terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia recebe o KC-390 da FAB

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA) recebeu pela primeira vez a aeronave KC-390 Millennium, da Força Aérea Brasileira, no aeródromo Tenente Jorge Henrique Möller, no dia 21 de julho.

O avião da FAB é operado pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) – Esquadrão Zeus, situado na Ala 2, em Anápolis (GO) e está no Complexo Aeronaval para realizar o lançamento de paraquedistas em apoio ao adestramento do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC).

A aeronave KC-390 é um projeto conjunto da FAB com a Embraer, é um jato de transporte tático militar projetado para estabelecer novos padrões em sua categoria. Alguns dos pontos fortes da aeronave são mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia comprovada de última geração e manutenção mais fácil.

Os aviões KC-390 Millennium voam mais rápido e carregam mais carga que outros cargueiros militares de mesmo porte, tendo sido inclusive usados nos transportes de oxigênio durante a pandemia da COVID-19 pelo Brasil.

Por ocasião do pouso do KC-390, o Comandante da Força Aeronaval, CAlte Alvarenga, acompanhado do Comandante da BAeNSPA, CMG José Fábio e do Comandante do EsqdVF-1, CF Eduardo Luís, puderam visitar e conhecer o avião.

FONTE: Marinha do Brasil

- Advertisement -

176 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
176 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Filipe

Imagino a FAB daqui a 10 anos , será a Força Aérea mais forte do continente :

2 A330MRTT + 70 JAS39E/F Gripen NG + 5 EMB145 E-99M AWACS + 16 KC390 MILLENNIUM + 3 EMB145 R-99 AGS/RS .

Teremos uma super força …

Hcosta

Ainda falta os ST, helis, C295, etc…

Matheus

Que teu sonho de 70 Gripen se concretize! Capacidade temos… resta saber se dinheiro será mantido ou seremos assombrados pelos já conhecidos cortes orçamentários!!!

Pedro Bó

Setenta e dois Gripens é perfeitamente factível, desde que o Brasil não se torne economicamente uma Argentina ou Venezuela e passe a sofrer com dificuldades de obter financiamento bancário.

Mas é bom a FAB pensar em um segundo lote nos próximos 5 anos.

Camargoer.

Caro Pedro. Há poucos anos o governo da Argentina fez um empréstimo de US$ 380 milhões, ou algo desta ordem, para comprará as NaPaOc. O problema na Venezuela são as sanções dia EUA, que não afetam as transações dela com a China e Rússia. Além disso, o Brasil tem uma reserva cambial da ordem de US$ 359 bilhões (aliás que correu o risco de ser extinta por decisão do Posto Ypiranga). O problema brasileiro é bem diferente dos problemas argentinos e venezuelanos.

Camargoer

Olá Colegas. Estou curioso em saber daqueles que discordam do meu comentário o que estaria errado. A Argentina não fez um empréstimo para adquirir as NaPaOC? Os EUA não colocaram sanções contra a Venezuela? A Russia e a China estão de acordo com as sanções dos EUA? O Brasil não tem reservas cambiais da ordem de US$ 359 bilhões (segundo apurei agora no Bacen, são US$ 352 bilhões)? O Posto Ypiranga nunca declarou sua intenção de reduzir as reservas cambiais? Os problemas brasileiros são iguais aos da Venezuela e da Argentina? Estou realmente curioso.

Saldanha da Gama

Camargoer, felizmente nossos problemas não são iguais ao da argentina, venezuela etc… e afins….Para saber, basta achar o denominador comum ou tirar a prova dos 9… Abraços

Flanker

Quem é, e por que é assim chamado, Posto Ypiranga?

Fernando

É o ministro da Economia Paulo Guedes. Esse apelido foi dado pelo próprio presidente que em campanha confessou sua ignorância em economia e disse que qualquer coisa sobre economia deveriam perguntar não a ele, mas ao “Posto Ipiranga” o então futuro ministro.

Flanker

Obrigado!

Luiz Antonio

Diga-se de passagem, esse “Posto Ipiranga”, além de não estar aberto em tempo integral, ainda vende combustível adulterado.

Camargoer.

Olá Luiz. Soube que neste “posto Ypiranga eles compram combustível da Petrobrás e vendem com se fosse Shell

francisco

Preço da gasolina na refinaria R$ 2,00. Após os impostos estaduais é vendido na bomba há R$ 6,00.

Camargoer

Caro Francisco. O preço na refinaria é apenas sobre a gasolina (33% do preço). As distribuidoras adicionam cerca de 25% de etanol (que corresponde a 15% do preço). ICMS (estadual) corresponde a 27% do preço. Cide, Pis/pasep, cofis (federal) corresponde a 11% do preço. A refinaria não paga impostos porque eles são cobrados do consumidor final.

Camargoer.

Olá Flanker. O Fernando e icou bem. Durante a campanha presidencial de 2018, o candidato se recusou a responder perguntas sobre economia dizendo que não entendia nada do assunto. Disse que as perguntas fossem feitas ao “Posto Ypiranga” indicando o Paulo Guedes. Se ele tivesse falado “Google” ou “Oráculo”, daria no mesmo. O melhor teria sido “perguntem ao Guedes”. Ficou “Posto Ypiranga”.

Flanker

Obrigado!

Luiz Trindade

Na realidade Camargoer… Temos muitos colegas daqui do blog infelizmente buscando informações em fontes sem comprovação e ficam com uma impressão errada da realidade. As suas informações são fidedignas e respaldadas. Agora sempre vai existir a pessoa que discordar e vai dar um deslike no seu comentário.

Camargoer

Olá Luiz. Obrigado. Creio que o ambiente do blog é o ideal para o debate. Acho importante que se coloquem ideias diferentes, contrapontos, correções. Já aprendi muito aqui e mudei de opinião várias vezes. Isso é o legal do debate. Contudo, acho necessário focarmos nos argumentos e nas ideias. É muito chato ver colegas sendo ofendidos. É preciso manter o respeito e o bom humor.

Luiz Trindade

Vc viu os deslikes no meu comentário Camargoer? Não tem jeito… O pessoal não quer buscar informações fidedignas e sim o que atendem o pseudo entendimento de mundo deles… É triste estarmos nessa situação…

Camargoer

Caro Luiz. É bíblico. “Diga-me quem te negativas que eu direi que és”.

Camargoer.

Caro Matheus. O primeiro lote foi caro porque envolveu o desenvolvimento dos modelos E/F, treinamento dos engenheiros, pilotos e mecânicos e tudo mais. O segundo lote deve ser pelo menos 1/3 mais barato. A pergunta que a FAB precisa responder será sobre o tamanho do segundo lote. Eu aposto em 24 unidades.

