quinta-feira, outubro 21, 2021

Saab Naval

Silent Forces Exercise 2021 treina tripulações na guerra antissubmarino

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Exercício Silent Forces Exercise – SIFOREX 2021, que está sendo realizado de 19 a 23 de setembro, têm como objetivo aumentar a interoperabilidade na Guerra Antissubmarino, permitindo à tripulações de unidades de superfície, submarinas e aéreas para o intercâmbio de conhecimentos, táticas e tecnologia entre os países participantes.

Na Operação SIFOREX, participam diferentes unidades da Marinha dos Estados Unidos, como o destróier USS Mustin e LPD USS John P Murtha, dois helicópteros MH-60R, submarino nuclear de ataque USS Columbia e um avião P-8 Poseidon.

Pela Marinha Nacional da Colômbia, participa a fragata ARC Almirante Padilla. Da mesma forma, a Marinha Nacional do México participa com o OPV ARM Benito Juárez.

Pela Marinha do Peru, participam os navios BAP Mariátegui, BAP Ferre, BAP Carrasco, BAP San Lorenzo, BAP Pisagua, BAP Islay, BAP Arica, um helicóptero SH-3H e dois aviões B-200.

ARC Almirante Padilla
ARC Almirante Padilla

ARM Benito Juárez

FONTE: SeaWaves Magazine

- Advertisement -

19 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando Veiria

Que bolacha bonita fez a Marinha peruana.

João Carlos

Bonita e com erro de ortografia…

Dalton

E não é que tem erro mesmo !

Teropode

O terceiro erre eh por questões de numerologia …

Alexandre Esteves

Vá ter olho clínico no reino de Netuno!

Bravo Zulu!

Dalton

Uma pequena correção…o USS John Murtha é um “LPD” e não um “destroyer”.

Roberto Sarge

caro Dalton, vc vive vendo fantasmas, no texto está lá LPD para o navio americano………….. releia o texto antes de querer corrigir………….. ah!!!!! Vc vai me corrigir, rsrsrrsrsr………. o navio é norte-americano, ou estadunidense, rsrsrsrsrsrs, que piada!!!!!!! E veja uma coisa, ” destroyer” é uma palavra típica americana, aqui no Brasil os traduzimos como “contratorpedeiros”.

Rafael

Em cada Nação da a função dos navios, um de 10 ton no EUA pode ser colocado como contratorpedeiros, e na outra Nação, um navio com o mesmo peso pode ser destroyer, cada nação tem seu proprios designações para navios com tal toneladas de pesos.

Last edited 28 dias atrás by Rafael
Dalton

Caro Sarge, originalmente no texto estava escrito que os dois navios seriam “destroyers” e no caso de se usar “americano” está implícito que são estadunidenses se o redator percebeu isso sozinho ou pelo meu aviso não dá para saber, as vezes, eles até agradecem essas correções. . O termo “contratorpedeiro” é um tanto quanto ultrapassado e sabe-se lá quando voltará a ser utilizado novamente, a última vez foram para os 4 “Garcias” adquiridos no fim da década de 1980 embora classificados como fragatas na US Navy,mas, entendo que se queira manter muitas vezes uma tradição. . O termo é um… Read more »

Gilmar

Parabéns pela resposta educada e pela pequena aula.

Vovozao

23/09/2021 – quinta-feira, bdia, mestre Dalton, estão veiculando que a marinha holandesa esta colocando na reserva, sua fragata HNLMS van Speijk, por falta de contingente para opera-la, aqui não teriamos este problema. Seria uma boa aquisição???? Foi comissionada em 95, dentro daquele padrao MB para compras oportunidades +- 25 anos; entretanto, seria uma única unidade.

Dalton

Bom dia “Vovô” ! De fato ela foi para a reserva, mas, isso não significa que ela será colocada a venda pois ela poderá vir a ser necessária até mesmo como fonte de peças
e embora esteja dentro dos parâmetros da marinha brasileira para aquisição de navios de segunda mão ao menos quanto a idade, 25 anos, acho que não é um bom momento
financeiro para aquisição e um navio a mais não fará muita diferença.
.
abraços

Vovozao

23/9/21 – bdia, Dalton, qual o momento é/seria bom para as FFAA’S no Brasil, quase sempre essas compras sao de gov/gov, fora orçamento, além de existirem muito pouco ou nenhum meio dentro dos parametros da MB, isso poderá deixar-nos sem nenhuma escolta; além de alguns dias atrás o MD, durante operação posedion, ter dito que a MB ira fazer parte da Força Tarefa no golfo da Guiné, a pergunta, com qual das 3 Niteroi’s, ou seja iriamos vestir um “”Santo”” com a roupa do “”Outro””????

Dalton

Vovô é da minha compreensão, certa ou errada que a marinha vem já faz tempo preparando-se para um cenário de operar ainda menos “escoltas” ao longo dessa década conforme um quadro confeccionado por ela e reproduzido aqui no “Naval”. . Já foi uma surpresa a “Greenhalgh” ter durado até 2021 e mesmo a “Niterói” ter sido oficialmente retirada apenas em 2019 e segundo informado tanto a “Rademaker” como a “Constituição” deverão ser as próximas. . Especula-se que se poderá ter 5 ou 6 “escoltas” ainda em serviço quando da incorporação da primeira “Tamandaré” quando então também se espera que a… Read more »

glasquis 7

Está na reserva operativa. o Navio fica ancorado mas com tripulação mantendo ele em condições de ser reativado caso exista a necessidade.

Um M Class é um ótimo navio mas, a MB precisaria implementar uma nova linha logística na sua operação.

Teropode

Aliás uma pergunta aos editores do naval ; Em qual link está aquela matéria que vcs postaram sobre um vôo rasante do B52 no meio da frota soviética ?

Teropode

Valeu 👍👍👍👍

Teropode

Este eu salvei 🤣, foi relendo os comentário que vi o meu fazendo uma referência ao acontecido , achei e foi em outro site , não vou postar link mas se quiser lê , aí vai o título : O dia que o B52 calou a Marinha soviética .

- Publicidade -

Últimas Notícias

Irã construirá novos submarinos

TEHRAN (Tasnim) - O comandante da Marinha Iraniana contra-almirante Shahram Irani revelou os planos do país para a produção...
- Advertisement -