Submarinos fazem parte do pacto AUKUS com o Reino Unido, que também pode desenvolver embarcação em conjunto com a Austrália

Espera-se que a Austrália anuncie que comprará até cinco submarinos movidos a energia nuclear da classe “Virginia” nos anos 2030, como parte de um pacto histórico de segurança do Pacífico com os Estados Unidos e o Reino Unido, de acordo com quatro autoridades americanas.

Sob o chamado acordo AUKUS, pelo menos um submarino dos EUA visitará os portos australianos nos próximos anos e, no final da década de 2030, uma nova classe de submarinos estará sendo construída com projetos do Reino Unido e tecnologia dos EUA, disse um dos funcionários ao Agência de notícias Reuters.

O primeiro-ministro australiano Anthony Albanese deve se encontrar com o presidente dos EUA, Joe Biden, e o primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, em San Diego na segunda-feira para revelar os próximos passos do AUKUS.

O pacto de segurança do Pacífico foi anunciado pela primeira vez em setembro de 2021 e também deve incluir colaboração em mísseis hipersônicos, inteligência artificial e guerra cibernética. É visto como uma tentativa de conter o poder crescente e o posicionamento assertivo da China na região, e atraiu a condenação de Pequim.

Dois dos funcionários, falando sob condição de anonimato, disseram que após as visitas anuais aos portos, os EUA enviariam alguns submarinos para a Austrália Ocidental por volta de 2027.

No início da década de 2030, a Austrália compraria três submarinos da classe Virginia e teria a opção de comprar mais dois. Os submarinos nucleares podem ficar debaixo d’água por mais tempo do que os convencionais e são mais difíceis de detectar.

Enquanto isso, o jornal Guardian do Reino Unido informou na quarta-feira, citando várias fontes não identificadas, que o Reino Unido “teve sucesso em sua tentativa de vender submarinos nucleares projetados pelos britânicos para a Austrália” e que Sunak estava “vibrando sobre isso” quando disse aos ministros.

Ele sugeriu que os submarinos da classe “Virginia” dos EUA seriam um “tapa-buraco”, enquanto a Austrália e o Reino Unido trabalham juntos em um projeto para um submarino de próxima geração do navio existente da classe “Astute”, observando que a complexidade da tarefa significava que poderia não estar pronto até a década de 2040. O jornal The Times também informou que a Austrália adquiriria submarinos britânicos.

Na segunda-feira, o governo britânico também deve publicar uma atualização de sua chamada “Revisão Integrada” de segurança, defesa e política externa, disse um porta-voz de Sunak em Londres.

A Austrália opera atualmente uma frota de seis submarinos convencionais da classe “Collins”, que terão sua vida útil estendida até 2036.

Submarino classe Astute
Submarino classe Virginia em construção

O anúncio do AUKUS levantou preocupação entre alguns dos aliados regionais da Austrália, incluindo a Indonésia e a Malásia, de que poderia alimentar uma corrida armamentista nuclear no Indo-Pacífico. Na quinta-feira, o ministro da Defesa da Austrália procurou tranquilizá-los.

“Claramente, esses submarinos terão a capacidade de operar em guerra, mas a verdadeira intenção dessa capacidade é garantir a estabilidade e a paz de nossa região”, disse o ministro da Defesa, Richard Marles, ao parlamento.

Sob o acordo inicial da AUKUS, os EUA e o Reino Unido concordaram em fornecer à Austrália a tecnologia e a capacidade de implantar submarinos movidos a energia nuclear.

Se os submarinos da Austrália vierem dos Estados Unidos, será a primeira vez que tecnologias desenvolvidas nos EUA para submarinos nucleares serão exportadas desde a década de 1960, quando os EUA ajudaram a Grã-Bretanha a projetar sua frota submarina.

Submarino nuclear de ataque classe Astute em corte (clique na imagem para ampliar)
Comparação do tempo em estação de submarinos convencionais (SSK) e nucleares (SSN) da Austrália em chokepoints críticos

FONTE: Al Jazeera

Subscribe
Notify of
guest

215 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luis Carlos

Vão jogar dinheiro fora.
Alguém acha que isso vai parar ou pelo menos afrontar a China?
Teve um ex´Primeiro Ministro da própria Austrália, que disse ontem.

‘Nenhum país na Terra pode resistir sozinho às forças armadas de Pequim, alerta ex-Primeiro-Ministro australiano.’

Eu acrescento.
Nenhum bloco militar pode resistir às gigantescas F.A. chinesas.

glasquis7

Pode sim, um bloco como a OTAN poderia resistir… O problema está em que uma resistência como essa poderia acabar com a vida na terra.

Daí a importância de se escolher bem os líderes.

Diego Tarses Cardoso

Você não sabe o poder de um submarino nuclear, falou uma grande besteira.

Santamariense

Sendo esse aí quem é, nem perde teu tempo argumentando. É o mesmo que querer ensinar trigonometria para um cão.

Luis Carlos

Se não aprende trigonometria, vamos nas operações básicas?
China = 5 x (EUA + Austrália + UK).
Pode espernear.

Santamariense

Quem tá esperneando é tu. No caso de um conflito, os australianos não operariam sozinhos…tu tá careca de saber isso. Mas, tua ânsia em lacrar te leva para realidades paralelas e acaba escrevendo “pérolas” como o teu primeiro comentário deste tópico.

Luis Carlos

Repetirei.
China = 5 x (EUA + Austrália + UK).
Pouco importa se a Austrália vai operar sozinha ou não.
Acho que vc não está tendo a exata noção do tamanho da China, não?

Santamariense

E quem está falando desses países apenas? Tu acredita que a OTAN não operaria junto? Mas, não adianta discutir contigo. E de onde tu tirou esse 5x? Ora, por favor…. até torcida tem limite…..

Last edited 1 ano atrás by Santamariense
Inimigo público

Acho difícil a OTAN entrar junto nessa. Nem todos lá tem meios capazes de operar no mundo todo.

Santamariense

Depende como se faria uma guerra dessas. De onde iriam operar? Com quais meios? Aéreos? Navais? Na maioria das hipóteses, entraria sim.

Carvalho2008

Olha Mestre Santamarinense, se a OTAN nem entrou na Ucrânia que está ais seus portões, acho difícil eles entrar no Sul DA China…..não é simples…..e mesmo que queiram, não estão em condições de desviar forças de seu próprio quintal já tão quente e pegando fogo….

Nilo

Esqueceu Nova Zelândia e Canadá.

sub urbano

A Policia Militar da Bahia venceria a Nova Zelandia. Tem mais pessoal e mais armas. Imagina só a Nova Zelandia colonia da Bahia kkkk governariamos o arquipelago com punho de ferro.

Inimigo público

O que é um submarino nuclear contra a terceira maior força aérea e a segunda maior marinha do mundo?

Hcosta

E há dois anos o discurso era que a Europa toda não conseguiria parar as gigantescas FA Russas…

A China tem 13 submarinos nucleares ativos. Serão suficientes para atacarem, de forma convencional, a Austrália e os EUA?

Não incluo os convencionais devido à distância entre a China e os EUA.

Santamariense

Pois é, meu caro. E isso que a OTAN não está usando seus meios próprios. Typhoon, Rafale, Miragem 2000-5 e 2000D, F-16, F-15, F-18, F-22, F-35, todos esses equipados com mísseis AIM-9, AIM-120, IRIS-T, Meteor, MICA, toda a gama de bombas guiadas, como Paveway, JSOW, SDB, mísseis como o Storm Shadow/Scalp EG, Taurus KEPD 350, entre vários outros. Também sem falar no uso de bombardeiros como B-52, B-1 e B-2.Nada disso que eu citei foi ou está sendo usado contra os russos. E tudo isso, e muito mais (como mísseis lançados de navios e submarinos, como o Tomahawk), seria usado… Read more »

Santamariense

Mirage*

Luis Carlos

Não está usando e nem vai usar.
Basta ver o que está ocorrendo na Ucrânia onde a Rússia está sozinha e o Ocidente está se pelando de medo.
Vão lá!
Ataquem a Rússia.
Vão nada!.
Colocar a China nessa equação vai reprovar o Ocidente.
(Ah! essa terrível matemática!).

Santamariense

Quem tá se pelando é a rússia….de equipamentos! E estao usando mísseis hiper, ultra mega sônicos, Su-35, Su-34, Tu-160….equipamentos de ponta de suas Forças. E a OTAN está com seus equipamentos intactos. Quanto à questão de atacar, quem o fez foi a rússia. Mas, o tempo tá passando….É não está sendo bom para teus heróis. Continuas sem entender a matemática mais básica…

Last edited 1 ano atrás by Santamariense
Ildo

Apenas uma fração dos efetivos e equipamentos das FAs russas está sendo utilizado na operação na Ucrânia…

A OTAN está intacta? Mesmo?

Segundo “parece” já estão quase sem material de reserva/armazenado e munição para enviar para a Ucrânia…

Deve ser “fake news russa”…

C G

A cachaça chineses veio estragada!

Ildo

A Rússia está lutando contra toda OTAN na Ucrânia; quase todo arsenal soviético e Made in Ukraine já foi destruído, assim como grande parte das armas padrão Pacto de Varsóvia fornecidas no último ano e armas padrão OTAN.

Fora > 200.000 baixas ucranianas…

O ocidente coletivo já dispependeu + de U$ 100 bilhões a Ucrânia… Mas segundo a narrativa ocidental as FAs russas são “amadoras e incompetentes”…

Óbvio que erros são cometidos; é uma guerra de altíssima intensidade, real, que EUA/OTAN nunca enfrentaram… Mas os russos são historicamewnte resilientes e aprendem rápido com seus erros.

Radagast, o Castanho

Nenhum bloco militar pode resistir às gigantescas F.A. chinesas.

Até pouco tempo se falava a mesma coisa da Russia.

A verdade é que a efetividade do poder militar Chinês só será realmente medido o dia em que houver um confronto entre a China e uma força militar de respeito, até lá tudo que se fala sobre o poderio chinês é meio supertrunfo.

Luis Carlos

E a efetividade do poder militar americano já foi medida e se saiu muito mal em mais de uma vez.
O Reino Unido está discutindo se aumenta os efetivos de seu Exército dos atuais 73 mil.
Teve um militar americano que, nesse ano, disse que não considera mais o Reino Unido como força militar atuante.
Na Europa, só EUA, França e Rússia.
Aí vc quer o quê?
Que o garboso Exército inglês com seus 73 mil homens enfrentem 1, 2 ou 3 milhões de chineses?
Isso é piada?

Santamariense

E tu acha, no mais esdrúxulo sonho de tua cabeça oca, que Europa, EUA, china e rússia vão, algum dia, se enfrentar de forma convencional??? Ora, por favor….manda esses 3, 5, 100 milhões de chineses comer gafanhoto, porque guerra convencional contra o ocidente eles nunca vão lutar.

Last edited 1 ano atrás by Santamariense
Leandro Costa

Sem contar que a própria China não tem poder para transportar esse numeroso exército de milhões para aonde quer que seja fora do continente asiático. E quando forem transportar os milhares e milhares e milhares de soldados, eles vão ficar bem vulneráveis dentro de navios… navios que serão alvos para submarinos nucleares e convencionais.

Mas como você disse anteriormente, não adianta argumentar lógica com esse aí.

Santamariense

Exatamente, Leandro!

Vinicius Momesso

E a Rússia não pode fornecer mar e espaço aéreo/terrestre para isso, né?
Cada uma…

Victor Filipe

Claro, o glorioso Submarino moskova vai fazer a escolta. uma pena o Naval não ter postado o relatório de manutenção dele pra mostrar o quão bem a Russia cuida dos meios navais dela.

Santamariense

Como assim??

Carvalho2008

Não acho que a China tenha no momento vontade e disponibilidade de combater no Globo. Mas sim, acho que tem vontade e plena disponibilidade de combater no sul da China. A questão tão é que isto já seria suficiente. Se ela domina a Ásia, colapso o sistema econômico e industrial do mundo.

Mas bem.lembrado que de fato via terrestre Russa, equipamentos, armas e soldados da China podem se mover tanto para extremo da Ásia quanto Europa sem necessidade de mar….

E um cenário estranho, extremo e medonho….mas de fato, pode…..

Rui Mendes

O militar Americano deve ser louco ou burro, mas o mais certo é ser fake, pois os 73 mil militares Britânicos, ao menos são profissionais e não tropa de um ano ou 2 de treino, mas o UK não atuaria sozinho, mas como NATO, e a NATO tem dois dos três blocos principais do planeta, ou seja EUA(+Canadá)+UE(+Turquia).

Carvalho2008

Eu acho que a Turquia pula fora é quando a coisa estiver detonada, ela colocará as garras de fora em áreas de seu próprio entorno e interesse….sempre foi duvidosa e existe nela um resquício do império Turco Otomano….gigante….ela para mim é elemento mais instável que estável….

WSilva

”A verdade é que a efetividade do poder militar Chinês só será realmente medido o dia em que houver um confronto entre a China e uma força militar de respeito”

Correto, e o mesmo vale para os EUA que gostam muito de abusar dos países pequenos.

Velho Alfredo

Na guerra das Malvinas, a GB empregou toda sua capacidade ASW, disponível, para proteger sua frota dos poucos, mal manutenidos, mal preparados, sub convencionais argentinos.

A inclusão dessa frota de Sub Nuc Atq na Austrália trás enorme mudança no balanço de poder naval na região, com efetiva capacidade de causar enorme neutralização de qualquer frota, principalmente a chinesa.

Fernando Vieira

E se não fosse pelo fato dos submarinos argentinos não estarem nos melhores dias, conforme matéria aqui mesmo do PN, um deles teria feito um baita estrago na frota inglesa.

Velho Alfredo

Muitíssimo provável.

Carvalho2008

todo o estoque de torpedos antisubmarino foi gasto e tiveram de repor estoques emprestando dos EUA ainda em meio a guerra. Grande parte dos torpedos foram perdidos e usados até mesmo no meio da viagem entre Atlântico Norte e Atlântico Sul…..muita baleia foi pro brejo….

O Ssk cegueta argentino que sofria de labirintite após cada disparo de torpedo, realizou 4 a 5 ataques a queima roupa….e saiu ileso…

Agressor's

Um dos maiores erros dos eua nos últimos anos foi se aliar com a península europeia no continente eurasiano e não com o continente sul-americano. Aqui eles resolveram implantar ditaduras e intervenções gravíssimas e espionagem. O que gera enormes desconfianças das nações com relação ao governo estadunidense. É entendível que na geopolítica global o único que poderia rivalizar com os eua como nação oceânica seria a América do Sul unida e por isso deles agirem assim…Um baita erro, Unidos teríamos força contra qualquer oposição no continente eurasiano, pois lá não teriam como se unir devido a enorme quantidade de povos… Read more »

Velho Alfredo

Desculpe, mas é uma leitura com pouca análise, na minha opinião. 1º) Onde houve ditadura ou governo de exceção na América Latina é onde havia o sério risco de um mesmo tipo de governo, mas com orientação do lado soviético ou chinês. Lembrando que há governos assim na América Latina com esta orientação e provas históricas documentais irrefutáveis disso. 2º) Dada a pujança econômica dos países europeus, bem como raízes históricas, acho difícil que os EUA fizessem outra opção, já que a opção de aliança militar é o coroamento da aliança “político-econômica-cultural.” Quanto a uma aliança militar da América Latina,… Read more »

Carvalho2008

Bem colocado….e aqui na América Latina todo mundo é amigo do Brasil até a segunda página. Realmente não consigo localizar voto de confiançadeles na ONU em nenhuma necessidade de apoio de nossos posicionamentos….sempre alguém puxando o tapete Mas quanto aos EUA, eu acho que realmente erraram absurdamente feio com a América Latina no período da globalização. Afinal era óbvio que empoderando a China de grana e indústrias, haveria um deslocamento de poder não apenas para aquela ditadura, mas todo um eixo oriental asiático versus ocidental….hoje, fica explícito que até investir em países como Malásia ficou perigoso no lado geopolítico, pois… Read more »

Luis Carlos

Vc está brincando, né?
Comparar o poder miliar chinês com o argentino de quarenta anos atrás?
O desespero bateu no Ocidente.
E isso é patente nesse tipo de reportagem, onde acham que velhas soluções de juntar meia duzia de países pode mudar o destino da Humanidade.
Juntaram 30 na Ucrânia contra a Rússia e estamos vendo a catástrofe.
E isso que a Rússia nem se dignificou a declarar guerra ou fazer mobilização.
Hoje, seus trezentos mil homens estão dando conta do recado.

