terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

ESPECIAL: Exposição de Defesa DEFEA – Atenas 13-15 de julho de 2021

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Forte presença americana, francesa e israelense e dos estaleiros que competem pelo programa de fragatas gregas

Por Jean François Auran*
Enviado especial do Poder Naval/Forças de Defesa

A Defence Exhibition Athens (DEFEA) ocorreu de 13 a 15 de julho de 2021 e apresentou sistemas de defesa terrestre, marítima, aérea e de segurança nacional. Esta exposição foi organizada pelo Ministério helênico da Defesa Nacional (MOD) e pela Associação Helênica de Fabricantes de Materiais de Defesa e Segurança (SEKPY). É a primeira exposição de defesa a ser realizada na Grécia depois de uma década. Foram anunciados 351 expositores de 22 países e mais de 45 delegações governamentais e militares de 35 países.

Participação

As empresas gregas representavam quase um terço dos expositores, com 97 indústrias estatais e privadas como nação anfitriã. A indústria de defesa grega é diversificada, e influente e parceira das maiores empresas da Indústria Internacional de Defesa. O mercado interno é vital devido à prioridade dada pelo governo grego para fazer frente a uma Turquia cada vez mais desestabilizadora.

Todos os participantes da concorrência da Marinha Grega para novas fragatas estavam presentes no show. A França apresentou sua oferta final à Grécia no final de maio. Propõe a construção de quatro unidades do tipo FDI, a modernização das quatro fragatas gregas do tipo Meko 200HN encomendadas entre 1992 e 1998, e a transferência, a partir do início de 2022, de duas fragatas da Marinha Francesa.

A Babcock anunciou que manteve conversações com oficiais na Grécia propondo o projeto Arrowhead 140 (a base para a Type 31 da Marinha Real) como um candidato para o novo programa de modernização de fragatas da Marinha Helênica.

Trabalhando em conjunto com o governo britânico, a Babcock diz que pode fornecer assistência à Marinha Helênica com upgrades para as fragatas classe “Hydra” existentes, uma capacidade de fragata provisória e quatro fragatas Babcock Arrowhead 140.

A Navantia propôs quatro navios baseados em uma fragata multimissão classe F110 que está sendo construída para a Marinha Espanhola. O construtor de navios holandês Damen oferece o novíssimo design de fragata SIGMA 11515 para a Grécia, uma evolução da SIGMA 10514 já em serviço com várias marinhas.

Fragata FDI do Naval Group

Novos produtos gregos

As empresas nacionais apresentaram suas últimas inovações. Uma das exposições que atraiu a atenção no DEFEA 2021 é o veículo tático blindado grego chamado “OPLITIS”, fabricado pela EODH. Este veículo é modular, permitindo que engenheiros e técnicos controlem ou, se necessário, reparem possíveis danos na parte mecânica do veículo. A carga pode ser alterada rapidamente. O Exército Grego realizará um teste de campo a partir de setembro de 2021.

No campo da mobilidade terrestre, várias empresas propuseram a renovação ou atualização dos equipamentos existentes. A EODH grega assinou uma parceria com a empresa alemã KMW para proteção do MRAP Dingo 2. Além disso, a Intracom Defense-IDE apresentou a aplicação de seus sistemas, Wisp Revolution e GENAIRCON, em um Leopard 2A4 fornecido pelo Exército Grego.

O grupo israelense S.K. e o americano Plasan assumiram o controle do grupo grego ELVO. O Plasan tem uma história bem sucedida com a ELVO, tendo projetado e fornecido cascos de blindagem em forma de kit para os HMMWV do Exército Helênico – o M1114GR e M1118GR  – todos os quais foram montados pela ELVO, e têm servido às Forças Armadas Helênicas desde 2004.

