terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

Duas fragatas britânicas Type 23 serão oferecidas à Grécia como parte dos esforços de venda das Type 31

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O jornal britânico The Times noticiou que as fragatas Type 23 HMS Monmouth e HMS Montrose serão doados à Grécia como parte dos esforços para “adoçar o negócio” de vender à Marinha Grega o projeto da fragata Type 31.

“Dois dos navios de guerra antigos e aposentados da Grã-Bretanha serão oferecidos à Marinha Helênica para ajudar a Babcock International a ganhar um acordo multibilionário com a Grécia para construir novas fragatas e atualizar sua frota.”

Em março, foi anunciado que a Montrose, bem como a Monmouth, seriam desativadas antes do planejado como parte da Revisão Integrada da defesa. Em 2021, a Montrose permaneceu desdobrada a leste de Suez, mas estava programada para retornar ao Reino Unido em 2022, cinco anos antes do planejado anteriormente. Quanto à HMS Monmouth, ela foi desativada no dia 30 de junho de 2021, deixando a Marinha Real com 12 fragatas.

HMS Kent - F78
Fragata Type 23

A Babcock está oferecendo para a Marinha Helênica a Fragata de Emprego Geral Arrowhead 140, o design no qual a Fragata Type 31 é baseada.

David Lockwood, CEO da Babcock International liderou uma série de reuniões na Grécia com figuras importantes da indústria, funcionários do governo e empresas da cadeia de suprimentos, enquanto a Babcock continua a aumentar o interesse internacional em sua fragata de emprego geral Arrowhead 140 e faz uma oferta para entregar à Marinha Helênica um novo programa de modernização das fragatas da Classe Hydra, uma capacidade de fragata provisória e quatro fragatas Babcock Arrowhead 140.

Segundo a Babcock International, “o projeto Arrowhead 140 já foi escolhido pela Marinha Real do Reino Unido para seu futuro programa de fragatas Type 31. A empresa está empenhada em apoiar a indústria grega para construir e montar as novas fragatas na Grécia, revigorando a cadeia de abastecimento doméstica, atualizando a infraestrutura, modernizando as instalações domésticas, aprimorando e aumentando a força de trabalho local e transferindo conhecimento e tecnologia. Funcionários da Babcock também têm se envolvido com empresas sediadas na Grécia interessadas em fazer parte de sua cadeia de suprimentos no país e recentemente realizaram um evento online ao vivo em Atenas, sob os auspícios da Diretoria Helênica de Armamentos do MoD.”

Type 31

Comparação dos tamanhos das fragatas Type 26, Type 31 e Type 23

FONTE: UK Defence Journal

- Advertisement -

68 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
68 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sincero Brasileiro da Silva

Impossível não lembrar das duas Fremm oferecidas pela Itália para que optássemos pela Fincantieri.

Esteves

Acho que não tinha uma coisa amarrada com a outra. Ofereceram as fragatas depois que ficaram fora do BAFO.

Nascimento

E hoje até o Egito possui uma marinha de superfície superior a nossa…

JS666

Quando o Egito não teve todas as FA melhores equipadas que as nossas?

Nascimento

Boa pergunta, acho que só quando foram possessão britânica.

Camargoer

Olá JS666. Creio que você se refere aos últimos 200 anos, desde a independência do Brasil. Após a saída de Napoleão, o Egito era parte do Império Otomano, mas ao longo do Sex XIX, os franceses e ingleses assumiram o controle da região. A independência do Egito ocorreu após o fim da Grande Guerra, mas os ingleses mantiveram tropas lá até a década de 50, quando Nasser dá um golpe de estado. A marinha do Egito esteve envolvida em conflitos desde o início do Sex XX até a década de 60. Então, acho que a Marinha Imperial era superior á… Read more »

Segatto

sem contar que embora fosse nominalmente vassalo otomano o Quedivato do Egito era autônomo e inclusive chegou a guerrear e conquistar territórios do próprio Império Otomano, ou seja, tinha dependência apenas no papel, só depois os britânicos para fazer deles um protetorado, que também é uma forma que permite grande autonomia

Camargoer

Olá Segatto. Obrigado por complementar meu comentário.;

Joao Moita Jr

O que está ficando difícil é achar FA pior equipadas…

Camargoer

Olá João. Creio que a maioria das forças armadas são pior equipadas do que as brasileiras. Algumas possuem menos equipamentos, outras possuem equipamentos inferiores. A maioria dos países que têm forças armadas superiores ás brasileiras podem ser classificadas em três grupos. 1 Potências militares que possuem uma forte indústria militar (como EUA, Russia, China, França…). 2 Países exportadores de petróleo que precisam importar material militar para equilibrar a balança de comércio (Venezuela, Arábeia Saudita, Emirados…). 3 Países envolvidos em conflitos ou sob governos autoritários ou ditaduras militares. Alguns países podem ser classificados em mais de um grupo.