Santamariense

Juntaram 30 o que na Ucrânia? Mandaram equipamentos excedentes e de segunda ou terceira linha de suas Forças, com algumas armas mais sofisticadas, como HIMARS e Javelin. Nenhum, nenhum país da OTAN forneceu seus próprios equipamentos e armamentos de 1a linha para a Ucrânia. Calma, muita calma….

Velho Alfredo

China com Argentina?????????????

kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Acho que vc precisa estudar a Cegalla……

Carvalho2008

Existem dois vieses da China com Argentina

a) Em sendo necessário, caso Britânicos remetam esforços militares para o Sul da China, Chineses patrocinaram armas e dinheiro para Argentina voltar a pressionar Malvinas, forçando 8ngleses a gastar recursos de um lado e aliviar outro

b) Está base Chinesa terá em algum momento o foco de servir para ponto de suporte a escolta aos produtos Sul-americanos que exportam a ela. Sabem que navios. Os navios com minérios e produtos agrícolas que saem ďa AL poderiam ser ameaçados. Este é o pensamento deles e eles precisam destes produtos.

Carvalho2008

Mestre Luiz Carlos, o militar acompanha o econômico….o econômico é quem desenha a geopolítica….o erro americano foi não desenhar um plano B onde seria fato consumado potencializar a China com tanta grana e indústrias…hoje, cada dólar investido na Ásia, reverte-se ainda assim de transferência de frações importantes destes dólares na China pela simples força natural do comércio entre os países asiáticos…a economia chinesa chegou naquela inflexão que qualquer economista recém formado aprendeu, ela suga e centraliza os negócios da região….cada dólar para qualquer país de lá, acaba tendo uma fração que irá para a China em face do comércio local….… Read more »

Carvalho2008

bom , mas sejamos sinceros…até a Austrália obter o primeiro subnuke, vai uns 10 a 15 anos….e a China em 10 a 15 anos? Os EUA demoraram muito a reconhecer que precisam de mais marinhas amigas….dá mesma forma como demoraram muito com a América Latina….outro erro colossal…

M4l4v|t4

Com certeza acho.

Helio Eduardo

Você permite que sua preferência ideológica dite a sua lógica.
Dizia-se o mesmo da OTAN e o que vemos é a Rússia passando vergonha faz mais de 1 ano….
Reconheço e afirmo que a China não é a Rússia e que os chineses vem provando sua competência, mas eles não podem contra os EUA e muito menos teriam êxito em uma guerra contra a OTAN. E o problema, para eles, é que os EUA raramente lutam sozinhos.
Então, o AUKUS é uma jogada muito boa, que dificultou, e muito, a vida dos chineses.

Last edited 1 ano atrás by Helio Eduardo
Augusto

Luis Carlos, uma frota de 8 submarinos nucleares operando em conjunto com a Royal Navy e a USS Navy seria uma baita dor de cabeça para os estrategistas chineses. E lembrando que ao contrario de sua frota de escoltas, os chineses não possuem nenhum submarino em seu inventario (pelo menos por enquanto) do nível de um Astute ou um Virginia. Essas três forças de submarinos operando em conjunto seriam mais do que suficiente para tacar o terror nas forças tanto de superfície quanto os sumarinos chineses, isso sem contar com seus aliados como os Japoneses (que possuem um dos mais… Read more »

Luis Carlos

Creio que esses oito submarinos não serão de muita utilidade se a a China atacar Taiwan e o Japão.que estão ao alcance das mãos chinesas.
A Coreia do Sul, os chineses tomariam por terra.
E isso seria o suficiente para colapsar o Ocidente.

Santamariense

Seria suficiente para colapsar o ocidente??? Hehehehe…quando a gente pensa que tu não pode ser mais absurdo, tu vem com uma bestialidade dessas….hehehehehe

Leandro Costa

Nas contas dele o Ocidente já colapsou pelo menos umas cinco vezes nos últimos dez anos.

Santamariense

Heheheheh…bem isso.

Augusto

Luis Carlos os anglo saxões são soberanos nos mares desde Trafalgar, tem muita tradição naval ai nessa aliança. Não duvido das capacidades militares chinesas, mas eles expandiram sua marinha a menos de 20 anos, ainda não provaram que possuem uma doutrina naval eficiente. Eu acredito que seja uma tarefa difícil o Ocidente defender Taiwan (justamente pois estaria dentro do primeiro cinturão defensivo chinês, mas também qualquer desembarque anfíbio chinês poderia resultar em baixas muito elevadas, tornando um vitória de Pirro para os chineses. Mas de qualquer forma se os chineses tentarem alguma coisa nessa década (o que eu duvido), os… Read more »

Carvalho2008

Mestre Augusto, tá certo, mas 8 Subnukes daqui 10a15 anos….vai por mim, se um dia eles estiverem navegando e estarão, a Austrália vai é emprega-los não para bloquear alguém ou atacar alguém, eles vão é usa-los de forma muito mais produtiva e alinhada aos seus próprios interesses, que é escoltar e manter abertas suas linhas de navegação para suas importações e exportações de produtos….está é inexoravelmente a primeira missão deles….eles são uma.ilha…enorme….e exportadores de matéria prima como o Brasil, então….Isto é o que penso…

MFB

Xings enlouqueceu de vez.

Luis Carlos

Os problemas gigantescos do Ocidente serão resolvidos com submarinos australianos.
Então, faça o seguinte.
Construam 10.
Será mais fácil ainda.

Peter nine nine

A china é galinha de ovos de ouro dele agora. Compreensível, com a Rússia a comportar se da maneira que sabemos.

Luis Carlos

E a galinha dos ovos de ouro da OTAN são as impolutas Suécia e Finlândia.
Confia!
Vai dar certo.

Albert

A China nunca foi um país que tem em seu DNA a guerra,basta ver em toda a sua história,quantas vezes o país foi dominado,em um dos seus auges como potência a China foi dominada pelos mongóis,eles são grandes comerciantes,já foram pelo menos duas vezes a maior potência do mundo,eu não vejo a China como essa ameaça toda,perto do que os europeus produziram de guerras e mortes,os chineses são crianças na alfabetização. O que eles querem e buscam é ter um exército poderoso,justamente para evitar o que eles chamam de século da humilhação no qual o país foi saqueado e humilhado,por… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Albert
Luis H

“perto do que os europeus produziram de guerras de mortes”. caso sua obsrvação tenha sido feita por ingenuidade consulte compilações de mortes realizadas pelo pcc arredondadas em 65 milhões, o fato de algumas nações da europa tenham roubado e matado parcelas de outros povos durante algumas décadas e o pcc a um século escravizar e matar o seu próprio povo é um agravante, alemães suásticos q são criancinhas ingênuas perto dos de suas contrapartes coletivistas concorrentes, eles não duraram 10 anos, os outros infernizam o mundo até hoje e cada vez mais.

Carlos Campos

Afronta e MUITO pq os Chineses até ameaçaram a Australia por causa desses submarinos.

Agressor's

A China já é o presente e o futuro, é o único pais atualmente com trilhões de dólares para investir e a cada dia se torna mais competente em novas tecnologias, a história do mundo sempre foi assim, mudança constante de hegemonia, a eterna ascensão e queda das grandes potências…

Luis Carlos

Aí nós temos essas notícias bombásticas que vão mudar os rumos da Humanidade.
Cinco submarinos para a Austrália…….
Seria muito mais eficiente se a China colocar cinco submarinos nucleares nas mãos dos norte-coreanos.
Aí sim.
Seria o ‘terror’.

Ildo

A economia chinesa é produtiva; mas para alguns a economia financeirizada ocidental é modelo de alinhamento…

Só de trens de alta velocidade a China tem 40.000km. Enquanto isso, no “modelo EUA”… Zero…

Jodreski

Se pode ou não pode resistir às F.A. Chinesas ninguém nunca saberá, isso é tudo especulação e que bom que seja assim. Acho que ninguém aqui quer viver (se conseguir viver) em um inverno nuclear devido a um conflito que está ocorrendo do outro lado do planeta, certo? Segunda Guerra Mundial foi o ápice da carnificina humana, jamais poderemos reviver um conflito dessa dimensão novamente, pois certamente será o último. . A questão é que armar a Austrália provocará uma corrida armamentista na região, certamente a frota de submarinos chineses irá aumentar rapidamente, aumentando ainda mais o poder bélico de… Read more »

Fabio mayer

Escrevendo as besteiras de sempre…

Alan Santos

As mesmas forças armadas que tem medo de invadir Taiwan? Outra coisa , você acha que os Chineses dariam conta da Índia,Austrália ,Japão ,Filipinas ,Vietnam ,Coreia do Sul , OTAN e vários aliados ? Kkkk. Você é uma comédia pronta mesmo.

Alan Santos

O Japão já dá conta ,quem dirá os outros aliados .

bruno

É verdade, por isso até hoje só ficam na falácia em relação a Taiwan. Não adianta ser gigante se não sabe lutar, não adianta ter mais equipamentos se eles não são superiores ao do seu inimigo, meu caro.

Robson Rocha

A Austrália cancelou um contrato bilionário em andamento para fabricação de submarinos convencionais franceses com transferência de tecnologia para comprar – em 2030 – cinco submarinos nucleares norte-americanos e, daqui a 17 anos, começar a receber submarinos nucleares de projeto inglês.
Com isso, obteve-se uma quebra de contrato, crise diplomática entre França, EUA e Inglaterra e atraso no recebimento de submarinos para substituição dos atuais no final de sua vida útil.
Tudo isso para a Austrália se proteger de seu maior parceiro comercial, a China.

J.Leo

A Austrália na pandemia, não renovou os vistos de trabalho, para a maioria de estrangeiros que viviam no país, a consequência foi o esvaziamento da mão de obra qualificada no país, o que está causando uma crise de cerca de 60% na demanda trabalhista, com várias empresas tendo de fechar ou reduzir drasticamente suas produções ou negócios. De cada 10 estudantes universitários estrangeiros que viviam na Austrália, 6 eram chineses, todos foram obrigados a retornar a seus países, imposição do governo da commonwealth. Consequentemente às medidas que o governo australiano tomou contra a pandemia, acrescentando o imbróglio militar, ora em… Read more »

Franz A. Neeracher

Os franceses queriam cobrar por um SSK um preço superior a um SSN.

O contrato foi desfeito, e como combinado a Austrália pagou a multa milionária estipulada no contrato.

E a vida continua.

Augusto

Burros pra caramba esses Australianos hein, trocaram um submarino convencional para um nuclear e ainda irão participar da pesquisa e desenvolvimento de uma armas mais sofisticadas do mundo pagando quase o mesmo valor.

Muito burros mesmo. Eles tinham que vir aqui no Brasil e aprender como e que se faz.

Leandro Costa

Tenho um amigo que mora na Austrália desde 2018 trabalhando lá numa boa e teve seu visto renovado tranquilamente. Talvez não seja o padrão, mas ele e outros estrangeiros que inclusive moram com ele não tiveram qualquer problema durante a pandemia.

Dalton

Alemanha e URSS também foram grandes parceiras…em 1939 ! Todo o mundo faz negócios com a China, isso não significa que “confiem” nela ou sintam-se “seguros”. . Neste mês está fazendo 5 anos que o Vietnã permitiu a visita de um NAe dos EUA o USS Carl Vinson, considerado um dos símbolos do poderio militar, mas, navios menores já vinham visitando o país há mais tempo e as Filipinas até ensaiaram uma aproximação com a China, mas, voltaram atrás e restabeleceram acordos com os EUA por conta de uma percebida agressividade chinesa. . Austrália e França já puseram uma pedra… Read more »

ADM

Achei que iam comprar os “Astute”.

Augusto

Eu jurava que os Virginias eram superiores aos Astutes, mas comparando os dois eu iria querer o Astute, kkkkk.

Franz A. Neeracher

Ambos são excelentes!!
Os “Virginia” possuem mais armamentos, por isso são maiores e possuem uma tripulação maior o que aumenta os custos…..
Ambos possuem vantagens e desvantagens…..

Dalton

A partir do futuro USS Arizona sim Franz, serão 4 tubos de torpedos, dois silos para 6 Tomahawks cada e 4 silos adicionais para 7 Tomahawks cada ou 25 torpedos e 40 “tomahawks” ou 25 torpedos, 12 Tomahawks e 12 mísseis maiores hipersônicos. . Um “Astute” pode hoje levar o mesmo armamento que um “Virginia”, 37 armas torpedos e “tomahawks” lançados por 6 tubos de torpedos contra 25 torpedos lançados de 4 tubos de torpedos e 12 “Tomahawks” de silos verticais a vantagem em teoria é que a sala de torpedos maior dos Astutes permite que se tenha um número… Read more »

ADM

O excelente diagrama do tempo de permanência dos SSK/SSN nas ZP, próximas aos estreitos, permite projetar como será a campanha submarina frete as LCM chinesas em um futuro conflito EUA (e aliados) x China…

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, uma das melhores partes da matéria.

M4l4v|t4

Toda a história dos submarinistas do EUA na Segunda Guerra foi construido naquele Teatro de Operações que compreende a Austrália até o Mar da China. Ali é um quintalzinho da US Navy onde não se abre mão de ter uma Austrália com uma força submarina forte o suficiente para, sozinha, negar aquele TO para a China.

Alexandre Galante

Não vai conseguir negar, porque a força submarina chinesa é maior e vai aumentar muito em número, com submarinos nucleares de nova geração. A China ampliou seu grande estaleiro de construção de submarinos.

comment image

Last edited 1 ano atrás by Alexandre Galante
Rafael

Vou copiar esse comentário e utilizá-lo em matérias sobre a obra de igreja radioativa de uma certa marinha terrestre. Se o raciocínio vale para um, vale para o outro. Principalmente se avaliar a capacidade e a qualidade de ambos os projetos.

Victor Filipe

E la vai eu tomar uma enxurrada de negativação da torcida organizada chinesa, mas bora la. Certo, a china tem vários submarinos isso é um fato e são modernos também. mas a maioria esmagadora da frota deles é de submarinos Diesel Elétricos que não chegam a ter 1/3 da tonelagem de um submarino classe Virgina que a Austrália está comprando. Qual a diferença em efetividade de combate entre os dois? não sei, e duvido que alguém aqui saiba porque se souberem as agencias de inteligencia da China e EUA vão querer ter uma palavrinha com essa pessoa. mas oque da… Read more »

Alexandre Galante

Em 2040 a China deverá ter 16 SSNs ou mais, poderá colocar cada um deles atrás de cada SSN australiano e ainda vão sobrar 10.

Victor Filipe

se a Austrália lutar contra a china Sozinha eu prometo nunca mais comentar nesse site.

Alexandre Galante

Imagine quando começarem a produzir SSNs igual a pãozinho quente nesse estaleiro chinês:

comment image

Victor Filipe

Bom, vai ser só depois de 2040 né? segundo a sua própria afirmação.

Até o custo de manutenção da frota chinesa vai começar a pesar e é ai que a gente vai ver se eles vão conseguir manter o ritmo de construção atual.

Agora, Quantos Virginas os EUA vão ter até 2040? atualmente eles tem 21 com o 22 entrando em serviço agora.

André Macedo

“Aí é que a gente vai ver”…
Foi a mesma história com a tal bolha chinesa uns 20 anos atrás kkkkkkkkkk

Maurício.

Se um dia, Austrália, EUA, UK e França entrarem em guerra aberta contra uma China, eu também prometo, nunca mais eu comento na trilogia.

Jodreski

Eu tb prometo pq possivelmente a internet vai deixar de existir, se sobrar caneta BIC já vai ser motivo para comemorarmos.

Underground

A China está produzindo muito, mas na hora que toda essa tonelagem tiver de ir para revisões, modernizações, daí quero ver.

Luís Henrique

e verá. A China só investe 2% do PIB em defesa, caso percebam que precisam de mais podem aumentar para 3 ou 4% do PIB que é o que os EUA investem.
É engraçado como muitos brasileiros citam este mantra de “ter não é operar” e se esquecem que para ter custa muito mais. Isso só pode ser fruto da histórica aquisição de equipamentos usados pelas nossas forças armadas, pois o equipamento vinha relativamente “barato” e depois não se conseguia operar efetivamente com um orçamento totalmente engessado com pagamento de inativos.

Matheus

Pra isso servirão as inúmeras bases chineses ali na região do Pacífico rs

Victor Filipe

Base aérea servindo Submarinos

Primeira vez que vejo isso.

carvalho2008

Mestre Victor Felipe,

Para responder, basta refletir o que já é de conhecimento medio.

Subnuke em linhas gerais, desempenha melhor em guerra oceanica ou Litoranea?

SSK em linhas gerais, desempenha melhor em guerra litoranea ou Oceanica?

Agora acrescente a 3a pergunta:

  • Uma guerra no mar do Sul da China, tem caracteristicas mais oceanicas ou litoranes?

OK?

Agressor's

Enquanto a europa vivia na barbárie e os eua nem existiam, a China já era um país e uma região muito mais avançadas do que as demais. O avanço do colonialismo europeu levou a China a miséria e degradação mas, esses 100 anos decadentes não apaga uma cultura milenar. EUA e Europa menosprezaram o currículo Chinês!

Tecnologia de ponta, ciência, educação de altíssima qualidade no mundo…Um país moderno e ainda tem gente que não vê isso….

Last edited 1 ano atrás by Agressor's
Ildo

A China é um civilização de milhares de anos mas “parece” para alguns que existe apenas há algumas décadas…

O básico para se entender a China atual é começar pela última dinastia, Qing, que durou quase 3 séculos…

Apenas uma guerra civil no século XIX deixou 30 milhões de mortos…

Mas depois do terrível século da “vergonha” (segundo eles mesmos) a China está retomando o seu protagonismo histórico.

Em suma, o mundo está se ajustando geopolíticamente depois de 2 séculos de colonialismo e imperialismo ocidental…

M4l4v|t4

As perspectivas são alarmantes. Vai brotar SSN chinês que nem pitanga.
Mas o EUA faz certo: tem que mirar a Lua para acertar o topo do edifício. E uma força submarinista australiana forte é fundamental

Last edited 1 ano atrás by M4l4v|t4
Jagdverband#44

Caro editor, quantidade não significa nada hoje em dia.
Dê uma olhada no conflito atual na Ucrânia.
Milhares de MBT/APC/etc russos e a guerra se estende há mais de um ano.

Luís Henrique

Justamente a guerra na Ucrânia prova que a quantidade significa muito. Caso a Ucrânia fosse um exército moderninho padrão europeu, com 200 MBT no estado-da-arte, 100 obuseiros no estado-da-arte, 10 Fragatas no estado-da-arte, 6 submarinos no estado-da-arte, 100 caças no estado-da-arte e cerca de 80 mil soldados, sem sistema de serviço militar obrigatório pois isso não deve existir em democracias e com reserva pequena, a Ucrânia já teria perdido essa guerra há muito tempo. Mas como a Ucrânia tinha 250 mil soldados, mais uns 800 mil na reserva, cerca de 1.000 MBT, cerca de 2.000 obuseiros e conseguiu receber muitos… Read more »

carvalho2008

ée….bom ponto….mestre Henrique….

Luis Carlos

Exato.
A quantidade está fazendo a diferença.
Agora vc imagine isso multiplicado por muito, muito mais.
Pois é!
É a China.

Peter nine nine

A Ucrânia foi agredida em 2014, teve oito anos a operacionalizar a sua forca o melhor que podia com o que tinha, lhe iam dando e comprando. Principalmente, estava calaramente preparada para gerir e ativar uma mobilização capaz de absorver centenas de milhares de homens. A defesa da Ucrânia não foi preparada na véspera da invasão de fevereiro. O país europeu moderninho padrão que refere, com oito anos de preparação, veria uma expansão de sua força até de forma natural, em números principalmente, mas, assim como na Ucrânia, com a reativação de equipamento estocado e não só, como qualquer outro… Read more »

Agressor's

Sai a Europa entra os EUA, sai os EUA entra a China….

Vamos todos aprender a falar chinês urgentemente!

Maurício.

“Ali é um quintalzinho da US Navy.”

Eu nunca entendi muito bem esse papo de “quintal”, e pelo que já vi em anos de trilogia, esse papo de “quintal” muda de acordo com o gosto do freguês, levando em conta que alí é um quintalzinho da US Navy, a Ucrânia seria um quintalzinho da Rússia? 🤔

m4l4v1t4

Infelizmente sim.

Nenhuma marinha conhece melhor aquela região do que a US Navy, do leito submarino ao clima. Assim como também ninguém consegue projetar poder naquela região como eles, desde os anos 20 do século XX.
Gasta-se muito do dinheiro do contribuinte norte-americano para manter acesso a bases e portos por toda aquela região. E eles fazem isso desde que o Império Britânico deixou de o fazer.

Luis Carlos

Não vai negar nada e mesmo assim, a importância estratégica da China é a Ásia Central.
E tem todos os caminhos terrestres possíveis.
Quem domina a Ásia Central, domina o Mundo.
E garanto para vc que China e Rússia estão mandando e desmandando por lá.

Dalton

Apenas os 10 primeiros “Virginias” possuem 12 silos para “Tomahawks” como mostrado no gráfico. Os subsequentes possuem 2 silos maiores capazes de abrigar cada um 6 mísseis e também passaram a ter o sonar de formato esférico na proa usado desde a década de 1960 substituído por um em forma de ferradura, mais eficiente. . Outras melhorias tem sido testadas e vão sendo agregadas a unidades mais antigas quando estas passam por um período de revitalização, mas, a maior novidade virá com o futuro USS Arizona que terá um comprimento maior e quatro grandes silos adicionais capazes de abrigar 7… Read more »

Rafael

A mídia especializada anglo-saxã tem se divertido com cada fonte dando um modelo como o escolhido, o cara do Covert Shore já desistiu até.

A Classe Astute tem um porém bem específico: o lançamento “horizontal” do Tomahawk. Quando o último Seawolf for retirado de serviço, só a Royal Navy utilizará essa versão específica do míssil de cruzeiro. Talvez o melhor dos mundos seja a participação no projeto do futuro SSNR, um “hunter killer” com o VLS, menos grandioso que os modelos da USN, mas aí, teria que trabalhar uma solução paliativa.

Dalton

Veja Rafael que foi anunciado que o sucessor do Astute poderá ter um “VLS” também
então até a retirada de serviço do USS Jimmy Carter lá por volta de 2040 se deverá ter
o primeiro “sucessor” em vias de entrar em serviço não resultando portanto em um espaço de tempo muito longo entre se ter essa capacidade de “lançamento horizontal”.

Allan Lemos

O orçamento militar da Austrália é menor do que o do Brasil, sua marinha tem apenas 15k homens. A Austrália precisa defender 25000km de costa, o Brasil, 7400km. Essa notícia é um belo tapa na cara a todos os que ficam falando que o nosso problema é o orçamento e que ainda tentam justificar a MB ter 80k homens. Imaginem o dinheiro que sobraria se tivéssemos uma marinha enxuta com apenas uns 20 ou 25 mil homens. Não me importa a ideologia, só queria uma presidente com coragem e disposição para acabar com a farra das forças armadas com o… Read more »

Dalton

A Austrália não tem fronteiras terrestres nem uma enorme população vivendo a beira de rios que dependem da marinha e também de fuzileiros navais que ao contrário do que se pensa não existem apenas para desembarques em praias distantes. . Um tio já falecido que foi fuzileiro naval costumava me dizer que um fuzileiro naval faz o que um conscrito do exército faz, mas o inverso não ocorre, daí ser uma vantagem ter um robusto Corpo de Fuzileiros Navais, tropas mais profissionais. . A marinha também age como Guarda Costeira, é responsável por meios de pesquisa enquanto outras nações tem… Read more »

Dalton

Esqueci um detalhe…Austrália é um dos países onde falta pessoal…inclusive na força de submarinos. Outros países considerados “enxutos” que pretendem aumentar seus efetivos e/ou que constantemente reclamam de falta de pessoal são Alemanha e Itália conforme li pouco tempo atrás.

Allan Lemos

Uma coisa é você contratar mais marinheiros porque você também está planejando em ter mais navios, outra coisa é contratar marinheiros sem ter os navios, que é o caso da MB.

Dalton

O que você chama de “contratar mais” pode muito bem ser visto como
repor perdas em áreas essenciais.

Allan Lemos

Caro Dalton, a Royal Navy tem 35k homens, a Marinha da França, 37k. Duas marinhas de águas azuis.

Esses 80k só seriam úteis se a MB tivesse no mínimo o quádruplo de meios navais que possui hoje.

O fato da Austrália ser um continente-ilha só torna a situação da MB mais embaraçosa, já que a lógica é de que um país nessa situação teria muito mais pessoal na marinha do que nas forças terrestres.

Vigiar a pesca ilegal não é papel de uma marinha de guerra. Realmente, 80k é completamente injustificável, seriam uma força nula em caso de guerra.

