domingo, abril 11, 2021

Saab Naval

EUA vão investir US$ 27,4 bilhões em rede de mísseis anti-China ao longo da primeira cadeia de ilhas

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O Comando Indo-Pacífico dos EUA solicita dobrar os gastos no ano fiscal de 2022

Os EUA reforçarão sua dissuasão convencional contra a China, estabelecendo uma rede de mísseis de ataque de precisão ao longo da chamada primeira cadeia de ilhas como parte dos US$ 27,4 bilhões em gastos a serem considerados para o teatro Indo-Pacífico nos próximos seis anos , informou a Nikkei.

Os mísseis constituem as propostas centrais da Iniciativa de Dissuasão do Pacífico que o Comando Indo-Pacífico dos EUA submeteu ao Congresso e que a Nikkei analisou.

“O maior perigo para o futuro dos Estados Unidos continua sendo a erosão da dissuasão convencional”, disse o documento. “Sem uma dissuasão convencional válida e convincente, a China é encorajada a agir na região e globalmente para suplantar os interesses dos EUA. À medida que o equilíbrio militar do Indo-Pacífico se torna mais desfavorável, os EUA acumulam risco adicional que pode encorajar adversários a tentarem mudar unilateralmente o status quo.”

Especificamente, o documento pede “o envio de uma Força Conjunta Integrada com redes de ataque de precisão a oeste da Linha Internacional de Data ao longo da primeira cadeia de ilhas, defesa de mísseis integrada na segunda cadeia de ilhas e uma postura de força distribuída que forneça a capacidade de preservar a estabilidade e, se necessário, dispensar e sustentar operações de combate por longos períodos.”

A primeira cadeia de ilhas consiste em um grupo de ilhas que inclui Taiwan, Okinawa e as Filipinas, que a China vê como a primeira linha de defesa. A estratégia de “anti-acesso/ negação de área” (A2/AD) de Pequim visa empurrar as forças americanas para fora dos mares do Leste e do Sul da China dentro da primeira cadeia de ilhas.

A China também busca impedir que as forças dos EUA se aproximem da “segunda cadeia de ilhas” no Pacífico Ocidental, que vai do sudeste do Japão até Guam e do sul até a Indonésia.

O Comando Indo-Pacífico apresentou um plano de investimento para o ano fiscal de 2022 até o ano fiscal de 2027 ao Congresso neste mês.

Para o ano fiscal de 2022, ela solicitou US$ 4,7 bilhões, o que é mais do que o dobro dos US$ 2,2 bilhões destinados à região no ano fiscal de 2021, e está perto dos cerca de US$ 5 bilhões que Washington gastou anualmente para negociar com a Rússia.

O total de US$ 27,4 bilhões em seis anos representa um aumento de 36% sobre os gastos planejados para aquele período a partir do ano fiscal de 2020, refletindo o crescente alarme sobre a atividade chinesa em torno de Taiwan e dos mares do leste e sul da China.

Em um discurso no American Enterprise Institute, com sede em Washington, em 4 de março, o almirante Philip Davidson, chefe do Comando Indo-Pacífico dos Estados Unidos, disse que há preocupações sobre os próximos seis anos como um período em que a China pode procurar mudar o status quo na região, como com Taiwan.

Ele disse que há “um entendimento fundamental de que o período entre agora e 2026, esta década, é o horizonte de tempo no qual a China está posicionada para alcançar uma superação em sua capacidade, e quando Pequim ‘poderia’, amplamente escolher mudar à força o status quo na região.”

“E eu diria que a mudança nesse status quo pode ser permanente”, disse ele.

Clique no gráfico para ampliar

O plano está estruturado para “concentrar recursos em capacidades militares vitais para deter a China”, de acordo com o documento. “Os requisitos delineados neste relatório são projetados especificamente para persuadir os adversários em potencial de que qualquer ação militar preventiva será muito cara e provavelmente fracassará ao se projetar poder de combate confiável no momento da crise”, afirma o documento.

A proposta será seguida de discussões com legisladores e países que estariam envolvidos em sua implementação. No passado, a China se opôs às tentativas dos EUA de colocar escudos antimísseis em países aliados, principalmente na Coreia do Sul.

Os EUA têm cerca de 132.000 soldados estacionados no Indo-Pacífico, de acordo com um livro branco de defesa japonesa.

O plano de investimento apresenta “redes de ataque de precisão com alta capacidade de sobrevivência ao longo da primeira cadeia de ilhas” como um elemento central. Isso significaria a expansão do uso de baterias terrestres com mísseis convencionais, já que os militares descartaram o uso de ogivas nucleares nesses mísseis de curto e médio alcance.

Os EUA há muito baseiam sua estratégia para a China em torno de suas forças navais e aéreas. Durante a crise do Estreito de Taiwan em 1996, os EUA enviaram porta-aviões para projetar uma força militar esmagadora como dissuasão.

A China agora possui um arsenal diversificado de mísseis com o objetivo de bloquear um avanço militar dos EUA dentro da segunda cadeia de ilhas. Isso tornou a estratégia dos EUA baseada na Marinha e na Força Aérea menos viável.

A China é forte em mísseis terrestres de alcance intermediário. Embora a China tenha um arsenal de 1.250 desses mísseis, segundo o Pentágono, os EUA não têm nenhum.

Essa lacuna se deve ao Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, que proibiu o desenvolvimento de mísseis terrestres com alcance entre 500 km e 5.500 km. O acordo expirou em 2019.

Clique no gráfico para ampliar

“O Tratado INF restringiu desnecessariamente os Estados Unidos”, disse o senador Jim Risch, o membro republicano do Comitê de Relações Exteriores do Senado, à Nikkei em uma entrevista por escrito.

O lançamento de mísseis de alcance intermediário no Indo-Pacífico “é uma grande e cada vez mais necessária área de discussão para os Estados Unidos e o Japão explorarem”, disse Risch.

Uma rede de mísseis contra a China na região do Indo-Pacífico “seria uma vantagem para o Japão”, disse um alto funcionário do governo japonês. Este funcionário disse que Tóquio não discutiu tal medida com Washington.

