terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

Fragata alemã Bayern dirige-se ao Mar da China Meridional em meio a tensão com Pequim

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

BERLIM, 2 de agosto (Reuters) – A Alemanha enviou na segunda-feira um navio de guerra ao Mar da China Meridional pela primeira vez em quase duas décadas, juntando-se a outras nações ocidentais na expansão de sua presença militar na região em meio ao crescente alarme sobre as ambições territoriais da China.

A China reivindica faixas do Mar da China Meridional e estabeleceu postos militares avançados em ilhas artificiais nas águas que contêm campos de gás e pesca abundante.

A Marinha dos Estados Unidos, em uma demonstração de força contra as reivindicações territoriais chinesas, conduz regularmente as chamadas operações de “liberdade de navegação” nas quais seus navios passam perto de algumas das ilhas contestadas. A China, por sua vez, se opõe às missões dos EUA, dizendo que elas não ajudam a promover a paz ou a estabilidade.

Washington colocou o combate à China no centro de sua política de segurança nacional e busca reunir parceiros contra o que considera as políticas externa e econômica cada vez mais coercitivas de Pequim.

Autoridades em Berlim disseram que a Marinha Alemã se manterá em rotas comerciais comuns. A fragata também não deve navegar pelo Estreito de Taiwan, outra atividade regular dos EUA condenada por Pequim.

Mesmo assim, Berlim deixou claro que a missão serve para enfatizar o fato de a Alemanha não aceitar as reivindicações territoriais da China.

A Alemanha está caminhando na corda bamba entre seus interesses econômicos e de segurança, já que a China se tornou o parceiro comercial mais importante de Berlim. As exportações alemãs ajudaram a mitigar o impacto da pandemia COVID-19 na maior economia da Europa.

A ministra da Defesa alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer, viajou para o porto de Wilhelmshaven para ver a fragata Bayern em sua viagem de sete meses que a levará para a Austrália, Japão, Coréia do Sul e Vietnã.

O navio deverá cruzar o Mar da China Meridional em meados de dezembro, tornando-se o primeiro navio de guerra alemão a passar pela região desde 2002.

“Queremos que as leis existentes sejam respeitadas, que as rotas marítimas sejam livremente navegáveis, que as sociedades abertas sejam protegidas e que o comércio siga regras justas”, disse Kramp-Karrenbauer.

Países como Grã-Bretanha, França, Japão, Austrália e Nova Zelândia também vêm expandindo suas atividades no Pacífico para conter a influência da China.

Ministra da Defesa alemã Annegret Kramp-Karrenbauer foi se despedir da tripulação da fragata Bayern

- Advertisement -

94 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
94 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

Os alemães devem tomar cuidado para não terem seu primeiro navio afundado desde a Segunda Guerra.
Agora, esse é um dos constrangimentos que os EUA impõem a seus aliados.
A Alemanha não está nem aí para o que acontece no Mar do Sul da China e já avisou que ficar longe de Taiwan e vai passar apenas por rotas comerciais.

Bosco

Você endeusa muito o poder americano e subestima muito os outros países. A Alemanha faz parte de uma aliança militar com os EUA e mais uns 20 outros países e tem obrigação para com ela. Se a Alemanha não quiser passar por esse “constrangimento” se retire do Tratado e se alie aos Russos e Chineses e peça proteção deles no caso de alguma atitude mais açodada dos americanos. Temos certeza que russos e chineses irão aceitar de bom grado e todos viverão felizes para sempre longe do jugo imperialista.
Simples assim!

Antoniokings

Talvez quando acabar a ocupação americana na Alemanha ela faça isso.
Agora a Alemanha tem a difícil tarefa de agradar os americanos e aumentar suas pujantes relações com a China.
Aí, está sujeita a situações bizarras como essa de mandar um simples navio passar longe de qualquer problema em relação aos seus maiores parceiros comerciais.
E avisar: ‘Não quero problemas’.

Teropode

Que ocupação ? Sikamente falando né ! A Alemanha tá é preocupada com a saída das tropas americanas de lá , além do mais é esta ocupação que impediu as Alemanha de se transformar na velha República oriental , cheia de fome …

Bruno

Com toda essa pressão em pouco tempo a china irá recuar de suas pretensões.

MestreD'Avis

Tem que ser assim, pintar o “ocidente” como mau e os outros como poderosos mas bondosos.
Dificil seria explicar porque em 1989 as pessoas correram para o lado do muro “ocupado” pelos americanos

Allan Lemos

Os alemães devem tomar cuidado para não terem seu primeiro navio afundado desde a Segunda Guerra.

Já ouviu falar no Artigo 5 da NATO?

Antoniokings

Os alemães já batizaram essa ‘operação’: ‘Me deixem fora dessa.’

Teropode

Vc sentiu o golpe e o cheiro não é agradável !

Antoniokings

‘Deutsche Welle

Alemanha é o principal parceiro da China na UE
Grande mercado em forte crescimento, a China é um cobiçado parceiro em todo o mundo. O comércio exterior com a Alemanha cresce constantemente e não há firma alemã que não esteja investindo pesado na região.’
.
https://www.dw.com/pt-br/alemanha-%C3%A9-o-principal-parceiro-da-china-na-ue/a-1207522

Deixem os americanos brincarem de Liga da Justiça enquanto a China enfuna as velas.

Augusto L

Vc ja olhou a balança comercial alemã?

Sim, a China realiza mais trocas com a Alemanha do que os EUA, so que os Alemães exportam o dobro para o mercado consumidor americano que é o tripo do chines, na verdade é maior que o chines, europeu e japonês combinados.

A China só é a “maior parceira comercial” da Alemanha porque ela entope o mercado com manufatura low tech. Os EUA como mercado pelo que disse acima são mais importantes.

Só para voce saber a Daimler tem sua maior receita vindo dos EUA. Chora Kings

Antoniokings

Só por causa disso, vou buscar os dados das balanças chinesas e alemães.
Aguarde.
rsrs

Antoniokings

Segundo o CIA WorldFact Book

Exportações da Alemanha (2019)- EUA 9%, França 8% e China 7%
Importações – Holanda 9%, China 8%, França 7%…… EUA 5%.

Antoniokings

Só que em 2020, o Destatis (Departamento Federal de Estatísticas da Alemanha) anunciou que a China, pelo quinto ano consecutivo, era o maior parceiro comercial da Alemanha com uma corrente de comércio de US$ 256 bi.
Apesar disso, as exportações alemães para os EUA continuam maiores do que para a China em que pese a corrente total (importações + exportações) seja maior com a China.

WSilva

Alemanha, Itália e Portugal se pudessem ficaram é neutros nessa guerra comercial, até mesmo o Reino Unido mas este é orgulhoso demais.

Por isso quando vejo Alemanha indo pro mar do sul da China, até mesmo os alemães devem ficar constrangidos, imagine se daqui a pouco acontecer com Itália e Portugal…Penso que a China também não deva pegar pesado com esses aí, a relação entre eles é mais amigável, existe uma mão oculta empurrando essa turma aí pra fazer um showzinho no quintal chinês.

Mk48

Prezado Kings, saudações !
.
“esse é um dos constrangimentos que os EUA impõem a seus aliados.”
.
Mais conciso que isso, só desenhando . 👍👍👍👍
.
Abs flamenguistas ! Rsrsrs

Antoniokings

Prezado Mk48

Estava sumido!
Decerto comemorando as vitórias!.
kkkkkk

SDS tricolores.

Burgos

Boa tarde Kings
Tava nada !!!
Ele tava trocando “gentilezas” nos outros posts !!!😏
Aí MK !!!
Assim o profeta aí no RJ falava !!!
“Gentileza gera gentileza”
Tá difícil viu ?!
Bem que vc falou !!!
Aqui cada dia que passa tá ficando difícil !!!
Ainda bem !!!
De tudo que eu sei, nada sei !!!👍

Antoniokings

kkkkkk

Mk é gente boníssima, apesar de flamenguista.

MestreD'Avis

Portanto, um navio a navegar por águas internacionais que a China reclama como suas porque acha que sim deve ser afundado?
Não é a China protestar nos locais devidos?
Não é avisar o navio para se retirar?
É afundar?

Antoniokings

Como dizem na minha querida Minas Gerais, onde estive esse final de semana: ‘Pra modo de ‘dizê’ “.

Teropode

Não se fala isto aqui a uns 110 anos , vc tem que se atualizar , esqueça um pouco o mandarim …

Helio Eduardo

Kings, Aprecio cada vez mais debater contigo, pois eu e você estamos em lados opostos. Logo, o debate é interessante. Mas devo dizer que nada seria mais proveitoso para os adversários da China do que um ato como esse, uma agressão armada em águas internacionais, um ato ilegítimo. E a China pode até ter 100% de certeza de que deveria faze-lo, mas sabe, e muito bem, que seria derrotada. Vejamos a agenda dessa semana de 02/08 a 06/08/2021: EUA, Japão, Reino Unido e Australia fazendo exercícios, Alemanha anunciando que vai mandar um navio para a região (muito mais simbólico do… Read more »

Antoniokings

Prezado Helio

É isso.
Em que pese situações opostas, o debate educado e embasado é sempre saudável.
Gosto de utilizar termos e situações hiperbólicos para estimular o debate ou trazer à realidade os incautos ou iludidos.
Evidentemente que pode não acontecer nada disso, mas traz à tona um debate interessante com diversos pontos de vista.

Saudações!

WSilva

Você está supondo que os demais países irão arriscar o pescoço contra a China como uma especie de escudo para os EUA, a chance disso acontecer é minúscula pois a China não irá disparar primeiro, com exceção de taiwan, mas isso é uma questão interna, logo levante a mão aí quem está disposto a morrer por taiwan para defender a ilha…? Já vimos esse filme antes, a causa dos ocidentais é vazia, não há como lutar por algo que você não acredita. Infelizmente para os EUA, não existe no subconsciente do mundo de que a China é a nova URSS… Read more »

Last edited 1 mês atrás by WSilva
Helio Eduardo

Prezado, A hipótese do AntonioKings era o afundamento do navio alemão por forças chinesas. Eu não supus nada, apenas lembrei de que tal fato seria uma agressão a um país membro da OTAN e a OTAN responderia em bloco. Onde fiz suposições foi no que chamei de “aliados de oportunidade”, ou seja, aqueles que, fisicamente próximos à China, são ameaçados pelo seu expansionismo. Então vamos estressar o cenário proposto: fragata alemã é afundada por forças chineses naquilo que só a China considera seu espaço territorial. Seria, portanto, um ato flagrantemente contrário ao Direito Internacional. Fato: a OTAN vai responder à… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Helio Eduardo
WSilva

Esse cenário apontado é completamente fora da realidade, e mesmo se acontecesse, a China seria derrotada, claro que sim, mas países inteiros seriam devastados, e os primeiros seriam Japão, Coreia do Sul e Austrália, é aí que está o X da questão, eles estão dispostos a ser aniquilados por conta de 1 návio afundado em águas chinesas(de acordo com a China)? Eu poderia ainda colocar a Índia nesse pacote que tem sérios problemas com o Paquistão, que por sua vez não perderia a oportunidade de colocar a Índia de joelhos. Os EUA também não saíriam impunes, tanto em seu território… Read more »

Helio Eduardo

Não tenho dúvidas de que a China partiria para o tudo ou nada.

A derrota dela seria a ruína de muitos, mas o que podem fazer Japão, Australia e Coreia do Sul se a OTAN partir para cima da China? Não dá para ficar na torcida de que não serão arrastados para a guerra.

WSilva

Eu também acho que serão arrastados mas não porque querem mas sim porque serão obrigados, eu não vejo toda essa vontade e capacidade de outros países em conter a China, vejo tudo isso mais como os EUA entrando em modo alerta acionando seus peões para ganhar tempo e retardar o avanço chinês de alguma forma… Mas é aquela coisa, a destruição da China pode custar a existência de muitos países ali daquela região.O problema é, eu também não acho que os EUA se importante em perder seus ”peões” para destruir seu rival maior atual, seria um sacrifício aceitável para eles,… Read more »

Helio Eduardo

Eu não enxergo os EUA como esse vilão todo. São uma superpotencia (esse termo ainda existe?) e agem assim. O outro lado da moeda é que os aliados, às vezes gostando, às vezes odiando, se garantem no hard power das FFAAs americanas. É uma relação de troca, mas em certa medida injusta e movida por interesses. Tod mundo opideia os EUA, mas não se arriscam a viver sem ele. Não consigo imaginar uma Europa majoritariamente alinhada aos EUA por submissão, e sim por interesse, ainda que esse interesse implique em certa submissão. Afinal, quem segurava a URRS e, agora, segura… Read more »

WSilva

Começando de trás pra frente, caso aconteça um conflito de larga escala na Ásia(o que eu duvido, mesmo caso a China afunde algum navio por lá), a Coreia do Norte seria obrigada a ajudar a China pois sua existência depende da China, logo a Coreia do sul teria grandes problemas assim como o Japão. A Rússia tentaria se manter fora, mas a medida que o caos é gerado teria que escolher um lado, e eu não acho que esse lado seria dos EUA pois é sabido que a Rússia sem a China, seria facilmente dominada pelo ocidente economicamente, logo com… Read more »

Mk48

Tenha a certeza de que o Kings é um dos poucos que debatem aqui com argumentos e com inteligência e argumentos muito acima da média dos zé ruelas que postam aqui.

Teropode

Opas , falou o jenio concursado 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

PACRF

Antoniokings, desde 1948 até os anos 1980 a China foi um país fechado. Posteriormente, fez reformas econômicas e se abriu para o comércio internacional. Cresceu e ultrapassou economias fortes, tais como: França, Alemanha, Reino Unido, Itália e Japão, inclusive o Brasil. Tornou-se a segunda maior economia do mundo. É possível que se torne a maior economia do mundo até 2030. O problema é econômico, pois os EUA e seus aliados (OTAN) não conseguem frear o crescimento e a influência econômica da China, bem como o crescimento de suas forças de defesa. Forças tarefas navegando ao largo de suas águas territoriais… Read more »

Last edited 1 mês atrás by PACRF
Antoniokings

Prezado PACRF Façamos uma pequena simulação com valores aproximados. A economia chinesa em PPP, é de cerca de US$ 25 tri. a população é de 1,4 bi de pessoas. O crescimento chinês esperado para os próximos anos é de 4,5% a.a. Agora, vamos pegar o conjunto dos principais países da OTAN. EUA – US$ 20 tri, 330 milhões de hab e crescimento esperado de 1,5% a.a. Alemanha – US$ 4,3, 82 mi, 1,5% a.a. França – US$ 2,9 tri, 65 mi, 1,5% Inglaterra – US$ 3 tri, 64 mi, 1,5% Não é difícil imaginar que esses níveis de crescimento o… Read more »

Rui

Você esqueceu a India e subestima os EUA e a capacidade das forças europeias. A França tem mais porta-aviões que a Rússia e modernos, a UK também tem 2 porta-aviões. A UK tem o submarinos mais sofisticado do mundo e não detetável. A Rússia depende economicamente da Alemanha. Quanto à China, uma agressão à fragata Alemanha, seria um pretexto para os EUA armarem os países da região, Taiwan receberia sistemas sofisticados de defesa e os outros países do pacifico iriam aumentar os seus gastos com a defesa e isso não iria interessar à China. A armada chinesa em caso de… Read more »

Jagdverband#44

Isso ai camarada Kings!
Marinheiros alemães enviados para a morte!
Parece que estamos em 1939 – 1945.
Triste…

Antoniokings

Parece ser essa a mentalidade dos americanos.

Inimigo do Estado

Não sei o que se passa com estes europeus, podem juntar todos não dá metade da frota chinesa, querendo cantar de galo naquela região.

Antoniokings

Eu acho que apenas ‘mise en scène’.
Mês que vem vai uma comissão encher as burras de dinheiro no mega mercado chinês.

Joli Le Chat

Tem uma parada em Shanghai ali no mapa… Por que haveria um navio afundado? Missão de paz, tranquila, com parada no suposto adversário.

Bruno

A china que é se cuide, o caldo esta engrossando para os chineses.

Rodrigo

Parece que as lideranças da OTAN estão mandando um recado para a China.

WSilva

O problema de se alinhar com os EUA é justamente esse, eles lhe obrigam a fazer coisas que você naturalmente não tem interesse de fazer, chega a ser contrangedor Alemanha, Reino Unido, Japão, Índia colocar návios de guerra no mar do sul da China, o efeito disso na pratica é zero para a China, mas por outro lado infla o ego dos EUA em relação a mandar cada vez mais em seus vassalos. Resta saber até onde vai essa vassalagem, entrar em guerra com a China pelos EUA? Acho que nem mesmo o Japão um país ocupado pelos EUA cometeria… Read more »

Helio Eduardo

Se o efeito fosse “zero” para a China ela parava de esbravejar e prometer “destruição” nunca antes vista…

Eles reclamam porque, na prática, (ainda) nada podem fazer.

Quem der o primeiro tiro perde a “razão” e, como eu disse lá acima, se o primeiro tiro for chinês, meio mundo vai ficar contra. Se o primeiro tiro for norte-americano, eles ficam sozinhos.

Last edited 1 mês atrás by Helio Eduardo
WSilva

Efeito zero na questão militar, aquela região está dominada pela China militarmente, não há chance de derrotar a China no seu quintal sem uso de armas nucleares, logo o máximo que podem fazer é desfilar seus navios naquele mar.

O problema é que a marinha chinesa está crescendo e vai crescer muito mais, não vai demorar muito para a China usar a mesma desculpa de ”liberdade de navegação” em outros mares.

Jacinto

Se aquela região fosse dominada pela China, Taiwan já teria sido invadida.

WSilva

Geopoliticamente falando ainda não é viável a reunificação de taiwan, a não ser em casos extremos caso a ilha ataque a China(improvável) ou caso o governo de taiwan decida declarar independência de forma oficial, e aqui não é tão improvável como parece, existe uma ala forte no DPP querendo isso, algo que vai contra a maior parte da população de taiwan que quer manter o status quo e até mesmo contra o KMT que também prefere manter o status quo mas não é contra uma reunificação pacifica. Mao Ze Dong previu que taiwan voltaria a China em 100 anos, e… Read more »

Jacinto

Eu acredito no caminho oposto. A cada geração que passa, menos os taiwaneses se consideram chineses. E o movimento que vê distinção entre as identidades nacionais da China e de Taiwan – chamado de “nacionalismo taiwanês” – está crescendo rapidamente, especialmente na população mais jovem. Na verdade é o mesmo movimento que levou à independência dos EUA ou mesmo do Brasil – ou historicamente mais próximo de nós – o processo pelos quais as famílias de imigrantes se tornaram brasileiras. A família do meu vizinho de infância (que ainda e meu amigo) é um exemplo disso: o avô dele era… Read more »

WSilva

Entendo o que você quer dizer, o problema do chinês de taiwan não é a China continental mas sim o PCCh, é uma questão politica. Quem mora em taiwan continuará sendo chinês(biologicamente e culturalmente). Jamais conseguirão se livrar disso enquanto não se misturarem com outras raças, mudar o idioma e modificar a cultura de forma radical pois os laços são fortissimos, inclusive na questão comercial, China é o maior parceiro comercial de taiwan. Em relação aos brasileiros e americanos, não vamos esquecer não, no sul do país tem muito brasileiro que se considera mais italiano e alemão do que propriamente… Read more »

Jacinto

Mesmo entre os eleitores do KMT, o apoio à reunificação é posição minoritária. Tanto os eleitores do KMT quanto do DPP, em sua maioria, preferem a manutenção do status quo, ou seja, nem querem declarar a independência (o que provavelmente provocaria uma guerra) nem querem reunificação. O que vai acontecer depende muito da percepção que os taiwaneses que hoje têm seus 20-40 anos anos têm/terão da China.

Matheus S

A China já definiu claramente as condições para uma reunificação militar, e Taiwan e EUA sabem dessa condição. Portanto, até que Taiwan realmente viole essas condições, a reunificação pacífico ainda está em jogo. Em segundo lugar, só porque você pode fazer algo, não significa que você deveria fazer. Qualquer conflito armado é arriscado e a paz é sempre preferível à guerra. O ponto chave para tudo isso é com relação a intervenção dos EUA em Taiwan. A ideia de que uma guerra rápida impedirá a intervenção dos EUA é o pensamento dos anos 90, e isso porque a China não… Read more »

Jacinto

A chance de uma reunificação pacífica é quase nula. Hoje, a ampla maioria dos taiwaneses não quer a reunificação, mas o que torna a reunificação pacífica realmente improvável é o fato de a rejeição a ela aumentar conforme diminui a faixa etária. Ou seja, conforme o tempo passa, a rejeição à reunificação aumentará entre os taiwaneses. Atualmente esta situação é tão óbvia que até a mídia estatal chinesa (Global Times – https://www.globaltimes.cn/content/1209043.shtml) admite que a reunificação pacífica é improvável sem “pressão”. Agora, a manutenção da situação atual (status quo) – que é o desejo da maioria dos taiwaneses e dos… Read more »

Matheus S

Na própria matéria afirma que a China não perderá a oportunidade de resolver a questão de Taiwan de modo pacífico, é exatamente isso que falei no comentário anterior, até porque as condições chinesas para a resolução na base da força militar já foram dadas. Sim. O que você disse sobre o tempo é o que conta. Eles provavelmente tem um tempo de até 2049 resolver essa questão de Taiwan. Mas, até lá, se não for resolvido a questão de via militar, pode ser resolvida de modo pacífica. Mas você está enganado se o tempo é favorável aos EUA e Taiwan.… Read more »

Jacinto

Matheus,
O taiwaneses que não querem a reunificação já se consideram independentes – porque, de fato, são independentes da China. São governados por políticos que eles elegem democraticamente sem influência chinesa; vivem sob leis aprovadas por seus parlamentares, também democraticamente eleitos sem influência chinesa. Seu padrão de vida é superior aos dos chineses e a renda mais bem distribuída. A China não consegue exercer nenhum poder soberano sobre Taiwan ou os sobre os taiwaneses e isso está bom para a maioria dos taiwaneses porque é, de fato, independência.

Matheus S

Eu teria cuidado de fazer essas afirmações. Macau e Hong Kong também eram desenvolvidos e foram devolvidos para a China. Particularmente sobre Hong Kong, o fato é que a China não respeitou o acordo com os ingleses garantindo a autonomia até o final dos anos 40 desse século. Hoje, Hong Kong já é de fato da China. O movimento de liberdade lá era muito grande e continha amplo apoio popular, portanto, essa suposta recusa em reunificação não me diz absolutamente nada. Só para registrar, quem entregou Hong Kong foram os políticos, a soberania popular foi ignorada, e os amplos movimentos… Read more »

Jacinto

Matheus, É difícil ver paralelos entre Taiwan e Hong Kong na questão da reunificação da China porque há uma diferença elementar entre os casos que é a representatividade política da população nos respectivos processos. Como você bem pontuou, quem devolveu Hong Kong à China ignorando o desejo da população foram os políticos – e mais especificamente, a Margareth Thatcher. Mas isso aconteceu porque os “hong kongers” não eram cidadãos britânicos e a Margareth Thatcher era completamente indiferente a eles (para ser justo, há quem diga que ela também era indiferente aos próprios cidadãos britânicos, mas esta é outra conversa). A… Read more »

Matheus S

Pelo que eu conheço da política lá, existem 3 partidos que se definem como pró-China. Só que isso não define a real influência chinesa em Taiwan. Hoje, o partido que estava no poder desde os 70, o Kuomintang perdeu as eleições gerais e principais para o DPP, o DPP, um dos maiores partidos de Taiwan que tem alguns afiliados que se definem como “pró-China que ama Taiwan”, um deles é o atual vice-presidente de Taiwan, Lai Ching-te. Se um político desses assumir a presidência, a chance de realizar grandes concessões para a China é muito grande, ele mesmo já disse… Read more »

WSilva

A maioria das armas americanas vendidas para taiwan são de segunda linha, as FA de taiwan são fraquíssimas comparadas às da China. Não há menor chance de taiwan resistir uma ataque chinês, quando a China quiser entrar, vai entrar e liquidar a fatura rapidamente. Em relação a uma intervenção dos EUA, eu duvido que aconteça. Já disse lá em cima, vá nos EUA e pergunte para as pessoas se elas estão dispostas a morrer por taiwan, de 10 soldados americanos, quantos estão dispostos a morrer por taiwan? A causa é fraca e vazia, não se sustenta, não há porque lutar… Read more »

Jacinto

Achar que tanques M1A2, caças F-16 Block 70, torpedos Mk-48, misseis SLAM-ER, baterias Patriots PAC3, misseis Harpoons são materiais de segunda linha é uma opinião bem peculiar.
Na verdade sempre que surge o assunto de Taiwan, as pessoas dizem que se a China quiser invade, vai ser uma moleza, etc.; mas ninguém nunca respondeu: se é tão fácil e simples, porque não fizeram ainda? Parece aquela personagem do Chico Anysio – o Bento Carneiro, o vampiro brasileiro: “se eu querer”…

Matheus S

mas ninguém nunca respondeu: se é tão fácil e simples, porque não fizeram ainda?”

Respondido lá em cima. A condição para a invasão já foi dada.

