terça-feira, dezembro 7, 2021

Saab Naval

Esquadrão VF-1 completa 23 anos de criação

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1) foi criado pela Portaria Ministerial nº 256, de 2 de outubro de 1998, contando com vinte e três aeronaves A-4KU e TA-4-KU, sendo ativado na mesma data, durante as comemorações pelos 82 anos da Aviação Naval.

Em 29 de julho de 1996, o então Ministro de Estado da Marinha encaminhou ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República, a carta de exposição de motivos n° 091/96 onde, com base na edição da Lei Complementar n° 069/91, que dispõe sobre o preparo e o emprego das Forças Armadas, participou que a Marinha havia iniciado seus esforços para a correção da grande deficiência com que convivia a Esquadra com a falta de uma arma de interceptação e ataque.

Pelo Decreto Presidencial nº2.538, de 8 de abril de 1998, que dispõe sobre os meios aéreos da Marinha e dá outras providências, foi estabelecido, no Art. 1º que: “a Marinha disporá de aviões e helicópteros destinados ao guarnecimento dos navios de superfície e helicópteros de emprego geral, todos orgânicos e por ela operados, necessários ao cumprimento de sua destinação constitucional”.

Em 30 de abril de 1998, foi assinado um “Purchase Agreement” entre a MB e o Governo do Kuwait para a obtenção de 20 aeronaves tipo A-4KU monoplace e 3 TA-4KU biplace.

Os A-4KU do Kuwait durante a Guerra do Golfo, em 1991

Os aviões e todo o seu material chegaram ao Brasil no dia 5 de setembro de 1998, no Porto do Forno, em Arraial do Cabo/RJ, de onde foram levados para a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA).

No 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1) os jatos A-4KU Skyhawk foram designados como AF-1 Falcão (monoposto) e AF-1A Falcão (biposto).

Durante a feira de defesa LAAD 2009 foi assinado um contrato entre a MB e a EMBRAER para modernização de 12 aeronaves, sendo 9 A-4KU Skyhawk (AF-1) e 03 TA-4 Skyhawk (AF-1A), visando manter as aeronaves operacionais até 2025.

Posteriormente, por razões orçamentárias, o número de aeronaves modernizadas foi reduzido para 6 unidades.

Após a modernização, os jatos receberam as designações AF-1B Falcão (monoposto) e AF-1C Falcão (biposto).

Os primeiros pousos de jatos AF-1 pilotados por brasileiros a bordo do NAeL Minas Gerais ocorrem em 18 de janeiro de 2001.

Em 30 de julho de 2001 ocorreu o primeiro pouso de AF-1 a bordo do NAe São Paulo.

Após a desativação do NAe São Paulo em 2018, o Esquadrão VF-1 passou a operar somente a partir de bases terrestres.

Jatos AF-1 Falcão da Aviação Naval

AF-1 pousando no NAe São Paulo

Novo cockpit do AF-1
Novo cockpit do AF-1

(E-D) O Presidente da Embraer Defesa & Segurança, JacksonSchneider, entrega maquete do primeiro AF-1B modernizado aoComandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira
O Presidente da Embraer Defesa & Segurança, JacksonSchneider e o então Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, durante a entrega do primeiro AF-1B modernizado, em 2015

AF-1B N-1013

Jato AF-1 da MB operando no litoral do Amapá

- Advertisement -

169 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
169 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Leonidas

Esquadrão? rs
Deve haver um, no máximo dois desses caças voando…

Camargoer.

Caio Leônidas. O “Esquadrão Classe A” tinha apenas quatro integrantes;

Vinicius 023

Comparação meio sem sentido.

Camargoer.

Caro Vinícius. É uma comparação nonsense que faz um trocado com a palavra “esquadrão”, que no caso da série também eram resquícios da guerra do Vietnan envolvidos em aventuras de ficção hollywoodiana. profundo né?

Inimigo do Estado

Prefiro o esquadrão suicida. Fiquei sem ar de tanto rir do doninha no final .

Teropode

Serio ? Da Alerquina vc teve Nojinho ? Kkkkkkk

Adriano Madureira

Geralmente, um esquadrão é composto por 12 a 25 aeronaves, e os A-4 SkyHawk estão muito longe disso…

Flanker

Vocês tem que ser um pouco menos literais…..tem que saber reconhecer uma ironia e uma brincadeira quando lêem as mesmas. O Camargoer brincou com a palavra Esquadrão. ….se um grupo de 4 pessoas é chamado de “Esquadrão”, por que 6 aeronaves não podem ser
esquadrão também? Entenderam?

Camargoer.

Olá Flanker. lembro de uma serralheria perto da casa dos meus pais que era especializada em esquadrilhas de alumínio.

Esteves

Esquadrias.

Ex quadrilhas especializadas…em Brasília.

Camargoer.

Olá Esteves. O problema nunca foram as ex quadrilhas, mas aquelas que estão ativas.

Carlos

Esquadrilhas” de alumínio, rs. Me fez lembrar de um quadro humorístico da TV onde um dos personagens era a Ofélia.

Flanker

Hehehehe…Boa! E temos, para os caipiras, a Esquadria da Fumaça…….

Mk48

😂😂😂😂😂😂

Samuca cobre

Pago 12 reais por kilo na sobra de ESQUADRILHAS de alumínio…

Mayuan

Geração com problemas sérios de leitura e mais sérios ainda de interpretação.

Mayuan

“Nunca serão”!
Capitão Nascimento

Fabrízio

Ótimo registro!

De nada!

Romão

Isso é um tapa na cara do contribuinte!

Teropode

Tapa na cara de contribuinte são as pensões , festinhas , inchaço de membros , bolsas família , auxílio paletó e os orçamentos secretos …

parabellum

Todo apoio. Enquanto políticos e dinheiro estiverem juntos, nós pagadores das contas dos desmandos e desvios estaremos f…….. e sem ter aonde recorrer.