As forças americanas terrestres, marítimas e aéreas estão estacionadas no Japão sob o tratado de segurança bilateral dos dois países, que obriga Washington a defender o Japão se for atacado. Existem agora cerca de 55.000 soldados americanos estacionados no Japão, o maior contingente de tropas americanas no exterior.

As forças dos EUA no Japão atualmente não mantêm mísseis que poderiam atingir a China. O Ministério da Defesa do Japão está construindo suas próprias capacidades de mísseis de longo alcance nas ilhas Nansei, que incluem Okinawa.

Sistema de defesa de mísseis dos EUA atualmente instalados no Pacífico Ocidental

Mas colocar mísseis dos EUA em solo japonês seria muito difícil. Como tal movimento afetaria a divisão de funções entre os militares americanos e as Forças de Autodefesa do Japão, Tóquio e Washington precisariam discutir os detalhes de qualquer implantação proposta, incluindo a localização e o alcance dos mísseis.

É provável que surja uma oportunidade durante as negociações sobre o apoio da nação anfitriã para o ano fiscal de 2022 em diante. A implantação de mísseis “pode ​​ser discutida enquanto falamos sobre o curso da aliança Japão-EUA”, disse um alto funcionário do Ministério das Relações Exteriores.

A decisão do Japão de hospedar mísseis americanos certamente irritará a China, complicando a diplomacia entre os dois vizinhos economicamente interligados. E Tóquio provavelmente encontrará oposição local em torno de possíveis locais de implantação, incluindo Okinawa, onde cerca de 70% das forças americanas no país estão concentradas.

Também podem surgir preocupações com o orçamento. Washington “poderia nos pedir para arcar com a manutenção e outros custos associados aos mísseis implantados no Japão”, disse um funcionário do Ministério da Defesa.

Posicionamento proposto para os sistemas de misseis dos EUA contra a China, na primeira e segunda cadeia de ilhas

Estimativa do INDOPACOM para as forças da China em 2025 no Pacífico Ocidental (clique na imagem para ampliar)

FONTE: Nikkei Asia

- Advertisement -

138 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
138 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

Creio que os EUA não estão um pouco ‘neuróticos’ com a ascensão da China.
Devem relaxar.

Edson

Na verdade então todos estão neuróticos com a China, EUA, Índia, Europa, Taiwan e outros vizinhos, ainda mais com a nova famigerada lei de ataque estabelecida contra pescadores.

Antoniokings

Existe a famosa ‘expectativa x realidade’.
Em um dia, Biden anuncia que vai criar um grupo para ‘descolar’ a cadeia de suprimentos de alta tecnologia da China.
Para isso, vai chamar seus ‘aliados’ para tentar isolar o ‘inimigo’.
Exatamente, três dias depois, a Foxconn de Taiwan anuncia nova instalação para semi-condutores na China Continental criando trinta mil empregos.
O Japão e Coreia anunciam recordes no intercâmbio com a China.
Deixem os EUA com seus sonhos enquanto a realidade vai devorando o País.

Flanker

Tu tá sendo irônico, né? Quais pescadores?

Flanker

Ué! Pq tantos dislikes? Eu só perguntei sobre quais pescadores ele estava falando e sobre qual lei de ataque à eles!

Cristiano de Aquino Campos

A neurose deles se chama concorrência. E ela assume vários nomes ao longo da história. Espanha, Inglaterra, México, Alemanha, Japão, União soviética, China.
A próxima será a Índia e um dia talvez se os planos das nossas elites fracassarem, seremos nós.

Adriano RA

De uma coisa não vou me esquecer em relação à China. É o único país que nos envia vacinas. EUA, Europa e Índia querem que nos lixemos. Grandes parceiros são esses…

Tulio

Isso é mentira Adriano, a Índia está enviando vacinas ao Brasil normalmente, inclusive com os próprios indianos tendo ficado com poucas doses para utilizar no próprio país.

Caio

Essa neurose dá uma grana!! 27 bilhões de doletas , só para a ” imensa quantidade de mísseis sinistros dos chinas”.

Antoniokings

Verdade.
E segue o jogo!!!!!

João Adaime

E um jogo de xadrez onde no final ambos vão propor empate.

Andromeda1016

Só haveria empate se for para deixar as coisas do jeito que estão agora, mas a China não quer e não pode. A história chinesa é uma sucessão de domínios de diversas etnias uma sobre a outra (as dinastias chinesas) sendo muitas delas estrangeiras (Mongol, Manchúrio, Turco, etc) e a última, que foi promovida pelo ocidente (ex: Guerra do ópio), está ainda fresca na memória dos comunistas. Por trás de toda essa agressividade e assertivismo existe um grande medo de que essa interferência estrangeira se repita e os comunistas vão fazer tudo que for possível para evitar isso. Os EUA… Read more »

João Adaime

Caro Andromeda1016
Boa tua análise. Mas uma guerra convencional entre China e EUA é praticamente impossível, uma vez que existe um oceano entre eles. Vão ficar jogando bombinha um contra o outro, mas ataque por terra de parte a parte, só se aterrarem o estreito de Bering. E Canadá e Rússia autorizarem a passagem de tropas (de qualquer lado) por seus territórios.
A outra alternativa é aquela que vai exterminar a raça humana. Por isso acho que vai ficar igual a guerra fria entre EUA e URSS.
Abraço

Andromeda 1016

Alemanha e Japão não tinham fronteiras terrestres com os EUA também. A partir da adoção da doutrina geopolítica de Alfred Thayer Mahan no século 19 pelos EUA o mar passou a ser a fronteira deles com o resto do mundo e tudo que ocorre no mundo passou a ser do interesse deles. Invasões por terra está reservada para ser realizada por meio da península coreana onde eles mantém muitas bases, soldados, equipamentos de infantaria e a força aérea. Os chineses sabem disso e por isso concentram o melhor de seu exercito em pessoal e equipamentos no sul da Manchuria, perto… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Andromeda 1016
Arrais Amador

É um caminho sem volta. Se a doutrina de manutenção da supremacia americana for levada até às últimas consequências, haverá guerra, inevitavelmente.

Antoniokings

Do jeito que os países estão cada vez mais dependentes da China, os EUA irão sozinhos nessa empreitada.
Aliás, os EUA devem resolver se querem confrontar a China ou aumentar ainda mais suas relações comerciais com o gigante asiático, porque apenas nos dois primeiros meses de 2021, o comercio entre os dois países cresceu 69,6%

Bosco

Antonio, Se tem algo que os acontecimentos recentes (ascensão do Trump nos States, do Bozo no Brasil e do Covid no mundo) nos diz com certeza é que não há certeza de nada nesse mundo velho sem porteira. Achávamos que apesar das incertezas da vida, havia uma sociedade minimamente consistente e equilibrada, mas acordamos e vimos estupefatos que não há verdades verdadeiras, nada que dure para sempre. Só há pontos de vista. Não há nada de “favas contadas”. Todo esse economês não vale nada. O que tiver que ser , será, e a economia é jogada pra escanteio igual joelho… Read more »

Antoniokings

Tudo bem.
O único problema é que as forças que dominam o Mundo estão se deslocando para o Oriente.
E todos terão de surfar nessa onda.
Afinal, ninguém vai querer ver o prato de comida de seu filho vazio, porque os americanos consideram que os valores ‘democráticos’ ocidentais (que é o maior papo furado) estão em perigo.
Nem preciso dizer isso, porque é exatamente o que já está ocorrendo.

Bosco

Pode ser, mas então tempos difíceis virão. Se antes tínhamos pelo menos a impressão de estarmos vivendo num estado de segurança mínima, com a onda que vem do norte e que está dominando tudo vai ser um verdadeiro pesadelo.
Estamos vivendo tempos em que nos dirão que o céu é vermelho e o mar é amarelo e teremos que concordar.

Bosco

Correção: a onda que vem do LESTE

100nick-Elã

Para com isso, Bosco. A China já domina o Brasil, é só pesquisar no Google: é nosso maior parceiro comercial – 30% enquanto os EUA respondem por apenas cerca de pouco mais de 10%. E não fiquei com olhos puxados, não estou comendo com pauzinho (só de vez em quando, adoro comida japonesa), não aprendi kung fu e muito menos o céu ficou vermelho e o mar amarelo.

Thiago A.

“não fiquei com olhos puxados, não estou comendo com pauzinho (só de vez em quando, adoro comida japonesa), não aprendi kung fu e muito menos o céu ficou vermelho e o mar amarelo.”
Já por aí você mesma pode tirar que a China não domina o Brasil, pois a capacidade norte-americana de nos influenciar e até direcionar passos e gostos da nossa sociedade é infinitamente maior. Não que considere isso algo positivo, mas é fato inegável.

Tulio

A China cairá e terá todo esse “destino grandioso” quebrado pelo mesmo motivo da queda dos EUA e Europa: demografia. A China tem uma população extremamente envelhecida, que precisará de um sistema previdenciário diferente de tudo já visto no mundo para ser sustentada, e não se sabe de onde virá os recursos para isso, já que a renda do país ainda é só um pouco maior que a do Brasil, México ou outros, o que ainda acarretará na queda do principal orgulho chinês que é sua imensa força de trabalho. É por isso que eu questiono essa ideia de que… Read more »

Conan

Exatamente Bosco, como sempre foi, quem deixar a preguiça mental de lado e estudar um pouco de historia vera isso claramente.

Defensor da liberdade

Agora eu concordo contigo, “segurança jurídica”, democracia, carta magna, certezas absolutas… são apenas “sonhos de uma noite de verão”, porém enquanto forem delegadas tais funções ao grande papai estado, a babá de marmanjos e marmanjas, que precisam de políticos cuidando das vidas deles.

igortepe

Essa dependência pode terminar facilmente. Me diga qual tecnologia, que por sinal muitas foram roubadas pelos chineses dos países ocidentais e até da Russia, os outros países não tem.
Se os países do ocidente, começarem a retirar industrias da China, o dragão vai apagar o fogo e ficar com o rabo entre as pernas,

Maurício.

Arrais, na minha opinião, uma guerra entre EUA e China é praticamente impossível de acontecer, no máximo será uma guerra fria 2.0 como já vem “acontecendo”. A China está seguindo os passos dos EUA, quer ser um “xerife do mundo”, o crescimento militar da China só serve para colocar medo em países de terceiro mundo, e em alguns países vizinhos pequenos, com poder militar inferior. Os americanos não se orgulham das suas “90.000 tons of diplomacy” de um porta aviões? Pois é, os chineses também querem suas “tons do diplomacy”, é tudo uma questão de “diplomacy”. O grande conflito entre… Read more »

Carvalho2008

E depois a China tem a ideia de colocar misseis na Venezuela, Cuba tudo igual..,

Antoniokings

Li interessante reportagem do Professor de Economia da UERJ, Elias Jabour, sobre a possibilidade da Venezuela se tornar um ‘apêndice’ da economia chinesa.
Isto poderia ocorrer (segundo ele estava previsto para se iniciar agora, mas foi atrasada em vista da pandemia) pelo fato da crescente interligação entre os dois países.
Citou que o mesmo está ocorrendo com o Irã e a Argentina que estão impondo cláusulas que beneficiem a economia e empresas de seus países.
E à China, é claro que interessa.

Evgeniy (RF).

Os chineses absolutamente não precisam disso. Eles simplesmente começarão a dominar a simbiose EUA-China mais cedo ou mais tarde.

Andromeda1016

Concordo com você. Os chineses podem ganhar dos EUA por outros meios do que a beligerância. Veja como nesta ultima eleição presidencial se verificou a infiltração do poder chinês na política e economia norteamericana e se nada for feito isto poderá se intensificar corroendo os EUA por dentro. Aliás a China está fazendo isso em todo o mundo, graças à utilização dos dólares que os EUA mandam à baciada para eles. Em vez de deixar todo esse papel juntando poeira nos seus cofres eles decidiram sair por ai comprando aliados pelo mundo e parece que está dando certo. A fraqueza… Read more »

Allan Lemos

Nesse caso, os militares brasileiros teriam que estacionar algumas baterias de Astros
equipadas com o MTC-300 e a futura defesa antiaérea de médio alcance na Amazõnia, se não forem inconsequentes.

