quinta-feira, maio 26, 2022

Saab Naval

Submarino USS Connecticut atingiu uma montanha subaquática no mês passado, diz a Marinha dos EUA

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Uma colisão submarina que feriu 11 membros da tripulação de um submarino nuclear dos EUA no mês passado foi causada por um monte submarino desconhecido (uma montanha subaquática), disse a Marinha dos EUA.

O USS Connecticut, um submarino de ataque rápido da classe “Seawolf”, atingiu o objeto então não identificado em águas internacionais no Mar da China Meridional em 2 de outubro, resultando em ferimentos moderados a leves. Na época, a Marinha não especificou os danos que a embarcação sofreu. O submarino conseguiu chegar a um porto em Guam viajando na superfície do oceano.

Uma investigação descobriu que o Connecticut “atingiu um monte submarino desconhecido”, disse a 7ª Frota em um comunicado.

Ele acrescentou que o comandante da frota vai agora pesar “se as ações subsequentes – incluindo a responsabilização – são apropriadas”, o que implica que o erro humano pode ter de alguma forma desempenhado um papel na acidente submarino.

Em 2005, outro monte submarino desconhecido perto de Guam foi atingido pelo USS San Francisco, resultando em vários feridos e uma morte entre a tripulação.

Os pesquisadores acreditam que mais de 100.000 montanhas submarinas se elevam a mais de 1.000 metros (cerca de 3.300 pés) do fundo do mar, de acordo com a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional.

A maioria dos montes submarinos foi formada por vulcões submarinos. Eles são comuns em bacias oceânicas, mas apenas uma pequena fração dos montes submarinos do mundo foi explorada. Os habitats que eles criam são vistos como focos biológicos, abrigando uma grande variedade de vida marinha.

“Novas estimativas sugerem que, em conjunto, os montes submarinos abrangem cerca de 28,8 milhões de quilômetros quadrados da superfície da Terra”, diz a NOAA. “Isso é maior do que desertos, tundra ou qualquer outro habitat global baseado em terra no planeta.”

Montanhas submarinas no Pacífico e no Índico

Como um submarino de ataque pode colidir com uma montanha subaquática?

Então, como exatamente um submarino de bilhões de dólares equipado com recursos de ponta colide com uma montanha submarina? Um ex-submarinista dos EUA conversou com o Business Insider sobre como algo assim pode ocorrer.

“É muito raro que isso aconteça”, disse Bryan Clark, ex-oficial de guerra submarina da Marinha dos EUA e especialista em defesa do Instituto Hudson. “Há muito planejamento cuidadoso nessas operações.”

“Você faz esse planejamento cuidadoso para descobrir quais são os melhores mapas ou cartas náuticas que temos da área, qual é o nosso plano para onde vamos operar em termos de profundidade, qual é o risco de haver algo desconhecido no fundo, seja um monte submarino ou uma pilha de contêineres ou algo assim, e como evitar áreas que podem ter esse tipo de perigo”, disse ele.

Mas às vezes contingências inesperadas forçam mudanças nos planos, às vezes os mapas não são tão bons quanto deveriam ser e às vezes os marinheiros cometem erros.

O Mar da China Meridional é um ambiente operacional desafiador para submarinos porque é muito raso, limitando as profundidades nas quais um submarino pode operar com segurança com baixo risco de ser detectado ou colidir com algo.

Para tornar as coisas mais difíceis para os submarinos, “os mapas de um lugar como o Mar da China Meridional podem não ser tão detalhados quanto você deseja”, disse Clark.

Se um submarino está tentando ficar quieto e operar sem ser detectado, então provavelmente estará mais perto do fundo e não contará com um sonar ativo, que pode alertar o submarino para quaisquer perigos potenciais, como minas navais, em seu caminho, mas também alertará sua posição a quaisquer potenciais adversários.

Então, nessa situação, “você não tem nada olhando para a frente em termos de sonar ativo”, disse Clark. “E, claro, você não tem nenhuma indicação visual do que está à sua frente.”

Os submarinos possuem sonar passivo, mas que detecta apenas coisas que estão fazendo ruído. “Se você tem algo à sua frente que não faz nenhum barulho, como um monte submarino, você pode não saber que está lá até que se depare com ele”, explicou Clark.

“Você pode estar com o seu ecobatímetro, que é o que você pode usar para medir a profundidade da água abaixo do navio. Ele tem um feixe bem estreito, então não é tão detectável”, disse ele. “Mas o problema é que ele detecta apenas a profundidade embaixo do submarino e não à frente do submarino.”

Esse sonar voltado para o fundo poderá detectar inconsistências nas cartas e mudanças sutis na profundidade, mas pode não necessariamente fazer uma embarcação passar por um ponto cego, onde uma característica topográfica não mapeada pode estar subindo bruscamente do fundo do oceano.