Dalton

Allan, até mesmo “Arleigh Burkes” que não estejam próximos de serem enviados novamente ao exterior são empregados para auxiliar a Guarda Costeira, assim como fizeram as fragatas classe Oliver Perry e mais recentemente os LCSs ! . O Brasil não tem Guarda Costeira então até lá, a marinha precisa sim, fazer o papel de uma, prestar apoio a milhares de ribeirinhos, fazer pesquisas, etc . Você cita números, mas, a Royal Navy, outra que se queixa de falta de pessoal é apoiada por Guardas Costeiras dos países do Reino Unido e conta também com navios auxiliares e navios anfíbios tipo… Read more »

Velho Alfredo

Qual o efetivo deles em Guarda Costeira daqueles minúsculos litorais? efetivo em Autoridade Marítima? Nas redes fluviais?

Vc iguala Michael Jordan com Ana Hickmann pela altura…. vc vai se decepcionar….

carvalho2008

É uma boa pergunta…mas sei que o Japão tem 12 mil homens dentro de sua guarda costeira……

Andrey

Pq não pedem tb para acabar com a farra de deputados federais,senadoes,juízes,desembargadores,ministros de tribunais superiores,procuradores e os 37 ministérios?
Essa lorota de que não temos FAs fortes pq temos um número grandioso de militares é a mais pura falácia,os problemas são mais em cima e tb da mentalidade dos oficiais superiores das FAs e os que mencionei .
Vc lei ou viu a entrevista do deputado Luiz Phellipe ,ele disse muitas verdades sobre as FAs,doa a quem doer.

Allan Lemos

Pq não pedem tb para acabar com a farra de deputados federais,senadoes,juízes,desembargadores,ministros de tribunais superiores,procuradores e os 37 ministérios?

Não me venha com “whataboutism”. Esse não é o assunto sendo debatido nessa matéria.

Essa lorota de que não temos FAs fortes pq temos um número grandioso de militares é a mais pura falácia

Passador de pano, veja o percentual do orçamento militar é investido em P&D e em novas aquisições nas potências militares e compare o com o do Brasil.

Andrey

Não venha com termo em inglês para continuar com a mesma lorota e narrativa falsa,os problemas são complexos e não esse discursinho canhoto de que a Austrália tem uma marinha com 20 mil e nos com 80 ,será que eles têm um judiciário e um legislativo igual ao nosso? Duvido.

Allan Lemos

“Whataboutism” é a técnica, muito usada na URSS, de desviar de uma questão ao apontar para uma outra questão que não tem nada a ver com o tópico debatido, acusando o adversário de uma suposta hipocrisia, como se as duas questões fossem equivalentes independentemente do contexto, que é exatamente o que você está fazendo. Ninguém está falando do Judiciário e do Legislativo aqui, esse não é o tema da matéria e nem o do meu comentário. Uma coisa não tem absolutamente nada a ver com a outra, até porque se o orçamento deles diminuíssem, não há garantia nenhuma de que… Read more »

Esteves

Gastos com pessoal não significa necessariamente uma relação com a quantidade. Nossos aposentados militares são promovidos quando passam para a reserva. As pensionistas recebem 100% do benefício incluindo extras como promoções e gratificações como se o falecido não Tivesse falecido. Benefícios próprios da vida ativa como isonomias e extras para gabinetes seguem sendo pagos, apesar de constituirem incentivos a uma carreira que não existe mais. Vantagens como motorista, garçons, seguranças, veículos, combustíveis, moradia…seguem sendo pagas aos inativos. Judiciário, Executivo, Legislativo, Estatutários…o problema é o excesso que vai virando um caminhão de terra. Hoje aprovaram pensão para filhos das vítimas de… Read more »

Santamariense

Só um pitaco, sem entrar na discussão de vocês: salvo engano, já há algum tempo que os militares não são mais promovidos ao primeiro posto acima quando vão para a reserva.

Last edited 1 ano atrás by Santamariense
Esteves

Acontece nos estados.

Santamariense

Ah, bom. Mas, aí sai da discussão. As PM’s nada tem a ver com o orçamento do Ministério da Defesa.

Esteves

Dinheiro público é um. Quando falta para os municípios, vão pedir à União. Quando não tem nos estados, fazem empréstimos com aval da União. O empoderamento dos municípios veio da CF de 88. Aqui foram pedir pra CEF dinheiro pra desapropriação. Administração pública é uma. Se falta aqui, vai faltar de onde tiraram pra tapar o buraco aqui. O orçamento público no Brasil é regime de caixa. Tem a grana que está no Tesouro. Não tem grana no Tesouro, não tem grana no país, independente se algum municipío tá bacana. Quando chegarem as transferências para a municipalização dos recursos da… Read more »

Santamariense

Esteves, tu está te afastando do assunto. Não mistura as coisas. No teu primeiro comentário tu colocou que as FFAA tem promoção quando o militar vai para a reserva. Eu falei que não. Então, tu colocou as PM’s na discussão. Questão de orçamento federal e estadual não vem ao caso nessa discussão. Se assim for, vamos ter que discutir aqui o orçamento geral e quanto vai, ou não vai, para cada pasta, estado e município. As FFAA não tem mais promoção na Isa para a reserva. Ponto. O resto é assunto para outro tópico. E concordo que muitas coisas devem… Read more »

Velho Alfredo

Um boooommmm tempo

Velho Alfredo

Nossos aposentados militares são promovidos quando passam para a reserva

Vc acabou de me dar uma excelente notícia!!!!!! Vou correr atrás do meu direito!!!! Há anos fui pra reserva e não ganhei essa!!!!

Me diz qual o teu advogado!!! não…. pera ai….

Velho Alfredo

As pensionistas recebem 100% do benefício incluindo extras como promoções e gratificações como se o falecido não Tivesse falecido.

Hã???? Como é???? Não sabia dessa também!!!

Andrey

Entao faz assim,já que vcs batem na mesma tecla de que o problema das FAs é o mega efetivo, e que comparada ao da Austrália que tem mais armas e menos efetivos,lutem para não termos mais FAs e seguirmos o exemplo da Costa Rica ,Panamá e etc.
E continuemos cada vez mais aumentando o número de deputados,senadores ,juizes,desembargadores,procuradores e ministros.

Augusto

Andrey, ao invés de sermos radicais e lutar pelo fim FAs, porque não lutamos para ter um mais enxuta e mais eficiente? E me desculpe colega entre ter FAs e ter essa ai que temos não está muito longe disso não.

Com relação ao aumento dos deputados e juízes, realmente e um absurdo, tem que ter cortes lá também. Aonde tem instituição publica tem um ou outra mamando na teta do estado. Precisamos de um reforme administrativa urgente em todos os setores públicos, chega de dar cabide de emprego com quem não está comprometido com sua função.

Augusto

O pessoal está querendo defender algo que indefensável. Nada justifica uma marinha de 80.000 homens que não tem navio.

O problema do Brasil e que aqui cada um aqui só olha para o próprio umbigo.

Rafael

Sua raivinha e descontrole não escondem sua total ignorância sobre a realidade financeira e orçamentária do país. As benesses dos outros poderes praticamente não influem imediatamente ou diretamente nas forças desarmadas. Agora, as improbidade dos oficiais, isso sim contribui.

Andrey

Minha raivinha,vc é idiota ou se faz?
Vá pesquisar os gastos de ativos e pasdivos de deputados,senadores,juizes,desembargadores e ministros,vcs da canhota vêm há muito tempo com os mesmos discursos contra as FAs,qual o interesse ninguém sabe.
Mas a falácia de que o maior problema é o efetivo ,isso é a maior mentira ,a Grecia tem 40 mil marinheiros e outros com dimensões bem menores num patamar alto.
Então dizer que temos um super efetivo é só mais uma mentira dos de sempre.

Fernando "Nunão" De Martini

Rafael e Audrey, pedimos que sejam minimamente educados um com o outro.

Menos “raivinha” prum lado e “idiota” pro outro.

Dá pra debater perfeitamente sem se atacarem com essas bobagens.

