quarta-feira, dezembro 1, 2021

Saab Naval

Japão lança o ‘Hakugei’, segundo submarino classe Taigei

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Japão lançou ao mar o segundo de uma nova classe de submarinos diesel-elétricos.

O novo submarino, que foi batizado de Hakugei (SS-514) ou Baleia Branca, foi lançado no estaleiro Kawasaki Heavy Industries na cidade de Kobe na tarde de 14 de outubro.

O submarino passará agora por testes finais de construção e de mar antes de entrar em operação na Força Marítima de Autodefesa do Japão ou JMSDF, planejado para março de 2023.

O Hakugei é o segundo submarino da classe Taigei. Este é um submarino de ataque diesel-elétrico de 3.000 toneladas medindo 84 metros de comprimento e era anteriormente conhecido como a classe 29SS, em homenagem ao 29º ano do reinado do imperador Akihito no Japão.

O primeiro da classe, o Taigei, foi lançado em outubro de 2020 e começou os testes de mar em julho deste ano. A entrada em operação está prevista para março de 2022.

O comissionamento permitirá que o JMSDF continue os esforços para recapitalizar sua frota de submarinos, com o serviço mantendo alguns submarinos mais antigos em serviço, pois aumentou o número de unidades em serviço para 22.

Como os dois últimos submarinos da classe “Soryu” anterior e do Taigei, o Hakugei será equipado com baterias de íon de lítio como fonte de energia. O Japão conduziu uma extensa pesquisa sobre o uso de baterias de íon-lítio em submarinos desde o início dos anos 2000 e diz que elas exigem menos manutenção e são capazes de durar mais em altas velocidades quando submersas, em comparação com as baterias de chumbo-ácido.

Atualmente é o único país conhecido a ter submarinos operacionais usando baterias de íon-lítio.

A força de submarinos ampliada compreenderá 8 submarinos da classe “Oyashio” mais antigos, 12 “Soryus” e os 2 da classe “Taigei”. O Japão já iniciou a construção de mais um submarino da classe “Taigei” e tem financiamento aprovado para mais dois, o último sendo de US$ 602,3 milhões alocados para mais um submarino no último orçamento do ministério da defesa.

FONTE: Defense News

- Advertisement -

131 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
131 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mk48

“Submarino de ataque”.
.
Hoje em dia questiono essa ckassificação.
.
Acho que todo e qualquer SSK deveria ser classificado de “submarino de ataque por oportunidade”.
.
Nao vou me alongar na explicação.
.
Entendedores , entenderão.

Ten Murphy

Oportunidade ou se ganha na sorte ou se faz por competência. Toda sabotagem e toda emboscada é oportunidade criada e não sorte. Então submarino de ataque sim. Todo lutador sabe disso. Todo atirador sabe. Todo caçador. Todo militar. Todo jogador de futebol que seja. Todo ataque é através de uma janela de oportunidade surgida ou pela falha do oponente ou pela habilidade, ardilosidade do atacante. Oportunidade não é só ir buscar o outro onde estiver. É trazê-lo. É emboscá-lo. Sabotá-lo.

Não vou me alongar na explicação.

Entendedores entenderão. Sem a vírgula.

Mk48

Se você leu e entendeu o que escrevi vai concluir que não me referi em momento algum a sorte. Isso é invenção sua.
.
Por isto, a virgula. 😉
.
Me referi a emboscada, ataque planejado com uma unica oportunidade de sucesso.

Last edited 1 mês atrás by Mk48
Mk48

Tenente,
.
Sua patente já demonstra sua qualificação.
.
Já pisou num submarino?
.
Já esteve ao menos proximo de um ?
.
Ja serviu num submarino ?
.
Pelo que escreveu, certamente não.
.
Vá se informar melhor antes de bostejar suas asneiras, tenentinho . 😂😂😂😂😂😂

Last edited 1 mês atrás by Mk48
Rafael

Sua ironia tosca se esvai ao abrir um mapa e localizar o Japão. A oportunidade, nesse local do mundo, literalmente esbarra no atacante.

Melhor vinte submarinos convencionais navegando que um nuclear na prancheta.

Ps: na cerimônia de lançamento desse aparelho deve ter tido um salmãozinho. Então, hoje, excepcionalmente, nenhuma piadinha sobre banquetes.

Mk48

Impressionante a sua vontade de lacrar, em vão. . Mais uma vez vou repetir ( se voce tiver dificuldade me fale que eu desenho, ok?) para você e para os lacradores em geral : . Isto aqui é um blog livre, cada um escreve o que quer. Você não é obrigado a ler nem a responder. . Eu vejo as asneiras que você repetidamente escreve , mas passo adiante. Não sinto essa necessidade que você tem de tentar lacrar. . Um conselho para você : criticas são válidas, desde que bem colocadas , sem ódio e/ou ressentimento. . No mais,… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Mk48
Rafael

Ficou nervoso até sem as piadinhas…

Mk48

Errou outra vez.
.
Só fico nervoso quando meu time perde um jogo.

