me preocupar com elas não terem nada concreto, me preocuparia se tivessem.
Pra ter 4 fraguetas dessas, melhor seria logo mandar fabricar o equivalente em dinheiro da classe Amazonas. Ambos serão inúteis para combate de verdade, mas um deles custará menos para operar e servirá como guarda costeira.

Alexandre

Explica esse seu comentário sobre a inutilidade das futuras fragatas tamandaré em um combate de verdade, eu não entendi.

Fernando Turatti

A defesa antiaérea das 4 é tão deficitária mas tão deficitária para o século XX que elas podem ser consideradas como totalmente desprotegidas. Qualquer penguim vai muito mais longe até o navio do que ela consegue atingir o helicóptero agressor. E a marinha do Brasil não conta e nem contará com escolta aérea(porta-aviões).
São navios para combates de baixa intensidade ou para saturação… Mas como deve imaginar, 4 fraguetas não saturam nenhum navio de guerra de verdade.