terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

BAE Systems recebe contrato de US$ 117 milhões para nova geração de buscadores dos mísseis LRASM

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A BAE Systems recebeu um contrato de $ 117 milhões da Lockheed Martin para produzir buscadores dos mísseis de próxima geração para o Long Range Anti-Ship Missile (LRASM). A tecnologia do “seeker” permite que o LRASM detecte e engaje alvos marítimos específicos em ambientes contestados com menos dependência de sistemas de navegação tradicionais. O design do buscador de próxima geração reduz os custos gerais dos mísseis.

“Estamos comprometidos em fornecer sistemas acessíveis que ofereçam recursos incomparáveis ​​para os EUA e seus aliados”, disse Bruce Konigsberg, diretor da área de produtos de sensores de radiofrequência da BAE Systems. “Projetamos sistemas de busca eficientes que são mais fáceis de construir e testar sem comprometer o desempenho.”

Seguindo as melhorias de design conduzidas sob um contrato de Diminishing Sources/Affordability, a BAE Systems está produzindo buscadores de próxima geração para os Lotes 4 e 5 que são mais capazes e fáceis de produzir, com processos de fabricação menos complicados. Os buscadores da próxima geração substituíram peças obsoletas e de disponibilidade limitada, reduzindo drasticamente o custo do sistema.

O contrato do LRASM apoiará mísseis para a Marinha dos EUA, Força Aérea dos EUA e aliados dos EUA por meio de Vendas Militares Estrangeiras, bem como serviços de pesquisa, desenvolvimento, teste e avaliação.

O trabalho da BAE Systems no buscador de LRASM é conduzido nas instalações da empresa em Wayne, N.J.; Greenlawn, N.Y.; e Nashua, N.H.

LRASM

O LRASM – Long Range Anti-Ship Missile – usa tecnologia de orientação de precisão de última geração para penetrar nas defesas aéreas inimigas e atacar navios inimigos de distâncias mais longas.

A avançada tecnologia de sensor permite que o LRASM atinja alvos de longas distâncias e penetre nas defesas aéreas inimigas de maneira mais eficaz, com maior capacidade de sobrevivência.

O LRASM dá à Marinha dos EUA a capacidade de atingir alvos de alto valor de longo alcance, evitando o contra-fogo. O sensor LRASM usa orientação semi-autônoma e dados de indicação de alvo para localizar e atacar alvos com precisão, reduzindo a dependência de plataformas de Inteligência Aerotransportada, Vigilância e Reconhecimento (ISR), links de rede e navegação GPS.

FONTE: BAE Systems

- Advertisement -

10 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Victor Filipe

Misseis Sea skimming, furtivo e com grande capacidade de manobra não devem ser nada fáceis de serem interceptados…

Bosco

Felipe,
E além disso é praticamente autônomo.
Outra característica interessante e inédita é que é capaz de implementar ECM caso se veja “trancado” por um radar de controle de tiro na fase terminal.
Solução muito mais letal (e elegante) que colocar um radar ativo míope num míssil hipersônico gigantesco voando a 30 km de altura que tem alguns segundos para achar o alvo certo sob pena de acertar qualquer coisa, menos o alvo.

Carlos Campos

podem endeusar os hipersônicos, furtivos sea skimming é que fazem o terror.

Mestre D'Avis

Quem defende que o futuro são os drones e a IA devia ficar impressionado pelas capacidades desse míssil. Mas vem do actor errado.
Num futuro onde o soft kill dos ECM e as capacidades autónomas das armas se vão sobrepor ao “avião lança míssil muito rápido ” de hoje um míssil com esse alcance capaz de ficar a voar discretamente num ambiente saturado antes de se lançar sobre o alvo é um vector importante.

Carlos Campos

pessoal paga pal para missil hipersonico, mas pra mim os furtivos sea skimming são os melhores do mundo, além de que podem ficar vadeando até encontrar um alvo.

sergio

Isso sem falar que ate hoje, pelo que eu saiba, não a nenhuma prova de que realmente esses misseis tem a precisão que afirmam ter, não tem um único vídeo ou foto que mostre que realmente eles ” acertam o alvo “.veja bem não estou afirmando que eles não acertam o alvo, mais lançar 20×1 e complicado.

Helio M

A Rússia tem míssel antinavio supersónico desde os anos 80 e isso nunca foi um fator determinante para desestabilizar o equilíbrio.
Eu acredito que o principal alvo do míssil hipersônico nem seja o navio em si, mas sim o moral da tripulação, que fica em um estado de tensão constante (pouco tempo de reação) e mais propensa a cometer erros.

Bosco
Bosco
- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -