sábado, maio 28, 2022

Saab Naval

Marinhas da China e de Singapura realizam exercícios conjuntos no Mar da China Meridional ‘aumentando a confiança e a cooperação’

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Uma força-tarefa de treinamento de mar distante de três navios de guerra avançados da Marinha do Exército de Libertação Popular da China (PLA Navy) conduziu exercícios conjuntos marítimos no Mar da China Meridional com a Marinha da República de Singapura  no dia 23 de setembro. O movimento, de acordo com especialistas, impulsionou as duas marinhas na ‘confiança mútua e aumentou o nível de cooperação militar entre os dois países.

Dando início ao exercício, a força-tarefa da Marinha do PLA, apresentando o destróier de mísseis guiados Typo 052D Hohhot, a fragata de mísseis guiados Type 054A Huangshan e o navio de reabastecimento abrangente Typo 903 Luomahu, se reuniu com as fragatas da classe “Formidable” RSS Steadfast e RSS Supreme em águas perto de Singapura, relatou a China Central Television (CCTV).

As duas flotilhas estabeleceram comunicação pela primeira vez, à medida que os navios de ambos os lados enviaram várias ondas de sinais táticos com uma taxa de sucesso de 100 por cento, disse a CCTV.

Os navios de guerra então praticaram a navegação em diferentes formações táticas, com o Hohhot à frente, de acordo com a reportagem, observando que o RSS Supreme também conduziu manobras de reabastecimento marítimo junto com o Luomahu.

Em outro exercício de treinamento, helicópteros baseados em navios chineses e de Singapura pousaram e decolaram uns dos outros, informou a CCTV, observando que o exercício foi um sucesso.

O capitão sênior Dong Renfeng, chefe do Estado-Maior da Força-Tarefa de Treinamento do Mar Distante da Marinha do PLA, disse que o exercício melhorou a comunicação profissional entre as marinhas dos dois países, aumentou a confiança mútua, aprofundou a amizade e contribuiu para a cooperação, mencionou a reportagem.

Um comunicado à imprensa do Ministério da Defesa de Singapura disse que os treinamentos são exercícios de passagem regulares e visam melhorar o entendimento mútuo e fortalecer a amizade com marinhas estrangeiras, permitindo que a Marinha da República de Singapura mantenha laços aquecidos com suas contrapartes, mesmo entre a situação atual do COVID-19.

Esta não é a primeira vez que as duas marinhas realizam um exercício conjunto este ano. Em fevereiro, a China e Singapura conduziram um exercício naval conjunto no Mar do Sul da China.

Os exercícios navais conjuntos da China com Singapura, um país da região do Mar da China Meridional, mostram que os dois países têm um alto nível de confiança mútua e cooperação que contribui para a paz e estabilidade regional, disse um especialista militar chinês, que pediu para manter o anonimato, ao Global Times.

Em comparação, países de fora da região, particularmente os EUA e o Reino Unido, estão enviando navios de guerra ao Mar da China Meridional para flexionar seus músculos e mostrar presença com suas próprias agendas, o que prejudica a paz e a estabilidade regionais, disse o especialista.

RSS Steadfast
Type 054A Huangshan
Type 054A Huangshan

FONTE: Global Times

- Advertisement -

23 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

Desenrolar natural da situação.
Ao final e ao cabo, os países da região perceberão (na verdade já perceberam) que será muito mais produtivo a união com a cada vez mais poderosa China, em vez países estranhos à região.

M.@.K

Lee Kuan Yew já previa esta aproximação já na década de 70 com relação a China, que sempre observou de perto as práticas internas de Singapura.

Antoniokings

Cerca de 75% da população de Cingapura são de origem chinesa.
Assisti um documentário sobre as atividades ocidentais para evitar que o País caísse sob influência chinesas após a independência.
Mas, com o desenrolar dos anos, as afinidades entre os dois povos de mesma vão prevalecer.

M.@.K

Exato.. e tem muitos analistas que dizem que a China observou muito o comportamento político de Cingapura, para ver os erros e acertos para eles mesmos porem em prática a política deles.

Mk48

Otimo comentário.

Jadson Cabral

Essa classe formidable é linda. Bem enxuta, com linhas simples e esbelta. Os ingleses e franceses sabem mesmo fazer máquinas bonitas.

Hcosta

Quem diria que são derivadas das La Fayette?

Oráculo

Singapura dá aula de geopolítica.

Faz exercícios militares com os EUA, com Reino Unido, com a China, com todo mundo que convidar.

Não querem guerra com ninguém.
Não querem ser alvo de ninguém.

E vão trabalhando a diplomacia a mil por hora.

M.@.K

Sua análise foi formidável… simples, objetiva mas que conseguiu sintetizar a política de Singapura.

Mk48

Na verdade resumindo muito, ele quis dizer : Cada um sabe onde seu calo aperta. ?

Emmanuel

Só kings que não sabe disso.

Antoniokings

Eu li e sempre concordei com esse ponto de vista.
A principal arma de países microscópicos como Cingapura é a Diplomacia frente aos vizinhos/eventuais oponentes gigantes (em relação a ela).
Agora, devemos analisar, e já externei esse posicionamento aqui, o motivo pelo qual Cingapura gasta bilhões de dólares em armamentos.
E não venham me falar que ‘se a Diplomacia falhar, estará preparada para a guerra’, porque Cingapura não terá a mínima chance.