MMerlin

Alguns canais já estão apontando um pré acordo de 34 caças, no segundo lote, totalizando 70.
Claro que qualquer notícia até a declaração oficial é boato.
Mas é possível encontrar tal número em mais de uma fonte.

Camargoer

Olá Merlin. Acho que o tamanho do segundo lote vai depender muito do desempenho do F39E/F. A FAB vai levar algum tempo para avaliar isso. Talvez o mais sensato seja um segundo lote de 24 aeronaves para dar tempo de avaliar a necessidade de um terceiro lote de 12 ou 24 aeronaves.

Carlos Caminha

já está aprovado……….. 36 já cabem………………..ora, se por testes foi aprovado, qq quantidade restante passa no crivo dos testes…………..só não aprovarão mais por outros motivos……………….basta pensar um pouco.

Camargoer

Caro Carlos. Creio que preciso explicar melhor. A FAB adquiriu 36 caças F39E/F que irão substituir apenas parte dos F5M. Contudo, o avião é bastante novo e o seu desempenho ainda precisa ser avaliado. Hoje, a FAB deve ter uns 50 F5E/FM e uns 12 A1A/BM. Há alguns anos, essa frota incluía o F2000 e chegava a quase 100 caças. Acho que ninguém ainda sabe se 40~50 F39, mais modernos e com sistemas de datalink, terão desempenho similar ou superior á 60~70 F5M/A1M. Talvez o tempo de manutenção dos novos caças seja superior ao dos aviões velhos, e será preciso… Read more »

Alex Tiago

Boa noite Camargoer. Vejo sempre comentarios aqui e em outros locais e ultimamente vi o ministro falando em números adversos um comentou em torno de 50 aeronaves para substituir os F5, a uns 2 anos ou pouco mais e recentemente comentario de 70 aeronaves no total mas em momento algum em as situações falava se em projeto, eu ao menos não me lembro. O projeto é outros números e o que vale é projeto e pra ser sincero me deixa confuso porque o que temos um projeto e o responsável pelo ministério fala coisas contrarias. Pode ser que como ajudou… Read more »

Neto

Acho bem pé no chão 24 F39E. Entre 12 Fs ou 24 Fs seria interessante. . O MD poderia encomendar junto aos próximos 24 F39E indicado nesta lógica, 12 ou 6 F39F “para a Marinha”. De forma a substituir os A4, na forma de repasse de E e F mais antigos da FAB para marinha quando do recebimento destes novos Fs. . Mantendo a Marinha com caça “novo” desdobrado no Rio, para adestramento e defesa de ponto, enquanto se organiza os projetos do MD pra frente. A saber, o projeto de aviação de caça para marinha/NAe e a necessidade de… Read more »

Camargoer

Olá Neto. A MB operou porta-aviões por décadas, mas foram apenas 10 anos (mais ou menos) operando uma aviação de caça embarcada. Isso atrasou muito a aviação de caça naval no Brasil. Acho que não importa muito se for a MB ou a FAB que irão operar uma aviação de caça naval, capaz de lançar mísseis antinavio a partir de bases continentais. Neste contexto, eu também acho que esse papel poderá ser feito por um esquadrão de F39E. Contudo, acho que os últimos anos mostraram que um NAe não faz falta para a MB. Acho melhor e mais barato operar… Read more »

Neto

Grato pelo comentário CamargoER. Sempre bom ler suas ponderações aqui. . Sobre que nos próximos 15 anos, concordo que seria mais prático pra marinha viabilizar um segundo SBN. Não sei se seria viável um terceiro. . Por isso falo de 6 ou 12 Gripens “desdobrados” para a marinha no Rio. Podendo até manter o grupamento profissional misto entre Marinha e FAB. Entre A4s ou qualquer outra aeronave de segunda mão, melhor ter Gripens Novos ou Semi-novos da própria FAB no inventário da MB ou por desdobramento da FAB. . Apesar de uma compra cara comparada a aviões de segunda mão… Read more »

Rinaldo Nery

A MB não tem nem meios de superfície… Façam a lição de casa primeiro!

Rinaldo Nery

O segundo lote não dependerá de ¨desempenho¨. Vai depender de dinheiro!

Camargoer.

Olá Cel.Nrry. Verdade absoluta. Concordo

Filipe

Foi o atual comandante da FAB que falou entre 60 a 70 unidades… Mas vamos aguardar… Na minha opinião deveriam ser 108 unidades , 3 lotes de 36 unidades , esse número seria mais adequado para substituir os velhos F-5s e AMXs da FAB.

Maynard Alexandre Conde

Um País como o Brasil com menos de 250 caças, 1 porta aviões de verdade e no mínimo 30 submarinos, e baterias S-500 em todos os locais estratégicos, não chega inteiro a 2040.

Filipe

Eu trocaria muitos desses artigos ai por umas 50 nukes , e 3 SSBN e mais 6 SNBR , para mim já dormiria bem tranquilo… Sabendo que nunca nenhum país atacaria a gente, ou ousaria jamais tomar conta das nossas riquezas…

Carlos Caminha

Maynard deveria ser o Comandante das FFAA, ele sabe de todos os numeros necessários, rsrsrrsrrsrs….poxa meu amigo, vá estudar!!!!!!! Vc quer saber mais do que os atuais comandantes????? cara tá brincando, rsrsrsrsrrs……….

Lucas

Concordo, é muita petulância ficar chutando estes números sem o menor embasamento.

Mensageiro

Dinheiro? Fundão eleitoral de bilhões aprovados por bolsonaristas e pestisas serve pra vc?

Jadson Cabral

Os petistas votaram contra

Camargoer

Olá Jadson. Será que a negativação foi porque o colega discorda de quem votou contra? Que negativação curiosa.

Camargoer

Caro Jadson. O PT, PCdoB, PDT, Psol, Novo, Podemos, Cidadania e Rede votaram contra a ampliação do fundo eleitoral.

José de Souza

Única vez que o NOVO votou de forma decente, até então era 100% alinhado a esse governo patético

Pedro Bó

O ideal é que, pelo tamanho geográfico, recursos naturais e importância econômica do Brasil, fossemos a principal potência militar de todo o Hemisfério Sul, ocupando o lugar que pertence atualmente à Austrália.

Não que precisássemos rivalizar com super potências (basicamente todas no Hemisfério Norte), mas termos poder de dissuasão o suficiente para garantir a hegemonia brasileira abaixo da Linha do Equador.

MMerlin

Não adianta apenas ter tamanho geográfico, recursos e riquezas naturais.
Boa parte da nação acredita que, por termos nascido em um berço de ouro (que inegavelmente nosso país o é), o crescimento econômico virá naturalmente.
Errado.
Se o país deseja realmente se tornar um país rico, não existe atalho ou caminhos fáceis.
É necessário investimento massivo em educação. Em duas ou três geração (graduais), o país já começará a colher os frutos.

Camargoer

Caro Merlin. O crescimento econômico depende da atividade industrial (todos os países com altos níveis de IDH são industrializados) e baixa concentração de renda. O fato de ter riquezas naturais não garante desenvolvimento econômico. Existem países com reservas de ouro, diamantes, petróleo, “nióbio”.. que estão com suas economias estagnadas ou com elevados níveis de pobreza e concentração de renda.

Matheus

Perai Camargo, Australia tem IDH alto mas o país vive de commodity.
Até a Indonésia que é muito mais pobre tem mais industria.

Camargoer

Olá Matheus. Bem observado. Segundo o Atlas de complexidade industrial de Harvard, a Australia teria uma industria menos complexa que a Indonesia, Contudo, a população australiana é de 25 milhões, enquanto que a Indonésia tem 270 milhões de habitantes, Como os dois países tem um PIB equivalente, isso se reflete diretamente no PIB per capita. Obrigado pelo comentário.

Camargoer.

Caro Pedro. O Brasil não precisa rivalizar nem com a Austrália.

Pedro EsiE

Dinheiro nós temos, mas a mamata acaba deixando os nossos recursos para a defesa de lado. Injustificável a 13° maior orçamento de defesa do mundo ter muitas deficiências nas suas forças armadas. Somos a 13° nação mais rica e somos a 13° de orçamento, então, temos sim um orçamento ideal para a nossa realidade.

Filipe

Quando o Brasil tiver concluído a construção do SNBR, automaticamente o BRASIL ultrapassa a Austrália na liderança no Hemisfério Sul, pois será a única nação nesse Hemisfério com um meio de dissuasão , melhor ainda se o SNBR poder lançar AVMTC , o Brasil têm tudo para ser a number one… Tudo mesmo , imagem só : 1 SNBR Alvaro Alberto + 4 SBR Riachuelos + 6 FCT + 1 NAM Atlantico + 1 LPD Bahia + 70 Gripens armados com Meteor e Micla-BRs + 50 H225 Caracal armados com Mansups + 10 EMB190-E2 Lineage para Patrulha Maritima + 16… Read more »

Leandro Costa

Quando o Brasil conseguir roubar tudo que tem em Fort Knox e souber administrar a grana, eu embarco nessa, mas acho que até lá eu já virei pó.

Filipe

Os países do CANZUK (Canada + Austrália + Nova Zelândia + Reino Unido ) partilham da mesma herança cultural e até grande parte deles são parentes , primos e familiares , falam todos a mesma língua e obviamente em termos de defesa e forças militares não diferem muito, a Austrália tem 20 milhões de habitantes , o Brasil tem 200 milhões de habitantes, a Austrália tem um PIB de 1,3 Trilhões de USD , pelo seu PIB per Capita , sobra bastante dinheiro para a Defesa e gastos militares, Nações como a India e o Brasil , por terem uma… Read more »

Leandro Costa

Besteira comparar a realidade Brasileira com a deles. São completamente diferentes em termos Históricos e estratégicos.

Filipe

Se alguma nação hostil atacar algum país do CANZUK , o tio SAM vai fazer chover sobre esse inimigo as suas 6800 nukes. Esses países gozam da proteção dos EUA a 100%, são os principais aliados deles, depois vêm Israel e os demais. Muito diferente dos Brasileiros , a gente só conta com a gente, daí a necessidade de defendermos os nossos interesses sozinhos.

Leandro Costa

E provavelmente nunca vamos conseguir fazer isso sozinhos de qualquer maneira, à menos que seja um conflito local, o que por si só já é extremamente improvável.

Camargoer

Caro Filipe. Todos os países que foram colonizados por europeus tiveram histórias muito diferentes, o que impede qualquer comparação direta. Os ingleses colonizaram os EUA, Austrália e parte do Canadá, mas também colonizaram a Índia, a África do Sul e Botsuana. Os franceses colonizaram a Argélia, Haiti, Vietnan. Os portugueses colonizaram o Brasil, Moçambique, Angola e Timor Leste. Mesmo quando se analisa os países colonizados pela mesma metrópole, as histórias são muito diferentes. O Canadá tem colonização tanto francesa quanto inglesa. O Brasil, EUA, Argentina, receberam enormes quantidades de imigrantes de diversos países. Se por um lado, a comunidade japonesa… Read more »

Filipe

Mas o IDH desses países do CANZUK é muito bom (são os melhores países para se viver , a par dos países nórdicos e Singapura), dai a razão do BREXIT , o UK optou por sair da Europa para se aliar ao CANZUK e se tornar mais competitivo globalmente na Asia (o novo centro da Economia global com o Advento da China e da India), eles são chamados países Anglófonos , nós somos Lusófonos , os outros são Francófonos , o resto é Latinos que falam Espanhol (México + Cuba + Argentina + Peru + Colômbia + Venezuela + Bolívia… Read more »

Camargoer

Caro Filipe. Obviamente, o IDH destes países nada tem a ver com o fato de falarem inglês. Existem diversos países que falam inglês e têm baixos IDH. Contudo, todos os países da América Latina, com exceção do Canadá e do norte dos EUA, tiveram regimes escravocratas, algo que não aconteceu nem na Austrália nem na Nova Zelândia. Por outro lado, Canadá, Austrália e Nova Zelãndia promoveram práticas genocidas contra as populações nativas. Acho que é uma boa hipótese de pesquisa relacionar a presença de regimes escravocratas no Séc. XIX com o IDH do fim do Séc XX e início do… Read more »

Hcosta

O UK não saiu da UE para se unir a esses países. Só para lembrar esses países são monarquias lideradas pela Rainha de Inglaterra.

M65

Correto. Pode acrescentar também que os EUA eram uma colônia de povoamento e o Brasil de exploração?
Europeus fugindo da fome chegaram nos EUA para ficar, construir, constituir família e não almejavam retornar para a Europa.

Camargoer

Caro M65. Apenas parte dos EUA poderiam ser chamados de “povoamento”. O sul dos EUA tem as mesmas características de latifúndio escravocrata do Brasil. Uma vez escrevi que se os confederados tivessem ganhado a Guerra da Secessão, os EUA seriam um grande Brasil. Os europeus (asiáticos, eslavos, etc) que migraram para os EUA também migraram para o Brasil, Argentina, Austrália, etc. De certo modo, a primeira geração de imigrantes sempre tem o sonho de voltar ao seu país de origem, mas com o nascimento da segunda geração, seus envolvimentos emocionais e fortes laços com a terra natal, acaba inviabilizando esse… Read more »

Hcosta

Esses termos já foram há muito descartados.
Em ambos havia políticas de povoamento e de exploração utilizando os mesmos métodos.
E lembro que os EUA, na sua independência, eram só as 13 colónias, ocupando uma pequena parte do que é hoje os EUA.

Dalton

Filipe, acho que você esqueceu mais alguns do “norte”, como Japão, Coreia do Sul, Itália, etc, que apesar de não terem no horizonte submarinos de propulsão nuclear, contarão com armamento de ponta na forma de avançados submarinos
convencionais, grandes combatentes de superfície, aeronaves e mísseis.

Carlos Caminha

Caro Adalto, o Filipe não esqueceu, ele simplificou. O que vc quer demonstrar de conhecimento sobre Japão, Coréia do Sul e Itália? Quer demonstrar que vc sabe que esses países não tem submarino nuclear, é isso? Ou capacidades das atuais forças de submarinos desses países? Seu comentário é meio sem nexo………………na boa, não entendí. Deveria haver uma regra aqui no site para que comentários sem nexo não fossem publicados. Adalto, vá se firmar!!!!!!

Nilson

Prezado Carlos, creio que você é novo por aqui, não conhece a extensa folha de excelentes e precisos comentários do Dalton (não Adalto), independente disso não vi motivo para sua agressividade no comentário, inclusive por ser o seu comentário sim sem nexo, o do Dalton foi normal.

Flanker

Hehehehehe….Quem é Adalto??? E o que vc falou no seu último parágrafo é que não tem nexo…..

Dalton

Caro Caminha ! Os mais antigos conhecem o Filipe e alguns de nós compreendemos o excessivo orgulho dele pelo PROSUB, outros nem tanto, mas, me parece exagerado da parte dele achar que um único “SSN” distante no futuro pelo menos 12 anos ou mesmo um esquadrão de 4 ainda mais distante “automaticamente” permitirá ao Brasil “falar grosso” com os EUA como ele já escreveu aqui. . O Filipe não “simplificou”, ele citou cuidadosamente 8 países do hemisfério norte que ele acredita serão os únicos na frente do Brasil após a incorporação do “Alvaro Alberto”e eu discordo disso, tanto que acrescentei… Read more »

Camargoer

Olá Dalton. Eu também sou um entusiasta do ProSub e do SBN. Contudo, também entendo que o papel que o SN10 (e espero que o SN11, SN12…) desempenhará será o de dissuasão e no limite, de negação do Atlântico Sul para marinhas de poder naval igual ou superior ao da MB. No caso das grandes potências navais, não há o que se possa ser feito. Talvez seja possível comparar o poder naval de diferentes marinhas, mas eu tenho o hábito de confrontar dentro d eu um cenário tático na qual a MB estaria se defendendo de uma força-tarefa agressora, que… Read more »

Flanker

Meu caro, não viaja…..50 H225M armados com Mansup?? A MB vai ter 5 (cinco) H225M capazes de lançar esse míssil. Tu sonha muito e extrapola nos números.

Fernando EMB

190E2 Lineage não existe!!! E não há indícios de que vá existir, pelo menos por enquanto.

Tomcat4,2

Concordo contigo meu caro e ainda teem os outros meios mencionados pelo Hcosta. E ainda haverá a nova aeronave turboélice da Embraer a substituir os Bandeirantes que tbm vão compor a FAB.

Teropode

Eu reduziria o número de GripensEF para 54 ( isto permitirá a aquisição de um vetor de 5G num prazo inferior a 20 anos) e cancelaria os 2 A 330 , acrescentando mais 2 KC 390 , chega de dar vida boa prá políticos . Se bem que 36 Gripens somados a 24 M346 seria mais interessante economicamente para a FAB .

Filipe

Do A330MRTT não dá para abrir mão, eles vão permitir os Gripens patrulharem todo o Hemisfério Sul sem problemas nenhuns , vai dar por exemplo para mandar os Gripens atacarem alvos na Africa e voltarem para Anapolis no mesmo dia sem fazerem escala, os A330MRTT tornam o Brasil um ator global, são 13000 Km de Autonomia , os KC390 são bons para a Defesa do Brasil, mas são limitados a sua autonomia, com os A330 a FAB vai poder mandar Gripens para tudo quanto é canto no mundo.

Camargoer

Caro Filipe. A FAB apresentou como justificativa o uso dos aviões para o transporte de material para o combate á Covid19, uma tolice porque a pandemia deve refluir no próximo ano ou em 2023 e o avião vai ficar na FAB por 20 anos. Para o transporte de material para o combate da Covid19 usa-se o C105, o KC390 ou para distâncias maiores pode-se arrendar aviões de transporte, como tem sido feito até agora. Por outro lado, se a FAB justificar a aquisição de aviões para fazer REVO em uma missão de ataque contra um país da África, o comandante… Read more »

Carlos Caminha

o cara só citou uma necessidade URGENTE do uso dos aviões………….. ele não disse que as necessidades da PANDEMIA se estenderiam por 20 anos………A tolice está no seu pensamento, naquilo que vc escreve………… meu filho, se liga, vá estudar PROBABILÍSTICA!!!!!!

Camargoer

Caro Carlos. Probabilidade é um assunto sensacional que todos devem estudar. Recomendo o livro “O andar do bêbado”. No caso dos aviões para a FAB, se a necessidade é urgente, então a solução é a contratação de empresas privadas para o transporte. Isso pode ser feito em poucos dias ou semanas, como foi feito no início da pandemia. Aliás, eu lembro do MinSaude contratando um avião da Azul antes de confirmar a disponibilidade das vacinas na Índia, resultando que o avião não saiu do Brasil. Isso mostra que é mais fácil contratar um avião que comprar vacinas.

Rinaldo Nery

Camargo, existe um cenário chamado ¨resgate de nacionais no estrangeiro¨. Justifica os A330.

Camargoer

Olá Rinaldo. Concordo. Provavelmente existem outras demandas na FAB para a aquisição do A330, inclusive o REVO. Contudo, a FAB apelou para o combate á Covid para a aquisição de duas aeronaves pro R$ 500 milhões. Para esta situação emergencial, o mais simples, rápido e barato é o arrendamento de aeronaves do setor privado, o que foi efetivamente feito várias vezes anos passado quando o governo (por incompetência ou irresponsabilidade) perdeu quase três meses para se preparar para a pandemia, tempo que poderia ter sido usado para montar estoques de máscaras e outros suprimentos médicos. Aqui onde mor, foi necessário… Read more »

Leandro Costa

Não são duas aeronaves que vão tornar o Brasil um player global. Desenvolvimento interno (melhora nos índices de IDH, por exemplo), crescimento econômico, estabilidade política e coesão na política externa vão.

Aeronaves militares cada vez mais capazes são consequências desses processos.

Filipe

Mas torna a FAB numa força aérea intercontinental, coisa única aqui na região.

Hcosta

Não é bem assim. Tenha como exemplo as Malvinas. Mesmo com as ilhas no meio do Atlântico, o RU teve grandes dificuldade.
Talvez seja mais prático aprofundar as relações entre países e criar bases conjuntas com outros países/organizações. Por exemplo Cabo Verde ou São Tomé e Príncipe. Isto se quiserem seguir uma política mais interventiva.

Carlos Caminha

Outro Comandante das FFAA determinando “números”, rsrsrsrrs, acho isso muito engraçado, é maior comédia ler esse tipo de colocação, um cara que não sabe nada, rsrsrs, dizendo que deveria ter tantos aviões, tantos tanques, tantos navios……..gente, se liga, olha no espelho, veja o quão ridículo é ficar determinando tamanho de forças, quem manda nisso são os militares, são eles que conhecem esses números, eles nunca virão a estes blogs para fazer leitura de numeros sugeridos, KKKKKKKKK. Depois o sujeito leva um DISLIKE, e fica sem saber de onde veio…………..tem gente pior aí com trocentos DISLIKES……. Tem o ADALTO, e o… Read more »

Flanker

Cara, tu surge de repente e com comentários agressivos e gratuitos contra os outros…….pra que? Qual o motivo disso?

BENTO

Seria um sonho 2 A330 MRTT na FAB

BK117

Eu ouvi um Amém?

Fernando Veiria

Não lembro da FAB ter encomendado os A330MRTT e nem mais R-99.

Lembrando que a FAB tinha arrendado um 767 e devolveu a aeronave, estava procurando outra para arrendar mesmo que a opção de compra daquele 767 era mais vantajosa.

Marcos Cooper

70 Gripens daqui 10 anos????????
Kkkkkkkkkkkkkk……….
Talvez daqui uns 50 anos teremis os mesmos 36 acrescidos de uns poucos caças velhos comprados de segunda mão!
É a fab,esqueceu? Nada aqui é levado dentro do planejando (?)…

Filipe

Mas a fabrica da SAM , é para montar mais caças aqui.

Emanuel

Já somos…seremos ainda mais.

Rafael costa

“Será” ? E a FAB já não é a Força Aérea mais poderosa da América do Sul ? Não vai me dizer que a FACH é superior, né ?

Camargoer.

Olá colegas. Enquanto a MB recebe um KC390 da FAB para fazer um exercício conjunto, o EB inventava de comprar Sherpas. A cada dia que passa eu fico mais intrigado com aquela ideia.

Filipe

O Sherpas nunca virão para a EB, tudo por causa da legislação , além do mais a DESAER vai lançar o ATL-100 , um avião brasileiro bem superior aos Sherpas.

Camargoer

Olá Filipe. A tentativa do EB de adquirir os Sherpa foi abortada pela FAB que apontou a insensatez da operação. A FAB mostrou que tem os aviões disponíveis para abastecer os pelotões de fronteira. O que ela não tem são os recursos de custeio. O EB pretendia adquirir os aviões, revisa-los e bancar o custeio deles, incluindo o pessoal de manutenção. Obviamente, é mais barato bancar as horas de voo dos aviões da FAB do que adquirir e operar aeronaves obsoletas.

Carlos Caminha

Camargoer, olha alí a besteira que vc falou………………….raciocine bem antes de escrever essas bobageiras……………………

Nilson

Galante, parece que está passando da hora de bloquear esse Caminha…

Flanker

Pois é! Em cada comentário tem uma agressão aos outros….

Camargoer

Caro Carlos. Por favor, aponte o erro e qual seria em sua opinião o certo?

GFC_RJ

Eu sou contra esses Sherpas, porque no sentido de política pública não faz sentido. Esses tipos de aviões podem ser fabricados aqui. Temos tecnologia e indústria local para isso mesmo. Nem que seja aquele ATL100, que hoje nem um protótipo é, mas prometem alguma coisinha bem mais moderna. Já sobre o exército possuir uns aviõezinhos assim, para suporte meramente logístico… Po… fala sério.  Minha opinião é, guardadas as devidas proporções, a mesma coisa que questionar se a FAB pode ter caminhão. Coisa de maluco. O exército não pode é exercer PODER AÉREO, da mesma forma que a FAB não pode… Read more »

Leandro Costa

O EB por mim pode operar o que quer que eles acreditem que precisam operar para cumprirem com suas tarefas. O problema é que no momento, essa necessidade dos Sherpa não existe, e não estamos nadando em dinheiro, então é algo que poderia ser deixado para depois. A questão é apenas essa.

GFC_RJ

Não vejo muito por aí.
Dizer que a necessidade não existe… bem… o exército diz que existe, que vai reduzir custos operacionais, que vai reduzir logística com helicópteros que são mais caros, ineficientes, etc. Então, já que não é algo muito estratégico (e nem tático), apenas uma melhoria operacional… pode ser feito no momento que for.
Mas, é só uma opinião.

Camargoer

Caro GFC. Se o EB tem recursos para operar helicópteros, que são mais caros e ineficientes para estas operações, significa que ele tem recursos para custear os aviões da FAB, mais eficientes por apresentar um custo $/kg de carga bem menores que os helicópteros. Além disso, se o EB consegui reorganizar a logística sem prejudicar a abastecimento dos pelotões, significa que o arranjo anterior era ruim e faltava planejamento do EB.

Camargoer

Olá Leandro. Se o EB tinha recursos para adquirir os Sherpa e opera-los, então tinha recursos para custear os voos da FAB. Se o EB tivesse algum argumento razoável, a FAB não teria protestado com tanta veemência. Aliás, o fato do EB recuar mostrou que a coisa estava toda errada. Afinal, quem está abastecendo os pelotões de fronteira nos últimos dois anos?

Agnelo

Se fosse simples assim……. Kkkkk

Camargoer

Caro Agnelo. Então, seria como? Onde está o erro de minha argumentação?

Agnelo

A FAB possui uma demanda enorme de missões. Os recursos nunca são suficientes, pois a demanda é realmente enorme. Em modo simplório, pra entender, o EB e a MB enviam suas necessidades por um plano anual. Para a FAB atender as demandas da MB e do EB, dentro dos recursos disponíveis, ela encaixa os voos, buscando, dentro do possível, apoiar observando a prioridade enviada. Porém, a demanda SEMPRE é muitíssimo maior. Exemplo: A FAB precisa de 3000 missões. O EB de 300 missões. A MB de 150 missões. Mas veio 2/3 do $$. Não serão atendidas as 2000, 200 e… Read more »

Camargoer.

Olá Agnelo. Concordo com tudo o que você escreveu. O limite tem sido o custeio. O EB tem que reduzir a sua estrutura porque ela não cabe no custeio disponível.

Welington S.

Mais essa história dos Sherpas já não tinha acabado? O EB voltou atrás novamente?

Camargoer

Caro Welington. Felizmente, o EB abandou a ideia de comprar Sherpas. Então, caso o EB não tenha transferido recursos para a FAB, ou tenha contratado empresas privadas de transporte, ou esteja usando os H225, os pelotões de fronteira estão desabastecidos há dois anos.

Camargoer

Olá GFC. Um avião (ou um veículo, ou um navio…) é adquirido em três situações. Primeiro, quando o atual avião se torna obsoleto e sua manutenção inviável. Segundo quando o tamanho da frota atual é insuficiente e é preciso amplia-la. Terceiro, quando surge uma nova necessidade que demanda um novo modelo. No caso dos Sherpa, ele não se encaixa em nenhuma das situações. A FAB tem aviões modernos e com horas de voo suficientes para atender o EB, além do fato da FAB abastecer os pelotões de fronteira há anos. Nenhum argumento do EB fazia sentido. Muito estranho.

GFC_RJ

“A FAB tem aviões modernos e com horas de voo suficientes para atender o EB”. Isso é especulação. O perfil dos Sherpa é similar ao Bandeirantes, onde a FAB já está em entendimentos para sua substituição. Estão longe de ser novos.  Nem os Sherpa… Mas por isso falei lá em cima que essa aeronave especificamente é uma escolha torta. Mas aí vem a questão do EB operar logisticamente aeronaves… “além do fato da FAB abastecer os pelotões de fronteira há anos. (…) Muito estranho”.  É estranho pra todos os lados, inclusive o de cima e o de baixo… ademais, tem… Read more »

Filipe

Tudo isso se resume ao DEASER ATL-100 , é futuro avião leve da FAB.

Fernando EMB

Filipe…. Não tenha certeza disso!!!! Não afirme coisas que não sabe. O ATL-100 ainda é um desenho no computador de uma empresa que não tem recursos para o desenvolver, certificar e produzir. Então afirmar isso que você afirmou é apenas um desejo em não uma certeza como você faz parecer!

Camargoer

Caro GFC. O comandante da FAB divulgou nota afirmando que a FAB tinha aviões suficientes para atender o EB, mas que não dispunha de recursos de custeio para coloca-las em voo. O comandante da FAB afirmou que os aviões da FAB têm voado menos horas do que as disponíveis por falta de custeio. Isso é fato. Alguns colegas aqui na trilogia afirmaram que os pelotões de fronteira têm pistas pavimentadas e que podem receber até os C105, que aliás têm operado rotineiramente nestas pistas para abastecer os postos do EB. O problema nunca foi o EB operar aeronaves. O problema… Read more »

Nascimento

Se o Comandante da FAB disser que o céu é roxo, ele vira roxo? Baseado nessa lógica o argumento do EB de não ser atendido quando requisitado também vale…

Camargoer

Caro Nascimento. Se o comandante da FAB disser que o céu é roxo pode ser daltonismo. Caso contrário, seria recomendado exonera-lo. O EB argumentou que a FAB estava sem capacidade de atender o abastecimento e decidiu usar os seus recursos para comprar aviões obsoletos. A FAB disse que tinha os aviões, mas faltava recursos de custeio, e argumento que seria mais barato e adequado usar os recursos do EB que seriam usados para comprar aviões obsoletos, revisa-los, implementar uma rede de logística, treinar pilotos, treinar mecânicos e ainda, custear a sua operação, emprega-los no custeio das aeronaves da FAB que… Read more »

Nascimento

Não é culpa do EB se a FAB não consegue manter seus meios operacionais. O programa Phoenix teve exatamente essa ideia que você esta propondo, a FAB pegou o dinheiro, enfiou naquele lugar, cortou as encomendas e agora estamos na pindaíba.

Camargoer

Caro Nascimento. A FAB tem os meios disponíveis, mas as forças armadas (aliás, todos os órgãos públicos) precisam de uma quantidade mínima de recursos de custeio para que possam prestar os serviços. A crise orçamentária do Estado está relacionada com a queda da atividade econômica que começou em 2015 e nunca mais recuperou. A pandemia piorou uma crise que já era ruim. A arrecadação caiu porque o Estado abriu mão de sua capacidade de implementar políticas anticíclicas para a retomada da atividade econômica.

Rinaldo Nery

Camargo, o C-105 pousa em quase todos os PEF. Meu filho é instrutor de C-105 no 1°/9°. O argumento do Agnelo não está de todo errado. A pandemia prejudicou o apoio aos PEF. Mas a situação deve normalizar. A FAB, nos bons tempos, voava 180 mil horas/ano (eu fui dessa época). Agora, patinamos nas 110 mil, com pequenas variações. Prejudica todo mundo: FAB, MB, EB, PF, Brasil etc.

Camargoer

Olá Rinaldo. A pandemia afetou e continuará nos afetando por anos (perdi muita gente próxima). As empresas e o Estado precisam repensar muita coisa para o período pós-pandemia. Ficou evidente a importância do SUS, da necessidade de uma indústria nacional de suprimentos médicos, da importância de ter o Butantan e a Fiocruz como organizações públicas e capazes de produzir vacinas para o SUS, ficou claro que é possível ampliar o e-governo mas também que há limites éticos e práticos para o home-office, ficou absolutamente claro a importância do programa nacional de imunização e quão equivocada é a ideia de homeschooling.… Read more »

Guizmo

kkk o Homeschooling pelo visto conseguiu tirar o Camargo do prumo, coisa que ninguem aqui consegue…….Tamo junto!

FABRÍZIO AMORIM DE MENEZES

Li em algum lugar que isso foi barrado. Salvo engano o governo federal proibiu asas fixas para o EB.

Camargoer

Olá Fabricio. O MinDef havia alterado a portaria para permitir que o EB adquirisse os Sherpa. Foi quanto a FAB alertou que a justificativa do EB de que a FAB não tinha aeronaves para abastecer os pelotões de fronteira estava errada. A FAB alertou que ela vem fazendo o abastecimento dos pelotões, inclusive que os aviões da FAB teriam horas de voo disponíveis para aumentar esta operação, mas que a FAB não tinha recursos de custeio para preencher estas horas de voo adicionais. A FAB alertou que seria mais barato usar os recursos que o EB destinaria para a aquisição… Read more »

Rinaldo Nery

O EB, na sua apresentação ao MinDef, equivocou-se no custo da manutenção dos motores das aeronaves, subestimando seu custo.

Camargoer

Olá Rinaldo. O EB cometeu vários equívocos neste caso, começando com a ideia de implantar um esquadrão de aviões obsoletos para fazer um serviço que pode ser feito com aviões da FAB ou simplesmente contratando uma empresa privada.

Carlos Caminha

O Sherpa seria muito útil ao EB, por isso os militares daquela Força cogitaram adquirir o mesmo. Vc não tem capacidade de quantificar o que cada Força avalia para sí, vc não tem capacidade para isso, no máximo vc faz a tolice de uma opinião ignorante. Por favor meu amigo, acorde desse seu sono de embriaguez. E toma outro DISLIKE.

MFB

Você é um sujeito pequeno.

Camargoer.

Caro Carlos.A nota sobre a capacidade de abastecer os pelotões de fronteira foi do comandante da FAB. A critica de usar recursos que poderiam custear os aviões da FAB subutilizafas foi também do comandante da FAB. A decisão de comprar Sherpas obsoletos para fazer o serviço Que a FAB faz com C105, C95 ou C96 foi do EB. Não torne o debate uma questão pessoal, algo um pouco desnecessário considerando o objetivo do PN.

Teropode

Bobagem , o EB viajou na marionese com o sonho Sherpa quando na verdade eles deveriam se esforçar para adquirir os 4 Chinooks , mas como vivemos tempos sem liderança ,toda bobagem ganha status de relevância …..

Camargoer

Caro Teropode. Creio que Chinook tem um custo de US$ 4.500 por hora de voo. Inviável para ser usado para abastecer pelotões de fronteira em período de paz. Talvez ele sirva para abastecer tropas durante combate, mas fico pensando se dois H225 não fariam o que um Chinook faz na maioria das missões de combate.

Teropode

A capacidade de carga dele compensaria pois ele transporta em uma hora oque 3 ou 4 H225 transportaria , no entanto é lógico que deverá ser observado estes detalhes , sempre decolar Full , maximizando a operação , é fácil aplicar esta doutrina . Sem contar que ele se assemelha a uma geladeira no quesito manutenção , mas tem que ter disciplina , há casos de decolar com jatinhos ou Helicópteros para levar um senador para um churrasquinho ….

BENTO

Saudações! alguma novidade sobre os dois Cargueiros Para a FAB?

Mario Lombardi

Legal ver esse grande Projeto dar seus frutos e ajudar a Aeronautica cumprir seu Papel Constitucional! Morei anos em Em São Pedro e já vi grandes aeronaves pousar nessa Pista.Parabens a todos Militares que fazem de nossas Armas Respeitadas no Mundo Todo.Viva as Forças Armadas 🇧🇷🙌

Ronaldo

Bom Dia a Todos,Felipe este é também o meu desejo,mas do jeito que as coisas estão andando eu acho pouco provável,pois como vai haver 70 Gripens se até o presente momento a SAM SAAB do Brasil só produziu duas peças para a Produção do Gripen e ainda fora do Brasil,no meu ponto de vistas a SAM SAAB do Brasil está muito lenta,já era para estar produzindo o caça propriamente dito,mas ainda não está,bom este foi só a minha mais humilde opinião de leigo no assunto
Um Lindo e Abençoado Dia Para Todos
Um Abraço!!!

Filipe

A Pandemia tem atrasado muitos programas de defesa, principalmente os que requerem transferência de tecnologia, mesmo com o tele trabalho fica difícil manter trabalhadores estrangeiros altamente especializados no Brasil… Praticamente têm atrasos nos principais programas militares nacionais (PROSUB , GRIPEN NG , KC-390 , FCT , GUARANI 6X6, MANSUP , AVMTC ,SGCD II ,Tupan 300 ) .

Leandro Costa

Ronaldo, na verdade acho que os trabalhos na SAM tem progredindo conforme programado e certamente estão progredindo conforme a demanda. Caso seja contratado um segundo lote de Gripens de maneira mais célere, a cadência com a qual é feita os trabalhos devem aumentar para refletir esse investimento.

PAULO DE ASSIS MELO

Não adianta ter máquinas de ponta se a base da manutenção está destroçada. A junção das especialidades de SHI, PNE, MAN, HEL e ANV na EEAR acabou com uma base de muitos anos. Hoje com manutenção terceirizada a logística de manutenção assim como o conhecimento específico em cada área estão abaixo dos mínimos.

Fernando EMB

A terceirização da manutenção é necessária e muito bem vinda. A FAB deve ficar responsável pela manutenção nível base, ou seja pequenas revisões e linha de voo. Pelo menos em boa parte dos seus meios.

FABRÍZIO AMORIM DE MENEZES

Quantos A-4 estão operativos atualmente? 5 ou 6?

Filipe

4 apenas

Flanker

A MB tem o N-1001, 1008 e 1022 operacionais. Qual seria o 4o? O 1004 está na Embraer, em modernização, assim como o 1021. E o 1013 se acidentou ao varar a pista ao decolar ma BAeNSPA há algum tempo, com danos no trem dianteiro, nariz e fuselagem dianteira, estando indisponível.

Filipe

são quantas?

Flanker

Como assim? Tá escrito no meu comentário! São 3. Por acaso o 1004 ou o 1021 já foram entregues. O 1013 já foi recuperado?

Teropode

Aliás os F18legacys do Kuwait estão fazendo falta na MB .

Neto

Estritamente por oportunidade dos aviões, faz sentido.
.
Financeiramente e em termos de prioridades, não faz sentido.
.
Ainda que ter um avião que possa ser usado com marinhas amigas, no hay plata.

jorge afonso martinez

Pergunta: a Marinha vai receber algum aparelho kc390!?

Filipe

Não, é exclusividade da FAB, mas MB tem 4 C1 Trader para operar a partir de NAEs.

Flanker

Os C-1 ainda vão ser recebidos.

Camargoer.

Caro Jorge. Não faz sentido. A FAB tem pilotos, mecânicos e logística para operar o KC390. A MB teria que monte uma estrutura similar para operar poucas aeronaves que ficariam subutilizafas. Se a MB precisar de transporte tático, basta requisitar que a FAB irá atender.

Nascimento

Assim como atendeu na Pandemia? Ou seja, vamos bombear água num cano furado. Se os demais ramos exigem, é porque a FAB NÃO atende as demandas. Nos EUA cada ramo tem suas aeronaves de asa fixa, quem é parâmetro, os EUA ou o Brasil?

Teropode

A FAB atendeu perfeitamente na Pandemia , se houve percalços não foi por culpa dela e sim por causa da indecisão do executivo .

Camargoer

Olá Teropode. Concordo com você. Até onde pudemos acompanhar, a FAB atendeu aos que foi solicitado. Inclusive, uma parte dos recursos destinados ao combate á Covid19 foi usado para custear os aviões da FAB. Os problemas enfrentados ao longo desde ano e meio são resultados do atraso na compra das vacinas, na ausência de uma política nacional coordenada pelo MinSaude, e agora sabemos, pelas negociatas em torno da aquisição de vacinas por meio de empresas atravessadoras.

Nascimento

Não atendeu perfeitamente. Da onde você tirou perfeitamente? Do comandante da FAB? Ad Verecundium? Agora a culpa da ineficiência da FAB é dos políticos, como sempre, né? Tanto é que ficaram na novela de A330 MRTT ao invés de cumprir com o mínimo necessário…

Last edited 2 meses atrás by Nascimento
Camargoer

Caro Nascimento. Cesar non supra grammaticos. Concordo com você que a justificativa de adquirir dois A330 para o combate da Covid19 não faz sentido. Para uma situação emergencial é mais rápido fretar um avião da Azul.

Teropode

Não é função da FAB liderar a logística nacional no combate a pandemia , comprar oxigênio , ou até mesmo engolir o orgulho e aceitar oferta de oxigênio de um rival , estavam a disposição mas os politiqueiros fizeram mer** , isto é fato …..

Camargoer.

Caro Terapode. Concordo que não é função da FAB líderes a logística de combate á Covid. Isso cabe ao MinSaude. Por outro lado, cabe á FAB prestar o máximo de apoio aí MinSaude quando solicitada, até porque o custeio das aeronaves usadas no combate á Covid veio do orçamento especialmente aprovado pelo Congresso para isso. Na Itália, o exército foi usado para transportar caixões. Acho mgor usar os aviões da FAB para transportar oxigênio e vacinas antes de chegar a este ponto.

Rinaldo Nery

Atendeu perfeitamente, sim. Quem levou oxigênio pra Manaus? Quem transportou pacientes pra outros estados?

Camargoer

Caro Nascimento. Segundo a própria FAB, ela tem aviões suficientes para atender as necessidades logísticas e táticas das forças armadas dentro do território nacional com um uma frota de KC390, C130, C105, C99, C96 e C95. O que falta são recursos para custeio. Portanto, não há justificativa para a aquisição de mais aeronaves de transporte nem para a MB, nem EB, nem FAB, Durante os primeiros meses da pandemia, quanto faltaram até máscaras para o funcionários do SUS, a situação foi crítica porque o governo federal teve 3-4 meses para se preparar e nada fez (parece que já um padrão).… Read more »

Nascimento

Novamente usando Ad Verecundium como argumento. A FAB pode dizer quantas vezes quiser se cumpre ou não as exigências do EB. Mas o EB pode dizer que não cumpre totalmente as exigências também. Pra mim, a palavra de ambos vale a mesma coisa. Temos um histórico péssimo de deixar tudo nas mãos de apenas uma instituição pública e essa falhar quando necessário. Se a FAB já mal da conta de deixar os seus operacionais, é necessário que o EB e a MB tenham os seus, para evitar dependência. Se a FAB tem como dever prover suporte logístico as forças, e… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Nascimento
Camargoer

Caro Nascimento. Res non verba (a vaca não fala). A FAB comprou aviões modernos que estão quitados. A FAB tem logística e pessoal para dar manutenção e pilotar os aviões. Falta dinheiro para combustível. O EB tem pelotões de fronteira que possuem uma pista pavimentada que adequada para os aviões da FAB. O EB precisa que os pelotões sejam abastecidos por meio aéreo. O mais barato é pagar o combustível da FAB. A segunda opção é contratar uma empresa privada que leve o material (mais caro que pagar o combustível da FAB). A terceira opção (muito mais cara) é levar… Read more »

Nascimento

”O Brasil tem passado por grave crise econômica nos últimos anos. A Força Terrestre, ciente desse problema, tem se empenhado em realizar estudos com propostas que visam a redução de custos para atender aos planejamentos anuais de Apoio Logístico às Organizações Militares do Exército, particularmente aos Pelotões Especiais de Fronteira. O Comando Logístico realizou estudos em relação à realização do suprimento pelo modal aéreo na Amazônia e constatou que seria mais viável e econômico para o Exército Brasileiro, realizar o Apoio Logístico por meio de aeronave de asa fixa, em detrimento à atual frota da Aviação do Exército sendo possível gerar… Read more »

Rinaldo Nery

Três aeronaves SC-105, e não duas. Foi meu último trabalho na FAB. A história do C-212 tinha outros interesses. Ainda bem que não foi adiante. E, o EB não calculou corretamente o custo da manutenção dos motores dos Sherpa.

Nascimento

Grato pela correção. Poderia mandar fonte do erro de custo da manutenção? Li muitos PDFs sobre estes estudos do EB, mas infelizmente, não li algum comentando isto. Grato. Até.

Fernando EMB

Nascimento, o produção dos C-212 pelo PAMASP NUNCA fez sentido. E outra coisa, os Bandeirante que carregam o piano no apoio ao EB são os C-95A/B/C, e estes foram todos modernizados. Não faz sentido o EB ter aeronaves de asa fixa de transporte. Para que duplicar estruturas, bases, e todo o resto quando a FAB já tem tudo. Engraçado que se cria um Min da Defesa para se integrar operações e meios de mas cada força fica pensando de maneira independente. Por mim deveria ser criar o conceito de forças de defesa da Brasil, integradas, profissionais, menores em tamanho, com… Read more »

Rinaldo Nery

E por que deveria?

Saldanha da Gama

Podem descer a lenha, mas, eu vejo o kc390 também como fator de defesa, armado com mísseis de longo alcance ar-mar, assim como imagino ele armado tipo o hércules Gunship…..

Welington S.