Obstáculos já existiam antes. Com guerra, ficaram maiores para o mais importante projeto tecnológico do Brasil da atualidade, na avaliação da Marinha

Por Roberto Maltchik – O Globo

RIO – Há pouco mais de duas semanas, o poder bélico das nações era assunto restrito aos círculos militares, à indústria de defesa e aos especialistas do setor. Após o dia 24 de fevereiro, isso mudou. Vladimir Putin invadiu a Ucrânia, deu início à mais grave e perigosa guerra na Europa desde a derrota de Hitler e jogou luz sobre a capacidade de cada país se defender de ameaças externas. No caso do Brasil, o instrumento de dissuasão mais almejado é o submarino com propulsão nuclear. O problema é que esse projeto enfrenta riscos e pode naufragar. Os obstáculos já existiam antes. Com guerra, ficaram maiores.

O Submarino Convencional de Propulsão Nuclear (SCPN) Álvaro Alberto é a joia da coroa do Prosub, um programa de grande impacto e orçamento multibilionário lançado em 2008. Ele também prevê a construção de quatro submarinos convencionais. Todos são fruto de uma parceria estratégica entre Brasil e França.

Para a Marinha, o SCPN é o mais importante projeto tecnológico do Brasil na atualidade e, quando pronto, significará um formidável ganho operacional no Oceano Atlântico. Na comparação com um convencional, será mais rápido, terá mais autonomia e capacidade de manter-se oculto por longos períodos em águas profundas.

O SCPN também é sinônimo de prestígio internacional. Submarino nuclear é coisa para poucos.

Hoje, apenas os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, China, Rússia, França e Reino Unido), além da Índia, detêm essa tecnologia. Essas seis nações também já fizeram suas bombas atômicas.

O Brasil pode ser o primeiro país a submeter à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) um modelo de salvaguardas tecnológicas (o mecanismo de proteção e de vistoria componentes sensíveis) voltado a um submarino movido com combustível nuclear e armas convencionais, como torpedos de alta precisão, minas e mísseis SM 39 Exocet. Se demorar demais, no entanto, será superado pela Austrália, que recentemente fechou uma parceria com os Estados Unidos e o Reino Unido para ter o seu próprio submarino de propulsão nuclear.

Visão em corte simplificada do SN-BR. Observar a semelhança com o Scorpene S-BR
Visão em corte simplificada do SN-BR (SCPN). futuro submarino brasileiro com propulsão nuclear

Questões no caminho

Para entender a raiz dos problemas do SCPN, antes é preciso compreender como esses seis países veem os planos da Marinha brasileira. Na avaliação de almirantes da ativa, oficiais da reserva que participaram do programa e especialistas do setor, o Brasil terá enormes dificuldades para seguir em frente no que depender dos interesses estratégicos dessas nações. E o SCPN depende dessa cooperação, em especial com os Estados Unidos e seus aliados militares.

Em 24 de maio de 2021, quase um ano antes da primeira bomba explodir na Ucrânia, a Marinha promoveu um evento no Complexo Naval de Itaguaí (RJ), onde são construídos os quatro submarinos de propulsão convencional. O lugar também foi projetado para receber o submarino de propulsão nuclear. No evento, o então diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico, o almirante de esquadra Marcos Sampaio Olsen, fez um balanço detalhado das atividades. Ali já se tornariam evidentes os nós enfrentados pelo programa.

O financiamento de todo o Prosub, embora volumoso (já recebeu mais de R$ 27 bilhões), sofre com a imprevisibilidade. Entre 2015 e 2021, os recursos para o programa ficaram aquém do planejado. Até meados do ano passado, o submarino nuclear havia recebido investimentos da ordem de R$ 810 milhões. Neste ano, as chapas de aço prensado do casco foram contratadas e devem ser entregues até dezembro.

Esse fluxo financeiro não compromete o sucesso dos submarinos convencionais. Há atrasos, especialmente por adaptações para o alongamento do casco original, que foram executadas a pedido da Marinha. Mas a meta da Força é entregar a quarta e última unidade, o submarino Angostura, em fevereiro de 2025.

Porém no caso do submarino nuclear, a instabilidade de recursos se alia ao desafio tecnológico de desenvolver um reator que se encaixe perfeitamente — e com segurança — dentro da embarcação, submetida à alta pressão e a turbulências de toda ordem. E a indústria brasileira, como revelou na ocasião o almirante Olsen, não dá conta de fornecer essas tecnologias críticas.

S-BR e SN-BR
S-BR e SN-BR (SCPN)

— O acesso às tecnologias sensíveis é determinante, à medida que a nossa base industrial de defesa se mostra ainda incipiente. Acaba que não tenho fornecedores no Brasil que atendam aos requisitos nucleares — explicou o almirante durante sua apresentação no Complexo de Itaguaí, na qual lamentou a falta de empenho da academia em pesquisa aplicada no setor.

A Marinha já desenvolveu o ciclo de produção de energia nuclear que, desde 1985, permite o funcionamento da Usina de Angra 1. Falta, porém, a capacidade de desenvolver componentes que permitam a esse mesmo reator (chamado de PWR) operar com total segurança nas dimensões e características necessárias e, depois, integrá-lo às outras estruturas do submarino.

Essas lacunas ameaçam todo o projeto, inclusive a etapa imprescindível de reprodução em terra das condições que serão encontradas no mar pelo reator atômico e por seus componentes. Essa reprodução ocorrerá no Laboratório de Geração Nucleoelétrica (Labgene), em Iperó (SP), que é uma maquete de tamanho real do SCPN.

O laboratório avança, porém em ritmo aquém do desejado. Sua preparação, de alta complexidade, estaria cerca de sete anos atrasada em relação ao cronograma inicial, segundo um oficial ligado ao programa. Espera-se que Labgene trabalhe tal como um reator que opera dentro do submarino no final de 2024 — o SCPN está previsto para 2034. Para que isso aconteça, é preciso ir ao mercado, que já estava de portas fechadas.

— A minha maior preocupação diz respeito ao acesso a tecnologias sensíveis. E os Estados Unidos interferem não só com relação àquelas encomendas a empresas americanas, mas a de outros países — afirmou Olsen, em maio do ano passado.

Maquetes do SN-BR (SCPN)

Efeito Putin

Desde fevereiro, somam-se os potenciais prejuízos causados pela guerra. A conta não é simples e os obstáculos adicionais ultrapassam o aparente desgaste causado pela “solidariedade” do presidente Jair Bolsonaro à Rússia, emprestada dias antes da invasão da Ucrânia, em visita a Moscou. Militares e civis concordam que o mundo passou a ter aversão a todas as questões relacionadas à capacidade de produção nuclear.

O professor da PUC-MG Eugênio Diniz, do International Institute for Strategic Studies, de Londres, ex-presidente da Associação Brasileira de Relações Internacionais (Abri) e parecerista da Nonproliferation Review, aponta obstáculos importantes.

— É possível que o ambiente tenha se tornado particularmente difícil para todas as questões envolvendo a capacidade de produção e a utilização de material nuclear, o que pode implicar maior dificuldade ou mesmo a impossibilidade de obtenção de peças e componentes críticos para o submarino, e, naturalmente, também de licenças para sua produção no Brasil. Por si só, isso já pode ter sido um duro golpe na continuidade do programa do submarino nuclear — avalia Diniz.

Desatenção do governo

Mas isso significa que o programa do submarino de propulsão nuclear brasileiro está ferido de morte? Em sua apresentação no ano passado, o almirante Olsen disse que é preciso “fazer o dever de casa”. O especialista em segurança e editor do site Defesanet, Nelson During, avalia que falta compreensão, em todos os níveis de governo, sobre o estágio crítico do projeto:

— O objetivo primordial é obter uma unidade nacional. Ele não é somente militar ou tecnológico. É um projeto de projeção e soberania nacional.
Nas últimas três semanas, a Marinha foi procurada para se pronunciar sobre o tema. A reportagem encaminhou um questionário sobre aspectos técnicos e políticos referentes ao programa, mas a Força preferiu não comentar o assunto. A embaixada americana em Brasília também foi procurada e não se pronunciou.

FONTE: O Globo

Subscribe
Notify of
guest

370 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
carcara_br

bora de canoa então, é o que dá pra produzir né?

Esteves

Talvez uma canoa convencional movida a motor nuclear convencional.

