quinta-feira, junho 30, 2022

Saab Naval

Índia testa com sucesso míssil antinavio autóctone

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Marinha indiana realizou o teste em associação com a Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa

Um míssil antinavio desenvolvido de forma nativa foi testado com sucesso pela primeira vez a partir de um helicóptero naval no Integrated Test Range (ITR), Chandipur, na costa de Odisha, em 18 de maio, para a Marinha Indiana, disse a Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (DRDO) em um comunicado.

“O míssil seguiu a trajetória desejada sobre o mar e atingiu o alvo designado com alto grau de precisão, validando os algoritmos de controle, orientação e missão”, disse a DRDO. Todos os subsistemas funcionaram satisfatoriamente e os sensores implantados em toda a área de teste e próximo ao ponto de impacto rastrearam a trajetória do míssil e capturaram todos os eventos, afirmou.

O teste foi realizado a partir de um helicóptero Seaking 42B. O míssil empregou muitas novas tecnologias, incluindo um lançador desenvolvido localmente para o helicóptero, e o sistema de orientação de mísseis inclui um sistema de navegação de última geração e aviônicos integrados, de acordo com a DRDO. A missão cumpriu todos os seus objetivos, concluiu.

FONTE: The Hindu

- Advertisement -

59 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
59 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Guacamole

País que leva a Defesa a sério é isso.

Mafix

Rapaz vindo da India não tem como levar a sério não da para saber se é bom ou ruim …

Os caras esquecem a escotilha aberta do submarino nuclear quando saiu para testes no mar ….
(Não se sabe se foi sabotagem mas é muito amadorismo não checar um procedimento padrão de segurança antes de zarpar do porto…)

Pedro Fullback

Os caras esquecem a escotilha aberta do submarino nuclear quando saiu para testes no mar …” Fonte? Vozes da minha cabeça. Projetos estratégicos são muito sigilosos. Só existe informações sobre projetos estratégicos quando os militares querem divulgar. Até hoje não sabemos o que aconteceu de forma concreta o incidente do Kc-390, tampouco com o submarino Riachuelo.

Bosco

Mafix,
Se a causa da perda do submarino foi mesmo a escotilha a causa real não foi esquecimento e sim falha do projeto. Deveria ser impossível um submarino submergir estando uma escotilha aberta.
Um submarino nuclear tem que ter um mínimo de segurança contra idiotas.

Esteves

Pois é. Li em alguma postagem que essa história de escotilha aberta como causa de acidente seria para dar motivo e encerrar polêmicas. O motivo real não contam e ponto.

Mk48

Não houve nenhum submarino Indiano perdido.
.
Existem procedimentos quanto ao fechamento da escotilha de submarinos.
.
Melhor vc continuar a comentar sobre mísseis, assim evita falar asneiras , comentando sobre assuntos que não conhece.

.
Abs

Leo Rezende

Arrogância e dificuldades de interpretação. Ele disse “SE”,e de resto,falou basicamente o mesmo que vc,sobre os procedimentos e rotinas para submersão.

André Macedo

Me mostre uma potência militar que nunca cometeu um erro humano por estupidez, tipo bater uma fragata num cargueiro 2 vezes maior.

Leo Rezende

Fonte da fonte:National Interest. Fonte deste último: ???

Bruno

Enquanto por aqui, o nosso sub afundou atracado no porto, quem fez mais bonito?

Glasquis 7

“O míssil seguiu a trajetória desejada sobre o mar e atingiu o alvo designado com alto grau de precisão, validando os algoritmos de controle, orientação e missão”…

Eles não precisam errar o alvo “intencionalmente”, eles preferem acertar e perder os dados mesmo.

Fernando

Sabe quem também esqueceu escotilha de submarino aberta e ele afundou? Marinha do Brasil.

A Índia tem um programa de veículos orbitais, já foi a Marte e tem um míssil antinavio. Além de estarem construindo Porta-Aviões próprio.

Bosco

A Índia tem armas nucleares.
E tem toda uma família de mísseis, inclusive o mais badalado míssil antinavio do mundo, o Brahmos.

Fernando

Esqueci desse detalhe importante. Eles não tem um míssil, tem uma família de mísseis. E são do clube nuclear. Também tem submarinos nucleares.

Esteves

Eles tem uma trouxinhas de camarão com gengibre…fantásticas.

Felipe Morais

E três detalhes importantes:
– Independente há 70 anos, enquanto nós iremos completar 200 anos.
– População de 1,3 bilhões de pessoas, enquanto temos 220 milhões.
– Percentual de população na pobreza muito superior ao nosso, com péssimos índices sócio econômicos.

Ou seja. Somos um país grande e populoso e enfrentamos muitos problemas. Eles são um país grande e extremamente populoso e enfretam muitos problemas.

Enquanto procuramos desculpas e apontamos nosso dedo aos outros, ao menos no campo tecnológico e militar eles estão se esforçando muito pra avançar.

Lúcio Sátiro

Temos vários grandes problemas: a classe política podre, a OAB ideológica, o STF aparelhado que impede que bons projetos de desenvolvimento andem, até mesmo uma simples linha férrea para escoamento de grãos por causa da histeria ambientalista, universidades que produzem muito pouca coisa que preste e serve à militância política ao invés de criar ciência, a falta de uma mentalidade moderna de Defesa, Pesquisa e Desenvolvimento que fomente uma sólida base industrial, por parte da classe política podre que só quer saber de roubar e se dar bem, etc.

Last edited 1 mês atrás by Lúcio Sátiro
Felipe Morais

Lúcio, concordo com algumas de suas críticas. Mas, quando nos permitimos nos compararmos com os indianos, os pontos que você elencou e outros mais fazem parte do arcabouço de “desculpas” que eu cito. Você acha que os indianos com sua população de mais de 1 bilhão de pessoas, com o sistema de castas e com os péssimos índices sócio econômicos não possuem problemas políticos/institucionais/Morais similares ou até piores que os nossos? Como eu disse, ambos os países possuem problemas estruturais gigantes. É corrupção, mal caratismo, pilantragem etc etc etc. Mas eles estão tentando avançar naquilo que é possível. Assim como… Read more »

Pedro

Vai tomar teu leitinho quente…Que conversa para boi dormir, fala da máfia dos militares…

Art

Índia tem a China e o Paquistão ao lado. Ameaças diárias a seu território.

Felipe Morais

E é por isso que eles possuem um programa espacial extremamente mais avançado que o nosso? E é por isso que eles possuem uma avançada indústria química e farmacêutica?

Então, sabe a parte do meu texto que falo que vivemos de “desculpas”? É isso aí e muito mais.

Kaziranga

Não é verdade verdade que o percentual de indianos que vivem na pobreza seja maior que o nosso; os números são semelhantes. Em termos absolutos siim, mas não em porcentagem. A Índia cresceu muito nos últimos 30 anos, mas as pessoas continuam acreditando cegamente que 95% dos indianos são analfabetos e vivem na miséria. O país é o terceiro em número de bilionários ( 2 inclusive entre os 10 mais ricos do mundo), a Bolsa de Mumbai possui uma movimentação financeira muito maior que a de Paris, e cerca de 3,5 vezes a da Bovespa. Se alguém tiver curiosidade, pesquisem… Read more »

Capa Preta

Olhe os vizinhos que eles tem e olhe os nossos?!

Guacamole

Mano o Riachuelo também alagou. E pior foi depois dos indianos ou seja, deveriam ter aprendido com o erro deles.

E aí vai dizer o que agora?

https://www.naval.com.br/blog/2021/03/13/marinha-investiga-manobra-de-valvula-mal-feita-no-incidente-do-submarino-riachuelo/

Mafix

Nada de novo no funcionalismo publico , nem vou comentar minha visão de quem faz concurso …

Fernando

Ou com os próprios erros porque o Tonelero afundou assim também.

Fernando "Nunão" De Martini

Também?

Sem comprometer muito seu argumento, mas os fatos são o contrário, o Riachuelo não afundou no ano passado, teve alagamento apenas. O tonelero que alagou a ponto de afundar, 20 e poucos anos atrás.

Então a lógica, talvez, seria dizer que provavelmente tenham aprendido, com o Tonelero, a resolver o problema a tempo pra não afundar…

Esteves

Críticas…

Fernando

Tudo bem, você está correto, o Riachuelo não afundou. Vamos dar o desconto também que o Riachuelo é novo, primeiro da classe e a tripulação ainda não estava familiarizada com todo o comportamento do submarino. Um acidente que acontece e pode acontecer em qualquer marinha do mundo.

A ideia era mais contra argumentar a ideia que a Marinha Indiana tem equipamentos que soltam peças do que denegrir a MB.

Foxtrot

Ao menos eles tem Subnuc de fabricação própria para esquecer escotilha aberta, e nós?
Não vamos tão longe.
Se esqueceu do “incidente em um submarino Tupi?
Onde estavam fazendo uma festa e não me lembro o que houve, quase levou o navio ao naufrágio?
Pois é, quem tem telhado de vidro nunca deve jogar pedra no vizinho.
Brasileiro e suas invejas ocasionada por sua incompetência!

Nostra

Just to put things into perspective During a tense confrontation with neighbouring country around 10-15 years back, there was mobilization of troops and assets along the border During the deployment, news reports came in army assistant DGMO was caught for being a spy, which is a very serious matter, as he is 3rd most important post after COAS, and in knowledge of every operations Everyone was outraged but no one asked the right questions since than, took the news as it was given Around 8-9 years ago a new defence minister who was concerned about the matter, asked for inquiry… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nostra
Esteves

Exato.

Em Defesa, conta-se o que interessa ser contado. Nada mais.

Glasquis 7

Vc já ouviu falar do Submarino Tonelero e do Riachuelo?

Glasquis 7

Poderiam ter desenvolvido uma câmera de vídeo também. Put@ vidiozinho ruim, nem dá pra ver o míssil.

Esteves

Eles não gostam de mostrar tudo.