Camargoer.

Olá Mk48. Depois do 7×1 nem isso me deixa nervoso. Contudo, fome e sono me deixam irritado.

Mk48

Oi Camargo,
.
O 7×1…….pra qu vc foi lembrar isso !
😂😂

Camargoer.

Oi Mk48. Serve para eu lembrar de não me preocupar mais com isso. Riso.

Jacinto

O curioso é que até a década de 90, os japoneses só comiam salmão cozido. O principal uso era o shiosake (shio = sal, sake = salmão) comido no cafe da manhã. Uma posta de salmão salgado na noite anterior (para retirar o excesso de líquido da carne e deixá-la mais firme) que era assado até chegar em um ponto bem passado e comido com gohan (arroz) no café da manhã. Sushi de salmão, naquela época, era impensável.

Camargoer.

Olá Jacinto. De fato, é comum no Japão fazer um café da manhã reforçado com arroz branco, salmão e legumes. Para quem visita o Japão é ótimo, porque os hotéis servem um belo café da manhã incluído na diária, que no fim serve como almoço antecipado. Isso faz a gente economizar um belo dinheiro do almoço. Claro que quem quiser encontrará sushi de salmão, mas a maioria mesmo irá escolher sushi de atum. Para mim é uma surpresa que no Brasil tanta gente prefira temaki de salmão (eu prefiro atum). No dia-a-dia é muito comum comer repolho. Muito repolho. Todo… Read more »

Esteves

Esse salmão nosso vem do Chile. 100% da produção deles. Criam em fazendas no mar com antibióticos, corantes e saborizantes.

Atum é melhor.

Camargoer.

Olá Esteves. Atum é melhor. Sem dúvida.

Zeus

Prezados Esteves e Camargo air, o Chile está liquidando sua criação de salmão devido ao fato gerar grave contaminação nas águas, e isto está extinguindo a fauna marinha local. Há reportagens sobre isto. E sobre atum, também prefiro mas a maioria das espécies, principalmente a cobiçada Azul, está em extinção, e os japas são os maiores responsáveis por isto e não vão parar. Inclusive já divulgaram que quando extinguirem o atum, usarão carne de cavalo para sushi. E isto não é piada. Eles testaram vários tipos de carne e concluíram que partes dos cavalos fornecem a delicadeza de sabor que… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Zeus
Esteves

Pois é. Alemão já come carne de cavalo. Vendem nos supermercados. Chineses comem cães, gatos e ratos. Moveu virou refeição.

Sorte do Esteves que come em casa.

Camargoer.

Olá Zeus. Um dos melhores sushis que já provei era de baleia. Carpacho de língua bovina também é uma delícia

Luciano

Camargoer, língua ao vinho, com cogumelos frescos e batatas coradas! Ai vc serve com um Alentejano ou um belo Chianti!

Jacinto

O Japão já come carne de cavalo crua há muito tempo. Chama-se basashi e é bem caro, mesmo para os padrões japoneses.

José Carlos David

Mil vezes a nutritiva, barata e abundante sardinha!

Jacinto

No Japão a sardinha é muito valorizada. Nos melhores restaurantes de sushi tem sardinha marinada no vinagre.

Camargoer.

Olá Jacinto. Uma das melhores coisas a se fazer no Japão é experimentar tofu.. cada local tem um saber diferente, uma textura diferente… o tofu no Brasil é muito parecido. Mesmo sabendo que tem muita produção caseira e artesanal, não muda muito de lugar para lugar… lá no Japão é um festival.

Jacinto

Olha, o motivo pelo qual os japoneses não comiam salmão cru, como sashimi ou sushi, é o fato de o salmão ser conhecido por ter parasitas bem difíceis de serem eliminados. Outra coisa, é que existem salmões e salmões. Estes que a gente recebe do Chile, no Japão jamais seriam usados para sushi ou sashimi. O que eles usam, e mesmo assim não é todo lugar que serve, é o “Keiji” – um salmão “bebe” que não atingiu a maturidade sexual e por isso tem ainda mais gordura do que o normal e o “tokishirazu” que é um salmão selvagem,… Read more »

Camargoer.

Olá Jacinto. Verdade. Repolho é fácil de plantar e cresce até no inverno, ao contrário do alface que é muito sensível á umidade e temperatura. Assim como outras comidas tradicionais em diferentes países, o sushi nasceu com os pescadores pobres, que levavam arroz cozido nas longas pescarias e comiam com peixe cru recém pescado.

Jacinto

Repolho é muito difundido na Coreia e na China também. Um dos alimentos mais consumidos na Coreia é o Kimchi: uma conserva de repolho fermentado com pimenta que é uma delícia.

Camargoer.

Olá Jacinto. Falando em comida apimentada, adoro bibimbap, mas tem que usar pimenta importada da Coreia. O resto até dá para adaptar.

Jacinto

E que a pimenta que os coreanos usam, na verdade, é uma massa de soja, arroz, pimenta e outras coisas que eles deixam fermentar; e se tem uma coisa que é arte, mais do que técnica ou ciência, é fermentação. Em SP tinha um bibimbap maravilhoso no Restaurante Bueno, que apesar de ser um restaurante japones, servia bibimbap porque a sócia era descendente de coreanos. Pena que eles não aguentaram a pandemia…

MauBirochi

Eita, eu viraria uma verdadeira “bomba química” se pudesse ir ao Japão kkkk

Camargoer.

Olá Rafael. Você tem razão. È melhor ter submarinos operacionais do que planejados. Nem precisa ser 20 operacionais, nem precisa ser 1 nuclear planejado. Um submarino convencional operacional é melhor que um submarino convencional planejado. Isso é uam verdade acaciana.

Carlos Campos

Eita que virou um blog de cultura e culinária japonesa. Adorei

Carlos

Não tá fácil!

Camargoer.

Olá Carlos. Se quiser, poder compartilhar sua experiência com kebab, churrasco, lamen, pizza, bibimbap, lasanha…

Camargoer.

Olá Carlos. Sou um nipófilo assumido.

Carlos Campos

também sou, pelo fato de ser Otaku, apesar de quem me ver na rua nunca diria isso, com o tempo fui pesquisando mais sobre o Japão e gosto do mesmo, apesar de seus problemas e erros.

Bosco

Sei que você sabe mas o termo “submarino de ataque” é devido à sua característica clássica na SGM que era a de atacar navios. Hoje o termo é utilizado só por convenção mesmo porque um submarino de ataque, além de atacar navios, está apto a: 1- fazer reconhecimento na costa inimiga; 2- plantar minas “ofensivas”; 3- infiltrar e exfiltrar forças especiais; 4- atacar alvos de alto valor em terra com mísseis de cruzeiro; 5- caçar submarinos inimigos; 6- manter vigilância sobre força de superfície inimiga; 7- dissuasão nuclear (quando armado com mísseis de cruzeiro com ogiva nuclear) ; 8- elemento… Read more »

Mk48

Oi Bosco, boa noite.
.
Sim, sim, exatamente, mas a
afirmação que fiz foi relativa a ataque de vasos de superfície, no sentido das limitações dos SSKs relativas a lentidão em posicionamento, quando o alvo está em movimento e/ou capacidade de evasão após o ataque.
.
No mais, como eu já tinha dito em outro post, e você descreveu acima, a última coisa que um submarino faz hoje é atacar navios.
.
Abs

Esteves

De 1 a 10…justificaríamos os nossos na décima.

Pouco para justificar os 8 bilhões de euros.

Carlos Campos

Pelo que sei esse sub usa pump jet, que é segundo eu li dimuiu ou nem provoca bolhas, sendo mais silencioso que o de hélices, corrijam caso essa informação esteja errada. a tecnologia de baterias do Japão é incrível, além de confiarem nelas para colocar em subs, eles pesquisam baterias de grafeno, e a Toshiba tem ânodos de niobio que fazem as baterias carregarem mais rápido, inclusive vão produzir baterias com essa tacnologia no Brasil e ano passado o Brasil fez um acordo para pesquisar juntos baterias de grafeno.

antonio mattioli

Carlos;
Baterias de Nióbio e esta sendo um sucesso, o grafeno continua em pesquisa, sem conclusão.

Camargoer.

Oi Carlos. De fato, as baterias de íon-lítion são mais eficientes que as tradicionais chumbo-ácido. De modo geral, as baterias de chumbo-ácido são confiáveis e sua tecnologia de construção e manutenção são bem conhecidas. As baterias de submarinos são peças artesanais, feitas sob encomenda. Isso deveria facilitar o uso de outras tecnologias inovadoras. O grande obstáculo seria a homologação de uma nova tecnologia. Seria preciso construir um conjunto de baterias e operá-las em terra por alguns anos para avaliar o seu desempenho a médio e longo prazo. A MB poderia sim investir no desenvolvimento de baterias superiores para os submarinos,… Read more »

Esteves

Não haveria,

  1. demanda
  2. encomendas
  3. volumes

Haveria,

  1. custos altos
  2. preços salgados
  3. falta de continuidade
Camargoer.

Olá Esteves. Uma coisa são baterias para carros, que tem uma escala de milhões por ano. Outra coisa são baterias para submarinos, algumas centenas a cada dez anos. Nunca seria produzidas baterias em escala .industrial porque não existe essa demanda. O problema é um país, qualquer país, que opera submarinos ficar dependente de um fornecedor estrangeiro. O preço alto destas baterias entra no custo elevado de operação.

Esteves

Essas baterias são de uso exclusivo dos submarinos? Essas baterias e a evolução dessas baterias não têm outra aplicação industrial?

Se o produto bateria para uso marítimo com aplicação em navios existe…é porque alguém mandou fazer. Mandou fazer para atender uma encomenda. Para vender. Se não houverem outros componentes nessa cadeia de valor (custos baixos, capacitação, conhecimento, preços pagáveis, financiamento, independência, clientes, inovações)…o produto acaba.

Aqui não há demanda…pedidos para produzir e desenvolver. Não temos.

Parabéns Brilhante Mestre Professor. Abençoados sejam os que ensinam.

Camargoer.

Olá Esteves. Obrigado pela lembrança do dia 15. Obrigado mesmo. Sobre as baterias, uma fábrica delas poderá produzir diversos modelos, desde as pequeninas para motos e pequenos veículos até as enormes para uso industrial. O produto “bateria para submarino Scorpene” tem uma demanda pequena. São fabricadas sob encomenda. Quase artesanal. Mesmo que a frota de submarinos fosse o dobro, a demanda seria pequena. Por outro lado, concordo que quem sabe fazer bateria para submarino sabe fazer bateria para muitas coisas

Luiz Trindade

Gente… É impressão minha ou esse submarino não segue as linhas retas de submarinos ocidentais e russos? Estranho… Não fica fácil de detectar ele não desse jeito?!? Já adianto que sou totalmente leigo no assunto e pergunto por querer entender mais do assunto!

Bruno Vinícius

Luiz, esse ângulo na parte de cima do casco externo do submarino será o futuro, pois reduz o retorno das ondas sonoras do sonar ativo, dificultando a detecção. O novo Type 212CD utiliza um design ainda mais agressivo nesse sentido e o Astute já utilizava essa ideia parcialmente.

Mk48

Bruno, bom dia
.
Otimo comentario, mas vou me permitir fazer uma complementação : O casco de pressão continuará sendo cilindrico, porque ele suporta melhor grandes níveis de pressão.
.
Ocorre que por cima do casco de pressão havera uma especie de segundo casco, este sim com novos formatos .
.
O princípio é o mesmo dos aviões stealth.
.
Vamos ficar de olho no U212CD e acompanhar essa novidade.

Luiz Trindade

Obrigado ao Bruno Vinicius e ao MK48 pelos comentários.

Allan Lemos

Interessante, nem sabia que submarinos poderiam ser lançados ao mar dessa forma, achava que eles sempre tinham que inundar a doca lentamente.

Mk48

Os americanos lançam submarinos desta forma há pelo menos 50 anos.

Rafael Gustavo de Oliveira

Chamar de “forças de defesa” o Japão soa um tanto irônico se comparado ao resto do mundo, mas dai me lembro que a ameaça atacante é um dragão feroz e caio na real…rs

Rafael Gustavo de Oliveira

e tem um urso tambem

Camargoer.

Ola Rafael. A constituição japonesa afirma que o Japão abriu mão do direito de guerra. Isso significa que o Japão não irá iniciar nenhuma guerra por qualquer que seja o motivo. Isso tem a ver com o passado imperial no qual o Japão atacou diversos países, como a Rússia Czarista, EUA, a Austrália, além de invadir diversos territórios, como a China e a Coréia. Por outro lado, o Japão pode responder a uma agressão. Para isso que serve as foras de defesa do Japão. São forças de dissuasão. E você tem razão com entorno “quente”, nem tando pela Rússia ou… Read more »

Esteves

Ainda não entendo totalmente…a origem do ódio. Os chineses proibiram e controlam as religiões. Os coreanos do Norte substituem as religiões pela devoção ao Kim.

Mas…por que e da onde vem esse ódio?

Bruno Vinícius

Esteves, se você está se referindo ao ódio dos chineses e coreanos contra os japoneses, sugiro que você leia sobre os crimes de guerra do Japão na Segunda Guerra Mundial. A crueldade deles naquela região conseguiu ser pior até mesmo que a dos nazistas, com a diferença de que muitos dos criminosos japoneses passaram impunes.

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Esteves

É anterior a isso. Eu me refiro ao ódio dos japoneses. Ódio contra os coreanos e chineses continentais.

Quando os japoneses invadiram o continente não havia estado comunista na China ou na Coreia. Isso foi nos anos 1900/1910. A divisão da Coreia aconteceu em 1945. A revolução comunista de Mao em 1949.

Vai saber. Um dia pergunto pro pasteleiro.

Camargoer.

Olá Esteves. As invasões do Japão durante o período pré-guerra e mesmo durante a II Guerra foram motivadas no mesmo contexto fascista de “espaço vital”. Foram guerras de expansão e também de ocupação. A visão do governo militarista japonês era baseada na suposta superioridade racial e moral do Japão sobre os demais povos (superior inclusive aos povos europeus). Os crimes de guerra e contra a população civil local são resultado desta visão fascista de superioridade racial. A derrota do Japão e a ascensão de uma esquerda (que antes era violentamente reprimida pelo refime militarista japonês) mudou essa visão na qual… Read more »

Esteves

Não mudou. Eles ainda acreditam na origem divina. As religiões que surgiram no Japão após a guerra unem-se.

Juntam maoísmo, taoismo, xintoísmo, cristianismo e…apresentam um novo messias que veio representar deus no Japão. Para juntos construírem a Utopia do Paraíso na Terra. No Japão. E depois…

Essas religiões tem milhares de adeptos que eles lá dizer ser milhões. Dezenas de milhões. Messiânicos à procura do messias que encontram na Happy Science, na Messiânica e outras centenas que aqui seriam neo pentecostais.

Money.

La superiores. Aqui escolhidos.

Jacinto

A relação entre chineses, japoneses e coreanos é muito mais antiga. A primeira vez em que japoneses, chineses e coreanos lutaram no mesmo campo de batalha foi no século VII. Ainda antes de chegarmos no século XX, teve de tudo: A Coreia foi invadida tanto pelo Japão quanto pela China algumas vezes (no plural mesmo). E mesmo quando não estava invadida pelo Japão ou a China, a Coreia esteve sempre em uma quase guerra civil dado os apoios estrangeiros a grupos distintos. O fato de a Coreia ter sido sempre um campo de batalhas cobrou um preço muito alto em… Read more »

Esteves

Sem dúvida. Continuamente.

Esteves

Antes. Nos anos 1900.

Bruno Vinícius

Verdade esteves. Tinha me esquecido que a invasão japonesa do sudeste asiático começou algumas décadas antes da 2GM

Esteves

Aqui quando pergunto a japoneses…com relação aos coreanos…há um silêncio que não me atrevi a perguntar onde e porque existe. Ainda.

Camargoer.

Olá Esteves. Acho que esta questão xenófica é pontual e não representa o pensamento majoritário no Japão. Aqui na trilogia ainda vemos manifestações preconceituosas contra os argentinos sem qualquer fundamento moral ou histórico. Acho que o tema de saber qual o sentimento da comunidade nipobrasileira sobre os chineses, coreanos e argentinos. MInha hipótese é que será muito parecida com o sentimento do brasileiro médio. Aliás, o preconceito do brasileiro contra o chinês é bem alto também.

Esteves

Sim. Mas os japoneses com quem falo…ganham a grana aqui, vivem aqui, respeitam aqui. Mas o lar deles é lá. Sendo possível e melhor, voltariam pra lá. O problema é que no Japão tem que trabalhar mais. O componente fascista da superioridade racial Esteves entende. O que Esteves ainda não entende é o ódio contra os chineses e o ranço contra os coreanos. Anteriores, ranço e ódio, às ocupações que realizaram em 1900/10. Talvez porque o budismo tenha construído uma visão que foi se estreitando até chegar nas ilhas e por conta desse abandono materno veio a mágoa de querer… Read more »

Andromeda 1016

Antes da era Meiji o Japão era um país subdesenvolvido e dependia da China e da Coreia para receber conhecimentos e cultura avançada. Isso criou um complexo de inferioridade neles que quiseram erradicar quando se tornaram um potência na era Meiji, e nisso criaram todas aquelas crenças de superioridade que tem até hoje por lá. Essa é a origem do “ódio” deles em relação aos chineses e coreanos.

A6MZero

Na verdade é ainda mais antigo antes do Império Coreano do final dos anos 1800 e inicio dos 1900, o Japão já tinha lançado diversas campanhas e invasões contra a Dinastia Joseon, tais invasões tanto do Japão quanto da China remontam aos séculos XVI e XVII, as nações daquela região sempre tiveram uma tendência expansionista.

Camargoer.

Olá Bruno. O Japão mantém relação comerciais, científicas e culturais muito estreitas com a Coreia do Sul e com a China. Ainda existem problemas de ordem diplomática cuja origem remonta o período anterior á II Guerra, da II Guerra e da Guerra Fria, mas que de modo algum refletem na relação entre os povos. A comunidade chinesa residente no Japão é enorme, creio que é a maior comunidade estrangeira no Japão (muito mas muito maior que a brasileira). A comunidade coreana (do sul) no Japão é menor mas é muito bem integrada. Vou procurar algum material de pesquisa sobre esse… Read more »

Camargoer.

Olá Esteves. A comunidade chinesa residente no Japão é imensa, sem falar no enorme fluxo de turistas chineses no Japão. A despeito do passado de guerra entre os países, esse intenso fluxo de pessoas entre o Japão e a China e até mesmo entre o Japão e a Coreia do Sul diluiu bastante a inimizade. Além disso, existe uma enorme integração industrial entre o Japão, China e Coréia do Sul. Eu achava muito curioso o sucesso das séries e da musica da Coreia do Sul no Japão. Por outro lado, o isolamento cultural e econômico da Coreia do Norte e… Read more »

Esteves

Sim. Isso também impressiona o Esteves.

As series coreanas. A integração natural. Round 6 é muito boa.

johnwolque

por que vc é tão negativado ?teus posts são de boa ,não entendo isso

Carlos

Talvez porque a cor preferida dele seja a vermelha.

Camargoer.

Olá Jojhn. Seria mais fácil se os colegas colocassem um comentário apresentando argumentos diferentes dos meus, apontando equívocos ou complementando as informações. Como não o fazem, então assumo que meus comentários estão corretos e que a “negativação” é apenas uma espécie de resmungo. Eu também resmungo de vez em quando.

sub urbano

A demanda por lítio no mundo é gigante e ainda vai ter guerra por causa desse mineral. A Bolivia tem reservas gigantes que se bem aproveitadas poderiam colocá-la no patamar de um país árabe.

Antoniokings

A demanda por lítio é gigante e a China controla a maioria das minas pelo Mundo.
Semana passada compraram uma de uma empresa canadense.

Vinícius da Silva

Qual foi a empresa canadense que os Chineses compraram?

737-800RJ

Com a mentalidade política que existe lá, assim como na Venezuela, não adianta nada nenhuma fonte de riqueza. Esta última tem quantidades absurdas de petróleo, mas insiste em erros econômicos jurássicos, e o que ela mais exporta ao mundo hoje, principalmente para o Brasil e para a Colômbia, são refugiados…

Esteves

Esteves cresceu vendo, lendo e ouvindo tudo isso. O minério da época era o ferro. Quadrilátero Metalífero em MG e Carajás no PA.

Até o Coronel Curio morreu pobre. O Brasil vai no mesmo caminho.

Dalton

Submarinos da classe Taigei terão um compartimento e banheiro exclusivo para mulheres
cujo número apenas aumenta na marinha japonesa. Mulheres submarinistas vieram para ficar vide US Navy que está construindo submarinos pensando nelas e modificando submarinos já comissionados.

Carlos

A tendencia é que os próximos submarinos americanos tenham um só banheiro.

Dalton

Pelo que entendi a tendência é acabar com os “mictórios”, mas, mulheres, ainda assim necessitarão de um certo grau de privacidade, especialmente em submarinos e terão um banheiro apenas para elas.

Bosco

A USN é muito tradicional. O certo seria ter 3 “banheiros” . Um para eles , outro para elas e um terceiro para ilus.
Na verdade seria interessante ter um quarto, para unicórnios, mas ainda não se tem notícias de unicórnios terem se alistado na USN.

Carlos

…mas ainda não se tem notícias de unicórnios terem se alistado na USN.

É só uma questão de tempo.

Esteves

Eu não imaginei que a vida dos submarinistas era assim tão…diversa.

Last edited 1 mês atrás by Esteves
Dalton

Boa Bosco 🙂 ! Mas, por enquanto nos NAes da classe Gerald Ford se terá o banheiro que não discrimina gênero. Continuará a existir banheiros separados para homens e mulheres mas, nada de “mictórios” o que também
permitirá caso a população feminina a bordo aumente mais banheiros possam ser destinados a elas.

Saldanha da Gama

Meu caro Bosco, a tendência é o sub virar um banheiro ambulante, já imaginou este cômodo para Homem, mulher e um para cada das letras lgbt+-@, só aqui seriam uns 8 banheiros e quem sabe em futuro próximo, mais 1 para os ets…. Ahh sim, acho que se aplicaria muito mais a nós do que para a marinha dos eua…
abraços

Last edited 1 mês atrás by Saldanha da Gama
Camargoer.

Olá Saldanha. Creio que existe uma confusão entre orientação sexual e necessidade fisiológica. O fato de existirem banheiros separados para homens e mulheres está relacionado com a possibilidade de assédio e constrangimento sexual. Nem quero entrar na questão da higiene, porque eu também odeio banheiro sujo de urina. Nos útlmos anos, surgiu uma demanda por banheiros de família, onde os país podem acompanhar as suas filhas pequenas e as mães podem acompanhar os seus filhos pequenos. Isso mostra que essa questão vai muito além do sexismo ou homofobia.

Esteves

Pois é. Imagino isso dentro de um submarino.

Levar orientação sexual para dentro de um navio no momento em que, no mundo civilizado, surgem tripulações de ambos os sexos…é meio repugnante.

Higiênico. Limpo. Se vai mijar sentado ou em pé…qual a diferença?

Mas como o machismo impera no império do mar…melhor fazer banheiro separado. Se juntar vão achar que porque juntou é tudo unido.

Sem falar dessa fixação pelo comprimento dos torpedos.

Last edited 1 mês atrás by Esteves
Camargoer.

Olá Esteve. Pois é. Eu não entendo essa procupação com sexualidade dos outros. Quem assistiu “Beleza Americana” já parou para pensar essa gente se preocupa demais com o que os outros falam ou pensam.

Esteves

Belo filme. Havia me esquecido.

Camargoer.

Olá Esteves. “Beleza Americana” e “Encontros e Desencontros”..

Carlos Campos

Acho desnecessário w mais um gasto. Basta ter horários diferentes para homens e mulheres usarem. Quanto a mulheres no submarino acho legal até rende anime isso daí. Outro ponto positivo é que eu gosto de mulheres em uniforme

Teropode

🤔 Sem hélices ? Será que a propulsão eh a tal pumjump , sistema utilizado em jetskis ? Acredito que o próximo passo será a classe Hiroshima , quem tem menos de 45 talvez o vera !!!

Veiga 104

O nome é em homenagem as baleias que eles matam todos os anos.

Carlos Campos

kkkkk

Esteves

Matam golfinhos também.

Gilson Elano

O Brasil poderia encomendar mais dois subs, da classe Riachuelo, sendo que no segundo dessa nova encomenda, deveria se iniciar os trabalhos com baterias de lítio.

Last edited 1 mês atrás by Gilson Elano
Allan Lemos

Acho que isso demandaria um dinheiro que o Brasil não tem.

Esteves

Pois é.

Up The Irons

Dinheiro tem de sobra, inclusive com o atual orçamento. Poderíamos encomendar mais 4 submarinos. Mas a prioridade é pagar os salários dos 80.000 funcionários da Marinha do Brasil e de outras dezenas de milhares de pensionistas. Deixa pra lá…

Camargoer.

Caro Up. São duas verdades, mas que combinadas teriam outra conclusão. De fato, a MB usa praticamente 80% do seu orçamento para pagar 80 mil militares da ativa mas também para pagar os seus militares da reserva. Acho que o pessoal da ativa consome cerca de 35% do orçamento e o pessoal inativo cerca de 45%. Ainda assim, o orçamento da MB é da ordem de R$ 20 bilhões, o que sobra cerca de R$ 4 bilhões para custeio e equipamento novo. Só o ProSub consome cerca de R$ 1~1,5 bilhão. Não dá para cortar gastos com pessoal inativo. Então… Read more »

Bardini

Nessa altura do campeonato, em plena reta final de 2021, desenvolver uma indústria de baterias nacional, via programa da MB para equipar submarinos, seria muito mais estratégico do que se quebrar por mais 15 anos para por um reator nuclear dentro de um protótipo de submarino francês, que será o primeiro do último. Pq? Simples: mercado! . A capacidade de spin-off para uma tecnologia de bateria que preste e que seja eficiente, é muito grande. O Brasil vai ter de fazer uma transição na sua frota de veículos. Só nesse único fator, já reside um potencial gigantesco, para se criar… Read more »

Esteves

Deixar o Ipen sem recursos para a produção de radioisótopos é um crime. Não permitindo que o Ipen exerça a missão para a qual foi criado (pesquisa e produção nuclear incluindo reatores) ficamos obrigados a importar do Canadá.

O problema no Ipen é o envelhecimento da instituição e dos cientistas. A falta de continuidade é consequência. O instituto está se tornando uma Chernobyl.

Sem a capacitação do Ipen…sem as mentes do Ipen que já poderiam ter entregue qualquer RMB da vida e até um reator de 4a.geração…quero ver terminarem o que começaram em 1979.

Bosco

Há um conceito de submarino AIP que adota um pequeno reator nuclear da classe kW para carregar as baterias. No fundo é um submarino elétrico longe do desempenho de um verdadeiro submarino nuclear.
O Brasil devia ter buscado essa solução.

Mk48

Tecnicamente um submarino equipado com um reator nuclear também é AIP.

Bosco

Sem dúvida. Mas de modo geral se entende a tecnologia AIP como um meio termo entre os submarinos DE e os nucleares.
A própria USN classifica os submarinos em SSN (nuclear) , SSK (DE) e SSP (com tecnologia AIP).
Quanto ao termo “ataque” mencionado antes, interessante que a USN classifica os submarinos nucleares de “fast attack”.
Sobre a tecnologia AIP que adota energia nuclear , na verdade eu acho que deve ser uma bateria atômica de radioisótopos e não um verdadeiro reator nuclear.
Vou ver se acho algo. Salvo engano aqui mesmo no Naval esse assunto já foi ventilado.

Mk48

👍👍👍👍👍

Bosco

Mk,
Fiz um comentário sobre o poder de fogo do navio chinês no post anterior mas não foi liberado. Se é post sobre a China o dobermann me boicota. Preconceito!
Depois dê uma olhada lá!

Mk48

Beleza Bosco !
.
Abs.

Mk48

Bosco,
.
Não entendo esses filtros aqui do Blog.
.
Outro dia um lacrador mal educado me xingou num post e o filtro liberou.
.
Por outro lado, escrevemos as vezes sobre alguns assuntos ou citamos nomes de certos paises e instituicoes, o post fica retido.

Diego

Acho que os reatores nucleares pequenos que existem por ai todos estão na faixa de MW, dispositivos nucleares com potencia menores estão nos programas espaciais, mas na classe de centenas de watts, e são geradores termoelétricos radioisótopos que funcionam com o calor produzido pela decomposição do plutônio 238. No início dos anos de 2010, a NASA andou pesquisando um projeto de um reator de fissão nuclear que gerava em torno de 10 a 40 KW, não sei como anda o projeto, mas acho que a tendência é que este tipo de reator tenha mais futuro na exploração espacial e não… Read more »

Mk48

Bosco,
.
Uma caracteristica interessante dos SSP é que eles só atingem altas velocidades submersos, digamos em torno de 20 nós, quando usando as baterias.
.
O AIP gera eletricidade para carregar as baterias (entre outros sistemas).
.
Ou seja : Se um SSP em submersão precisa se deslocar em velocidade, tem que usar as velhas e boas baterias. Não pode usar o sistema AIP gerando eletricidade diretamente para a propulsão e atingir esse nivel de velocidade.
.
O sistema AIP dá endurance , mas não performance.

Last edited 1 mês atrás by Mk48
carvalho2008

É o que defendo como alternativa de salvação e desenvolvimento em Y bifurcação do programa do submarino nuclear brasileiro. Utilizar toda a matriz nuclear já instalada em Itaguai e implementar reatores AMPS. Isto permitiria colocar os Classe Riachuelo numa fila de conversão em seus respectivos PMGs. Sairiam com esta capacidade de autonomia ininterrupta e agregariam um PLUS passivel de venda e comercialização a nações interessadas. Itaguai poderia ser uma base de exportação e manutenção desta classe de Riachuelos. Embora não suficiente para translados de alta velocidade, na pratica nas manobras de combate em aproximação não são muito diferentes destes 8… Read more »

carvalho2008
Bosco

É isso Carvalho.
Acho esse conceito muito interessante, principalmente associado a baterias como as de lítio.
Eu acho que aqui no Naval já foi feito um artigo sobre esse conceito.
Valeu!

carvalho2008
carvalho2008

https://pbs.twimg.com/media/DuGjTXeUcAAu935?format=jpg
CRAWLER uses a heat-pipe reflector-controlled fast reactor based on the Mars Surface Reactor design. BOREAL uses a Canadian 1.7MW TRIGA fuelled AMPS-1000 design. Considered SAGA-N, which is another AMPS variant but it has a lot of moving parts and we wanted a “nuclear battery”

carvalho2008
carvalho2008
Nick

Próxima classe eles poderiam imaginar um sub com baterias Ion-Litio + AIP-> em tese o dobro da autonomia sem uso dos motores diesel….

Last edited 1 mês atrás by Nick
Mk48

Interessante a nomenclatura dos navios dessa classe.
.
Seguindo a mesma linha provalvelmente o 3o será o ………Mikaguei

Digo
Last edited 1 mês atrás by Digo
Mario José

O Galante me corrija se estou errado mas não vejo helices ou outro sistema propulsor..Como é isso?? Será que os caras desenvolveram um sistema novo?? Abraços

Camargoer.

Olá Mario. Eu também não vi os hélices do submarino nas fotos. Acho que serão instaladas em outro momento.

Esteves

Nenhuma imagem mostra. Ou é segredo ou o submarino solta pum.

Camargoer.

Olá Esteves. Retomando a discussão, natô causa muito pum.

ROBERT

Creio que, com a crescente postura agressiva e ameaçadora da China, o Japão, igual a Austrália e Coreia do Sul, deve analisar seriamente e o quanto antes, a produção e incorporação de Submarinos nucleares de ataque.

Camargoer.

Olá Robert, O Japão já operou um navio de pesquisas com propulsão nuclear, além de ter total independência na tecnologia de construção de grandes reatores. Creio que caso fosse de importância estratégia, o Japão já teria desenvolvido seus submarinos com propulsão nuclear ao invés de investido em tecnologia AIP.

Esteves

Não sei, não sei.

Convencer a população da necessidade de construírem coisas nucleares para a guerra é diferente de investirem em centrais nucleares porque eles precisam delas para gerar energia.

Banzai…de novo?

Last edited 1 mês atrás by Esteves
Camargoer.

Olá MK48. A extrema-direita japonesa (pequena e barulhenta) defende a retomada do Japão Imperial e militarista. Eles aprovam até a construção de uma bomba atômica. Por outro lado, existe um importante setor da população contrária ao uso de tecnologia militar e é contra a presença de forças dos EUA. O Japão vem tendo governos de direita há várias décadas e nenhum deles jamais propôs o uso de energia nuclear em submarinos. Acho difícil que qualquer governo de esquerda ou direita no Japão tenham a iniciativa de usar energia nuclear para fins militares, a despeito deles dominarem todo o ciclo nuclear.… Read more »

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Reator nuclear pode tornar Brasil autossuficiente em radiofármacos

Empreendimento reduzirá riscos de desabastecimento e custos dos medicamentos, além de ampliar o acesso dos brasileiros à medicina nuclear São...
- Advertisement -