sábado, fevereiro 27, 2021

Saab Naval

Segunda fragata classe ‘Constellation’ se chamará USS Congress

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

USS Constellation (FFG-62)

O Secretário da Marinha dos EUA anunciou que a segunda fragata de mísseis guiados classe Constellation será nomeada USS Congress

O secretário da US Navy, Kenneth J. Braithwaite, anunciou em 2 de dezembro que a segunda fragata de mísseis guiados da classe Constellation da Marinha dos EUA será nomeada USS Congress (FFG 63).

Braithwaite fez o anúncio durante uma audiência sobre Prontidão da Marinha e dos Fuzileiros Navais com o Subcomitê de Prontidão e Apoio de Gestão do Senado no Capitólio.

“Para homenagear e reconhecer o trabalho que o Congresso e sua equipe fazem todos os dias para apoiar nossos marinheiros e fuzileiros navais, tenho o prazer de anunciar que uma futura fragata levará o nome Congress”, disse Braithwaite. “O Departamento da Marinha espera de vocês a forte supervisão e parceria que permitiu nossa força marítima desde que o Congresso autorizou a construção de nossos primeiros seis navios – as poderosas fragatas americanas de 1794.”

O nome do navio homenageia a rica história e legado da Marinha. O Congress estava entre as seis fragatas originais autorizadas pelo Congresso no Ato Naval de 1794, que estabeleceu a Marinha dos EUA como uma força ágil, letal e pronta e cimentou a parceria duradoura entre o serviço marítimo e os funcionários legislativos eleitos dos EUA.

Duas embarcações navais levaram o nome de Congress durante a Revolução Americana. A primeira foi uma galera que serviu à Marinha Continental durante a guerra, e a segunda foi uma fragata de 28 canhões que foi incendiada enquanto era equipada para evitar sua captura pelos britânicos.

Fragata de mísseis guiados classe Constellation, conhecida anteriormente como FFG(X)

O terceiro USS Congress foi uma fragata pesada de 38 canhões de casco de madeira e três mastros lançada em 1799. Suas primeiras funções com a recém-formada Marinha dos Estados Unidos foram fornecer proteção para os navios mercantes americanos durante a quase guerra com a França e derrotar o Piratas de Barbary na Primeira Guerra de Barbary.

O quarto navio da US Navy a levar o nome de Congress foi uma fragata de 52 canhões lançada em 1841. Ela serviu nos oceanos Mediterrâneo, Atlântico Sul e Pacífico. Ela continuou a operar como um navio de guerra americano até a Guerra Civil, quando foi afundada pelo primeiro CSS Virginia em batalha de Newport News, Virginia.

Em 1868, o quinto USS Congress, um saveiro movido a hélice foi lançado. O saveiro  levou a Marinha à era moderna, apoiando a missão ártica POLARIS e visitando a exposição centenária da Filadélfia em 1876.

O sexto USS USS (ID-3698) foi construído como um navio de pesca privado antes de ser comissionado como um navio de patrulha durante a Primeira Guerra Mundial. Ele esteve na comissão de 1918 a 1919, desempenhando diversas funções de patrulha, até que foi retirada da Lista da Marinha e vendido.

Em outubro, Braithwaite anunciou o USS Constellation como o nome do primeiro navio da nova classe de fragatas de mísseis guiados FFG(X), a bordo do navio-museu Constellation em Baltimore Inner Harbor, Maryland.

As fragatas da classe Constellation serão construídas na Marinette Marine Corporation em Marinette, Wisconsin, com o primeiro navio programado para entrega em 2026.

FONTE: Marinha dos EUA

- Advertisement -

81 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
81 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Esteves

Trump apoiou a compra do estaleiro local pela Ficantieri. O negócio deu certo, mas Biden venceu no Wisconsin.

No mundo real as coisas acontecem.

Kemen

A vitória de Joe mostrou que o povo norte americano é contra o racismo, não gosta de egomaniacos e deseja viver em paz sempre que for possivel. Na minha opinião foi a vitória do bom senso, esperemos para ver como sera o próximo governo, se vamos aplaudi-lo ou critica-lo. Entretanto fica minha observação a respeito da pseudo democracia a “la norte americana”, dificil de se comparar com o sistema chamado de “sufragio universal”. A nossa democracia é que é a verdadeira.