Jacinto

É uma condição que não vai se implementar nunca porque ninguém ali é besta. Mas se a condição para uma invasão chinesa não se implementar, isso também significa que a China não exerce soberania sobre Taiwan.

Antoniokings

Então, porque Taiwan não declara independência?
Por que os EUA reconhecem a posição chinesa de apenas uma nação?
Logo essa situação estará resolvida.
Por enquanto, à China não interessa mudar muita coisa.
Deixe como está que está bom.

Jacinto

E qual vantagem Taiwan teria declarando sua independência que já não tem como as coisas estão hoje? Há muitas situações em que a formalização (ou regularização) de uma situação de fato gera mais problemas do que permanecer na informalidade e este certamente é o caso de Taiwan. Eles são independentes de fato, declarar independência cria confusão sem tem em contraprestação nenhum benefício real. E isso também explica a posição dos EUA: nem Taiwan, nem os EUA – aliás você parece obcecado com os EUA – têm interesse em mudar o status quo. A verdade é que, pacificamente, a chance de… Read more »

Matheus S

Quais situações em que a formalização da independência de Taiwan iria gerar mais problemas?

Pelas suas afirmações, Taiwan já é de fato independente da China. Então, quais seriam essas situações.

Jacinto

Taiwan, para formalizar sua independência, teria fazer a “declaração de independência” que a China sempre afirmou ser o gatilho para uma invasão às ilhas; o problema de formalizar a independência de Taiwan, portanto, seria uma guerra por lá.

Antoniokings

Pois então, deixe como está que está bom.
C.q.d.

Jacinto

O “está bom”, é sempre relativo. Está bom para quem? Para Taiwan, está bom. Para quem considera Taiwan uma província rebelde, nem tanto.

WSilva

Na verdade é o contrário, o tempo está a favor da China, a China só tende a crescer, taiwan vai pra onde? Não tem mais pra onde crescer, não consegue mais apoio internacional a não ser quando se coloca na posição de vassalo de algum outro país, é o caso com os EUA que vende armas de segunda linha para a ilha por um preço exorbitante inclusive gerando muitas perguntas dentro do KMT, qual será o custo dessa subservencia do DPP? O problema hoje de taiwan se chama DPP, são eles que querem ir contra os chineses de taiwan que… Read more »

Matheus S

Isso não é diferente do que eu já falei. Portanto, a reunificação pacífica ainda está na mesa. Conforme eu já disse, existem “n” formas de se concretizar a reunificação, e não apenas por meios políticos.

WSilva

Reunificação pacifica está na mesa mas não com o DPP, com o DPP será reunificação à força caso eles cruzem a linha vermelha.

Caso o KMT volte a governar a ilha na próxima eleição, aí sim a China terá uma boa janela para negociar uma reunificação pacifica, mas com o DPP só será na base do chumbo grosso.

Last edited 1 mês atrás by WSilva
Helio Eduardo

“Efeito zero na questão militar, aquela região está dominada pela China militarmente, não há chance de derrotar a China no seu quintal sem uso de armas nucleares, logo o máximo que podem fazer é desfilar seus navios naquele mar.”

De acordo!

“O problema é que a marinha chinesa está crescendo e vai crescer muito mais, não vai demorar muito para a China usar a mesma desculpa de ”liberdade de navegação” em outros mares.”

É o caminho natural, mas acho que ela chegou muito tarde no ringue….

Fernando C. Vidoto

Diplomaticamente a China perde para os EUA. Essa é a mensagem.

WSilva

Também. Mas eu vejo de uma outra forma, a mensagem dos EUA é: ”China, primeiro você precisa acabar com todos esses ”peões” aí para depois chegar até mim.”

Mas tem um porém, eu realmente não sei até onde essa vassalagem vai, enquanto se trata apenas de desfilar návios ali na região, tudo bem, agora arriscar o pescoço numa guerra convencional ou nuclear, ou até mesmo para defender taiwan, eu estou pagando para ver quem vai se atirar primeiro como ”escudo” dos EUA contra a China ou até mesmo contra a Rússia..

Antoniokings

Economicamente, os EUA já perderam para a China. Essa é a realidade.
E é o que interessa à Alemanha e aos europeus.
Não custa lembrar que a U.E. é o segundo maior parceiro comercial da China, depois da ASEAN.
Os EUA estão agora em terceiro.
E, se não me engano, são os maiores investidores estrangeiros em terras chinesas.

Fernando C. Vidoto

Pois é Antonio. Não importa nossa torcida, meros mortais tupiniquins. Isso não altera o desenrolar geopolítico e o fato da Alemanha enviar um navio para o mar da China seguindo as diretrizes OTAN.

Att.

Nascimento

Confunde influência econômica com política. :/

Taiwan baseado nessa lógica, deveria ser esfera de influência chinesa…

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Jacinto

O maior parceiro econômica da Alemanha nazista, em 1940, era a URSS.

Antoniokings

E o que importa, ao final?
Vc fazendo ameaças militares com os bolsos vazios ou rico sofrendo ameaças que não vão dar em nada?

Teropode

Que bom que vc da vida boa ao padeiro , taxista , frentista , médico ……mi casa és tu cada , pare de bobagem , fazer negócios não te obriga a abrir as preg*** .

Last edited 1 mês atrás by Teropode
Afonso

Que bela fragata essa alemã, muito bonita!

Sincero Brasileiro da Silva

Mandaram só um? Por favor, mandem mais! Que miséria…

Pedro Bó

Não basta a OTAN ter trabalho com os russos, agora tem que mostrar bandeira do outro lado do mundo.

Corrijam-me se estiver errado, mas a Organização surgiu como um pacto de defesa contra uma eventual ameaça militar soviética e de seus aliados e posteriormente/atualmente dos russos. Então, por que carambolas vão se meter com os chineses?

Se a China estivesse ameaçando a navegação em Gibraltar, no Bósforo, no Mar do Norte, seriam outros quinhentos.

Jacinto

Porque ser relevante no cenário mundial exige poder militar, e poder militar precisa ser exibido para ser considerado.

Antoniokings

Essa é a questão.
Os americanos estão querendo usar a OTAN para combater a ascensão chinesa na esteira de sua decadência.
Só que a Alemanha e a França perceberam.
Merkel foi taxativa em refutar qualquer atrito com a China e até com a Rússia.
Macron, por seu lado, enfatizou que a OTAN está em morte cerebral.
Tenho certeza absoluta que os interesses europeus na China vão se contrapor, amplamente, à malandragem americana.

Emmanuel

Essa fragata, sozinha, afunda metade da marinha chinesa.
Duas, afundam a frota toda.
E se a Alemanha mandar a frota toda, afunda a chinesa e russa juntas.
O resto, é choro de Kings.
O choro é livre e o mar da China não é chinês.

Hcosta

Também não é preciso exagerar. A China tem navios melhor armados do que qualquer fragata.

Sincero Brasileiro da Silva

E a Terra é plana…

Adriano Madureira

Qual é o entorpecente que você está usando meu caro?!

Ou será que foi apenas um sonho molhado que você teve?

Hcosta

A fragata vai parar em Xangai…
Não me parece que seja algo que implique uma guerra ou até mesmo uma provocação…

Zeus

“Autoridades em Berlim disseram que a Marinha Alemã se manterá em rotas comerciais comuns… também não deve navegar pelo Estreito de Taiwan…”

Revelar-vos-ei o que daqui de cima testemunhei! :

-Annegret: “Xi, vamos enviarr um navio aí para nossas aliadas mais ricas parar de encherr o saco. Mas vamos passarr bem longe.
-Xi: Sem problemas parceira, temos muitos bons negócios para fechar.

Adriano Madureira

“Se” a China hipoteticamente avariasse ou afundasse um navio alemão, muita coisa iria acontecer antes de algum país querer ao menos se apresentar para com suas obrigações quanto ao artigo 5 da otan…

Certamente haveria o conselho de segurança da onu, briga diplomática , chamada de embaixadores como desagravo e quanto a nato, certamente haveria uma reunião de emergência do conselho do atlântico para avaliar a situação e decidir qual rumo tomar.

Ou será que alguém acha que a resposta seria automática sem nem ao menos os representantes da aliança se reunirem?!

comment image

Anildo Silva

Ola amigos, uma pergunta de um leigo. Numa missao dessa, prevista para durar 7 meses, havera em algum momento troca da tripulacao? Caso contrario é uma demanda significativa para um marinheiro, principalmente se for um chefe de familia. Abs!!

M65

Achei interessante a cor do uniforme, marrom. Fica menos calor que o azul escuro, mas particularmente acho o cinza claro melhor ainda nas altas temperaturas externas.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -