segunda-feira, março 1, 2021

Saab Naval

Argentina condena exercícios militares do Reino Unido nas Ilhas Malvinas

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

‘O Reino Unido deve deixar de pensar no Atlântico Sul e nas Malvinas em termos militares e como uma ameaça para toda a região’, disse o secretário das Malvinas, Daniel Filmus

O Ministério das Relações Exteriores da Argentina (FAM) condenou no dia 6 de janeiro os últimos exercícios militares realizados pelo Reino Unido nas Ilhas Malvinas.

As autoridades argentinas descreveram as atividades militares como uma demonstração de força injustificada e um distanciamento deliberado da resolução das Nações Unidas que clama por uma solução pacífica para a disputa territorial das Malvinas.

“Nosso país lamenta que em um momento em que a humanidade tem que unir forças e reunir todos os recursos disponíveis para combater o COVID-19 … esforços inúteis estão sendo dedicados a questões militares”, observou o comunicado de imprensa do FAM.

“A presença militar britânica nas ilhas se opõe categoricamente à vontade da Argentina de resolver a disputa por meios pacíficos”.

O FAM lembrou ainda que a região do Atlântico Sul deve ser considerada uma zona de paz e cooperação e os esforços devem ser direcionados para a redução da presença militar na região.

Em 1982, o Reino Unido e a Argentina travaram uma guerra pelo controle das Ilhas Malvinas, cuja soberania é disputada desde 1833.

Em 6 de novembro de 2020, os cidadãos argentinos comemoraram o 200 aniversário do primeiro hasteamento de sua bandeira nacional nas ilhas.

Na ocasião, o governo argentino criou o Conselho Nacional de Assuntos Relacionados às Ilhas Malvinas, Geórgia do Sul, Ilhas Sandwich do Sul e suas respectivas áreas marítimas.

“O Reino Unido deve deixar de pensar no Atlântico Sul e nas Malvinas em termos militares e como uma ameaça para toda a região”, disse o secretário das Malvinas, Daniel Filmus.

FONTE: teleSUR

- Advertisement -

33 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Glasquis 7

Começando o choro das ceboshitas em 3, 2, 1 …

Alison

O post começou bem… um comentario babaca inicia a discussão…

Glasquis 7

É, e um reposta ainda mais babaca. KKK

Mgtow

Falou aí anglo saxão bananeiro

horatio nelson

o nome das ilhas são falklands soldados britanicos morreram para que fossem chamadas como tal !

Antonio Renato Cançado

É território britânico, ué?!

Antonio Renato Cançado

Mas sempre se pode lançar outro ataque contra as ilhas, é só correr o risco de levar outra surra…

Gabriel Galdino

Os argentinos realmente acham que os britânicos levam eles a sério com essas reclamações ?

João Carlos

Claro que sim, a Argentina é uma potencia em todos os aspectos (na visao deles, claro)

Cunha

Igual ao Brasil, para os iludidos somos uma potência.Além disso, o próprio líder supremo das FFAA BR já sinalizou que não tem munição.

Slow

Psé o próprio “Boçalnaro falando pro biden que qnd acaba saliva tem pólvora “ na visão do capitão preso por planejar atentado no exército acha que o Brasil aguenta com ngm menos que os Eua kkkkkkkkkkkk é uma piada né pqp

Alison

Pos o dedo na ferida… kkkkkkkkk

Alessandro

Os habitantes da ilha não querem ser argentinos alguém precisa avisá-los, portanto não há nenhuma vontade pacífica de se discutir esse assunto por lá, o governo argentino deveria compreender que esse problema das Falklands era pra ter sido resolvido no séc. 19, mas nunca tiveram interesse na ilha.

Vinícius Momesso

Os da Criméia quiseram ser Russos e conseguiram!

Last edited 1 mês atrás by Vinícius Momesso
Alessandro

Só tem um probleminha para os argentinos, os Kelpers não querem e já deixaram isso ratificado por escrito, então só restou uma alternativa para a Argentina conquistar a ilha.

O que surge um outro problema só que bem maior, eles não são a Rússia e os donos da ilha são os ingleses.

Alison

Os Armênios da Karabk tb não queriam ser Azerbaijanos… Nesse caso especifico que a propria população da ilha ja se manifestou pro Reino Unido, so resta a Argentina usar as armas… OU seja, nao tem como…

Gabriel

Esperneiem os pacifistas, chorem os politicamente corretos, mas o fato é que a diplomacia só é efetiva com um braço armado, para dar sustentação aos argumentos.

Patética e risível esse tipo de manifestação.

Alison

Vc é um ota.rio mas ta certo nesse comentario…

leonidas

Esses hermanos não cansam de passar vergonha né?
A única coisa que me incomoda é que quando fazem essas reclamações eles chamam a atenção para a situação patética da américa do sul na sua capacidade (ou melhor dizendo, completa impotência) de zelar por seus interesses.
A AL parece aqueles casos onde um cara folga com algum estranho na rua, ele vai lá dá um pau nele e fala: – Pode ligar seus manos e vir pra cima que vai entrar todo mundo no pau junto com vc.
kkkkkkkkk
E literalmente rir para não chorar de vergonha…

Gilson Clemente

Não concordo o Brasil nunca perdeu território, pelo contrario expulsou os que aqui se aventuraram.

Luis Aurelio Contin

Perdeu o pedaço de território que hoje é a Guiana Francesa.

Alison

Outro que nunca foi nosso por Direito…

Alang

A Cisplatina, atual Uruguai.

Alison

Nunca foi nosso por Direto… Nos e que invadimos…

Alison

Discordo… O brasil já chama essa atenção sozinho…

Wilson Marcos Santos

De acordo com o princípio da Autodeterminação dos povos, que nossa Constituição diz que deve reger nossas relações internacionais, conforme o Inciso III do Art. 4º, devemos atender a vontade dos Kelpianos, ou seja, o nome das ilhas é Falklands, e está sob a soberania do Reino Unido, que pode exercer a soberania de defendê-la.

Millenium

Las Malvinas são inglesas e ponto final.

João Gabriel Porto Bernardes

“A presença militar britânica nas ilhas se opõe categoricamente à vontade da Argentina de resolver a disputa por meios pacíficos”.

É o ÚNICO meio que dispõem já que por meios bélicos seria uma piada!

Falklands are British e ponto final!

Henrique de Freitas

Sensacional o tamanho das Ilhas no mapa anexado.

Alessandro Vargas

Falando em paz justamente quem rompeu com ela em 82….
É aquela máxima: “a fama faz o ladrão”

Harrison

Independente de qualquer discussão sobre soberania,as ilhas eram e sempre foram britânicas e os Argentinos que provocaram a invasão.

Isso é um fato!

Porém geograficamente falando consigo entender os Argentinos e também se fosse Argentino iria desejar ver os Ingleses expulsos do Atlântico Sul.
Assim como fizeram com Portugueses e espanhóis…. entretanto o mundo é outro.
A Argentina não tem força militar e diplomática para conseguir a soberania nas Falklands.

Aéreo

Eu também condeno o meu vizinho que comprou uma Land Rover e anda saindo com as mulheres mais desejadas da cidade. Em plena época de pandemia, com todos preocupados com o futuro da civilização ele anda aprontando este tipo de coisa. 

Alang

A minha opinião é o seguinte, a Argentina entrou em um conflito com a Inglaterra, invadiram um território dela, PERDERAM, SE F💩💩💩💩💩💩!!!
Perderam a guerra, a moral e a chance de discutir um direito as ilhas.

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Quando o P-3AM Orion da FAB enfrentou um submarino nuclear

Imagine buscar um inimigo invisível em uma área de 2 mil quilômetros quadrados, equivalente a mais de 242 mil...
- Advertisement -
- Advertisement -