Ildo

Nossas FAs tem o mesmo problema na cúpula (oficialato) que nosso judiciário e legislativo…

A imensa parte do “gasto com defesa” do Brasil é despesa com pessoal…

Luís Henrique

As potências militares investem pelo menos 2% do PIB em defesa. A média mundial é 2,4% do PIB. Os EUA investem quase 4%. A Rússia investe mais que isso. Israel muito mais. Arábia Saudita as vezes investe até 10% do PIB. Aprove uma lei obrigando um orçamento mínimo de 2% do PIB para as forças armadas brasileiras. Nosso orçamento em 2022 foi de R$ 116 bi, nosso PIB chegou em R$ 9,9 trilhões. Com 2% do PIB teríamos R$ 200 bi de orçamento militar ou U$ 38,8 bi. Com este orçamento, ainda estaríamos abaixo da Coreia do Sul com cerca… Read more »

Velho Alfredo

Em quantos lugares, dá pra alguém realizar uma operação anfíbia e chegar em algum lugar que preste na Austrália? Quem tem capacidade de realizar uma operação anfíbia na Austrália com, pelo menos, um Corpo de Exército, e lutar contra o exército australiano que é de uma divisão na ativa e pode chegar a um Corpo de Exército com mobilização? Vc chegará a conclusão, se conhecer o assunto e pesquisar, que somente os EUA, se empenhar a Força de Prontidão dos Marines, do Atlântico e Pacífico, consegue, com considerável risco na operação, de fazer essa operação. EUA____maior aliado australiano….. Aí, depois… Read more »

Dagor Dagorath

Esses submarinos da classe Virginia viriam da frota da USN, ou perdi algo no texto?

Dalton

Ainda precisa confirmação, mas, o que entendo é que a US Navy não pode dispensar submarinos seus por conta de que a força de submarinos está em declínio já que um número maior de Los Angeles estarão dando baixa e um numero menor de Virginias
entrando em serviço, então, serão construídos submarinos adicionais nos EUA que já possuem toda a infraestrutura que receberá investimentos australianos e britânicos para isso acontecer.

Victor Filipe

Vão ser construídos do zero.

Dagor Dagorath

Grato pelas respostas!

BK117

Brasil: “Tô desenvolvendo um subnuc, vou usar enriquecimento baixo e fazer da forma mais transparente e dentro da legalidade!”
Eles: “Pra what? You não have necessidade, we não vamos ajudar, e we will avacalhar.”
Austrália: “Tô querendo uns subs…”
Eles: “Forget subs convencionais, toma 5 subnucs and if you precisar we manda mais, bb!”

Tudo dentro da normalidade…

Dalton

O “enriquecimento baixo” também é adotado pelos franceses que enxergam vantagens
então não se trata de transparência e legalidade e sim uma opção.
.
Há décadas à Austrália fala em ter submarinos de propulsão nuclear e não fosse pela
ascensão chinesa e os riscos decorrentes ao menos na visão do governo, nem EUA nem Reino Unido estariam disponibilizando a tecnologia e provavelmente à Austrália estaria bem servida com os submarinos franceses que pretendia construir.

BK117

Caro Dalton, obrigado pelas informações. Interessante a questão do enriquecimento do combustível dos franceses, pesquisarei mais sobre. Na questão da transparência e legalidade, outros fatores podem ser citados, como a constante participação com agências internacionais de energia nuclear. Quanto aos subs australianos, a China é o grande fator decisivo, mas, mesmo assim, me pareceu uma decisão extrema. Os australianos poderiam operar os convencionais, com tecnologias que permitam maior permanência no mar (claro, sem querer comparar com um nuclear), enquanto desenvolve um nuclear, necessário para a localização da Austrália, como os colegas comentaram abaixo. Imagino que aquelas águas estejam infestadas de… Read more »

Last edited 1 ano atrás by BK117
Dalton

Depende do que você considera “infestadas de subs da OTAN” BK 117, pois na verdade raramente se vê um SSN francês ou britânico por aquelas bandas e os EUA tem boa parte de sua força de submarinos baseada no Atlântico inclusive pelo menos 3 SSNs da Frota do Pacífico foram enviados a estaleiro do Atlântico para revitalizações por conta de estaleiros no Pacífico estarem assoberbados de trabalho ou seja há muitos em manutenção sempre. . A força de SSNs da US Navy encontra-se em declínio por conta de uma decisão mais de 20 anos atrás de se encomendar apenas um… Read more »

BK117

Obrigado pelos esclarecimentos, caro Dalton!

Esteves

Os novos submarinos franceses serão “compactos”. Pouco mais de 5 mil toneladas e 99 metros de comprimento. Mas o reator deve assegurar energia e funcionamento para todo o ciclo de vida útil do navio.

O nosso reator do nosso submarino estará limitado a fornecer energia para 4 anjos devendo ser recarregado nesse período para que o navio complete o ciclo de vida estimado em 25/30 anos.

Certo?

Dalton

Os novos SSNs franceses precisarão ter seus reatores “reabastecidos” a cada 10 anos, uma melhoria considerando os anteriores classe “Rubis” que necessitavam de “reabastecimento” a cada 7 anos, agora em fim de carreira. . Não há grande problema nisso, já que aproveita-se um período de revitalização do submarino para o “reabastecimento” ou seja o submarino estaria indisponível do mesmo jeito, não há perda no desempenho, ao menos não significativa e os franceses pouparam recursos não investindo no “alto enriquecimento” além de comprarem no mercado civil de suas usinas nucleares. . O Brasil optou também pelo “baixo enriquecimento” exigindo “reabastecimentos” a… Read more »

Marcelo Andrade

Como bem disse o mestre Felipe Salles: A Austrália quer ser diferente em tudo!!! Não basta uma fauna que só existe lá, em matéria de Defesa é tiro pra todo lado!! Que ótimo que eles podem disperdiçar dinheiro!!!

Régis

Agora falta somente o governo australiano anunciar a aquisição de um Nae de porte médio equipado com F-35Bs. Isso vai deixar os chineses PQP da cara.

Dalton

Adquirir não, o caminho mais fácil seria modificar os 2 LHDs de quase 30.000 toneladas baseados no espanhol “Juan Carlos I” para operar o F-35B, de maneira similar ao que os
japoneses estão fazendo com os dois navios da classe Izumo.
.
As chances disso ocorrer são mínimas, pois a compra mesmo de apenas duas dezenas de F-35B mais equipamento e treinamento associados, mais às modificações necessárias em ambos os navios seria demais para o orçamento que deve priorizar SSNs.

Eduardo Angelo Pasin

Um izumo com rampa seria um sonho, o problema é o preço.

Dalton

Exato, daí o caminho mais fácil ser adaptar os 2 LHDs já existentes, mas, mesmo isso não cabe nos planos.

Eduardo Angelo Pasin

Mais as instalações para dar apoio, navios de escolta e os navios de apoio logístico

sub urbano

Australia não tem bala na agulha para 5 Virginias. A proposta francesa era muito melhor com 12 diesel eletricos com AIP q seriam os Suffren sem reator nuclear, q são praticamente a mesma coisa dos Scorpene, o Alvaro Alberto é um scorpene esticado com um reator nuclear. O custo de manter 5 virginias daria pra ter uns 30 submarinos convencionais.

Esteves

Veja o mapa da matéria. Não dá pra sustentar a opção de submarino diesel olhando para essa imagem. E olhando para o futuro quando a China Estará melhor do que hoje Está e que nunca Esteve.

Quem será melhor para sair-se vencedor de um futuro conflito saberemos quando acontecer.

A posição geopolítica da Austrália é a mesma de uma pedra no meio do caminho.

comment image?w=455&zoom=2

Last edited 1 ano atrás by Esteves
Dalton

O acordo inicial entre australianos e franceses para 12 grandes SSKs começou em
US$ 41 bilhões de dólares com um máximo estimado de até 50 bilhões e quando extinto estava na casa dos US$ 90 bilhões !
.
Adquirir 8 SSNs aos invés de 12 grandes SSKs ainda será mais caro mas não como
muitos pensam e serão muito mais eficazes no TO destinados a eles.

Esteves

Muito mais.

sub urbano

o pacifico é gigante msm.

Esteves

Está diminuindo assim como o Atlântico está aumentando. Daqui 300 ou 360 milhões de anos o Oceano Pacífico deve fechar.

Ai…quero ver neguinho brigar por conta de mar.

Augusto

kkkkkkkkk

Maurício.

Pelo visto, não foi só os franceses que se deram mal nessa “parceria” chamada aukus…

VIctor Carvalho

Isso então significa que a Austrália abriu mão de construir seus submarinos nucleares em casa?

Alguns diziam que a Austrália construiria antes do Brasil. Aparentemente desistiram….

Guilardo Pedrosa

Qualquer um construiria antes do Brasil. O “nosso” subnuc demandará ainda uns 60 anos ou mais. Pode ser até que já não exista uma civilização, destruída por uma guerra nuclear. Tal guerra nos pegará desprevenidos, pois estaríamos no estaleiro dando polimento no casco do Álvaro , antes do lançamento ao mar.

Um Simples Brasileiro

Curioso como na área militar, a Austrália sempre faz mais com menos que o Brasil…

Mengao

Europa, EUA, Canadá, Austrália e Nova Zelândia = Ocidente
Não de acordo com a minha opinião, mas definido pelo próprio Ocidente…
Brasil = América Latina.
Aí a conversa é outra por parte do tio Sam, sabotam de tudo que é jeito, pois pela antiga doutrina dos EUA o Brasil e América Latina tem que ser “quintal” dos EUA, olham como se fossem donos. E muitos no Brasil daquele jeito parece implorando um afago….
O mundo inteiro sabe disso…rs

Dalton

Você simplifica muito. Durante a II Guerra, por exemplo, Brasil e EUA tiveram um inimigo em comum que foi à Alemanha, enquanto hoje não se pode dizer o mesmo já que o Brasil não está disposto a envolver-se em conflitos que não lhe dizem respeito e muitas vezes tem discordado dos EUA e outros como recentemente permitindo à visita de dois navios da marinha de guerra iraniana. . O Brasil não é uma ameaça aos EUA, somos até mais parecidos com eles do que outras nações com quem o Brasil mantém boas relações, além do mais o Brasil encontra-se distante… Read more »

Nilo

Engane mestre, o Brasil, é um potencial ameaça, mas adormecido, por grupos de militares que preferem a subserviência com engodo de patriotismo e luta contra comunismo. Um grupo de militares embotados, que perderam o vigor, assimilando a doutrina Americana para A.Sul, neste contexto de discussão, que é tema de comentários acima, sobre o que vem a ser a verdadeira ameaça e contra o que os EUA luta e tem como objetivo fica para leitura, e sugiro até como artigo a ser publicado aos editores (Nunao):
https://foreignpolicy.com/2023/03/07/america-is-too-scared-of-the-multipolar-world/

Last edited 1 ano atrás by Nilo
Esteves

Assim pois, Nilo. Quem faria um mundo pior? Pior, em um mundo multiproposito, multilateral, significa exatamente o que? Que deveríamos abandonar as práticas de consumo? Que as marcas em um país que consome marcas como a França ou a Itália perderiam valor comparadas com produtos? O Nunão poderia produzir uma matéria sobre esse unilateralismo e essas escaladas dos países que desafiam o dólar, mas o Nunão só pensa em navio. Tu viu? Tu viu? As tentativas do Nunão? Depois correu. Disse o que disse, corrigiu o que viu e saltou de volta pra moderação sem comprometer-se com a atualidade…com esse… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Esteves
Nilo

Precisamos do Nunão, precisamos de navios. Precisamos da razão, então precisamos da filosofia, que é o conhecimento intelectual.
A MB assim como as outras forças perderam a razão de “o ser” “´´e sua finalidade constituida”. O que ficou, “patriota” “Patria e Deus acima de tudo”, uma narrativa vazia, oca.

Esteves

Time que bota o R Caio em campo não merece ser chamado no superlativo. Mas se o sujeito não joga não dá pra passar o bonde adiante.

A vida é assim. O boicote ou as sabotagens dependem mais de nós que dos outros.

Nilo

Amigo boa noite

Esteves

Nilo,

Saúde e Paz. Viu a uva, ops, viu o vinho do Bueno? Não do Galvão. Aquela vinícola tá falida. O Bueno historiador. Viu?

Escra Vinho. Esteves não acha graça. Mas é a vida.

Esteves

Bom dia, Nilo.

Esteves tá com a bronquite atacada. Vou procurar erva pra cha ou xarope de caraguatá.

A Fofinha diz que a bronquite ataca o Esteves porque o Esteves é muito chato.

Bom dia, Nilo.

Bruno Vinícius

Se o Brasil fosse tão alinhado aos EUA quanto a Austrália, lhe garanto que também teríamos mais afagos por parte do Tio Sam. Fato é que nossos representantes eleitos chegaram a conclusão de que é melhor nos mantermos não alinhados. Logo, não dá para culpar os americanos por não nos tratarem como tratam seus aliados de primeira ordem (afinal, por escolha própria, não somos).

Esteves

Afagos…

Isso parece falta de um X bacon salada com hambúrguer de 200 gramas + chopp Ipa.

Aliados naturais são ingleses e suas colônias, franceses, suecos, canadenses. Outros como italianos, alemãs, japoneses, OTAN…são compromissos e oportunidades.

O Brasil precisa construir-se.

Bruno Vinícius

Eu não fiz juízo de valor sobre a posição adotada pelo Brasil nas suas relações internacionais. Apenas apontei as consequências dela para nossa relação com os americanos.

O que não dá é querer reclamar que os americanos não nos tratam como tratam a Austrália quando o Brasil, sabidamente, não é – nem nunca foi – aliado de primeira ordem dos americanos.

P.S. o aliado mais antigo dos ingleses é Portugal

Last edited 1 ano atrás by Bruno Vinícius
Esteves

A “ranço” se é que existe, é consequência dos anos da guerra fria que culminaram em regimes militares por todo o continente, apoiados pelos norte-americanos.

Passou.

Não faz sentido não comprar petróleo da Venezuela e ir buscar óleo pior e mais caro no OM. Não faz sentido deixar as indústrias daqui ou aqui instaladas irem e/trocarem nosso país pelos países vizinhos.

Não faz sentido ficar de mal com gente latina e ir pedir socorro aos russos…incluindo socorro nuclear.

O Brasil é confuso.

Nilo

Precisamos nos livrar de vez da confusão rsrsrs

Esteves

País atrasado. País reacionário. Não foi somente o resto de Portugal que veio para cá. Foi todo o lixo da Europa.

Tem gente boa nascida aqui. Ainda não vi…mas tem sim.

Esteves

A Austrália foi colônia britânica. Ingleses.

Nilo

Agora é americana rsrsrs

Esteves

Aborígenes agora são Apaches!

Agressor's

A China exporta capitais mais produtivos e faz parceiras mais vantajosas(tipo acordos de cooperação tecnológica, como a recente cooperação entre a USP e a universidade de Shenzhen). O problema nas relações China x América Latina, é a forma como os latino-americanos se inserem nas cadeias globais de produção, com modelos econômicos extrativista-exportador(que herdaram do colonialismo ocidental) que não permitem esses países avançarem em cadeias mais produtivas e industriais! Mas isso já é questão de política interna dos próprios países latino-americanos. Se essas mudanças não forem feitas, a América Latina corre o risco de apenas mudarem suas órbitas dos eua para… Read more »

Esteves

Verdade.

Franz A. Neeracher

Um problema (entre outros) que a Austrália terá para resolver, é onde basear esses submarinos. Se o número final for de 5 ou 6 unidades, provavelmente todos serão baseados em HMAS Sterling na Ilha de Garden Island na costa oeste do país. Mas segundo algumas fontes, esse número pode subir para 8 submarinos…o que no caso faria sentido basear 4 em HMAS Sterling e outros 4 na costa leste. O problema é que a principal base na costa leste fica no centro de Sydney que possue um dos metros quadrados mais caros do mundo….além é claro dos protestos que irão… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Franz A. Neeracher
Esteves

A Costa Leste tem outros problemas.

Ao Norte a barreira de corais + as Ilhas Salomão que parece não é um assunto serenado. A Nova Zelândia próxima à Sidney pode ficar incomodada com coisas radioativas por perto. É mais longe da China.

A Nova Zelândia tinha renunciado à energia nuclear…depois iam pensar melhor. Ficaram de responder. Aquelas paisagens…do Senhor dos Anéis metidas em guerra…que tristeza.

Esteves

A China não precisa de tantos meios navais co o submarinos nucleares para sua expansão.

Desde 2019 a China é o país que mais solta gases. Deve ser culpa da quantidade de frangos que comem.

Quando Esteves menino era em BH, comíamos frango assado de padaria pra fazer guerra de gases na sala de TV.

comment image

Nilo

Seu argumento, China é um país em expansão, já reponde, a China irá expandir sim os seus meios navais, tanto em porta aviões como em subnuc, irá além do Mar da China, com bases e portos amigos em ampliação pelo globo. O Mar. Da China em cinco dez anos se tornara pequena para sua Marinha.

Esteves

Nilo,

Por que não querem deixar a China sair? Por que essa briga toda para conter a China? Por que?

Sabemos as respostas. Mas as respostas são humilhantes.

Vai, China!

André Macedo