Esteves

4.Países sem responsabilidade fiscal. Poderiam fazer mais com menos. Latinos e africanos, basicamente. Há outros.

Camargoer

Olá Esteves. Alguns países podem ter responsabilidade fiscal mas irresponsabilidade social. Eu incluiria os asiáticos e europeus aos latinos e africanos, basicamente.

Caio

E como classificamos quem gasta mau seu orçamento para a defesa nacional.

Camargoer

Olá Caio. Primeiro, temos que definir o que é gastar mal o orçamento militar.

Pedro

Pura Verdade.

Camargoer

Caro Sincero. Creio que as coisas não são comparáveis. No caso das FREMM, havia o ProSuper que iria fazer uma grande contratação de navios novos que seriam construídos no Brasil. Este programa foi cancelado. Paralelamente, a MB tinha o programa de corvetas Tamandaré. Quando o ProSuper foi cancelado, o programa Tamandaré foi revisado e se tornou o programa de fragatas. Pelo que lembro, os italianos ofereceram FREMM prontas ou em construção na Itália. Seria uma compra de prateleira, assim como foi feito com o Egito. Claro que isso teria dado um enorme poder naval para a MB a curto prazo,… Read more »

Allan Lemos.

Compras de prateleira são melhores para um país como o Brasil.

Esteves

O Fundo Partidário + foro privilegiado (mais de 500 cargos) pagariam as 2 FREMM.

Tem troco.

Jadson Cabral

Não é por nada não, mas onde é que foro privilegiado entra nessa conta mesmo?

Esteves

Quanto custa defender 60 mil funcionários públicos nas instâncias superiores?

https://congressoemfoco.uol.com.br/especial/noticias/quase-60-mil-pessoas-tem-direito-a-foro-privilegiado-no-brasil/

O cidadão comum paga advogado. Todos pagamos os advogados dos funcionários públicos.

Nos EUA e Inglaterra essa despesa = zero.

Camargoer

Olá Esteves. Creio que quando uma autoridade é processada em foro privilegiado, esta pessoa precisa contratar o seu próprio advogado. Nos EUA, um juiz de primeira instância também não pode processar o presidente dos EUA. O fato de uma autoridade ser processada em instância superior significa também que ela tem menos instâncias para recorrer. Um juiz de instância superior não vai ser mais ou menor rigoroso que um juiz de primeira instância, mas como são colegiados, isso evita que seja feito uso político da justiça. O ex-juiz Moro mostrou o risco que se corre ao extinguir o foro privilegiado.

Esteves

Mestre, Olá também.

O foro é do cargo. O ocupante do cargo pode recorrer ao advogado da União (vide ex presidenta), ao procurador do município, ao procurador do Estado.

Quanto custa sustentar uma estrutura para dar proteção a 60 mil cargos no Brasil?

No foro privilegiado encontramos as maiores protelações cartoriais. Quanto custa sustentar os cartórios?

O artigo 5º Constituição Brasileira estabelece que todos os brasileiros e estrangeiros residentes no país são iguais perante a lei.

O país precisa proteger 60 mil cargos?

Esteves

Mestre,

5.570 municípios. O prefeito rouba 90 milhões e cai no foro privilegiado. Qual o prazo para julgar?

Os cartórios suspendem os prazos conforme chove na horta. Chuva boa, prazo longo.

Camargoer

Olá Esteves. O foro privilegiado protege a função, não a pessoa. Se um prefeito comete um crime no exercício do mandato, ele será processado por uma instância superior enquanto ocupar o cargo. A justiça que tarda é injusta. Isso é fato. Mas a justiça que acelera para condenar também é injusta. O princípio que é melhor errar deixando um culpado livre do que um inocente preso é a base fundamental da justiça em um estado democrático. Não pode existir exceção. Todos devem receber o devido respeito ao processo legal. O risco da exceção é que hoje são eles, depois seremos… Read more »

Thiago

“princípio que é melhor errar deixando um culpado livre do que um inocente preso é a base fundamental da justiça em um estado democrático.”
É verdade, concordo totalmente mestre, pena que quando convém esse princípio é totalmente esquecido. Veja-se a cruzada
em movimento contra os homens . Culpados a priori. Agressores, opressores e est..dores sem exceção. Cada dia mais é suficientes a palavras de uma mulher .
Os progressistas aplaudem, os conservadores se acovardam e a
presunção de inocência só serve para meliantes.

Camargoer

Olá Thiago. Os dados de violência contra a mulher e contra as crianças mostram que a situação é assustadora. Acho que isso não é uma questão política entre conservadores e progressista. Em 2020, foram 1338 mulheres assassinadas por seus parceiros e ex-parceiros ou pretensos parceiros. Praticamente 3 mortes por dia. A presunção de inocência serve para todos. Inclusive para nós dois. Contra crianças, 70~90% (depende da faixa etária) são causadas por pais, padrastos ou pessoas próximas contra meninas. A violência contra a mulher acontece em todas as classes sociais. É uma situação complicada.

Allan Lemos.

Um juiz de instância superior não vai ser mais ou menor rigoroso que um juiz de primeira instância, mas como são colegiados, isso evita que seja feito uso político da justiça Caro Camargoer, em que país você vive? Nunca ouviu falar em um senhor chamado Gilmar Mendes? Pois bem, saiba que ele solta corruptos da cadeia com a mesma frequência com que ele muda de roupa. O mesmo se aplica a outros “garantistas”. Como pode dizer que um juiz de uma instância superior não será menos rigoroso? Obviamente há grandes chances dele ser, já que terá rabo preso com alguém(Toffoli… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Allan Lemos.
Camargoer

Caro Allan. Durante o período absolutista, os juízes e monarcas tinham a prerrogativa de prender quem quer que fosse seja por qual motivo. Neste contexto, o habeas corpus surge como proteção do indivíduo. Segundo um artigo do Conjur, o STF concede cerca de 450 HC por ano, sendo cerca de 50% das vezes em temas consolidados pela jurisprudência (ou seja, os juízes de primeira ou segunda instância desobedecem a jurisprudência exagerando na pena, mas principalmente determinando a prisão sem justificativa). O caso do ex-juiz Moro mostrou como juízes de primeira instância podem atuar de forma criminosa contra indivíduas, seja por… Read more »

Allan Lemos

Caro Camargoer, você acha que o André do Rap foi solto porque foi injustiçado por algum juiz de primeira instância?

Aliás, você sabia que na grande maioria dos países desenvolvidos, o cumprimento da pena começa logo após a condenação em primeira instância?

Quanto ao “amanhã poderá ser nós”, eu discordo, jamais infringi a Lei, por isso não preciso me preocupar com supostas atuações políticas de juízes de primeira instância.

Camargoer

Olá Allan. Eu não sei quem é “André do Rap” nem conheço o caso. Então não tenho opinião sobre isso. Sobre a atuação de juízes de primeira instância, corremos outros riscos além da perseguição politica. Existe um risco de perseguição pessoal (amor? ciúme?), econômica (sócio? corrupção?) e até injustiça por indiferença (assim como professores de matemática, tem juíz que acha importante ser rigoroso e linha dura). Sobre cumprir pena imediatamente após a primeira instância, a discussão deve ser feita se o modelo de punição por encarceramento para crimes pequenos funciona ou não, e se o consumo e comércio de droga… Read more »

Camargoer

Olá Allan. Ontem (4/ago) um rapaz com emprego e endereço fixo, foi visitar a sua família em um favela no Rio. Infelizmente, ele e a sua sobrinha foram atingidos por balas perdidas. Ele tirou a camisa para fazer uma atadura na perda na sobrinha adolescente e a levou até uma viatura da PM. Os dois foram levados para o hospital. Lá ele foi preso em flagrante por disparar contra a PM. O juiz confirmou a prisão. Li que seu advogado apresentou um HC.

Carlos Campos

eu era contra o Foro privilegiado, mas hj sou a favor, pelo menos no Brasil ainda é algo necessário.

Camargoer

Olá Carlos. Eu também entendo que o foro privilegiado é necessário. Isos não significa impunidade, mas proteção contra arbitrariedades. Os últimos anos mostraram que a guerra política pode ser estendida para o campo judiciário. Em tempos normais pode parecer um privilégio, mas os tempos estranhos mostram a sua importância para preservar a soberania popular.