Veículo tático blindado grego chamado OPLITIS
Veículo tático blindado grego OPLITIS

Muitas empresas gregas ou subsidiárias gregas de produtores internacionais ofereciam modelos de todos os tipos. Devemos notar que algumas universidades gregas são altamente ativas neste campo e participam dos projetos da Agência Europeia de Defesa. O LOTUS UAV é um dos produtos mais empolgantes.

A Intracom Defense apresentou o RX3 plus, derivado do projeto de pesquisa DEALER, financiado pela Secretaria Geral de Pesquisa e Inovação (GSRI). É implementado por um consórcio composto pela Universidade Aristóteles de Tessalônica (coordenadora) e IDE Intracom Defense. Este UAV fornece serviços ISR de ampla área, áreas de interesse e inteligência de alta qualidade.

O SARISA é um UAV (Veículo Aéreo Não Tripulado) quadricóptero com peso máximo de decolagem de 60 kg, com uma capacidade de carga que pode chegar a 25 kg.

O SARISA pode ser equipado com vários racks de carga intercambiáveis permitindo configuração rápida para diferentes tipos de missões. Ele pode ser configurado como um drone armado de combate equipado com uma plataforma capaz de transportar múltiplos sistemas de armas. Ele também pode ser configurado como um veículo de carga ou para realizar missões de pulverização aérea com um rack de tanque de pulverização.

Uma das mais novas criações que se destaca na Exposição de Defesa DEFEA 2021 em Atenas é a Arma Laser de Alta Energia desenvolvida pela empresa Soukos Robots, que promete disparar energia a intervalos muito curtos.

Estados Unidos

O Pavilhão Americano ocupou mais de 1.000 metros quadrados, com a participação de 30 empresas da indústria de defesa americanas, que apresentaram equipamentos, serviços e veículos pesados e helicópteros militares dos EUA. Entre outras exposições: 1 helicóptero UH-60 Blackhawk, 1 helicóptero AH-64E Apache e três veículos, 1 Joint Light Tactical Vehicle (JLTV), 1 M11117 Armored Security Vehicle (ASV) e 1 caminhão de carga (M1078) da Family of Medium Tactical Vehicles (FMTV). Além disso, 1 Beechcraft King Air 350ER (com capacidades completas de vigilância aérea) e 1 Cessna Citation Latitude (jato médio mais vendido) foram exibidos no Aeroporto.

França

Vinte empresas francesas estiveram presentes na DEFEA 2021, ressaltando as relações estreitas entre a França e a Grécia na indústria de defesa. A Rafale International participou da exposição com três modelos simbólicos dos laços Helênicos da Força Aérea e dassault. Foi um Rafale B (escala 1/5), Rafale C (escala 1/10) Mirage 2000-5 (escala 1/10).

A especialista francesa em mobilidade terrestre, Arquus, exibiu um caminhão tático VLRA com uma bandeira grega. Em veículos leves, a empresa espera modernizar os VBLs Panhard, que estão em serviço com o Exército Grego. Deve ser como o programa francês VBL Ultima, com um motor mais potente de 130cv, novas suspensões reforçadas para maior carga útil e melhor dirigibilidade da estrada, bem como ar condicionado e outras atualizações.

A empresa também propõe seu novo veículo de ligação leve não blindado, 4×4, selecionado pelo Ministério francês dos Exércitos sob a denominação VT4.

A Nexter revelou uma evolução do VBCI em serviço com o exército francês vestindo a camuflagem grega. Há ergonomia superior com economia de espaço para a infantaria incorporada entre as principais melhorias. A carga também é maior para considerar as necessidades de munição da nova torre. A torre é equipada com um canhão CTAS de 40mm e pode ser flanqueada por mísseis MMP ou outros modelos como o Spike.

A empresa francesa MC2 technologies apresentou sua arma portátil anti-drone NEROD RF que está em serviço com o Exército Francês e as forças policiais

Israel

Spice 1000 da Rafael

Com 13 empresas e organizações participantes, Israel marcou uma presença impressionante na Exposição DEFEA em Atenas. Deve-se notar a estreita relação estratégica desenvolvida entre a Grécia e Israel, que agora se expande no campo da indústria de defesa.

As empresas israelenses apresentaram vários novos produtos nesta feira, como a evolução das armas já em serviço. Podemos citar a munição stand-off SPICE 1000 com alcance de até 120 quilômetros.

A empresa IAI apresentou uma versão mais recente da munição vagante chamada HARPY. A empresa Rafael exibiu a última geração de mísseis Spike.

O S.K. Group apresentou pela primeira vez na DEFEA todo o seu portfólio de sistemas avançados. A empresa mostrou seu IWI Tavor-7 calibre 7.62 X 51mm, um membro da bem sucedida família Tavor Bullpup Rifle, que foi desenvolvida em estreita cooperação com as Forças de Defesa de Israel (IDF).

A empresa israelense Plasan e seu parceiro grego ELVO exibiram o Hyrax com ATeMM (All-Terrain electric Mission Module) rigidamente conectado a um veículo tático Hyrax. Este reboque é equipado com um sistema de geração elétrica; este veículo 4×4 poderia ser transformado em um 6×6 com uma capacidade de carga pesada.

Rússia

BMP2 atualizado

Foi notável a participação da empresa russa Rosoboronexport. O Exército Grego ainda tem equipamentos de origem russa, entre os quais, várias centenas de veículos de infantaria BMP1 e o sistema terra-ar Tor.

Outras nações europeias participaram da exposição de Atenas, como o grupo polonês W.B. ou um excelente pavilhão holandês, especialmente em torno da Damen, que apresentava o programa Sigma 11515.

O RAM-System GmbH exibiu o Míssil RIM-116 rolling airframe. O RAM é um programa cooperativo entre os governos dos EUA e da Alemanha com o apoio da indústria da Raytheon e da RAMSYS da Alemanha.

Foi agradável poder participar de um show presencial. A próxima edição da exposição grega ocorrerá de 9 a 11 de maio de 2023, enquanto a IDEF turca acontece em Istambul, de 17 a 20 de agosto deste ano.

*É militar reformado do Exército Francês. Faz reportagens e escreve artigos para revistas e sites de defesa

- Advertisement -

26 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto Bozzo

Li uma reportagem sobre as Sigma 11515 onde a oferta aos gregos girava em torno de 550 milhões de euros cada fragata de 4.400 ton e 16 vls, com o Leonardo 76 mm padrão, sonar de casco kingclip mk2 e sonar de profundidade varável CAPTAS, entre outros equipamentos; caso os gregos quisessem a versão mais completa com o Leonardo 76 mm Strales e radar NS 200 da Thales sairia por 600 milhões. E ela pode acomodar até 32 vls numa versão AAW.
Parece ser uma belissima fragata a um preço bem competitivo.

Hcosta

Não foi feita uma proposta da Blohm + Voss? Umas MEKO’s novas?

Roberto Bozzo

Mestre HCosta, os germânicos fizeram uma proposta com uma tal de Meko 300 mas que ficou de fora da fase final da competição.

https://www.navalnews.com/event-news/defea-2021/2021/06/new-developments-in-greece-a-shortlist-for-the-fleet-modernization-program/

Hcosta

Acho que ainda estão mas precisam de fazer algumas alterações.
No mesmo canal apresentam as 5 propostas mas no final do vídeo dizem que Blohm + Voss não quis fazer uma apresentação para o Naval News, mas filmaram a maquete.
https://www.navalnews.com/naval-news/2021/07/defea-2021-video-hellenic-navys-future-frigate/

João Filho

A Navantia não estava entre as seis empresas selecionadas. Agora estamos reduzidos a três empresas: Fincantieri (FREMM), Naval Group (Belharra) e Damen (SIGMA 11515), com apenas a Fincantieri tendo um design comprovado.

Roberto Bozzo

Srs, um offtopic interessante….não era a Indonésia que estava interessada num sub classe Tupi da MB ???

https://navaldefence.gr/indonesia-eyes-second-hand-submarine/

Mk48

Roberto, bom dia.
.
Ouvi falar sobre isso tbm, inclusive o Vovozão também comentou a respeito, mas se não me engano a Indonésia tem um contrato com a Coréia do Sul para produção de 2 IKLs 209 de fabricação local (CS).
.
Abs

Last edited 2 meses atrás by Mk48
Piassarollo

Se a proposta francesa não emplacar, talvez ano que vem teremos a chance de comprar essas duas Lá Fayetes. A meu ver, estes navios ainda têm uma vida operacional considerável e o melhor, estão sendo atualizados e novas armas adicionadas. Particularmente não me atrai a incorporação de meios usados, mas do jeito que as coisas estão, não enxergo outra saída.

Dalton

Piassa apenas as 3 que permanecerão em serviço até 2030 ou pouco mais estão sendo bastante “atualizadas” com melhor capacidade anti submarina, substituição do “Crotale” pelo “Sadral” , etc.
.
As outras duas que receberão menor atenção ainda assim permanecerão em serviço por mais alguns anos, até depois de 2025 conforme divulgado então a menos que algo mude não dará para contar com elas também.
.
abs

Piassarollo

Mestre Dalton, obrigado pelas informações, abs

Ten Murphy

Saída seria comprar com transferência de tecnologia e pronta entrega de prateleira dos chineses. 3 fragatas de 4.500 toneladas por 1 bi.

Mk48

Amigo Piassa, bom dia.
.
Não haveria nada de interrese na Coréia do Sul ou Japão para uma compra de oportunidade ?
.
Pergunto porque atualmente está muito difícil encontrar alguma coisa disponível que preste por nossas bandas.
.
Abs

Last edited 2 meses atrás by Mk48
Piassarollo

Caro MK, certamente, o Oriente dispõe de excelentes navios, mas o expansionismo chinês está fazendo essas marinhas usarem seus meios até o limite. Os Murasame japoneses seria uma ótima opção, mas, quando serão disponibilizados?, a que preço? E em que estado material? Hoje em dia está difícil de encontrar navios usados e tenham algo a mais para oferecer em qualquer parte do mundo. Quem pode constrói e quem não pode, vai se virando com o que têm. Nota se que de uns tempos pra cá, a vida útil da maioria dos navios vêm sendo extendidas ao máximo e posso estar… Read more »

carvalho2008

Dias atras, o Mestre Vovozão encaminhou material material que contem uma nova OPV Japonesa e que i´ra substituir as Corvetas Abukuna….notar a menão aos 04:00 min

Mk48

Muito bom o vídeo

Mk48

Sim, as que o Mestre Vovozão comentou!

carvalho2008

Tem as Corvetas Abukuma

carvalho2008

tem as Abukuma

Teropode

A Grécia necessita de um Trieste e um Mistral para incrementar seu time ….

Hcosta

A Turquia tem um desses

Palpiteiro

Prezado, Qual seria o objetivo que demanda tais meios? O país tem uns 300km de comprimento. Sua capital fica a uns 150 km do território turco, com os quais tem fronteira seca. Eu não entendi?

Hcosta

Um país com uma costa daquelas e muitas ilhas.
E dá para atacar a parte Turca do Chipre.

Theo Gatos

Não que mude muito o ponto de vista do seu argumento, mas de curiosidade são uns 300km que separam Atenas da Turquia…
.
Sds

Last edited 2 meses atrás by Theo Gatos
Cleber

Eu só queria uns 12 Apaches da foto para o EB. Obs : E se tratando de Brasil , e pedir muito ainda .

Adriano Madureira

O Brasil geralmente envia alguém para essas feiras/exposições de defesa ? Tipo observadores?

- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -