segunda-feira, agosto 15, 2022

Saab Naval

Royal Navy vai atualizar seus mísseis Tomahawk para o padrão Block V

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O estoque atual de mísseis de cruzeiro Tomahawk da Royal Navy será atualizado para o padrão Block V.

O míssil irá armar os submarinos classe “Astute” da Royal Navy, permitindo que eles atinjam alvos a uma distância de até 1.000 milhas.

O contrato de venda militar estrangeira, no valor de US$ 333 milhões, começará em julho e a BAE Systems, Babcock International e Lockheed Martin fornecerão suporte técnico e de manutenção.

O contrato inclui peças sobressalentes, testes operacionais de voo, software, hardware e provisões de treinamento

O primeiro míssil Block V estará pronto em 2024.

O Tomahawk Block V tem maior alcance e designação dinâmica de alvos, com a capacidade de atingir embarcações no mar (papel de ataque marítimo).

Míssil Tomahawk sendo lançado de submarino
- Advertisement -

8 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Varg

Havia previsão das Type 26 poderem disparar os Tomahawk também, a partir de 24 células VLS do Mk 41, mas os planos foram abandonados em prol do substituto do Storm Shadow.

Marcelo Bardo

Quando vejo esse armamento fico ansioso pelo MTC-300 ficar pronto e o MICLA-BR.

Pablo Maroka

Não sabia que a RN usava também.

Se os porta aviões são “toneladas de democracia” os Tomahawk  são “delivery de democracia”.

Sensato

Na verdade eles usam diplomacia ao invés de democracia nesse cartaz.

Roberto Bozzo

Será que veremos um dia a MB com uma versão navalisada do MTC-300 ?
Tanto submarina quanta disparada por navios.

Allan Lemos

Se já está complicado desenvolver essa mais simples, imagina uma naval.

JCuritiba

Não.

Bueno

ótima pergunta.. com a possível Venda para o Egito, entra Grana e Marketing par o programa

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Estônia e Finlândia integrarão sistemas de mísseis antinavio costeiros

A Finlândia e a Estônia integrarão sua defesa antinavio costeira, o que permitirá aos países fechar o Golfo da...
Parceiro

- Advertisement -