Marcelo Andrade

Ou o que tem direitos os Parlamentares do Brasil e somos nós que damos emprego a eles. Os militares pelo menos fazem concurso para entrar!

Adriano Madureira

Eu não sou contra o bolsa família, poderia ser melhor, se atrelado ao programa houvesse algum curso profissionalizante para que indivíduos de uma família pudessem evoluir e futuramente poder sair daquela condição de bolsista e se inserir no mercado de trabalho…

já ao restante, concordo plenamente, não há porquê um parlamentar, mesmo sendo de primeira viagem, necessitar de auxílio-paletó, já que o mesmo ganha 39 mil/mensais.

Teropode

Veja bem : Rodei pelas estradas de Minas e presenciei nas paradas de nossos caminhões a prostituição infantil antes do bolsa família , sexo trocado com os demônios por pacote de farinha , miojo , biscoito , feijão , com a chegada da bolsa isto praticamente sumiu , mas infelzmente não investiram na educação , além disso o programa foi contaminado com a politicagem , resultado ; a situação retrocedeu , a bolsa virou palanque ..( isto ocorreu entre 2005 a 2013 )

Rafaelsrs

Hoje continua palanque, mas utilizam como palanque para o calote institucional, já que o pauno guedes, homem da offshore do milhões de dólares, afirma categoricamente que pra pagar o BF tem que dar o calote de 50 milhões no precatórios.
Esse governo é indecente, de cabo a rabo, não sobra um ali!

Sensato

Além dessas que você colocou, tem maçã e uva nessa salada de frutas? Se não tiver fica sem graça.

Seu argumento carece de sentido. Não é porque existem mazelas criadas por leis feitas por corruptos que a manutenção de um punhado de aviões antigos, muito pouco ou quase nada úteis, mantidos a peso de ouro pra uma suposta manutenção de doutrina que só seria útil quando e se um dia tivermos um porta aviões, se justifica! Ressaltando ainda que se e quando isso ocorrer, tanto as aeronaves quanto principalmente os oficiais já não estarão mais em atividade.

AMX

Muito pelo contrário: isso é o bom emprego do dinheiro do contribuinte.
Se está ruim, então, tem que reclamar aos parlamentares pra que esse dinheiro seja melhor direcionado e empregado, refletindo no desempenho do Esquadrão.

Allan Lemos

Já tá na hora de parar com esse mito de que a culpa da situação das FAs é dos políticos, não é? O MD tem um dos maiores orçamentos da União, que é maior inclusive que o de Israel.

Os militares é que preferem gastar com pensões, vinhos, lagostas e outras benesses a investir na capacidade bélica da Nação.

O pessoal aqui tem que parar de fingir que os militares não são parte do problema.

Mk48

Não.
.
Militar não é santo, mas faz o que faz porque a Lei em vigor permite, sem nunca ultrapassarlas.
.
Então melhor voce parar de disseminar fake news e sim, cobrar do Legislativo mudanças e/ou atualizações nas Leis que regulam as Forças.
.
Se quiser participar de algum evento da MB onde pela primeira vez na sua vida vai comer lagosta, beber vinhos premiados e tomar leite condensado , me avise que mando fazer um convite para você.
.
Assim quem sabe voce realiza seu sonho e para de escrever asneiras aqui.

Last edited 2 meses atrás by Mk48
Luiz Cláudio Silva Barbosa

É só ser convidado para alguma passagem de comando. Eu já fui. Não vi lagosta. Mas vi coquetéis de camarão rosa, bacalhau do porto , vinhos premiados e whisky 12 anos.

Mk48

Blz.
.
Gostou ?

Bardini

Convite pra convenção de velho pé seco vestido de branco, pra falar groselha estratégica? kkkk…

Mk48

Você?
😂😂😂😂
.
So vai se levar tuas contas de padaria sobre o PROSUB.
.
😂😂😂😂😂

AMX

Vá lá, empurra ele do púlpito e dê uma aula então pros velhos. Salve o Brasil.

Jodreski

O problema não é o Whisky 12 anos ou o camarão rosa e tão pouco concordo que cabe ao cidadão cobrar o Legislativo, essa é uma questão específica que tem que ser debatida por quem entende do problema, não é a massa que entende dessas questões e sim os próprios militares. . Então do meu ponto de vista, quem tem que cobrar mudanças do legislativo é próprio comando das forças, então voltamos ao ponto de partida que a situação deprimente do EB, MB e FAB é o resultado de uma péssima administração e da inércia dos comandos. Ou seja, ao… Read more »

Mk48

Ok !
.
Te pergunto : Você e tantos outros que escrevem aqui, indignados com a situação das nossas Forças Armadas, por que não apresentam seus argumentos e opiniões nos foros competentes ?
.
Por que só ficam aqui ?

AMX

Verdade!

Last edited 2 meses atrás by AMX
AMX

Tanto melhor se dita cobrança tiver apoio popular, que são os quem verdadeiramente pagam por isso e a quem verdadeiramente são destinadas as ações de defesa.

Leandro Costa

Quase todos os eventos que participei da MB, com direito à champagne, foram bancados pelo MD. Não que a MB não faça ou não tenha, mas a maioria não de qualquer forma não é para consumo interno da MB (ou EB ou FAB) em si, mas sim para convidados. Existe um método para servirem essas coisas. Jamais será parte do consumo regular.

AMX

Excelente observação.

Vendo os ANAListas aí falarem, parece que o que é consumido de boa comida numa solenidade daria pra viajar a Marte!
Precisamos mesmo dessa Trilogia, porque a mentalidade de defesa da rapaziada aí tá triste viu…

Thiago Rezende

Falar até papagaio fala. O orçamento das Forças Armadas mal da pra pagar os salários. Sobra muito pouco para se investir em tecnologia e projetos. Eu sou militar, eu sei o que estou dizendo, não sou desses “especialistas” que andam por aí falando que mais de 80% do orçamento é para pagar salário. Como se isso fosse errado, acontece que o orçamento necessário é muito além, para manter a operacionalidade das Forças Armadas compatíveis com o tamanho do seu país. Comparar Brasil com Israel é piada, lá se eles não mantém as Forças Armadas 100% operacionais eles são riscados do… Read more »

Flanker

Se tu comprovares aqui, que as Forças Armadas tem equipamentos suficientes, seja em aeronaves, blindados, navios, etc, para a quantidade de efetivo que possui e, todo esse pessoal também devidamente equipado, e tudo isso com operacionalidade, mobilidade e nível tecnológico adequados, eu sou um que pararei criticar. Até lá, o que se observa é muita gente e pouco equipamento……e muitos obsoletos e/ou inoperantes.