Dalton

Só lembrando que o voto aqui é obrigatório e tem consequências se não for justificado o não comparecimento às urnas. Nos EUA o voto é facultativo e cada Estado devido a uma maior independência com relação a Washington DC pode inclusive decidir o método de votação
e apuração.

Heli

O exmo ministro Marco Aurélio Mello certa vez, quando presidia o TSE, disse “o voto no Brasil não é obrigatório, o comparecimento do cidadão o é”. Você pode justificar o voto, ou votar branco ou nulo.
Outra coisa, citar o modelo americano de independência estadual como modelo é um equivoco, vide o que o mundo assiste lá toda eleição.
Voltando ao topico, qual a propulsao dessas fragatas? LM2500 ou MT30?

Esteves

GE

Dalton

O ministro pode dourar a pílula quanto quiser, mas, no fim das contas há uma obrigatoriedade e há também uma diferença significativa que nos EUA os Estados tem mais poder e autonomia do que Estados aqui. . Talvez cada sistema tenha vantagens e desvantagens, mas, não dá para dizer apenas baseado no sistema eleitoral que o Brasil é mais democrático que EUA. . E voltando ao assunto, pelo que li as futuras fragatas terão cerca de 80% de comunalidade com as italianas, então parece-me altamente provável que ao menos quanto a propulsão não haverá diferença e as italianas também utilizam… Read more »

Funcionario da Comlurb

X2!!!

Kemen

Sabia a milenios que o voto não é obrigatório, tem estado que divide os delegados conforme os votos, tem estado que não. Voto em papel o que é ridiculo para um pais como os E.U.A.N., esse sistema chamado de democratico faz com que o voto de um norte americano de um estado valha mais ou menos que o do cidadão de um outro estado dependendo do número de delegados, quem é bom em simples matemática percebe isso, acrescentando que pelo menos entre 6 ou 8 vezes o candidato a presidente mais votado pelos cidadãos norte americanos não conseguiu se eleger… Read more »

EduardoSP

Não existem dois sistemas eleitorais idênticos no mundo, pois eles são resultado da organização social em cada país. Daí, fazer comparações sobre sistemas melhores e piores é complicado.
O ponto relevante é se o sistema eleitoral consegue “produzir” uma representação adequada dos interesses sociais no parlamento e no executivo.

Allan Lemos

não gosta de egomaniacos e deseja viver em paz sempre que for possivel. Kkkkkkkk essa foi boa, você sabe que a invasão do Iraque só foi possível graças ao Biden, não é? Você também sabe que os democratas iniciaram mais guerras do que os republicanos, não é? Se os americanos desejassem “viver em paz”, um warmonger como o Biden jamais teria sido eleito, apesar da fraude. A nossa democracia é que é a verdadeira. Sério que você acha que um país cujos políticos negligenciam investimentos eficazes na educação para deliberadamente manter o povo na ignorância eterna tem uma “democracia verdadeira”?… Read more »

Kemen

Quando escrevi sobre a nossa democracia, o colega sabe que me referia ao nosso sistema democratico de votação, e não aos nossos politicos eleitos, sistema elogiado no mundo inteiro. Agora, se tem brasileiro que não sabe escolher seu candidato, votando no papelzinho que recebeu sem verificar o que o candidato propõe ou fez, ou votando para o senado em presidente que já foi cassado, o problema é outro e não tem nada a ver com o nosso sistema democratico eleitoral. A nossa democracia é a verdadeira democracia sim, onde todos tem de ir ao local de votação, decidir se votam… Read more »

Allan Lemos

sistema democratico eleitoral.

Sistema que nem ao menos pode ser auditado? Tá certo.

Esteves

Todos os votos são impressos e afixados nos locais de votação. Os partidos têm acesso a cada urna. Claro, após a votação.

Se…se…os candidatos ou os partidos julgarem ter sido mais votados, basta pedir a impugnação.

Se não pedem, concordam.

