terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

Diretor-Geral da Agência Internacional de Energia Atômica visita instalações do Programa de Submarinos

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Diretor-Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (DG-AIEA), Embaixador Rafael Mariano Grossi, cumpriu, em 16 de julho, visita oficial às instalações do Programa de Submarinos (PROSUB), no Complexo Naval de Itaguaí (RJ).

A Comitiva do DG-AIEA estava acompanhada pelo Ministro de Minas e Energia, Almirante de Esquadra Bento Albuquerque, e pelo Representante Brasileiro junto àquela Agência, Embaixador Carlos Duarte. As autoridades foram recepcionadas no Estaleiro de Construção (ESC) pelo Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, pelo Coordenador-Geral do Programa de Desenvolvimento do Submarino com Propulsão Nuclear (COGESN), Vice-Almirante (RM1-EN) Neves, pelo Diretor da Agência Naval de Segurança Nuclear e Qualidade (AgNSNQ), Contra-Almirante (RM1-EN) Humberto Moraes Ruivo, e por Assessores do PROSUB. Fizeram parte também da visita oficial os Presidentes das empresas AMAZUL, Vice-Almirante (RM1) Antonio Carlos Soares Guerreiro, e da NUCLEP, Contra-Almirante (RM1) Carlos Seixas.

O objetivo da visita foi apresentar ao DG-AIEA e representantes daquele Órgão as instalações do Complexo Naval de Itaguaí, onde não apenas avança a construção simultânea de quatro submarinos com propulsão diesel-elétrica (S-BR), segundo diferentes estágios de prontificação, mas com especial ênfase às futuras instalações do Complexo de Manutenção Especializada, onde serão realizadas as atividades de manutenção da plataforma, assim como de transporte e carregamento do combustível nuclear do submarino convencional com propulsão nuclear (SN-BR) “Álvaro Alberto”.

O PROSUB é um Programa Estratégico de substancial relevância para o Estado brasileiro. Além de ampliar o perímetro de proteção das águas da Amazônia Azul, esse empreendimento gera empregos que permite capacitar e qualificar mão de obra fortemente especializada, contribuindo para elevar o potencial estratégico de desenvolvimento científico e tecnológico do País.

FONTE: Marinha do Brasil

- Advertisement -

129 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
129 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Palpiteiro

Excelente esse programa. A conta é simples, se as FAA cortar as despesas com pessoal pela metade, da pra lançar um subnuc ao mar todo ano. Triplicar os empregos nas industrias de defesa, desenvolver tecnologia própria, impacto social, gerar impostos e aumentar o orgulho da nossa capacidade industrial e da nossa defesa.

Bardini

Kkkkkkkkkk!
.
Aiai…
.
É realmente uma “conta simples”, cortar mais de 200 mil pessoas dos quadros das forças armadas, né?

Palpiteiro

Acho que vale abrir a discussão. Eu não falei em cortar metade o efetivo. Eu falei em cortar as despesas de pessoal pela metade.
Eu falei em subnuc, mas isso inclui novos caças, tanques, etc.
O fato é que a conta é essa. A estratégia é ter só efetivo ou equipamentos de ponta também? Como manter a indústria de defesa ativa?
Esta provocação deve fazer parte da discussão.

Marcelo

Continua com esse papo ja ja a kombi preta vai te fazer um visita !!! Kkk

Yuri Dogkove

A Kombi não está rodando por falta de combustível, a não ser que ela seja movida a champanhe…

Allan Lemos

Amigo, as forças armadas(assim como todas as demais áreas do funcionalismo público desse País) são extremamente corporativistas. Então esqueça que eles algum dia terão a intenção de cortar despesas(i.e benesses) com o pessoal, de todo modo esses benefícios são irredutíveis.

E mesmo que se por milagre eles decidissem cortar metade do pessoal, a sobra no orçamento só seria perceptível daqui a décadas, assim como acontece com a pensão para as filhas solteiras, já acabou, mas enquanto todas estiverem vivas, o Estado continuará tendo que gastar com esses pagamentos.

José ROBERTO

Para de falar besteira

FabioB

Se hoje você tivesse o poder de decidir, independente de ser permitido ou não por Lei, como cortaria pela metade as despesas com pessoal? a. A partir de 1 de setembro (porque não dá mais tempo para processar as informações para agosto) cortaria todos os salários pela metade? b. A partir de 1 de setembro, licenciaria 50% do efetivo? c. A partir de 1 de setembro, fecharia 50% das organizações militares? d. A partir de 1 de setembro não pagaria mais os pensionistas? e. A partir de 1 de setembro acabaria com a reserva remunerada? f. Todas alternativas acima. Use… Read more »

curioso1960

Cortaria o alistamento obrigatório definitivamente, e os concursos nas 3 forças por 15 anos.
Retiraria todo o poder de compra das 3 forças, esse poder seria repassado para o ministério da economia e planejamento.
Quem sabe, não teríamos mais compras de picanha e vinhos importados, superfaturados.

Last edited 2 meses atrás by curioso1960
Marcelo

Tenho certeza que se vc tivesse no poder vc iria si preocupar com outras coisa e nao iria se preocupar em corta previlegio da casta que ja ta sugando na teta do sistema por varias décadas (vc iria arriscar aparecer do nada com um leucemia fatal,seus familiares do nada começar a morrer )??? É mais facil corta dos pobres e usar os privilegiados dos sistema que dão suporte para que nada aconteça a ordem do dia dia das pessoas tipo (lazaro a semana toda na tv radio ,internet em quanto era aprovado a privatizacao da eletrobras !!!! 40 bi para… Read more »

Bardini

E como é que se corta despesa pela metade sem cortar pessoal? Tu quer cortar o que então? Direito adquirido? Pagamentos? Como é que se faz essa “conta simples”, que eu não consigo enxergar?