Allan Lemos

Mal da para pagar os salários? Kkkkkkk e por quê será? Porque vocês recebem privilégios atrás de privilégios, penduricalhos e pensões para suas filhas. Já que o problema é esse, então por quê não diminuem o efetivo? Só a MB tem mais homens do que a Royal Navy e do que a Marinha Australiana e uma fração dos meios que estas possuem. Então, meu camarada, não me venha dizer que os militares não tem culpa. São vocês mesmo que fazem lobby para aprovar benesses junto ao Congresso enquanto negligenciam a capacidade bélica das forças. A prioridade dos oficiais é viver… Read more »

Salomon

https://www.marinha.mil.br/com8dn/?q=centro-cultural

Não precisa ir mais longe. Espaço de milhões em bairro nobre, fechado e nunca teve serventia que fosse coerente.

Faver

Concordo em parte Thiago. Só me explique porque tem de haver justiça militar e Superior tribunal de justiça Militar (mais caro que stf), milhares de casas em vilas militares com “aluguel” subsidiado no Brasil inteiro para oficiais e subs, hospitais próprios que a população civil não pode usar, transporte de autoridades pela FAB, excesso de estrutura (quartéis, tiros de guerra,) nas FAA… Isto não é só falar…

Mk48

“Concordo em parte Thiago. Só me explique porque tem de haver justiça militar e Superior tribunal de justiça Militar (mais caro que stf), :
.
Prove isso .

Faver

https://www.metropoles.com/brasil/justica/com-verba-similar-a-do-stf-superior-tribunal-militar-produz-99-menos… Tá cheio de referências é só buscar. Amigo, se acalme, não precisa ficar gritando prove, processe, ou ficar desqualificando outros foristas…

Mk48

Prezado, “metropoles.com” tem alguma credibilidade?

Salomon

Amigo, aí não é questão de fonte, são números. Não sei se conhece a mordomia envolvida nisso. Acredite, é um acinte com o brasileiro.

Faver

MK, não ataque o mensageiro, que tem endereço conhecido, CNPJ, e responsavel legal. Você pode não gostar e isto é problema de quem não gosta. Prefiro estes canais do que o whatsapp e fake news por aí.

AMX

Pelo simples motivo que a finalidade da existência de FAs é sacrificar a própria vida em defesa do país. É a razão de ser delas.
Cara vai pra guerra e ainda tem que se preocupar com aluguel atrasado? Dureza…

AMX

Tá na hora de você aprender a ler antes de dar uma de especialista de plantão.
Quem tem que para de fingir alguma coisa aqui é você que finge ser especialista ao, mais uma vez, fingir falar com propriedade.

Há problema em haver lagosta numa solenidade? É somente por causa de lagostas que as FAs estão em mal estado? É claro que não, oras!
Então, pare de fingir que não entende e, pior, pare de fingir que não entende que aquilo é sim bom emprego do dinheiro do contribuinte. Antes ali materializado do que em, agora sim, mais coisas inúteis.

Last edited 2 meses atrás by AMX
Allan Lemos

Outro que tem militar de estimação. Antes de se dirigir a mim falando esse tanto de inacreditável m****, sugiro que tire a sua cabeça do c* por alguns minutos e procure se informar melhor sobre a situação.

As lagostas não são o problema? E a cerveja superfaturada é? Ou talvez a picanha superfaturada?

Ou talvez essas lagostas sejam tão “úteis” que sirvam até para neutralizar os alvos inimigos quando estes baterem a nossa porta, não é?

Vai procurar a sua turma, camarada. Realmente não tenho paciência para debater com gente da sua laia.

Mk48

Espero sinceramente que voce nao tenha paciencia nem para postar mais nada aqui. Vá procurar outras paragens.

AMX

“militar de estimação”, olha o argumento do cara… “Antes de se dirigir a mim…”: Fío, foi você quem primeiro se dirigiu a mim. Agora quer permissão pra receber resposta? Ah, claro: com o gasto em lagosta dá pra ir à Lua. Lagosta mais cerveja dá pra ir à Marte. A picanha então… “tire a cabeça do c*”. É isso aí: mentalidade de defesa, kkkkk. Como vc é medíocre, pqp… “Vai procurar sua turma”. Vá vc, que vem falar em c*. Bem vindo à internet: se não sabe e não aguenta debater, não dê uma de esperto e não inicie o… Read more »

Mk48

Exatamente ! Esse rapaz vive numa dimensão paralela.

Jhonn

Deve ser um milionário que paga milhões em impostos, ou o financiador mor das forças armadas?

Fernando Veiria

Na época da Guerra do Golfo eu lembro de ter visto uma reportagem dos pilotos do Kuwait que, com a invasão iraquiana, fugiram com seus aviões para a Arábia Saudita. Acabaram se juntando a coalizão e a matéria era justamente sobre os pilotos que lutavam para recuperar seu país. Embora poucos naquele mundo de recursos militares, a história deles chamava a atenção.

Bem, eram esses A4 aí que fugiram do Kuwait para a Arábia Saudita não é? Essas aeronaves viram combate.

Flanker

Sim. Essas mesmas.

Salomon

Não comprovei, estou vendendo como comprei, mas um colega falou que dois tinham furo de .50

Flanker

Já li Isso também, mas não achei fonte fidedigna que confirmasse.

