quarta-feira, agosto 10, 2022

Saab Naval

Tensão no Extremo Oriente

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br
  • Prof. Dr. Ricardo Cabral 1
  • Jornalista Alexandre Galante 2

Tudo aquilo que refere de alguma forma a Taiwan provoca reações na China e talvez seja o ponto mais conturbado da relação com os Estados Unidos que insistem na autonomia de Taipei em relação a Beijing. Apesar do compromisso de Washington, com uma só China, mas as seguidas administrações, parlamentes e personalidades estimulam de forma velada as ambições de independência da ilha, sem medir as consequência dos seus atos. Por outro lado, a linguagem da diplomacia e dos dirigentes chineses é cada vez mais agressiva em relação aos Estados Unidos.

A rivalidade sino-norte-americana está rapidamente escalando, apesar da profunda interação existente entre os dois países. A disputa pela hegemonia mundial está se tornando cada vez mais acirrada e hostil. Ambos os países classificaram um ao outro como principal ameaça.

Neste momento, a nova crise é resultado da inclusão de Taiwan no roteiro de visitas (Singapura, Malásia, Coreia do Sul e Japão) que Nancy Pelosi, Presidente da Câmara de representantes está fazendo ao Extremo Oriente. Pelosi é a mais alta autoridade dos EUA a visitar Taiwan em 25 anos. O avião transportando a congressista pousou na capital de Taiwan, Taipei, na terça-feira. A viagem tem por objetivo fortalecer os laços com esses países na construção de uma aliança anti-China.

Em 1996, os norte-americanos desdobraram dois porta-aviões, USS Nimitz e USS Independence, com suas escoltas a fim de monitorar exercícios militares chineses próximos à Taiwan e intimidar a China. Em 1997, Newt Gingrich, na época Presidente da Câmara dos Representantes, visitou Taiwan, alimentando os sonhos de independência da ilha. Esses dois fatos irritaram profundamente Beijing, que os viu como uma provocação e uma afronta à sua soberania.  Na época, os chineses só podiam protestar. Atualmente, a situação mudou consideravelmente e Beijing vê a visita como uma afronta e promete e ameaça com retaliações, inclusive militares.

A Casa Branca em comunicação com os chineses afirmou que o Poder Executivo não tem influência (???) sobre Pelosi, correligionária de Biden e terceira na linha de sucessão dos EUA. Jake Sullivan, Conselheiro de Segurança Nacional, Lloyd Austin, Secretário de Defesa e Antony Blinken, ao mesmo tempo que afirma a independência de Nancy Peloy, também diz que Washington não cede a pressões, num claro desafio a Beijing. Posição adotada por Joe Biden em sua conferência com Xi Jinping, que advertiu o colega norte-americano sobre as possíveis consequências. Até mesmo os militares do Pentágono, advertiram a deputada democrata que não era um bom momento para se visitar Taiwan. Aparentemente, Pelosi está ignorando a todos.  Em nosso entendimento, com o apoio velado da admistração Biden.

USS Ronald Reagan (CVN-76)

Claro que os chineses não estão dispostos a tolerar esse desafio à sua política de uma só China, ainda mais quando os norte-americanos estão deslocando um grupo de batalha de porta-aviões (Carrier Strike Group, CSG) liderado pelo porta-aviões nuclear USS Ronald Reagan (CVN-76), o navio de assalto anfíbio USS Tripoli (LHA-7) – com jatos F-35B Lighting II Joint Strike Fighters dos US Marines – e escoltas dos destroieres da classe Arleigh Burke que estão operando próximo, no limite do Mar do sul da China. O USS Abraham Lincoln (CVN-72) e o USS America (LHA-6), estão em na base norte-americana em Sasebo, Japão, mas prontos para partir. As possibilidades de um incidente, que venha ter consequências desastrosas são elevadas.

USS Tripoli (LHA-7)

Diante desse cenário, Taiwan adotou várias medidas visando se preparar contra as possíveis reações chinesas, inclusive militares. Os militares estão de prontidão, as férias foram canceladas e os sistemas de defesa da ilha estão em alerta. No entanto, Taipei tem capacidades militares muito inferiores a Beijing. A ilha, na média, dista apenas 180 km do continente e está dentro do alcance de todas as baterias de mísseis e foguetes. A zona de identificação de defesa aérea (Air Defense Identification Zone, ADIZ), de Taiwan, é constantemente violada pelo PLA.

Em resposta a aproximação do CSG norte-americano, no dia 31 de julho de 2022, a China colocou no mar seus dois porta-aviões Lioning, o Shandong e navio de assalto anfíbio Type 75 Hainan devidamente acompanhados de suas escoltas.