Dizem que somos criativos.

Agressor's

Enquanto aqui se corta 90% da verba para ciência e tecnologia, por aí sabemos o futuro que nos aguarda. A CEITEC dava muito lucro, todo ano o balanço era positivo na casa do 50% de aumento anual nos lucros…kkkkkkkkk…Porque será que fecharam uma empresa tão lucrativa? 😉 😀 O desenvolvimento de um submarino nuclear de tecnologia 100% nacional é da mais importante prioridade e necessidade para o país… Só um único submarino nuclear já nos trará um meio dissuasório mais eficaz que todos os navios de superfície e submarinos convencionais juntos… Os ganhos em termos de performance, autonomia e dissuasão… Read more »

Ander

0,001% dos brasileiros sabem o q é ou que foi a Ceitec, o Brasil sempre será sabotado, e os sabotadores são os próprios Brasileiros comprados por estrangeiros, segue um breve gráfico do gasto anual do governo em 2021, tentem encontrar o gasto com industria e pesquisa tecnologia e desenvolvimento.

Agressor's

Depois de D. Pedro II, o Brasil nunca teve um governante honesto e que se importasse realmente com o País. O Brasil na época de D. Pedro II era tão desenvolvido quanto os EUA e muito mais influente que os EUA. Não me surpreende muito acharem ele um vilão hoje, afinal esperar o que de um povo que vota em corruptos e idolatra artistas e jogadores de futebol como se fossem deuses. É triste saber que qualquer analfabeto atualmente tem mais admiração do que o próprio D. Pedro II. O brasileiro precisa conhecer sua verdadeira história! Há anos nas escolas… Read more »

Chevalier

Pois é, e quem tirou D. Pedro II de lá?

PACRF

Os “militares de plantão”, como sempre.

Cristiano GR

Os fazendeiros ricos que não eram nobres e filhos de fazendeiros que estudaram na Europa e vieram com ideias republicanas e também que acharam legal a formação americana e dos outros países latinos, onde o Brasil era a única monarquia da América e se destaca positivament em muitos aspectos que após a instalação da republica só decaíram.

MARCELO DANTON DA SILVA

E TODO FAZENDEIRO RICO faziam questão ter terem filhos, MILITARES, Padre e Médico…nessa ordem!
AMIGO! Temos que ser MAIS sagazes e profundos quando tentamos contra argumentar…isso se quisermos MESMO ter uma NAÇÃO FORTE.

Nonato

O MEC gasta uns 100 bilhões por ano com universidades.
onde estão os cientistas das universidades que ganham dedicação exclusiva?
Querem que o governo pague mais?

Heli

Ao contrario dos militares eles estão sem correção salarial há 8 anos e tiveram cortes gigantescos nos orçamentos de pesquisa.
Perdeu uma grande oportunidade de ficar calado com sua sabedoria sobre produção cientifica nacional.

Salim

Oficiais força armadas receberam aumento salarial enorme para deixar passar reforma previdência, contrapartida seria profissionalizar tropa e reduzir nr combatentes a patamar equivalente a forças armadas de outros países com competência . O que vimos foi aumento gasto pessoal e redução nos gastos operação, manutenção, reequipacao e desenvolvimento. O que temos e um Cabidao empregos corporativo so preocupado poder político e de mamar em cargos no governo.

Camargoer.

Caro Nonato. O problema são os recursos para a pesquisa. Sem recursos para comprar material de consumo e manter os laboratórios não existe pesquisa.

Caio Túlio

Não. O brasil investe tanto em ciência quanto a inglaterra. Resultados bem diversos, no entanto

josebaldo

Analisando rapidamente estes gastos para a população de 200 milhões de brasileiros. Por exemplo, gira em torno de R$800/ano com saúde por brasileiro, isso não daria para ser um plano de saúde para cada brasileiro? (Fora os gastos municipal e estadual)

E por aí vai… Uma máquina pública inchada, cara e ineficiente.

Rafaelsrs

Nesse seu cálculo não foi incluído as máquinas públicas mais inchadas e ineficientes da história: As Forças Armadas, aquelas cujo nem a previdência deles é autossustentável e precisa que todos os brasileiros se sacrifiquem para fechar a conta dos parasitas que se aposentam cedo e com salário integral.

Charle

Sem contar:

Pensões para as filhas “solteiras” de 40, 50, 60, 70 ou 80 anos;

Mais de 7.000 deles estão acumulando funções na admininistração pública civil. Ou seja, ganham como civis (???) e como militares;

Tiveram aumento de soldo durante o auge da pandemia;

Têm direito a uma grana extra para os “altos estudos no exterior”;

E mais alguns benefícios que só Deus sabe…

Cristiano GR

Isso vem de muitos anos e sobre ser cara, se originou desde a época de Getúlio, que em seu governo criou a CLT e com ela vieram todas as regalias do funcionalismo e salários incompatíveis com a realidade brasileira, que fez do funcionalismo federal uma espécie de casta. E pior, mesmo com salários estratosféricos e cheios de regalias e benefícios há muitos que são verdadeiros parasitas que além de trabalharem mal e porcamente ainda roubam.

Cristiano GR

“Dez anos após ser federalizada, a Ceitec dá uma guinada na tentativa de ganhar relevância, ser financeiramente sustentável e reverter a sensação de frustração em relação às promessas da época em que deixou de ser uma associação sem fins lucrativos. As receitas acumuladas desde o início da venda de chips em 2012 até o ano passado alcançaram apenas R$ 16 milhões.” “O prejuízo, segundo a empresa, chega a R$ 42,6 milhões. O problema é que a Ceitec foi criada com a missão tirar o Brasil do atraso na área de microeletrônica, recebeu R$ 1,08 bilhão da União em investimentos, mas… Read more »

Wagner

“… na qual lamentou a falta de empenho da academia em pesquisa aplicada no setor…” … Empenho da academia? A culpa agora é dos setores de pesquisa das universidades brasileiras que tiveram sua verba paulatinamente cortada (a quase zero) ao longo dos ultimos anos e que nunca, nunca, foi prioridade de governante algum? O que se apresenta? Uma sociedade que valoriza mitos da internet ao inves da educacao cientifica, que elege dirigentes que se orgulham por nunca terem lido livros e que cre que opiniao vale mais que fatos e cuja elite (seja politica/economica/cultural/etc) tem a tendência irritante de sempre… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Wagner
Carlos Crispim

Wagner, a educação virou bandidolatria, e vou te dizer outras coisas, nenhuma universidade teve verbas cortadas ou diminuídas, nem na pandemia, nada foi cortado, nunca as universidades públicas ganharam tanto dinheiro como agora nesse governo, digo federais e estaduais, o orçamento das federais, por exemplo, só aumenta a cada ano, chega de conversa fiada, a verdade é que gastam tudo em verbas extras, gratificações, plano de cargos, jetons, viagens, palestras e não dão NENHUM retorno ao Brasil, o orçamento das federais é BILIONÁRIO, mas ninguém cobra resultados, as federais foram sequestradas pelos professores e funcionários, eles são os atuais donos,… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Carlos Crispim
Neto

Crispim, quantas bolsas o MEC investia nas IES federais em 2010, em 2014, em 2018? Quantas bolsas são aplicadas hoje? Quantas IES federais existiam em 2010, 2014, 2018 e hoje? Qual é a proporção de vagas de ensino superior ofertado em IES federais em relação a população? . Vejo verborragia sem dados em sua “fala”. . É lógico que o orçamento das federais é bilionário. TODAS as IES federais são estruturas e corpo docente que necessitam de $$. Observe o conjunto de IES federais NÃO SÃO um único ator com uma única especialidade. Há uma pluralidade que necessita existir em… Read more »

Juarez Martinez de Castro

“Cooptadas ideologicamente pelo Presidente”. Pelo amor de Deus em que planeta tu vive. Se tem algo que é impossível de de se fazer e uma auditoria e uma universidade federal, ou melhor madrassas aonde se formam militantes e analfabetos funcionais aos milhares. Bolsas de estudo no exterior com o nosso dinheiro para fazer turismo e gritar fora “Bozó” e te pergunto qual o retorno que estes bolsistas deram ao país??? Vou te dizer: ZERO Tu fala em democracia .universidades federais, que democracia cara pálida, a democracia de você de vocês, do pensamento de vocês, e aí de quem contrariar. A… Read more »

Fagundes

Na imagem mostra a tal “falta de comprometimento” e “balbúrdia” das faculdades de engenharia do país.A comunidade acadêmica tira leite de pedra.No final investimento em ciência e tecnologia gera emprego para quem foi e também não foi para a universidade

josebaldo

Quanto o contribuinte gasta com cursos só de filosofia em 26 federais (uma por unidade da federação)? O mercadão demanda toda essa gente formando em filosofia? E esse é um exemplo, por mim tudo se resumiria a bolsas, sem faculdades “públicas”. As melhores notas ficam com as melhores bolsas, que deveria ser de no máximo uns 50% do valor total do curso, o resto financiado. Se o indivíduo não será capaz de honrar o valor do curso é sinal que o curso não tem o valor esperado.

