Marinha do Brasil inicia Operação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) nos portos de Itaguaí, Rio de Janeiro e Santos

87

A partir da segunda-feira (6), militares da Marinha do Brasil (MB) atuarão nos Portos de Itaguaí (RJ), Rio de Janeiro (RJ) e Santos (SP) com o objetivo de combater o tráfico de drogas e de armas, além de outros crimes.  A medida faz parte da Operação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e ocorrerá até 3 de maio de 2024.

Com base no Decreto 11.765, de 1° de novembro, assinado pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, os militares das Forças Armadas realizarão ações preventivas e repressivas nas fronteiras, portos e aeroportos, em articulação com órgãos de Segurança Pública. A GLO concede poder de polícia aos militares para atuarem nessas áreas.

Para atuar nas áreas, serão empregados 1.900 militares da MB. A Força vai utilizar também 120 meios, dentre os quais, Navios-Patrulha, embarcações, Carros Lagarta Anfíbio, Viaturas Blindadas Piranha, além de Viaturas Blindadas Leves Sobre Rodas (JLTV), entre outros.

A atuação nos portos já faz parte do escopo de ações cotidianas da MB, mas com inspeções navais, que possuem caráter administrativo. A partir do Decreto da GLO, a Força Naval poderá efetuar o emprego de tropas, como explica o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen. “No que tange aos portos, a lei complementar nos confere uma atuação limitada ao apoio logístico, de inteligência, comunicação e instrução. Então, para que ocorra o emprego de tropas nessas áreas é necessário um decreto de GLO”, explicou.

Ações da Marinha

Por se tratar de infraestrutura crucial para o contexto econômico nacional, os portos nacionais, em especial os situados em Itaguaí, Rio de Janeiro e Santos possuem características de interligação que viabilizam o fluxo de mercadorias, o que atrai organizações criminosas, especializadas na condução do tráfico internacional de drogas e armamentos.

A estrutura desses portos contará com o apoio de 1.100 Fuzileiros Navais (FN) em ações como revista de pessoal e repressão a delitos. Neste sábado (4), Fuzileiros Navais e viaturas embarcaram no Navio Patrulha Oceânico “Apa” com destino ao Porto de Santos.

A MB também conduzirá ações na Baía de Guanabara (RJ), na Baía de Sepetiba (RJ) e nos acessos marítimos ao Porto de Santos (SP), reforçando o patrulhamento e a inspeção naval nas áreas marítimas adjacentes, em articulação com órgãos da segurança pública, como a Polícia Federal. Os militares atuarão embarcados. Cães farejadores também serão empregados.

Denominada “Lais de Guia”, a operação da MB faz referência a um dos mais conhecidos e utilizados nós, por ser de grande utilidade e confiabilidade. O nome simboliza união, representando a articulação e o trabalho conjunto que será realizado entre as Forças Armadas e outros órgãos de Segurança Pública.

De acordo com o Comandante da Área de Operações, Vice-Almirante (FN) Renato Rangel Ferreira, essa operação é diferente das outras já realizadas. “Esta Operação da Garantia da Lei e da Ordem tem dois aspectos que a diferenciam das anteriores. O primeiro é o que podemos chamar de uma GLO do Mar, acontece com ênfase no mar e nos portos, ao contrário de todas as outras que ocorreram. O segundo, é o forte caráter interagências, pois só acontece com a cooperação e participação da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, da Receita Federal e dos demais órgãos envolvidos com o controle dos portos e das águas interiores”, explicou.

Entenda o que é GLO

A operação de Garantia da Lei e da Ordem é realizada exclusivamente por determinação do Presidente da República, em área estabelecida e por tempo determinado. É prevista no artigo 142 da Constituição Federal, em casos quando há o esgotamento das forças tradicionais de segurança pública, como as estaduais Polícia Militar e Polícia Civil, em graves situações de perturbação da ordem. Normalmente, é decretada quando os governos estaduais pedem ajuda federal.