Teropode

São excelentes aeronaves , voam fácil , de manutenção barata , mas o problema maior eh da administrativo , veja o exemplo do AMX , saindo de fábrica o AMX brasileiro já saiu capado , sem radar e em função disto otimizado apenas para usar bombas estúpidas e mísseis IR , enquanto isto na Europa o italiano saiu completo , com o que tinha de melhor na época ( ressalvas mínimas ), portanto se a mentalidade não mudou até os Gripens se tornarão obsoletos em 6 anos , e queira Odin que não saiam capados da fábrica , o IRST… Read more »

Rinaldo Nery

¨Bombas estúpidas¨. Essa é nova, nunca tinha ouvido. Há uma foto do primeiro F-39 da FAB, recém saído da linha de produção, com o IRST instalado. Vá lá no Aéreo e procure.

Willber Rodrigues

Pergunta séria aqui:
Afinal, qual o futuro dessa unidade? Continuar com meia dúzia de caças da época da Guerra do Vietnã ad eternum?
Mudar pra VANT’s?
Há algum projeto firme pra, pelo menos, comprar alguns mísseis anti-navio pra esses caças?
Há algum estudo sério pra se adquirir novos caças?

Romão

O futuro dessa unidade será será a desativação, junto com mais trocentas outras unidades , após a assunção de uma nova administração, escolhida pelo bom e velho sufrágio universal. 12 Meses passam rápido…

Flanker

Sério? E essa “nova administração” viria de onde? De qual planeta? Nenhuma administração anterior, e nem a atual, fizeram alguma coisa à respeito.

Mateus

Fizeram. Fizeram sim. Torrar milhões na compra e modernização desta joça que já era uma joça quando veio pra cá, permaneceu uma joça mesmo depois da modernização e a cada dia que passa se torna uma joça cada dia mais inútil.

Dilbert_SC

Existe um grande culpado na péssima gestão dos recursos orçamentários das Forças Armadas: as próprias Forças Armadas.

Agnelo

Interessante….
Se for a mesma, vai continuar passo a passo tentando ajustar o q foi planejando antes…
Se for a tal “3ª via”, acredito q fará o mesmo…
Se for a principal perdedora da última….. o EB aumentou de 188 pra 223 mil….
A MB criou a 2ª esquadra…. Pcp motivo do efetivo estar com esta…..
Tem uma 4ª ideia??

Willber Rodrigues

Independente se a atual administração federal se perpetuará por mais 4 anos ou se ela dará espaço pra outra administração, eu duvido muito que alguem tenha c*lhões ou disposição pra realmente dar um fim nisso. Infelizmente…

Romão

Caro Willber, com todo respeito, você está redondamente enganado. O A-4 é um projeto concluído em 1954 e por pouco não pegou a guerra da Coreia. Da guerra do Vietnã mesmo, temos os eternos F-5. Mas a FAB continua abrindo concursos, todo ano. Pode apostar seu couro nisso. Afinal, a pátria precisa de muitos oficiais para cuidar dos almoxarifados com produtos de limpeza, como água sanitária, veja, limpavidros, sabão em pó e o bom e velho “pinho sol”.

Romão

Leia-se: MB e não FAB. Mas o mesmo vale para a FAB, é claro. Rs

Mk48

Claro ! .
.
Quero ver provar em Juizo.

Marcos Cooper

Romão deixa eu dar minha contribuição também. O A-4 voou pela primeira vez em 1954 como XA4D-1,e começou à chegar aos esquadrões em 1958. Já o primeiro integrante da família F-5,o N-156T,foi apresentado à USAF em 1956! Depois,renomeado YT-38,realizou seu primeiro voo em 1958. O N-156F,futuro F-5 voaria em 1959.
Então, são aeronaves anteriores à Guerra do Vietnã. Possivelmente, a única aeronave desenvolvida durante a guerra e que voou missões de combate no Vietnã foi o F-111.

Flanker

Marcos, complementando seu comentário, o F-5E, que é a versão que a FAB utiliza, fez seu primeiro voo em 1972 e o F-5F, em 1975, se não me engano. A FAB utilizou tb o F-5B, que fez seu primeiro voo em 1963 ou 64. Os B que a FAB operou foram construídos em 1974 e foram desativados por aqui em 1996.

Marcos Cooper

Correto! Na época da aquisição do Tiger o modelo F,biposto,não estava disponível.

Mk48

Opa!
.
Temos aqui um cidadão fazendo sérias acusações!
.
Você toparia enfrentar um processo onde teria que provar o que fala, amigo ?

João Carlos

Grande carteirada, se nao falam o que você quer… Ameaça! Macho pra caramba… Achar uma solução você não quer né… Fica claro que voce é só parte do problema.

Mk48

Bom dia João !!!

Leonidas

O futuro dela será a desativação com as 2 aeronaves sendo sucateadas (não haverá verba para manter as duas em um museu) ai a Marinha compra 5 drones meia boca com processo de aquisição e ativação levando uns 5 anos. Depois de recebidos estes 5 drones irão denominar de esquadrão naval multifunção (interceptação, ataque e reconhecimento) e irão proteger a esquadra de 5 barcaças de 3 mil toneladas (com plano para o recebimento da quinta unidade em torno de 2031). As barcaças serão renomeadas para fragatas e as duas ultimas destroieres ligeiros. Tudo isso com anuncio em um bom evento… Read more »

Flanker

Não estou defendendo a MB ou querendo dizer que o AF-1M é um caça moderno, mas a MB utiliza hoje 3 aeronaves operacionais, 1 em recuperação após ter sofrido acidente e 2 aeronaves em processo de modernização/entrega.

parabellum

Assim como o São Paulo, já chegou a vez das aeronaves de asas fixas deixarem a MB. A FAB fará este trabalho com maestria. A integração das Forças singulares já é uma realidade. Acho que a Argentina se interessará em adquirir todo o inventário dos A-4.