Sou patriota mas não sou cego

Cara, leia jornais e veja o orçamento das universidades. Tudo disponível online. Vai cair no conto do pastor que finge ser ministro da educação? Ciência, tecnologia e educação foram escolhidos como inimigas desse obtuso obscurantista que ocupa o Planalto. Quanto ao financiamento pro submarino nuclear quem sabe a Marinha abre umas 5 ou 6 lojas da Kopenhagen? Nas mãos da familia Bolsonaro uma lojinha de chocolates lucrava milhões!

Juarez Martinez de Castro

Alem de teses como: ” Como dar o c…..sem dor” O que foi que as universidades federais Brasileiras produzir e deram de retorno a sociedade que as banca?? Quantos universitários do curso de Engenharia se voluntariaram para ajudar em Petrópolis???? Quantos se voluntariaram do curso de medicina para ajudar no atendimento às vítimas da COVID???? Quantos se voluntariaram do curso de assistencial social para ajudar aos M grandes Venezuelanos??? Resposta: Nenhum Quem estava presente em todos estes eventos e atendendo de pronta resposta: As FAs. “A única coisa que interessa a vocês é vque volte a correr frouxo, ninguém cobre… Read more »

Camargoer.

Caro Juarez. Nenhum aluno de graduação pode atuar profissionalmente sem uma supervisão. Alunos de engenharia ou de medicina não podem atuar como engenheiros ou médicos. Nem alunos de química podem atuar como químicos. Aliás, nenhum destes profissionais pode atuar mesmo após concluir o curso sem terem um registro profissional. Por outro lado, se você a trabalho voluntário, seria um absurdo deslocar pessoas para trabalhar voluntariamente em áreas de risco sem uma infraestrutura de apoio. Isso na verdade aumentaria o problema. Lembre quando ocorreu o incêndio no preio da CESP na Av.Paulista e o prefeito na época pediu para a população… Read more »

João Augusto

Passa num vestibular e faz uma graduação numa federal antes de falar uma borracha dessas.

Juarez Martinez de Castro

Nem um dos atos de torna um ser diferente dele. Graduação não e santificado, até porque se eu pegar a maioria dos tais “Graduados”, a maioria não consegue escrever uma frase com concordância verbo nominal correta sem consultar o google.

Charle

A nota de corta no SISU a cada ano vem se tornando mais e mais alta. De repente para uma particular…

MARCELO DANTON DA SILVA

TEM NOBEL??!!
Então menos ….muito menos ok?! antes de se vangloriar de “passar” nessas instituições….tem método pra passar e não se correlaciona com APTIDÃO para SER …entendeu ou precisa desenhar??
DESENHAR é o método utilizado pra PASSAR nesses “vestibulares”

Bruno

Tá de sacanagem xerife. Sou estudante da Unicamp e tivemos um corte gigante de verbas de pesquisa ; inclusive o lab onde eu faço minha IC não tem um tostão furado meu querido(isso que trabalhamos com vírus, inclusive SARS-COV-2. Detalhe só existem 2 labs de segurança nível 3 em Campinas e só o do meu lab faz pesquisa com SARS COV 2 em Campinas). E pra começo de conversa SEMPRE a verba destinada pra galera de humanas SEMPRE foi a menor de todas. Não despreze o que vc não conhece ,a área de humanidades é tão importante quanto a minha… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Bruno
Juarez Martinez de Castro

E porque que que vocês tiver verbas reduzidas?????
Porque o governo colocou quase um trilhão na saúde para enfrentar o COVID.
Todos os setores foram afetados, todos. Pessoas perderam empregos, empresas quebraram, vidas perdidas e vocês continuam em uma bolha surreal, achando que o governo e culpado de tudo.
As “humanas” não deviam nem ter orçamento, aquilo lá e um antro de maconheiros, que tem apoio de traficantes e cuja a única preocupação e se manterem drogados, bêbados com o meu dinheiro sem dar nenhum retorno ao país. Sai todos lixos.

Wendel Carvalho

Quem é do RJ ou Niterói, dê uma passada no prédio do DCE da UFF ao lado do shopping Plaza Niterói. Mas vá a noite. É farra o tempo todo. Prédio pichado e sujo. E sim rola muita droga. Em proporção até maior e mais variada do que nas maiores favelas do Brasil. Infelizmente quem pensa diferente da “galera de humanas” das universidades federais tá lascado. Fiz faculdade em Niterói msm morando a 40km de distância e a prefeitura fornecia ônibus para levar e buscar os estudantes de todas as universidades de Niterói. A galera de humanas da UFF eram… Read more »

Charle

Vou ajudar – “Saiam todos, lixos”.

E sobre apoio de traficantes… talvez você tenha. Na UFRJ e na UNIRIO não temos apoio algum. Nem mesmo do governo.

JSilva

Quanta desinformação…

Jurandir Noronha

Tem que cortar verba de esquerdista, mesmo.
Quem vive de bolsa é Louis Vuiton.

Jurandir Noronha

Tenho ojeriza a qualquer tipo de bolsista. São parasitas como qualquer funfa.

MARCELO DANTON DA SILVA

MENTIROSO TEM NOBEL??!! Um tese, “paper”, TCC etc, etc publicado em revistas cientificas de renome??
MENOS ok?!

Charle

Quer dizer que o problema das Universidades Federais são as Ciências Humanas? Então, se aplicarmos todos os recursos disponíveis em, por exemplo, Ciências Exatas, paulatinamente tudo será resolvido? Junto, é claro, precisamos encontrar uma forma de expulsar o pessoal que “sequestrou” as universidades. Outra coisa, caso eu tenha formação em Matemática, História e Filosofia, sendo “esquerdita” também faço parte do problema? Mais uma coisa, teorizar sobre a organização sócio-econômica brasileira apontanto os pontos negativos (muitos) e positivos (poucos) é pior do que apoiar um governo que legaliza o “garimpo artesanal” e mantém ou possui estranhas ligações com empresas canadenses que… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Charle
Caio Túlio

A Ceitec deveria ser um centro de pesquisas e não uma estatal

Antoniokings

É Brasil!
Tá difícil.

carcara_br

Precisamos tomar um embargo, não igual aquele que já tomamos por debaixo dos panos, um público, com o presidente americano vindo a público e fazendo aquele carnaval.

Jurandir Noronha

Precisamos de uma ameaça séria. Já sofremos ameaças, mas pensam que não é de verdade.
Na hora que formos ameaçados explicita e diretamente, será tarde demais.

O Brasil precisa de bombas atômicas.

Charle

Pois é, mestre. E há pessoas que renegam o avanço sócio-econômico chinês. Por enquanto, é claro.

Porque quando começarem a “se dar bem”, silenciarão sobre suas convicções mais… digamos “contundentes”.

Groselha Vitaminada Milani

Mais uma pérola repetida do nosso jornalixo repetida. Toda vez a mesma ladainha da sereia recalcada mimizenta dizendo que o submarino não vai mergulhar, que o programa vai falir a Marinha do Brasil …. chega! Troquem o disco. Tá na hora de um novo repertório. Não tem o que publicar não publiquem NADA! Vocês não vão resolver NADA! Tá muito chato. Vale a pena ver de novo. 1-Falta um porta aviões na Marinha. 2-Não faltam 1, faltam 2 porta aviões na Marinha. 3-A folha salarial dos aposentados militares é muito maior que seu efetivo. 4-F-18 na aviação naval 5-Existem alguns… Read more »

Wagner

Quanta groselha.