Emmanuel

Concordo e até positivei seu comentário.
Mas entenda, Cingapura não vai querer vencer uma guerra contra a China, ela só vai mostrar que tal empreitada será demasiadamente pesada e cara, em vidas e equipamentos.
E por mais que você diga que a China tem meios e homens, até para ela fica complicado invadir um país que tem poder de infligir danos severos às suas forças.

Hélio

É a tática dos países pequenos, historicamente muito bem executada pela República de San Marino.

Oráculo

Creio que a Suíça representa melhor esse exemplo.

Não participou de nenhuma das guerras mundiais, apesar de estar no olho do furacão.
E ainda prestou “serviços bancários” para todos os envolvidos nos conflitos, antes, durante e depois das guerras.

Se existe país mais “bagre ensaboado” eu não conheço.

Last edited 7 meses atrás by Oráculo
Nascimento

Vejo certo desconhecimento da maioria acerca da neutralidade da Suíça e, principalmente seu nível de preparo (ainda bem que não é o caso de vocês). Não foi por acaso que o nazismo varreu toda a Europa na IIGM e deixou a Suíça incólume. TB não foi pelos bancos suíços guardarem dinheiro nazista não, foi puro pragmatismo. A Suíça é composta por um pequeno platô e o restante de terrenos acidentados, excelentes para defensores e terríveis para atacantes. Junte-se a isso excelentes FA, e o resultado é um pesadelo para qualquer atacante, até mesmo a Wermarcht. A força aérea Suíça derrubou… Read more »

Inimigo do Estado

Atropelaram os países balcânicos e a Grécia, que também possuíam grandes montanhas, não atropelariam a Suíça, ôh dó. Vale lembrar que a Suíça já foi dominada por Napoleão, então esse papo de que os alemães tinham medo das garruchas velhas dos suíços é balela.

Na verdade nem precisou invadir, assim como não invadiram a Suécia, Espanha e Portugal, não era estratégico para os alemães, como a Noruega, França, Dinamarca, e Grécia foram. Deram algumas toneladas de ouro, uns caças Bf-109 e os suíços ficaram quietos nas deles, mandando chocolate para a Alemanha e deixando os trens alemães circularem livremente.

Last edited 7 meses atrás by Inimigo do Estado
Nascimento

É dose acreditar que o Exército Vermelho, que varreu as tropas nazistas, que entrou em Berlim triunfante não conseguiria invadir umas florestas nevadas na Filândia É dose achar que a máquina de guerra dos EUA, com centenas de bomabrdeiros e milhares de caças não conseguiria ajoelhar os camponeses vietnamitas. Sugiro olhar um mapa da Suiça e nos msotrar um plano de como invadir o pais. Se a máquina de guerra alemã em 1940 conseguia invadir a Suiça? Acredito que sim, mas com umas centenas de milhares de baixas para pagar o preço. É claro que poderiam (nunca falei o contrário).… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Nascimento
Inimigo do Estado

Em qual escola você estudou história? Mesmo com um exército precário após as purgas os soviéticos venceram os finlandeses, que tiveram que ceder parte considerável de seu território. Sobre o Vietnã todo mundo sabe que os EUA foram burros jogando bomba no meio do mato, só para amedrontar o Vietnã do Norte, tanto é que com as Linebackers atacando alvos estratégicos depois de tanta cagada, os norte-vietnamitas foi correndo para Paris assinar acordo. Então os suíços iriam fazer os alemães sagrarem tanto como os países balcânicos, a Noruega, e a Grécia fizeram. Ou os defensores do forte Eben Emael fizeram… Read more »

Nascimento

Venceram? Esta brincando né? Os soviéticos levaram uma surra da Finlandia e o território cedido não tinha quase nenhuma importância estratégica. Essa é uma alegação ainda mais incorreta. Você diz que uma população armada da Suíça não seria páreo para a Wermacht. Se a única solução para o exército alemão — segundo você próprio — era bombardear completamente o país, igual fizeram na Grécia, então qual seria a vantagem de invadir a Suíça, cidadão? Pensa um pouco. Se você detonou completamente toda a infraestrutura do país, todo o capital físico e humano, e principalmente todo o sistema bancário, então o… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Nascimento
Pedro Bó

A atividade bancária de Singapura é interessante e primordial para os países supracitados. Por isso todos querem ter relacionamento cordial com o pequeno país, assim como com a Suíça.

WSilva

Deng Xiaoping disse que faria 1000 Singapuras dentro da China. Além disso, boa parte da população de Singapura são chineses, mandarim é um dos idiomas oficiais do país.

É muito melhor para os países daquela região entrar em acordo com a China(potência na área por mais de 2 mil anos) do que apoiar um mero intruso criador de caos.

Vitor

Esse painho de prejudicar a instabilidade é mentira. Na verdade o ocidente que está impedido roubo das águas ocidentais pela China.

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

EUA pretendem restringir a China moldando seu entorno, diz Blinken

O secretário de Estado dos EUA deu um vislumbre da estratégia confidencial do presidente Biden sobre a China, na...
- Advertisement -