Camargoer

Olá Esteves. Acho que o fundo partidário merece uma discussão mais profunda. Toda campanha custa caro. Caso as campanhas fossem bancadas apenas com recursos próprios, apenas os ricos teriam condições de se candidatar. Portanto, o fundo partidário é muitas vezes a principal fonte de financiamento para as candidaturas de pessoas pobres. O problema é o que ocorre dentro de alguns partidos que se apropriam dos recursos do fundo para financiar apenas “aqueles que podem chamar o partido de seu”. Outro problema é o valor do fundo, não a sua existência. Há quem critique a proibição de contribuições de empresas para… Read more »

Esteves

O fundo partidário foi criado em 1995 pela Lei 9096 (Lei dos Partidos Políticos). Já o fundo eleitoral, foi criado em 2017 com a Lei 13.487 onde foi proibida a doação de pessoa jurídica.  A empresa pode pagar o lobby. A empresa pode financiar os lobistas. Mas a empresa não pode doar na eleição. Antes não pode. Depois pode. O fundo partidário é um subconjunto do fundo eleitoral. É distribuído ao longo do ano e serve para manutenção dos partidos políticos. Quanto é controlado pelos maiores partidos? Mestre Camargo conhece os candidatos que vivem de alugar a legenda. E conhece os partidos nanicos… Read more »

Camargoer

Olá Esteves. Concordo que o problema é complicado. Na questão partidária, temos apenas 3 opções. Partido único, bipartidarismo e pluripartidarismo. Para o efetivo exercício da democracia, o melhor é o pluripartidarismo. Se por um lado, existem os partidos nanicos que servem apenas de fachada, também existem outros partidos nanicos que servem para expressão política de minorias. Portanto, nem faz sentido limitar o espectro político a um número definido de partidos, nem faz sentido extinguir os partidos nanicos. Eu não sei como fazer para evitar partidos de aluguel. Talvez eles sejam o preço a ser pago e tolerado para a liberdade… Read more »

Sou patriota mas não sou cego

A diminuição das mordomias militares também…

Camargoer

Olá Patriota. Eu fiz um levantamento dos navios que estão listados na página da MB e busquei qual era a tripulação de cada navio. Só não consegui descobrir as tripulações do K120, do L20, do G150, do H12 e do H10. Se alguém souber eu agradeceria. Sem contar com estes dez navios, a MB precisa de 6632 militares para operar. Podemos assumir 8 mil para arredondar com excesso. Supondo que sejam necessários 1 militar em terra para cada militar no mar e outros 10 mil para as atividades de pesquisa, ensino e manutenção a MB precisaria de 30 mil militares.… Read more »

Sincero Brasileiro da Silva

Será que essas duas Type 23 são as mesmas que tempos atrás foi cogitado que iriam para o Chile?

Esteves

Disseram que haveriam offsets para escolher a TKM. Offsets nos submarinos IKL e na base de submarinos em Itaguaí.

Não se comentou que escolhendo um estaleiro poderia haver um combo. Compra hambúrguer leva batatinha e refri.

Carlos Campos

offset fantasma e ToT de mim pra mim mesmo

Pedro Bó

Uma pesquisa rápida na internet e descobre-se que apenas a Montrose passou por upgrade e a Monmouth foi descomissionada sem sequer receber uma cerimônia para tal.

Mk48

São dois ferro-velhos, usadas até o osso pela RN e caras de operar.
.
Se entregarem revisadas e com garantia de fornecimento de peças e atualização de sistemas, pode ser um ganho para a Grécia por uns 10 anos, se não, é roubada.
.
Resta saber se a Grécia vai encarar a encrenca.

Last edited 1 mês atrás by Mk48
EduardoSP

É um negócio com três pernas, o MLU da classe Hydra, a oferta de dois navios usados para entrega imediata e a construção de quatro fragatas.
Pode ser que alguns componentes compensem outros. Negócio difícil de avaliar.

A6MZero

São doadas e a Grécia tem a Turquinha ali do lado sempre como uma ameaça constante.

Por outro lado a Grécia está tocando simultaneamente vários programas militares como a compra dos F-35 e dos Rafale, talvez seus bolsos não sejam fundos o bastante.

É uma questão difícil por uma lado eles precisam do embarcações ainda mais num teatro formado por pequenas ilhas do Mar Egeu, por outro a economia ainda está enfraquecida e manter um meio desses pode ser difícil.

