segunda-feira, março 1, 2021

Saab Naval

Leonardo demonstra sistema acústico ULISSES de guerra antissubmarino

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

  • Desenvolvida para detectar submarinos utilizando avançada tecnologia acústica, o ULISSES da Leonardo garante que o mar não é lugar para se esconder
  • A inserção do sistema de imersão sonar Firefly da L3Harris Technologies oferece mais precisão e alcance ao pacote ULISSES
  • Para a demonstração, o sistema combinado foi instalado em uma embarcação naval, enquanto um NH90 da Marinha Italiana cooperou disparando sonoboias

Roma, 21 de dezembro de 2020 — As novas capacidades do sistema para batalhas acústicas antissubmarino da Leonardo foram demonstradas recentemente em uma exibição na costa italiana e foi possível entender como o sonar de imersão Firefly desenvolvido pela L3Harris Technologies trabalha em conjunto com o processador ULISSES da Leonardo, permitindo a localização automática de inimigos simulados e alertando a tripulação de sua presença.

Também foi demonstrada a integração do sonar de imersão Firefly com o sistema ULISSES. O Firefly incorpora um poderoso sonar ativo, capaz de mergulhar até 200 m abaixo do nível do mar e detectar alvos em até 20 milhas, transmitindo para a superfície informações de áudio e vídeo processadas pelo sonar e pela sonaboia, por meio de um link de dados de banda larga.

Para a demonstração, os equipamentos ULISSES e Firefly foram instalados em uma embarcação naval, enquanto um helicóptero NH-90 da Marinha Italiana cooperou disparando sonoboias. A leveza é uma das características essenciais de design do ULISSES/ Flirefly, permitindo sua instalação em helicópteros de pequeno porte, utilizados em operações litorâneas; uma resposta à crescente demanda das Forças Armadas para a condução de operações acústicas anti-submarinas em águas azuis e rasas.

Aqueles que estavam a bordo do navio de comando ainda tiveram a oportunidade de observar na tela de operação como o ULISSES combina informações coletadas pelo sonar de imersão Firefly com dados de sonoboias ativas e passivas, levando à localização automática de contatos potenciais e à emissão de alertas. Além disso, o sistema ULISSES e Firefly oferece uma funcionalidade “multiestatística” em que os processadores coletam e exploram dados de até 64 sonares e sensores sonoboias, utilizando múltiplas fontes de informação para triangular precisamente a localização dos inimigos submarinos.

O ULISSES foi apresentado ao mercado na Farnborough Air Show em 2018, e foi exibido com êxito em um teste ao vivo no mar em novembro de 2019. O sistema está agora plenamente desenvolvido e negociações estão em andamento com potenciais clientes.

O sucessor do conceituado sistema acústico OTS-90 da Leonardo para helicópteros italianos e holandeses NH-90, o ULISSES oferece recursos altamente avançados em um pacote ainda mais leve. Isso o torna ideal para helicópteros menores e é projetado para substituir o OTS-90, tornando-o uma proposta atraente para o mercado de retrofit. O sistema também é adequado para aeronaves de asa fixa, embarcações navais e, sem o sonar de imersão, em drones.

Helicóptero MH-60R lançando sonoboia

DIVULGAÇÃO: Approach Comunicação

- Advertisement -

9 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jefferson

Coisa linda

ALEXANDRE

Tá ok mas um sub detecta o sonar ativo inimigo antes do sonar ativo detecta lo. Vai manobrar ou soltar um daqueles drones miúdos que vai voar, fazer esclarecimento e depois engajar os alvos com torpedos ou misseis superssonicos. Tudo isso bem longe. Concordam?

Ulisses

Muito bom gosto da Leonardo. Kkkk

Diego

Será que poderia ser adaptado aos super Lynx da MB ?
Honestamente, acho meio bizarro confiar somente em um sistema / fornecedor para sonar de aeronaves voltada s para guerra AS. Não seria viável fazer um sistema nacional para adaptar nos esquilos ou super Linx da MB ? Ja dependeríamos menos de outra nação …

Alex Barreto Cypriano

Por quê Ulisses? Não vejo nenhuma relação entre o personagem e o sistema…

Bosco

Seria por Ulisses ser ardiloso e inteligente e não se deixar ser enganado?

Alex Barreto Cypriano

Muitos personagens mitológicos (nao apenas greco-romanos) eram ardilosos e inteligentes (Atena, Prometeu, etc) A analogia eponimica poderia ter sido mais perfeita escolhendo melhor, opino.
De toda forma, mestre Bosco, tens razão na sua interpretação.

nonato

Esse tipo de sistema é para ser usado somente em csso de suspeita?
Ou é usado 24 h por dia?
Falo isso porque o ideal é localizar o submarino antes que apareça e não depois.
E o alcance é muito limitado .
No caso do Brasil, o que fazer?
Colocar uma barreira de boias onde?
Submarinos podem atacar a 1.000, 2.000 km…
E sem avisar.
Qual a utilidade dessas boias?

Rinaldo Nery

Sonobóia. Serve para ¨ouvir¨ o submarino. E é bem cara! Não dá pra ficar espalhando em 8 mil kilômetros de litoral (milhares de sonobóias).

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Relembre a entrevista com um comandante de submarino da Marinha do Brasil

Há cerca de 20 anos o Poder Naval Online entrevistou, por meio do colaborador Bruno Fagundes, um comandante de...
- Advertisement -
- Advertisement -