“Você poderia ter um monte submarino na sua frente antes que seu ecobatímetro tivesse a chance de detectá-lo e você pudesse topar com ele”, disse Clark,

Ele explicou que esses são os desafios que os submarinos enfrentam, não importa o quão avançados sejam. Os submarinos tentam evitar esses perigos operando alto o suficiente na coluna d’água, mas às vezes nem sempre é uma opção.

Não está claro exatamente o que aconteceu com o Connecticut, já que a investigação do comando ainda não foi divulgada. A investigação foi encaminhada ao comandante da 7ª Frota, que tomará as decisões de responsabilização relevantes. O submarino está atualmente em Guam, passando por reparos iniciais.

No vídeo abaixo, feito no simulador Command Modern Operations, o USS Connecticut operando no Mar da China Meridional. Observar as profundidades locais que aparecem no cursor, em torno de 300 pés (100 metros) na plataforma continental. É uma área muito rasa para submarinos nucleares operarem com segurança.

FONTE: NPR / Business Insider

- Advertisement -

30 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alexandre Cardoso

Bom dia!
Uma pergunta de leigo. Objetos ao redor de submarinos não poderiam ser detectados usando algum tipo de Laser? Hoje em dia estão desenvolvendo laser para tudo que é tipo de coisa …

Esteves

Esse aqui podia detectar.

https://youtu.be/5dRyBfW78qQ

Marcus

Entendi.

Last edited 6 meses atrás by Marcus
Lucas

Acredito que laser teria o mesmo problema do sonar.
Tornaria o submarino detectável com mais facilidade (pq no fim das contas o laser é nada mais que um feixe de luz).

Esteves

Submarino escuta. Submarino não vê.

Jacinto

Em geral existem embarcações que mapeiam o fundo do mar para produzir mapas. Mas como a região tem atividade vulcânica, o fundo pode mudar muito rapidamente. Lá na costa da África, surgiu uma montanha submarina de 820 metros em consequência de vulcanismo que despejou 5km cúbicos de lava no fundo do mar.

Rogério Loureiro Dhiério

Nova arma chinesa contra os submarinos inimigos.

Colocar montanhas subaquáticas no caminho deles.

Cerberosph

Como dizia o poeta Belchior em uma de suas letras: tendo dinheiro não há coisas impossíveis…

Alexandre Cardoso

Parece que está funcionando …

Agressor's

Eles dizem que é impossível haver outra guerra mundial novamente, mas porque investem tanto em armamentos desse porte?

Agnelo

Para não ter uma guerra mundial novamente…..

Agressor's

“Aprender a lutar para não ter que lutar”

Senhor Miyagi.

Pedro

Deterrência!

Matheus S

Só para constar, a USN não disse onde ocorreu a colisão com a suposta montanha subaquática, e nunca o fará provavelmente. Partindo desse preceito, a profundidade média dali é em torno de 1.200 metros, algumas profundidades podem chegar a acima de 2.000 metros. Se o Connecticut estivesse navegando em submersão profunda na parte nordeste do Mar do Sul da China, onde profundidades essas maiores que 2.000 metros prevalecem, atingindo uma montanha abaixo d’água desconhecida, nenhuma falha poderia ser atribuída ao CO. Se, conforme mostrado no vídeo colidiu com uma montanha subaquática que não estava ali anteriormente, existe uma grande possibilidade… Read more »

Slow

Quase me convenceu kkkkkk

Hcosta

Foram atacados?

Slow

Eu disse isso ?

Antoniokings

Mapas submarinos americanos: ‘La garantia soy yo!’

100nick-Elã

É a flagrante incompetência, aliada à arrogância, norte-americana.

Hcosta

Kursk? E numa situação muito mais grave. E a arrogância dos Russos de não aceitarem ajuda…

Antoniokings

E nem com ‘cinco olhos’ conseguiram enxergar uma montanha no meio do caminho.
Bizarro.

Fernando Veiria

Eles não tinham as cartas soviéticas para navegar pela rota Vermelho 1.

Alexandre Cardoso

bom nesse caso, só comprar dos russos, se for muito caro, quem sabe os russos aceitam fazer no cartão, no crediário …

Jacinto

O comentário do Fernando é uma piada com o filme (e livro) “Caçada ao Outubro Vermelho”…

Sincero Brasileiro da Silva

Estava caminhando e tropecei em uma pedra… Tropecei em uma pedra enquanto caminhava…

Fabio Araujo

Um conjunto de câmaras normal, infravermelhas com leds desse tipos para reforçar a iluminação!

Max

As mudanças climáticas que colocaram a montanha no caminho do USS Connecticut.
O HMS Onyx foi outro que tropeçou numa pedra.
Tem que instalar umas antenas de barata nessas naves.
rsrs

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios de guerra britânicos podem ser enviados para quebrar o bloqueio de Putin aos portos do Mar Negro

A Grã-Bretanha está coordenando com seus aliados um plano potencial para enviar navios de guerra ao porto de Odessa,...
- Advertisement -