Glasquis 7

Agora sim, postaram um vídeo decente.

Pedro Fullback

Aqui, na babanândia, achamos estratégico saber como integrar um míssil estrangeiro em um helicóptero estrangeiro…

Bosco

Configuração estranha do míssil.
É incomum um míssil de cruzeiro com motor foguete ter um booster alijável. Geralmente eles têm um motor foguete de duplo empuxo, com uma fase de lançamento e outra de cruzeiro.
*Na verdade esse é o primeiro que tenho conhecimento
Só de curiosidade, os mísseis de cruzeiro subsônicos dotados de motor foguete sólido
são:

  1. Exocet;
  2. Penguin;
  3. Kormoran;
  4. Marte;
  5. Sea Skua;
  6. AS15TT
  7. Sea Venon
Bosco

E claro, o MANSUP.

Aéreo

Tem também, AS.12, Gabriel (até a série III), Type 80, RB-04, entre outros….

Bosco

E o Hsiung Feng I.

Bosco

Tirando os mísseis de pequeno porte como o Sea Venon todos os outros deixaram de utilizar motores foguetes e passaram para motores aspirados ( turbinas ). Com isso vemos como o MANSUP está meio que… desatualizado.
Exocet – Exocet Block 3
Penguin – NSM
Marte – Marte ER
Gabriel – Gabriel IV
RB-04 – RB 08 e RBS-15
Type 80 – Type 90
Hsiung Feng I – Hsiung Feng II e “III”

EduardoSP

Nesse país tudo está desatualizado.
Principalmente as mentalidades.

Nostra

DRDO NASM-MR (medium range) with turbojet engine

AddText_05-19-11.04.15.jpg
Bosco

O Martel também pode ser incluindo , ainda que não seja de fato um míssil de cruzeiro estando mais para um semibalístico, mas podendo ser utilizado como míssil de cruzeiro na dependência da distância do alvo.

Esteves

É incomum. Significa tecnologia disruptiva? É cascata?

Geralmente. As informações do míssil podem estar incorretas?

Bosco

É só incomum mesmo. Geralmente um míssil de cruzeiro ou semibalístico que adota motor foguete sólido tem um motor integral com dois níveis de empuxo, variando o tipo e a densidade do grão do propelente. Mísseis que adotam um motor de cruzeiro com combustível líquido (foguete líquido, turbojato, turbofan, ramjet) é que geralmente adotam um booster sólido que é descartado logo após o lançamento. Apenas em mísseis balísticos ou em mísseis antiaéreos/antibalísticos é que se combinam 2 ou 3 estágios de foguetes sólidos e isso se explica porque estes querem vencer a gravidade e portanto , se beneficiam em liberar… Read more »

Fernando

O conceito do VLS era esse: Empilharam uns foguetes sólidos, colocaram mais uns de booster dos lados e vamos ver no que vai dar. Não deu.

Bosco

Fernando,
Mas em foguetes orbitais ou mísseis balísticos tem razão de se ter vários estágios descartáveis por conta de se ir reduzindo o peso morto e de se ter um motor foguete mais apropriado para a altitude específica.

Nostra

I can only guess few of the reasons 1. Launch it from crafts patrol boats or land , should also explain the use of jet vane control JVC in the booster 2. Using a booster with JVC implies just post launch they want the missile to be able to change direction significantly which otherwise not possible due to low dynamic pressure , aerodynamic controls don’t work at this phase , this sort of configuration is seen in vertically launched missiles and also seen sometimes in air launched missile if minimum engagement range requirement is very low , if target suddenly… Read more »

Bosco

comment image

Nostra

Quite interesting is that the booster has JVC ( jet vane control )

Nostra

Also NASM-SR is the 1st anti ship Missile of NASM family

Other missiles in the family are
NASM-MR ( medium range )
NASM-LR ( long range )

Nostra

Maybe because it is also intended for launch from crafts and patrol boats or maybe even ground

JVC in booster adds to this

Foxtrot

Não é porque todo mundo faz que não se pode fazer diferente.
Não precisa inventar a roda, mas pode-se melhora-la.
Se funcionar e for mais eficaz que o tradicional, porquê não?
É isso que precisamos aprender por aqui.
O brasileiro aprende fazer pregos de uma forma com europeus e americanos, mesmo sabendo fazer o mesmo prego, com a mesma qualidade e de uma forma 10x mais rápido, continuará a fabricar o prego como aprendeu ! (Analogia).

Foxtrot

E o mundo galopa enquanto o Brasil rasteja.
Parabéns índia.

Cavalli

Já que estamos no tema aéreo, como está o preparativo da entrega dos outros 02 Gripens entregues ano passado?

Pedro

Cadê a parceria em todos os aspectos tecnológicos-militares-econômicos assinados pelos dois países? Índia e Suécia deveria ser objeto de grande interesse nosso.

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios da Marinha serão abertos para visitação neste fim de semana em Vitória (ES)

Serão diversas embarcações e cerca de 1.700 militares atuando durante operação da Marinha do Brasil Quem tem vontade de conhecer...
- Advertisement -