Marcio Macedo

Mobilizar o Atlântico com uma dúzia de drones de combate turcos TB-3, que esta desenvolvido do modelo atual para uma versão embarcada. Parece um investimento barato: seis com as estações de controle ficariam em US$ 5 milhões.

Rogério Loureiro Dhierio

O ideal seria ampliar a ativação de mais dois esquadrões VF2 e VF3, cada qual com 12 aeronaves F_39 Gripen operados a partir de bases terrestres servindo única e exclusivamente a Marinha, más sem a megalomania ideia de PA. Total de 3 esquadrões com 12 aeronaves cada, bases em Santa Catarina, Rio de Janeiro e Natal, cobrindo sul, Sudeste e Nordeste, amparados por Radares OTH IACIT, Astros 2020 com capacidade anti superfície de longa distância, sistemas do Mansup Médias distâncias, sistemas antiaéreo Saber M60, Saber MS200 atrelados aos Barak, somados às aeronavs P3 Orion, helis links, caracal naval e meios… Read more »

Bardini

Mofou…

Mayuan

Tá na hora de trocar os óculos. Ele falou “o ideal seria”. Não disse, o real é, o futuro será ou qualquer outra coisa.

Bardini

O ideal seria falarem menos porcaria…

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Mayuan

Ou serem menos azedos. Questão de ponto de vista…

Aqui é lugar pra ideias e colocações do tipo.

Quisera eu ler mais comentários como o dele e menos comentários como os dos sequelados que acham que o mundo será melhor se o país da galera apreciadora de morcegos se tornar hegemônico…

Rogério Loureiro Dhierio

Amigo. Esqueça. Ele não entendeu e nesta existência ele jamais entenderá o que você disse.

Más voltando ao tópico, obrigado pelo ponto de vista. Abs.

Rogério Loureiro Dhierio

Um bom começo para menos porcaria nos sites de assuntos militares seria você já ir deixando de cansar seus dedinhos e neurônios para desrespeitar as pessoas quando ao mesmo tempo cobra respeito.
Perdeu a oportunidade de colaborar para uma opinião mais rica ao invés de “Mofou”.

O típico profeta. Que sabe muita coisa sobre coisa alguma.

Bardini.
Vai assistir Master Chef.
É a tua praia.

Wellington R. Soares

Top de linha, só não vai sair do papel rsrr…

Rogério Loureiro Dhierio

Pois é amigo.
Infelizmente. Abs

BK117

Eu gostaria muito de saber o futuro do VF-1. Mesmo com a modernização, a vida útil dos Skyhawks está acabando, e não dá pra imaginar termos um NAE dos próximos 10 anos que justifique vários caças novos. Vai se estabelecer uma doutrina de um esquadrão de ataque naval ou comprar alguns aviões mais recentes pra continuar a existência do esquadrão?
Difícil de ver, o futuro é… Sempre em movimento, ele está…

Mendes

12 Gripens biplace para MB.

BK117

Considerava uma possibilidade, mas assistindo programas recentes do Aero Por Trás da Aviação sobre o Skyhawk na MB, percebi uma coisa: eles treinam, no solo, o pouso embarcado. Com isso, creio que precisariam de um caça naval , principalmente devido ao trem de pouso reforçado. (só algo que percebi, posso estar enganado, me corrijam por favor) Se houvesse uma mudança total de paradigma e considerar o VF1 unicamente baseado em terra, abstendo de capacidades de pouso embarcado, seria uma boa alguns Gripens, mas acho as chances mínimas, quiçá inexistentes. Os vídeos recentes do Aero sobre o VF-1 na base de… Read more »

Last edited 2 meses atrás by BK117
Satyricon

Mestre Yoda, quer dizer BK, como acordei cedo (e ainda não tomei meu remédio) talvez o futuro da aviação naval da MB possa estar no…

AW-609

Lembrando que isso se encaixaria como uma luva na mania de ideias “mirabolantes” da MB, resolveria o “imbróglio legal” em que se encontra, e de quebra ainda explicaria a mudança de designação do Atlântico.
Agora vou tomar meu remédio…

BK117

Caro jovem Skywalker… digo, Satyricon, em minha opinião, considero o AW-609 improvável. O conceito Tiltrotor parece uma solução ideal para a operação na MB, mas este modelo tem alguma características que entendo como dificultadoras: A asa dele não “dobra” como o Osprey, nem as hélices dos rotores, o que faz com que ele seja muito largo, mas com pouca capacidade. O alcance ligeiramente maior não é grande vantagem já que o H225M pode reabastecer em voo. Comparando de forma rudimentar o peso máximo de decolagem e o peso vazio de cada um, o H225M tem quase o dobro de capacidade… Read more »

Mk48

Caro BK117, bom dia.
.
Uma aviação naval não necessariamente precisa ser embarcada
.
Abs

BK117

Caro MK48,
Concordo com você, mas acredito que vai ser bem difícil à MB conseguir orçamento para caças novos sem um NAe, especialmente com o estado atual dos meios navais e com o andamento dos Gripens da FAB.
Vamos ver o que acontece.
Abraços!

Mk48

Sim! De fato
.
Abs

Mayuan

Por mim, se os caças que defenderão nosso país serão operados pela FAB, MB ou pelos adestradores de cães da PM, desde que operados adequadamente, não me importa. Penso que já passou da hora de nossa defesa ser pensada na ótica integrada entre as forças singulares. Temos visto esforços de integração mas ainda existe um bom caminho e passa por um MD que faça sua autoridade prevalecer.

Sensato

Deveria ser o desmembramento ou ao menos mudança de função. A MB empregaria muito melhor os recursos se desfazendo desses vetores, adquirindo drones adequados para atividade naval e usando esses pilotos para opera-los.

