sexta-feira, dezembro 3, 2021

Saab Naval

Aspirantex 2021: Aspirantes da Escola Naval embarcam no Capitânia da Esquadra

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Por volta das 8 horas da manhã de 12 de janeiro, 185 Aspirantes da Escola Naval embarcaram no Navio-Aeródromo Multipropósito (NAM) “Atlântico”, o maior meio da Esquadra brasileira. É a primeira vez que a maioria destes futuros Oficiais tem a oportunidade de estar a bordo de um navio de guerra. O Aspirante Cionci disse que as expectativas não poderiam ser maiores. “É uma sensação emocionante. É muito importante estar a bordo. Não tenho nem palavras para descrever o que é estar a bordo de um navio da Marinha”, afirmou.

Antes de subir na prancha que dá acesso ao NAM “Atlântico”, a fim de cumprir os protocolos de enfrentamento da pandemia da Covid-19, os Aspirantes testaram a temperatura corporal e receberam um kit composto por máscara e álcool em gel.

Após prestarem continência ao Imediato, Capitão de Fragata Calfa, os Aspirantes foram conduzidos por meio do elevador de aeronaves ao convoo, onde receberam as boas-vindas do Comandante do navio, Capitão de Mar e Guerra Mozart. Na ocasião, o Comandante reforçou a importância da “Aspirantex 2021” para a carreira e decisões futuras dos Aspirantes.

Ao todo, 258 Aspirantes do 1º, 2º e 3º anos da Escola Naval participam da “Aspirantex 2021” a bordo dos meios da Esquadra. A Comissão tem como principal objetivo familiarizar os futuros Oficiais com a rotina e as tarefas características da vida no mar, por meio de exercícios táticos. A experiência é fundamental para que os Aspirantes do 2º ano façam a escolha do Corpo (Armada, Fuzileiros Navais e Intendentes da Marinha) e da Habilitação (Sistemas de Armas, Mecânica e Eletrônica) que definirá suas carreiras.

FONTE: Marinha do Brasil

- Advertisement -

19 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Fernando

Marinheiros sem navios. Hilário

Nascimento

Devido também a MB ter gastos com pessoal totalmente fora da realidade mundial. A sociedade não vai milagrosamente mudar e enriquecer para prover uma estrutura arcaica.

Está gasto esse discurso de que a culpa é do governo (PT, FHC, Bolsonaro) que não dá os recursos ou da sociedade. Se quer fazer, faz com o que tem, olhem para Itália, Austrália, Turquia, Egito, Israel e Espanha. O quão avançado esses países são e dispondo de orçamentos iguais ou inferiores ao nosso… O orçamento é da MB. Se gastam mal…de quem é a culpa?

Last edited 10 meses atrás by Nascimento
Wilson Look

Mas não é a MB que tem total controle dele.

Gastos com pessoal são gastos obrigatórios, nem o Poder Executivo pode movimentar esse tipo de gasto ao seu bel prazer, somente os gastos discricionários podem ser movimentados e mesmo esses somente os que não são carimbados.

Tem muita coisa que tem que mudar, mas para mudar, primeiro tem que saber o que que tem que mudar e aonde que a mudança tem que acontecer, se não entendermos como um orçamento público funciona no Brasil, não será possível achar os problemas no orçamento da MB.

Nascimento

”não é a MB que tem total controle dele.” Se a MB não tem controle dos seus gastos quem terá? A MB expandiu seu efetivo além da porcentagem orçamentária que deveria ser destinada para compra de compras de meios, tornando-se um cabidão de empregos, gastando 80% do orçamento com gente. Não tem navio porque gastaram o dinheiro dos navios com pessoal, se o gasto é obrigatório ou não, isso é irrelevante, o que importa é a causa principal desse déficit, se não cortar na carne (80% do orçamento) não adianta. Lembrando que escravidão já foi legalizada e nem por isso… Read more »

Wilson Look

Quem controla o orçamento de todo o governo é o ministério da economia, são eles que decidem o quanto que cada ministério e setor do governo vai receber, e enquanto os gastos obrigatórios tem que ser feitos, os discricionários podem ser reajustados, mas somente se não tiver destino definido, no caso carimbado. Nesse sistema a redução dos gastos obrigatórios não significa o aumento nos gastos discricionários, pois o valor liberado pela redução volta para o ministério da economia e eles determinam quem vai receber cada fatia dessa grana. Uma solução para um problema só é uma solução se todo o… Read more »

Nascimento

Quem controla o orçamento do governo federal é o Min Economia, mas após o orçamento chegar nesses ministérios os controla são os respectivos ramos das FAs que o recebem. Independente de quem manda dinheiro pros ministérios, seus orçamentos continuam altos, uma vez que há anos o país desfila entre os 10° maiores orçamentos militares do mundo e mesmo assim continua com um maquinário defasado e em quantidade pífia, sem contar que mais de 95% do orçamento do governo federal é obrigatório, portanto as FAs continuaram a receber as grandes parcelas. Ginástica mental é o que está fazendo.

Wilson Look

Controlam o que não é gasto obrigatório nem discricionário carimbado, ou seja com uma finalidade específica, de resto podem remanejar como quiserem.

Sobre o resto isso é o sintoma de um problema, não o problema em si. Tentar tratar o sintoma é igual a podar erva daninha em um pomar, o problema continua lá e cada vez fica pior.

Pablo

Qualquer um pode ser o culpado (ou os culpados) pela situação da marinha, pq a gestão (ou gestões) nao podem ter culpa tambem?

Jagdverband#44

Falou tudo, e pior..
Ficam brincando de esquadra, projeção de poder, sub nuclear…
Deveriam ter 30 OPV classe amazonas e deu!!

Enes

Caro Nascimento, quem aumentou o efetivo foi o congresso na época da descoberta do pré-sal. justamente no governo Lula.

PACRF

Não há sociedade no mundo que não dê importância às suas respectivas forças armadas. No entanto, as forças armadas precisam demostrar sua importância para a sociedade. Não é nosso caso.

Teropode

Cara quando se trata de Brasil eu tenho minhas dúvidas .

Joli Le Chat

Por que nestes navios conseguimos enxergar as cavernas e os reforçadores delineados no revestimento? Em outras palavras, é normal vermos o “esqueleto” do casco tal como vemos na primeira foto?

Teropode

Máquina formidável , e pensar que eu sugeri o nome Atlântico , tenho orgulho disto , basta conferir as reportagens da época . O bicho tá lindão , pintura impecável , eu só gostaria de ve_lo com aqueles canhões rotativos automáticos ,uma versão Pantsir para navio e alguns Helicópteros para alerta antecipado . Foi a melhor compra da Marinha dos últimos 20 anos , depois dos Scorpenes é claro !

Mattos

O certo é que essa sociedade brasileira que aí está, está se lixando para as nossa FFAA. Só querem sabe de futebol, carnaval, cerveja, praia e maconha.

Tulio

Isso não é desculpa para a incompetência, má gestão e falta de seriedade e compromisso que existe na marinha ou nas outras forças. Duvido que a sociedade europeia, japonesa, etc, deem tão mais importância para suas forças armadas, e isso não impede essas de serem eficientes, modernas e no estado da arte.

Nilson

Meu caro, pegue a quantidade de pessoal da força aérea de Israel e dívida pela quantidade de meios aéreos da mesma. Fez, agora faça com o Brasil. É necessário falar mais …..

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Rússia envia lançadores de mísseis antinavio para perto das Ilhas Curilas reivindicadas pelo Japão

MOSCOU (AP) - Os militares russos desdobraram sistemas de mísseis de defesa costeira para as Ilhas Curilas, uma cadeia...
- Advertisement -