domingo, outubro 17, 2021

Saab Naval

O filme ‘The Bedford Incident’

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

The Bedford Incident é um filme britânico-americano da Guerra Fria de 1965, estrelado por Richard Widmark e Sidney Poitier e co-produzido por Widmark. O elenco também apresenta Eric Portman, James MacArthur, Martin Balsam e Wally Cox, bem como as primeiras participações de Donald Sutherland e Ed Bishop. O roteiro de James Poe é baseado no livro de 1963 de Mark Rascovich, que foi inspirado no enredo de Moby Dick de Herman Melville.

O filme foi dirigido por James B. Harris, que, até então, era mais conhecido como o produtor de Stanley Kubrick. Os dois se separaram por causa de um desentendimento sobre o filme que se tornou o famoso filme de Kubrick sobre confronto nuclear da Guerra Fria, Dr. Strangelove; Harris queria que o filme fosse contado como um thriller sério, mas Kubrick queria que fosse uma farsa cômica (o que se tornou). Harris continuou focado no desenvolvimento de um filme sério de confronto nuclear, resultando em The Bedford Incident.

Trama

(AlertaContém spoiler) O destróier americano USS Bedford (DLG-113) – um navio da classe “Coontz”, mas fictício – detecta um submarino soviético no espaço GIUK perto da costa da Groenlândia. Embora os EUA e a União Soviética não estejam em guerra, o capitão Eric Finlander persegue impiedosamente sua presa enquanto o fotojornalista civil Ben Munceford e o conselheiro naval da OTAN, Comodoro Wolfgang Schrepke, olham com crescente alarme. Finlander explora o fato de que o submarino russo movido a diesel tem que emergir periodicamente para reabastecer o ar e recarregar as baterias porque não é movido a energia nuclear; sabendo muito bem, isso deixará os soviéticos mais desesperados.

Também a bordo do Bedford estão o tenente Ralston, um jovem oficial inexperiente constantemente criticado por seu capitão por pequenos erros e o capitão de corveta Chester Potter, o novo médico do navio, que é um reservista recentemente reconvocado.

Munceford está a bordo para fotografar a vida em um destróier, mas seu verdadeiro interesse é Finlander, que recentemente foi preterido para promoção a contra-almirante. Munceford está curioso para saber se um comentário feito por Finlander sobre a intervenção americana em Cuba é o motivo de sua falta de promoção. Isso leva o capitão a se tornar abertamente hostil a Munceford, que ele vê como um civil que está interferindo em questões militares ao questionar os riscos envolvidos em continuamente atormentar o submarino soviético.

A tripulação fica cada vez mais cansada com a perseguição implacável enquanto o capitão continuamente exige atenção total aos instrumentos. Ao mesmo tempo, Finlander torna-se intolerante com qualquer pessoa que questione suas táticas, incluindo o médico do navio, que o informa que a tripulação está sentindo a pressão, mas o capitão não cede.

Quando o submarino é encontrado, ele ignora a ordem de Finlander de emergir e se identificar. O capitão, irritado com este ato desafiador, ordena que o Bedford atropele seu snorkel, ordenando que ele seja registrado como um “objeto flutuante não identificado”. O comandante então ordena que o Bedford apronte as armas e se retire para uma distância para esperar que o submerso submerso fique sem ar e seja forçado a emergir. Confiantemente, ele reafirma a Munceford e Schrepke que está no comando da situação e que não atirará primeiro, mas “Se ele atirar, eu DISPARO UM”.

O cansado tenente Ralston confunde a observação de Finlander como uma ordem para “disparar um”. Ele lança um foguete antissubmarino ASROC que destrói o submarino. O sonar então detecta quatro torpedos soviéticos com ogivas nucleares visando o destróier.

Finlander inicialmente dá ordens básicas para evasão, mas depois segue silenciosamente para fora do passadiço. Munceford o segue freneticamente implorando para que ele faça algo.

Mas o capitão percebeu que suas ações selaram o destino de todos a bordo, já que o navio não pode escapar dos torpedos nucleares. O filme termina com fotos de vários tripulantes “derretendo” como se o filme de celulóide estivesse queimando enquanto o Bedford e sua equipe são vaporizados em uma explosão atômica. A imagem final do filme é uma nuvem em forma de cogumelo.

- Advertisement -

67 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alison

Nos dias de hj jamais que EUA ou Inglaterra permitiram a filmagem de um filme com tal final…

Alison

Quem negativou é so dizer o nome do filme de 2000 pra cá em que os EUA foram derrotados por um inimigo como Russia, China, Irã ou quem quer que seja… Faça isso e retiro o que disse. kkkkkkkkkkkkkk

Esteves

Não é vencer ou perder. Kubrick, reconheço, ainda que o filme não tenha sido assinado por ele, não é para iniciantes. A banalidade de uma missão de patrulha tomada pelo estresse da guerra fria quando havia um botão, um telefone vermelho…ao alcance de qualquer biruta. Afinal, por que não explodir o mundo? Venha um pouco mais à frente…em 1974. O Fantasma do Paraíso de Brian de Palma. Vai ajudar a compreender filmes como Limite de Segurança do Sidney Lumet de 1964, esse do post do Galante e Dr Fantástico. O mundo Esteve literalmente à poucas milhas da Terceira e Última… Read more »

EParro

Ice station Zebra, do John Sturges é bem mais ameno.

Esteves

Desde aqueles anos…na guerra fria…não importava mais quem atirasse primeiro.

https://youtu.be/NXZF6DwKvCI

Leandro Costa

Alison, serve seriado? 😛

De qualquer forma, concordo com o Esteves. Nesse filme nem há um vencedor nem nada, mas ele implica que todo mundo perdeu.

Burgos

Cuidado !!!
Matéria contendo spoiler !!!
Kkkkkkkkk
Brincadeira a parte, Parabéns ao Editor pelo resumo.👍

Leandro Costa

Esse filme é excelente. Considero a versão naval de ‘Failsafe.’

Gustavo

Fui buscar o filme no youtube, mesmo para comprar está indisponível, para o Brasil.

Last edited 4 meses atrás by Gustavo
Leandro Costa

Gustavo, você encontra esse filme fácil por… Hmmm… Digamos… Outros meios um tanto quanto ‘torrenciais’ se é que me entende 😉

sergio

Cara vi esse filme na sessão da tarde, hooo tempo bom, a unica preocupação que tinha era passar de ano no colégio rsrsrsrs

Marcelo

Parece bem interessante vou procurar assistir, eu não conhecia. Assisti recentemente Greyhound com Tom Hanks passado na Batalha do Atlântico na 2a Guerra e achei muito bom.

Last edited 4 meses atrás by Marcelo
Leandro Costa

Eu não gostei muito do Greyhound não. Achei que pouco sóbrio. É uma coisa que vejo em filmes de guerra atuais. Eles são pouco sóbrios. Cinematografia tentar tornar tudo super sensacional demais, quando as estórias já são sensacionais por si só acabam tornando tudo muito artificial. Também odiei o novo Midway, e olha que o original não foi lá uma obra prima, mas foi bom. Provavelmente eu devo gostar do livro no qual esse Greyhound foi baseado.

Dalton

Somos dois então Leandro, para ambos, “Greyhound” e “novo”Midway”. Tenho e gostei
do livro “Midway” que serviu de base para o primeiro filme com o “Charlton Heston” então é possível que o livro que serviu de base para o filme”Greyhound” seja bom também como você inferiu.

Gustavo

Venho assistindo filmes russos de guerra. Tigre Branco, e uma série de 5 filmes desde Kursk até a tomada de Berlim. Apesar da propaganda representam a realidade do que é uma guerra. Essa história de heroizinho de cinema não existe na guerra. Perto deles os filmes americanos, em geral, são uma palhaçada infantil, exceto esses da matéria. Vi também Stalingrad, filme de 1993. Tudo de graça no youtube. Tem tradutores automáticos.
É outro nível.

Leandro Costa

Stalingrad de 1993 é um filme alemão. Vi no cinema na época em que saiu. Assim como o Das Boot, o melhor filme de submarinos de todos os tempos, é muito bom. Agora o Stalingrad russo de poucos anos atrás é horrível heheheheeh. Tem muitos filmes de Guerra Europeus que são bons. Vi pouco tempo atrás um Norueguês, sobre a invasão da Noruega, acho que o nome é ‘A Escolha do Rei,’ um Dinamarquês que também foi muito bom, sobre um pelotão de infantaria em bicicletas tentando responder à invasão alemã, e esse infelizmente eu não lembro o nome. E… Read more »

Gustavo

Sim, eu sei que é alemão. Acho que foi a representação mais factível do que é uma guerra. Sem super-heróis, pipoca e romantismo. Só a dura realidade. Os filmes russos são muito bons. Eles tem uma característica simbólica muito interessante, que muitas vezes não casa com a realidade, como é o caso de Tigre Branco, e isso os tornam tão interessantes, pelo menos para mim. Essa série que citei deixa muito clara a propaganda soviética, mas estabelece quadros e fatos históricos muito precisos, inclusive os encontros de Stalin com Roosevelt e Churchill, porisso acho que valem a pena. Outro filme… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Gustavo
Helio Eduardo

Assisti Tigre Branco e, por conta da experiência, acabei vendo, em partes, ‘Come and See.’

Enquanto o primeiro é a narrativa dos mocinhos soviéticos contra o inimigo nazista, a versão russa para um trailler de ação ou, como disseram logo aí acima, sem super heróis nem pipoca, o segundo requer coragem e estômago, por ser a guerra em seu estado bruto.

Leandro Costa

Guerra e Paz é um clássico. Já vi algumas versões, mas uma a mais nunca é demais hehehehe. Obrigado pela dica. Tenho uma versão legal do livro, mas penei um pouco com Francês para conseguir ler tudo, mas valeu à pena!

José de Souza

Muito boa dica!

Marcelo

comecei a assistir a imagem esta muito boa, foi restaurada. Este link e’ do Tigre Branco?

Mauro Cambuquira

TOP, assisti o filme, fiquei surpreso com as imagens.

GFC_RJ

Minhas preferências cinematográficas são similares as suas. “Come and See” em português é “Vá e Veja”. É excelente! Senão nos meus top 5, ao menos meu top 10 de guerra. Mas como falou, quase um filme de terror… A atriz coadjuvante russa dá uma bela “balanceada”… rs. Um soviético que vale uma passada é “Quando as Cegonhas Voam” (1957). Na realidade, é mais um drama de guerra do que um filme de guerra em si. Mas é uma excelente película! Filmes americanos são aquilo, né… Preciso nem ser pejorativo, nem realista para explicar. Mas, claro, dá pra tirar coisas excelentes… Read more »

Leandro Costa

Eu tenho a versão de 1930 e é muito boa. Mesmo com as limitações da época, o filme ainda é muito bom. Claro que vi primeiro o de 1979 e na época em que vi, quando ainda era garoto me impressionou muito. Lembro que vi pouco tempo antes de assistir ‘Day After’ que me deixou ainda mais chocado. E ‘Glória Feita de Sangue’ é fantástico mesmo. O Kubrik quando acerta, acerta em cheio, como fez com ‘Full Metal Jacket’ e claro que ‘Dr. Fantástico’ (um dos pouquíssimos filmes que prefiro assistir na dublagem original hehehehe). Vou botar o ‘Quando As… Read more »

Esteves

Kubrick nunca errou. Pode ter exagerado.

https://youtu.be/gTP_qxPLhBE

EParro

É! A PAN AM faliu bem antes.

Marcelo

Leandro e GFC_RJ voces sao verdadeiros cinefilos, a sessao de comentarios deste post esta tao boa ou melhor que a materia, estou anotando tudo!

Leandro Costa

Eu também estou anotando ehehhehe

Pedro

Tem um filme Russo (KV-1) no Amazon Premiere que é sobre uma tripulaçao de KV1, por sinal é baseado em uma historia real. O filme tem aquele maior problema dos filmes russos: roteiro fraco, irreal e sem sal. Mas o filme é bacana pois, filmes de batalhas de tanques sao rarissimos e mostra uma realidade que era a quase total imunidade do Kv-1 mas tambem o quao dificil era de faze-lo funcionar direito por seus problemas mecanicos excessivos. Enfim, procure esse filme pois vale a pena.

Leandro Costa

Pedro, vou pesquisar sobre isso. Tem algumas ações por parte de KV-1’s no início da Barbarossa que foram simplesmente fantásticas e espero que esse filme narre algumas delas.

carvalho2008

Este eu vi….muito bom …guerra, drama e romance….com uma Chefe de Mecanicos e Engenharia…

GFC_RJ

Legal… Vou ver nesse fds sem falta.

GFC_RJ

“Filmes ocidentais mais antigos eram muito bons, mesmo quando tinham enredos completamente fictícios”
“Os Canhões de Navarone” (1961), com Gregory Peck. Grande clássico! História fictícia de operações especiais anfíbias na 2a GG!
Não se fazem mais cinema com antigamente! rsrs

Leandro Costa

GFC, os Canhões de Navarone é um caso interessante porque eu só o conheci porque assisti a continuação “Comando 10 de Navarone” antes e meu pai que me disse que era uma continuação com atores diferentes. Depois foi e alugou o filme original para assistirmos. Bons tempos! Outro que gostei bastante foi “Tobruk.” Tem um mais antigo que eu adoro, acho que em Português é “Um Drink em Alexandria” mas sei que o nome original é “Ice Cold in Alex.” Ralei para achar esse filme que havia visto sem perder o início em algum Corujão da vida. Muito bom filme… Read more »

GFC_RJ

Não vi “Tobruk” ainda… Rock Hudson x Afrika Korps! Legal. “Ice Cold in Alex”… em português assassinaram título, que é irado. “Sob o Sol da África”. Sem comentários essa tradução.
Devem ter disponíveis na Ka Vídeo na Cobal do Humaitá. Quando quero filme difícil, o primeiro lugar que procuro é lá.

Leandro Costa

Tinha uma locadora dentro do Estação Botafogo que tinha filmes de todas as idades, mas muito mais antigos do que novos e você entrava lá e tinha até separação por diretor e tudo. Lembro que os atendentes ficavam meio chocados por eu só alugar filmes de guerra heheheheh. Quando trabalhava em Botafogo era onde eu encontrava a maioria. Mas agora vou ter que dar um pulo até a Cobal para dar uma checada nessa Ka Vídeo. Faz tempo que não vou para aqueles lados, mas deve valer o passeio. Obrigado pela dica!

Andre K

Procure “As 7 Covas do Egito”, creio que vai gostar.

Tupinamba

Achei Greyhound um PORRE. Só é minimamente interessante por conta dos recursos técnicos. O personagem principal é um capitão insosso monodimensional que quando tem 5 minutos fica lendo a Bíblia. E o que mais ? NADA. Nenhum personagem interessante, em termos dramáticos é muito fraco. Me chamou a atenção a velocidade dos torpedos dos alemães, parece que chegam perto dos 50 nós. Absurdo. Esse novo Midway parece filme feiro por amadores, é simplesmente tenebroso

Esteves

Filmes são feitos para contarem histórias. Que história há para contar em Greyhound?

Leandro Costa

A passagem de um comboio aliado no Atlântico sob o ponto de vista de um dos navios de escolta. E acho que não fez um bom trabalho nisso. Nesse sentido o filme Hollywoodiano com Robert Mitchum e curt Jürgens tinha um enredo bem mais fantasioso, mas foi muito melhor.

Esteves

Usar o Tom Hanks como peso vivo nos filmes…já deu.

Marcelo

do novo Midway tambem nao gostei, mas o Greyhound achei bom, gosto das atuacoes do Tom Hanks, e o bom eh que nao eh muito longo tambem.

Leandro Costa

Eu gosto do Tom Hanks desde o início da carreira, mas nesse filme acho que o roteiro esteve abaixo da qualidade do ator. Mas é opinião minha. Gosto não se discute hehehehe

Tallguiese

Foi com Tom Hanks? O navio não afundou né?

Tupinamba

Infelizmente não. Acho. Só lembro que o filme é um porre, só vale pelas belas cenas de CGI.

Marcelo Baptista

Haa nao, spoiler!!!

Esteves

Esteves assistiu 1 vez. Merece ser visto mais vezes. A mesma temática de Dr Fantástico. Acumulamos tanto poder, ele está ao alcance das mãos, basta apertar um botão, a pulsão pela morte toma euforicamente o desejo de destruir. Será que vai dar tempo do inimigo reagir? Qual será o sentimento após o caos?

Na época dos testes atômicos ordenavam que as tropas de infantaria marchassem rumo aos cogumelos radioativos…

A todos que apreciam as guerras, aquele abraço.

Tupinamba

Resumo e spoiler adoidado, hein ? Esse é um dos melhores filmes de guerra naval que já vi.

Esteves

Chegando na Netflix.

https://youtu.be/jub9qUfleW0

Leandro Costa

Obrigado pela dica, Esteves!

Mauro Cambuquira

Velho, levei maior susto ao ver o apresentador. O Mariano, eu o conheço, nunca iria imaginar ele fazendo essa chamada. Valeu, vou ter dar um like duplo, ok?

Alex Barreto Cypriano

E dá-lhe Melville com o seu Ahab, um capitão obcecado e carismático que carrega todos, menos Ishmael, pra perdição. Um tema eterno esse do líder louco e mau, que reencontrou seu veio na época do MAD. Mas, antes, o The Caine Mutiny (A Nave da Revolta), sem bomba nuclear, pôs fogo no tema do líder incapaz a ponto de, mais tarde, emendarem a constituição americana (emenda #25). Queriam usar contra Trump. Esquecem de usar contra Biden. Embora não seja papel do cinema enquanto arte, suscitar tais discussões etico-morais, ele amiúde o faz. O citado Kubrick, afinal, sabia algo da matéria… Read more »

Leandro Costa

The Caine Mutiny é excelente. Uma das melhores atuações de Bogart e excelente atuação de José Ferrer também.

Esteves

É o filme que o Bogart tem o vício de embolar bolas de vidro entre os dedos?

Leandro Costa

Esse mesmo!

Esteves

Aquele menino…Casablanca nunca saiu da memória do Esteves.

Leandro Costa

Casablanca é um dos meus filmes prediletos. Outro bom com o Bogart é Falcão Maltês, que também é com o Peter Lorre heheheheh

Esteves

Quando a Sessão da Tarde exibia filmes de verdade.

https://youtu.be/88jytHOsDos

Leandro Costa

E excelentes filmes passavam de madrugada também. Hoje em dia… só chulé hehehehe

Alex Barreto Cypriano

Bogart é simplesmente o maior ator americano. Tem uma longa carreira, muitos filmes, quase todos interessantíssimos. O ultimo filme dele, The Harder They Fall (Trágica Farsa) tem passado muito na TV. Assim como, Sahara, In A Lonely Palace, e outros. E que elenco o acompanhava, hein? Cinema era legal pacas então. Morreu apenas recentemente. Vai fazer falta…

Leandro Costa

Bogart é um dos meus preferidos. Época boa. O que não havia de efeitos especiais sobrava em roteiros e atuações. Saudades do General Jimmy Stewart.

Esteves

Acho que houve inspiração nesse aqui. Esteves…a memória do Esteves falha as vezes mas…recordando das críticas acho que sim, houve inspiração. 1935 parece que foi ontem.

https://youtu.be/aFalJyGNGmE

Alex Barreto Cypriano

Esse ainda não vi, mas parece bom. Além do Gable (que dizem, lá pelos tempos de Gone With The Wind, usava dentadura móvel e tinha bafo de jibóia) tem o Laughton. Minha memória também tem falhado, preciso parar de tomar goles do garrafão de Rip Van Winkle…

Esteves

Lembro de alguma crítica ter mencionado um filme que inspirou The Bedford Incident. Já não posso afirmar que tenha sido esse.

Em 1957…que diabos Esteves fazia em 57?

Leandro Costa

Olha, dentes falsos e bafo de onça ou não, eu fiquei impressionado com o Gable. Não em relação à sua atuação em Hollywood (gosto muito dele como ator), mas sim em sua atuação durante a Segunda Guerra Mundial.

Paulo Sollo

Um outro filme clássico que aborda a temática do capitão mentalmente desequilibrado é The Caine Mutiny ( A nave da revolta) com Humphrey Bogard.
O enredo é bem distinto deste da matéria mas também é um ótimo filme.

Pedro Paulo

Meus top 5 sobre guerra naval para quem gosta do enredo. Raposa do Mar, O barco: inferno no mar, mare vermelha, U571 a batalha no atlântico e USS Indianápolis: homens de coragem.

- Publicidade -

Últimas Notícias

IMAGENS: Exercício Naval Interaction 2021 entre as Marinhas da Rússia e da China

A Rússia e a China realizam o exercício naval conjunto Naval Interaction 2021 no Mar do Japão, entre 14...
- Advertisement -