Manock

Relaxa, nossos militares estão mais interessados em cargos civis nos governos e nas estatais (já passam de 10k).

Eles não estão nem aí pra esse debate complicado de geopolítica…

Conan

Enquanto o rancho for de boa qualidade e fartura e generais, almirantes e brigadeiros continuarem a não conseguir fechar os botões de suas fardas sobre suas imensas barrigas tudo estará em paz no fronte.

Slow

Russia tentou fazer isso ..

carvalho2008

quem é cercado…tambem tenta cercar….sem entrar no mérito de quem tem a razao de cercar primeiro….

Matheus S

Não que eu ache que isso iria acontecer, mas se a China tivesse o pensamento dos soviéticos, eles fariam isso sim, pois a situação é bastante parecida com a Crise dos Mísseis Cubanos. Os soviéticos instalaram os mísseis em Cuba como uma resposta aos EUA colocando mísseis nucleares na Turquia e na Itália. Só porque os mísseis atuais sendo colocados em torno da China não são nucleares, não significa que não sejam provocativos. Os EUA estão tentando negar a capacidade da China de contra-atacar os EUA. Isso em si já é uma provocação, pois agora não haverá cenário “Eu ataco você, você… Read more »

Rui Chapéu

Taiwan parece a Polônia na segunda guerra……

Antoniokings

Será uma espécie de Áustria.

Flanker

Então você assume que a china será a Alemanha nazista?

Antoniokings

Não.
Apenas que o processo será de reunificação sem confrontos.
Anschluss.

Jacinto

O Anchluss não é nem de longe o que a China quer. É só ver que a Áustria tornou-se independente da Alemanha e hoje é um país soberano, independente e reconhecido internacionalmente – que é o exato oposto do que a China quer para Taiwan.

Tulio

Campo de concentração já tem, então é meio caminho andado.

Defensor da liberdade

Polônia roubou terras alemãs, mereceu o que teve. Taiwan, acredito, não fez isso.

angelo bigalli

Como a China vai reagir a esse cinturão de fogo real e letal?

Antoniokings

E talvez expandindo o ‘cinturão’ de preocupação para os EUA, aumentando a influência, inclusive militar no Irã (esse é certo), Venezuela e etc.

Nostra

Ain’t this the reaction America wants in the first place ?

Increase the economic costs and force the adversary to over spend ?

Force the attention to a single theatre and put Chinese Western belt where most of its economic activities are, at risk at the same time ?

The same thing was done against the USSR.

Last edited 1 mês atrás by Nostra
Antoniokings

Só que agora, o jogo se inverteu.
Quem está com sérios problemas econômicos e estrondosos deficits públicos são os EUA.
A China é quem está ditando as regras do jogo.

Defensor da liberdade

The USSR lived with the spoils of its satellites, unlike China today.

In addition, the USSR’s containment policy has made the United States a deficit of many trillions of dollars, under the Reagan government. It just didn’t sink because its economy was more open.

Bueno

Os EUA já estão aumentando os ativos navais com capacidade de lançar mísseis convencionais e balísticos na região Indo-Pacífico, (matérias aqui no naval), este escuto contra o avanço da China só se confirma.
Interessante a estratégia de avançar para a fronteira marítima da China este cinturão de
fogo, ganha em tempo de reação a qualquer lançamento de mísseis balísticos
contra os EUA e Europa.
Este é o verdadeiro significado de matar no ninho, se conseguir o apoio do Japão e Coreia do Sul para mitigar os custos vai ser um grande negócio da China. rs

Last edited 1 mês atrás by Bueno
Bosco

Bueno,
Os Marines e o USA irão operar o Tomahawk e mísseis antinavios lançados de terra. Os navios anfíbios americanos LPD e LSD estão recebendo mísseis antinavios. Provavelmente até os “cutters” da USCG poderão ser armados com mísseis antinavio. Os submarinos americanos voltarão a ter mísseis antinavios…
Soma-se a isso os mísseis hipersônicos lançados do ar, submarinos, navios e chão que estão prestes a sair do forno.
Tá longe ainda de um lado começar a pular achando que a partida acabou. Ela não tá nem no meio.

Bueno

Sim, Mestre Bosco
o AGM-183A Com previsão de capacidade operacional em 2022  e no final de 2023 a implantação do programa RCCTO do Exército e Marinha dos EUA  (
início dos teste para certificação final de 2021)… isto ai é assunto que você domina.

Andromeda1016

Se forem prudentes deveriam recuar e continuar a fazer o que estão fazendo que é enfraquecer os EUA por outros meios que não a guerra, contudo com a briga pelo poder dentro do partido comunista chinês pode ser que Xi Jing PIng tenha de continuar com o show de beligerância para manter seu poder

Matheus S

Isso já era bem previsto pelos chineses que acompanham o desenvolvimento do Pacific Deterrence Initiative(PDI) pelos americanos e aliados. Foi relatado que o PDI é inspirado pela European Deterrence Initiative (EDI), que foi lançada em 2014 para apoiar a presença das forças dos EUA para ajudar a defender os aliados da OTAN contra a Rússia. No entanto, apesar de serem aliados próximos dos EUA, os membros da OTAN não podem permanecer na mesma página sobre um monte de questões, como aumentar seu orçamento de defesa conforme exigido pelos EUA.  Quando se trata da região Ásia-Pacífico, os EUA não estabeleceram uma grande… Read more »

Adriano Madureira

Que Bela projeção!

comment image

Andromeda1016

A superioridade numérica chinesa seria suficiente para compensar a deficiência em qualidade?

Zorann

Que deficiência de qualidade? Vc tem certeza disto? As coisas mudaram meu amigo.