O porta-aviões Liaoning (CV-16)

Lembramos que os chineses têm um escudo A2/AD, estabelecido a partir de uma série de bases aéreas no litoral, nas Ilhas Spratly e Paracel, em Fiery Cross Reff. Nestes locais, instalaram baterias de mísseis (antiaéreos, antimísseis e antinavio) e pistas de pouso, onde desdobraram meios de ataque, vigilância e alerta antecipado, alongando o seu perímetro defensivo e ampliando todos esses sistemas e meios, aumentaram significativamente as capacidades chinesas de consciência situacional (marítima e aeroespacial) no seu entorno estratégico, que lhe permite desdobrar meios a fim de atuar até o seu perímetro de defesa avançado.

Esse escudo conta, além dos porta-aviões, já desdobrados, cruzadores e destróieres de mísseis, centenas de caças J-10 Vigorus Dragon, J-11 e J-16 (variantes do Su-27 Flanker), J-15 Flying Shark (variante do Su-33 Flanker, versão embarcada), dezenas de J-20 Might Dragon (stealth), Su-27 Flanker, Su-30 Flanker-C/G/H e Su-35 Flanker-E. Além de baterias de mísseis hipersônicos DF-17 (alcance de 1.800 km a 2.500 km)

No mapa abaixo, a localização das bases chinesas e norte-americanas, e o escudo A2/AD erguido por Beijing, no seu entorno estratégico.

Além da Casa Branca, Nacy Pelosi tem o respaldo do Congresso. Deputados norte-americanos querem aprovar uma lei de land-lease para Taiwan e cobram da Casa Branca medidas mais duras contra os chineses.

Vários analistas internacionais estão especulando que Washington está fabricando esta crise para desmoralizar Xi Jinping e impedi-lo de conquistar mais um mandato nos vários cargos que ocupa como Presidente da China, Secretário-Geral do Partido Comunista Chinês e Presidente da Comissão Militar Central. Além do fato de que a visita fortalece a posição de Washington contrária a incorporação à força da ilha.

Neste sentido, a visita de Pelosi, mesmo sem o apoio público da Casa Branca, sinalizaria apoio ao status autônomo de Taiwan, em um momento em que a invasão da Ucrânia pela Rússia colocou na pauta questões sobre o compromisso da comunidade internacional em proteger estados menores de vizinhos mais poderosos.

E a crise só escala: o governo do UK, informou que o futuro primeiro-ministro, (ainda não escolhido pelos Conservadores) já tem planos para uma visita à Taiwan em novembro ou no início de dezembro de 2022. A dobradinha Washington-Londres continua afinada.

O momento da visita do Pelosi é interessante para dizer o mínimo. Nos EUA, o governo democrata está diante de uma recessão técnica, inflação elevada, elevado índice de impopularidade, além de estar profundamente envolvido na Guerra da Ucrânia, sem perspectiva de uma saída honrosa. Já a China não consegue retomar o ritmo de crescimento de antes da pandemia, devido a continuidade dos lockdowns, a quebra das cadeias produtivas, da fragilidade do mercado imobiliário e do aumento da inflação.

Uma outra análise seria que a visita da combativa (e insensata? Imprudente? Independente? Ou tudo junto e misturado) Pelosi oferece uma boa distração a ambos os governos que tem grandes problemas internos. No entanto, a margem de erro é mínima.

Retaliação

Após o pouso do avião de Pelosi em Taipei, o Exército de Libertação Popular chinês anunciou a realização de importantes exercícios militares de tiro real em áreas nas águas e espaço aéreo ao redor de Taiwan de 4 a 7 de agosto, como mostra o gráfico abaixo.

Para não sair desmoralizado pela visita de Pelosi a Taiwan, Xi Jinping deverá retaliar de alguma forma.

A questão agora é saber até onde a China irá para salvar sua imagem de potência militar.


1 – Mestre e Doutor em História Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PPGHC) da UFRJ, professor-colaborador e do Programa de Pós-Graduação em História Militar Brasileira (PPGHMB – lato sensu), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO e Editor-chefe do site História Militar em Debate e da Revista Brasileira de História Militar. Website: https://historiamilitaremdebate.com.br

2 – Jornalista especializado em assuntos militares e editor-chefe da revista e trilogia de sites Forças de Defesa. No final dos anos 80, foi tripulante da fragata Niterói (F40) da Marinha do Brasil, integrando a equipe de manobra do helicóptero Lynx embarcado. Nos anos 90, colaborou como articulista com as revistas Segurança & Defesa e Tecnologia & Defesa. No jornal O Globo, trabalhou na redação, de 1996 a 2008.

Fontes

- Advertisement -

108 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
108 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan

Achei ótimo o ‘mapinha’ da ilha na abertura da matéria,
com a corridinha de Porta Aviões ao redor.

Show!

Antonio SANTOS

O lance é que a cada 15 anos em média surge uma crise no sistema capitalista norte-americano e a cada período de crise alguma guerra é inventada pelos EUA.

Veiga 104

Perfeito.

Mk48

Com a industria de equipamentos militares que eles possuem, empregando centenas de milhares de pessoas, é isso mesmo que vc falou. Sempre vão inventar uma guerra.

Tomcat4,4

Poisé mas vai dar ruim pra qualquer um que peitar a China ali, a ilha é colada na China tudo pertinho e ainda tem a base gigante nas ilhas artificiais. Abocanhar Taiwan pra China é questão de honra .

Mk48

Tom,
Nào sou fã de China, nem EUA e Russia.
.
Sou fã do Brasil.
.
Agora, penso que aqui no Forum muitos subestimam a China e a Russia.
.
Os EUA podem muito, mas não podem tudo. Quando o bicho pega, chamam seus capangas de sempre : UK, França, Alemanha, etc.
.
No meu entendimento, A China vai sim, um dia, reanexar Taiwan. Quando ? Não sei. Ninguem sabe.

Tomcat4,2

Exatamente no momento de enfraquecimento econômico eles arrumam uma treta pra aquecer a economia bélica deles, nada de novo no front só que agora mexeram com auau grande.

Antonio Cançado

Só que desta vez quem tá inventando guerra é a China, né?

Romão

O momento da visita do Pelosi é interessante para dizer o mínimo. Nos EUA, o governo democrata está diante de uma recessão técnica, inflação elevada, elevado índice de impopularidade, além de estar profundamente envolvido na Guerra da Ucrânia, sem perspectiva de uma saída honrosa.”

Check!
1 – Os americanos querem uma saída honrosa;
2 – Provado por A mais B que o Kremlin tem mais culhão que o comitê central de Beijing.

São as duas conclusões que podemos tirar por enquanto. Mais do que isso é pura emoção.

Romão

“[…]o Kremlin tem mais culhão que o comitê central de Beijing”.

Eu juro que isso não foi um trocadilho racista. ahahaha

Ivan

Prezado Romão,
.
Espero, sinceramente, que o pessoal de Pequim (cantonês) – ou Beijing (mandarim) – opte por decidir com o cérebro e não com aquele outro órgão que você sugere que Vladimir Putin usa para pensar.
Olha só a cáca que está dando no leste europeu.
.
Em todo caso, vamos aguardar.
.
Cordiais saudações,
Ivan Ivanovich.

Robert Smith

OS Chineses nunca vão reagir pelo “momento” ou por “emoção” são um povo milenar e tradicionalmente tem paciência de elefante para conseguir o que querem… é o ocidente que tem pressa… Se o senhor Xing me perguntar eu diria para ele da o troco apoiando a Rússia na sua guerra na Ukrania! financiar uma guerra contra o ocidente por “procuração” 🙂 Deixa os Russo e Ukranianos se matarem e destruírem fornecer armas ao mesmo tempo prejudicando a economia da Europa e USA.

Bosco

Eu fico pensando aqui com os meus botões que o consumo de ópio na China continua a todo vapor. Ou então o consumo dos benzodiazepínicos. Deve bater recordes.
Só isso para explicar o fato dos chineses serem um povo tão paciente.
rssss

Erick Barros

Essa visita de Crazy Nancy foi um desastre total.
Tirando dois ou três cachorros de estimação, todo mundo a condenou.
Serviu apenas para ‘A Louca’ marcar presença na sucessão do velho de cansado Joe Biden que não poderá não ter condições de disputar nova eleição.
Circo de horrores no qual os EUA afundam.

Erick Barros

Nancy foi embora.
Os EUA continuam em crise.
A China vai crescendo.
A Rússia batendo.
E a Ucrânia apanhando.
Voltamos ao Mundo normal.

André de Souza

Acho que você tá romantizando muito a situação.

Nemo

Tecnicamente culhão ou colhão não significa pênis, mas testículo. Rsrsrsrs

Mgtow

Nossa.
Tu é bichão mesmo.
Tua conclusão é definitiva e ponto final?
Hahaha…cada um que aparece

Marcos

A China ameaçou e nada fez! A verdade é que China e Rússia tremem na base, não são nada perto dos Estados Unidos, a maior potência econômica, militar, tecnológica e cultural do planeta.

E quando somado a força da OTAN, os EUA são imbatíveis. A China vai ficar apenas nas ameaças e nos desfiles pomposos. São um nada, um 0 a esquerda. O Dragão não passa de uma lagartixa. E o urso não passa de um coelhinho.

Duas grandes piadas: China e Rússia

Ivan

Marcos,
Não é bem assim.
As guerras – frias ou quentes – são mais complexas do que uma comparação direta de forças, envolvendo muitas outras variáveis.
.
Saudações,
Ivan, an oldinfantryman.

Pedro

Temos crianças em frente aos teclados deste blog e demais redes sociais amigo, não sabem o que é o mal em frente de casa.

Heli

e como temos, parecem cheerleaders

elias

a china é um pais extremamente expansionista, a populaçao da ilha (+ de 23 milhoes de pessoas) querem ficar longe do regime comunista , um pouco + de coerencia aos foristas que apoiam a invasao, pensem nas vitimas .. alias gostaria de lançar aqui no forum o slogan ” tibet aos tibetanos’. e devoluçao de parte da caxemira a india que historicamente sempre dos indianos

Gerson

E malvinas para os argentinos.

Felipe

O que a Otan está esperando para varrer a Russia da Ucrânia então?

Esteves

Tão encrustados. Demora pra sair.

Slow

A verdade é que China e Rússia tremem na base ”

Exatamente, deu pra ver como a Rússia tremeu na base ao invadir a Ucrânia …

Agora na parte da China eles erraram em ter ameaçado.

Xi está em momentos decisivos pra saber se vai ou não continuar em um 3 mandato então não é interessante pra ele uma guerra agr ..

Flávio

Amigo, NÃO esqueça pq a Rússia pode sim peitar os US como têm feito até hoje: mísseis nucleares.

T.H

Isso deve ser “pinga 3 (três) vezes ao dia”.

Robert Smith

Calma… vamos aguardar para no que isso vai da…. é “apenas” o primeiro movimento no tabuleiro do jogo internacional!

Fernando

As ameças exageradas da China se voltam contra ela, qualquer coisa menor que uma ação militar vai ficar feio, só que uma ação militar seria uma catástrofe.

Nelson Junior

Vejo muito pelo contrário… Os Chineses, são mas inteligentes do que os Russos, “ao que parece”… Uma guerra por uma ilha que já é sua, teria consequências terríveis e imprevisíveis, para os Chineses… Os Americanos ali, não tem muito a perder, pois eles ganham de qualquer forma: Se a China invadir vai vender armas adoidado pra Taiwan e deixar eles a própria sorte, se a China não atacar os Americanos continuam com influencia forte em Taiwan e também vendendo arma adoidado… Quem precisa pensar e muito bem é a China, e na minha opinião faz certo em “não fazer nada”…… Read more »

sub urbano

SU35S chineses baseados em Guandong estão sobrevoando o estreito de Taiwan.

Marcos

A China invade o espaço aéreo de Taiwan desde 1950. Estão repetindo o mesmo de sempre. China é uma piada! Tigre de papel

Marcos

Os EUA deveriam aproveitar e colocar umas 30 bases em Taiwan, todas bem equipadas. O Tigre de papel já mostrou que apenas ruge. Em breve vai ficar roco e o silêncio vai reinar.

Go Yankees!

Romão

Ler os seus comentário me faz tão bem… Eu me sinto o Albert Einsten perto de você.

Rogério Loureiro Dhierio

O oposto do Kings.

Radagast, o Castanho

Não, ele é kings do multiverso expandido.

ADM

Acredito que a Dep. Pelosi sairá de Taiwan antes de 04/08, início dos exercícios militares chineses ao redor da ilha, arrefecendo a crise.

Adriano madureira

Nancy Pelanca é tão corajosa que chegou na surdina, encoberta pela noite… Igual aquelas visitas que Bush fazia ao Iraque.

Bosco

Radar funciona de noite.

sub urbano

Creio que a China irá invadir e ocupar alguma das ilhas administradas pelos rebeldes. Nas ilhas perto do continente as forças armadas de Taiwan já estão em alerta vermelho. Em um forum gringo um cara postou imagens de alguns M-60 que estariam sendo deslocados para essas ilhas. deram uma geral com cera antes kkkk nem parecem tanques antigos.

Bruno Vinícius

A China se colocou numa situação complicada, depois de se opor de maneira tão veemente à visita de Pelosi, corre o risco de virar motivo de piada se nada fizer, mas ao mesmo tempo precisa moderar a resposta para evitar uma reação americana. É um cálculo complicado de ambos os lados, mas veremos os próximos capítulos (vale lembrar que os chineses já viraram piada na Rússia, com o provérbio do “Ultimato Chinês”).

Last edited 8 dias atrás by Bruno Vinícius
Cheng

Isso pq a Russia tem a China, um escudo economico, e para a China, SO EXISTE UMA CHINA

Agressor's

A China sabe o que se aguarda para ela dentre em breve, pois depois que terminarem com o que estão fazendo lá na Ucrânia será a vez de se encaminharem pra fazer o mesmo em Taiwan…

Rogério Loureiro Dhierio

Exatamente.
Daí se sobrar mundo, a Amazônia será o passo seguinte.

Burgos

Isso não vai acabar bem !!!👀

Esteves

Quem faz guerra não se importa.

Burgos

Dura realidade caro Paladino do blog !!!😞

André de Souza

A Geopolítica é uma caixinha de surpresas, nós vemos a situação tanto dentro do âmbito militar que esquecemos da questão política, econômica e diplomática, e esquecemos também que um poder compartilhado pensa melhor do que um centralizado, por isso os pilares do estado são mais importantes do que um de governo que é trocado de 4 em 4 anos, a articulação da Câmara Americana para essa situação é digna de um prêmio, foi mais eficiente do que o governo Biden e jogou a responsabilidade dos rumos do mundo nas mãos do governo de Xi, assim como a Rússia jogou nas… Read more »

Bruno Vinícius

Se for verdade que o governo Biden estava apoiando a visita dela nos bastidores (depois desse anúncio do RU desconfio que deve ser o caso mesmo), é ainda mais impressionante. Basicamente, Biden teria conseguido mostrar o apoio americano à ilha ao mesmo tempo que “lava as mãos”, evitando uma escalada ainda maior das tensões (ou, se a situação escalar, dizer que não tem culpa e que os chineses estão exagerando na resposta à uma visita da chefe de um poder independente).

Last edited 7 dias atrás by Bruno Vinícius
André de Souza

Sim sim, se abstendo de qualquer problema direto.

Guilherme Lins

Ou seja, Biden toma decisões mas não quer assumir a responsabilidade, pura bigodagem!

NELSON F.

O que aconteceria se, em resposta aos EUA, a China começar a fornecer equipamento militar para a Rússia utilizar na campanha da Ucrânia? Isso poderia levar a uma maior interferência dos europeus em favor dos Ucranianos, ou então para pedir mais moderação aos EUA?

Esteves

A China fornecer apoio militar à grande mãe Rússia…já deve estar acontecendo.

Machado

A China ainda precisa ficar mais forte. Falta pouco mas ainda falta.

Esteves

“dobradinha Washington-Londres continua afinada.”

Depois do AUKUS é o que se espera. Juntos.

Inimigo de Amigo

Dobradinha no aukus dos outros é refresco.

Leonardo

Esse foi o melhor comentário de todos.

Guilherme Lins

So me lembro, lá por 2018-2019, quando eu falava na sala do meu curso que Trump merecia o Nobel da paz, que ele havia estabelecido acordos de paz históricos no oriente médio e na Coreia do Norte, que ele estava sabendo negociar com o Putin, apesar da invasão da Criméia, e muitos riram. Quando Biden ganhou meu ZAP era tanta mensagem com piadas, c tiração de onda, com o famoso “o amor venceu o ódio”, pois é, o tempo é senhor de tudo…Biden é um desastre!

André de Souza

Trump abriu as pernas do Ocidente, enfraqueceu a OTAN, deu liberdade para a Rússia fazer oq bem entender no leste europeu e na Síria também, pra completar ainda foi na Coréia do Norte apertar a mão de ditador comunista a troco de nada, zero acordo, e ainda entrou em uma guerra comercial com a China infundada que desencadeou uma crise econômica, o que mais me deixa pasmo é ver gente de direita endeusando esse cara só porque o cachorrinho do Bolsonaro balançava o rabinho pra ele.

Guilherme Lins

Incrível como vocês inventam uma realidade paralela e vivem nela! Enfraqueceu o ocidente? Trump denunciou a falta de investimento em defesa dos países da OTAN, denunciou também a dependência energética da Europa em relação a Rússia (tudo isso sobre risos bem debochados da delegação alemã, pois bem né, e hj como tá?), negociou com Putin e paralisou seu projeto de anexação da Ucrânia, que se iniciou pela Criméia no governo Obama, mostrou a Coreia do Norte que a China não iria brigar com os EUA por eles, conseguindo um acordo histórico, e também garantiu a paz no oriente médio. E… Read more »

Bruno Vinícius

Feitos da Administração Trump: – Maior déficit público da história dos EUA; – Primeiro ICBM da Coréia do Norte; – Acordo com o Talibã para entregar a eles o Afeganistão; – Tentativa de destruir o pouco de Saúde Pública (Obamacare) que os EUA tem; – Retirada unilateral dos Estados Unidos do TPP (acordo econômico para aumentar a influência geopolítica dos EUA no Pacífico e reduzir a da China); – Fim do Acordo Nuclear com o Irã (resultando no enriquecimento de urânio até 20% por parte deles em 2020 e com planos avançados para aumentar essa porcentagem ainda mais nos anos… Read more »

Last edited 7 dias atrás by Bruno Vinícius
Fernando

Bom é a D!lma americana

Last edited 7 dias atrás by Fernando
Romão

Primeiro ICBM da Coréia do Norte”…
Longe de mim querer defender o homem laranja mas, atribuir à Donald Trump, o primeiro ICBM norte-coreano é, no mínimo, jocoso! O mérito é dos norte-coreanos e só. Trump iria fazer o quê ? Invadir a Coreia do Norte, bem às portas da Chinas ? Não deu certo em 1950, quando a China não tinha nukes, não dará certo agora!

Esteves

Isso é mais do que parece ser.

Trump pressionou empresas norte-americanas a saírem da China. Levou uma banana. Existem mais de 120 grandes negócios yanques na China e eles não querem sair de lá. Empresas chinesas nos EUA também apreciam a grama verde e ameaçam lançar uma onda de IPO’s contra Wall Street.

Guerrinha é parte da história.

Last edited 7 dias atrás by Esteves
Max

A guerra na Europa, disparou as vendas da industria de armamento americana. Ainda conseguiram substituir o material russo/soviético do leste por material ocidental. Até deram um chega pra lá nos fabricantes europeus. Será que essa treta na China vai conseguir trazer de volta essas empresas americanas para terrinha natal ? Que acha mestre Esteves ??

Esteves

Vai saber. Saíram da Rússia. Sair da China…tem muitos atores nesse teatro. Penso que ficam. Se a guerra vier…voltam.

pedro

Relato não confirmado. Pode ter havido algum combate aéreo entre chineses e taiwaneses. Várias aeronaves dos eua voam em direção à Taiwan. Pode ser notícia falsa……ou não.

Zé lesqui

Guantanamo

ChinEs

A China amarelou , infelizmente ainda nao esta preparada para enfrentar os EUA, a Russia da mais medo, a Russia nao brinca , mas em 2030 a China podera enfrentar os EUAA, mas nao agora.

Romão

Para tal, a China precisa de mais 15 ou 20 anos, no mesmo ritmo, mais 6 porta-aviões, mais 40 contratorpedeiros e pelo menos duas bases navais no atlântico: uma na costa ocidental D’África e uma na América Central.

Rogério Loureiro Dhierio

Se manter esse ritmo de crescimento eles chegam na metade do tempo.
Aquele ditado:”Deus criou os céus e a terra. O resto foi feito na China”.

Cheng

Sou chines falando para o ChinEs: nao eh pq a China amarelou, e sim pq a Russia tem a China, um escudo economico, e para a China, SO EXISTE UMA CHINA.

Red Pill - 红色药丸

Só existe uma China !

Bosco

Cuja capital é Taipé.

Gabriel ferraz

Seu comentário é um colateral causado por excesso de cloroquina ou ozônio. Cuidado!

Scudafax

O conflito potencial é mais um contratado pelo Complexo Industrial Militar, enquanto não ocorre, produz medo e tensões, incrementando capacidades e contratos. Se realizado, teremos sim completo impacto econômico mundial, o qual o Brasil já deveria ter planos em avanço e no detalhe.

Cheng

Pergunta e tente uma confirmação com a ONU

Frederickson Petersen

Começaram as terríveis retaliações Chinesas:

IMG_20220802_190734.jpg
Cheng

Com certeza é terrível para a ilha de taiwan, pois isso significa um valor de USD650 milhões, ou melhor, 37% de exportação.

Carlos Campos

Cadê a reação

Augusto L

Jaja os chinas vão conhecer o LRASM e JASMM ER, sera bunito de ver, não para eles. Kkk

Cidadão das Sombras

Não fale, faça.

Esteves

Isso é forte. Apertar o botão. Enfiar o pé. Botar a mão.

Quero ver.

Esteves

Enquanto isso, mas mídias norte-americanas, não há notícias de guerra. Tem matérias sobre Pelosi e como ela trata desses assuntos. China, direitos humanos, negócios de tecnologia (semi condutores e suas indústrias em Taiwan). A mulher bota o p* na mesa. A mulher não manda recado. As mídias repercutem a visita e o esperneio dos militares norte-americanos. Não vi sobre guerra eminente. Manejar essa situação requer espírito forte e pulso firme. Saúde de ferro e coragem. Pelosi tem. Tolerância. Pelosi não foi adestrar, ensinar, apaziguar. A mulher foi manejar selvagens. Sim. Para os chineses, ainda hoje, os ocidentais são indignos. Também… Read more »

Last edited 7 dias atrás by Esteves
Esteves

Os animais crescem. Os problemas também. Enquanto o mundo continuar nas mãos de gente incompetentemente incompetente haverá risco de extinção. Vamos pensar até aonde devemos servir. De um certo limite não passarão?

Passados 3 meses. O manejo é o mesmo. O risco aumenta, mas permanece controlado.

https://youtu.be/AINA-uv4f8w

ChinEs

o PUTIN é bem mais macho que o Xi , os Chineses nao tem ,coragem de enfrentar directamente os States, o unico que tem é o Putin.

Robert Smith

Salvo atacar Tawain e começar a 3º guerra, algo que não seria bom pra ninguém, a China poderia retaliar as provocações do USA e Ocidente na Ukrania! Fornecendo equipamentos e armas, na mesma proporção que os USA e Ocidente fornecem para os Ukranianos mais para os Russos! Em outras palavras fazer a Guerra contra os EUA e ocidente por procuração! Melhor do que da um tiro na cabeça iniciando uma guerra contra os EUA e ocidente…. podem com isso atingir um resultado sem se expor demasiadamente.

Marcos

A Nancy Pelosi pisou e cuspiu no PCCh

A mulher mais poderosa do mundo

Alex Barreto Cypriano

Ela judou Xi pacas: ele, definitivamente entronizado como guia, agora pode reforçar o nacionalismo chinês até a estratosfera. O pessoal precisa parar de pensar que tudo é apenas branco e preto, tem muitas gradações de cinza na guerra híbrida total em que vivemos 24/7/365 do derradeiro reich milenar.

Agnelo

Considerando q Taiwan é um Obj nacional permanente da China.
Considerando q as forças chinesas estão em prontidão para um “exercício”.
Considerando que o Dragão esbravejou e a Águia c@g@ou pra ele.

Em q pese, a confusão política e econômica pra China.

Será, q quando a Força americana sair dessa Zona de Ação, a China não vai aprontar?

Alex Barreto Cypriano

Os extremos do território de Taiwan distam ~370 km (NNE/SSW) e ~135 km (NWW/ESE), enclausurando uma área de mais de 32 mil km² (maior que o estado de Alagoas e menor que o estado do Rio de Janeiro), com mais de 23 milhões de habitantes, quase todos na costa oeste ao largo do estreito de Taiwan (cuja largura máxima atinge 220 km). Mas na caricatura, parece um montinho de areia num tanquinho…

Last edited 7 dias atrás by Alex Barreto Cypriano
Angelo

Porta aviões x porta aviões..vai ser interessante essa batalha naval…começem logo…..

Augusto L

Não terá batalha naval, os Chinas vão usar seus DF-21 e os americanos seus B-1/B-52 armados com LRASM.

Bosco

Augusto, Na verdade apenas o B-1 e o F-18 SH é que estão qualificados para o LRASM. Estão em processo de qualificação o F-35C (externamente) e o P-8. E também deverá ser lançado de navios a partir do Mk-41 e de submarinos de ataque. Vale salientar que a USN já conta com o Tomahawk MST, com capacidade antinavio, com 1800 km de alcance. Mudando de pato pra ganso, dada à constatação da capacidade do HIMARS na Ucrânia, eu não duvido que a USN repense a aposentadoria do canhão AGS dos Zumwalts e ordene uma produção ainda que limitada do projétil… Read more »

carvalho2008

Isto tambem tenho certeza mestre Bosco! Na medida que o projetil inteligente ficou muito caro para o 155 mm, atuar com GLSDBs e projeteis muito mais baratos como o HIMARS é a saida….

A quantidade de disparos pode reduzir, mas é uma possibilidade que sempre achei como o caminho de solução para resgatar o projeto original….

Nemo

https://nationalinterest.org/feature/next-taiwan-strait-crisis-has-arrived-203974
Como mostra o artigo da The National Interest analistas qualificados classificaram a visita da tua como sem, objetivo e prejudicial.

Luiz Trindade

Esses exercícios são muito parecidos com exercícios que a Rússia fazia na fronteira da Ucrânia antes da invasão. Taiwan tem de apontar os misseis antinavio aonde os navios da China estarão mais próximos. Plotar e deixar a Marinha do Exército de Libertação Popular ciente que estão plotados e há um segundo de manda-los pelos ares! Esta mais que na hora de Taiwan levantar o tom!

DFA

Que as mentes sãs de ambas as partes prevaleçam.
Essa visita não tem sentido nenhum a não ser provocação desnecessária que só vem azedar ainda mais a relação entre as duas potências.

Last edited 6 dias atrás by DFA
Scudafax

Já temos o plano nacional de resiliência econômica, estratégica e militar considerando vários cenários de conflitos em Taiwan ou apenas temos planejada a próxima motociata? Já há plano para produção nacional de semicondutores ao menos de 20 nm em caso de guerra ou a empresa foi desmontada?

Paulo Brics

A coisa chegou a um status no qual a China tem obrigação de resolver esta situação de vez. Esta reação de cercar a ilha rebelde e ficar atirando para cima é patética. Deve ter muitos generais, almirantes e brigadeiros furiosos na China e querendo agir pra valer. Esta é a diferença entre a Rússia e a China. Quando os russos ameaçam, se não levarem a sério eles cumprem a promessa e partem para a porrada, independente de ameaças de eua e otan. E quanto mais ameaças mais eles batem. Slava Rossiya!!! Não estou querendo ver a morte de milhares de… Read more »

Arthur

Tensão? Que tensão? Só porque a velha demente e sem noção faz uma visita não oficial em um avião oficial americano significa algo? A única explicação não tem nada a haver com geopolítica: levantar o moral Partido Democrata junto ao eleitor americano. A velha imbecil foi à Taiwan debaixo de ameaças da China, desceu, ficou 14 horas e seguiu viagem. E a China, que ladrou nada fez! Duzentas mil pessoas seguindo o vôo da destrambelhada no Flight Radar, por conta da verborréia chinesa. E se dar ao trabalho de fazer análise desse verdadeira dissimulação beira piada: conflito no Kosovo, conflito… Read more »

Dalton

“O USS Abraham Lincoln (CVN-72) e o USS America (LHA-6), estão em na base norte-americana em Sasebo, Japão, mas prontos para partir.”
.
O texto erra quanto a localização do USS Abraham Lincoln, que encontra-se no Havaí após a conclusão do “RIMPAC” em uma parada antes de rumar para San Diego e não em
Sasebo no Japão que é a base do USS America este sim está preparando-se para sua
segunda “patrulha anual”.
.

Renato B.

A demonstração de força dos chineses é principalmente para o público interno.

100nick-Elã

Ganhou! Ganhou! Nancy Pelosi, o canhão estadunidense, foi a Taiwan e os Estados Unidos ganharam uma! finalmete! fazia tempo que eu não via uma vitória – tática ou estratégica – dos EUA. Mas agora que Nancy Pelosi, a Mun-Ra feminina, chegou a Taiwan, os EUA podem… podem… podem… me ajudem aí, o que significa, em termos práticos, essa vitória dos EUA mesmo? o que foi conquistado mesmo?

Jagdverband#44

Foi conquistado o teu chilique.

Ivan

Alguém prestou atenção na versão dos 2 (dois) LHAs americanos que estão na região? . O grupo de batalha aeronaval (Carrier Strike Group, CSG) é liderado pelo porta-aviões nuclear USS Ronald Reagan (CVN-76), um monstro com cerca de 100.000 toneladas, embarcando cerca de 50 aeronaves de combate e escoltado por destroieres da classe Arleigh Burke, todos operando próximo, no limite do Mar do sul da China. . Integra também a força-tarefa o navio de assalto anfíbio USS Tripoli (LHA-7) – com jatos F-35B Lighting II Joint Strike Fighters dos US Marines –, deslocando mais de 45.000 toneladas. Consta também, na… Read more »

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Semana da Índia no Rio: Governo indiano recebe público e imprensa a bordo da fragata INS Tarkash

Eventos comemoram os 75 anos da Independência indiana e 200 anos da Independência do Brasil A Embaixada e o Consulado...
Parceiro

- Advertisement -