Groselha Vitaminada Milani

mas é AGORA que vai mesmo naufragar???

Groselha Vitaminada Milani

Meu avó também falou que o Titanic ia naufragar. Na 5a. vez colocaram ele pra fora do cinema! kkkkkkkkkk

Gerson

Eu fico com a pureza. Da resposta das crianças. É a vida, é bonita. E é bonita. O mesmo cabra que deu inicio a todos estes projetos de submarinos, caças, etc… tá voltando

Esteves

É uma boa desculpa. Culpa do Putin.

Enfiaram bilhões de dólares em um programa dos anos 1970 que agora, somente agora, reconhecem como irrealizável.

Bacana.

Vovozao

12/03/2022 – sábado – bnoite – Mestre Esteves, esses bilhões gastos….. que poderiamos contar com um número adequado de escoltas, com o PMG dos submarinos. Ninguém da uma satisfação ao povo, ja que foi/é com o dinheiro do povo que nossos militares entraram nesse sonho de grandeza….. Considero que agora, temos a obrigação moral de superar esses obstáculos e, provar que os nossos militares tem brios, e, colocam nossa marinha num patamar elevado, ja que contra todas as incertezas conseguiram tornar operacional.

Esteves

Vovozao,

O que penso é que chegamos a um ponto de gasto público (em torno de 30 bilhões de reais faltando outros 30 bilhões de reais) que somado ao que dizem precisar em Angra 3 (mais 45 bilhões de reais) sem volta.

Esse programa do reator vem desde 1979. Houve um upgrade com as cascatas do Almirante. O contrato do PROSUB de 2008 parecia ser um novo alento para unir essas pontas.

Custos locais, moeda local, necessidade de importações, câmbio, descontinuidades, tempo…o tempo passou e não fizemos.

Silva

Gasto público? que falácia! Tudo é gasto público! Nossas FA não são proporcionais ao nosso PIB, então o “gasto público” que temos não é tão grande assim… Gasto maior que enviar dinheiro para Cuba, Venezuela e outros “cumpanheiros” foi pior de todos! O Prosub emprega brasileiros!

carcara_br

Bom, se conversarem direitinho com o Putin é capaz de sair não apenas com o reator, mas com toda a parte do casco, revestimento, mísseis e torpedos. Claro, depois ia ter que aguentar o bafo quente do resto do “mundo” no pescoço, canoas são boas.

Esteves

Pois é.

Dickson

Não há consenso nos governos. Ora são aliados ocidentais, ora se inclinam para russos, ao tentar agradar ou por conveniência A ou B, acaba se enrolando e não tendo nada. O que faria mais sentido seria ir atras da França para equacionar essa demanda. Mas para esse governo o Macron quer a amazonia…

Robert Smith

um verdadeiro “samba do crioulo doido” (sem querer ofender os crioulos, doidos ou não) … é por essas coisa que o Brasil é taxado de pais NÃO serio….

carcara_br

Olha, você já viu o tamanho da lambança que a Europa está fazendo neste exato momento, então… Falar que não somos sérios? Eles são o quê?

Robert Smith

…. carcara_br… pior é que não tenho resposta honesta :-/ no máximo …. seria nem este nem nos

José Marinho

Muito voces estão preocupados com Macron querer a Amazonia, Entre querer e poder vai uma larga distancia, e até la o mandato dele termina e começa outro a governar.
Mas não se preocupem. porque um dia que algum país queira invadir a Amazonia, ela já não irá existir, porque voces estão a destruir como se não houvesse amanha e sem pensar nas consequencias ambientais para o vosso país.

Jurandir Noronha

Cala-te. Se é pra falar bobagem, melhor ficar calado.

Henrique

Geopolítica é assim meu caro, não dá pra assumir um lado quando ambos os lados estão errados. Navegar entre superpotências é essencial para não cometer erros básicos como a Ucrânia cometeu.
O Brasil está certo, nem Israel se posicionou “ferozmente” contra os russos pois tem muito em jogo no entorno deles, principalmente na Síria … vai o Brasil se meter a dar palpite ou pintar de “galo” no entrevero dos outros. Por favor…

Silva

Nações não têm amigos, têm interesses. Não devemos ir atrás de ninguém, senão aqueles que em determinado momento atendem nossos interesses.

Carlos Gallani

A política externa da “lei de Gerson”, tá dando certo sim, confia!
Relações internacionais precisam de confiança e não de isentões bancando de esperto pois ai na hora de propor qualquer aliança estratégica somos motivo piada é desconfiança!

André Macedo

Putin não iria fornecer essas tecnologias pro Brasil, ele sabe que é só o Trump se reeleger e o asno presidente volta a ser capacho dos EUA.

Stemp

Se a Bolívia tivesse acesso ao mar, de repente com o Jumento de volta ao poder, poderíamos tentar com ele uma compensação pela usina da Petrobras que foi tomada, né… Lamber as botas de Cuba, Venezuela e Bolívia é muito melhor, embora estas nações não tenham desenvolvimento tecnológico algum, somente a capacidade de deturpar a mente dos idiotas.

Carlos Gallani

Essa historia da usina da Petrobras na Bolívia tem muita conversa nebulosa de propaganda politica, recomendo aos curiosos dar um google antes de supor conclusões!

Silva

LLuulla entregou.

glasquis 7

poderíamos tentar com ele uma compensação pela usina da Petrobras que foi tomada, né…”

Após a nacionalização, ambos governos negociaram as duas refinarias e chegaram a um acordo em Maio de 2007 no qual a Bolívia se comprometia a pagar U$D 112 Mi. ao Brasil e assim foi.

Silva

Se comprometeu… blza. Pagou? Ou deu calote igual Cuba, Venezuela e Argentina?

Glasquis 7

Se comprometeu… blza. Pagou? Ou deu calote igual…”

Se vc não sabe do que acontece com o teu país, eu que tenho que te informar?

Completou o pagamento em Agosto de 2007 se não me engano.

Vcs tem que se informar antes de criticar.

César

Dê uma pesquisada…

Stemp

Foi? Então agora só falta negociar com Cuba e Venezuela a dívida que NÓS estamos pagando!

Glasquis 7

Ah!, então o problema não está na dívida mas sim em atacar os países que pra vc não agradam. Não consegue com a Bolívia, que vc nem saldado seus débitos com o Brasil, então, vai atrás dos outros.

Cuba e Venezuela não são os únicos.

Sabia que Moçambique deu calote no Brasil também?

Stemp

Claro, abriu a porteira. Não sei exatamente todos os que nos calotaram, os que ofereceram “charutos” como compensação, o que eu sei é que a geopolítica nos causou muitos problemas. Se em vez de investir NOSSO dinheiro em países com “amigos” ditadores, Lula tivesse investido aqui, teríamos uma força armada de respeito. Ou não?

André Macedo

Discurso inflado e cheio de meias verdades, como sempre vindo dos argumentos de prateleira, estilo “mas e o petê”?

Stemp

Discurso inflado sim, meias verdades, não sei, o que eu sei é que eu não vou passar pano para uma cambada de ratos que saquearam a Petrobras e cooptaram o BNDES a investir NOSSO dinheiro em países governados por ditadores. Não é “mas e o petê”, é ONDE VOCÊ ESTAVA QUE NÃO CRITICAVA?

paulotd

Trump não se reelege mais não. Pra falar a verdade, Bolsonaro também não

Silva

Que mundo vc vive?

Fernando Vieira

O real.

Rinaldo Nery

Só lembrando que os dois anteriores (Lula e Dilma) eram asnos também…

Neto

Estamos mal servidos de ex-presidentes. Dito isso, nem Lula, nem Dilma e nem mesmo Temer demonstraram em suas administrações tamanha omissão ativa para com a sociedade como o Bezerro de Ouro evangélico, Bolsonaro, agiu em ideológica negação da crise pandêmica. . Ahhh mais a vacina foi comprada… . A realidade está aí, apesar do presidente conseguimos a vacina. . Bolsonaro trabalhou para que fossemos boi de piranha nos colocando no altar do vírus para seguir um roda compressora de uma economia que está desindustrializada (culpa do PT, mas sem ação alguma do presente presidente) e indo pro vinagre. . NUNCA… Read more »

Esteves

Também?

Caio

Infelizmente parece que neste período histórico o Brasil tá mais perdido, em política externa do que cego no Rio de Janeiro, digo em tiroteio.