Palpiteiro

Estudos super complexos dizem que é só parar de contratar, promover e aumentar o tempo de serviço.

Muitos objetivos do passado já foram superados e não precisam continuar na estrutura atual. Pode-se passar os hospitais para o Ministério da Saúde, as escolas de engenharia para o MEC, as fazendas para Embrapa e atuar no objetivo fim.

Entendo que é super legal ter sua própria cachaça (Faysca), mas a grana do contribuinte não dá mais.

Realmente, essas coisas cegam.

Teropode

Positivo , substituir o pessoal das aéreas que não são consideradas atividades fins por pessoal contratado ( terceirizados) , assim evitam o acúmulo de jjenioz concursados que ficam na maior parte do tempo alimentando o ego por terem passado no concurso , no médio prazo a economia fará a diferença , a segunda atitude é criar a Guarda-costeira , com novo estatuto , sem os salários de Marajá e com tripulação mista ( civis , militares da ativa e temporários ) , oque não pode é a força viver refém da jenealidade dos caras concursados e com poucos recursos na… Read more »

José ROBERTO

Gênios que passam em concurso e não fazem nada? Bem se vê que vc não é gênio.

Teropode

Não fazem nada pelo que custam ao Estado , tá passando da hora de reformular este celeiro de jenealidades …

curioso1960

Cortaria o alistamento obrigatório definitivamente, e os concursos nas 3 forças por 15 anos.
Retiraria todo o poder de compra das 3 forças, esse poder seria repassado para o ministério da economia e planejamento.
Quem sabe, não teríamos mais compras de picanha e vinhos importados, superfaturados.

Camargoer

Caro Curioso. As forças armadas convocam cerca de 90 mil jovens para cumprir serviço obrigatório a um custo de cerca de R$ 1 bilhão por ano, ou menos de 1% do orçamento do MinDef. O problema dos gastos com pessoal esta relacionado com o pagamento dos militares de carreira, principalmente dentro do EB que corresponde a cerca de 2/3 dos militares brasileiros.

cerberosph

A reforma trabalhista acabou com o direito adquirido de todos os trabalhadores pobres mortais, mas para as filhas dondocas aí não pode.

PauloOsk

So pra te lembrar que Royal Navy tem menos da metade do efetivo da MB. Mas se dentista vence guerra, “tamo bem”. haha

Camargoer

Caro Paulo. Sabemos quantos são os militares de cada força, mas não sabemos quantos são os oficiais por patente ou por especialidade. Para discutirmos se a MB tem muitos dentistas precisamos primeiro saber quantos dentistas a MB tem. Essa é a caixa preta que precisa ser aberta.

PauloOsk

A certeza que a gente tem, eh que tem muita gente pra pouco navio.

Vovozao

20/07/2021 – terça-feira, bnoite, so tenho uma pergunta em relação a sua postagem:
Tudo que voce postou, seja demissão, redução de salarios/beneficios, etc, causaria um impacto violento nas pessoas que viessem a sofrer demissão ou corte de salarios/beneficios…… e, como ficaria ou ficariam suas familias…… deixariam de pagar suas contas…. iriam prejudicar todas e qualquer empresa que contasse em receber contas, privaria sua familia de alimentacao… etc. E, você, ou deve ser rico ou vive nas costas de outras pessoas. Acorda faca criticas construtivas ou nada poste.

Palpiteiro

Eu falo em parar de contratar, promover e aumentar o tempo de serviço. Quando ao impacto violento, é só você perguntar para os pais de família que perdem o emprego todo ano na indústria de defesa. Se você reduzir despesa com efetivo, haverá um aumento no número de empregos total

Michel

Colega, nesse caso as famílias dos militares fariam como tantas famílias de brasileiros que bancam tais benefícios dos militares e que ficaram sem o direito de, pelo menos, se aposentar – o que não ocorreu com os militares, buscariam a iniciativa privada para trabalhar.

Afinal de contas, o governo do capitão expulso é um governo neoliberal.

E que vençam os melhores, não os que ficam encostados servindo como fardo da sociedade.

José Soares de Oliveira Neto

Se você fazer apenas a metade disso os militares tirariam vc do poder. O problema no Brasil não são os salarios E sim a educação Paulo Freire e que fique claro implantada pelo PSDB que condenou no mínimo uma geração.O jeitinho e principalmente o sistema republicano corrupto implantado no Brasil. E quando temos um Presidente que não participa do Sistema e não deixa o sistema agir e distribuir beneces com dinheiro público ficam assim. O Brasil já matou e distruiu várias empresas tops apenas Nos governos de esquerda . O que falta no Brasil e uma total falta de planejamento… Read more »

Inimigo do Estado

Sim é, Collor fez isso na década de 90, não lembro o ano. 200 mil é complicado, mas 30 mil é mais fácil que tirar doce da boca de criança.

Deixa um cara como eu da iniciativa privada, que não tem escrúpulos nenhum em assinar uma demissão, assumir o posto de presidente para tu ver.

Uma canetada e é tchau e benção, e o congresso que se vire para manter ou não a medida.

Last edited 2 meses atrás by Inimigo do Estado
José ROBERTO

Quanta besteira…

Inimigo do Estado

Aliás grande Collor, o único presidente na história que foi capaz de enfrentar o corporativismo do funcionalismo público. Fez suas cagadas, mas o considero muito corajoso.

Precisamos de um novo Collor.

Welington S.

”[…] Deixa um cara como eu da iniciativa privada, que não tem escrúpulos nenhum em assinar uma demissão, assumir o posto de presidente para tu ver. […]”

É muito engraçado ler isto sem dar risada, hahaha. O próprio Presidente da República está tendo problemas inimagináveis que sequer ele mesmo poderia imaginar ter – e olha que ele sempre fala da dificuldade – e você aí, um mero cidadão, achando que entrando lá, daria simplesmente uma canetada e ByeBye pro consagrado, hahaha.

Você é engraçado, amigo.

Heinz Guderian

“Cortar as despesas com pessoal pela metade”
Vida real não é vídeo game, é muito difícil fazer um corte dessa magnitude, eu concordo que as despesas tem que ser ajustadas, em benefício do próprio órgão, mas vejo cada comentário aqui no blog sem noção.

Palpiteiro

Difícil é fazer de um ano para o outro. Pode cortar 1 a 2% ao ano. A conta da uma corveta a mais por ano.

Zorann

E você sugere o que? É mais do que claro que precisasmos cortar em muito, muito mesmo, os gasto com pessoal.

Qual outra solução “cheia de noção” que você tem?

Deixando a questão dos submarinos de lado, propor uma discussão sobre redução de gasto com pessoal não tem nada de sem noção.

Aliás este deveria ser o assunto principal de qualquer discussão, já que este é o principal problema que temos, que impede, quase que totalmente, qualquer coisa boa acontecer.

Last edited 2 meses atrás by Zorann
Palpiteiro

A outra solução seria terminar a construção do quarto submarino, fechar o estaleiro, mandar milhares embora, pintar na cor de um elefante e ficar reclamando que nossa defesa é ruim, que o brasileiro não se importa com a defesa, os equipamentos são obsoletos, etc. Isso é o que o pessoal com noção faz nesse blog.

Teropode

O problema é que quando se fala nisto eles gritam dizendo que na verdade estamos é com inveja por não termos passado no “concurso 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣”. É Dhruris ….

Inimigo do Estado

Né, ouvi isso a vida toda. Nunca tive essa pretensão, e com a bagagem que tenho passaria em qualquer concurso de olhos fechados.

Estou muito bem na agricultura, e andando para que se acha o máximo por que passou em prova de decoreba kkkkk

José ROBERTO

As máquinas de guerra andam sozinhas?

Michel

Sim, a inteligência artificial já é uma realidade. Pilota, inclusive, aviões. Sem mencionar os robôs de guerra. O futuro não será um cabide de empregos em cada força armada, assim como não é. Pelo menos não por estas paragens.
Incrível, não!?

Teropode

Funciona assim : Vc pede 50% de desconto , mas se dá por satisfeito com 20%, por hora !!!!

rui mendes

Mesmo, como a de ” a partir de 1 setembro, não se paga mais a pensionista” essa é demais.

Marcelo Andrade

A conta é simples: Cortar as mordomias dos congressistas , deputados estaduais , vereadores, Desembargadores e Ministros dos Tribunais Superiores, dá pra lancar 1 porta-aviões nuclear por ano!!

Palpiteiro

Isso também é super necessário. Cada um deve resolver o seu problema. A discussão é que as FAAs devem resolver os dela. Não resolver o seu problema e reclamar dos outros é mais fácil.

Teropode

Também , isto também , como podemos observar há parasitas travando a obtenção de uma força moderna e poderosa .

Welington S.

A conta é simples: Cortar de modo geral o que precisa ser cortado.

Não dá mais pra ser assim!

José ROBERTO

E vc vai operar os meios?

Fernando

Que meios?

O navio que precisa de tripulação é o que existe. Não existe navio, não precisa de tripulação.

O maior erro da MB foi anos atrás com a história de segunda esquadra, NAe, etc. Planejaram isso, legal, mas a primeira coisa que fizeram foi aumentar o pessoal. Agora fica com esse problema.

Tivessem aumentando o contingente gradativamente a medida que os navios fossem pra água, não teria saído a tal segunda esquadra, mas de repente teríamos umas corvetinhas a mais hoje.

Pedro

Cuidado com a perseguição amigo. Aqui a FA´s estão no pedestal acima de Jesus Cristo. Só precisa cortar na picanha, stela artois, não alugar prédio público a preço de ouro e inativo.

ah! e esqueci da reforma da previdÊncia e aumento de soldos em plena pandemia.

Xico neto

A conversa mais inútil e sem cabimento que já vi. Típico de quem não entende nada de leis trabalhista, nada de instituições militares, completamento alienado no assunto. Nem conta de padaria é assim!!! É cada uma!!!

Pedro

Explique por favor! Precisamos realmente dirimir tais dúvidas.

Ted

Facil: a marinha precisa dos 80000 soldados. Fazendo triagem nos estádios de futebol abarrotado de guerrilheiros do mst,cut,sindicatos.
E deputados e senadores corruptos.

Renato de Almeida

Palpiteiro, O problema é a falta de boa vontade das FFAS e dos políticos em resolver essa questão de uma vez por todas. Todo mundo olha as FFAs como um dragão consumidor de recursos infindável. Meios existem para as FFAS de forma criteriosa amenizarem e muito sua insaciável fome de recursos. Exemplo; Porque as FFAS não colocam seus laboratórios para fabricar se não na totalidade ou parte dela o consumo de medicamentos que são importados na casa de bilhões/ano e arrecadar parte disso em impostos? Medicamentos de tratamento radiológicos AGORA podem ser disponibilizados pela Marinha. As FFAS e os políticos… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Renato de Almeida
Renan

Olá! Vamos separar alguns gastos Soldo Pensão Soldo da reserva. Benefícios. Em 2017 os números se não me engano era 100 bilhões orçamento total gasto 23 bilhões soldo ativa 21 bilhões pensão 19 bilhões soldo reserva 26 bilhões em ajudas, peduralucario e benefícios 6 bilhões de investimento 5 bilhões em custeio Onde devemos cortar? Sugestão por força de mobilização popular lança uma campanha nacional em mídias sociais de conscientização. Uma andorinha não faz verão. Mas 1000 pessoas podem difundir a ideia. Cria grupos de debate Filtra as ideias. Faz uma vaquinha virtual para pagar uma consultoria jurídica. Quando estiver bolado… Read more »

Renan

Primeiro ponto é a defesa nacional acima dos interesses pessoais. Segundo ponto é reconhecer a dificuldade de planejamento por falta de previsão de verbas. Hoje nosso dinheiro está desvalorizado então é necessário entender que no meio militar os contratos são negociado em dólar. Faz necessário prever isso no setor militar então deveria ser previsível um recurso mínimo em dólares para investimento militares. E para o custeio pois as peças de reposição são em dólares. Então deveria separa o orçamento da defesa em três partes. O orçamento do ministério da defesa destinado por força de lei para gastos com pessoal (… Read more »

Renan

Alguém concorda?

carvalho2008

Uma forma de reduzir o custo seria alterar o regime de aposentadoria do servidor publico militar. Os Servidor Publico Militar aposenta-se com 35 anos de serviços sem limite de idade piso ou teto( Ex. ingresso aos 18-> aposentadoria aos 53), porem oficiais superiores podem variar entre 68 anos a até 75 anos. Deveriam equiparar que os limites de idade entre o Funcionalismo publico civil e Militar porém, atingidas as cotas de quadros e/ou alcançada a idade limite de 50-55 anos, serem transferidos ao Serviço Publico Civil, quer sejam nas instancias municipais, estaduais ou federais e lá manteriam-se como regime de… Read more »

carvalho2008

Outro ponto a economizar a maquina publica, quer seja civil ou militar, seria equalizar a conscrição de forma isonômica para ambos os sexos, unificando um unico Serviço Publico conscrito para os jovens de 18 anos em sua primeira experiência de vida e trabalho e cidadania. Para estes, haveriam vagas de 10 meses de duração, onde optariam conforme suas motivações e aptidões, nos cargos de base das Armas ou Publico Civil, municipal, estadual ou federal… Isto permitiria a toda a faixa de jovem cidadania permear a vida publica civil ou militar, sem castas… Então, sobrariam apenas para concursos de serviço publico… Read more »

Vovozao

20/07/2021 – terça-feira, bdia, mestre Carvalho, os entusiastas até hoje não entenderam; as FFAA’s, possuem um limite que anualmente é/são analisados pelo “”CONGRESSO””, só ele possue autoridade para uma diminuição do contingente a curto/médio prazo; ou, as FFAA’s poderiam realizar esta diminuição não atingindo a cota determinada pelo congresso, e, nao repondo o contingente que seriam reformados anualmente ou os que vencesse os contratos; porém, não acredito em nada disto, ja que contingente tambem influência o rateio da verba à disposição da força.

Palpiteiro

Olá. Minha colocação foi a de reduzir despesa com pessoal. Não estou citando quantidade de pessoal (embora passe isso também). A maior parte da despesa não é pagando soldado. A análise crítica devem ser feitas em indicadores como: almirantes/navios ativos, generais/tanques ativos, brigadeiros/caça ativo? Os especialistas podem informar qual é essa conta em outros países?

Se os especialistas aqui demonstrarem que a guerra moderna será vencida somente com pessoal, eu assumo que estou errado e apoio sem problemas.

Camargoer

Caro Palpiteiro. Anualmente, são convocados cerca de 90 mil jovens para o serviço militar obrigatório ao custo de cerca de R$ 1 bilhão, ou menos de 1% do orçamento do MinDef. Os jovens que cumprem serviço militar não pesam na previdência. Portanto, o problema não é o serviço obrigatório. O problema são os militares de carreira, principalmente do EB que correspondem a 2/3 do efetivo.

Camargoer

Caro Vovozão. Crei que há um equívoco na sua análise. De fato, o contingente militar é determinado por lei, portanto votado e aprovado no Congresso. Contudo, esta lei é de autoria do executivo por recomendação do MinDef. Portanto, o Congresso aprova o que é solicitado pelos militares. Se os militares propuserem uma redução do contingente, o Congresso irá aprovar (por que não aprovaria?). Aliás, procurei e não consegui encontrar a lei que determina o contingente militar.

Zorann

A solução é simples, mas nunca ocorrerá. Redução substancial de pessoal; Militares serem temporários por definição. A partir de determinado tempo de serviço, somente uma pequena parcela seguiria carreira como efetivo (através de concurso ou por mérito/pontuação na carreira); Cria-se um teto de beneficios, semelhante ao que há para os civis (não no mesmo valor – mas algo condizente com nossa realidade); Ter a força composta por temporários é a saída. Você ensina uma profissão, usufrui os melhores anos do militar em troca desta formação, e quando chegasse a hora de ir para detrás de uma mesa, ou para um… Read more »

Zorann

Uma coisa mais realista.

  • Redução de pessoal;
  • Cria-se um teto de beneficios
  • Proporção maior de temporários.

Mas a maior revolução seria criada com um orçamento impositivo. Onde cada unidade, OM, avião, navio, modernização, plano de aquisição, ivesse seus custos anuais de operação/compra explícitos. Possibilitando assim controlar de fato como as FFAA gastam seus recursos.

Last edited 2 meses atrás by Zorann
Nilo

…..É interessante notar que no oficialato superior ocorre risco inverso, o qual podendo-se aposentar entre 68 a 75 anos, ameaçam inflar, inchar os altos….
Pergunto mestre, mesmo com o gatilho da promoção só ocorrendo em decorrencia da vaga??

Nilo

Vaga por ocorrencia da saída efetiva não remunerada do oficial da corporação.

Satyricon

À bem da verdade, os militares deveriam seguir o exemplo do restante da administração pública, que vem dando um ótimo exemplo neste sentido, exceto pelas universidades públicas. Vejam abaixo:
https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2021/07/maquina-federal-tem-enxugamento-inedito-de-servidores.shtml?utm_source=whatsapp&utm_medium=social&utm_campaign=compwa

Carlos Campos

aí os funça que eu conheço dizem que o PG odeia servidor público, não é mentira mesmo kkk

Camargoer

Caro Carlos. Caso a implicância do Posto Ypiranga fosse sobre o funcionalismo, seria apenas metade do problema. Ela também não gosta de quem tem registro em carteira no setor produtivo.

Carlos Campos

aí já é faknews sua.

Camargoer

Caro Carlos. Acho que o atual governo vem promovendo uma série de mudanças nas leis trabalhista que prejudicaram muito aqueles que tem registro em carteira, começando com a extinção do Ministério do Trabalho, alterações na legislação trabalhista, flexibilização das regras, “carteira verde-amarelo” etc. São fatos.

Carlos Campos

aí é opinião sua, eu acho isso bom,

Camargoer

Olá Carlos. Até o inicio do Sec XX, a ausência de leis trabalhistas permitiam jornadas de 13~16 hora sem o pagamento de horas-extras. Não havia férias (muito menos férias remuneradas), não havia previdência pública, mas havia trabalho infantil. Não havia seguro por acidentes nem seguro desemprego. Aquele que se se acidentava na fábrica era apenas demitido sem qualquer indenização. Havia assedio moral e principalmente, assedio sexual contra as mulheres e crianças. O trabalho feminino era sub-remunerado e o trabalho infantil impedia das crianças irem para a escola (aliá, não havia escola gratuita para as crianças, nem alfabetização de adultos). Apenas… Read more »

Marcelo Baptista

Carlos, eu sou CLT da iniciativa privada, e tenho certeza de que o PG não gosta da gente! Aliás, somos apenas estorvo. Mas fazer o que? Isso só se resolve na próxima eleição.

Camargoer

Caro Marcelo. Tenho feitos várias críticas á (ausência) de política industrial e de criação de empregos do atual governo. Gostaria mesmo que as pessoas apontasse meu erro sobre isso, mas desconheço qualquer iniciativa que tenha promovido a recuperação econômica e a geração de emprego. Todas as ações do governo neste sentido fracassaram.

Marcelo Baptista

Camargoer, é exatamente isto, a mesma critica que eu tinha na epoca do FHC.

Camargoer

Olá Marcelo. O período FHC foi difícil também… ainda bem que não teve pandemia nem “pressão por voto impresso”. Aliás, no período FHC nazismo era de direita.

Marcelo

Logico que nao ne,ele é dono de empresa nao gosta nem de pagar o salário dos funcionario !!!
Esta louco para o congresso aprovar a escravidão de novo para ele comprar um monte de escravo barato e não prescisar pagar mais nada para os escravos !!!!
Ts difícil de entender ou prescisa desenhar ???

Hellen

Esse é o posto Ipiranga que foi colocado no poder para resolver o problema de 2% de privilegiados no Brasil !!!!

Camargoer

Caro Satyricon. O IPEA mantém uma excelente base de análise sobre o funcionlismo público em todas as esferas, chamado Atlas do Funcionalismo. A primeira coisa a ser discutida é que existe um número mínimo de funcionários para que o serviço prestado sera efetivo. Abaixo de um certo número, não há como atender e a prestação do serviço público é interrompido por falta de pessoal. Tomando como base o INSS, citado na reportagem. Existe um procedimento para a concessão do benefício, que passa por examinar as documentação do pedido de aposentadoria, ou da perícia médica, etc. O número de funcionários necessários… Read more »

Mensageiro

Cortou de áreas essenciais como IBAMA, do INPE, IBGE, e encheu a maquina pública de milico de escritório, onde isso é bom? E ainda quer falar das universidades públicas que carregam toda pesquisa científica e desenvolvimento do país nas costas, pq as privadas não produz pesquisa. É brincadeira meu.

Jadson Cabral

É uma cara de pau impressionante desse pessoal. É igual a pedir pra base aprovar fundo eleitoral de 6bi, depois dizer que é contra e acabar não cegando sob a desculpa de que não teve escolha. E o gado cai…
Só uma correção, algumas privadas produzem pesquisa sim, muito menos, mas produzem. Aqui em Sergipe a que eu estudei tem um instituto tecnológico de pesquisa ligado a Petrobrás que desenvolve umas coisas pro governo. Inclusive eu tive uma professora que fazia seu doutorado lá

Camargoer

Caro Jadson. Os melhores indicadores de pesquisa são 1 artigos publicados, 2. número de citações, 3. número de alunos de doutorado 4. valor de recursos obtidos para pesquisa e 5. números de pesquisadores com bolsa de pesquisa do CNPq. Este cinco números servem para qualificar e ranquear os centros de pesquisa no Brasil. Existem centros de pesquisa em instituições privadas, mas são poucos. Tenho certeza que mais que 95% da pesquisa no Brasil é feita em instituições públicas. Outra coisa é que nenhuma instituição de pesquisa trabalha sozinha. Instituições privadas e públicas trabalham em parceira, de modo colaborativo. Seria ótimo… Read more »

Satyricon

Prezados, há um ganho considerável de eficiência com o advento da informática, que demanda um número bem menor de funcionários e isso deve ser considerado, em todas as áreas do funcionalismo público. Alguns setores tem feito seu para-casa, outros não. Um exemplo clássico é o antigo DUT, que hj os condutores imprimem em casa. Camargoer mencionou o INSS, mas se ligarem para a central de atendimento (135) será atendido por um robô. Todo o processo hoje em dia é feito remotamente, via site https://meuinss.org. toda a documentação segue via upload nesse site. Apenas as perícias são presenciais. O atendimento está… Read more »

EduardoSP

Vc já pode trabalhar no ministério da magia, digo, da economia. Os dirigentes lá também acham que tudo se resolve com aplicativo.

Satyricon

Eduardo, pelo visto tem gente achando que fiz apologia a algum governo, ou a algum político. NÃO fiz.
Relatei o fato da possibilidade de ganho de eficiência com a informática, e a consequente redução de quadros, coisa que as forças armadas não estão empenhadas em fazê-lo, apesar de perfeitamente factível, conforme relatado na reportagem.
Magia, de verdade, é tentar construir um argumento imparcial, neste universo polarizado, que não seja deturpado por gente de mente pequena.

Marcelo Baptista

Eduardo, eu renovei minha CNH e transferi o carro para o meu nome tudo de casa. Minha única interação humana foi na CFC para fazer a prova teórica. Então, sim dá para vc resolver bastante coisa por APP.
Quando eu era jovem (láaaaa atrás) se vc tinha dinheiro, contratava o despachante, não tinha, perdia o dia inteiro (com sorte) no DETRAN indo de um guichê a outro para fazer este tipo de coisa.

Camargoer

Caro Marcelo. Houve um enorme avanço no e-governo.. Ainda tem muita coisa para ser feita. Contudo, todo esse avanço depende de investimento para a elaboração dos sistemas, aquisição de hardware, pessoal capacitado para manter o sistema funcionando e capacitação dos servidores que supervisionam o sistema. É preciso lembrar da razão de se emitir CNH, registro de automóveis, etc. Sempre haverá o risco de fraudes contra estes sistemas. O fato do sistema estar informatizado e ser acessado online não inibe as tentativas de fraudes. A informatização facilita muitas coisas, mas se por um lado elimina a necessidade do atendimento no balcão,… Read more »

Marcelo Baptista

Camargoer, concordo, mas do meu pontode vista, do cliente final, essa facilidade é benvinda. Quanto as fraudes, na Alemanha vc é responsabilizado “criminalmente” por falsificar informações. Coisa que não acontece aqui, por isto precisamos de uma estrutura fiscalizadora gigantesca.

Camargoer

Olá Marcelo. No Brasil esse tipo de fraude também é crime, por isso é preciso que os sistemas de e-governo e e-documentos precisam ser continuamente monitorados tanto contra invasões de hackers quanto contra o upload de documentos falsos. Talvez, a fiscalização de processos em sistemas eletrônicos seja até mais fácil do que em sistemas tradicionais. O maior obstáculo para o sistema de fiscalização é o trabalho em campo. O ex-ministro Salles foi pego agindo criminalmente pela fiscalização eletrônica da documentação de liberação de madeira, mas também existe a necessidade de fiscais em campo, fiscalizando in loco a extração e transporte… Read more »

Camargoer

Caro Satyricon. Concordo bastante com você sobre a importância das ações em direção a um e-governo, o que facilita e agiliza muito a prestação de serviços públicos para a população. Acredito que este tipo de ação demanda um enorme esforço e investimento do governo e dos servidores envolvidos, mas temos visto muitas ações de sucesso nesta direção. Infelizmente, o problema do INSS é mais complicado, tanto que a análise dos pedidos de benefícios passou de 45 para 90 dias (ver em “Benefício em Análise no INSS: Novos prazos e o que mudou em 2021?” de maio/2021). A pandemia apenas complicou… Read more »

Marcelo Andrade

Acho espetacular esse forum! Ninguem comentou sobre a notícia!! kkkkkkk

AK-130

E ainda negativaram quem tentou se manter no tópico…

Teropode

Talvez o motivo seja por perceberem que de nada adianta planejamentos , livros brancos , sonhos e reuniões sem primeiramente eliminar o ralo que consome 75% dos parcos recursos . É chato enxugar gelo , a Marinha percegue o rabo do Subnuclear a quase 50 anos e até agora “nada”.

Matheus

Sim, porque é muito facil contruir um programa nuclear completo, agora mesmo eu consigo tirar um da minha b*nda.

Ted

Sem falar que: o sujeito que percorreu a INB,ARAMAR,Angra2,Itaguaí. É argentino.

Camargoer.

Caros Colegas. A visita do diretor da AIEA é uma consequência da decisão da MB de usar combustível de baixo teor de enriquecimento. Apesar da crítica de alguns cegas sobre esta escolha, eu a considero acertada.

Carlos Campos

pq acertada?

Camargoer

Olá Carlos. Primeiro porque o reator usará combustível da fábrica de Resende, que já está homologada. Se a MB decidisse usar um combustível com mais de 20%, ela teria que construir uma outra fábrica de combustível e buscar uma nova homologação. Segundo, porque a homologação do próprio reator que usa combustível com menos de 20% é feita de um modo mais simples que um reator que usa combustível com mais de 20%. Terceiro, é mais fácil e seguro lidar com combustível com menos de 20% do que com combustível mais enriquecido do que isso. Acho que o Galante colocou em… Read more »

Vovozao

20/07/2021 – terça-feira, btarde, Camargoer, não tenho certeza, porém, combustivel acima de 20 0/0, teriamos que adquirir fora. Teriamos que aceitar todos os rigidos controles da AIEA, encontrar um pais que estivesse apto a esse enriquecimento, alem de muitas vezes, ser o urânio originário da nação que solicita o enriquecimento. O urânio usado para o sub nacional, denomina-se urânio pobre; faz-se a pasta basica, comprime e produz-se as pastilhas ou as varetas.

Vovozao

Parece simples, porém, um processo muito bem elaborado, e, ja possuimos uma boa qualificacao.

Camargoer

Olá Vovozão. O enriquecimento acima de 20% depende apenas do número de centrífugas colocadas em série. Para 4% é um número. Para 20%, são mais cascatas. Portanto, em tese, seria possível usar a fábrica de Resende para produzir combustível com mais de 20%. Só que isso violaria a homologação da fábrica. Isso criaria problemas muito sérios porque violaria todos os acordos com a AIEA e com a ABACC. Por outro lado, a MB poderia fazer uma nova fábrica em Aramar só para produzir o combustivel acima de 20% para o submarino. Só que isso ficaria muito caro e perderia a… Read more »

Jadson Cabral

Sem falar que a comunidade internacional implicaria muito conosco enriquecendo acima de 20%, né? Pq daí pra chegar nos 99% é só vontade… se implicam com o Irã, implicariam conosco tbm.

Camargoer

Olá Jadson. Concordo com você. A tecnologia para produzir combustível com 5%, 20% ou 90% é a mesma. O que muda é o número de centrifugas ou o tempo de processamento. Sobre o Iran, a implicância é por causa da revolução islâmica e pela invasão da embaixada dos EUA. O Iran pode adotar o dolar como moeda, a lingua inglesa como oficial e todos se converterem ao cristianismo evangélico. Isso não vai mudar a postura do governo dos EUA. A mesma coisa em Cuba, que venceu a invasão da Baia dos Porcos e ameaçou os EUA com a crise dos… Read more »

Vovozao

CAMARGO, na teoria é facil, porém, na prática torna-se quase impossivel, os “”donos”” do mundo, criaria muitas sanções, mesmo para uma “”nacao”” amigo como o Brasil. Existe um acordo ….. falado…. e nao …. escrito…. para evitar-se a proliferação de artefatos nuclear, principalmente pelo medo destes mesmos virem a cair nas mãos de grupos terroristas…. vide esfacelamento da URSS, que as outras nações mais se preocuparam…. e, com toda a vigilância… ainda aconteceram… a história esta aí para contar/provar… Ascenção da India e do Paquistão, o quase alcance do Iraque, se Israel nao tivesse destruido, hoje teriamos um problemão como… Read more »

Camargoer

Caro Vovozão. Acho tecnicamente possível produzir combutível acima de 20%, mas não haveria nenhum ganho estratégico ou comercial. Aliás, seria criado um problema diplomático desnecessário. A questão fundamental aqui e que combustível acima de 20% só se justifica se for construir uma bomba nuclear. Para geração de energia seja em Angra ou dentro de um submarino, é possível usar combustível com menos de 20%.

Teropode

Em alguns meses o Irã terá este combustível a disposição .

Carlos Campos

Uma visita sem importância na minha opini]ao afinal eles tem como saber quanto de urânio a gente enriquece por ano, o fato de o subnuc precisar fazer um recarregamento do reator a cada 7 anos me deixou decepcionado, devia ter usada um Urãnio mais enriquecido para durar mais tempo sem precisar recarregar, espero que a MB tenha feito os cálculos corretos de quanto vai gastar na operação desse bicho.

Camargoer

Olá Carlos. Se fosse usar combustível acima de 20%, seria necessário construir uma nova usina de enriquecimento. Além disso, haveria o risco de serem dificultadas as vendas de combustível para Angra I e Angra II (como já aconteceu no passado), deixando as usinas inoperantes. Terceiro, é mais fácil e seguro ligar com combustível com menor teor de U235 do que com altos teores (se por um lado, recarregar o reator a cada 7 anos encarece a operação, usar combustível com 7% reduz o custo da operação). Por fim, a visita é importante porque é o pontapé inicial para a homologação… Read more »

Vovozao

20/07/2021 – terça-feira, btarde, Camargoer, perfeita sua explicação, e, sendo acima de 200/0 teriamos que enriquecer fora, dificilmente os paises diginatarios do acordo iriao autorizar (vide IRÃ), luta para enriquecimento de +- 30 a 35 0/0, e, vive sofrendo sanções.

Camargoer

Ola Vovozão. Tecnicamente, o que precisaria seria apenas colocar mais centrifugas para chegar em urânio com mais de 20%. O problema é que isso teria que ser feitou em outra fábrica, porque Resende está homologada para produzir só até 20%. Esta outra fábrica poderia produzir combustível com 30%. 60% ou até mais. Só que ficaria a maior parte do tempo parada porque a demanda do SN10 é de poucos quilos de combustivel. Isso tornaria o arranjo anticomercial.

Ted

O Sr. Tem conhecimento de quantas centrífugas estão em operação atualmente ? talvez umas 50 + ou –

Carlos Campos

a gente viabiliza ANGRA I e II, viabiliza a fábrica de uranio que já temos, mas no final encarecemos o custo do sub, pra mim desde que seja possível a operação tudo bem, só espero que a escolha da MB tenha sido coreta para o longo prazo.

Camargoer

Olá Carlos. A fábrica de Resende já abastece (parcialmente) as usinas de Angra I e Angra II, mas a produção é inferior á demanda anual das duas usinas. Sempre é preciso importar uma parte do combustível nuclear. Na década de 80, os EUA ameaçaram impedir o fornecimento de combustível para Angra I. Para que o país seja totalmente independente de importação de combustível nuclear, seria necessário ampliar a fábrica de Resende. O problema agora é a privatização da Eletrobras. Nada garante que um operador privado continue comprando combustível de Resende. A fábrica de Resende corre o risco de ser totalmente… Read more »

Satyricon

Caro Camargoer, li que a Eletronuclear (por questões estratégicas) e Itaipu (por ser binacional) não fariam parte dessa capitalização (redução da participação estatal de 60% para 45%). Uma nova estatal seria criada, justamente para geri-las.
Por favor, esclareça.

