quarta-feira, maio 25, 2022

Saab Naval

Construção de submarinos nucleares da Rússia atinge o máximo no período pós-soviético

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Atualmente, existem 13 submarinos movidos a energia nuclear em construção em Severodvinsk, além da modernização do grande cruzador de batalha Admiral Nakhimov

O ano de 2021 tornou-se recorde para o único estaleiro de construção de submarinos movidos a energia nuclear da Rússia. Três submarinos foram entregues à Marinha Russa, dois foram colocados na água e mais dois tiveram a quilha batida.

Desde os últimos dias da União Soviética, os trabalhadores dos dois estaleiros em Severodvinsk nunca estiveram mais ocupados do que agora. Enquanto o Sevmash está construindo novos submarinos, o Zvezdochka conserta e atualiza submarinos mais antigos.

O programa de modernização da Marinha Russa na última década contrasta fortemente com a negligência considerável nos anos após a desintegração da União Soviética.

Submarino russo Severodvinsk, Projeto 885 ou classe Yasen

O ano de 2022 marca o aniversário de dez anos desde que o primeiro submarino multifuncional de 4ª geração da Marinha Russa, o Severodvinsk, lançou com sucesso um míssil de cruzeiro Kalibr de uma posição submersa no Mar Branco. Embora tenha levado quase 20 anos para concluir a construção do Severodvinsk, as unidades seguintes da classe Yasen-M são construídos a uma velocidade substancialmente mais rápida.

A construção do Novosibirsk (foto de abertura), encomendado no final de dezembro de 2021, levou oito anos.

Velocidade semelhante também é vista para os novos submarinos de mísseis balísticos da classe Borei-A, seguindo o Yury Dolgorukiy, que levou 16 anos desde seu início em 1996 até o comissionamento para a Frota do Norte em 2012. O Knyaz Oleg, entregue à Frota do Pacífico pouco antes do Natal do ano passado, levou sete anos para ser construído.

Yury Dolgorukiy
Lançamento do Yury Dolgorukiy
Lançamento do Yury Dolgorukiy

Em 1º de janeiro de 2022, os 13 submarinos movidos a energia nuclear a seguir estão em diferentes estágios de construção no estaleiro Sevmash e todos devem ser entregues à marinha antes de 2027.

Borei-A class (SSBN)

  • Generalissimo Suvorov
  • Imperator Aleksandr III
  • Knyaz Pozharskiy
  • Dmitry Donskoy
  • Knyaz Potyomkin

Yasen-M class (SSGN)

  • Krasnoyarsk
  • Arkhangelsk
  • Perm
  • Voronezh
  • Vladivostok

Special-purpose submarines

  • Belgorod
  • Khabarovsk
  • Ulyanovsk

Enquanto a publicidade de alto perfil é dada para estabelecer cerimônias, lançamento e comissionamento dos submarinos de mísseis balísticos e submarinos multi, muito menos se sabe sobre submarinos de propósito especial. O site Barents Observer relatou em várias ocasiões sobre o Belgorod, o submarino mais longo do mundo construído em um casco modificado da classe Oscar II. O submarino será portador dos novos drones Poseidon movidos a energia nuclear, com ogivas nucleares, e provavelmente será baseado na Frota do Pacífico ainda este ano.

Dois outros transportadores do drone Poseidon estão atualmente em construção no estaleiro Sevmash, o Khabarovsk e o Ulyanovsk. Esses dois submarinos raramente são relatados na mídia russa ou em outras fontes militares na Rússia.

Um blog que monitora navios da Marinha Russa novos e existentes, no entanto, sugere que o Khabarovsk será comissionado em 2024 e seguido por Ulyanovsk em 2025. Quando o Ulyanovsk foi iniciado em 2017, o Barents Observer informou que o navio era da classe Yasen-M.

Outros submarinos não confirmados que podem estar em construção nos próximos anos são mais dois da classe Borei-A, mais dois porta-drones Poseidon e um ou dois mini-submarinos de propósito especial para navegar para o GUGI, a Direção Principal de Investigação do Mar Profundo do Ministério da Defesa.

O trabalho de projeto para os submarinos movidos a energia nuclear de 5ª geração, referidos como a classe Husky, está em andamento, mas até agora nenhum contrato foi assinado para a construção.

Além dos novos submarinos, o estaleiro Sevmash está ocupado trabalhando no reparo e modernização do grande cruzador de batalha movido a energia nuclear Admiral Nakhimov, da classe Kirov. Originalmente comissionado para a Marinha Soviética em 1988, o navio de guerra raramente foi desdobrado no mar e esteve em Severodvinsk nos últimos 23 anos. Se não forem anunciados mais atrasos, o cruzador de batalha será comissionado novamente para a Frota do Norte em 2023.

Admiral Nakhimov, classe Kirov
Admiral Nakhimov antes da reforma

FONTE: The Barents Observer

- Advertisement -

82 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
82 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo

O que em muito deve ser considerado é que esses projetos de submarinos russos possuem um alto nível de qualidade na construção assim como supersilenciosos e eficientemente letais.

Last edited 4 meses atrás by Nilo
Pablo Maroka

E de falta de beleza também.

Slow

Submarino não é feito pra ser bonito ..

Phillipe Blower

Tecnicamente não é feito nem pra ser visto

José Carlos David

Não é concurso de miss.

Carlos

ZÉ RUELAS detectado

Antonio Palhares

Isto é feito para abrir as portas do inferno. E não para ganhar concurso de estética.

Allan Lemos

Os russos sempre souberam que a única chance que têm de manter a USN longe é a sua frota de submarinos. Talvez devêssemos pensar em adotar uma abordagem parecida, esquecer porta-aviões, aviação naval e grandes navios de superfície e focar a maior parte dos recursos na construção de uma grande frota de submarinos. Uns 15 convencionais e uns 3 nucleares já seriam o bastante para negar o uso do Atlântico Sul para qualquer nação ou coalizão de nações. O custo de uma missão contra nós em termos de vidas e recursos materiais seria proibitivo e inaceitável, mesmo para as potências.

Rogério Loureiro Dhiério

Compactuo com os números. 15 Converncionais 03 Nucleares Também compactuo em partes quanto aos outros meios. PA – Deleta. Eu defendo a não utilização de um vaso tão caro para uma Marinha tão mediana, se não for menos. Aviação Naval – Se o amigo se refere a embarcada, com desenvolvimento de Gripen Naval ou mesmo outro meio que seja caro, eu tb concordo em não investir nisso. Más em se tratando de aviação de asa fixa para a MB, eu acredito que deveriam ter 03 esquadrões, sendo um ao norte / nordeste, outro no sudeste e o ultimo ao sul,… Read more »

Wellington R. Soares

Complementando esses equipamentos citados, já está mais do que na hora da MB ter algumas dezenas de lançadores de mísseis antinavio espalhados estrategicamente pela nossa costa.
No demais, submarinos são a chave da nossa soberania naval e com certeza devemos esquecer essa história de PA.
O NAM Atlântico já está de bom tamanho.

Rogério Loureiro Dhiério

Perfeito.
Vamos mais longe.

Radares IACIT OTH, Radares SABER M60, M/S200, Sentir M20, Lançadores terrestres do Mansup, ASTROS 2020, uma versão Patrulha da familia EMRAER 190, ….. a lista é grande. Sem contar com o SISGAAZ e por ai vai.

tsung

parece ser bom assim , isso é?
se o nosso PIB fosse bem maior e inflação fosse menor

MGNVS

Allan… perfeito! Concordo plenamente com seu comentario e mais… eu aumentaria para 18 subs convencionais, ja que sempre vai ter 1 sub em manutencao, 1 em adestramento de tripulacao, e 1 em atualizacoes de sistemas, sobrando assim os 15 iniciais para patrulhamento constante. Aumentaria tbm a quantidade de sub-nucleares para um total de 6 para atuarem nos mesmos moldes dos convencionais, ou seja, 1 em manutencao, 1 em adestramento e outro em atualizacoes, sobrando os 3 iniciais. O mesmo deveria ser feito em relacao aos navios de superficie, sempre contando 3 navios a mais. Porta Avioes pode esquecer. Aviaçao Naval… Read more »

Dalton

Nem de longe 18 submarinos faria isso. Manutenção de rotina e períodos mais longos de manutenção, além de treinamento, de cara já reduziriam esse número significativamente. . E mesmo que fosse possível manter 18 submarinos no mar o que exigiria pelo menos 36 isso levando em conta que operariam perto da base, eles nada poderiam fazer contra digamos USAF que primeiro enviaria seus bombardeiros seguidos por ou em concomitância com submarinos armados com mísseis de cruzeiro. . Seria tolice enviar um NAe a um Teatro de Guerra sabendo-se que haveria submarinos inimigos nele, muitas vezes, não tem outro jeito ou… Read more »

MGNVS

Ola Dalton… sua resposta foi para o Allan mas eu achei interessante o seu ponto de vista. Na sua opiniao, hipoteticamente falando é claro, qual seria a quantidade ideal de submarinos (convencionais/nucleares) para o Brasil, levando-se em conta a extensao do nosso mar territorial?

Dalton

Grato MGNVS…na minha opinião a quantidade “ideal” é aquela sugerida pela marinha brasileira de 6 de propulsão nuclear e 15 convencionais, mesmo que aparentemente seja algo pouco provável de ocorrer mesmo a longo prazo contando a partir de hoje. . Mas veja que para se ter essa impressionante força de submarinos, pense que muito mais teria que ser investido em navios de superfície, buscando sempre um equilíbrio, aeronaves, mísseis, etc. . Tamanho orçamento para as forças armadas apenas será justificado quando e se o grau de percepção de ameaça tornar-se muito maior e/ou o país crescer de maneira sustentada e… Read more »

Allan Lemos

Tamanho orçamento para as forças armadas apenas será justificado quando e se o grau de percepção de ameaça tornar-se muito maior Novamente discordo, Dalton. Um submarino não se constrói em uma semana, não se desenvolve um satélite de vigilância capaz de enxergar até a cor da cueca de um oficial inimigo em um mês. Só o fato do Brasil possuir mais da metade da Amazônia em seu território já deveria ser mais do que o bastante para justificar maiores investimentos em defesa. “O Brasil precisa entender que tem uma soberania relativa sobre a Amazônia?” Al Gore Quer uma ameaça maior… Read more »

Dalton

Al Gore e outros necessariamente não fala pelo resto do mundo Allan, mas, mais importante: não dá para justificar bilhões de reais em armas, quando se tem tanta fome, desemprego, falta de infraestrutura, etc. . Em uma ditadura sanguinária que deseja perpetuar-se no poder aí tudo bem, daí ter escrito que não queremos ser uma Coreia do Norte ou seja, uma nação hipócrita tentando culpar o exterior pelos graves problemas internos. . Não vejo necessidade nem disposição de se investir bilhões em mísseis intercontinentais com ogivas atômicas apontadas para os EUA em detrimento de investimentos sociais. . O Brasil não… Read more »

Fernando Martins

Amigo, nós temos. Quem enriquece urânio a 18% enriquece a 90. Agora pra quê causar controvérsia numa América Latina cheia de imbecis doidos pra justificarem suas próprias ambições territoriais (ie. Argentina/Falklands e conflito com o Chile) e uma Venezuela recebendo a visita de aviões russos carregados com mísseis e radares? Washington não permitirá uma América do Sul atômica. Mas nós temos a capacidade sim. Iremos quebrar a constituição que proíbe desenvolvê-las? Talvez, se houver guerra real no continente. Iremos usá-las pra equipar nossos submarinos? Nunca. E se alguém duvida que nós podemos estremecer essa droga de subcontinente pesquise sobre o… Read more »

ADAIR HAMES

Mas não é isso que os EUA..ops… a OTAN quer fazer na ucrânia, Letônia Lituânia.. tudo na porta da frente da Rússia? se isto for adiante, não demorará muito para a Venezuela receber misseis nuc.. e ai tá feito o pirão…sobra pra quem?