Silva

Nosso reator é 100% nacional, nenhum país jamais transferiu essa tecnologia para outro. Só 6 países desenvolveram as suas!

Silva

Prezado, a Rússia só transferiu tecnologia para 2 países (China e Índia) e de forma limitada. O que tínhamos com eles eram o MI-35, mas eles não deram suporte de manutenção, por isso estamos desativando. Não são confiáveis, não honram compromissos, pulam fora e tiram o telefone do gancho!

Willber Rodrigues

Só lembrando que, ano passado, esse programa recebeu quase 1 bilhão a mais, e mesmo assim não foi o suficiente…

Chevalier

Chega. É só roubo e mal-uso dos recursos públicos. E quanto mais desvia ou gasta mal, mais o Estado brasileiro dobra a aposta e pede mais. A cada ano também, mais e mais gastos, mais asssistencialismo barato. E tome despesas e salários dos 3 Phoderes e tome mais pro Fundão Eleitoral. É um monstro que já não suga, mas devora o próprio povo. A diminuição/corte de uma grande parcela do Estado brasileiro e cadeia pra MUITOS é URGENTE para o desenvolvimento nacional. Chega.

Last edited 1 ano atrás by Chevalier
paulotd

Resposta bem ao espírito vira latas Brasileiro. Tecnologia militar de ponta custa caro e vem no longo prazo. O problema não é o Prosub, e sim o excesso de contingente, salários e pensões.

Chevalier

E onde eu disse que essa tecnologia não custa caro e não vem no longo prazo? E se o problema “não é o Prosub, e sim o excesso de contingente, salários e pensões”, como vc mesmo disse, então isso se encaixaria em desvio e gasto errado de dinheiro publico, para o qual o Estado brasileiro só tem como resposta pedir por mais e mais. É o que falei na 1a e 2a linhas. Vc tem certeza que entende o que lê?

Last edited 1 ano atrás by Chevalier
Henrique

Perfeito. E vejo muitos que afirmam que com um sub nuclear estaríamos mais protegidos etc… senhores, a única coisa que garante que um país hoje não seja atacado por uma superpotência é ter “bombas atômicas” e como lançá-las eficientemente, a Coreia do Norte é um bom exemplo disso mantendo a Coreia do Sul e Japão como seus reféns ou escudos.. Ter um submarino nuclear que venha ser um “lobo solitário” e que causa uma sangria enorme no orçamento quando sequer temos escoltas decentes, misseis de cruzeiro, vants e meios tecnológicos PRÓPRIOS de defesa, etc..etc.. etc.. … talvez não devesse ser… Read more »

Silva

O autor do texto, Roberto Maltchik é da turma do despiora. Impressiona como essa notícia sem lastro algum, feita por um neoespecialista, consegue afetar tantos brasileiros descrentes ou desavisados. Observem: ele não cita objetivamente nenhum fato concreto que deprecie o projeto. Apena cita que haverá dificuldade financeira (durante o gov e Dilma e na COVID não teve?), cita que podem ocorrer dificuldades para obter alguma coisa, que ele não cita o que é… só faltou ele utilizar o tradicional “segundo fontes no órgão”…
Os despioradores não descansam! Não caiam nessa!

Carvalho2008

Materia do Globo, com visão do Globo, sem opinião da MBconforme anotado em seu final e sem opinião da embaixada americana conforme também anotado, mas atentamente procura inflamação e dar enviesamento político contra o Brasil.

Esteves

Globo é somente um grupo de mídia. Como todo grupo econômico tem suas preferências políticas. Já foram lá e cá. Hoje são mais lá.

Lucas Romario Silva Lima

Sim lembro que já em 2008 a própria globo falava que o programa ia naufragar, estamos em 2022 e não naufragou, a Globo vende matéria por interesses próprios.

Bispo

Matéria da Globo mais com informações do “diretor geral” do projeto.
Porque a embaixada americana tem que se pronunciar, o problema é nosso não deles. A marinha do BR obviamente não tem interesse algum em detalhar os percalços do programa.

Carvalho2008

É o que disse, o problema do subnuke brasileiro em nada, absolutamente em nada tem a ver com a relação diplomática atual. Quem acompanha sabe

A matéria da Globo quer é deseja alegar que o problema do subnutrição tem a ver com nossa diploma ia e atual política

T.H

Se fosse da “mídia chapa branca” do b.o.l.s.o.n.a.r.i.s.m.o talvez fosse menos panfletária para seu distinto gosto jornalístico. Quem sabe na emissora do bispo essa matéria viesse acompanhada de mais afagos ufanistas ao governo federal, e quem sabe até um pedido de dízimo aos irmãos para financiar o Subnuc.

Carvalho2008

Mestre TH, o amigo pode vasculhar aqui no próprio site as análises antes de 2018. O projeto já era desde 2015 considerado um poço sem fundo e inviável. Não há relação com EUA e nunca houve. A matéria pretende disfarçadamente asso iar o fracasso a política atual e embargos estrangeiros por conta disto, sendo que desde o início ele já era embargado em forne imenso de peças e tecnologias sensíveis. É por isto que fala-se que o reator do sub brasileiro é 100% nacional, pois é de fato projeto autóctone. Este atrasado em risco em face da própria incompetência brasileira,… Read more »

Inimigo do Estado

Eu sou brasileiro e sou contra o Brasil atual. Desculpe mas lhe falta vergonha na cara em reconhecer que o Brasil é um buraco, falido, pobre e violento. De quê adianta tantas belezas naturais se metade dos brasileiros convivem com esgotos a céu aberto, e se alimentam duas vezes por dia, enquanto temos uma marinha com mais marinheiros na terra que no mar, comendo pudim na sobremesa? Isso não te envergonha não?

FRANCISCO MARCELIO DE ALMEIDA FARIAS

Muito bem, Carvalho2008, opinião inteiramente idiota, sendo uma matéria do Globo, com visão do Globo, sem opinião da MB, sem ouvir os americanos e com notável enviesamento político contra o Brasil. Entendo que a Guerra da Rússia fez foi fortalecer esse empreendimento, tanto por parte da Franca, quanto pelo Brasil, sem falar que está tudo dentro do planejado, que o reator vai dar certo e o ensaio do casco do SN-B também, que haverá dinheiro do orçamento mesmo que escasso, para a alegria dos brasileiros de verdade e sem os recalques dos que pedem fracasso.  

Rinaldo Nery

Concordo. Impressionante o antibolsonarismo que vinga por aqui. Descarado. O gramscismo nas universidades deu resultado. Todos que metem o pau tem bem menos de 40, com certeza.

Tomcat4,2

Exatamente por isso tenho debatido muito menos por aqui, infelizmente, pois o nível caiu bruscamente, poucos debates técnicos ou sobre o tema e sempre tudo vira política ou fanboyzismo puro e quem não é contra o PR é atacado e se não concorda com os canhotos tbm.

Bruno Moura

ahhhh que saudade daquela época , da divida externa , da mega-inflação moeda nacional fraca , FMI , Censura a cultura nacional , Comando Vermelho Tortura , Roberto Marinho mandando no país , Pobre só tinha direito de andar de ônibus e morrer na fila do SUS. Època de ouro , em que era só colocar a culpa no comunista invisível e tudo estava resolvido , tempos magníficos que não voltam mais , quem viveu , viveu .

Charle

Acho que nessa época dourada não era o SUS. Havia o INAMPS e também o BNH.

Cristiano GR

Com certeza, esses muitos são poucos que usam nomes diferentes para parecerem mais e são sempre os mesmos concordando com suas próprias opiniões.

JSilva

É impressionante também a quantidade de militares que defendem este governo fraco. Só não me impressiono porque sei que existem 6 mil militares com cargos neste governo. No final o patriotismo é tudo uma questão de bolso.

Silva

Exatamente!

Silva

Sobre a Globo eu concordo, mas a Embaixada americana????????????
O projeto é brasileiro!!! Compramos a tecnologia de casco da França… ainda buscando a relação com os EUA.

Esteves

Dificuldades com fornecedores, mundo em guerra, preços de matéria prima, instabilidades na geopolítica mundial, restrições orçamentárias, como entrar no clube pela porta da frente…

Isso tudo e mais, não Estavam nos planos cartesianos do programa?

pangloss

Os planos cartesianos do programa foram estabelecidos sob um cenário completamente diferente do atual.
É um dos aspectos do custo que a demora impõe ao programa.

Esteves

Isso é cenário básico para uma Marinha de Guerra. Se houver guerra o que faremos?

A demora faz parte do nosso cotidiano.

Silva

Com certeza sim! Por isso está andando! Agora vem o entendido da Globo dizer que o cenário a frente é difícil! Realmente, está difícil para ele relatar tanto despioramento!

Zava

Então a Marinha contava com transferencia de tecnologia estrangeira para construir o reator ?

Esteves

Não. A MB conta com a colaboração dos franceses para construirmos o casco e enfiar o reator dentro dele. Depois, comprar sistemas de navegação e sistemas de combate que poderiam ser os mesmos dos Scorpenes. Ou evolução dos sistemas dos Scorpenes. Armas, também importadas com as devidas restrições.

O reator teria sido autóctone.

EduardoSP

“Porém no caso do submarino nuclear, a instabilidade de recursos se alia ao desafio tecnológico de desenvolver um reator que se encaixe perfeitamente — e com segurança — dentro da embarcação, submetida à alta pressão e a turbulências de toda ordem. E a indústria brasileira, como revelou na ocasião o almirante Olsen, não dá conta de fornecer essas tecnologias críticas. — O acesso às tecnologias sensíveis é determinante, à medida que a nossa base industrial de defesa se mostra ainda incipiente. Acaba que não tenho fornecedores no Brasil que atendam aos requisitos nucleares — explicou o almirante durante sua apresentação… Read more »

Esteves

O reator é nativo. Reator nuclear para fazer mover um navio é projetado e executado com especificações 50 vezes maiores que um reator comercial como Angra ou um reator de pesquisa como o RMB. Materiais, soldas, aços, elementos, dobras, calotas, isolamentos…tudo é feito para mover e conter, considerando o que o texto afirma: pressão da água querendo entrar e a segurança da tripulação. Quando assinamos o contrato e mesmo antes de assinarmos sabíamos ou deveríamos ter mapeado nossa capacidade de fornecimento nas BDI e BDL assim como seremos obrigados a fazer com as Tamandarés. Deveríamos ter contratado uma instituição…bem, o… Read more »

Esteves

Quando colocamos no papel fica fácil entender. O problema começa quando iniciamos a execução. Do site do IPEN. “O combustível nuclear naval dos EUA é um metal sólido. O combustível é projetado para choque de batalha e pode suportar cargas de choque de combate maiores que 50 vezes a força da gravidade sem liberar produtos de fissão produzidos dentro do combustível. Isso é maior do que 10 vezes as cargas de choque do terremoto usadas para projetar usinas nucleares comerciais dos EUA. Com o projeto de combustível de alta integridade, os produtos da fissão dentro do combustível nunca são liberados… Read more »

Silva

O combustível será brasileiro, feito na INB, em Resende-RJ.

Carvalho2008

Não

Luís Henrique

Cara, matéria da Globo, nem perco meu tempo de ler.

EduardoSP

Melhor mesmo só ler o que a gente gosta.

Wilson França

Eu também não. Muito melhor os grupos de whatsapp dos caminhoneiros e o dos meus tios e avós. Eles estão bem por dentro do assunto.

Luís Henrique

Se você ainda não percebeu o exagero de imparcialidade praticado pela rede Globo contra o governo atual, você precisa de ajuda. É tão, mas tão na cara, que é impossível não perceber. Só não enxerga quem não quer.

Fernando Vieira

Quando era o PT no governo eles viviam atacando a Globo. Criaram até uma sigla: PIG – Partido da Imprensa Golpista.

Agora com outra quadrilha no poder, os elementos dela continuam atacando a Globo. A Globo deve estar certa.

P.S.: É muito difícil defender um governo que simplesmente não acerta uma.

Luís Henrique

Outra coisa, existem milhares de mídias, milhões de jornalistas, não precisa recorrer ao grupo de caminhoneiros. Mas lembre-se, sempre tem 2 lados ou mais de uma mesma noticia.

AK-130

Isso é o que o Globo diz..

Lucas Romario Silva Lima

Essa matéria da Globo é confusa, no próprio contrato os franceses não vão transferir a tecnologia do reator, apenas do casco.

Carlito

Tecnologia não se compra. Tecnologia se desenvolve.

Esteves

Desistir do submarino que ainda não começaram é uma história.

Desistir de Aramar em Iperó aonde planejamos construir os dois reatores, um militar da MB e outro civil para produção de radioisótopos, não acreditam que façam.

Trathanius

O reator civil, se sair do papel, será construído pela empresa Argentina INVAP que é a única na américa latina que tem expertise na construção de reatores de pesquisa.

Hank Voight

Isso já estava escrito

Gabriel

O principal inimigo do Brasil é interno. Sejam políticos sem a capacidade de olhar 1m na frente, preocupados apenas em se promover (quando não representam interesses externos). Sejam Instituições/ONGs/assemelhados, que vivem no mundo da lua com uma realidade paralela de paz e amor (quando não representam interesses externos). Sejam imprensa e “especialistas” que colocam obstáculos e mais obstáculos para o Brasil deter essas tecnologias (normalmente representando interesses externos). Sejam os próprios militares, que por vezes “querem” o Sub nuclear, mas tem sempre uma prioridade na frente (criar mais uma Cia de fuzileiros navais/colocar mais recursos em atividades de “guarda costeira”/etc).… Read more »

Esteves

Cenários adversos existem em todos os países. Essa história de inimigo interno é mimimi de incompetências. Gente que trabalha sem resultado.

Não fizeram porque são frouxos.

Gabriel

Já que é “especialista”, quem são os frouxos?

Esteves

Todos que se meteram no programa e não entregaram resultados. Desde os anos 1970.

Willber Rodrigues

“o inimigo é interno” Concordo. E o maior inimigo interno foi o 1° almirante que decidiu apostar todas as fichas num programa de subnuc que se revelou um saco sem fundo, e tambem decidiu que TODO O RESTO da MB, incluindo a força de superfície, seria tratada como 2° opção, na base do “vai tocando aí, que depois nóis vê”. O outro inimigo interno foi o almirante que decidiu jogar fora todo o ToT adquirido com os IKL pra jogar mais bilhões de reais do contribuinte pra adquirir ToT de Scorpene, com a desculpa ( novamente… ) do subnuc. E… Read more »

Fernando Vieira

Concordo com você. Quando o Kennedy foi lá e disse que em uma década os EUA poriam um homem na Lua o país tinha pouquíssimos minutos de experiência no espaço e em voos suborbitais. Garanto que tiveram inúmeros “inimigos internos” dizendo que essa meta não era factível ou mesmo que seria impossível chegar na Lua.

Bem, Neil Armstrong estava lá antes do fim da década. Já aqui, Terra é plana, vacinas alteram o DNA… Como vocês querem que um governo desenvolva algo de tecnologia como um submarino Nuclear se não acreditam em tecnologias e conceitos seculares?

Adriano Luchiari

Fernando, essa comparação foi infeliz. Os EUA conquistaram uma base tecnológica e industrial no pós-segunda guerra e uma capacidade financeira únicas no mundo. E todo o programa espacial norte-americano, apesar da participação de estrangeiros como von Braun, foi desenvolvido exclusivamente com tecnologia norte-americana.

Fernando Vieira

Eu respeito seu ponto mas ainda acho a comparação válida. O Brasil não tem a capacidade dos EUA nem dos anos 60 hoje. Na verdade enquanto naquele momento os EUA tinham voos suborbitais, o Brasil não consegue replicar tecnologia dos anos 40, como a V-2. O ponto é que o Brasil é capaz de produzir um casco de submarino. Todos os outros equipamentos de um submarino ou o país consegue produzir ou está adquirindo o know how no Prosub. Falta o reator. Se realmente quisessem arregaçariam as mangas e fariam. Problema é que se fazer acabam as inaugurações de escritórios,… Read more »

Adriano Madureira

Agora nossos governantes democraticamente eleitos mostram preocupação com o preço do barril de petróleo, da gasolina e demais derivados, mas é graças a incompetência deles que o Brasil é um país despreparado, pois nunca olhou para o petróleo como algo que ele realmente é : Uma commodity estratégica e que deveria ser tratada como tal… Falta de investimento em refinarias e suas melhorias e no aumento do número delas pelo país, boa parte das 17 refinarias ficam centralizadas no país Abastecer um país continental é tarefa árdua. Levar combustível para alguns lugares do Brasil requer um esforço logístico muito grande.… Read more »

Esteves

Todos os commodities estão dolarizados. Petróleo, açúcar, carne, trigo, soja, leite e derivados, carros…

O país foi desnacionalizado e desindustrializado. Para fazermos acordos de comércio com europeus, norte-americanos, asiáticos e até argentinos que nunca nos cederam nada.

Até a Irlanda veta o Brasil. Luxemburgo vetou o Brasil. Ilhas Faroe…vetaram o Brasil.

Sem consumo interno não há recuperação econômica. Salários perdendo para a dolarização dos commodities interessam aos economistas que elaboram planos e contra planos com o mesmo objetivo: transferirem renda da população para sustentarmos o estado.

Um estado perdulário africano que criou uma constituição suíça de faz de conta.

caio

transferir renda para o estado? não conhece os MULTIBLIONÁRIOS, que enriquecem cada vez mas, nessa casa da mae Joana.

Esteves

Esses não pagam.

Caio Túlio

Nunca nos cederam nada? Nossa economia é a mais fechada do mundo. O brasil é que não cede nada pra ninguém. Por isso que tudo aqui é caro e ruim

Yuri Dogkove

Eu já sabia! Sempre disse que o EUA JAMAIS PERMITIRIA que o Brasil construísse um submarino com propulsão nuclear! Só quem vive na Terra Plana acreditou que esse submarino seria construído! Uma vez submisso, sempre submisso… kkkkk

Esteves

Isso não tem com o que os norte-americanos “permitem ou não permitem”. Isso tem com o nosso próprio esforço de fazer e, as sucessivas descontinuidades com as quais nos acostumamos.

O Tesouro é um caixa único. Se não há dinheiro para A não há dinheiro para B. Mas…quem tem um bom lobista não morre pagão.

MBK

Preciso concordar com você.
Tentaram sabotar (espionar) o programa de centrífugas.
Perseguiram e humilharam o Almirante Othon.
E, longe de mim querer defender a Odebrecht, mas ao entrar no segmento de defesa (base e submarinos) ela tornou-se um alvo a ser batido. Pode-se dizer que a intenção morreu no ovo.
É minha opinião

Caio Túlio

Engraçado que a Embraer está aí firme e forte. Almirante Othon teve 20 anos pra criar o tal programa e mal conseguiu dominar o ciclo do urânio. Fracasso total

Carvalho2008

Errado. Abração nuclear do sub brasileiro é 100% nacional e mais de 30 anos o mercado internacional veta isto. Não mudou nada, a matéria da Globo é que tenta dar viés político para relacionar a oposição atual. O projeto sempre foi 100% nacional pois nenhum país nunca aceitou vender ou permitir esta tecnologia. Sobre o resto do submarinos nuclear brasileiro, o resto será igual ao classe ria huelos falando em termos de armas e sistemas de combate. Somente muda o motor e o tamanho. Não existe a correlação da reportagem e nem cabimento citar ou inquirir baixada americana…fake news é… Read more »

MBK

E o que causou essas mazelas orçamentárias, na sua opinião?

Carvalho2008

A própria tomada de decisão do projeto O pulo agora que a perna Não ter plano de contingência orçamentário e estratégico para o risco Construir uma base nuclear para o programa antes de ter massa crítica de modelos, gastou bilhões no concreto…mas sub que é bom nada Abandonar o projeto alemão Não ter plano b para reatores AmPS afim de segurar e sustentar o corpo técnico e contingência ou ainda como etapa intermediária Não possuir plano de estado para um Subnuke Entenda, sem fabricação contínua, este como qualquer outro projeto que envolva produto de ponta, necessita ter uma massa crítica… Read more »

MBK

Seus argumentos são plausíveis, mas eu ainda penso que o subnuc é uma arma com efeito dissuasório inigualável. Eu não entendo nada, mas focar em escoltas, como o pessoal tem falado, sem capacidade de guerra submarina (apesar do P3), é deixar os combatentes de superfície como simples alvos, contra qualquer atacante minimamente capacitado. Apenas palpite.

Carvalho2008

Poderiam ser riachuelos com reatores de baixa potência amps

Camargoer.

Caro Carvalho. Creio que o desafio de fazer um submarino com deslocamento de 2 mil ton com um reator de baixa potência seria muito parecido com o de fazer um submarino de 6 mil ton com um reator nuclear. De um lado, a MB teria que enfrentar todos os desafios de projeto e homologação do reator, do outro obteria um submarino caro de operar mas com capacidade limitada em relação a um SBR. O ProSub tem mérito em seu planejamento mas encontrou problemas de execução, talvez mais ligados ao contingenciamento dos recursos do que de problemas técnicos. Explico. O desenvolvimento… Read more »

Caio Túlio

Não é problema de recursos. Cadê os engenheiros? Compara a quantidade de pessoas envolvidas em projetos do tipo na ásia e no Brasil. O Brasil simplesmente não tem pessoal capacitado em quantidade suficiente pra esse projeto. Deveriam ter expandido bem mais o número de especialistas na área antes de se aventurarem (o próprio Othon não foi formado no Brasil)

Bispo

Espero que não vire outro “elefante branco” dos militares.

Marcos10

Vai virar!
´´Sua preparação, de alta complexidade, estaria cerca de sete anos atrasada em relação ao cronograma inicial…´´

pangloss

Já virou. Faz tempo.
Nosso submarino nuclear é a arma naval mais letal da História: sozinho, destruiu uma esquadra inteira. A nossa.

Dickson

Me soa estranho iniciar um projeto deste tamanho e importancia sem ter acordos de fato fechados, assinados, com fornecedores amarrados ao menos contratualmente. O fato da industria nacional não suprir a demanda é novidade? Diante das informações deste topico o projeto esta morto.

Esteves

O grande problema é a desvalorização econômica no nosso país. Fazer acordos e importações com o câmbio contra em 5 ou 7 X 1 é irrealizável para qualquer programa.

Carvalho2008

Meu amigo, fake news….a fração nuclear é 100% nacional de iniciativa brasileira e assim dimensionado a mais de 20 anos….nenhum país até então repassava a tecnologia ou equipamentos….de resto, o subnuke brasileiro usará os mesmos sistemas e armamento do classe riachuelo

Não há nem nunca houve relação com americanos, N antes, nem agora

Adriano Madureira

“O financiamento de todo o Prosub, embora volumoso (já recebeu mais de R$ 27 bilhões), sofre com a imprevisibilidade. Entre 2015 e 2021, os recursos para o programa ficaram aquém do planejado”.  Agora querem botar a culpa da incompetência governamental , da indiferença parlamentar brasileira devido a guerra da Ucrânia?! A culpa é dessa classe política existente nesse país e que olham o investimento em defesa como gasto e não como algo benéfico a nação… Anos atrás(2009) os Senadores Demóstenes Torres, Pedro Simon e Marcelo Crivella propuseram duas PECs para acabar com o contingenciamento na área da defesa durante uma… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Adriano Madureira
GINO

A gente tem tecnologia para se tornar auto suficiente em 90% de material de construção ealimentação.
É já vi que eu vou ter que reencarnar muitas vezes no Brasil para ajudandar ter tecnologia nuclear de chegar ao Brasil de igual para igual.

Last edited 1 ano atrás by GINO
Mattos

Está na cara que não querem o Brasil FORTE.Querem o Brasil submisso e é isso que dá nojos desses países. Temos que dar uma banana pro mundo.

Esteves

Bananas, pamonhas, dizem que a jaca tem preços astronômicos na Europa.

pangloss

Já demos. Mas a correlação de forças não nos é favorável.

Rodolfo

A culpa não é dos EUA, França, China, UK ou Russia que a marinha entrou nesse projeto e até hoje não conseguiu desenvolver um reator confiável que possa ser colocado dentro de um submarino. Nenhum desses outros países contou com transferência de tecnologia e tiveram que desenvolver por conta própria, se o Brasil quer ser respeitado como potência deveria investir mais em ciência e tecnologia e não esperar que alguém de fora vira salvar a barra e transferir tecnologia. A França ja passou pro Brasil por exemplo a tecnologia pra motor de foguete liquido e nem a motor solido a… Read more »

Adriano madureira

Um país que mal investe em Pesquisa e desenvolvimento, não porque não tem dinheiro,mas falta de vontade mesmo..

Carlos Campos

Várias vezes critiquei esse projeto do Tempo Brasil Puthenfia, já até briguei com pessoas aqui que não gostaram de eu “jogar na cara” que a historinha de que o Brasil precisava da França pra fazer subnuc, é mentira, pois a França não nos daria tal tecnologia, que devíamos ter continuados os IKL que teve ToT e foi jogado no lixo, ai ai assim a MB não se ajuda,,,, ain mas o governo que não dá o dinheiro! crianças, a gente vive no Brasil nem todo tempo tem dinheiro os Almirantes deviam ter pensado nisso.

Juarez Martinez de Castro

O tempo meu amigo, o tempo, sempre ele, senhor de todas as verdades. Eu avisei durante muito tempo aqui que, quem não conseguiu manter adequadamente 4 subs diesel eletricos, como vai construir e manter um nuclear????????
Vontade, verdade e realidade andam por caminhos diferentes.
Quanto aos Franceses auxiliarem no reator e na sua integração, até o cachorro da minha sogra sabia que não iriam repassar nada,pois ninguém faz isto, só os iluminados aqui, os experts de teclado, e as viúvas do imperador naval é que acreditavam.

Flanker

Pois é, Juarez! A MB não consegue terminar o PMG da Defensora, do Mattoso Maia, e outros. Tem submarinos classe Tupi encostados porque não tem dinheiro para seus PMG’s. As escoltas dando baixa, uma a uma, sem reposição, navios da Força de Minagem e Varredura dando baixa, uma a um, sem reposição. Tem um nsvio-patrulha classe Macaé, de míseras 500 ton, que não conseguem terminar (sendo que já foi levado para o AMRJ semi-pronto). Continuam modernizando os Trader…pra operar onde? Modernizaram os AF-1 (não deveriam, mas já que fizeram) e não compraram umas míseras bombas guiadas para eles. Míssil antinavio?… Read more »

Glasquis 7

só os iluminados aqui, os experts de teclado, e as viúvas do imperador naval é que acreditavam.”

São aqueles que normalmente chamamos de “DESLUMBRADOS”

Mattos

Então com o dinheiro do nuclear, dobramos o numero de diesel-elétricos. Temos que fazer alguma coisa. Estamos cansados de tomar naquele lugar por causa de interesses externos.

Esteves

O contrato de 8 bilhões de euros é 4 Scorpenes. Quatro.

Camargoer.

Caro Esteves. Os valores corretos são € 4.324.442.181,00 financiados por um consórcio de bancos franceses, € 4.324.442.181,00 contrapartida do governo federal para a assinatura do contrato e € 1.868.200.000 do Tesouro Nacional para a construção da base de Itaguaí.

Camargoer.

Olá. Errei. O valor da contrapartida do governo federal é de cerca de € 500 milhões. Descupem.

EduardoSP

Nada mais clichê que colocar a culpa nos outros.
Mas no Brasil nunca sai de moda.

Neto

A verdade é que nesse projeto devemos investir na APLICAÇÃO deste reator nuclear de maneira civil. É necessário ESCALA. Não apenas em novos Subs. É necessário que pequenos núcleos de energia Nuclear sejam construídos para gerar fluxo e baixar os preços.

Sincero Brasileiro da Silva

Pelo menos sobrará mais dinheiro para lagosta e caviar…

Esteves

A importação de caviar está suspensa. A lagosta depende de acordo com os franceses.

DanielJr

Deve dar pra trazer caviar do Irã ou azerbaijão, ufa.

Thom

Surreal. Gastou bilhões para isso? Demitir todos que foram responsáveis por esse projeto. Revoltante. Enquanto não houver uma reforma estrutural nas FFAA, sempre será assim. Projetos e mais projetos. Que sempre são refeitos, editados. Deveria ter um limite para gasto de pessoal. Esse povo precisa de limite. Lembrando que os ilumidados do EB, querem reformar um Cascavel com uma estrutura antiga. Milhões para um veículo de no máximo 7 anos. Sendo que a modernização deve levar 10. kkkkkkkkkk Brasil só vai levar a sério as FFAA quando um cívil colocar ordem. Tipo: 2% do PIB.  0.5% pessoal. 0.2% Reserva.… Read more »

Esteves
Nemo

Os EUA gastam 15% do orçamento militar com R&D, 20% com pessoal, 25% aquisições, 35% manutenção & operações e 15% construções e habitações. Claro que as condições são diferentes, mas não deixa de ser um indicativo.

Camargoer.

Caro Nemo. Os EUA gastam US$ 750 bilhões em defesa por ano, mais que a soma de todos os outros países. Mesmo que eles gastasse 2,5% disso com P&D, isso seria mais que o Brasil gasta com Defesa no total.

Marcelo R

Se não é possível dar continuidade ao

Nuclear….

Vamos a mais 4 convencionais.. com

Esse dinheiro….

Sem perda de tempo….

Esteves

O dinheiro é o mesmo. Não há para um, não há para os outros.

Bardini

O Brasil não é um país confiável, sendo que vive encima do maior muro que existe na geopolítica, se comportando como um anão diplomático. . Aí, iluminados dos anos 2000, resolveram fazer um Submarino Nuclear de Ataque, contando um punhado de mentiras mil vezes, com os dizeres: “independência tecnológica”, “grupo seleto” e “assento permanente no conselho de segurança”. . O reator será nosso, pq é o que já dominamos. Não existe novidade de fato, dentro do PROSUB. Assim como não existirá independência, já que sempre será necessário importar de uma prateleira gigantesca, sistemas, sensores e armamentos. . Tem gente que… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Bardini
Carvalho2008

O problema da matéria em si é tentar arrolar que o atraso ou fracasso seria em detrimento da posição política do Brasil…o que é mentira…o risco do projeto tem causas próprias nacionais…

Esteves

Tem de tudo. A empresa das baterias, norte-americana, deixou o Brasil quando Estava selecionada para fornecer ao PROSUB.

Nos planos Estava nacionalizarmos o MEP. Foi uma barreira francesa que não previmos.

Posição política é diferente de posição ideológica. Não temos nenhuma das duas. Sabemos dizer que confiamos em Deus. É pouco.

Bardini

Tu enxerga problema no Globo, por conta da tua visão política. . O texto é fraco, mas não vejo mentira. Na realidade dos fatos, é fácil observar que o Brasil não é confiável e vive encima de um muro gigantesco, sem lado definido. O governo é inépto e o presidente ataca diretamente os governos da França e dos EUA, ao passo que sinaliza apoio político a Rússia. Fazem política externa, como se fosse política interna. Um horror… . Qual o sentido de armar e capacitar alguém que não é confiável e que pode mudar de lado? . Veja que, não… Read more »

Carvalho2008

O amigo é velho companheiro de fóruns desde o Base Militar.

E sabe que antes de 2018 o projeto já corria servissem risco. O colega mesmo já postava que deveria ser cancelado, eu lembro. Nós dois sabemos que não há relação dos EUA com isto. Existe? Está é a minha questão….nunca houve, nem haverá…e o fracasso ocorre pelas nossas próprias mazelas nacionais…e isto algum.ponto de inflexão neste projeto?

Camargoer.

Olá Carvalho. Verdade. O próprio Alm, Olsen já declarou em outras oportunidades a dificuldade do Brasil ter acesso a certas tecnologias críticas para a fabricação de submarinos boicotadas principalmente pelos EUA há bastante tempo, sem nenhuma relação com o atual conflito. Ele também já declarou que o Congresso aprovou cerca de R$ 7 bilhões para o programa nuclear em emendas parlamentares ao longo dos anos, sendo que apenas R$ 300 mihões foram liberadas. Eu também acho que a reportagem menciona um problema real que é o atraso no programa e os boicotes ao acesso para tecnologias sensíveis, mas erra na… Read more »

MMerlin

O país que investe pesado em P&D no desenvolvimento de tecnologias críticas tem todos o direito em restringir seu acesso a outros países, principalmente os não confiáveis ou de visão política dúbia.
Isto está bem longe de boicote.

Camargoer.