Tomcat4,2

Em pensar que tempos atrás a Grécia estava falida economicamente e agora se estrutura militarmente se reequipando e gastando mijones .

Burgos

“Quando a esmola é demais, até o cego quando vai receber desconfia” 👀🤦‍♂️
Essas 2 Type 23 tão tudo no “osso”.
Concordo MK !!!
Uma delas acabou de chegar de um desdobramento, então imagina como deve tá, eu acho que não aguenta 10 anos, mesmo com os reparos de sobrevida.

Last edited 1 mês atrás by Burgos
Mk48

Oi Burgos, boa tarde.
.
Sim, de fato.
.
Essas T23 , mesmo as que passaram pelos reparos, estão muito , mas muito desgastadas.
.
Além disso são navios caros de manter e operar.
.
Mas sempre há a possibilidade de alguém aqui no PN achar que são boas para a MB.
.
Vamos em frente.
.
Abs.

Esteves

Claro. Eles tem ameaças e quase guerra com turcos. Mas quem julga o que devem fazer com a Defesa deles somos nós aqui.

Bacaninha.

Zeus

Um presente de grego para os gregos!
Estas aí estariam bem na coleção de Poseidon, no fundo do oceano!

Então para me convencerem a comprar um Bentley novo, me oferecem dois velhos e surrados até os ossos para que eu torre milhões em sua recuperação na mesma concessionaria que os oferece!

Vovozao

02/08/2021 – segunda-feira, btarde, passamos anis aqui no PODER NAVAL, vendo postagens afirmando que as type 23 seriam uma grande compra de ocasião; e, agora, o que diram os entendidos…..2 sucatonas, uma a Monmouth, tem ate alguns buracos de ferrugem. Seria um presente de GREGO.

rawicz

Boa Vovozão! Disse tudo. Esperava ler aqui varias mensagens adeus Type23 etc, to lendo apenas que elas eram sucata. Difícil agradar gregos e troianos

Mk48

Rawicz, boa tarde.
.
Não sei se você se refere comentário que fiz mais acima sobre a T23 , mas só gostaria de deixar claro que nunca fui defensor da compra delas para a MB.
.
Abs

Camargoer

Olá Vovozão. Acho que o início da construção das FCT fechou a janela para a aquisição de fragatas usadas para a MB. Daqui 4 anos, a MB receberá a primeira FCT e dai em diante, outras três anualmente. Sem entrar no mérito da qualidade dos navios ingleses, creio que é melhor para a MB focar seus esforços nos navios novos.

Cadillac

Exato. Chega de navio velho, e principalmente essas Type 23 aí que nem de longe seriam boa oportunidade de compra, nunca foram. Se a MB precisa de mais escoltas, que vá de FCT.

Claudio Moraes

Olá Camargoer. Mesmo com o iminente início da construção das fragatas Tamandaré, ainda é provável que algum meio usado seja adquirido. Tudo demanda tempo, esses navios vão demorar ainda até serem lançados ao mar. Mas é provável também que a esquadra fique com as Niteróis rebitando elas até onde der. Resta saber até quando, em vista que não vão durar muito. Abçs.

Camargoer

Olá Claudio. A MB incorporará 4 submarinos novos a partir deste ano, dando um poder naval muito alto. Ao invés de usar recursos escassos na aquisição e operação de duas ou três fragatas usadas em fim de vida, é melhor contratar pelo mesmo valor a construção de duas NaPaOc novas. Fiz uma estimativa que a MB precisa de cerca de 8 mil militares para a atual frota. Considerando a necessidade de pessoal em terra, em pesquisa/ensino, manutenção dos meios e fuzileiros, a MB precisa de cerca de 50 mil militares. Ela tem 75 mil.

Satyricon

Camargoer, eu não estaria tão certo quanto ao fim das compras de oportunidade, pois a própria MB mencionou que está aberta a isso. O atual estado da frota de superfície é calamitoso, e a situação irá piorar (muito) antes que melhore (e esses ditos 4 anos passem).
Esse é um luxo ao qual a MB não pode se dar (infelizmente).

Camargoer

Olá Satyricon. Eu concordo que o estado da frota de navios de combate da MB está crítica. Contudo, eu acredito que apenas novos navios modernos (mesmo que em número pequeno) poderão mudar esta situação. A aquisição de navios antigos e no fim da vida útil não vai mudar a situação da MB. Estimei que a aquisição de suas fragatas usadas, sua revisão, treinamento da tripulação e operação por 10 anos custaria á MB cerca de US$ 150 milhões. Com este recurso, a MB poderá contratar a construção de duas NaPaOc modernas em estaleiro nacional com algo grau de nacionalização, com… Read more »

Satyricon

Camargoer, eu respeitosamente discordo. Com uma idade média de 40 anos para a atual frota de superfície, tais meios começarão a dar baixa em sequência de agora em diante. Você com certeza já viu esse planejamento. A Niterói puxou a fila e será seguida pela Greenhalgh, já na próxima semana. As demais escoltas cairão como dominós, restando pouquíssimas ao fim dessa década (4?) ( 5?). Sua proposição é extremamente otimista, e supõe que a MB aceite a substituição de uma fragata velha por um NPaO novo, MAS não existe nenhum comunicado ou posicionamento da MB indicando isso (ao contrário das… Read more »

Camargoer

Olá Satyricon. Eu concordo com você que a situação da frota de navios de combate é crítica. Creio que a MB esteja no pior momento, mas acredito que a situação começará a melhorar a partir do próximo ano com a incorporação dos novos submarinos (isso não mudará a situação dos navios, mas dará maior poder naval para a MB). Eu acho que seria um erro substituir fragatas e corvetas por NaPaOc. Os atuais navios de combate serão substituidos pelas FCT. O que eu acredito é que o custo de aquisição e operação de fragatas usadas com mais 10 ou 12… Read more »

Ronaldo

Boa Noite a Todos,mais uma vez o Brasil fica para trás,perdendo a oportunidade de adquirir duas fragatas que poderiam fazer a diferença na nossa MB,mas a MB prefere esperar a produção das Fragatas Tamandaré e enquanto isso cada vez mais ficamos sem navios de superfície e de defesa Até quando vão deixar as nossas costas e a Amazônia Azul sem defesa,já poderiam fazer muitas compras de oportunidades mas não ,não sei o que estão esperando acontecer primeiro para o comando da MB se mexerem e ver que estamos ficando sem navios de superfície para proteger a nossa Amazônia Azul!!! Uma… Read more »

Kornet

Quem quer navio ou compra ou faz.
Compras de oportunidade não existe mais,o mundo mudou graças a guerra fria 2.0

Camargoer

Olá Ronaldo. Considerando o que o Chile pagou pelas duas “Adelaide” australianas (não confundir com as anãs paraguaias), a aquisição destas duas fragatas (incluindo o processo de revisão e treinamento das equipes) custaria cerca de US$ 100 milhões. A operação destes dois navios durante 10 anos talvez custasse uns R$ 10 milhões por ano (incluindo o pagamento das tripulação, manutenção, combustível, etc). No total, seu custo seria de algo em torno de US 150 milhões. Com este valor, a MB poderia contratar a construção de duas novas NaPaOc (com hangar para helicóptero), modernas, mais baratas de operar e mais efetivas.… Read more »

Teropode

No osso ou no pó , não interessa …o que está em jogo é a necessidade urgente da Grécia em obter 2 navios para fazerem um contra-ponto a Turquia , portanto eles não podem esperar por mais ,8 anos para obter suas primeiras f ágatas , isto justifica pegar estas 2 ” sucatas” que possuem armamentos superiores a qualquer coisa que a MB sonha neste momento . A MB pode esperar 30 anos pelas Tamandares , a Grécia tem um inimigo que só está esperando ela piscar , para contestar suas águas , são realidades diferentes em G.N.G !

Claudio Moraes

A frota da marinha está delapidante, e do jeito que está, será muito penoso ficar mantendo os atuais meios em vigência operacional por muito tempo. Somado – se a isso, os custos ficam muito caros. Pois a cada tempo, a escassez das peças se tornam um desafio. Neste sentido, e mesmo com o início da construção das fragatas leves Tamandarés, vejo como aceitável a aquisição de meios usados dada a atual conjuntura da frota de combate de superfície. Essas type 23 estão surradas certamente. Porém em uma hipotética oferta, isto claro, com um bom pacote de atualização, não vejo mal… Read more »

Taso

Eu gosto dese projeto. Pode ser melhor ou pior armado, depende do interesse, tem um bom espaço para melhorias.

Éder Costa

A Marinha do Brasil poderia aproveitar esse momento e fazer um esforço para comprar essas duas fragatas e aqui poderiam até fazer o papel de destroyers, formariam uma ótima dupla de escoltas para o nosso Porta – Helicópteros Atlântico

- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -