terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

Status da construção do novo porta-aviões chinês Type 003 – julho 2021

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Nova imagem de satélite mostra o avanço na construção do terceiro porta-aviões chinês, o Type 003.

Segundo análise da imagem feita pelo CSIS – Center for Strategic and International Studies, o navio terá comprimento de 318 m, largura máxima do convoo de 78,1 m, comprimento do elevador de 20 m e comprimento da ilha de 41,8 m.

Por outro lado, analistas de fóruns chineses indicam um comprimento ainda maior, chegando a 320 metros.

Entre as discussões interessantes que acontecem sobre o novo porta-aviões chinês, é o impacto que três catapultas eletromagnéticas e dois elevadores produzirão na geração de surtidas do grupo aéreo.

De acordo com um relatório da Marinha dos EUA, em operações normais se usa apenas 2 ou 3 catapultas. Portanto, a diferença de 3 para 4 não será tão importante para a taxa de geração de surtidas.

Porém, uma catapulta adicional (como nos Nimitz e Ford) fornece mais redundância em caso de falha em alguma delas e pode melhorar um pouco a taxa de geração de surtidas em situações de emergência.

Se o EMALS chinês funcionar sem problemas, ele deverá ser mais eficiente que a catapulta a vapor, resultando em uma taxa de geração de surtida de 90% da taxa da classe Nimitz.

De acordo com as concepções artísticas feitas do Type 003, o navio poderá embarcar até 48 aeronaves de asa fixa, como o J-15 e o futuro J-31/J-35, além de outras aeronaves.

Os atuais porta-aviões chineses Liaoning (Type 001) e Shandong (Type 002), podem levar 24 e 36 aviões respectivamente.

O lançamento ao mar do Type 003 agora parece mais perto do que o previsto e pode ocorrer ainda em 2021.

Veja abaixo as concepções artísticas mais recentes do Type 003, via bilibili/西葛西:

- Advertisement -

125 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
125 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues

Consoderand-se que esse NaE ainda será não-nuclear, como eles vão fazer pra fornecer a energia necessária pras catapultas e pro resto do navio?

carcara_br

imagino como seriam os debates hoje em dia se não tivessem divulgado essa notícia…

Matheus S

O debate está muito longe de ser concluído. Acho muito difícil eles adotarem esse turbogerador quando há inúmeras inovações de alta eficiência na China. Por exemplo, a China adotou a turbina a gás R0110, com 40 MW de potência desde 2018, mas sendo que o Type 055 usa quatro turbina a gás QC280, cada uma fornecendo até 28 MW de energia, essa turbina tem como base a tecnologia GT25000 importada da Ucrânia. Não só isso, a própria turbina a gás GT25000 já atingiu 33 MW em sua forma atual com a ajuda de engenheiros ucranianos que trabalham para a China,… Read more »

Matheus S

Isso sem falar que os chineses estão trabalhando com propulsão elétrica total (FEP). Um navio FEP é muito mais eficiente em termos de uso de energia em comparação com os navios tradicionais, e a tecnologia pode permitir que os navios de guerra sejam equipados com armas futurísticas. Os chineses desenvolveram o conceito de tecnologia FEP de corrente contínua de média tensão(MVDC), outros países como EUA usam corrente alternada, o método da corrente contínua é mais estável, embora seja extremamente desafiador em termos de design. Um sistema FEP permite que uma embarcação aloque energia em qualquer lugar de que necessite, enquanto… Read more »

carcara_br

Olá Matheus, suas postagens e discussões com a Alex são sempre muito bons não leve pro lado pessoal, me refiro a um tipo muito específico de cético que certamente falaria que é impossível fornecer energia e que tudo não passa de blefe, Que usariam argumento do tipo “a falta de evidência é evidência de ausência”.
Mudando de Assunto, em relação ao Liaoning 200.000 HP não seria equivalentes a 150MW? não é tão pouco.

Matheus S

Relaxa. Não tem motivo para levar para o lado pessoal. Sim, estou sentido falta do Alex aqui. Sim, de fato o Liaoning tem 200.000 HP, o que daria em torno de 150 MW, para um navio como o Liaoning é de fato uma potência considerável. O navio usa um conjunto de 4 unidades de turbinas a vapor TB-12 herdadas da Ucrânia com uma potência única de 45.000 cavalos. 8 caldeiras em pares acionam 4 turbinas a vapor com potência máxima de 200.000 cavalos. É de fato a turbina a vapor mais poderosa que a China detém, mas a pressão de… Read more »

Control

Jovem Matheus
Por que o método de corrente contínua é mais desafiador em termos de design?
Sds

Matheus S

O problema do MVDC é a integração. Para acomodar sistemas futuros que demandam altas taxas de energia, a planta de engenharia deve ser capaz de distribuir energia de forma automática, instantânea e inteligente por todo o navio em quantidades difíceis de prever, sem a intervenção de um operador. A mudança para sistemas de corrente contínua exigirá a integração de muitas novas tecnologias, cada uma com um risco substancial. Por exemplo, a maioria(senão for todos), incluindo os chineses, usam motores de indução de corrente alternada(CA), precisa nesse caso de módulos de conversão de energia para converter CA em uma tensão não especificada para… Read more »

Matheus S

Várias. As plantas de corrente contínua de média tensão (MVDC) podem produzir mais energia, em menos espaço na arquitetura de energia CC pois eliminará os transformadores de baixa frequência volumosos e reduzirá a classificação do quadro de distribuição, reduzindo assim o espaço ocupado e o peso geral de todo o sistema, o que pode resultar em espaço de carga extra, outra vantagem é um sistema com menos proteção e armazenamento necessários do que as plantas MVAC que todos os navios usam atualmente. O problema de um CA é que a estabilidade entre vários geradores em um sistema CA é prejudicada quando… Read more »

Willber Rodrigues

Ok,mas quanto combustível pro navio os Kity Hawnk tinham que carregar pra gerar toda essa energia, e quanto espaço esse combustível ocupada na embarcação, sacrificando espaço pra uma ala aérea maior?

Piassarollo

Exato willber, além da autonomia quase ilimitada, a propulsão nuclear nos grandes NAes, também possibilita um melhor aproveitamento do espaço, otimizando a quantidade de combustível de aviação, víveres, equipamentos, armas, e sobressalentes. Sem contar que a energia nuclear possibilita a geração constante de grandes quantidades de água potável, através de filtragem da agua do mar. Possibilita também a geração de enormes quantidades de energia elétrica, contudo os grandes porta aviões ainda mantém grupos geradores a óleo diesel para situações de emergência. Todas estas vantagens têm o seu ponto negativo na questão custo de construção e operação, que acaba sendo muito… Read more »

Cristiano de Aquino Campos

Quanto a sua observação em relação ao reabastecimento no mar, ele não interfere ou expõe tanto o PA, uma vez que o PA não navega em velocidade máxima o tempo todo, assim como os seus escoltas.

Matheus S

O problema do CVN vai muito além dos custos de operação e construção, mencionando que é muito maior do que os convencionais, nem mesmo uma superpotência com todo o dinheiro disponível pode escapar do pior problema de um CVN, a indisponibilidade operacional. Apenas para ter uma noção do que é a indisponibilidade operacional, um CVN pode ficar de 3-4 anos indisponível para o reabastecimento nuclear(refueling and complex overhaul – RCOH), essa revisão precisa ser feita com planejamento e antecedência de anos, isso pode significar quase 10% do tempo de vida operacional do CVN. Um RCOH representa 35% de toda a… Read more »

Piassarollo

Ótima colocação, obrigado pelas informações

Dalton

Provavelmente você sabe Matheus, mas, pegando o “Kitty Hawk” como base, ele também precisou passar por uma complexa modernização de meia vida que durou alguns anos para também atingir 50 anos de vida, embora tenha sido retirado com 48 anos e o RCOH dos “Nimitz” inicialmente era feito em 3 anos. . Como o “Kitty Hawk” foi descomissionado em 2009 fica difícil fazer comparações em termos de manutenção e disponibilidade com o que se tem hoje, mas, lembro de ter visto não haver diferença significativa no número de missões que o “Kitty Hawk” cumpriu com os de NAes nucleares observando-se… Read more »

carvalho2008

Certa vez vi um material em que após todo este aprendizado, a contabilidade dos Nucleares versus Convencionais ficavam em todo o ciclo de vida entre 2 a 3 vezes o custo do convencional e creio que isto incluia até mesmo os navios e apoio já que o comparativo considerava inclusive o descarte, desativação e até a diferença da folha de pagamento que tambem é diferenciada quando voce tem tripulação de equipes de operações nucleares versus convencional…até o pagamento de folha é maior…

Dalton

Ainda penso Carvalho que se fosse tudo isso, o Governo Carter teria conseguido matar como tentou matar a classe Nimitz depois de apenas 3 unidades.
.
Há defensores e detratores desde que após o comissionamento do “Enterprise” em 1961 outros 2 convencionais foram construídos até que decidiu-se unicamente pela classe Nimitz e um único estaleiro capaz
de fabrica-los.

carvalho2008

Ok, nas agora há uma curva de aprendizado…antes não havia….antes não havia sequer quem pudesse rivalizar economicamente e assim, poder tambem rivalizar em numeros de Nae…obvio que a China ainda terá bem bemnos Nae…mas os Nae da China…estão todos na China….

carvalho2008

Alem da questão estratégica ou opção tatica doutrinaria, é muito dificil alterar a inercia industrial que é montada em torno dela…é um gigante que se materializa depois de anos e bilhoes de investimento…é dificil lutar contra o gigante e o senso que se forma depois de erguido…acontece de tudo…so quando a agua bata lá….se não bater não muda…
mas parece que está batendo…

Matheus S

Em um dos relatórios dos anos 90 para o projeto CV(X) – atual USS Gerald Ford, foi declarado que os NAe convencionais oferecem a vantagem de gastar menos tempo em longos períodos de manutenção, e com isso, conseguem efetuar uma presença avançada mais longa. O USS Gerald Ford pensando nisso, relatos dizem que o RCOH de um Ford é menor do que um Nimitz, embora não sabemos exatamente esse período, mas claramente é um grande avanço diante do Nimitz na disponibilidade operacional, mas mesmo assim, inferior aos NAe convencionais. O grande problema de um CVN ainda continua sendo essa indisponibilidade,… Read more »

Dalton

Ainda assim Matheus, não se sabe com certeza quantas missões de 6 meses como era antigamente um CV poderia cumprir se necessário a mais que um CVN em um determinado período de tempo, afinal, cumprida a missão um NAe que não necessite de manutenção imediata permanece disponível na chamada fase de sustentação. . Outras situações como permitir a tripulantes um bom tempo em terra, manutenção de aeronaves e navios do grupo pode mesmo tornar inviável essa maior disponibilidade de um CV. . Relatórios e estudos existem, mas, mesmo assim, na prática, o CVN vem derrotando sucessivamente os planos para aposenta-lo… Read more »

Matheus S

Um fato de um NAe convencional não ter conseguido superar um CVN está longe de negarmos o fato de que um CVN permanece muito tempo indisponível, essa nem é o foco do debate. O NAe nuclear supera o NAe convencional por outros motivos, não por esse. Em termos de manutenção do navio, não das aeronaves, sim, o convencional permanece mais tempo operacional do que um NAe nuclear. Rotineiramente, o pessoal de qualificação do reator nuclear faz treinamentos constantes, isso nem seria necessário para um NAe convencional, a duração de um treinamento como esse do pessoal de qualificação do reator nuclear… Read more »

Mk48

Prezado Piassa, bnoite.
.
Muito bem explicado.
.
Há uns meses li um artigo muito bom no blog UkDefense que tratava exatamente das vantagens e desvantagens entre Naes convencionais e nucleares, mais precisamente o artigo tratou do Queen Elizabeth x os Naes americanos.
.
Um abraço.

Last edited 2 meses atrás by Mk48
Piassarollo

Opaaa, vou procurar, abs

Vovozao

16/07/2021 – sexta-feira, btarde, piassarollo, esta no navylook.

Hcosta

Os Porta Aviões nucleares também precisam de ser reabastecidos com combustível de aviação, munições, etc. Continuam dependentes de reabastecimentos.

Piassarollo

Certamente, mas por carregarem maiores quantidades de combustível para as aeronaves, mais espaço para armazenamento, esses reabastecimentos são feitos em intervalos maiores. Abs

Matheus S

Intervalos muito maiores, diga-se de passagem.

Se o Type 003 for exatamente como eu estou imaginando, ele pode representar uma eficácia de até 80% de um Ford, sendo que, respectivamente, o primeiro é de propulsão convencional e o segundo nuclear.

O 003 é muito mais capaz do que um genuíno NAe convencional e de acordo com os planos chineses, a eficácia pode chegar próximo de um CVN dos EUA, mesmo ele sendo convencional. O fato é que o 003 estará um patamar acima de todos os NAe convencionais antigos e também os atuais.

Piassarollo

Matheus, mas essa é a tendência de hoje, novas tecnologias estão diminuindo a distância entre o convencional e o nuclear, um outri exemplo acontece com os submarinos. Abs

Jodreski

Acho que o Type 003 só não é nuclear pq a China ainda não desenvolveu um reator que atenda os requisitos de um Grande Nae. Certeza que ainda estão em desenvolvimento de um, e quando este estiver pronto gerará conhecimento para ser empregado também nos reatores dos seus sub nuc.

Matheus S

Em 2019, houve um documento de licitação da China General Nuclear Power Group que indicou que a China construirá um navio movido a energia nuclear com deslocamento de 30.000 ton e o utilizará como uma plataforma experimental.

Matheus S

Não é por isso não. Antes de partir para um CVN, os chineses irão testar todos os equipamentos que estarão a bordo de um NAe nuclear, isso porque o desenho final chinês precisa ser livre de defeitos e deficiências para evitar o mesmo tipo de problema que se encontra a USN, tenho certeza que os chineses não querem ter que carregar um NAe nuclear por vários anos e com muitos problemas a serem corrigidos. Portanto, faz sentido esperar um NAe nuclear chinês quando terem desenvolvido todas as atuais tecnologias necessárias para um CVN de design final, exatamente por isso eu… Read more »

Mark

Muito bacana ler respostas tecnicas. Parabens.

Piassarollo

Matheus, também penso que não irão partir tão cedo para um porta aviões nuclear, pois será o primeiro catobar deles, e novas tecnologias estáo sendo ainda implantadas. Desde já parabenizo seu rico comentário.

Jodreski

Uma outra coisa ainda me passa pela cabeça, a Marinha Chinesa tb precisa de um novo caça naval, o J-15 é um bom caça mas está bem atrás de um F-35. O real estágio de desenvolvimento do J-31 ainda é um mistério, e mais incerto ainda é o desenvolvimento de uma versão naval do J-20.
Opinião minha: custo acreditar que o J-15 seja melhor que o Su-33 e ainda acho que como caças Legacy ambos estão bem atrás do Super Hornet.

carvalho2008

Parece que o FC-31 embarcado já estaria a galope…

Alex Barreto Cypriano

Excelente questão, Willber, e uma decisiva. Se o type 003 for mesmo de propulsão elétrica total (que entendo como sendo integrada) sua usina (o conjunto de motores e geradores) deverá produzir eletricidade suficiente pra tudo: carga hotel, sistemas de armas, sensores e comunicações, motores auxiliares, ar-condicionado, motores elétricos ligados aos hélices. Ora, a potência propulsiva (a potencia necessária pra levar o navio a uma certa velocidade, sobrepujando resistências da água e do ar mais dissipações na produção de ondas) é uma parcela, embora em geral majoritária, da potência gerada na usina embarcada. Em navios de transmissão mecânica de potência, existem… Read more »

Eduardo Freitas Duarte

Será que esqueceram de pensar nisto? Parece que viram no projeto que usarão pilhas!

Nilo

crescimmento do pib no segundo semestre deste ano: 7,2%.🤫

Slow

Crescimento do pib , desemprego , fome ,miséria, poder de compra mais baixo em 20 anos , carnes , gas , gasolina , luz ,” Pib só cresceu por causa que o dolar a esse preço fez o agro vender muito … mas isso não reflete em nada a vida do trabalhador .

Nilo

O PIB a que me refiro é Chines.

Slow

Ata , achei que estava falando do Brasil.

Franklin Apaza

Deve ser difícil para você o rápido desenvolvimento que a China vem tendo. Cada nova conquista deve ser uma tortura psicólogica. HAHAHAHA

“ain a cHinA é C0mUnlstA”

Slow

Achei que ele falou do Brasil …😂😂

carvalho2008

A US Navy lançou planejamento de redução de 02 a 03 Super Carriers, mas a construção de 04 a 06 NAe de 70 mil ton….

Piassarollo

Mestre Carvalho, os planos eram pra 10 Fords, sendo confirmados somente 4 unidades. Abs

Hcosta

Já tem projeto desses 70k ton?

Piassarollo

Fiquei curioso também

carvalho2008

Outro importante ponto. Quando você lê a tabela, percebe então uma que os Grandes LHA´s devem se manter ou reduzir em apenas 01 unidade, mas em compensação, haveria um redimensionamento do método de abordagem dos Mariners.

Isto pode ser visto na tabela onde se configura a intenção da construção de 30 pequenos navios anfibios entre 1000 ton a 8 000 ton
comment image

Piassarollo

Interessante

carvalho2008

Perceba que de forma geral, os navios seriam menores porem crescerão em quantidade…Nae, Anfibios, etc…

Perceba que o mesmo tambem estaria programado reduzindo-se tambem os grandes combatentes de superfície porém, aumentando-se os combatentes de superfície menores….

Isto é uma clara sinalização de que irão pulverizar a força em navios menores como forma de garantir sobrevivencia de atrito….ou ainda, conseguir estar em mais locais ao mesmo tempo…

  • Large Suface Combatant reduz de 91 para 74
  • Small Surface Combatant aumentam de 30 para 66
Hcosta

Os LPD (San Antonio) são os navios anfíbios? E com as novas versões mais simples conseguem aumentar o número.
A ideia que fico é a retirada dos Ticonderoga e os Arleigh Burke ficarem com esse papel e as entrada em serviço das fragatas Constellation.
Os small surface são os LCS e as Fragatas?
Conseguirão ter os 11 PA nucleares, os LHA e os CVL? Com o aumento nos LPD, mais 20 de superfície e mais 18 subs de ataque?

carvalho2008

Pelo que li , é o planejamento da US Navy para os Proximos 25-30 anos…reduzem o SuperCarrier e construiriam na razão de 2/1 ou 3/1 O que eles chamam de NAe Leve (70 mil ton)….parece piada chamar de leve…mas o que vi é a apenas a planilha de planejamento de meios para o período. Procurando em outras referencias, não parece haver ainda a definição do modelo. Alguns acreditam que seguirá como um Kitty Hawk moderno….outros que seriam uma evolução bem alterada do classe America LH-6…então percebe-se que ainda é um jogo de briga de conceitos a qual o consenso parece… Read more »

carvalho2008

comment image
Atenção especial a tabela, na qual constam 06 CVLs…admitindo ao mesmo tempo que poderia reduzir par até oito Supercerriers., ou seja uma substituição de porte de tamanho e numero de cascos entre 2/1 ou 3/1 dos Supercarriers que não forem substituidos pela classe Ford…

Piassarollo

Mestre Carvalho, não se esqueça que os supercarriers sempre representaram o ápice do poderio naval americano e sua diminuição pode acarretar alguma perda do prestígio da força de superfície. Vejamos os próximos capítulos. Abraço

carvalho2008

Ok…mas é plano deles…discussão deles…não é mais minha….apesar de concordar…

carvalho2008

comment image

carvalho2008

E aqui onde pretendem construir 30 pequenos anfibios de 1
mil a 08 mil ton https://news.usni.org/2021/07/06/report-to-congress-on-navy-light-amphibious-warship-5

Hcosta

Esses também contam? E os LPD?

carvalho2008

não sei, acho que os San Antonio se mantem dentro, os quais seriam no que é padrão para eles como pequenos na visão deles( conta outros ou demais)…por isto que eles separam os grandes LHA e LHD em uma linha a parte na planilha…

Carvalho2008

Sim contam como LPD

Alex Barreto Cypriano

Com muito atraso, mestre Carvalho, lembro que neste CRS o LAW é apresentado como deslocando até 4 mil toneladas. Dentre todos os requerimentos desta nave, a presença de canhão de 25 ou 30 mm pra autodefesa, a garantia de ‘sobrevivenciabilidade’ nivel 2+ e velocidade ‘de transito’ de 14 ou 15 nós são os mais polêmicos. Pra mim, o preço limite será muito ultrapassado…

carvalho2008

Pois é mestre Alex, eu vi referencias de que poderiam chegar a ate 8 mil ton….provavel fique na media de 4 mil….

Não parece o retorno dos LST? pois parece que desejam a operação de abicagem….

carvalho2008

Os pedidos para os construtores foram abertos e espera-se custos de US$ 100MM a US$ 150 MM a unidade. Imagem acima é apenas conceitual deles. Aguardar para saber os desenhos dos construtores…

A questão é se 30 deles serão feitos com expectativa de mil a 8 mil ton cada…qual será o papel dos grandes LHA´s?

Hcosta

O papel será o mesmo, dar cobertura. A maior parte da logística é feita pelo military sealift command. E a teoria é terem bases flutuantes e esses navios fazerem a parte final de transporte.
Muito mais rápido do que lançarem pela doca dos navios. Mesmo os LCAC só transportam um Abrams de cada vez.

carvalho2008

pelo texto entende-se que é uma nova doutrina…diluir os meios de forma autonoma dos mariners…cada navio levando consigo o batalhao e equipamentos do grupo e até o heli auxiliar…provavelmente seja uma percepção do problema entre o alcance das defesas costeiras versus o alcance de desembarque…por algum tempo, o desembarque helitransportado conseguiu segurar as pontas e realizar a tarefa…mas se os navios tiverem ao longo do tempo ter de ficar cada vez mais distantes da costa o material mais pesado vira um pesadelo pois necessita desembarcar para o apoio…se voce fizer isto com navios muito grandes e concentrados, arriscará muito….então o… Read more »

Hcosta

É simples. Esses navios de desembarque vão permitir afastar ainda mais os pontos de concentração das zonas de perigo. Por isso referi os navios que servem para transferir carga de navios maiores para esses mais pequenos. Atuam como uma plataforma.

Last edited 2 meses atrás by Hcosta
carvalho2008

tenho minhas duvidas…fosse somente uma transferencia de material poderiam continuar com as LCU´s…são navios que terão capacidade embora reduzida, de operações heli transportadas…e tem algum alcance alcance bem maior…de umas 3 mil milhas…isto enseja que aparentemente sairão de sua origem já com algum tipo de carga…

Hcosta

É, ideais para o Pacífico

Alex Barreto Cypriano

‘(…) qual será o papel dos grandes LHA’s?’ Ora, mestre Carvalho, os big decks e os LAWs tem missões diferentes, assim cada um no seu quadrado, e os fuzileiros estão se adaptando a novas formas de luta dentro escopo do DMO/LOCE/EABO. Nas ~600 toneladas de carga e uns 800 metros quadrados de garagem e deposito de um LAW teremos até Oshkoshs nao-tripulados lançadores de NSM…

Last edited 2 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
carvalho2008

Parece uma diluição e o numero deles é representativo…seriam cerca de 30 deles….

Considerando a autonomia, percebe-se que não serão transferidores de material dos LHA´s para a terra…ou seja, já sairiam da terra e acompanhariam a esquadra carregados…

e Se sairem ja carregados, o que LHA carregariam então?

Os grandes San Antonio se mantem, outros menores tambem…e acrescentam estes 30 ai….me parece que a distancia necessaria para operação segura de projeção e desembarque, está inviabilizando LHAs, muito grandes e com forças concentradas…eles precisam ficar mais afastados…mas mais afastados não cumpririam a missão..

Allan Lemos

Eles não teriam que mudar a lei para fazer isso? Porque eles são legalmente obrigados a operar 11 CVN’s e o Congresso nunca foi muito aberto à ideia de baixar esse número.

carvalho2008

boa pergunta….não sei….ou talvez os 06 CVLs de reposiçao se encaixem na legislação de piso minimo de unidades…

Filipe

Vamos ter calmas compatriotas, depois do SNBR será a nossa vez, iremos lançar o NAE de 42 mil toneladas com apoio do Naval Group , um NAE similar ao CDG mas sem usar reatores nucleares, a MB esta dando duro para fechar o PROSUB, depois do PROSUB teremos NAEs, LHDs, FFGs, FCTs, toda uma frota de superfície que a MB merece.

sub urbano

é verdade esse bilete kkk

100nick-Elã

Sonhar é tão bom….

Willber Rodrigues

Sonho meu, sonho meu
Vai buscar quem mora longe, sonho meu
Sonho meu, sonho meu
Vai buscar quem mora longe, sonho meu…

Filipe

O Prosub nesse momento é a prioridade da MB.

Bardini

Claro, claro. Pq só o tal protótipo chamado SNBR resolve tudo. Feito SNBR, não precisaremos de mais submarinos nucleares. Não precisamos contratar a construção de mais destes, para justificar ToTs e outros 1566 tipos de lorotas contadas ao longo de mais de uma década. Encerra o PROSUB e encerra essa sangria… Aí podemos enfim, volta a focar em construir uma marinha, ter NAe e outras 32 viagens diferentes. . Pelo amor de Deus, acorda pra vida! A conta só vai ficar ainda mais impagável. A questão “SNBR” só tende a encarecer ainda mais os custos da ForSub, tornado todo o… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Filipe

Lembro-lhe que o plano da MB são 6 SN-BR + 15 S-BR para a ForSub operar por muitos anos, já gastamos muito dinheiro com o Estaleiro e a Base Naval, imagine a quantidade de dinheiro do LABGENE, agora ficar a meio é que não dá, ficar a meio significa morrer de sede na praia virado de frente para o mar, não dá. A gente tem que unir o senado, unir o governo, unir o congresso em prol do PROSUB, é o futuro geopolítico e geoestratégico do Brasil que está em causa, não quer haja risco do Brasil ser invadido por… Read more »

Willber Rodrigues

Quem “planejou” que a MB operaria 15 subs convencionais + 6 subs nucleares, tava mais doido que o padre do balão.

carvalho2008

Quantitativamente pelo tamanho da costa e oceano aberto, a area demanda quantidades entre 20 a 30…agora se haveria grana para isto são outros quinhentos…

Willber Rodrigues

Quantitativamente, pelo tamanho de nossa costa e oceano aberto, deveríamos ter, no mínimo, uns 30 navios patrulha oceânicos, que são infinitamente mais baratos e fáceis de construir do que submarinos…
Mas nós não temos isso, temos?

Nilo

Felipe e Wilber, concordo, o SUBNUC deve ser o foco do Brasil, é um navio de emprego estretégico não só para o Brasil, mas para a América do Sul, no mares a leste da costa do sul da A.Sul até Africa Atlântica. Sem a conclusão sattisfatória desse projeto, a MB passa mais uma vez a noção de incapacidade de planejamento. Centrar em produção de patrulhhas oceânicos e de litoral, maximizando nacionalização,, daria impulso a engenharia naval, este projeto Tamandare não acrescenta nada nada, um projeto que salva a empresa alemã TKMS, um gigantesto conglomerado financeiro, siderúrgico e naval que enfrenta dificuldades… Read more »

carvalho2008

Irã tem quase 30….nos modelos que lhe atendem ao seu teatro operacional…

carvalho2008

A Quebrada Grecia tem 11…sendo deles 07 IKL 209 e 04 do IKL 214….

Bardini

A Grécia tem 11, o Irã pode ter 30 e a Coreia do Norte tem a maior frota de submarinos do mundo… Mas são submarinos caros ou baratos, pequenos ou grandes?
.
Uma coisa é montar planejamento com 15 navios como o Scorpene e 6 charutos atômicos, quando não se pode nem bancar os IKL rodando como deveria. Outra coisa bem diferente, seria um planejamento contendo dezenas destes:comment image

Last edited 2 meses atrás by Bardini
carvalho2008

E porque não?

Grecia mantem 11 sendo 7 deles iguais aos nossos…

Este é é o capiroto no ambente dele…que fez isto aqui contra a Corveta Pohang Sul Coreana…comment image
Partiu no meio…533 mm de tudo mesmo tendo apenas dois…não é brincadeira…

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image
Pintam ele de azul assim acima porque no Golfo Persico ele consegue atuar em zonas rasas . É extremamente dificil atuar contra eles em aguas apertadas, rasas e estreitas…um heli ou avião ASUW poderia ser alvejado das margens opostas do golfo…

bom…e na Coreia…foi o suficiente contra a Corveta que era nova…

A zona costeira é um pesadelo contra SSKs pequenos..zona costeira é muito poluida de contatos, barulhos, ruidos e ainda por cima, se for na costa a ser ocupada, não dá para usar meios aereos ASUW pois ficariam muito proximos das baterias costeiras…

Bardini

Tu tais fazendo uma sopa pq quer repassar a tua ideia.
.
A questão é que o planejamento da MB nunca seguiu essa linha aí, que tu expõe. Se fosse pra ter esses meios pequenos para fazer número, como os submersíveis iranianos ou koreanos, seria muito mais fácil de executar, pq é coisa muito mais barata.
.
E na questão submersível pequeno ser ou não eficiente dentro do nosso cenário, é outra conversa…

carvalho2008

uai Mestre Bardini, não falei que era ideia da MB…é opinião minha mesmo sim oras…sempre digo isto…

A MB sempre quer o fino…a nata…e fica na lata…eles podem querer o quanto quiser…Hoje, no momento, vive-se de fato um pesadelo na MB por conta do programa nuclear….ele drena tudo o que restou….se este negocio não der certo…será a pá de cal…será o maior simbolo de desastre como nação….e simbolo do maior desastre como gestão…

Mk48

Mestre Carvalho,.
.
A filosofia da MB é ter submarinos com o maior range possível.
.
Não foi a toa que melhoraram o projeto do IKL, concebendo o Tikuna e agora com os Scorpéne “alongados”.
.
O SNBR é a síntese dessa busca por maior range.
.
Ter mini submarinos , como o Irã , Coréia do Norte, etc….está fora de questão.
.
Abs

Last edited 2 meses atrás by Mk48
Carvalho2008

Mas não deveria, tem o oceânico profundo, o oceânico mais proximo e o costeiro…. Do mais longinquo e caro a ate o mais próximo e barato ….cabem 3 modelos faceis

Wagner

A filosofia do almirantado/generalato/brigadeilato (existe esse termo?) é a de festa/lagosta/picanha e servir de cupincha para politicagem (alem do envolvimento com corrupção, como recentes casos escancarados não deixam dúvida) Tivéssemos uma força séria, a cúpula já faz tempo teria pressionado pelo enxugamento do quadro de pessoal e aumento de eficiência em todos os setores das forças. Aliás, eficiência militar, ao menos no caso do Brasil, são duas palavras contraditórias, vide o Min. da Saúde e o poder executivo.

Bardini

Lembro-lhe que o plano da MB são 6 SN-BR + 15 S-BR para a ForSub . Legal. Como se eu nunca tivesse visto o PEAMB que fizeram a mais de uma década… Nos planos iniciais do PROSUB, o SNBR era para ser entregue esse ano! sim, 2021! Quando é que vai ser entregue mesmo, no atual cronograma? Só em 2034! E o que garante que isso aí não vai atrasar mais do que uma década e meia? Nada. Absolutamente nada. E o que garante que a MB vai ter condições de ter NAe? Substâncias alucinógenas. . A gente tem que… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Adriano Madureira

Espero estar vivo e não senil quando tal fato de grande relevância acontecer…

Last edited 2 meses atrás by Adriano Madureira
Recruta

Acredito que o Type 004 poderá ter a energia nuclear, quatro catapultas e três elevadores, queimando etapas e inaugurando uma nova classe. Pelo visto até agora. Quem viver verá.

Piassarollo

Acredito que somente o type 005 poderá ser com propulsão nuclear.

Matheus S

De acordo com um relatório do South China Morning Post, uma fonte no anonimato disse que o estaleiro e os engenheiros de propulsão do navio estão determinados a buscar um grande avanço construindo o 004, deixando claro que o sistema de propulsão será diferente e o tempo de construção será maior do que os NAe anteriores. Outra fonte que pediu anonimato disse que a Comissão Militar Central do PCC está discutindo a proposta da China State Shipbuilding Corporation(CSSC) para a energia nuclear para o 004. A CSSC disse em fevereiro de 2018 que começou a desenvolver NAe movido a energia… Read more »

Mk48

Piassa,
.
Na sua opinião, por que não o T004 já não poderia ser nuclear ?

Piassarollo

Amigo MK, posso estar errado, a China vêm construindo seus porta aviões em uma lógica construtiva, desculpe a redundância, onde o primeiro navio nem foi totalmente feito no país, o segundo é uma evolução do primeiro, quase uma cópia. O terceiro navio, primeiro catobar, está sendo construído e apresenta novas tecnologias e soluções nunca antes operadas. Acredito que partir para um navio nuclear necessite de mais evolução, mais testes e certificações, para que se minimize ao máximo os riscos de que algo dê errado. Por estes motivos penso que o type 004 será ainda de propulsão convencional. Abs

Mk48

Amigo Piassa,
.
É verdade. O Pragmatismo chinês.
.
Obrigado pela resposta.
.
Abs

Nilo

A China da uma lição, de persistência, foco, agregada a uma política internacional de projeção, sustentada por uma política nacional indústrial, agregando valores tecnológicos aos seus produtos. Os nossos atuais comandantes das nossas forças optou por deixar a política institucional de Estado das Forças a ver navios, optou por uma liderança político partidária comandada por um insano. O resultado é uma econômia dependente, e minguante, apoiada em comodeties agrícolas e minerais. Um país sem relevância na política internacional. As lideranças atuais que apoiam esse governo tem criado no medo instucionalizado, a forma de controle. Infelismente o trabalho de decadas das… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Nilo
Zorann

A gente não sabe o que passa na cabeça da China. Eles podem decidir por novos CVs nucleares e/ou convencionais. Temos que aguardar.

Wagner Figueiredo

Creio que eles já estão cortando pelo menos uma três chapas/ peças, para os próximos… duplicando ou triplicando..rsrs

Emmanuel

Só um grande alvo para mísseis hiper sônicos dos US.
Não é assim que se fala, só que ao contrário????
Só um grande alvo.

Yuri Dogkove

Mas eles não tem mísseis Hipersônicos! Sorry!

Emmanuel

Tem em desenvolvimento, como todos os outros países. Sorry.

Mk48

Exatamente.
.
Tanto que os novos subs da classe Virginia Block 5 já estão sendo construídos com silos verticais prevendo o uso de mísseis hipersônicos.

Pursuit

Bom é que se soltar pecinha como o foguete, não tem perigo de cair na cabeça de ninguém.

PS: Postaram notícia do foguete indo, mas não da porcaria descendo.

Last edited 2 meses atrás by Pursuit
Pedro

Pessoal, quantos anos para este, juntamente com os outros 2, realizarem um tour mundial igual a frota branca Americana nos anos 20??

Dalton

Quando se tem 3 normalmente se tem um certificado, outro em manutenção e outro em treinamento e não há necessidade de se emular a “frota branca” o “Enterprise” de 1961 deu a volta ao mundo em 1964, primeira vez que isso foi feito por navios de propulsão nuclear o “Big E” acompanhado pelo “Long Beach” e “Bainbridge”.

Piassarollo

perfeito mestre Dalton, foi a Operação Sea Orbit, segundo consta, durou 65 dias. Um recado sombrio para a então união soviética, mostrando que a marinha americana poderia exercer seu poder em todos os oceanos do planeta alimentada pela energia nuclear. Abs

Mk48

Piassa e Dalton,
.
Não podemos esquecer da Operação SandBlast, onde o USS Triton (SSN 586) fez a 1a circunavigação submersa.
.
Como curiosidade , o Triton foi o único submarino ocidental que possuiu 2 reatores nucleares.
.
Abs

Piassarollo

Amigo submarinista, essa eu não sabia. Mais interessante são esses dois reatores. Abs

Dalton

Outra curiosidade sobre o “Triton” é que tendo sido projetado para ser desde o início um “piquete – radar” era importante ter uma boa performance na superfície e ele era tão veloz nela quanto submerso, quase 30 nós. . E tenho comigo que aquele arranjo da antena de radar relativamente grande e a grande reentrância na vela para abriga-la quando não em uso serviu de inspiração para o “Seaview” de “Viagem ao fundo do mar”, pois pode ser visto claramente nos episódios e em modelos. . No mais “48” por mais fantástica que a jornada do “Triton” tenha sido, ninguém… Read more »

Marcos 10

E o projeto de nosso NAe já começou?
Lembro que tinham intenção de criar uma segunda frota para a MB. Assim teriam de ser construídos dois navios.

Nilo

🤣 😂 🤣 😂 🤣 😂
explico minha reação, levando em consideração que vc leu os comentários e se constatualizou, o que seria no mínimo uma postura educada.

Marcos10

Estou na fase irônica, já que não vejo qualquer perspectiva para a MB, FAB e Exército do Brasil. Nem para o Brasil.

roberto da silva rocha

disponivel na AMAZON.COM livros de autoria de prof Msc Roberto da Silva Rocha Pensaram os arquitetos militares franceses em construir um muro para defender a França de Alemanha, como fizeram os Chineses há 3000 anos atrás com a sua muralha famosa. A linha de Maginot sequer foi contestada pela Alemanha que simplesmente a ignorou e deu a volta em volta da muralha de Maginot contornando-a e mostrando a sua anacrônica mentalidade medieval das defesas monstruosas e antigas como são os porta aviões da segunda grande guerra mundial, as modernas muralhas navais de Maginot. Assim como o afundamento do encouraçado Bismark e… Read more »

Hcosta

Este texto deve ter alguns anos. Não sei como foram feitas as contas mas têm alguns que não contam. Os helicópteros não contam porque os anti sub normalmente vão nas escoltas e os de apoio não estarão a voar. Aeronaves de transporte podem não estar no porta aviões. As de vigilância normalmente está uma sempre a voar, as dedicadas ao reabastecimento aéreo já não são utilizadas, até os drones entrarem em serviço. E acho que, hoje em dia, já não é preciso alijar as munições. E não estão todos os aviões no ar, eles sabem bem os seus limites desde… Read more »

- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -