sábado, maio 28, 2022

Saab Naval

China tem a maior marinha do mundo com 355 navios e contando, diz o Pentágono

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A China tem a maior força marítima do mundo, com uma frota de cerca de 355 embarcações, de acordo com um relatório do Departamento de Defesa divulgado no dia 3 de novembro.

Com 355 navios em sua frota, a Marinha do Exército de Libertação Popular (PLAN) deve expandir seu estoque para 420 navios nos próximos quatro anos, estima o relatório militar anual do Pentágono na China. Até 2030, a PLAN deve ter 460 navios.

A estimativa de 355 é contabiliza “grandes combatentes de superfície, submarinos, porta-aviões, navios anfíbios oceânicos, navios de guerra contra minas e auxiliares de frota”, de acordo com o relatório, que cobre eventos em 2020.

“Este número não inclui 85 combatentes de patrulha e embarcações que carregam mísseis de cruzeiro antinavio (ASCMs). Muito desse crescimento ocorrerá em grandes combatentes de superfície”, diz o relatório.

O relatório, que é exigido pelo Congresso a cada ano, descreve a Marinha da China como tendo ambições crescentes de operar com plataformas mais versáteis além da região do Indo-Pacífico.

Porta-helicópteros Type 075

“Em direção ao objetivo da RPC de construir uma ‘força naval forte e modernizada’, a PLAN é uma força cada vez mais moderna e flexível que se concentrou na substituição de suas gerações anteriores de plataformas que tinham capacidades limitadas em favor de combatentes multifuncionais maiores e modernos,” diz o relatório. “A partir de 2020, a PLAN é amplamente composta por plataformas multifuncionais modernas com armas e sensores avançados antinavio, antiaéreo e antissubmarino. A PLAN também está enfatizando operações conjuntas marítimas e integração conjunta dentro do PLA. Esta modernização está alinhada com a ênfase crescente da RPC no domínio marítimo e demandas crescentes para que a PLAN opere a distâncias maiores da China.”

O lançamento do relatório do Pentágono nesta semana ocorre em meio ao aumento das tensões entre a China e Taiwan. No mês passado, a China voou dezenas de suas aeronaves no espaço aéreo internacional perto de Taiwan.

De acordo com o relatório militar, a China está buscando novas capacidades de guerra antissubmarino e capacidades de ataque de longo alcance, incluindo mísseis de cruzeiro de ataque terrestre que poderiam ser lançados de navios de superfície e submarinos.

“No curto prazo, a PLAN terá a capacidade de conduzir ataques de precisão de longo alcance contra alvos terrestres de seus submarinos e combatentes de superfície usando mísseis de cruzeiro de ataque terrestre, melhorando notavelmente as capacidades de projeção de poder global da RPC”, diz o relatório. “A PRC está aprimorando suas capacidades e competências de guerra antissubmarino (ASW) para proteger os porta-aviões e submarinos de mísseis balísticos da PLAN.”

Fragata Type 054A
Destróier Type 055

O Pentágono espera que a China coloque mísseis de cruzeiro de ataque terrestre em seus novos combatentes de superfície e submarinos nucleares de ataque. Por exemplo, o relatório espera que a classe “Renhai” de destróieres Type 055 (considerados cruzadores pelos EUA) de mísseis guiados possa lançar mísseis de cruzeiro de ataque terrestre.

“Nos próximos anos, a PLAN provavelmente colocará LACM (Land Attack Cruise Missile) em seus novos cruzadores e destróieres e submarinos nucleares de ataque Type 093B em desenvolvimento. A PLAN também poderá equipar seus combatentes de superfície e submarinos mais antigos com capacidades de ataque terrestre”, diz o relatório. “A adição de capacidades de ataque terrestre aos combatentes de superfície e submarinos da PLAN fornecerá ao PLA opções de ataque de longo alcance flexíveis. Isso permitiria à RPC manter alvos terrestres em risco além da região Indo-Pacífico do domínio marítimo.”

Na frente de submarinos, o relatório estima que a China continuará construindo e comprando submarinos convencionais, enquanto também constrói novos com mísseis balísticos e com propulsão nuclear.

“Equipados com o míssil balístico lançado por submarino CSS-N-14 (JL-2) (SLBM), os seis SSBNs operacionais da classe Jin da PLAN representam o primeiro dissuasor nuclear baseado no mar com credibilidade. Cada SSBN classe Jin pode transportar até 12 SLBMs JL-2. Em 2019, Pequim exibiu esses mísseis no desfile do 70º aniversário da RPC, revelando que pelo menos um complemento total de 12 JL-2s está completo e operacional”, diz o relatório. “A próxima geração do SSBN Type 096 da RPC, que provavelmente começou a ser construída no início de 2020, terá um novo tipo de SLBM. Espera-se que a PLAN opere os SSBNs Type 094 e Type 096 simultaneamente e poderá ter até oito SSBNs até 2030. Isso se alinha com a diretriz de 2018 do presidente Xi Jinping para a força SSBN alcançar um ‘crescimento mais forte’”.

SSBN Type 094A e SSN Type 093

O relatório do Pentágono estima que a China manterá uma frota de 65 a 70 submarinos na próxima década e trocará seus submarinos antigos por outros mais novos “quase um a um”.

“A RPC continua a aumentar sua frota de submarinos convencionais capazes de disparar mísseis de cruzeiro antinavio avançados (ASCMs). Entre meados dos anos 1990 e meados dos anos 2000, a PLAN comprou 12 unidades SSK da classe Kilo de fabricação russa, oito das quais são capazes de lançar ASCMs. Os estaleiros da China entregaram 13 classes Song SS (Type 039) e 17 Yuan diesel-elétrico (SSPs) (Type 039A/B). Espera-se que a RPC produza um total de 25 ou mais submarinos da classe Yuan até 2025”, segundo o relatório.

O relatório observa que a frota de submarinos da China está aumentando “modestamente à medida que trabalha para amadurecer sua força, integrar novas tecnologias e expandir seus estaleiros”.

Quanto ao seu arsenal nuclear, o Departamento de Defesa diz que a China provavelmente deseja ter 1.000 ogivas nucleares até o final desta década, uma projeção que supera a última estimativa do Pentágono sobre o ritmo de desenvolvimento nuclear da China.

“No ano passado, o DoD estimou que a RPC tinha um estoque de ogivas nucleares na casa dos 200 e projetou que pelo menos dobraria na próxima década”, diz o relatório. “Desde então, Pequim acelerou sua expansão nuclear, o que pode permitir que a RPC tenha até 700 ogivas nucleares entregáveis ​​até 2027 e provavelmente pretende ter pelo menos 1.000 ogivas até 2030.”

Via Thomas Shugart (@tshugart3) no Twitter

O relatório observa especificamente um objetivo recente que a China estabeleceu de alcançar certas iniciativas de modernização até 2027, uma meta que o Pentágono diz que pode ter implicações para Taiwan.

“Se concretizadas, as metas de modernização do PLA para 2027 poderiam fornecer a Pequim opções militares mais confiáveis em uma contingência de Taiwan”, diz o relatório.

Uma dessas iniciativas de modernização cobre capacidades de ataque de longo alcance.

“Ao longo de 2020, o PLA continuou a perseguir seus ambiciosos objetivos de modernização, refinar as principais reformas organizacionais e melhorar sua prontidão de combate de acordo com esses objetivos”, diz o relatório. “Isso inclui o PLA desenvolver as capacidades para conduzir ataques conjuntos de precisão de longo alcance em todos os domínios, espaço cada vez mais sofisticado, contra-espaço e capacidades cibernéticas, e acelerar a expansão em grande escala de suas forças nucleares.”

FONTE: USNI News

NOTA DA REDAÇÃO: Para acessar o relatório do DoD, clique aqui.

NOTA 2: No gráfico abaixo, a composição dos principais combatentes de superfície da PLA Navy em 2025, segundo a estimativa otimista do usuário @louischeung_hk do Twitter:

- Advertisement -

138 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
138 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Moriah

A China usa Taiwan como argumento para aumentar sua projeção de força sobre terra, mas não com objetivo total de apenas conquistar a ilha (lembrei de Roma motivada por Cartago). Ela quer mesmo é mostrar que pode fazer isso em qualquer lugar do mundo. Sua capacidade nuclear mostrada é infinitamente menor que a dos EUA ou Rússia, mas o que Pequim chama de “voltar à guerra fria” seria então em termos nucleares, buscando uma solução convencional. Ou seja, impor sua presença (e força) em números e não em ogivas.

Djalma

Eu já falei, a China é imperialista precisam de mais território para entupir de chinês, e só ver que recentemente autorizaram os casais a ter mais de 1 filho. Já invadiram o Tibet, pegaram Hong King, querem invadir Taiwan, que é um país, apesar que muitos nós reconheçam como tal, por causa das pressões econômicas. Encheram o mar de China de ilhas artificiais, que são bases militares, invadindo inclusive mar territorial de outras nações. EUA tem que apoiar fortalecimento militar da Índia, Japão Austrália e Vietnã, para fretar as ambições expansionistas da China. Países ocidentais têm que incentivar que empresas… Read more »

Carlisson

O irmão precisa se informar melhor… Faz uma análise mais aprofundada na história no norte, o que fizeram e o que fazem… Homen, ainda bem que existem outras potências… Os EUA são ladrões, exploradores e assassinos há muitas décadas…. Se liga !

Jorge LUIZ Rocio

Taiwan primeiro, Japão em seguida.
Austrália opção secundária.
Japão, rancor antigo.
Primeira e segunda guerra estarão entre as histórias de faroeste

Cristiano de Aquino Campos

A história depende do ponto de vista de quem a vê. Muitos falam que a China e má, imperialista e que não pode ser líder mundial por medo do desconhecido. Só que não e desconhecido, e esquecido ou pouco procurado. A China foi a maior potencia do mundo por mil anos só perdendo esse lugar nos últimos 200 anos. Eles só estão voltando ao posto que tinham. Devemos lembrar que na sua época de superpotência eles nunca. Invadiram países estrangeiros já o Japão, hoje visto como bonzinho tocou o terror na Asia por séculos em todos os países voltados para… Read more »

Vivin

Lembrando que a boazinha Inglaterra invadir a China!! A China teve que abrir mão de Hong- cong por 150 anos..

Hcosta

Não sei se podemos considerar um país uma potência sem terem influência, de que modo for, sobre os outros países ou interesses.
E a civilização Chinesa, diferente de um país, conquistou e anexou vários territórios. Até parte da Coreia foi conquistada.

https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_wars_and_anthropogenic_disasters_by_death_toll
Não me parece que o Japão e o Ocidente têm o exclusivo da violência na região.

José Carlos David

A China é imperialista sim. E os Estados Unidos são o quê? Qualquer país que se expanda ao nível de superpotência será inevitavelmente imperialista.

Cristiano de Aquino Campos

Verdade. E como uma planta que compete pelo sol com as outras. A que cresce mais, fica mais forte em detrimento das outras.

Sandro

Os EUA são imperialistas, assim como a Rússia, China, Reino Unido…e até o Brasil. Contudo se for algo inevitável, apoiaria sempre uma democracia como os EUA, Inglaterra e e Japão no Pacífico, ao invés de uma ditadura comunista.

Hcosta

E há já alguns séculos…

Cheng

Esse sabe de tudo de “estória” ?‍♂️

WSilva

Vixe, esse Djalma passou batido por livros de história… rs

Victor

12 navios Aki … Nem em sonho ??

Rafaelsrs

Hummmm… a águia está chateadinha!

Jean Jardino

Mas sera que presta, ainda mesmo que em numeros inferior aos da China em numeros, a qualidade da marinha americana nao se compara, vale aquele velho ditado, quantidade nao eh sinonimo de qualidade.

Zorann

Mais um preso a uma realidade de 20 anos atrás

Rafael

cara, esquece esse negocio que nada presta na china, se você comprar algo barato da china não vai prestar mesmo, se você pedir um produto bom, eles vão te dar, más vai cobrar um pouco mais alto, coisas militares não tem nada a ver com produtos domésticos.

Last edited 6 meses atrás by Rafael
sub urbano

No Aliexpress tem uma cópia do Seiko Monster, com cristal de safira, lume suiço bgw9 e movimento seiko. Metade do preço do original e com melhores materiais. Se tem algo mais perverso que isso em qualquer momento da historia humana, desconheço.

Antoniokings

A última batalha que a Marinha Americana venceu deve ter sido a do Golfo de Leyte.
Já vai fazer cem anos.
Seria o equivalente a dizer que, hoje, a Marinha inglesa é a melhor porque ganhou a Batalha de Trafalgar.

Antoniokings

Corrigindo:

‘Seria o equivalente a dizer que, em 1944 (época da referida batalha) a Marinha inglesa era a melhor porque ganhou a Batalha de Trafalgar.

Ficou melhor.

Alfa BR

Em 1989 a US Navy derrotou a Marinha do Irã na Operação Praying Mantis. Em 1991 destruíram a Marinha do Iraque em um dia.

Realista

Isso a mais de 30 anos

1990 pib da china era menor que do Brasil e hoje em dia é mais de 10x maior

Last edited 6 meses atrás by Realista
Antoniokings

Marinha do Irã em 1989?
Do Iraque em 1991?
Vc está de brincadeira, né?

WSilva

Chega a ser inacreditável o nível de ilusão de alguns aí. Querem comparar Irã, Iraque coma segunda maior supertência do planeta que possui a maior marinha do mundo.

Se a China com paus e pedras sem marinha, sem aeronáutica enfrentaram os saqueadores britanicos, depois os barbaros japoneses e depois os americanos na Coreia, imagine o que não faria hoje caso entrasse numa guerra de vida ou morte…

Antoniokings

Pois é.
É chamada ‘realidade paralela’.

Hcosta

Aeronáutica para enfrentar os saqueadores Britânicos?
Tem a certeza?
Ou enganou-se no termo ou está “alguns” anos errado.

Alfa BR

Não comparei China a Irã e Iraque seu emocionado

Meu comentário foi em resposta a suposição do orangotango de que “a última batalha que a Marinha Americana venceu deve ter sido a do Golfo de Leyte.”.

Alfa BR

Não, e nem a US Navy.

E a propósito, meu comentário foi em resposta a sua suposição de que “a última batalha que a Marinha Americana venceu deve ter sido a do Golfo de Leyte.”.

Antonio Palhares

Jean
Já era. O tempo de contenção da China há muito que passou.
A realidade é outra. Quem pode falar mal da qualidade ?

Israel

É isso q to falando ! Quantidade não quer dizer nada as vezes! USA opera navios e 17 porta Avioes super novos e tem umas das maiores quantidade de ogiva nuclear junto com a Russia

Edson

Tem dinheiro, tem vontade sabe o que quer, tem matéria prima, mão de obra barata e especializada, tempo e espaço, e ainda auto-suficiente na fabricação de armas modernas e destrutivas, a China chega chutando a porta das grandes potências e impondo respeito, pena que o Brasil pensa pequeno, uma pena, pois tinha tudo para ser também uma potência militar de vez, e não apenas uma média potência.

Sílvio

Eu vejo que o que a china faz, só é possível sem democracia e com uma base política de pessoas capacitadas, parece que boa parte dos políticos do partido tem formação superior.
EUA deve ter também, mas tem democracia.

Abrahão

Silvio o conceito de democracia para nós é diferente para eles,será que eles querem ?,eu já estive na China duas vezes a trabalho é um povo hospitaleiro e quando vc diz que é do Brasil as portas meio que se abrem,eles saem do jeito reservado deles e passam a conversar mais e querem saber mais sobre o Brasil,eu estive em Pequim e Shenzhen,e fiquei impressionado como em um espaço de 10 anos Shenzhen mudou a cidade ja era linda e organizada mas de 2007 a 2017 quando voltei a cidade melheroumais ainda. Os pais da atual juventude chinesa estranham como… Read more »

Slow

Só vou acreditar depois que o Bosco der seu veredito …

Aonde ja se viu esses vermelhos só pode estar mentindo!!

Bosco

Calço PP. Depois não reclama.

Bosco

Quem sou eu pra estragar a felicidade da pintanhada no lixo? rsss
Eu só fico admirando vocês se banqueteando com um relatório dos… EUA.
Vocês que devem saber mandarim fluentemente e são “fontados” não têm nenhuma informação oficial do PCC não, a respeito do assunto?
Seria interessante confrontar o que os americanos acham e o que o PCC planeja.
Ah! Eles não dizem nada, né? Toda a adoração de vocês, sinófilos brasileiros, comunistas de carteirinha, justiceiros sociais em tempo integral, é baseada em análises feitas por… ocidentais.
Tá bom então! Nada a declarar daqui.

Last edited 6 meses atrás by joseboscojr
Slow

Kkkkkkkkkkk cara , se a análise é feita pela China você fala que é mentira .. agora quando o relatório dos EUA também não presta ? ??? vc tem que se decidir ou você só vai acreditar se for a favor dos EUA ?

Bosco

Essa sua fluência em mandarim tá atrapalhando a sua interpretação de texto em português.

WSilva

A diferença é que você se informa sobre a China apenas por canais ocidentais, este é um erro brutal. Acesso a fonte primária é essencial para qualquer pessoa honesta que preze pela neutralidade em analise geopolitica. Agora se seu objetivo é torcer por A ou B, continue torcendo para o Corinthians consumindo informações palmeirenses sobre o Corinthians.

Slow

Vc leu oque eu disse ?

Quando é uma notícia da mídia Chinesa alguns falam que é falso ..
Ai quando é mídia ocidental só acreditam quando é a favor dos EUA .

WSilva

Certo, nesse caso você tem razão.

Isso acontece por conta da lavagem cerebral e mentalidade vassala perante a elite anglo-saxã.

Meu metodo de buscar informações sobre geopolítica é simples, eu vou direto na fonte primária, anoto o que há de importante, depois vou na versão inglesa da fonte primária, depois vou na mídia ocidental leia-se apenas Inglaterra e EUA, o resto é só control C/control V.

Se você fizer isso, ou inverter o caminho vai notar duas visões de mundo, há verdades nas duas versões e sem duvidas há muitas mentiras.

Acreditar cegamente em A ou B? Suicídio intelectual!

Up The Irons

É uma marinha realmente muito imponente, mas é bom lembrar que grande parte dessas embarcações são do porte de patrulhas oceânicas, como as Type 056 A, que deslocam 1.500 t e são 70 no total, o que ajuda a engordar o número. Um número impressionante de patrulhas, mas que não possuem grande valor de combate contra fragatas e destróieres.

Alexandre Galante

Conte o número de navios do último gráfico e verá que há mais destróieres e fragatas que corvetas.

Thiago A.

Entre as Type 55 e 52 são 59 destroyers daqui a 2025-sem entrar no mérito de qualidade/capacidade, só números brutos-, certamente um número impressionante . Mas só de Arleigh Burke são 68 na US navy. A JMSDF também possui números e meios nada desprezíveis, se o QUAD ( e mais recentemente o AUKUS) for para valer eu diria que essa vitória que muitos já entoam não é atrás da esquina. A batalha começou agora, nada de inelutavel. Nesse sentido um elo entre as consolidadas capacidades do Japão e a ascensão da Índia já pode ser motivo de dor de cabeça… Read more »

Matheus S

Essa é uma análise simplista. Dos 68 ABs, no mínimo um terço não está operando no Pacífico, ou seja, de 68 cai para 45 ABs, isso ainda é uma estimativa mínima, não duvido que o número seja menor para a frota do Pacífico, beirando de 35 a 40 ABs. A Índia só deve se preocupar se o PLAN estivesse operando plenamente no Índico, uma coisa que está longe de ser concretizada, a Marinha do Paquistão continuará sendo a maior ameaça aos indianos no longo prazo. Quanto ao Japão, você está correto. Talvez, seja o maior aliado eficaz que a USN… Read more »

Thiago A.

De fato Matheus a ” análise” é simplista porque os anúncios triunfalistas também o são. A bem da verdade foi só uma reflexão, pois não tenho a preparação e o conhecimento necessário para fazer uma análise de um cenário tão complexo. O intento foi de ampliar o quadro e sinalizar que essa confrontação está longe de ter um resultado claro, assim como um vencedor. E sim, você tem razão sobre a dispersão da frota norte-americana, mas os meios e recursos existem, serão até incrementados. Como e onde serão empregados dependerá de outros fatores e decisões. Um deles será a possibilidade… Read more »

Matheus S

Sobre a dispersão das unidades navais americanas é um assunto que eu já estou cansado de repetir que a USN só não estará mais presente de modo efetivo por conta da sua obrigatória presença global, ter meios no O.M, Mediterrâneo e no Atlântico Norte se torna um fardo pesado, mesmo para a USN aumentando os meios navais, alcançando a frota de 355 navios. A ameaça russa é que a fará a USN ter muito meios na “frota” do Atlântico, meios esses que serão necessários para a frota do Pacífico, se a OTAN estivesse plenamente equipada e com disposição para enfrentar… Read more »

Alison

O resultado deste cenário e muito claro se a batalha desenrolar ali próximo da China… Só não vê quem não quer…

Thiago A.

“A Índia só deve se preocupar se o PLAN estivesse operando plenamente no Índico, uma coisa que está longe de ser concretizada, a Marinha do Paquistão continuará sendo a maior ameaça aos indianos no longo prazo.”

Sobre isso tenho minhas dúvidas, a aproximação entre Índia e EUA sinaliza uma preocupação por parte da potência Índia. Um desconforto mais que justificado pela crescente penetração chinesa no Indico, ameaçando e subtraindo a influência e projeção indiana na região.
O dito “colar de pérolas” chinês parece não agradar Delhi que o considera apertado para o seu pescoço .

Matheus S

A aproximação Índia-EUA certamente tem um contexto chinês presente, mas isso não significa que o PLAN estará atuando como força naval permanente ou durante um longo tempo no Índico, isso porque os meios navais chineses estarão presentes permanentemente no Pacífico Ocidental, a China não se pode dar ao luxo de contar com uma presença avançada no Índico sendo que você mesmo afirma que a China tem muitos inimigos próximos ao seu território, o que é verdade. Os requisitos geoestratégicos no Pacífico não darão margem para qualquer manobra no Índico, ainda mais quando o cenário é vários países contra uma China… Read more »

Thiago A.

Esse mapa não me agradou muito, foi o melhor que achei, mas dá para ter uma ideia da penetração chinesa na região. Certamente a parceria entre o Paquistão e a China não ajuda uma eventual distensão .

chinese-naval-base.jpg
Thiago A.

Essa talvez seja melhor:

mappa-2.jpg
Matheus S

Esse é o mapa da Rota de Seda marítima, onde vemos claramente o CPEC, como alternativa viável para evitar LCMs que eventualmente podem a vir a serem bloqueadas.

Matheus S

Novamente, esse mapa é puramente especulativo. Não há menção de que tais supostas instalações portuárias sejam bases navais para o PLAN. Alias, se tem um mapa que descreve melhor essa estratégia é esse aqui: comment image

Franz

E a gente aqui sonhando com 8 Tamandarés e 4 FREMM se algum milagre acontecer até 2040!

Matheus S

“Com 355 navios em sua frota, a Marinha do Exército de Libertação Popular (PLAN) deve expandir seu estoque para 420 navios nos próximos quatro anos, estima o relatório militar anual do Pentágono na China. Até 2030, a PLAN deve ter 460 navios.” 460 navios em 2030 quer dizer que a USN revisou os números do PLAN para cima. “A estimativa de 355 é contabiliza “grandes combatentes de superfície, submarinos, porta-aviões, navios anfíbios oceânicos, navios de guerra contra minas e auxiliares de frota”, de acordo com o relatório, que cobre eventos em 2020. “Este número não inclui 85 combatentes de patrulha… Read more »

Matheus S

A composição da frota do PLAN até no início de 2022 será da seguinte forma: 1 CVF Type 001 – 65.000 toneladas 1 CVF Type 002 – 65.000 toneladas 1 CV Type 003 – 85.000 toneladas 8 CCG Type 055 – 13.000 toneladas(104.000) 2 DDG Type 052B – 7.500 toneladas(15.000) 6 DDG Type 052C – 7.500 toneladas(45.000) 25 DDG Type 052D – 7.500 toneladas(187.500) 2 DDG Type 052A – 4.800 toneladas(9.600) 2 DDG Type 051C – 7.500 toneladas(15.000) 1 DDG Type 051B – 6.700 toneladas 4 DDG Sovremenny – 6.500 toneladas(26.000) 30 FFG Type 054A – 4.000 toneladas(120.000) 2 FFG… Read more »

Dalton

Matheus…o CV “003” apenas será lançado ao mar em 2022 com o término da construção ocorrendo em 2023/2024 se não houver atrasos então não dá para incluí-lo como parte da frota no início de 2022. . Tirando uma ou outra divergência sua lista é bastante prolifica, mas, eventualmente esse ritmo de construção irá desacelerar por conta de unidades mais complexas e caras que surgirão e o eventual cumprimento de uma meta, já que os chineses ainda buscam o que consideram ideal e depois terão que lidar com a manutenção de tal enorme frota. . Em 1961 por exemplo os EUA… Read more »

Matheus S

Correto. Como eu coloquei a composição da frota chinesa no início de 2022, achava que estava implícito de que se tratava das unidades comissionadas e as que ainda vão ser lançadas dos estaleiros, na realidade, o número de unidades é o que eu tentei colocar como fator secundário, a questão da tonelagem foi a questão primária dessa lista, e nisso, os navios que ainda vão ser lançados até o início de 2022 foram incluídos.

Matheus S

Vou fazer a lista colocando apenas os navios em serviço no PLAN até o momento para ficar compreensível. Se apresenta da seguinte forma: 1 CVF Type 001 – 65.000 toneladas 1 CVF Type 002 – 65.000 toneladas 3 CCG Type 055 – 13.000 toneladas(39.000) 2 DDG Type 052B – 7.500 toneladas(15.000) 6 DDG Type 052C – 7.500 toneladas(45.000) 18 DDG Type 052D – 7.500 toneladas(135.000) 2 DDG Type 052A – 4.800 toneladas(9.600) 2 DDG Type 051C – 7.500 toneladas(15.000) 1 DDG Type 051B – 6.700 toneladas 4 DDG Sovremenny – 6.500 toneladas(26.000) 28 FFG Type 054A – 4.000 toneladas(112.000) 2… Read more »

Matheus S

Só destacando que dos 147 navios do PLAN com capacidade oceânica não é um número longe do que o relatório do ONI afirma, eles colocam a frota chinesa oceânica em +145 unidades atualmente, apenas coloquei em mais detalhes para averiguar isso. No mesmo relatório, 75% de todos os SSKs são considerados modernos e 100% dos submarinos nucleares são considerados modernos. Vamos traçar um cenário até 2035, se as coisas não mudarem muito com relação a novos projetos navais, o PLAN terá a seguinte frota comissionada ou lançado ao mar pelos estaleiros: 2035 – 409 navios da frota de batalha –… Read more »

Matheus S

O período de 2035 a 2050 é puramente especulativo, não temos base de dados para qualquer análise sobre a estimativa de unidades navais do PLAN, ainda mais considerando os novos projetos que seguirão nesse período, portanto me retenho a focar no prazo até 2035 que é mais aceitável em fazer uma estimativa. Por enquanto, o inventário naval do PLAN(147 navios oceânicos) ainda está muito longe do inventário da USN de +236 navios de guerra com capacidade de água azul. Mas a China também está se concentrando em dobrar o tamanho de sua força de submarinos nucleares. Pequim projetou colocar em… Read more »

Fábio Mayer

Esse tipo de notícia é parte do lobby do complexo industrial-militar dos EUA, para fazer o Congresso de lá autorizar mais verbas de defesa. Faziam isso nos tempos da guerra fria. Inflavam as realizações soviéticas para que o governo dos EUA gastasse cada vez mais com armamentos. Quando a URSS acabou, inventaram que havia armas de destruição em massa no Iraque, para continuar vendendo armas. Não há coisa mais estadounidense que esta histeria de defesa. Achar que está atrás de alguém na corrida armamentista, que isso vai acabar com seu modo de vida, que sua sociedade será afetada porque o… Read more »

Romão

E isso vai acabar levando os EUA a falência, como levou o império romano.

Carlos santo

E como levou a união sovietica a quebrar…

Antoniokings

Exatamente.
Os EUA serão a URSS versão 2.0.
Ou 3.0.
Como preferir.

Rogerio Loureiro Dhierio

Concordo.
Más a pior parte é saber que inevitavelmente será um estado falido com armas nucleares. Vai saber qual fim terão nada mais nada menos do 5 mil e la vai cacetada de artefatos que podem aniquilar muita gente?

Matheus S

Olha isso aqui: https://foreignpolicy.com/2021/11/05/us-navy-bonds-budget-china/?tpcc=recirc_latest062921

Só falta a USN abrir sua própria bolsa de valores e fazer uma oferta pública de ações, um IPO. É uma perdição sem fim ali. Eles simplesmente não sabem o que fazer.

Érico

e coitado do contribuinte que nem saúde pública tem

Allan Lemos

Não, a verdade é bem mais simples, os EUA, hoje, já são uma superpotência em declínio. Não adianta criar teorias conspiratórias mirabolantes para tentar negar esse fato.

Hcosta

Quais são os 4 navios entre 051B e 054?

Luís Henrique

São 4 Destroyers da classe sovremenny, adquiridos da Rússia.

Sílvio

Em um mundo tão pequeno e que tem si mostrado frágil, 1000 ogivas só na cHiNa dá até vontade de rir.

Agressor's

As definições de “Malditos chineses, mal posso ver seus movimentos” foram atualizadas com sucesso…

Adriano Madureira

Agora é Oficial !

PauloOsk

Sera que o preco dessas type 55 eh muito diferente de algum navio ocidental similar?

Matheus S

Entre US$800 a US$900 milhões.

Diego

Pelo gráfico acima, em 2030 a China terá ultrapassado 450 navios e se continuar o ritmo, em 2040 provavelmente chegará próximo de 600 embarcações, quase o dobro do poderio naval americano! São números enormes, mas nada assustador… Oras, pra se ter uma ideia, no auge da guerra fria, a União Soviética chegou a possuir 377 submarinos (180 subs nucleares), além de 1.297 navios de combate de diversos tamanhos e 755 embarcações auxiliares, números totais que compensavam a inferioridade tecnológica frente a US Navy, no entanto, quem acabou vencendo a guerra fria foi os EUA, isso é fato. Os chineses provavelmente… Read more »

Matheus S

Sabe, sempre colocam o argumento de que a frota chinesa se continuar nesse ritmo irá superar as 600 unidades em 2040 e 2050 terá mais de 700 navios, isso está equivocadamente argumentado. Veja bem, o fato de ter 460 navios não é prova suficiente de que manterão o mesmo ritmo de construção de anos anteriores, ainda mais considerando a situação geoestratégica da China. O plano naval de 460 navios até 2030 ou 2035 é alcançavel, mas não acredito que continuará no mesmo ritmo que a produção anual de navios de anos anteriores. Uma das razões é que futuramente a frota… Read more »

Sequim

E pensar que no final do século 20, bocós como o Francis Fukuyama garantiam que o século 21 seria mais um século americano. Daí vem a realidade, essa chata incômoda, e atropela “previsões ” que nada mais eram que simples desejos.

Last edited 6 meses atrás by Sequim
Antoniokings

Tem a maior?
E prepare-se que vai piorar.

Alexandre

Eu já ficaria feliz se o Brasil tivesse no mínimo umas 50 fragatas e uns 25 submarinos ….

solipsi rai

eu ficaria contente com só : 12 -SLMB .

Up The Irons

Como não temos pretensões expansionistas e precisaríamos apenas de uma marinha para nos defendermos de marinhas pequenas, médias e bater de frente com uma grande até a chegada de ajuda, penso que 8 Tamandarés, 6 fragatas com foco em AAW do tipo das FREMM italianas ou A-400 e 8 submarinos convencionais dariam conta do recado. É possível? Sem dúvidas! Só não é no atual cenário, pagando salário pra 80 mil pessoas. Ou se escolhe ter uma marinha de verdade ou ser eternamente um cabidão de empregos.

Adriano Madureira

Para defender um litoral 7.491 quilômetros de extensão, nem 8 tamandarés seria suficiente… Duas tamandarés por distrito naval seria insuficientes, infelizmente no Brasil toda compra é micha, minguada ,em poucas unidades, e duvido muito que teremos no futuro uma quantidade de navios para defender nossa nação apropriadamente. Não temos sequer míseros navios patrulha para policiar adequadamente nossa costa. Qualquer potência ou coalizão, que em um hipotético e bizarro cenário tentar invadir o Brasil, certamente poderia ter êxito, pois nossa defesa seria ínfima para não dizer risível. Duvido muito que tenhamos mísseis antinavio suficientes em estoque, Harpoons, Exocet e Penguis ou… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Adriano Madureira
Luís Henrique

Gostaria de saber quem viria com essa ajuda? Os marcianos?

Up The Irons

Num hipotético conflito com chineses, por exemplo, você realmente acha que os americanos iriam querer ver um país continental como o Brasil, pertinho deles, sob domínio Xing Ling? Se os Estados Unidos marcam em cima da China do outro lado do pacífico pra tentar frear os ímpetos expansionistas, imagine no quintal deles… Então sim, teríamos ajuda num cenário como esse.

Last edited 6 meses atrás by Up The Irons
Luís Henrique

E se em vez dos chineses forem os americanos nos atacando? Os chineses viriam nos defender?
O Brasil é grande o suficiente para garantir a sua segurança. É só fazer o dever de casa.
Nós somos o país mais rico do mundo em recursos naturais. Nossos políticos e nossa sociedade deveriam enxergar isso: quem precisa andar em carro blindado com segurança? Uma pessoa pobre ou uma pessoa muito rica?
Pois, o Brasil sendo o mais rico do mundo, deveria ser uma potência militar para dissuadir possíveis agressões.

EduardoSP

Recursos naturais não garantem riqueza de ninguém.

Luís Henrique

A Alemanha nazista invadiu a União Soviética em 1941 na operação barbarossa. A URSS era um “aliado” dos nazistas, invadiram a Polônia JUNTOS no final de 1939. Um dos principais motivos para a invasão da URSS, é que a Alemanha queria os vastos recursos naturais que a URSS possuía, como grandes campos de petróleo e áreas agricultáveis. O Brasil é o país mais rico do mundo não em dinheiro, mas em recursos naturais. Da mesma maneira que guerras no passado foram motivadas por acesso e controle de recursos naturais, novas guerras podem ter a mesma motivação. Por isso reforço o… Read more »

WSilva

No cenário atual é muito mais fácil os EUA invadir o Brasil do que o contrário. rs

Alexandre

8 ?? para o tamanho do nosso litoral ?? acho que no mínimo umas 30 fragatas e uns 15 submarinos , “na ponta dos cascos” , para pelo menos a gente fazer uma patrulha eficiente da nossa costa , acho que a Marinha deveria abandonar essa ideia de ter aviação de caça com as ” sucatas” de A-4 , não tem porta aviões mesmo , deveriam investir em aviões de patrulha a hélice mesmo , com foco na criação de um míssil anti navio e submarino nacional , assim seria uma marinha muito mais eficiente .

Sílvio

Depois que vi a opressão a países menores com a “construção” de ilhas artificiais, sempre evito a compra de produtos chineses, mesmo os montados aqui.

Edgard

Então nem deveria comprar dos EUA também, pois esses sim são os Reis da opressão a países menores…ex. Hawaii, Coréia , Vietnã, Veenzuela, Cuba…e assim.por diante..a lista é longa…

Matheus S

Bela atitude. Agora para evitar totalmente a opressão chinesa precisa jogar fora o seu iPhone e provavelmente todas suas roupas.

WSilva

Entendi, você é contra a opressão chinesa, mas a opressão americana, sionista, britânica tá tranquilão? rs

E de pensar que boa parte do Brasil tem essa mentalidade aí, estamos realmente perdidos.

Atirador 33

Se muitos hoje questionam a liderança americana “policia do mundo” e seus modos e postura na condução de sua política externa. Tenho medo de quando a China se ascender como império “econômico e militar” com 1,3 bi de chineses sedentos por matéria prima, acredito que serão tempos difíceis para a humanidade.

Abs

Gabriel BR

Em 2025 a China ultrapassa os EUA , e eu não estou nem um pouco triste.

Alexandre Galante

Hehehehehe

WSilva

Ultrapassar em que?

Em termos economicos talvez ultrapasse em 2032, militarmente acho dificil ultrapassar, mas chegar próximo já será mais do que suficiente para atingir seu objetivo que é recuperar aquilo que lhe foi tirado no passado.

Djalma

Quantidade não é qualidade. Os EUA tem 12 porta aviões a China 2, só que os chineses são menores e não usam catapulta o que reduz a qtde de armas que seus jatos podem levar, além da até ser menor de aviões.

Alexandre Galante

Quantidade é uma qualidade em si mesma. E os navios chineses já estão no mesmo patamar tecnológico dos da US Navy, veja o destróier Type 055 por exemplo.

O terceiro porta-aviões, do tipo CATOBAR, chinês será lançado em 2022 e deve entrar em serviço em 2025. Depois dele virão outros.

MIGUEL

O mais difícil é produzir o primeiro , depois dos Chineses fabricarem o primeiro CATOBAR, irão dominar a tecnologia e o resto o mundo já sabe, basta haver dinheiro, os Chineses agora estão desenvolvendo tecnologias novas próprias , prova disso é a classe de submarinos SSBN Type 096 e SSGN Type 095, estão trabalhando de forma árdua para diminuir o gap tecnológico com os EUA e a Rússia… a previsão são 6 SSBN Type 096 Tang com 16/24 SLBM JL-3 e 19 SSGN Type 095 Sui,

Matheus S

O relatório afirma que o 003 entrará em serviço em 2024, embora eu ainda seja da mesma opinião que a sua, entrando em serviço em 2025.

Dalton

Na verdade o número correto é 11 Djalma, todos deslocando cerca de 100.000 toneladas carregados e de propulsão nuclear. O USS Nimitz será substituído pelo “John Kennedy” em 2024 mantendo-se o número ao menos por enquanto emboara haja quem defenda a diminuição deles para que se possa investir mais em outras coisas. . O que não se sabe é se mesmo a China teria uma marinha desse tamanho hoje se tivesse que manter 11 Naes similares aos da US Navy, 9 Alas Aéreas embarcáveis, dezenas de outros esquadrões extras para treinamento, reposição e testes e uma força de submarinos constituída… Read more »

MIGUEL

Confesso que os EUA ainda vão reinar nos mares dos mundo por muito tempo, talvez percam alguma hegemonia nos mares do Sul da China e no médio Oriente, o problema esta na Aliança Rússia + China, Os EUA não poderão manter sua hegemonia combatendo essas Duas Super-Potências em simultâneo , isso vai drenar muitos recursos , imagine a Russia com 7000 ogivas e a China com 1000 ogivas contra os EUA com 6800 mesmo tendo Israel com 90 ogivas, França com 300 ogivas e UK com 180 ogivas, fica complicado , imagine se o Ira se nuclearizar também , fica… Read more »

Dalton

Miguel, ter muitas “ogivas” pode não ser tão relevante já que o uso delas por uma nação a condenará a extinção. A Rússia por exemplo concentra 10% de sua população em Moscou. . Os EUA partem do princípio que precisam ter forças no exterior para que juntamente com aliados possam segurar a barra até que reforços possam ser enviados e isso tem funcionado, afinal, o isolacionismo americano dos anos 1930 acabou tornando a II Guerra mais dispendiosa e longa do que foi. . Verdade que China e Rússia não são uma Coreia do Norte ou Irã, mas, também pode significar… Read more »

MIGUEL

O problema da URSS foi exatamente esse ter muitas ogivas, o problema esta nos meios de lançamento dessa ogivas, os SSBN da classe Ohio ganharam a Guerra Fria, tudo porque podiam transportar a quantidade impressionante de 6048 ogivas nucleares (18 SSBN * 24 SLBM * 14 ogivas W78 por míssil) , bastava os SSBN Ohio para aniquilarem a URSS vezes sem conta, o leito submarino é stealth por natureza uma vez que na agua não se propagam ondas electro magnéticas, o que se propaga na água são ondas sonoras , dai a imprevisibilidade de um SSBN para o segundo ataque… Read more »

Matheus S

Dos 18 Ohio, 6 foram construídos após 1991, ano da queda da URSS. Sua conta está errada. Além do que o número é de 24 SLBMs Trident I carregando até 8 ogivas W76, e versões subsequentes como o Trident II carregando até 12 ogivas W76 ou W88. Colocando a estimativa mais alta estaria em torno de 3.456 ogivas nucleares em todos os 12 SSBN da classe Ohio até a queda da URSS. Se considerarmos todos os 18 SSBNs Ohio estaria em torno de 5.184 ogivas nucleares, mas 6 não teriam que entrar nessa conta. No quesito SSBN, os soviéticos tinham… Read more »

MIGUEL

Desculpa a minha ignorância , mas sempre que os Ohio são as maquinas mais mortíferas da face da terra.

Sobrevivente

Caro internauta sua visão sobre a realidade do domínio mundial nunca poderia ter sido mais acertada. De uma lado uma potência dupla decadente (eua e Inglaterra) e do outro lado a potência tripla em ascensão (Rússia, China e irã) . Qual é o resultado desse jogo amigo ? Não haverá entre eles vencedores 0 x 0 . Todos são jogadores gananciosos , mentirosos ,corruptos e assassinos sem exceção. De que forma o planeta Terra ficará livre de tais? Em breve o rei dos Reis e senhor dos senhores os eliminará na guerra do Armagedom. ??

Alex Barreto Cypriano

A maior prova de que um punhado de ogivas termonucleares não habilita ninguém à esfera de poder nuclear crível (viu, Brasil?) é o desejo chinês de pular de 200-300 (umas 50-60 de emprego imediato) pra algo como 1000 ou mais. Não pra usar mas pra garantir que o alvo eventual sofra destruição massiva e disruptura total do seu modo de vida, que é o que importa, como aprendemos com a CoViD-19. No auge da guerra fria, segundo alguém, URSS e EUA somavam 65 mil ogivas com potência média de 400 kt, uns 26 mil megatons. Diziam que era o suficiente… Read more »

Alex Barreto Cypriano

A quem interessar possa: um inverno nuclear pode ser produzido pela detonação de 6 a 10 mil megatons, segundo alguns. Abaixo desse limite, liberado pro holocausto nuclear… Quanto à energia liberada no impacto de um asteróide, grosso modo, é só usar a fórmula clássica da energia cinética (Ec=0,5 m v2) pra obter o limite superior. Divida por dois pra levar em conta dissipações e dispersões não consideradas e obtenha o limite inferior. Lembre que cada Mt (megaton de TNT, claro) libera 2,715 quatrilhões de Joules. Dizem que o Chicxulub tinha 6,82 quatrilhões de quilogramas e nos atingiu com uma velocidade… Read more »

Nick

Cada dia que passa fica mais difícil os EUA manter sua superiodade tática. Única coisa que garante os Ianques é seu estoque de ICBMs e SLBMs.

MIGUEL

Ate 2050 acho que a China já terá um stock semelhante aos EUA e a Rússia hoje de 6000 a 7000 ogivas , em 2030 se tiverem 1000, poderão ter 5000 ou 7000 em 2050, a China não faz parte de nenhum tratado de não proliferação de armas nucleares, diferente da Rússia e dos EUA que tem o tratado Start 2, a China esta sozinha e com liberdade de produzir a quantidade de armas que ela quiser. Basta vermos como os Chineses produzem outros bens, eles tem uma força laboral de 800 milhões de trabalhadores, é bem superior a força… Read more »

Marlon Machado

Impérios vem e vão á séculos,resta aos países secundários se adaptarem, não existe hegemônia boa,todos os impérios caíram e foram brutais.

Bardini

A maior marinha do mundo hoje, é a marinha que a OTAN pode mobilizar. O resto é conversa de pirralho, pra dizer que “o meu é maior que o seu”.

Last edited 6 meses atrás by Bardini
Camargoer.

Caro Bardini. Concordo com você que a soma do poder naval dos EUA, Inglaterra, França, Espanha e Itália, por exemplo, é superior ao poder naval da China. Talvez seja até superior ao poder naval conjunto da China e da Rússia. Contudo, estas contas são irrelevantes sem levar em conta o cenário estratégico. Os EUA teriam condições de concentrar todo o seu poder naval no pacífico? Qual a fração do poder naval da OTAN teria que permanecer no Atlântico Norte e Mediterrâneo? Qual o custo da logística de manter uma força tarefa de membros da OTAN operando no Pacífico? Por quanto… Read more »

Elias

Ansioso pelas nossas tamandares

Pedro Mariano

Acho que isso é mais terrorismo que verdade… Se fosse assim, Taiwan já estava em suas mãos. Me parece lobby.

Yuri Dogkove

“Ain, Pentágono comunixxxta…”

Fabrício

O futuro dos combates está nos drones e na inteligência artificial, o Pentágono sabe disso e estão focando nessa área. Enquanto isso a China torra bilhões numa doutrina de guerra já defasada, datado da Segunda Guerra Mundial. Um drone submersível dotado de inteligência artificial pode facilmente afundar um navio chinês. Drones, por serem menores, são muito mais difíceis de detectar embaixo d’água do que o menor submarino tripulado existente hoje. A próxima e última guerra que a humanidade vai presenciar será muito diferente das outras, as máquinas serão protagonistas e as Forças Armadas que estiverem desatualizadas vão virar carne para… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Fabrício
Roberto Messa

O tamanho da frota e irrelevante, pois os submarinos irao destruir as escoltas e depois sera tiro ao alvo c o resto

E ninguém ira encontrar subs balísticos p impedir q atirem

A única forma d impedir sub balístico e c retaliação

MIGUEL

O pior são as armadilhas chinesas no fundo submarino, os chineses estão armadilhando todo o leito submarino com montanhas artificiais o que dificulta as manobras submarinas no mar do Sul da China, sendo assim os Chineses não brincam em serviço, ainda esta por explicar o que realmente aconteceu com o submarino americano, se realmente foi algum ataque chinês ou se o submarino embateu por colisão em algum obstáculo, logo um submarino de quase 5 bilhões de dólares e dos mais avançados do mundo, a Guerra Fria 2.0 já começou e o Covid19 mostrou quer o mundo ficou mais imprevisível e… Read more »

Roberto Messa

Se tais montanhas submarinas foram feitas, sao tao perigosas p os chineses qnto p estrangeiros

E esse negocio d temos o mapa n funciina nem p campo minado

Mt menos p obstáculos subamrino

Camargoer.

Olá Roberto. Creio que o tamanho de uma frota de combate seja relevante desde que seja avaliado com serenidade. Concordo que é um erro comparar a marinha chinesa com a USN para saber quem tem mais navios ou mais submarinos. Mutatis mutandis, são equivalentes. Assim como a USN e a marinha chinesa são maiores que a RN ou a marinha francesa. Talvez os chineses tenham mais navios, talvez os submarinos dos EUA sejam superiores, talvez o fato dos EUA terem mais porta-aviões que os chineses faça diferença ou não faça diferença alguma. Acho que tudo isso é de pouca importância… Read more »

Roberto Messa

Frota d suoerficie e tecnologia obsoleta

Ou sera destruida por subs ou por aviacao e artilharia antinavio baseada em terra

As Malvinas provaram isso

Camargoer.

Olá Roberto. Você tem razão. O balanço de poder naval deve envolver a sofistica ao tecnologica. Navios obsoletos podem ser inúteis. Além disso, é preciso avaliar se o papel da força tarefa será defensivo ou de agressor. No caso das Malvinas, o poder aéreo argentino causou enormes damos aos ingleses.

Roberto Messa

A frota d sup hj em dia so tem 2 funcoes

Protecao da forca submarina

Auxílio ao desembarque anfíbio

O resto os subs fazem e isto inclui a destruicao d bases aereas

Sandro

Um questionamento….já estamos, apesar dos governos negarem…..uma nova guerra fria 2.0 entre China e EUA. E especificamente a nível naval em uma corrida armamentista, quem teria condições de colocar no mar mais navios de guerra a longo e médios prazos? Os estaleiros americanos podem ultrapassar os chineses como fizeram com os japoneses na Segunda Guerra Mundial?

fewoz

Esqueceram de incluir aí os navios “pesqueiros”…

Matheus S

kkkkk Fato interessante: a PAFMM – a Milícia Marítima Chinesa(CMM) é uma frota de apoio a frota de pesca, enquanto a CCG(Guarda Costeira Chinesa) é uma força naval de apoio a PAFMM e ao mesmo tempo da frota de pesca. O PLAN é a última bolacha do pacote, só é despachada em caso de extrema necessidade, com a frota de pesca sendo ponta de lança para exercer a soberania no Mar do Sul da China. Dos mais de 17.000 navios de pesca chineses, 2/3 deve operar regularmente no MSC, alguns indicam que podem ter equipamentos de comunicações capazes de se… Read more »

Alex Barreto Cypriano

O engraçado que o vilão da ecoesfera é o Brasil e não a China que, com suas frotas massivas e não aderência a tratados, está esgotando o pescado dos oceanos. Mas isso é irrelevante: quem deu a mínima pro sapateiro judeu na boca do forno crematório da raça ariana? (Bem diferente foi depois, quando foi útil lembrar do horror e da desumanidade dos civilizados das gerações passadas para o alívio e lucro dos civilizados presentes, que não têm nada de bobos…).

Matheus S

É verdade. Os chineses estão devastando o ecossistema marinho, essa situação está se tornando a maior ameaça mundial para os oceanos e é justamente isso que me preocupa, porque com cada força naval chinesa apoiando a outra se torna um problema para marinhas de pequeno porte, imagina uma frota de pesca com alguns navios da PAFMM fornecendo coordenação e ao mesmo tempo capacidade de defesa contra marinhas como do porte do Brasil? Só mesmo uma organização militar multilateral competente para resolver essa questão, não estou falando que devemos criar uma OTAN aqui, mas algo deve ser feito quanto a essa… Read more »

Jorge

Bem…depois dessa me parece que o orçamento do Pentágono está garantido no Congresso. E em breve será trilionario (!) Sim, em doletas americanas. Que assim seja. E o Japão, acordado, virá atrás . Vai ser interessante ver isso.

samuka

Comparação sem sentido. As 02 marinhas tem perfis e necessidades bem diferentes. Posto isso, pra fins de comparação, quando a marinha chinesa possuir os 11 porta aviões beirando as 100 mil toneladas, com suas respectivas alas aereas; a mesma quantidade de submarinos nucleares e quantidade equivalente de combatentes de superficie de tonelagem similar as classes Burke e Ticonderoga, ai será correto fazer tal afirmação. A pergunta é, a china precisa/quer isso? É evidente que a marinha chinesa tende a se tornar a maior, levando em conta o ritmo de crescimento, mas “quando” e “se” isso irá acontecer, somente os futurólogos… Read more »

Rafael M. F.

Alguém sabe a tonelagem da PLAN e USN?

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

EUA pretendem restringir a China moldando seu entorno, diz Blinken

O secretário de Estado dos EUA deu um vislumbre da estratégia confidencial do presidente Biden sobre a China, na...