Andromeda1016

Os navios chineses tem problema na motorização pois são equipados de tecnologia defasada, com isso são mais lentos, pesados e sujeitos a muito mais falhas que a dos norte americanos e seus aliados (tem histórias de navios chineses que são rebocados pois param de funcionar em alto mar), fora que seus sensores embarcados e mísseis também não tem a precisão dos gringos. Tem também o problema na qualidade de fabricação de seus navios que são terríveis e exemplifica bem isso o vídeo do link abaixo (a partir de 4:46) onde se verifica problema na escotilha de um navio chinês que… Read more »

Antoniokings

Mesmo que tivesse deficiência de qualidade, nessas proporções, até formigas ganham de elefantes.

E está vindo mais por aí.
E o bicho é poderoso.

https://militarywatchmagazine.com/article/china-commissions-second-type-055-class-destroyer-lhasa-the-most-powerful-surface-combatant-at-sea

Andromeda1016

Pensamento muito simplista …. vantagem numérica nunca foi garantia de vitória, que o diga Alexandre o Grande na batalha contra os persas …. Além do mais a vantagem numérica chinesa não é tão superior assim em relação aos EUA afinal essa superioridade esmagadora do gráfico é só levando em consideração os meios gringos presentes no pacifico e não sua frota total que está espalhada pelo mundo. E também tem o fato de que em tonelagem absoluta a marinha norte americana ainda é superior aos chineses e eles também vão começar a aumentar a sua frota de forma drástica iniciando um… Read more »

Flanker

Aqueles dados do infográfico são relativos ao que se pretende ter em 2025 naquela região. Em caso de conflito, vc acha que seria travada somente com aqueles meios descritos ali?

Bosco

O que o gráfico fez com pelo menos mais 4 porta aviões americanos?

Flanker

Boa pergunta, Bosco. Mas, se vê por aqui, na maioria, uma limitação absurda de interpretar imagens e textos.

Last edited 1 mês atrás by Flanker
Bosco

Eles não são culpados Flanker. São alimentados pela grande mídia maciçamente com ladainha da superioridade chinesa e isso alimenta o desprezo que têm por serem ocidentais e ficam ávidos para pagarem o seu quinhão dentro do contexto da dívida social. Chegamos ao ponto de hoje “homens” pedirem desculpa por terem pênis e mulheres brancas por serem brancas.

Flanker

Pois é…o maior crime hoje é alguém ser homem, hétero, branco, com curso superior e bem sucedido…..pronto…esse é o pior ser humano que existe….pra vermos o nível a que chega a distorção das coisas.

Matheus S

O gráfico é feito por um oficial general americano.

Conan

Que tal somarmos o potencial de combate de Japão, Coreia do Sul, Vietnã, Filipinas, Tailândia, Austrália, Malásia e Taiwan? Ajuda né. Não parece que os chineses contem com muitos amigos lá por aqueles lados.

Antoniokings

Expectativa (dos EUA):
Vamos criar uma frente de países para derrotar a China.

Realidade:
Todos os países comendo na mão da China.
https://www.dw.com/pt-br/china-e-outros-14-pa%C3%ADses-criam-maior-pacto-comercial-do-mundo/a-55605837

100nick-Elã

Em caso de conflito EUA x China, só tenho uma palavra para lhe dizer, meu caro: Rússia.

Defensor da liberdade

Ah tah, Coréia do Sul vai à guerra contra a China, e deixa Kim Jong Un livre para agir?

Bosco

Ter 1200 mísseis balísticos convencionais é uma coisa. Uma minoria desses mísseis são dotados de MaRVs (veículo manobrável de reentrada) e nenhum ainda de HGV (veículo planador hipersônico). Ou seja, a maioria tem precisão muito ruim, o que retira grande parte do seu valor real. Isso pode mudar no futuro, mas ainda será assim por bom tempo. Mísseis balísticos intercontinentais e de alcance intermediário mesmo não tendo MaRVs podem ser bem precisos, alguns chegando a 50 metros, mas porque possuem um “post bust” que é um estágio propulsado que coloca o veículo de reentrada balístico na posição exata para ter… Read more »

Matheus S

Sua capacidade de subestimar os adversários americanos é imbatível. Vamos ao que interessa: O DF-21A que entrou em operação em 1996 e tem uma precisão com um número estimado de CEP de 100-300 metros.  Revelado em 2006, o DF-21C é uma versão guiada terminalmente, que tem um alcance máximo, de cerca de 1.700 km e a precisão estimada de 50-10 metros. O DF-21D, ainda não se tem informações confiáveis sobre a precisão do míssil, embora muitos analistas, até mesmo ocidentais, estimam que deva ficar no CEP de um dígito. Nenhuma versão do DF-21 teria um CEP de 700 metros, nem mesmo o… Read more »

Defensor da liberdade

Pois é, zombavam do mísseis iranianos e eles mostraram a quê vieram no ano passado.

Bosco

Eu me referi ao DF-21 e não ao DF-21A. https://missiledefenseadvocacy.org/missile-threat-and-proliferation/todays-missile-threat/china/dong-feng-21-css-5/ Quando não há clareza por parte de um Estado, há três formas de avaliar. Uma , superestimando, outra, sendo realista, e a terceira, subestimando. Não me culpe se a falta de transparência chinesa leva você a superestimá-la e a achar que eu a subestimo. Ter variantes com essa ou aquela precisão não quer dizer que a maioria dos mísseis de tal família seja da versão citada. O DF-11 citado por você, com 350 km de alcance, não precisa mesmo de MaRV porque ele não reentra e é de corpo único,… Read more »

Bosco

Ah! Antes que me esqueça: https://nuclearsecrecy.com/missilemap/#

Matheus S

Há formas de avaliar as informações sobre os mísseis chineses, mas você tem que fazer o dever de casa de estudar em outras fontes. Por exemplo, vou contestar essa sua fonte que você usou sobre o DF-21. Na fonte que você usa como informação, diz que o míssil ficou operacional em 1991. Sim, o DF-21 ficou operacional nesse ano, mas o DF-21A entrou em operação em 1996, portanto, fica claro que o DF-21 versão base não foi implementada e já estava em desenvolvimento a segunda versão do míssil e a primeira versão estava em desenvolvimento desde os anos 60. Segundo:… Read more »

Bosco

Matheus, 1º – “Esperava mais de você.” – Não estou aqui para corresponder às suas expectativas. Sinto muito!; – 2º- “mas você tem que fazer o dever de casa de estudar em outras fontes. Por exemplo, vou contestar essa sua fonte que você usou sobre o DF-21” – Esqueceu de postar a fonte que contesta a minha. Aliás, os meus dados são corroborados por “n” fontes; – 3º- “Daí você conclui que comparando a versão que não foi implementada do DF-21 com uma precisão alta dessas com o Trident, os mísseis chineses são imprecisos, o que não é verdade.”- Não… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bosco
Bosco

Só complementando, não interessa se o DF-21 original foi colocado ou não em operação e nem se tinha CEP maior ou menor do que eu citei. Esse não era o ponto do meu comentário. Eu o citei só para ilustrar a diferença que faz um “post boost” na redução do CEP.
Um míssil sem post boost e sem um MaRV tem severas limitações para melhorar a precisão.

Last edited 1 mês atrás by Bosco
Bosco

Um exemplo das tolices ditas em sites especializados sobre os mísseis chineses: https://www.armyrecognition.com/china_chinese_army_missile_systems_vehicles/df-21c_medium-range_road-mobile_ballistic_missile_-_df-21d_anti-ship_ballistic_missile.html – “Variantes: – DF-21A: melhorou a precisão com um erro circular estimado provável (CEP) de 100 ~ 300m, com GPS e um sistema de orientação de terminal baseado em radar em um nariz redesenhado. Esta versão tem um alcance semelhante de 1.770 km. – DF-21B: é estimado ter o mesmo tamanho físico e formato do DF-21A, mas é um equipamento com um sistema de orientação de terminal aprimorado. A precisão é estimada em 10 m CEP. – DF-21C: acredita-se que seu alcance máximo seja de cerca de 1.700 quilômetros (1.100 mi). O novo… Read more »

Bosco

A bem da verdade eu não faço a mínima ideia da indignação do Matheus. Em nenhum momento fui ofensivo com seu pais do coração, a China. O que quis dizer é simples e está no primeiro comentário que fiz e que desencadeou a resposta dele: – “””Tudo isso pra dizer o seguinte, os 1200 mísseis balísticos chineses terão que ser diluídos em dezenas (centenas?) de alvos . Alvos esses espalhados por áreas imensas. A grande maioria dos mísseis balísticos convencionais chineses não têm (ainda?) MaRVs e têm precisão sofrível. Isso pode mudar no futuro? Sem dúvida, mas é demorado e… Read more »

Matheus S

Tá legal, Bosco. Está tomando outro rumo. Na próxima tentamos com mais cordialidade. É bom conversar com você. Com toda certeza teremos mais pela frente. Abraço.

Bosco

correção: “post boost” e não “pos bust”

carvalho2008

sai mais barato os EUA incentivaram suas empresas a mudarem suas plantas da China para outros países…

mas tem de incentivar sem machucar o capital…pois ele é nervoso e não considera ter patria….

se tentar encurralar a China na peitada…eles podem reagir na mesma moeda….

Antoniokings

Muito difícil isso. A China está conseguindo unir alto desenvolvimento científico com grandes capacidades materiais e de mão de obra qualificada. Até a Associação de empresas americanas da área de semicondutores – SEMI, está pedindo que o Governo Biden acabe com as restrições à venda de equipamentos para a China. Sabem que vão acabar perdendo o mercado chinês. O gargalo que prende os chineses são as máquinas de litografia de ultra-violeta profundo que produzem os chips mais modernos de 7nm e 5nm. São de propriedade de uma empresa holandesa, que utiliza uma tecnologia desenvolvida nos EUA e que está proibida… Read more »

filipe

Parece que os EUA acordaram tarde para essa realidade, a China já construiu uma grande cadeia de ilhas artificiais , a China já desenvolveu as centenas e aos milhares os Misseis DF-21 e DF-26 designados de Killer Aircraft Carriers “Assassinos de Porta-Aviões” , para defender a sua costa a China conta com 72 Corvetas FFL Type 056 Jiangdao , e para se tornar uma marinha de águas azuis até 2035 a China já esta desenvolvendo uma força contendo os seguintes meios : 8 SSBN Type 094 Jin , 6 SSBN Type 094 Tang, 19 SSGN Type 095 Sui, 5 SSN… Read more »

Bosco

Calma Filipe!. Não tem isso de “milhares”. Desse jeito você quebra com a China…

Zorann

A tá que vão conseguir colocar esses mísseis de boas, sem a China retaliar de alguma forma.

XFF

A China não vai entrar em confronto com o titio sam, pois isso não é objetivo da China. A China tem tem outra estratégia para o titio sam, que é, minar a liderança dos EUA economicamente e politicamente pelo mundo. È por causa disso que os EUA estão impondo sanções contra grandes empresas de tecnologia da China, para que eles não ultrapassem as empresas de tecnologia dos EUA mundialmente. Esse papo de segurança nacional, espionagem das empresas chinesas como a Huawei e outras é conversa pra boi dormir. O objetivo do titio sam mesmo é impedir que essas empresas liderassem… Read more »

Last edited 1 mês atrás by XFF
Antoniokings

Exatamente.
Só que podemos falar aquela conhecida frase: Só faltou combinar com os russos.
No caso, os chineses.
A China está na fase do ‘em time que está ganhando, não se mexe’.
Para ela, deixar assim está ótimo.
Para que confronto?

filipe

Até porque corrida militar os EUA já fizeram com a URSS durante 45 anos (1945 -1990) , depois disso os EUA reinou sem rivais e foi potência Hegemônica por 30 anos (1990 -2020) , o que terminou com a crise de covid19 e as suas divisões internas, os EUA estão confrontando as potências em ascensão (China de Xi + Rússia de Vladmir Putin)… Isso ficou bem evidente nas três última grandes questões internacionais, soberania de Hong Kong, em que a China avançou mesmo sob sansões americanas, e a ocupação territorial da Rússia sobre a Crimeia e os testes nucleares da… Read more »

João Adaime

Caro Filipe
Você citou em duas postagens Hong Kong. A China não se apossou. Havia um acordo entre China e Grã Bretanha (assim como China e Portugal sobre Macau), que após um determinado tempo (99 anos) o território seria devolvido para os chineses. E a rainha cumpriu sua parte no acordo. Resta saber se o Xi Jinping vai cumprir a sua parte, que é manter o sistema político de HK por um determinado período (50 anos, a partir de 1997).
Abraço

filipe

Parece que a tendência é o Governo Chinês mudar as regras do jogo, isso inclui não cumprir a parte chinesa no acordo , e mudança de algumas regras, o covid19 surge no momento em que a população de Hong Kong mais protestava, o covid19 surgiu e muitos dos manifestantes foram silenciados, a lei de extradição para a China continental foi adoptada e os cidadão de Hong Kong perderam as suas liberdades, depois de Hong Kong restou Taiwan, o Governo Chinês agora apontou as suas baterias para essa ilha.

Augusto Liborio

A China atual é talvez o pais mais inseguro do mundo.

Tem uma péssima geografia, uma demografia que vai explodir em 10 anos e tem 300% da economia privada em dividas.

Agora eu entendo a norte coreanizacao do governo Chines nos últimos anos.

Augusto Liborio

Fontes de energia Chinesa

FD8A0EF0-759F-41C5-9A22-BFCA159C86D5.jpeg
Augusto Liborio

Possibilidade de geração de energia solar e éolica com a tecnologia atual

62B31064-EC51-4EA0-8A9B-904093272C1B.jpeg
Augusto Liborio

Concentração de petróleo e gás natural no mundo

2756ECED-F0C8-4227-BB5D-4FA2AF0B793C.jpeg
Augusto Liborio

Demografia Chinesa

061F4097-186A-4ED0-A811-4E14C0B2E84E.jpeg
Augusto Liborio

(IN)Segurança alimentícia no mundo.

6C5D7537-1BE5-4F5A-A301-8ADF2344AC35.jpeg
Augusto Liborio

A China sem a globalização americana e a proteção da marinha americana das rotas navais é simplesmente um desastre.

Matheus Mascarenhas

Isso seria uma nova guerra fria?

mk48

Prezado, me parecer ser uma gelada. O buraco é muito mais embaixo do que foi com a União Soviética.

Augusto Liborio

Não sei se é um bom investimento.

Cristiano de Aquino Campos

Os EUA estão mudados mesmo. O poder subiu a cabeça ao ponto de abandonar aliados e subverter a sua própria moral. Tenho 40 anos, peguei o final da guerra fria, más ainda me lembro quando os EUA anunciavam que defendiam a democracia, a liberdade de acordo e com a ajuda dos seus aliados. Hoje o discurso e a defesa dos EUAs, a defesa do modo de vida do americano, a defesa dos interesses americanos. Pelo que parece, o interesse deles e sempre ser o maior, e derrubar quem quer que tente, sequer se equivalente. Isso com uma potência do outro… Read more »

mk48

Acompanho o Relator.

Mgtow

Eu dou risada desses bobalhões que acham que esses ratos vão nos ajudar a crescer. Muito pelo contrario.

carvalho2008

Alex Barreto Cypriano

Offtopic. Peço desculpas ao mestre Carvalho pela minha ignorância quanto à associação de catapulta e skijump ramp. Um antigo estudo cita tal associação como possível. O nome é CRAT, catapult and ramp assisted takeoff. Só que a rampa seria muito menor que as usuais e o curso do acelerador para no pé da rampa. A propósito, os ingleses parecem interessados em catapultar seus F-35… (no próprio e no figurado). Abraço.

Alex Barreto Cypriano
carvalho2008

Boa tarde Mestre Alex, A inferencia é minha, mas salvo engano, Russos já chegaram a cogitar a catapulta que lança o aviçao contra a ski jump em maior velocidade, o que utilizando ambas as somatorias de possibilidades, poderiam se aproximar das catapultas de grande potencia Catobar. Uma catapulta de baixa potencia Emals, não teria qualquer problema com curvatura. Acredito que uma rebocada estilo CE-2 tambem. Existem muitas formas de se abordar o desafio. No entanto, o maior problema é de fato quem financie isto uma vez que são raros os usuários de porta aviões. Inclusive, depende muito do contexto de… Read more »

carvalho2008

Outra proposta interessante foi a da empresa que propunha o projeto Stac de porta aviões….a ideia baseava-se em encapsular cilindros RATO ( JATO ) Jet Assisted Take Off. De certa forma era isto, cartuchos de foguetes que percorrian a tubulação da catapulta como um canhão, sendo expelidos ao termino. Isto aumentava muito a potencia do cartucho.comment image

Alex Barreto Cypriano

Já ouvi falar de míssil antiaéreo, antinavio, antiradar, antitanque, missil antisatélite e até míssil antimíssil, mas míssil antiChina é novidade…

Defensor da liberdade

Qualquer míssil é antichina, basta apontar para lá e apertar o botão. Pode ser um míssil antiBrasil também, caso eles continuem de olho na Amazônia.

mk48

Guardada as devidas proporções, me lembrei do caso da crise de mísseis EUA x Cuba.

E se a China resolver fazer algo semelhante no Caribe ????

Não pode, estaria errado, muitos diriam, MAS os EUA podem levar a cabo este plano aí, muitos dirão.

Já vou avisando que não faço parte de nenhuma torcida organizada, nem pró China nem pró EUA.

Last edited 1 mês atrás by mk48
Carvalho2008

Falei a mesma coisa alguns posts atras…ai os caras colocam misseis na Venezuela e fazem um nova crise dos misseis cubanos…nada muda erros de sempre…

mk48

Pois é. Agora tem muita gente falando em guerra fria 2.0. Eu acho que não é fria, é gelada, geladíssima. A China tem dinheiro e tecnologia. O buraco dessa vez é bem mais embaixo .

Abs.

Claudio Moreno

A China e os EUA que morreram juntos e abraçados. O que importa é que o Palmeiras é campeão de novo!

Não tem mundial, mas quem liga? Aqueles que tem, não conseguem mais ganhar nada, a não ser bolas nas costas!

CM

Mondelo

Para a maioria dos brasileiros, o mais importante e o seu time de futebol ser campeão.

Pão e circo = Bolsa Família (ou auxilio emergencial se preferir) e Futebol.

E por isso que esse pais não vai pra frente.

Claudio Moreno

Foda-se a sua inveja e preocupação hahahaha!

CM

Mondelo

Fodido, a maioria de nos brasileiros estamos, Claudio Moreno, com os rumos que esse país está indo, isso e uma certeza.

Last edited 1 mês atrás by Mondelo
Claudio Moreno

Falou e disse meu camarada! Eu decidi apertar o botão do foda-se em 2021. Estou no fim da linha e vi apenas os governos JS, FCM, FHC este último principalmente acabando com meu Pais que serví com orgulo por décadas. Apostei minhas fichas no Exmº Sr. Presidente da Republica colega de caserna e me fodi ( e ajudei a foder meus irmãos brasileiros) Sobre a minha Gloriosa Marinha de Guerra do Brasil, só tenho a lamentar. Pois uma Força que compra caminhões, fuzis e até uniformes no exterior, sendo que temos equipamento qualitativo semelhante sendo fabricado por brasileiros, sem os… Read more »

nonato

A China é a maior ameaça à paz mundial e deve ser contida com urgência.
Trata-se de um país imperialista sem escrúpulos que invadem países menores.
Já deveriam ter sido atacados há tempos.
No Brasil, há defensores desse pessoal…

carvalho2008

A saída é pressão economica, patrocinar globalmente novos polos industriais e de serviços….é a forma mais barata e menos traumatica… Impede que a China seja hegemonica, mas não impede de ser a potencia a quem adquiriu direito. Uma guerra militar de gigantes arrasta e afunda o mundo inteiro. Não vale a pena. Entenda que a industria militar brasileira naufragou quando as ditaduras do oriente médio foram enquadradas e embargadas. Numa guerra global a China, nossas exportações iriam ao buraco…pois haveria embargos a ela e o Brasil de tabela….Não são produtos que o mercado americano poderia absorver…justamente pelo contrário…eles são concorrentes… Read more »

Esteves

Se. Se fôssemos detentores de patentes e de conhecimento poderíamos ceder a essa visão ocidental. Como exportadores de matéria prima nossa missão é identificar, desenvolver, manter e fazer prosperar negócios e clientes. Saber tratar as ameaças. Os americanos concorrem em tudo e com tudo que exportamos. Minérios, óleos, carnes, grãos, aço. Não são compradores. São competidores. A Europa não deixará o protecionismo. Assim é a história deles. Reinos que juntaram, casaram, guerrearam, separaram. Os maiores negócios europeus são aparentados dos incestos. Reis e rainhas protuberantes. Mas cada um rega seu jardim. A expansão euro-asiática pretendida pelos comunistas russos, a expansão… Read more »

carvalho2008

Muito bem complementado!

Esteves

Negócios.

O resto não tem pressa.

Claudio Moreno

Carvalho2008,

Amigo o senhor foi iluminado ao dizer “novos polos”. Eu sempre martelei isso aqui e em tudo quanto é lugar. Pois quando falavam que a economia da China era uma bolha, eu era um dos poucos que discordava.

Ainda há tempo de revolucionarmos nossa industria e nosso mercado de serviçõs.

Mas isso tem que ser feito agora, antes que outros mercados se consolidem.

CM

RPiletti

“China investe 30bi em misseis para o Caribe”… aí não pode…

Esteves

Esteves ia escrever pois é também…

carvalho2008

pois é….

Flanker

Galante, vc mora no Brasil, nos EUA ou na china?

Bosco

Se isso acontecer o que vai resultar?
Te respondo: Os EUA vai chorar do mesmo jeito que a China o faz agora.

Bosco

Os EUA estão construindo ilhas artificiais de modo a expandir seu território? Querem anexar outro país na região ? Há países que se sentem ameaçados pelos EUA e que permitirão a hospedagem dos mísseis chineses? Os países da região aceitarão essa concentração de forças? Os EUA têm política e atuação agressiva que mereça ser contida? Os EUA apoiam ditaduras com armamentos nucleares na região e que têm franca rivalidade com os vizinhos? Há justificativa histórica baseada em eventos concretos que justifique a China ter esse tipo de atuação no Caribe?

Esteves

Bosco, Nao. Não existem justificativas históricas. E desde quando a história precisa ou procura por justificativas? Diferente dos anos 1960, conflitos econômicos, disputas por mercados, busca por comida, isolamento cada vez maior dos países detentores de tecnologia elevando a concentração das riquezas…veja o patrimônio das empresas de tecnologia e compara se havia alguma nos anos 1960 valendo bilhões de dólares…estão levando o mundo a construir mais pobreza. Qual país mostrou milhões de famílias na fila para receber auxílio emergencial? Não foi o Brasil. Quanto é nosso orçamento de Defesa? A Apple tem mais em conta corrente. E para que serve… Read more »

Carvalho2008

Mestre Bosco, sou brasileiro, tambem sou alinhado com os americanos, mas esta coisa do mar da china é igual ao dilema da bolacha tostines e o que vem primeiro…

Das sua perguntas apresentadas, mexicanos que perderam metade do país, venezuela, siria e alguns outros podem talvez repetir afirmativamente para cada uma delas. Tem certeza de que so existem tropas americanas em terras estrangeiras com aprovação daquele país?

Esteves

Tostines…

Antes da Nestlé comprar…Tostines era o biscoito mais fresquinho porque a Tostines tinha capilaridade. Domínio sobre os pontos de venda.

Não é do tempo de Mestre Carvalho os furgões da Tostines…pintados de azul semanalmente visitando. Tinham balas também, não lembro a marca.

Bem…a Nestlé comprou e matou. Acho que os chineses são mais espertos e tem mais grana que a Tostines Teve.

Esteves

Esteves também…principalmente em razão dos donuts.

- Publicidade -

Guerra Antissubmarino

Marinha Real do Reino Unido adquire o Sistema de Treinamento de Guerra Anti-Submarino da Saab

A Saab recebeu um pedido para fornecer à Marinha Real do Reino Unido o sistema de treinamento de guerra...
- Publicidade -