Kemen

E se for mentira o pedido de impugnação, por egocentrismo ou sei la´por qual desvio de caráter, depois de 30, 60 ou sei lá quantos dias, sairia o resultado da eleição.

Kemen

Tem auditoria sim, não escreva mentiras. A auditoria é feita por analistas de sistema e engenheiros contratados. O Fato de se utilizar tecnologia da informação é um avanço, que velhos acostumados a contagem com milhares de mãos de diferentes pessoas, não tem a minima idéia do que seja, isso sim seria uma auditoria passivel de êrros e fraudes. Esse sistema eleitoral que candidato ou máfia alguma controla é o sistema eleitoral do futuro no mundo todo. E dizem que deveriamos ter tecnologia… e agora suge retornar ao sistema antigo manual que propicia fraudes, chega a ser bizarro. Vamos retornar tudo,… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro

É, realmente Trump mergulhou os EUA em varias guerras né. Quanto a racismo não passa de baboseira ideológica reproduzida por idiotas úteis para pedófilos como Biden.
Aliás, historicamente é o PARTIDO DEMOCRATA quem tem fortes ligações com a escravidão e com a KKK r nos anos 60 votou CONTRA os direitos civis para os negros nos Estados Unidos.
É impressionante como brasileiro absorve lixo ideológico de esquerda sem questionar.

Kemen

O colega só aportou injurias sem a minima fundamentação, de que partido foi o primeiro candidato a presidente negro e venceu você esqueceu? Tudo que escreveu o colega é fake, quem afirma que a atual presidente é racista e egocêntrico são os próprios norte americanos e a imprensa insinua quase sempre, o cara de tão bom conseguiu perder de forma arrasadora.

É impressionante como brasileiro absorve lixo ideológico dos estremos e fakes, sem questionar.

Roberto Francesco

Kemen, E interessante como as pessoas gostam de opnar sobre o que nao conhece e em sua maioria se baseia em uma rapida procura no wikipedia ou google. Reconheco que o atual presidente nao e o ideal mas vale lembrar que como administrador foi um otimo gestor. Resido nos USA ha exatos 26 anos e nunca vi tanto trabalho e uma economia pujate nesses ultimos 3 anos, diz o q quizer mas como presidente foi excelente em relacao a eleicao tem sim algo de estranho e tudo indica que os “demo” ganharam na calada da noite, existe sim a tal… Read more »

Kemen

Pois é, parente meu lá disse que o cara já foi tarde, nem militar aguentava mais esse cara. nem tudo num pais se refere a economia que só beneficia quem já tem, a economia boa de um pais é a que beneficia todas as classes sociais do mais rico ao mais pobre, sem distinção de raça, credo ou côr.___ Ainda ontem escutei a divulgação de um informe norte americano sobre as tendências eleitorais, e a distinção foi exatamente assim: os brancos… os negros…. os latinos. Ora, os latinos deixaram de ser brancos ou negros, seriam o que, verdinhos ? E… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
nonato

Ah, coitado.
Baderneiros incendiaram delegacias e igrejas.
A esquerda radical incentiva divisões raciais.

Kemen

Policiais matam por causa de uma nota que aparentemente podia ser falsa, tome quidado com as notas que recebe, se não quando for pagar morre. A direita radical segregacionista e egocêntrica com suas bases em Wall Street e seus bitcoins despencou de vez, já era!

Kemen

A direita radical tentou acionar o exército (e não a guarda nacional) o militar que o Donald convocou ficou até sem saber o que dizer. O envolvimento militar contra a população civil nos USA é contra a constituição norte americana e inaceitavel pelo seu povo. Se desconfia que os militares votaram em pêso no Joe, localmente e pêlo correio, nos locais onde existem bases militares o Joe ganhou.

Carlos Campos

se eles desajam viver em paz, escolheram o cara errado, tudo mundo fala do Trump querendo briga com a China, mas esquecem quem era a cachorr@ raivosa que latia para China antes.

Kemen

Pois é… quem esquece dos nossos produtos sobretaxados pelo nosso grande aliado e bate continência, e ainda diz amém? Quem late fica no latido, quem bloqueou importações e sobretaxou os produtos de todos querendo prevalecer economicamente pela força, aquele que mais espionou e espiona até conversas das autoridades de inúmeros paises, acusando de espionagem os outros, é simplesmente ridiculo.

Leandro Costa

Kemen, o grande problema do Trump é quando ele abre a boca para falar alguma coisa. Não fossem as besteiras que ele fala e o mal estar que causa entre aliados, sua presidência foi bem mais pacífica que a desastrosa e extremamente belicosa política externa de Obama, que falava lindo, era de fino trato e só fez besteira. Considero tanto Obama quanto Trump pessoas que, para o bem dos EUA e do Mundo, não deveriam ter sentado na Casa Branca. Agora é esperar que Biden não seja o completo doido que parece ser.

rui mendes

Verdade.

Henrique

Vejam só, temos um leitor de folha de São Paulo aqui no blog… Eu acredito que uma performance no SESC seria mais apropriado para vossa senhoria do que um blog que discute maquinários mortíferos…

cachobobo

O estaleiro  foi comprado por Fincantieri muitos anos antes do Trump

Esteves

Eu disse que ele apoiou a compra.

Jefferson

Excelente compra…incrível pensar que esse navio será apenas um navio, algo secundário para “apoiar” o trabalho. Um navio de mais de 7 mil toneladas. Aqui no BR seria o top do top.
Eu acho que as FREMM juntamente com as Arleigh burke se combinam, era isso que faltava na marinha dos EUA.
Imaginem: 50 burke e 50 FREMM
Só acho que precisam armar melhor essas FREMM, isso pode ser feito posteriormente.

Luís Henrique

São 90 grandes combatentes entre Destroyers e Cruzadores e não “somente” 50.
E as fragatas da classe Constelation serão bem armadas, muito melhor armadas que as FREMM.

Jefferson

Eu não falei que era, eu apenas citei 50/50…para ter uma ideia de como seria interessante uma marinha com tais números.

rui mendes

Serão mais armadas que as fremm??
Em relação às fremm Francesas, terão o mesmo número de células para mísseis, com a diferença que as fremm Francesas, têm 16 dessas células ocupadas por mísseis de cruzeiro de ataque a terra, portanto não me parece que as constelation, serão melhor armadas.

Kemen

“Eu acho que as FREMM juntamente com as Arleigh burke se combinam, era isso que faltava na marinha dos EUA.”

O colega acha mesmo que é uma FREM?
comment image

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Jefferson

Não, é uma type 26! Abraço!

Kemen

https://en.wikipedia.org/wiki/Constellation-class_frigate

Pode até afirmar ser um projeto da FREMM modificado, uma subclasse, mas não é uma FREMM. Todos os projetos bons são aproveitados em parte para desenvolver um novo projeto atendendo os requisitos da Marinha contratante.

A Hunter Class não é uma Type 26. A Hobart class não é uma F-100. Afirmar que são é generalizar capacidades que geralmente tem acentuada distinção. Mas cada um que chame como quiser, chame as Tamandaré de Slgzak ou Kedah!.

Thiago

E essa da foto não é a Emilio Bianchi ( posteriormente ao vendida para o Egito) ?

Kemen

Sim, isso é uma FREMM.

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Thiago

A constellation será a irmã mais nova , do mesmo fabricante e da mesmo projeto original, apenas com modificações , sensores e armamentos a gosto do freguês.

Kemen
Jefferson

O principal requisito da us navy era ter um navio comprovado, justamente por isso não pegaram a type 26 e outros. A fremm já existe, a Itália tem quase 10, França tem vários.
Quando falamos que a costellation é uma fremm é apenas uma força de expressão, claro que haverá modificações, mas o projeto é baseado no casco da fremm e isso é justamente o que os americanos queriam, queriam algo comprovado e que funciona sem problemas para depois rechar com sensores americanos.
Abraço e tudo de bom.

Roger

O que aconteceria se chamássemos um navio de “Congresso”, na esquadra brasileira? Faça a sua aposta:

1)Afundaria por causa de uma “rachadinha”;
2)Não conseguiria seguir uma rota, pois estaria sempre sofrendo “desvios”;
3)Só poderia estar ativo de terça à quinta, pois o resto do tempo precisaria volta ao porto;
4)Ao se aposentar ainda continuaria dando gastos na integra;
5)Ninguém na tripulação sofreria com COVID, pois o navio teria imunidade parlamentar.

Adriano RA

Excelente!

Kemen

6) Ficaria à deriva por causa das lutas internas pelo comando do navio.

Esteves

É verdade. Um motim seria a alternativa mais próxima da realidade.

Roger

7)O armamento consistiria de um míssil chamado “pauta bomba”, só seria lançada na madrugada e que cairia sobre a cabeça e o bolso dos próprios brasileiros.

Jota Ká

Capitão Nhono no comando e Flávio Rachadinha de imediato. 😀

Leandro Costa

LOL!

O melhor post de todos os tempos!

Alex Barreto Cypriano

As guerras aos (estados) bárbaros (berberes) do norte da Africa (onde hoje ficam Marrocos, Argélia, Líbia, Egito) foi o batismo de fogo da recém nascida US Navy. E fuzileiros navais estavam lá, também, ‘from the walls of Montezuma to the shores of Tripoli’. Os berberes atacavam o comércio marítimo (não somente o americano) e exigiam tributos. G Washington escolheu os nomes de cinco das seis novas fragatas a partir de princípios da constituição americana: Constitution, United States, President, Congress e Constellation. Esta última se referindo às estrelas do brasão das armas, simplesmente uma constelação de treze, cada uma representando uma… Read more »

Kemen

Eram uns poucos que restaram depois que as Marinhas de Portugal, Espanha, e Veneza acabaram com a expansão turca no Mediterrâneo e no Norte da África, que promovia saques e sequestros para resgate aos seus navios..

Vovozao

07/12/2020 – segunda-feira, btarde, oh inveja, comparada com nossas futuras TAMANDARE’S, estamos desdentado.

Fernando Turatti

E aí de quem falar que as tamandares não são fragatas… “onde já se viu corveta com 3500 toneladas?” diz a turma que nunca deu uma passada de olho pelas corvetas mundo a fora.

Wilson Look

Estive procurando uma corveta com mais de 3000 toneladas mas até agora nada, a maioria está em até 2000 toneladas.

(qual a classificação que a marinha indiana dá para a classe Kamorta atual?, se for corveta então é possivelmente a única classe que supera as 3 mil toneladas, no mundo).

Fernando Turatti

Sim, a classe Kamorta é chamada de corveta. A próxima corveta europeia, como acabaram de publicar aqui nesse site mesmo também está caminhando para 3 mil toneladas.
Fragata hoje não pesa mais o que pesava uma Niterói, só não nota isso quem não prestou a atenção.

Wilson Look

Eu acredito que a prática de chamar um navio de 1ª, 2ª ou 3ª classe, seria válida hoje porque no geral uma corveta desloca entre umas 200 toneladas chegando as 3 mil toneladas(e até passando disso no caso da classe Kamorta), as fragatas deslocam entra as 3 mil e as 9 mil toneladas(dependendo dos requisitos de cada marinha).

está uma bela confusão nos extremos, a Tamandaré poderia ser ou uma corveta de 1ª classe ou uma fragata de 3ª classe.

Esteves

1a.classe…3a.classe…

Acho que a MB prefere navio.

Navio Classe Tamandaré. Tá bom assim.

Fernando Turatti

Se chamassem por “fragata leve” ou “corveta pesada” estava tudo em casa, o problema é que as Tamandaré, para um oceano atlântico, claramente estão mais para “corvetas” do que para “fragatas”. Elas são MUITO mais substitutas das Inhaúma/Barroso do que das Niterói. Basicamente estamos piorando bastante nossa qualidade na marinha de superfície, enquanto gastamos dinheiro que não temos em submarinos que não precisávamos TANTO quanto de fragatas de verdade no momento daquela compra. Foi a Marinha metendo os pés pelas mãos e se deixando levar por delírios já conhecidos. O mesmo ego que levou os almirantes a manterem o NAe… Read more »

Wilson Look

Antes do PROSUB começar em 2008, já havia um processo ocorrendo para a construção de 1 submarino IKL 214 (sem AIP) no Arsenal, esse processo já ocorria desde 2006. Apesar de não parecer tantos os navios de superfície como os submarinos já estavam com a necessidade de serem substituídos e ambos com urgência, A classe Tamandaré visava originalmente ser uma classe de baixo custo para fazer números, pelo menos 12, que seriam complementadas por uma classe de navios maiores só que em números menores. Olhando para a classe Tamandaré em si, o navio tem espaço de sobra para ter um… Read more »

Fernando Turatti

Wilson, os submarinos Tupi foram comissionados em 1989, 1994, 1996, 1999 e o último em 2005(tikuna). O mais velho deles tinha 20 anos na assinatura do PROSUB, enquanto isso eu acho que chega até a ser desnecessário eu demonstrar esses números no tocante à frota de superfície, né?
Dava tempo pra botar em estudos localmente melhorias no projeto que a gente já sabia construir, talvez nem melhorar muito mas nacionalizar mais alguma coisinha ou outra… E o principal: daria pra gastar a verba GIGANTE do PROSUB em um “PROSUP” da vida.

Esteves

Mas…

Não teríamos Itaguaí, os alemães não concordariam em fornecer casco para o nuclear, faltaria como ainda falta grana para Aramar, não seria necessário criar a ICN e não haveria o contrato…o contrato com os franceses.

Wilson Look

Já era praticamente certo a construção de um IKL 214 no Arsenal, em 2008 temos não só o Prosub, como o lançamento de outros programas, como o Prosuper, acreditava-se que ambos poderiam andar juntos na época, já estava em andamento a construção dos Napa 500, com o 1º lote já em construção e o 2º contratado, havia ainda um 3º lote de 20 navios. No cenário existente em 2008 não se vislumbrava o que estamos vendo hoje. Mesmo se o Prosub não tivesse sido feito e no lugar fosse o Prosuper, ainda assim haveria a necessidade de um novo estaleiro… Read more »

Fernando Turatti

Não, não havia a necessidade de um novo estaleiro para a construção de submarino nuclear… Existia a VONTADE disso.
É um problema comum da Marinha confundir “vontade” e “necessidade”.
Necessidade a gente tem de PELO MENOS manter o nível sem ele cair. Um país com aquela frota de superfície não devia JAMAIS passar a vontade na frente da necessidade, a ordem foi invertida por pura irresponsabilidade dos envolvidos.
Fizemos um PROSUPER e o governo continua querendo gastar? Show, desce um subnuc aí que tá na hora!

Wilson Look

Não é possível o lançamento ao mar de um submarino nuclear a partir do Arsenal, não tem profundidade suficiente para isso.

Se invertemos as coisas, teríamos uma força de superfície atualizada, mas a força de submarinos estaria comprometida, pois os mais velhos estão segando ao fim de sua vida útil e não teriam um sucessor.

Em todos os casos se ganharia em um lado e perderia em outro.

Nilson

Além de ser inviável construir um SubNuc no Arsenal, creio que também seria inviável operá-lo na base de submarinos dentro da Baía da Guanabara. Ou seja, o estaleiro/base de Itaguaí são necessários para o projeto do submarino nuclear, assim como o LabGene. Os custos das instalações nucleares a serem construídas em Itaguaí são ainda um grande enigma, certamente altíssimos. De todo lado que olha, não tem jeito: ao dar vazão ao projeto do subnuclear, a MB teve que prejudicar todas as suas outras áreas, não tem dinheiro para tudo. Foi uma opção, já feita tem que aceitar suas consequências. Por… Read more »

Paulo Sollo

Eu acho que Fraguêta é mais conveniente, ainda mais agora que o Atlântico passou a ser um Navio Aerodrone.

Wilson Look

Se houver interesse, e dinheiro, seria possível armar as Tamandaré tão bem, ou até mais, do que aquelas corvetas de Israel, só que tendo em vista que as corvetas de Israel estão estimadas em 3 bilhões de dólares, 1 bilhões a mais do que as Tamandaré, eu acredito que o custo das Tamandaré com esse armamento mais pesado e construídos no Brasil possa chegar aos 5 bilhões de dólares, bem mais difícil de conseguir o dinheiro perante o Ministério da Economia.

Mas eu prefiro chama-las de Fragatas leves.

Jorge Knoll

Corveta de 2ª classe

Kemen

As corvetas assim como as fragatas tem tido sua tonelagem aumentada devido aos novos armamentos e sistemas mais complexos e pesados, bem como o aumento do seu alcance de atuação sem reabastecimento no mar. As corvetas no futuro tendem a ser mais pesadas que as anteriores, entretanto toda a regra tem suas exceções e projetos especificos continuarão existindo..

https://en.wikipedia.org/wiki/Pohjanmaa-class_corvette

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Helio Eduardo

No mundo dos sonhos, eu escolheria essa daí como nosso combatente principal. Nada de FREMM, Meko 180, etc. Quem sabe umas 5 unidades.

Tenho para mim, aqui do alto do meu pouco saber técnico, que navio americano é feito para p*rr*ada. Eu colocaria um Ciws e o canhão passaria para 76mm, mas, de resto, navio pronto.

luiz blower

Os americanos conseguiram enfeira a FREMM (que só é bonita na versão italiana) colocando esse mastro esquisito deles. Alguém conhece a razão dos Americanos para não usar um mastro stealth integrado? Fica tudo parecendo Arleigh Burke…

luiz blower

*enfeiar

Dalton

A US Navy precisa de quantidade então certas características que aumentem os custos ao mesmo tempo não sendo tão significativas , são deixadas de lado.
.
Os “LPDs” classe San Antonio possuem os tais “mastros stealth”, porém quando foi decidido substituir os “LSDs”, considerados “anfíbios pequenos e mais baratos” utilizando-se como base o projeto “San Antonio” uma das coisas que se eliminou foi o “mastro stealth”.

Jefferson

Galante, faça uma matéria sobre essa questão de navio bem ou mal armado. Muita gente questiona isso em alguns navios, seria interesse algo a respeito. É curioso a diferença de tubos de armamentos em uma fremm italiana, francesa e agora americana para navios navios russos e chineses, por exemplo.
O que é razoável, qual será a aplicação de determinado navio e qual a melhor relação custo/beneficio e segurança para a tripulação.

nonato

Sugiro que a segunda Tamandaré se chame Deputado Rodrigo Maia.

Esteves

Estava tudo ensaiado.

Flanker

E a terceira, Jader Barbalho……a quarta, Eduardo Cunha (Acho melhor não, porque pode ficar presa na carreira ao ser lançada ao mar).

Bosco

Acho curioso esse navio não ter um par de canhões de pequeno calibre (CIGS) e nem lançadores de torpedos e nem adotar lançadores verticais para os Hellfires.
Por outro lado terá 16 mísseis antinavio. Na USN isso é novidade. Só os couraçados tinham 16 ASCMs.

Alex Barreto Cypriano

Tem dez .50, pelo menos no desenho. Hehehe.

Dalton

O “Tomahawk” ofuscou durante décadas a necessidade da US Navy por mais e novos “ASCMs”, você deve lembrar Bosco de navios que foram equipados com aquelas “caixas” para 4 deles também embarcados nos “couraçados” tirando o lugar para mais “Harpoons”.
.
Com o “Tomahawk” agora sendo capacitado para também atingir alvos navais
e podendo ser embarcado nos silos verticais a situação parece que irá mudar e também se terá que aguardar se as futuras fragatas serão equipadas com todos os 16 mísseis ao invés de 8 como se também cogita.

EduardoSP

As proas mostradas na imagem e no perfil são muito diferentes das proas das FREMM. Mais inclinadas e mais “gordas”.

Binho

Ainda bem que ninguém leva o Boçal Naro muito a sério……..

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Quando o P-3AM Orion da FAB enfrentou um submarino nuclear

Imagine buscar um inimigo invisível em uma área de 2 mil quilômetros quadrados, equivalente a mais de 242 mil...
- Advertisement -
- Advertisement -