Teropode

Uma ela aeronave , diz as mas línguas que os 5 SEM adquiridos pela Argentina não podem entrar em operação por causa do boicote inglês , pensei então com minha cabeça : Estes caças especialistas no lançamento de Exocet , dariam a MB uma capacidade que ele nunca teve , seria mais um reforço para compensar a reduzida capacidade da força , sem prejuízo para os projetos principais e com um custo irrisório , o comando poderia tentar fazer uma catira com os Argies , eles passaram por uma modernização a pouco tempo feito pelos franceses ………

Sincero Brasileiro da Silva

“O triste fim de Sakurá”

Sincero Brasileiro da Silva

Precisam fingir que temos uma Marinha de “respeito”, para poder justificar o orçamento super bilionário…

Sincero Brasileiro da Silva

Eu sei que dificilmente haverá aumento de orçamento para a compra de equipamentos, então vai a pergunta: Seria preciso o corte de quanto em pessoal para poder sobrar dinheiro para compra de pelo menos uma dezena de caças novos (seminovos) para substituir esses da Marinha? Alguém saberia calcular?

Esteves

“a Marinha disporá de aviões e helicópteros destinados ao guarnecimento dos navios de superfície e helicópteros de emprego geral, todos orgânicos e por ela operados, necessários ao cumprimento de sua destinação constitucional”.

Logo…a MB pode comprar helicópteros. Pode ter avião se for orgânico (operado do próprio navio) e, para proteger os meios de superfície.

Melhor a MB pensar somente em navios. O tempo dos aviões passou.

Sergio Cintra

🤔 Corte de todos😁!

Romão

Meu caro Sincero, dar aumento de orçamento para uma instituição que passou os últimos 25 anos, pelo menos, jogando dinheiro do contribuinte, sofrido, suado, choroso, na lata do lixo, com um porta aviões sucata, um esquadrão de “caças” que nem é esquadrão e nem anda caçando nada…. Não me parece uma boa ideia. Atitudes maléficas e perniciosas ao erário público devem ser respondidas com justa punição e não com abono.

Mk48

Opa.
.
Temos aqui um cidadão cheio dr provas sobrecas graves acusações que fala.
.
Topa enfrentar um processobe provar as idiotices que afirmou ?

Salomon

Acho que se terceirizar 95% dos serviços de dentistas, protéticos, laboratoristas, motoristas, garçons, músicos, pintores de parede e calçada, taifeiros, contadores, cozinheiros, barbeiros, jardineiros e assemelhados dá para ter essa tal dezena, e manter.

Pedro Fulback

Nós não temos nenhum míssil ar-superfície em operação nos nossos caças, enquanto a Argentina em 1982 já estavam lançando os seus exocet. Em todas as guerras, olhamos os pontos fortes e fracos, mas na Guerra das Malvinas os Almirantado não viram que é de suma importância empregar mísseis anti navio nos caças.

Felipe Maia

Lembrando que, junto com os A-4, veio um “pacote” com alguns mísseis, equipamentos e acessórios, dentre os quais 4 pods de reconhecimento que não estavam funcionando.
Pessoal da FAB colocou pra funcionar e os integrou aos A-1 de Santa Maria.

Esse dia foi loko.

Last edited 2 meses atrás by Felipe Maia
Flanker

Eram 4 pods Vicon 57, que vieram com os A-4 do Kwait, e foram repassados à FAB, cujos técnicos conseguiram montar e fazer funcionar 1, juntando todas as peças e fabricando outras. Operou, junto com os outros modelos de pods de RecTat dos A-1 do Poker, de 2004 a 2009, quando foi desativado, por falta de peças sobressalentes e pela chegada dos pods Rafael RecceLite.

Rodrigo

23 anos jogando dinheiro no lixo..
.

Guilherme Gabriel Lins

o plano original era até interessante, 12 A-4 com a possibilidade de serem integrados com míssil antinavio (o novo radar, salvo engano, permite isso) embarcados no Nae São Paulo, mas ai a marinha descobriu que os dias do são paulo ja tinham passado (há muito tempo aliás) e reduziu para as 6 unidades. Acho que o futuro da aviação de caça da marinha ta nas mãos de como vai andar o gripen aqui no Brasil com essa história de transferência de tecnologia e produção nacional.

Dilbert_SC

A França vendeu um Marea Turbo (NA São Paulo) pro Brasil, e acima da tabela FIPE!
Triste

João Fernando

Era só ter reformado o mesmo na França como proposto. Mas os gênios acharam que não precisava…

Dilbert_SC

Prezado João,
Você já teve carro velho? Com mais de 40 anos?
Quem já teve carro velho, sabe o que estou falando.
Agora você pega um navio com essa idade e eleva a enésima potência a complexidade pra manter um equipamento em final de vida operando.

Já trabalhei em plantas termelétricas dos anos 60 que foi totalmente reformada, mas não era possível manter a mesma disponibilidade de uma nova. Por mais que você põe dinheiro, sempre vai dar problema.

Máquinas complexas tem vida útil.

João Fernando

Meu carro de hobby tem 50 anos e me leva para onde eu quiser. Não aceitaram a reforma que seria feita na França pelo fabricante (ou alguma empresa ligada com o projeto do navio). Falaram não, que poderia ser feita aqui mesma. Talvez por isso o Atlântico e o Bahia vieram já com pacotes de manutenção ligados ao vendedor/fábricante.

Sensato

Ele não deveria ter sido comprado mas o preço de compra foi simbólico.

Leandro Costa

12 milhões para um ativo que novo ou usado custa na casa dos bilhões. Ele veio de graça, praticamente. O barato que saiu caro, mas manter o Mingão saía ainda mais caro.

Camargoer.

Olá Leandro. Você tem razão. O A12 custou uma fração do valor que seria construir um novo. Foi uma boa compra e operou por uma década. Custou praticamente US$ 1 milhão por ano.

AMX

Muito bem lembrado.
Infelizmente, saiu caro pelo contingenciamento de verbas que não permitiu que continuasse operando. A compra em si foi, sim, excelente e oportuna.

jose benedito

Totalmente desnecessário, só existe para poder justificar, os pilotos,mecanicos, oficiais, pessoal do administrativo, etc, ou seja, garantir empregos públicos federais a um sem numero de pessoas. Dados do próprio Ministério da Defesa assinalam que é gasto 71% do orçamento da MB com a folha de pagamento, isso explica muito sobre as nossas FAs, foram pensadas para ser cabidões de emprego, e quanto maior o pessoal tb serão mais oficiais de alta patente o que vira um ciclo vicioso, e imagina se os oficiais generais vão querer mudar isso, lógico que não. Fazendo um paralelo, tb temos o Judiciário, um dos… Read more »

pangloss

Na teoria, a aquisição dos A-4 do Kuwait e do “Foch” francês foram duas excelentes oportunidades: combinados esses eventos, havia a chance de criação de um núcleo embrionário de aviação naval de ataque de asa fixa.
Aí entra a parte difícil: desenvolver esse núcleo inicial até que tivéssemos uma capacidade aeronaval permanente, operando aviões a jato a partir de porta-aviões. Desse ponto em diante, tudo deu errado. Miseravelmente errado.
E a realidade bateu à porta, dissipando ilusões de quem viu “Top Gun” quando era jovem e acreditou que aquele era o parâmetro a ser seguido pela MB.

Salomon

Deu pau exatamente no nosso ponto mais fraco: organização, planejamento e política. O amigo tem razão, era uma boa oportunidade.

Foxtrot

Merecem uma nova aeronave para cada ano de criação.
Se não fossemos tão marxismo fóbicos, teríamos a opção do novo caça naval Chinês, Tejas dentre muitas opções.
Se a FAB não tivesse “passada a perna” na MB mais uma vez, o mesmo caça escolhido para a FAB hoje poderia atender a MB (como previa o FX-1).
De todo modo, parabéns VF-1 !
Vida longa e prosperidade.

Pavan

É só querer que faz… Compra dos EUA j uns 12 f- 18 e mantém a doutrina com aviões que valem a pena e são úteis pra defesa e ataque. !

Jefferson Henrique

A ideia inicial foi mal pensada e não deu certo. Se desses 23 caças, uns 18 tivessem sido modernizados e tivessem mísseis como Derby, Harpoon e outros sensores e armas inteligentes integrados, beleza, dava pra ter um certo fator dissuasorio a partir de São Pedro D’Aldeia, mas não foi isso que ocorreu, são 2 ou 3 modernizados com 2 tanques externos cada. Então não tem mais motivo pra operar esses caças e nem esse esquadrão. A MB mal tem meios flutuantes, se operar algo que voe que sejam helicópteros, por que esses ela possui bons e modernos. Já passou da… Read more »

Vitor

Avião subsônico é obsoleto demais e integrar esses armamentos seria mais caro que adquirir 6 Gripen com meteor, RBS15 e bombas inteligentes.

João Fernando

A solução são pelo menos 6 Gripens biplaces para a MB. E fim de papo. Unificar o que der com a FAB. Ou acabar com isso de uma vez

Vitor

Concordo. Segundo lote 12 Gripen para a MB e desativa a caça em Santa Cruz. Deixa essa especialidade com a marinha.

Flanker

E quem faria a defesa aerea da região sudeste, a mais industrializada e que gera o maior PIB do país?

Rafael

Na terra, homens da terra!

Tem condomínio residencial melhor que a Base de São Pedro da Aldeia no Brasil? Segurança armada 24 horas, localização beira-mar, aeródromo particular. E o melhor: de graça!

Gus

Bingo.

Up The Irons

Se meia dúzia de Gripen E são considerados caros para aquisição, que adquiram um punhado de F-18 do Kuwait. Se querem manter doutrina, que façam isso com equipamentos capazes de enfrentarem as ameaças modernas!
Já falei várias vezes e repito: estes pilotos e mecânicos possuem ótima formação e merecem algo melhor!

images - 2021-10-03T115714.453.jpeg
carvalho2008

pode ate possuir boas horas de voo restante, mas a eletronica não estaria muito defasada?

Vitor

F-18 C sem os EUA operando inviabiliza a manutenção e seus custos. Ou vai de E/F ou melhor escolher outra plataforma como o Rafale M. Desenvolver Gripen Naval é que vai ser um desperdício a não ser que os Indianos embarquem nessa.

Bardini

Trocar um defundo por outro. Baita solução…
.
No mais: se não comprar nada, fica bem mais barato.

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Up The Irons

Bardini, mas se eles têm essa ideia fixa de operar um punhado de caças em terra e ninguém consegue convencer o contrário, que operem algo minimamente efetivo.

Bardini

Baita justificativa… E se fizerem beiçinho, o dinheiro vai brotar em árvore.
.
A Argentina també mantém aviação naval, sustentando a ilusão de que um dia ainda pode ter um Porta Aviões. Vamos continuar seguindo esse caminho aí, só que ao invés de SEM sucateado, vamos de Legacy Hornet. Só muda o defunto, o funeral é o mesmo.

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Sincero Brasileiro da Silva

Você ousar colocar o F-18 na mesma prateleira do AF-1 deve ser um forte sinal de que a Terra Plana exista mesmo…

Bardini

Grandes porcaria o Hornet ser melhor… Um osso ter mais carne que o outro não muda o fato de que são duas aeronaves velhas, com linha de produção encerrada a décadas.

Esteves

Merecem ir para a FAB.

Maurício.

Vídeo bem interessante: https://youtu.be/N4ljKmb-1m4

O comandante Assunção parece ser um cara bem simpático, não tem aquele “ar de fodão” que a maioria dos pilotos da FAB tem, é difícil ver um piloto de caça que não tenha o ego inflado, esse comandante parece ser um cara simples e humilde, parabéns pra ele e pelos 23 anos do esquadrão.

Leonardo M.

Lembro quando saiu reportagem na revista força aérea da época e comprei.
Acho que paguei na epoca R$10(como se fosse R$70 hoje) e fiquei como adolescente(12 anos) todo animado que o Brasil teria um grupo de caça embarcado.

Teropode

Só não eh justo colocar a culpa no PA e nas aeronaves , o mínimo que poderiam ter feito era mandarem o PA para uma manutenção na França , uma retrofitagem para esticar sua vida útil , fizeram o mínimo , como todo amador inexperiente e foram empurrando nas coxas até o PA abrir o bico de fez , 🥺🥺🥺🥺🥺

Wagner Figueiredo

Eu tbm.. ainda hj tenho a revista..rsrs

Gus

Esse esquadrão de museu representa o desperdício de dinheiro de boa parte das FFAA: não serve para nada, a não ser para justificar o soldo de mais alguns oficiais.

Adriano Madureira

“Já tá na hora de parar com esse mito de que a culpa da situação das FAs é dos políticos, não é?”. [ Allan Lemos ] Quem disse que a culpa não é dos políticos?! Eles não estão isentos da situação atual das forças armadas e por nossa defesa ser brochante e meia boca… São culpados, seja por serem indiferentes ao tema defesa, ou por serem incompetentes ou por fazerem parte de um sistema ineficiente( eficiente para eles) e perdulário. Queremos um país melhor?! Claro que sim ! Mas não é só deixando de votar nos velhos políticos ou nós… Read more »

Esteves

Significa que o Estado ficou maior que o país. A mudança que aconteceu após a CF de 1988 também aconteceu por pavor do passado. Passou da hora de ver o mundo pelo espelho. Quais candidatos mostram bandeiras de reformas, inovações, modernizações, produtividades e resultados? Apesar da re-unificação, a Alemanha Ocidental ainda mostra maior presença de empresas, negócios, oportunidades, atividades econômicas X a ex Alemanha Oriental aonde a burocracia do estado e o paternalismo clientelista eram mandatórios. Retomar a construção naval porque ela gera empregos. Sim. Mas não podemos mais esperar. É necessário retomar o crescimento e os empregos para empurrar… Read more »

070C655D-6600-452C-AD87-D630990E4635.jpeg
Camargoer.

Olá Esteves. Calma. O Vale do Ruhr já era a região mais industrializada antes da II Guerra. No pós-guerra, a Alemanha Oriental ficou restrita á uma região que era pouco industrializada. No livro “O homem sem rosto”, do ex-diretor do serviço de inteligência da Alemanha Oriental, ele discute essa questão. O regime comunista da RDA e seu alinhamento com Moscou impediu o surgimento de setor industrial. O mapa que você mostra que a RFA herdou o setor industrial alemão, e que a RDA foi incapaz de se industrializar ao longo dos seus 45 anos de existência.

Luiz Trindade

Um esquadrão sem finalidade… Foi criado para trabalhar embarcado e hoje nem porta-aviões a Marinha do Brasil tem. Virou um braço de apoio do 1º/1º Grupo de Caça pois perdeu a finalidade! Acho que a Marinha do Brasil deveria fazer uma reflexão profunda para saber o que quer com esses aviões!

Henrique

Se não vão embarcar num NAe não faz sentido a marinha manter aeronaves de caça, a FAB pode especializar um esquadrão pra realizar missões antinavio com muito mais escala. A MB deveria focar na sua missão principal é ter os recursos necessários, caças são dispensáveis.

Marcio Macedo

Opção econômica para a MB: drones turcos de ataque TB-3, iguais aos que vão equipar o Anadolu. Seria interessante ve-los operar a partir do Atlântico. Como é uma opção barata, ao alcance, pode não interessar a nossa MB.x

angelo bigalli

Interceptadores ? de que? de helicópteros? é constrangendor…rsrsrs

Joao Moita Jr

Esquadrão?? Nem para esquadrilha dá. Um punhado, e olhe lá.
E só se for para destacamento de museu.
Em 23 anos não conseguiram nem sequer armar esse tal esquadrão com sequer uma meia dúzia de caças como o F-18 ou F-16, mesmo que de segunda mão???
Essas velharias apresentam mais perigo aos aviadores do que a potenciais inimigos.
Vergonha para o Brasil!!!

Last edited 2 meses atrás by Joao Moita Jr
Sensato

Vamos simplificar as coisas? Porta aviões é o telhado, ou melhor, a calha do telhado. Não se coloca lá no início da obra nem se compra antes dos tijolos e cimento só pra criar doutrina de construção…

Sem que a MB obtenha capacidades críveis de combate por meio da operação de navios, submarinos, drones e helicópteros, falar de porta aviões é insensatez e ter um punhado de aeronaves, oficiais e praças pra manter uma doutrina que nunca tivemos e provavelmente nunca usaremos é uma sandice ainda maior.

Esteves

Usamos motivos alheios. Porta-aviões projeta poder, porta-aviões é o rei dos mares, porta-aviões apoia desembarque, porta-aviões é diplomata, porta-aviões são colossais, porta-aviões faz guerra longe, porta-aviões é grande…podemos ser chamados pela ONU.

Se temos orçamento para construir doutrinas aos anos 2045, se temos orçamento para operar, manter o navio com ala aérea e grupo de escolta/combate…é para o próximo Almirante.

Cada um que senta recebe um macaco.

Mayuan

Em resumo, porta aviões é ótimo pra quem pode e já fez o trabalho de casa e esse ainda não é o nosso caso.

RPiletti

23 anos e nenhum míssil anti-navio operacional nestas aeronaves. Confere?

Foxx

O melhor a se fazer é desativar o VF-1 e sepultar de vez a aviação de caça da marinha. Um PA novo ou usado atualmente é impraticável; Ao meu ver a MB só mantém o VF-1 ativo por simples e puro EGO.

Yuri Dogkove

23 anos de imponência!

Last edited 2 meses atrás by Yuri Dogkove
HPF

Pouca gente no Brasil se importa com uma Nação poderosa militarmente. Triste descaso histórico. Tomara que a conta não seja salgada no futuro.
Quem pensa pequeno, jamais……………

carvalho2008

A parte interessante destes A-4 Brasileiros é que sendo a ultima série de fabricação A-4KU, ela possui 20% a mais de potencia que os demais A-4 já produzidos….