Camargoer

Olá Satyricon. Pois é. Eu também li que seria proposta uma PEC para permitir a exploração das usinas nucleares pela iniciativa privada para permitir a privatização da Eletrobrás. Para quem conhece o histórico do Paulo Guedes, nada surpreende. É preciso lembrar que o MinEcon listou a Nuclep como privatizável sem consultar a MB sobre o seu impacto sobre o ProSub. Outro ponto complicado é a própria fábrica de combustível em Resende, hoje vinculado ao Ministério das Minas e Energia (antes era ao MCTI). Tudo dentro da ideia que “o setor privado é sempre mais eficiente”.

Nelson Prado

Entendo lamentável receber monitoramento da atividade com energia nuclear. Humilhante mesmo. É o Brasil de joelhos.

Camargoer

Caro Nelson. Todas as atividades com energia nuclear no Brasil são monitoradas pela AIEA e pela ABACC. Não tem nada de humilhante. Aliás, todas as atividades nucleares pacíficas no mundo (talvez com exceção da Coréia do Norte) são monitoradas pela AIEA.

Satyricon

Nelson, não tem nada de humilhante. São inspeções corriqueiras que seguem procedimentos internacionais conforme acordos do qual o país é signatário.
Saiba que a tecnologia das centrífugas é 100% nacional, o que já nos gerou problemas no passado. Durante uma dessas inspeções os inspetores pediram para ver os equipamentos (centrífugas) e, chegando lá, eles estavam envoltos em biomos/cortinas. Apesar das reclamações dos inspetores, e do mal estar geral, não foram removidos, pois tratava-se de segredos de estado.
Não havia ninguém de joelhos.

Leandro Costa

Exatamente. E inclusive o mal estar foi resolvido à contento mesmo mantendo o segredo sobre o nosso equipamento.

Camargoer

Olá Satyricon. Há uma história engraçada contada pelo Alm.Othon. Na década de 50, o Brasil recebeu dos EUA algumas centrífugas construídas na Alemanha nazista para enriquecimento de urânio. Eram equipamentos obsoletes que ficaram armazenados. Na década de 80, a AIEA programou uma inspeção para ver o desenvolvimento das ultracentrífugas da MB. O Alm.Othon pediu para limparem, pintarem e colocarem as velhas centrífugas em funcionamento. Quando os inspetores perguntaram das centrífgas, o Alm.Othon mostrou as velhas centrífugas alemãs. Os inspetores ficaram satisfeitos com a visita e não perguntaram mais nada. Anos depois, as ultracentrífugas magnéticas foram colocadas em operação. Por isso,… Read more »

Filipe

Se o Brasil seguir o exemplo do Iran e Coreia do Norte , vai ter sansões e muitos problemas, o melhor é ser claro e transparente com os EUA e a Agencia de Energia Atômica Internacional , dessa forma podemos trabalhar com segurança e testar com eficácia e eficiência o reator do LABGENE , esse reator é do tipo PWR e têm uma potência de 48MW , gerando 11MW Térmicos, com enriquecimento de 7% LEU ( Low Enriched Uranium ) , bem abaixo dos PWR dos EUA que chegam a 90 % e são HEU (High Enriched Uranium) , os… Read more »

Allan Lemos

Não sabia que o Brasil agora devia satisfações aos EUA, e eu aqui achando que éramos uma nação soberana.

Adriano Madureira

“Se o Brasil seguir o exemplo do Iran e Coreia do Norte , vai ter sansões e muitos problemas, o melhor é ser claro e transparente com os EUA e a Agencia de Energia Atômica Internacional”.  Por quê deveríamos ser transparentes e solícitos com os eua e mostrar nosso programa nuclear e nossas instalações ,nossas centrífugas ou seja lá mais que tecnologia possamos ter?! O governo israelense é amigável e mostra suas instalações por acaso?! Duvido muito… Se um país do tamanho de Sergipe e que é 388 vezes menor do que nós pode se recusar a mostrar sua tecnologia,… Read more »

FabioLira

No futuro será usado no nosso porta-aviões nuclear de 18t dois desses reatores em parceria com os EAU, Tailândia e Indonésia.

Vitor

S-40 que tinha entrega pra Dez 2021 ficou para Dez 2022.
S-41 que tinha entrega para Dez 2022 ficou agora para 2023.
S-42 entrega para 2024.

Esse PRO SUB é bizarro e o Nuclear nunca vai sair do Papel.

Yuri Dogkove

Em 2050 o SubNuc fica pronto! Temos experiência nesse ramo.

Cicero Pazei

O que adianta construir uma frota de submarinos nucleares e não ter autorização para construir bombas nuclear? Isso tudo acontece porque os políticos brasileiros são irresponsáveis entreguistas e por isso assinaram o tratado de não proliferação de armas de dissuassão nuclear por imposição dos malditos americanos

Camargoer.

Caro Cícero. Creio que seja o contrário. Só faz sentido desenvolver uma bomba atomica se o país tiver meios de lanca-la contra seu inimigo. Quem seriam os alvos no caso brasileiro? Quais os meios necessários?

Luiz Floriano alves

Eles vem conferir se não ytemos coisa mais avançafa. Enquanto estivermos fuçando num PWR fo tipo Pre Nsutilius vão deixando. Mas, se quisermos avançar em quarta geração, dai o bicho pega.

Camargoer

Olá Luiz. A AIEA e a ABACC estão preocupadas com o fato do pais produzir material nuclear enriquecido para uso militar. Um dos modos de fazer este controle é por meio da contabilidade de quanto U235 é obtido ao final de cada processo. Se o país usa ultracentrífugas mecânicas ou magnéticas não faz diferença. Outra avaliação feita é saber o tamanho da cascata de centrífugas. Uma linha para produzir 5% é mais curta que uma linha para produzir 30%, por exemplo. Ao avaliar o número de centrífugas em uma linha e sabendo a eficiência de cada máquina, é possível saber… Read more »

Helio

Se cortar as mordomias dos políticos e STF da pra fábricar 3 snbr por ano olha que não estou falando de salário só das mordomias.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -