domingo, outubro 17, 2021

Saab Naval

Marinha dos EUA planeja aposentar 48 navios de 2022 a 2026

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

USS Nimitz

ARLINGTON, Virgínia – O plano de construção naval de 30 anos da Marinha dos EUA, divulgado em 10 de dezembro, anunciou os nomes de 48 navios programados para serem desativados ou, no caso de navios do Military Sealift Command Ships, colocados fora de serviço, durante os anos fiscais de 2022 até 2026.

Digno de nota, as desativações planejadas incluem o primeiro porta-aviões da classe “Nimitz”, os dois primeiros submarinos de mísseis guiados classe de “Ohio” e o primeiro navio de vigilância oceânica da classe “Victorious”. A lista também inclui 11 cruzadores de mísseis guiados classe “Ticonderoga” e 11 submarinos de ataque classe “Los Angeles”.

As desativações são listadas por ano fiscal abaixo:

Em 2022

USS San Jacinto (CG 56)

  • Seis cruzadores de mísseis guiados da classe Ticonderoga serão colocados na reserva: San Jacinto (CG 56), Hue City (CG 66), Anzio (CG 68) Vella Gulf (CG 72) e Port Royal (CG 73).
  • Um navio de desembarque da classe Whidbey Island será colocado na reserva: Whidbey Island (LSD 41).
  • Dois submarinos de ataque da classe Los Angeles serão reciclados: Providence (SSN 719) e Oklahoma City (SSN 723).
  • Um rebocador oceânico da frota da classe Powhatan será eliminado: Apache (T-ATF 172).

Em 2023

USS Carter Hall (LSD 50)

  • Dois cruzadores de mísseis guiados da classe Ticonderoga serão colocados na reserva: Bunker Hill (CG 52) e Mobile Bay (CG 53).
  • Quatro navios de desembarque da classe Whidbey Island serão colocados na reserva: Germantown (LSD 42), Gunston Hall (LSD 44) e Ashland (LSD 48).
  • Um navio de desembarque da classe Harpers Ferry será colocado na reserva: Carter Hall (LSD 50).
  • Dois navios de reabastecimento de frota da classe Henry J. Kaiser serão eliminados: John Lenthall (T-AO 189).
  • Um rebocador oceânico da frota da classe Powhatan será descartado: Catawba (T-ATF 168).
  • Um navio de resgate e salvamento da classe Safeguard será eliminado: Grasp (T-ARS 51)

Em 2024

USS Chicago (SSN 721)

  • Dois cruzadores de mísseis guiados da classe Ticonderoga serão colocados na reserva: Antietam (CG 54) e Shiloh (CG 67).
  • Um navio de desembarque da classe Whidbey Island será colocado na reserva: Rushmore (LSD 47).
  • Dois navios de desembarque da classe Harpers Ferry serão colocados na reserva: Harpers Ferry (LSD 49) e Pearl Harbor (LSD 52).
  • Quatro submarinos de ataque da classe Los Angeles serão reciclados: Chicago (SSN 721), Key West (SSN 722) San Juan (SSN 751) e Topeka (SSN 754).
  • Quatro navios de contramedidas de minas da classe Avenger serão descartados: Sentry (MCM 3), Devastator (MCM 6), Gladiator (MCM 11) e Dextrous (MCM 13).
    Um navio de resgate e salvamento da classe Safeguard será eliminado: Salvor (T-ARS 52).

Em 2025

USS Nimitz visto pela popa

  • Um porta-aviões da classe Nimitz será reciclado: Nimitz (CVN 68).
  • Um navio de desembarque da classe Harpers Ferry será colocado na reserva: Oak Hill (LSD 51).
  • Dois submarinos de ataque da classe Los Angeles serão reciclados: Helena (SSN 725) e Pasadena (SSN 752).
  • Um navio de reabastecimento de frota classe Henry J. Kaiser será eliminado: Joshua Humphreys (T-AO 188)

Em 2026

Pecos (T-AO 197)

  • Um cruzador de mísseis guiados classe Ticonderoga será colocado na reserva: Chancellorsville (CG 62).
  • Um navio de desembarque da classe Whidbey Island será colocado na reserva: Comstock (LSD 45).
  • Dois submarinos de mísseis guiados da classe Ohio serão reciclados: Ohio (SSGN 726) e Flórida (SSGN 728).
  • Três submarinos de ataque da classe Los Angeles serão reciclados: Newport News (SSN 750), Scranton (SSN 756) e Alexandria (SSN 757).
  • Um navio de reabastecimento de frota da classe Henry J. Kaiser será descartado: Pecos (T-AO 197).
  • Um navio de vigilância oceânica da classe Victorious: Victorious (T-AGOS 19).

FONTE: Seapower Magazine

- Advertisement -

146 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
146 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Yuri Dogkove

Vão doar alguns para o Brasil? Muy amigo, muy aliado… Brincadeira a parte, seria ótimo para a MB a aquisição de alguns desses.

Last edited 10 meses atrás by Yuri Dogkove
TeoB

seria um legitimo presente de grego… devem estar no osso… acho que sai mias barato uma Fremm nova que um Ticonderoga desses usado.

Yuri Dogkove

“Acho” que as Constellation virão para substituir as Ticonderoga! Só acho! Ou será que estou errado, e que novas Ticonderoga serão construídas?

Victor Filipe

Yuri, você ta errado, mas apenas porque as Constellation são fragatas e não cabe a elas substituírem cruzadores. quanto a uma unidade para Substituir os Ticonderoga, esse plano ainda ta em estudo

Camargoer

Olá Teo. Concordo. Nenhum dos navios parece atender as necessidades prioritárias da MB, que precisa de fragatas ou corvetas de combate…. no limite destróyers.

Pablo

Se estivesse em plenas condições, avaliaria o navio tanque. Que e outra prioridade da MB.

Camargoer

Caro Pablo. Navio tanque dá para ser feito no Brasil com nacionalização maior que 60%. A situação de crise, desemprego, alta capacidade ociosa da industria… o Estado precisa aproveitar sua capacidade de comprar e fazer encomendar ao setor industrial nacioal.

Paulo

Então não vai comprar.

Com um déficit fiscal de mais de 700 bilhões de reais, não há como gastar mais.

Camargoer

Caro Paulo. Deficit fiscal em periodo de crise é comum. O errado é deficit em período de expansão econômica. O Estado gasta no período da crise para manter a economia funcionando e economiza em períodos de expansao econômica. Divida pública é um mecanismo de financiamento da sociedade em períodos de crise. O risco de dívida pública é quando a economica está aquecida. No atual estado, nem emissão de moeda gera inflação porque há 14% de desemprego e 50% de capacidade ociosa na indústria.

Luiz Trindade

Então Camagoer me explica porque o governo não esta gastando mais?!? Porque a economia não esta aquecida… E por favor, não venha dizer que auxilio emergencial foi socorro à economia!

gordo

Essas coisas são para favorecer especulação financeira. Faz tempo que não escuto nada sobre nossas notas nas tais agencias de risco, A isso A aquilo, foi para B menos etcetera etcetera. O governo pode comprar, pode financiar aqui e gerar empregos, só que para isso ele desagrada o pessoas que gosta de ganhar na base da especulação. Sobre economia o que vemos na TV é muita opinião comprada, paga por bancos e assemelhados.

Angelo Chaves

A MB tá querendo um Nae, olha a oportunidade, já com escoltas.kkkkkkk
Aproveita e traz uns hornets usados.kkkl

falken666

Não incentiva, não incentiva…

Rudi

A Marinha não tem tripulação para esses navios…não ha marinheiros suficientes kkkkkk

Marcus Pedrinha

Já oficial, tem de sobra…

Carlos Eduardo Oliveira

MB tem muito cacique e pouco índio.

Cavalli

80 mil e não tem pessoal? Dá para guarnecer no mínimo uns 8 e sobrar +/- 50% do efetivo. (Irônico, em partes).

Marcos Cooper

Oferece o Sampa de entrada,paga a FIPE,lógico,parcela em 36x e traz o Nimitz….

Slow

Com os Eua de Amigo/Aliado quem precisa de inimigo ? Lobo em pele de cordeiro

Glasquis 7

Mas, o que tem aa ver com a matéria?

Camargoer

Olá Yuri. Eu li as lista de navios…. nenhuma fragata ou destróier.

Paulo Sollo

Não, não seria ótimo Dragonilda! De manhã cedo e já tem um mané para repetir o mantra de que a MB tem que ser um museu flutuante repleto de velharias descartadas por outros. Se estão desativando é porque os custos de manutenção e modernização não compensam mais. E se para eles já não é mais vantajoso o que dizer de uma marinha que direciona poucos recursos para seus meios. Geralmente os navios americanos sãomais caros de operar que os de outros países, os velhos então… Bote uma coisa em sua cabeça dragonela, salvo o Atlântico e o Bahia que foram… Read more »

Paulo Sollo

Um detalhe curioso: ao contrário de seus caças que geralmente apresentam designs bonitos, os navios americanos são o oposto. Este Ticonderoga rivaliza em feiúra com os LCS Freedom class e Independence class.

Marcelo

Você está comparando navios projetados no final da década de 70 e início da 80 (Ticonderoga) com navios projetados no século XXI (Fredom/Independence).
São estilos e conceitos diferentes!

Paulo Sollo

Estou falando apenas de DESIGN! E o fato de pertencerem a épocas diferentes e classes e conceitos diferentes apenas reforça a questão de que designs navais Feios são uma tradição nos EUA!
Neste ponto os europeus dão de goleada, e não apenas em design mas também em eficácia de seus projetos, tanto que a US Navy decidiu comprar FREEMs!

Last edited 10 meses atrás by Paulo Sollo
Dalton

Também tem a questão de gosto próprio, da minha parte o “Gerald Ford” é muito mais elegante que o “Queen Elizabeth” e o “Charles De Gaulle” e o futuro NAe francês se o desenho que vimos dele confirmar-se também terá a “ilha” deslocada o máximo possível para a ré como no “Ford”. . Os “San Antonios” são “LPDs” belíssimos principalmente por conta dos mastros “Stealth”, que não serão mais incorporados nos próximos para reduzir custos já que efetivamente tomarão o lugar dos “LSDs” que são os anfíbios “pequenos” e baratos, mas, ainda assim maiores que o “Bahia”. . O que… Read more »

Paulo Sollo

Concordo em relação aos G. Ford, e também achei o novo projeto francês muito elegante. Concordo também em relação aos San Antônio não apenas pelos mastros stealth, mas suas linhas gerais são fluidas e harmoniosas, conservando um reconhecível visual clássico de navio de guerra mesmo com a modernidade do design. Entendo a questão dos custos mas parece que também tem a ver com tradição de design. Inclusive se olharmos os navios americanos da 2ª Guerra, veremos algumas características de design se mantiveram por longo tempo, com algumas modificações. Por isto creio que se os Ticonderoga e os LCS que citei… Read more »

Dalton

Ainda estamos no aguardo de um navio europeu com 128 silos verticais Paulo, 122 por conta de dois guindastes embutidos que roubaram 6 silos. . Compromissos foram feitos quando da criação do “Ticonderoga” para ficar abaixo de 10.000 toneladas de deslocamento máximo, conseguido com aquela superestrutura enorme de alumínio leve e ainda assim montar tanto armamento, incluindo dois canhões de 127 mm, tubos de torpedos A/S embutidos no casco, um enorme hangar , etc. . Não teria sido fácil para os europeus diante de tantos requerimentos e compromissos produzir 27 deles nas décadas de 1980 e 1990 e ainda deixa-los… Read more »

Dalton

Você escreveu que navio feio é tradição na US Navy, mas o que dizer dos encouraçados classes South Dakota e Iowa, do grande cruzador Alaska e dos destroyers Gearing, dois dos quais chegaram a ser adquiridos pela marinha brasileira ?
.
Tenho dezenas de modelos de metal e quando os coloco lado a lado, americanos e europeus, não vejo essa “goleada” não, ou seja, a beleza está nos olhos de quem vê.

Paulo Sollo

Já que citou o Iowa, curiosíssima foi esta ideia de uma versão aircraft carrier dele:
https://www.navalhistory.org/2019/06/28/the-iowa-class-battlecarrier-a-design-that-never-took-off

Allan Lemos

Ainda bem que nem eles venderiam, e nem os oficiais da MB têm ambição para operar esses tipos de navios.

ednardo curisco

Num provoca… pode ter almirante lendo

Marcelo

Tava demorando esse tipo sem comentário. Se os USA estão descomissionando, é porque já estão muito velhos e custosos de operar. São navios com uns 40 anos de uso ou até mais, em alguns casos (Nimitz, Ohio, Flórida)
Chega comprar velharias! Já não basta o fiasco que foi a aquisição do São Paulo, ex Foch ?
Exceção seja feita ao Atlântico, que veio em ótimo estado e sua baixa na marinha inglesa se deu mais por questões de reposicionamento estratégico das forças e corte de custos (creio eu) do que pelo fato do navio estar muito velho.

sj1

Sempre nos primeiros comentários tem um que repete essa pérola…

MFB

Sempre tem um catador de sucata nessas matérias hahaha

Salim

Na atual situacao MB faz sentido, porem ticonderroga e muito pra nos, agora navio desembarque , reabastecimento e contra minagem ajudaria bastante ate fazermos novos aqui.

Ferreras

Se fizéssemos uma simulação MB x “Frota desativada ano X” perderíamos todas.

João Fernando

E com tétano ainda

ednardo curisco

conversei com um irmão da igreja que serviu no haiti durante aquele furacão.

Ele disse que viu os gringos chegando para ajudar o país.

Nunca se sentiu tão humilhado. 🙂 disse que ficou só olhando aquela máquina em operação

Vovozao

14/12/2020 – segunda-feira, bdia, periodo de 4 anos, serao descomissionados ou colocados na reserva, mais da metade dos meios navais disponiveis na MB, sendo 11 cruzadores, muito mais que todas as nossas escoltas (fragatas/corvetas) disponiveis hoje. Nações que se preocupam com os seus mares, possuem forças navais a altura.

DOUGLAS TARGINO

A reposição vai ser na mesma velocidade?

Yuri Dogkove

Em relação as Ticonderoga, será que haverá reposição por novas Ticonderoga? Ou será substituídas por outra classe?

Henrique

As Arleigh Burke com esteroides vão ficar nesse lugar, não vai ter nova classe CG…

Os Zumwalt-class tb poderia ficar no ligas mas classe tá todo ferrada por causa dos canhões que tbm for descartadas em favor de mais DDG

Dalton

Pelo contrário, está nos planos sim uma nova classe de grande combatente de superfície que eventualmente substituirá os “Ticonderogas” remanescentes na próxima década.
.
Os canhões do “Zumwalt” não tem peso algum para a nova missão para a qual foram reclassificados que é combate naval e de qualquer forma trata-se de apenas 3 unidades, insuficiente para atender o número de NAes cujo grupo de ataque obrigatoriamente conta com um “Ticonderoga” que exerce a função de navio chefe na defesa do NAe.

Carlos Gallani

Tbm acredito que pelo porte os ticonderogas podem muito bem deixar o comando para o AB!

Dalton

Falta espaço. Os “Ticonderogas” tem uma enorme superestrutura de alumínio mais leve, então apesar da pouca diferença no deslocamento entre um “Ticonderoga” e um “Burke III” ainda assim há mais espaço para pessoal e equipamento necessário para a função de navio “chefe”na defesa de um NAe.

Alex Barreto Cypriano

Reposição pros Ticonderoga, não tem. Tem mais e mais Burke e mais Constellation. Tradicionalmente, falar em retirar Ticonderoga de serviço dá bate-boca no congresso, mas trata-se de economizar recursos pra dar o pulo do gato. Se não vier o Biden com uma nova estratégia nacional de defesa pra mudar tudo. A matéria se foca apenas nas reservas mas seria legal uma visão de geral das aquisições.

message-editor_1607623056072-highlights.jpg
Dalton

Alex procure por: Future Large Surface Combatant, que será eventualmente o substituto não agora e sim para os remanescentes “Ticonderogas” que serão retirados na próxima década.

Alex Barreto Cypriano

Grato, Dalton. Vou pesquisar.

Alex Barreto Cypriano

Só pra contribuir no debate quantitativo/qualitativo, partilho mais esse quadro que, como o anterior, veio do The Drive/The War Zone:

message-editor_1607623730788-acqusitions.jpg
Carlos Campos

Biden vai ser a continuação política militarista Bush-Obama.

Rodrigo

Não entendi a diferença entre reciclado e descartado, não seria a mesma coisa? Ou quando diz “reciclado” seria atualizado para uma nova função?

Last edited 10 meses atrás by Rodrigo
Henrique

Reciclado é só pra navio nuclear por causa do reator. É um processo diferente e com mais cuidado na hora de fatiar o navio.

Descartado os caras passam o cortador no navio de qualquer jeito e mandam o metal pra siderúrgica. É muito mais rápido. O descartado tbm pode significar que o navio irá virar alvo em exercícios (e por consequência virar coral)

M65

E eliminado significa também descartado ?

elcimar menassa

cabe analisar um deses reabastecedores da classe kaiser..não devem estar tão no osso assim. pelo deslocamento E capacidade,um serviria bem a MB.até se pensar num projeto novo que nos atenda.dentro da nossa realidade de área

Henrique

Não valem a pena, estão parados há +15 anos

Dalton

Não vale a pena porque chegaram ao fim de suas vidas úteis e não porque estão “parados”. Todos os 15 Navios Tanque da classe Kaiser a serviço da US Navy encontram-se ativos.
.
A classe Kaiser originalmente teria 18 unidades, porém duas delas não chegaram a ser completadas e eventualmente foram desmanteladas e uma terceira unidade foi vendida ao Chile e continua prestando bons serviços.

Alex Barreto Cypriano

Absolutamente espantosa tamanha reserva (não pra venda nem doação: nenhum Whidbey Island ou Harpers Ferry pra MB). E não pára por aí: a USNavy deseja mais recursos pra desenvolvimento e aquisição de novos meios (dentre eles a frota não tripulada e até um novo pequeno porta aviões…) e vai requerer cortes nos orçamentos do USArmy e USAirForce. Vai dar galho? Gal Mark Milley declarou que, embora a ‘nature of the war’ permanecesse, o ‘character’ daquela estaria mudando. Pra mim há pouca diferença entre natureza e caráter de algo ou alguém, mas ‘character’ em inglês pode ser personagem, daí que os… Read more »

Last edited 10 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Tamandaré

Se tivéssemos cacife para manter operando, creio que somente os Ticonderoga fariam sentido, já que carecemos de embarcação nesse porte. Sem contar que várias ‘Tico’ estão sendo *postas em reserva*, o que indica que talvez alguns unidades não estejam exatamente “no osso”.

Mas enfim, creio que nem valha o esforço! Melhor investir logo nas FCT. Nada adianta DDG sem corvetas e fragata.

Diogo de Araujo

Vamo Brasil, é sua chance de comprar sucada dos EUA, porque desenvolver é besteira, o negócio é comprar de prateleira e pagar com bananas e minério de ferro. Pra que produzir? Não vira nada não bora comprar de prateleira pra sempre, não tem como dar errado, esses americanos não são muito inteligentes mesmo deveriam aprender com nós.

Dalton

Não há nada a venda nessa lista. O destino de cada unidade está especificado, diferente de algumas fragatas classe Oliver Perry descomissionadas alguns anos atrás que foram disponibilizadas para venda.

João Fernando

Bora fazer comparação forças brasileiras versus sucatão yanque. Não basta passar vergonha. Tem que pegar tétano junto. Ps – podem mandar essas sucataiada pra cá.

Luiz Floriano Alves

Poderíamos transformar algum em patrulha? É a nossa carência atual. Não vamos sonhe com embarcações para as quais não temos como abastecer. Com turbina, nam pensar…segundo alguns. Gastar em navios sofisticados é jogar dinheiro fora. Apoderem no cais.

MMerlin

Apenas os rebocadores. Não é bom misturar as especialidades das embarcações mas sabemos que a MB utiliza alguns também para patrulha.

carvalho2008

Se estes navios não terão mais nenhum custo benefício para a fonte inesgotavel de dinheiro norte americano, caros até para eles com custo crescente, porque teriam para MB?

Nenhum deles..

Ramon

Alguém sabe quantos anos tem os navios da classe Ticonderoga?

carlos

Quem é o piloto?

Pablo Maroka

Rubinho barrichelo

MFB

Entao o navio não chega a tempo de cumprir o cronograma de desativação.

Antoniokings

A grande está ficando curta, né Tio Sam?

Dalton

Ainda não. Há substitutos para todos eles a caminho. Os 11 classe San Antonio que substituiram os 11 classe Austin são bem maiores e os classe Whidbey Island serão substituidos por uma versão modificada da classe San Antonio ou seja serão também maiores.
.
Os Ticonderogas que serão descomissionados terão o lugar ocupado no inventário de grandes combatentes por outros 7 Arleigh Burkes II A em construção e pelos futuros Arleigh Burke III.
.
Mesmo os navios tanque classe Kaiser já tem substitutos em construção com casco duplo para atender as normas internacionais.

Antoniokings

As notícias que têm sido veiculadas na imprensa são de cortes de efetivos e de gastos em diversos setores das F.A. americanas.
Estão cortando pessoal dos Marines, da Força Aérea e agora essa notícia
Paralelo a isso, estão desmobilizando pessoal na Europa e em algumas partes da Ásia.
Parece ser um movimento generalizado, em que pese a proposta de Trump de aumentar os gastos para o ano que vem.

Dalton

Estão fazendo reajustes. Não estou dizendo que está tudo uma maravilha por lá ,porém, todas as unidades que em princípio serão retiradas nos próximos 5 anos possuem substitutos em construção e o número total de unidades deverá aumentar ligeiramente nos próximos 5 anos também.
.
Uma coisa é retirar “48” unidades em 5 anos e incorporar metade, mas, não é o que irá acontecer, basta ver as unidades que estão em construção hoje e as datas que espera-se serão incorporadas.

Flanker

Quem sabe, talvez, provavelmente….certamente…..esses cortes e desativações sejam para transferir recursos para novos navios e maior automação, logo, menos pessoal. E os EUA tem mais é que cortar forças na Europa….os próprios europeus devem cuidar das suas defesas.
Espera sentado a derrocada dos EUA…..não vai ser algo que vc vá viver para conseguir assistir….

Last edited 10 meses atrás by Flanker
nonato

Ele vai é morrer lutando pela China.
Irá para a China lutar…

Alex Barreto Cypriano

O orçamento do Pentágono está em US$ 750 bi, mais de meio PIB brasileiro. Pra eles, 1/25-30 do GDP.

Antoniokings

Leve em conta que o deficit fiscal deles para 2020 ficou em cerca de US$ 3 trilhões, ou seja, além de colocarem ‘no pendura’ esses US$ 750 bi, ainda estão devendo mais US$ 2.250 bi. Isso só em 2020.
Percebe-se que isso não vai se sustentar;

Flanker

Segue torcendo contra….é divertido….e mais divertido ainda é saber que vc não vai viver para ver….só se for matusalém….

Jagdverband#44

kkkk
Pior não é a torcida. É o fanatismo cego.

nonato

Não é fanatismo.
Mais um agente voluntário infiltrado.
Muitas sessões de lavagem cerebral.
O embaixador da China agradece.

Daniel

Vocês partem do pressuposto que imperios definham mas essa premissa está equivocada imperios colapsam, basta abrir os livros de história e veram inúmeros exemplos disso para um observador incauto tudo parece bem até que no espaço de algums meses ou poucos anos tudo vai por terra. Um exemplo recente para aqueles que como eu viveu aquele período , quem previu o colapso soviético antes dele acontecer? A resposta é ninguém mas antes de isso acontecer eles emitiram muitos sinais que um bom observador seria capaz de ler, e nesse momento o nosso atual imperio tem emitido sinais já a um… Read more »

Xerem

Alex Barreto Cypriano entao o PIB do Brasil de 2,400 trilhoes de Dolares – 750 bilhoes de Dolares e mais de meio PIB nosso ? Ta “SERTO ” voce como sempre sabe de tudo kkkkkkkkkkk

Alex Barreto Cypriano

O PIB 2019 deu sete trilhões de reais. Se você converter pelo valor de cinco reais por dólar, dá quanto, mesmo? Não sei tudo, não: não sei ficar rico nem o telefone da Paola Oliveira…

Antoniokings

Alex Cypriano

Essa questão de como mensurar o PIB já foi debatida aqui.
Considere as imperfeições desse tipo de cálculo.
Por exemplo.
Por esse cálculo, o PIB da Rússia seria menor que o do Brasil e no entanto ela têm um monte de submarinos nucleares, navios, mísseis, milhares de tanques, S-400, S-500, um monte de Su-30, Su-35 e por aí vai.
Portanto, calma nessas conclusões.

DOUGLAS TARGINO

Essa marinha desativada que eu queria para nosso Brasil!

Jorge Knoll

Dá de 1000 x 0 na nossa, que nem submarino tem. Apenas um em teste, mas não na ativa. Porta-aviões, nunca teve, só NA

Marcelo Andrade

Oi? Não tem submarinos?

Xerem

Jorge Knoll rapaz pare com essa cerveja a Outra ou Lokal isso faz um mal danado !

Gabriel BR

Usados até o osso ! não compensa para nós.

Marcelo R

Contrariando os comentaristas esportivos…
Contrariando os comentaristas de achismos….
Tudo o que vai ser desativado está muito desgastado e seria muito caro de manter aqui no BRASIL…
vocês acham que se comprado algo vinha completo….não só o casco enferrujado…
Portanto….. tudo sem condições…..
Não tem nada para COMPRAR na USNAVY…
Vamos tomar vergonha na cara e começar a CONSTRUIR tudo aqui….

joão Fernando

Nois num qué compra, nois qué ganha…pra que serviu mesmo o “Eu amo vc” do Bozo pro Trump hein?

Jorge Knoll

Para começar, não temos planejamento, nem organização, a não ser para troca de nome ou nomenclatura, nem orçamento.

Carlos Gallani

A marinha do Brasil não suporta um evento do tamanho de um ticonderoga mesmo que em razoável estado, não tem nem patrulha oceânica direito e a gordurinha que sobra dos soldos vai para o nosso “navio aeródromo” e para o prosub!

Fulcrum

Cheguei tarde, os defensores em comprar sucatas até o osso chegaram cedo,

Claudio

Imagina só, comprar sucata que quem ameaça a nossa soberania na Amazônia kkkk

Fabio Araujo

Será que o Biden liberara alguns para o Brasil via FMS?

sj1

Sim, vai liberar o Trident II e dois Los Angeles.

Fernando

Com esse ritmo de desativação parece que a Marinha dos EUA vai conseguir no máximo não encolher. Eles não vão por na água tantos navios quanto vão desativar.

Mas parece que eles querem mudar um pouco o padrão e adotar navios mais leves porque estão aposentando cruzadores e o que estão construindo hoje são fragatas. Como as fragatas deles são de verdade e não com 4 mísseis apenas, creio eu que valha a pena.

Dalton

Os cruzadores estão sendo retirados em bloco porque envelheceram em bloco também, fruto de um período em que dois ou três foram lançados no mesmo ano, porém deverão permanecer outros 11 até que uma nova classe de grande combatente seja planejada.
.
A ideia é ter um maior equilíbrio entre grandes e pequenos combatentes
mas por enquanto ainda haverá um grande número de Burkes já que um número maior será incorporado nos próximos anos contra os 11 “Ticonderogas” retirados , equilíbrio que finalmente será atingido com a baixa dos primeiros Burkes a partir de 2026.

Wagner

Eu não vejo problema nenhum em avaliar um petroleiro ou um navio de resgate ou até um de desembarque, para incluir na MB.
SE o navio tiver uma condição razoável… não adianta brincarem de potência aqui : sabem quando vamos construir um navio grande desses que eu citei ? Aqui no BR ? NUNCA.

Então se não estiver podre, acho uma boa ideia. Um de resgate, ou um petroleiro.

vlademir baltazar

No osso está o Brasil…….Precisamos de embarcações urgente !

Greyjoy

MB devia pegar esse Nimitz aí. Na falta da propulsão nuclear, a gente bota um motor de Opala no lugar.

Nilo

🤣 🤣 🤣 🤣

Eduardo

250-S

kkkkkkkkkkkkkkkk

gari

Bota um AP com um turbo e fica show!

Claudio

Pra operar os mega power invencíveis a4 kkk

Carlos Gallani

Aí a gente deixa o almirantado colocar o nome de “navio aeródromo intergalatico”!

Greyjoy

Eu já consigo ver o Almirantado fazendo suntuosos banquetes no convoo. Na ausência de uma ala aérea total, podíamos botar uns Astros, talvez alguns obuseiros. Tudo pro Almirantado tirar foto nos coquetéis.

Jagdverband#44

bota um esquilo no convoo e a tenda do regabofe

Carlos Campos

deu UP só pq sua zueira foi muito grande……….

Marcus Pedrinha

Seis caneco!

Frederico Boumann

Eu colocava um V8 do maverick ainda dava uma mexida… Esse CVN ia voar na água…. Ia botar prá torar!!!

Guacamole

Bem que o Brasil poderia……

sj1

Criar vergonha na cara…!

João Bosco

Acho que alguns desses navios interessariam à MB. Se estiverem em boas condições de uso, acho que valeria a pena negociar com os americanos.

Márcio

Custa entender o por que eles vão ser desativados ? justamente por que acabou a vida útil, não custa pensar camarada.

Dimas Santana de Souza

Prezado Senhor João Bosco. Boa Noite. A transferência ou uma provável compra de cruzadores classe Ticonderoga e do P.A. USS Nimitz seria algo inédito para o Brasil e para a Marinha do Brasil Havendo obviamente interesse dos EUA e também sinal verde . Sou plenamente a favor da não transferência de material nuclear para a América Latina, haja visto o risco de desencadear uma corrida armamentista . Porém o USS Nimitz poderia vir sem reator e demais componentes ( totalmente desdentado ). Havendo prévia inspeção por parte de nossos Engenheiros Navais e condição de navegabilidade de ambas as classes citadas… Read more »

BrunoFN

Do q pode interessar a MB.. seriam os navios classe ”Whidbey Island” 2 deles pelo menos pro CFN… o resto n adianta ,…NT ..acho q a MB n desistiu dos classe Wave da Royal Navy ( embora 1 ja esteja na ”reserva” .. n decidiram o q fazer ) …

Marujo

Tem também os caça-minas Avenger, muito mais novos que os nossos e igualmente com cascos de madeira.

Cicero Pazeir

Eu acho que os EUA tá indo a falência

Alang

ESQUEÇAM
Nenhum país produtor de equipamento nuclear é autorizado a vender a outros países, é acordo entre eles, é mais fácil o Brasil fabricar trinta submarinos Riachuelo do que adquirir um porta aviões Nimitz usado.

Dalton

O “Nimitz” depois de 2025 não teria “combustível” suficiente para outro ano de operação e reabastecer os dois reatores apesar de possível não compensaria
até por conta do estado geral do navio , afinal, foi comissionado em 1975,
modernizado para durar até 2025.
.
Mesmo o “Foch/São Paulo” foi adquirido com “apenas” 36 anos.

Junior Correia

Boa tarde a todos mais o pessoal que fica querendo NAe podem parar os EUA tem uma lei que não permite venda de porta aviões

Joao Moita Jr

Enfim, a Segunda Frota…
Agora vai!!!

joão Fernando

Vai? Pra onde??? hihihi

Marcus Pedrinha

João, seria, se fosse o caso, a Primeira. Porque, infelizmente, não temos nada que se possa chamar de frota…

Leandro Costa

Podes crer, Moita!

comment image?v=636392690325600000

Joao Moita Jr

OMG!!! 😅😂😮😅😂😮😁

FERNANDO

Eu não quero, e se comprar vou denunciar ao Papa.
Devem estar um osso completo, e pior, vão durar quantos anos na MB.
Quanto será o investimento de manutenção nestas belizinhas??
Só cucaracha compra!!!

Marcelo Andrade

Esses navios de abastecimento da Frota serviria para nós, já que só temos o Gastão Motta? Outra coisa, a US Navy está tirando os Cruzadores de serviço, será que toda a escolta estará nas costas das AB e da nova classe de Fragatas?

Dalton

A US Navy pretende mais para o fim da década encomendar um novo tipo de grande combatente de superfície para substituir os “Ticonderogas” que permanecerem, talvez utilizando boa parte do que se aprendeu com o
desenvolvimento da classe “Zumwalt”.

Leo Costa

Ñ me surpreenderia nem um pouco se a MB comprar pelo menos um navio de desembarque, e, talvez, também, um tanque.. O resto é resto… Aguardemos!

Carlos Campos

Não sobrou um AB pra vender

filipe

O Brasil vai aproveitar grande parte desses navios? Assim já temos como reforçar a nossa Esquadra.

Márcio

Que parte você não leu ? vão ser desativados.. retirados de serviço.

carvalho2008

Se estes navios não terão mais nenhum custo benefício para a fonte inesgotável de dinheiro norte americano, caros até para eles com custo crescente, porque teriam para MB?
Nenhum deles…

Hellen

O que serviria pra marinha seria os navios reabastecedor e os navios contra medidas de minas e talvez 1 de desembarque !!!!

ednardo curisco

Sei que vai contra a doutrina dos USA, mas eles precisam começar a pensar em unidades mais ‘baratas’, como a USAF tem feito com os Super Tucano.

Quantidade é sim necessária. Mas não tem orçamento que aguente ter tudo que é unidade custando tanto.

A marinha dos EUA está começando a ir neste caminho com as FREMM, mas ainda sim são navios caríssimos.

E não dá para estar em todos os lugares ao mesmo tempo com os atuais custos.

Obs: uma severa restrição que eles sofrem, além do custo das unidades, é conseguir gente para tripulá-las

Dalton

Eles já começaram com o “LCS” que finalmente estão entrando em serviço em maior número, que serão complementados pelas futuras fragatas. . Na próxima década se terá um maior equilíbrio entre os grandes combatentes representados pelos Ticonderogas remanescentes,Arleigh Burkes IIA e III, os 3 “Zumwalt” e um futuro grande combatente que efetivamente substituirá os Ticonderogas e os pequenos combatentes “LCSs” e fragatas. . Também se investirá em navios e submarinos não tripulados, um exemplo para o último é o “ORCA” desenvolvido pela Boeing. . A US Navy aparentemente também quer encontrar um equilíbrio entre os navios anfíbios clássicos com um… Read more »

CVN76

Mestre Dalton

Aproveitando que vc está na área…

Achei estranho o CG 66 e o CG 68 estarem na lista de irem para a reserva em 2022….

No momento ambos estão passando por uma grande reforma….e ir para a reserva logo depois?

Dalton

Entre na fila Franz…estou tão perdido quanto você 🙂
.
O que deduzi dos CGs 66 e 68 é que eles foram programados para modernização como anunciado, e apenas uma primeira fase teria sido levada adiante.
.
Não sei se tudo o que foi anunciado de fato se concretizará e quanto a modernização dos CGs para se aguentarem pelos próximos dez anos ou mais, certo mesmo só os CGs 63, 64, 65, 69 e 71.
.
Tempos interessantes à frente !

CVN76

Tb acho que ainda veremos algumas mudanças nessas listas!!

eder

Qualquer destas Ticonderoga sozinha abate a MB sozinha, qualquer destes navios atende a MB ou acham que tem sucata na US NAVY.

Dalton

Sejamos justos eder, podem “abater” muitas outras marinhas também. O caso dos “Ticonderogas” é que eles foram planejados para durar 35 anos isso com muita manutenção e esses 35 anos chegaram e seria muito caro estender a vida de todos eles ainda mais quando se tem outros 6 Arleigh Burkes IIA e os primeiros Flight III em diversos níveis de construção, todos com sensores mais sofisticados, mais capazes, inclusive para conduzir missões contra mísseis balísticos. . O que falta nos “Burkes” é espaço, coisa que aquela enorme superestrutura de alumínio leve dos Ticonderogas fornece, então, a ideia é manter alguns… Read more »

Marcelo

Se a marinha for pragmática ela pega os navios caça minas e os navios reabastecedores !!!!!

JS666

Os caça-minas e dois dos LSDs são bem vindos pra MB. Duas Ticonderogas também, dependendo do preço, mesmo que só restassem 15 anos de serviço. Não vamos conseguir outros navios dessa capacidade de nenhuma outra forma. Mas essa compra é impossível.

Os navios tanques não parecem bom negócio, não são tão novos, não tem casco duplo, e adaptar petroleiros ou mesmo construir novos não parece tão caro. Tentei fazer uma análise pragmática, considerando que não temos como construir uma frota nova inteira do zero.

- Publicidade -

Últimas Notícias

IMAGENS: Exercício Naval Interaction 2021 entre as Marinhas da Rússia e da China

A Rússia e a China realizam o exercício naval conjunto Naval Interaction 2021 no Mar do Japão, entre 14...
- Advertisement -