MGNVS

Ola Dalton. Obrigado por sua analise. A quantidade que vc citou bate mais ou menos com o que eu pensava. E sim, o Brasil nao deveria investir apenas nos submarinos mas nos outros meios tbm. No meu ponto de vista o Brasil deveria abrir um programa de otimizacao dos nossos meios militares em todas as FFAA. Comprar material de melhor qualidade em quantidade que atenda nosso cenario atual, e principalmente, reduzir contingente desnecessario. Isso claro, se tivermos uma condicao economica saudavel para realizar tais investimentos, de uma forma que nao afete as outras areas. Enfim, em relacao a defesa do… Read more »

Fernando Vieira

Eu só acho que nessas contas mirabolantes que a Marinha tem que ter trocentos submarinos falta uma coisa: Submarino serve para expulsar pesqueiro ilegal? Serve para combater o tráfico de drogas e armas? Serve para combater a pirataria? Faltam navios de patrulha, isso sim. Os maiores problemas que a MB tem a lidar no curto prazo são essas ameaças assimétricas. Os EUA não irão atacar o Brasil, nem a França, nem a China…

Dalton

Sabe Fernando, houve uma época em que a marinha brasileira pareceu querer espelhar-se na marinha francesa e eu mesmo ouvi isso de gente da marinha afinal parecia haver uma parceria pungente, falava-se em NAe construído com auxílio francês mesmo que os franceses utilizassem catapultas e maquinário de retenção de aviões americanos. . Os franceses historicamente operam 6 “SSNs” e foi esse número previsto para nossa marinha e no lugar de 4 grandes “SSBNs” poderia se ter com folga 15 convencionais e penso que embora esse plano não seja mais realizável muita gente ainda “pega no pé” da marinha. . Não… Read more »

Allan Lemos

Respeitosamente discordo do que você falou. 18 seria mais ou menos o número ideal, bastaria que fosse implementado um sistema semelhante ao da USN, onde eles possuem porta-aviões prontos a irem ao mar dentro de 30 e 60 dias, você sabe falar sobre isso bem melhor do que eu, mas não seria preciso 36 unidades para que 18 ficassem patrulhando o mar 24/7. Lógico que seria preciso muito mais comprometimento por parte da MB(sei que é um cenário fantasioso), por exemplo, deve haver 2 submarinos prontos para irem ao mar dentro de 30 dias e 3 dentro de 60, enquanto… Read more »

Dalton

Allan a US Navy tem um plano de em caso de extrema necessidade poder contar com metade de sua força de SSNs ou seja cerca de 25 unidades, para tanto, acelerando treinamentos, fazendo retornar ao mar submarinos que recém retornaram de uma missão, prolongando a missão dos que já se encontram no mar, adiando manutenções pouco importantes e coisas assim…mas, isso só funcionaria se for um conflito de pouca duração pois a medida que o tempo passa o número tenderá a cair já que haverá um número menor de substitutos. . Quanto a “porta aviões” prontos para irem ao mar… Read more »

Joao Moita Jr

“Talvez devêssemos pensar em adotar uma abordagem parecida, esquecer porta-aviões, aviação naval e grandes navios de superfície”
Ora, o Brasil já esqueceu isso a muito tempo…

Luiz Trindade

De pleno acordo!

José Carlos David

Esse é o caminho. Deixar o adversário sempre preocupado.

pgusmao

kkkkkk, qual a droga que estás usando, não temos dinheiro nem para manter o mínimo, a realidade das Forças Armadas do Brasil é que nunca fomos ou seremos muito além do que somos, um monte de remendos, não temos como país o perfil de militarmente forte, isso jamais ocorreu e não ocorrerá, o nosso negócio é ficar sempre em cima do muro e não se meter em conflito algum, no máximo uma Força de Paz da ONU de potencial de conflito baixo, ou até um Haiti, que ninguém quis, mas na hora que teve o terremoto, os americanos salvaram a… Read more »

Last edited 4 meses atrás by pgusmao
Antoniokings

São, sem dúvidas, os mais poderosos do Mundo.
Em submarinos nucleares ninguém se iguala aos russos.

MGNVS

A Rússia não tem o dinheiro e nem a capacidade de produção da China e nem dos EUA, mas mesmo assim esta construindo uma força de submarinos respeitavel e formidavel. Os projetos russos podem ate demorar por causa da falta de dinheiro, mas eles são concluídos. A demora ate tem um lado positivo, eles podem ir adicionando novas tecnologias e novos complementos nos subs em construcao antes deles ficarem prontos. Alguem sabe se a Russia ainda usa algum sub Classe Typhoon ou se eles foram descomissionados depois do acidente com o Kursk? Os classe Typhoon eram subs realmente grandes e… Read more »

typhoon.jpg
MGNVS

Outra foto mostrando as dimensões do sub

Photo 666_0.jpg
Pedro Gilberto

O “Kursk” não é da Classe Typhoon, mas sim da classe Oscar II.
Há um único SSBN da Classe Typhoon ainda ativo na Marinha Russa: “Dmitriy Donskoy”. Ele está com previsão de ser descomissionado assim que o de mesmo nome da classe Borei-A estiver concluído.

MGNVS

Pedro… obrigado pela informação. Eu achava que ja estivessem todos descomissionados.

Adriano Madureira

O dmitry donskoy da classe Typhoon?! Os russos estão modernizando ele?!

Pensei que a marinha russa iria dar baixa nele..

Se, for, com novas tecnologias e novos misseis, certamente irá ser um acréscimo na defesa.

comment image

Rafael

que monstro!! se eu fosse um comandante de um porta aviões e tivesse a desconfiança que um desses monstros estão ao redor na area que o porta aviões esta, eu mandaria ordens para recuar huashuauhs

Wiese

…por isso você não é comandante de porta aviões, rs

Antoniokings

Foi exatamente isso que o Comandante do porta-aviões americanos fez quando da aproximação de submarinos soviéticos quando da guerra entre Índia e Paquistão.

Bruno Vinícius

Se eu fosse o comandante de um porta-aviões e soubesse que tem um Typhoon por perto eu teria certeza que o comandante do submarino exagerou na vodka, porquê para colocar um SSBN em risco desta forma precisa estar meio maluco.

Dalton

Um “Typhoon” assim como um “Ohio” não são “ameaças” para um NAe, etc, por serem “SSBNs” e como tais, devem navegar lentamente de preferência distantes de linhas normais de navegação apenas aguardando a ordem de lançar seus mísseis intercontinentais.
.
Quem de fato “carrega o “são os SSNs e em menor grau os “SSGNs”.

Dalton

Não havia visto o comentário do Mestre…quem “carrega o piano” são os
SSNs principalmente.

Adriano Madureira

Perigoso são os submarinos caçadores como os antigos alfas russos…

comment image

Dalton

Muito inovadores, apesar de barulhentos quando navegando a 40 nós mas, de difícil e cara construção e mesmo complicada inativação.
.
Apenas 7 foram construídos: o primeiro foi inativado depois de apenas 2 anos por conta de problemas no reator e o segundo também apresentou problemas depois de alguns poucos anos de serviço exigindo a troca do reator que levou quase 10 anos, retornando ao serviço já no fim da URSS.
.
Com apenas 5 unidades de fato se viu pouca disponibilidade e todas foram inativadas com o fim da URSS não compensando mante-las
em serviço mesmo ainda novas.

MestreD'Avis

Mas Rafael, porque faria isso? E se fosse comandante do Thypoon, porque iria arriscar atacar um Strike Group de um PA sem as armas adequadas á função??

Os Typhoon e os Borei são SSBN, as suas funções são exactamente o oposto de caçar PA, são navegar longe de possiveis inimigos e funcionar como dissuasor nuclear.
Atrevo até a dizer que numa guerra total, um inimigo russo trocava perder um PA por afundar um SSBN pois reduziria em muito a capacidade de resposta a um “first strike” nuclear.

Dalton

O Dmitry foi “rebaixado” de “SSBN” para “SSN/Plataforma de testes de armas” e também tem sido utilizado para treinar forças anti submarinas.

Guilherme Lins

O Dmitry Donskoy citado no texto refere-se a um novo submarino classe Borey. O TK-208 Dmitry Donskoy da classe Typhoon, segundo as mais recentes notícias, vai operar até 2025, que será o ano em que o combustível de seu reator irá se esgotar e provavelmente não será reabastecido. Hoje o último Typhoon em operação participa de muitos treinamentos na marinha russa, mas não está mais armado com mísseis balísticos.

Luís Henrique

Dos 13 Submarimos Nucleares em construção, são 5 SSBN classe Borei-a, 5 SSGN classe Yasen-m e 3 especiais da classe Belgorod que carregam torpedos Poseidom. Sem dúvidas é incrível 13 submarinos nucleares em construção ao mesmo tempo, mas tem mais. Em 2021 a Rússia comissionou 1 Borei-a e em 2020 outro e entre 2013 e 2014 comissionou 3 Borei. Ou seja, de 2013 para cá comissionou 5 Borei e tem mais 5 em construção. Já os SSGN classe Yasen, também são 5 em construção, mas tem mais. Apenas no ano passado em 2021 a Rússia comissionou 2 e em 2013… Read more »

Dalton

Também teve ano Luis que nenhum foi comissionado então pode se ter uma impressão equivocada já que por conta de atrasos “vários” podem acabar comissionados em um mesmo ano ao invés de um ou dois por ano como originalmente previsto.
.
Dos “13” submarinos em construção alguns estão ainda em uma fase muito incipiente
com o comissionamento distante ainda vários anos da mesma forma que os cerca de “13”
Virginas/Columbias em “construção”, porém, um número maior de antigos serão retirados
de serviço antes que os novos assumam em ambas as marinhas.

Luís Henrique

Sim. Mesmo assim é algo grandioso. Os 5 Yasen estão previstos para serem todos comissionados até 2028. E os 5 Borei até 2029.
Ou seja, nos próximos 7 anos deverão comissionar 10 submarinos nucleares, fora os 3 da classe Belgorod…

Reinaldo Deprera

São enormes e lindos. Só que não conseguem navegar longe do porto sem serem rastreados de perto por SSN, fragatas e contra-torpedeiros.

Renato Vilhena

Os portadores de misseis balísticos tradicionalmente ficam sob o gelo do ártico, raramente saem dali, mas não tem como serem facilmente rastreados por nada disto que você falou, pelo simples fato de que nunca estão sozinhos, sempre são escoltados por pelo menos um submarino de ataque. Para se atacar o SSBN é preciso primeiro tomar a decisão de atacar o submarino de escolta, o que implica em declarar guerra à Russia, o que implica em guerra nuclear. Ou seja, um ato como este só pode ser feito se o interessado já estiver decidido a ingressar em uma guerra nuclear. O… Read more »

MGNVS

Renato… parabens pelo comentario. Excelente analise mesmo. Apenas nao perca tempo com o troll do outro comentario ali em cima. A unica preocupacao dele aqui é defender os EUA nao importando o tanto de bobagens que ele precise dizer para fazer isso.

MestreD'Avis

Espero que estas noticias de modernização e aumento da capacidade da frota submarina da Russia demonstre aos politicos menos belicistas da Europa que é necessário recuperar as caapcidades de vigilancia anti submarina das suas marinhas. Enquanto nos anos 80 as marinhas europeias colocavam na água dezenas de fragatas ASW assim como vários aviões de patrulha, o desinvestimento levou a uma diminuição substancial nas frotas ddas diferentes marinhas. Não importa o quão boa e eficiente uma FREMM ou uma Type 26 é na função ASW, só pode estar num sitio de cada vez

Marcelo

Gente!
Pela enésima vez….
As forças armadas TEM de serem dissuasória e NÃO para dominar o mundo ou ser polícia dele…
Leia-se dissuasória as forças armadas que você seguem impor um custo de guerra MAIOR que o benefício . Não sejam deslumbrados!
A estratégia Russa/Chinesa é essa.
Um exemplo perto de nós são as Malvinas ….se argentinos fossem inteligentes… ficavam assolando essas ilhas com constantes manobras navais.
Mas os hermanos SÓ são passionais e adoram serem enganados por seus políticos há 80 anos.

Sincero Brasileiro da Silva

adoram serem enganados por seus políticos há 80 anos.” Você tem certeza que está falando dos argentinos? kkkkk

Dalton

Estranho, porque chineses e russos estão investindo bastante na capacidade anfíbia.
.
Os russos, por exemplo, descobriram que o incidente com a Georgia poderia ter sido resolvido mais rapidamente ainda do que foi tivessem existido navios tipo LHD o que levou
posteriormente a encomenda de tais navios junto a França e com o cancelamento do acordo
está agora construindo seus próprios, além de outros modelos e estendendo a vida de unidades antigas de 40 ou mais anos.

Hcosta

Mas uma das funções das Forças Armadas, e principalmente da Marinha, é defender os interesses do Brasil e estes não se limitam à sua fronteira…

É muito limitado pensar somente como uma força dissuasora. É também uma força diplomática e humanitária.

Sincero Brasileiro da Silva

Imaginem se a “malvadona” Rússia tivesse um orçamento de 700 bilhões de dólares… Só imaginem! kkkkk

guilardo

O problema não é só não ter um grande orçamento, é saber utilizar o que tem. Aqui nós para fazermos 4 subs convencionais e 1 subnuc, antes gastamos uma verdadeira fortuna para erigir um monumental estaleiro e outras instalações. Olhem o exemplo da nossa justiça. É lenta, ruim, perversa, mas ostenta palácios dignos de uma nação de primeiro mundo. Nem mesmo os EUA e Europa têm as instalações que nós temos. Quando tentamos construir uma bomba atômica, primeiro fizemos um buraco de 300 metros de profundidade. Fechamos o buraco e não fizemos a bomba. Para adquirir caças modernos tivemos que… Read more »

Kornet

Quanto a não termos a bomba reclame com as seguintes pessoas: Costa e Silva(assinou o Tratado de Tlateloco),Ulisses(minou o pais na CRFB no art.21,XXIII,a)Sarney(começou a acabar com o programa nuclear paralelo e avisou o Collor sobre o buraco de Cachimbo),Collor(jogou a pá de cal no buraco de Cachimbo),FHC(assinou o TNP) e Temer(assinou outro TNP).

Bosco

Nisso eu tenho que concordar. Um país governado de forma ditatorial sem os entraves burocráticos de um Congresso, de sindicatos, de milhares de ONGs, da mídia ou de um “STF” poderia fazer milagre nas suas forças armadas com 700 bilhões de dólares.

Marcelo

200 milhões de reais É o orçamento da prefeitura de Sampa para cuidar /jogar fora com 20 mil NÓIAS.. fora a esmolinha que muitos caipiras entupidos dão … gente que dá esmola deveria ir pro inferno.

Dalton

Nem tudo é “boa notícia”.Foi anunciado que o “Bratsk” da classe 971 que estava marcado para uma grande modernização e subsequentemente enviado para a Índia sob leasing será inativado por conta de não valer a pena moderniza-lo e o “Nerpa” rebatizado “Chakra” pela Índia foi devolvido ano passado antes mesmo do contrato de leasing de 10 anos ter expirado por conta de uma explosão que matou um tripulante e dificuldades com manutenção. . A força de submarinos russa irá encolher da mesma forma que a da US Navy por conta de um número maior de unidades antigas serem retiradas e… Read more »

Willber Rodrigues

Russos são espertos. Sabem que o know-how pra construção de submarinos é algo que não tem preço e, mesmo com os anos de crise após a queda da URSS, fizeram de tudo pra reter esse conhecimento.

Heinz Guderian

O Admiral Nakhimov é um espetáculo de navio, eu curto demais esse design mais” poluído” dos navios, cheio de lançadores de mísseis, radares, canhões…
Os russos e americanos são perfeitos nesse quesito.

Thom

Classe Kirov é lindo demais. Que navio fantástico.

Alexandre Galante

Voto com o relator

Bosco

A atual tecnologia de submarinos nucleares de ponta dos russos nos sinaliza que os mais ansiosos não precisam se preocupar pelo fato dos EUA estar atrás na corrida aos “hipersônicos”. Os russos (soviéticos) ficaram atrás dos americanos por 50 anos em relação à tecnologia de submarinos e hoje estão pau a pau (ou quase). Só começaram a parear com os americanos com os ditos de 4ª Geração, com o Yasen e o Borei, mas os EUA ainda estão com um narizinho de vantagem, mas que na prática não é muito significativo em que pese a qualidade superior dos sistemas de… Read more »

SteelWing

Talvez aconteça o mesmo com a tecnologia stealth.

Bosco

Sem dúvida!

André Macedo

É interessante que os russos simplesmente não sabiam da inferioridade deles em relação aos subs até que John Walker revelou por espionagem, havia um vácuo de informação onde os soviéticos não tinham como saber como era fácil pros americanos detectar um submarino deles.

Pablo Maroka

USA dara mais 2 passos a frente, não vejo problemas por enquanto

Vinicius Momesso

Bosco, você acha que a URSS mais atrasou do que ajudou o desenvolvimento do parque militar da Rússia?

SteelWing

Claaaaro que sim, a Rússia atual é muito mais rica, tem mais recursos, influencia e cria mais projetos, su-57 que o diga, primeiro projeto de caça russo de front pós-soviético… Esse é o preço pago por saber ler.

Bosco

A Rússia atual é indissociável da URSS, não tem como separar. Então, ela colaborou para o alto nível da tecnologia militar russa atual.
O que mais estraga em relação à aferirmos as capacidades bélicas dos russos é a desinformação típica do regime aliado à mídia oficial e à mídia festeira ocidental, que nada de braçada quando o assunto é avacalhar o próprio Ocidente.
Isso me faz lembrar esse artigo bem interessante que trata das “sputinices” com a anuência da mídia ocidental . https://www.thedrive.com/the-war-zone/23185/russia-proved-how-stupid-western-media-is-at-defense-reporting-with-this-ridiculous-contraption

Last edited 4 meses atrás by joseboscojr
Luís Henrique

Outra coisa que chama muita atenção, além do número de 13 submarinos nucleares é o tamanho e o deslocamento desses monstros. Os Yasen deslocam 13.800 toneladas submersos. Os Borei deslocam 24.000 toneladas. E os Belgorod deslocam 30.000 toneladas. Lembrando que uma fragata FREMM francesa desloca 6.000 toneladas, um destroyer Arleigh Burke desloca cerca de 9.000 toneladas. Os 13 submarinos juntos representam 279 mil toneladas de deslocamento. A Marinha Francesa que é a 6a maior do mundo em tonelagem, possui 319 mil toneladas de deslocamento, incluindo seu navio aeródromo, todos os seus submarinos e todos os seus navios de superfície. Somente… Read more »

Bosco

Luís,
Tamanho maior para submarinos ajuda se:
1- melhorar a persistência de combate (tempo de patrulha x quantidade de armas);
2- aumentar a quantidade de elementos das forças especiais que possam ser implantados;
3- aumentar o poder de fogo (no caso dos SSBNs).
Se não, faz é atrapalhar já que a discrição é inversamente proporcional ao tamanho.
Não estou afirmando nada, só fazendo essa observação, que nem sempre tamanho maior é vantajoso.

Luís Henrique

Sim, mas nem sempre. A US navy tem os Los Angeles que deslocam 6.900 t e partiram para os Virginia que deslocam 7.900 t e estes vieram mais silenciosos. Agora partiram para o block 5 com 10.500 t para poder carregar mais mísseis. O ponto é que submarinos maiores com maior deslocamento costumam custar mais caro e também oferecem maiores capacidades, como as que você citou, maior persistência em combate, maior número de misseis, espaço maior para sensores maiores e mais poderosos, etc. Em termos de quantidade de navios a US Navy fica em 4o lugar. China, Rússia e Coreia… Read more »

Dalton

Luis…veja que o submarino quando submerso sempre irá deslocar mais de quando na superfície afinal ele “empurra” mais água quando submerso então é preciso rever essa comparação pois por motivos óbvios nunca se terá uma “FREMM” submarina que também deslocaria bem mais que 6.000 toneladas fosse o caso. . Certamente submarinos russos são enormes ,até por conta de muitos deles terem casco duplo, e principalmente destinados a carregar pesado armamento para atacar um relativamente grande número de navios dos EUA e aliados, então, cada, marinha com suas necessidades. . Muitas vezes se dá ênfase apenas ao “lado bom” e acaba… Read more »

José Carlos David

O urso saiu da hibernação.

Gilson

Falando em submarinos, alguém sabe informar por onde anda o nosso submarino Riachuelo, se eu não estiver enganado ele era pra ser entregue em dezembro de 2021, mas ate agora nada.

Fernando Martins

E por onde também anda o nosso Álvaro Alberto.

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios de guerra britânicos podem ser enviados para quebrar o bloqueio de Putin aos portos do Mar Negro

A Grã-Bretanha está coordenando com seus aliados um plano potencial para enviar navios de guerra ao porto de Odessa,...
- Advertisement -