A GLO concede aos militares das Forças Armadas a atribuição de poder de polícia até o restabelecimento da normalidade, buscando preservar a ordem pública, a integridade da população e o funcionamento regular das instituições.

Atuação das Forças Armadas

As Forças Armadas atuam em operações de GLO desde a década de 90. A primeira aconteceu em junho de 1992, no Rio de Janeiro, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, a ECO-92, com objetivo de contribuir para a segurança pública.

Esse tipo de operação, também foi empregada na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20), em 2012; na Copa das Confederações e na visita do Papa Francisco a Aparecida (SP), em 2013; na Copa do Mundo, em 2014; e nos Jogos Olímpicos, em 2016.

No Rio de Janeiro, a última operação foi realizada entre 2017 e 2018, juntamente com Intervenção Federal. Diante do quadro de insegurança, as ações tiveram o objetivo de diminuir a criminalidade e fortalecer as instituições da área de segurança pública do estado do Rio de Janeiro.

FONTE: Agência Marinha de Notícias

Subscribe
Notify of
guest

87 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Burgos

Segundo a Receita Federal e outros órgãos de segurança, disseram que essa atual GLO de nada vai adiantar e não vai resolver muita coisa não.
O atual Comandante Supremo das FFAAS também falou que não quer membros das FFAAS nas favelas 🤔🤷‍♂️

Willber Rodrigues

E tá errado?
Todos nós sabemos que GLO e militar subindo morro pra trocar tiro com traficante só serve pra enxugar gelo ( no “menos pior” dos casos ) e aproximar militares com o crime organizado ( no pior dos casos ).

GRAXAIN

Fica tudo na paz… se não percebeu a favela já é o status quo das capitais brasileiras. Não precisa subir… basta abrir sua porta…

Willber Rodrigues

Sem ofensa, mas tem que ser meio ingênuo pra achar que o traficante “graúdo” e o “manda-chuva” do tráfico tão morando num barraco no meio da favela…

Allan Lemos

Todos nós sabemos que GLO e militar subindo morro pra trocar tiro com traficante só serve pra enxugar gelo

E?

Melhor deixar os criminosos aterrorizando a vida dos cidadãos de bem, né?

É lógico que é preciso outras ações para diminuir a criminalidade, como punições mais severas(o que essa turma também é contra, por sinal) e maior vigilância nas fronteiras, mas no curto prazo, é preciso eliminar os traficantes e milicianos que já atuam lá.

Willber Rodrigues

Usar militares pra combater crime organizado não deu certo em NENHUM lugar do mundo ( México e Colômbia tão aí pra provar o que eu disse ), então porque usar militares BR iria dar certo justo aí? Há formas bem melhores de combater o crime organizado do que mandando militares trocar tiro com bandido: o trabalho da FAB com a PF, com suas aeronaves de AEW é um bom exemplo de algo que funciona. Tirar o “grosso” do EB de grandes cidades e mandando-os pra fronteira, impedindo entrada de armas e drogas e tirando os militares e seus quartéis de… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Subir morro?

Pelo que entendi, esta GLO atual é restrita a portos e aeroportos.

O Apa, por exemplo, transportou viaturas para apoio no convoo e tropas também em seus alojamentos, para atuação na região portuária de Santos e entorno. E o navio vai atuar também na área de fundeio dos navios que aguardam entrada no porto, durante a GLO.

Camargoer.

Olá Nunão. Estamos respondendo ao Burgos, que criticou a decisão do governo federal de restringir as ações dos militares nesta GLO às operações de fiscalização nos portos e aeroportos, descartado as operações de invasão de favelas, que aconteceram no passado e fracassaram.

Fernando "Nunão" De Martini

Mas isso é uma “não questão” Se o escopo dessa GLO não inclui “subir o morro”, não há sentido em discutir isso por dezenas de comentários a fio, mesmo porque já percebi que muitos comentaristas nem leram a matéria, pois estão dizendo que será mais uma GLO do tipo que ocupa favelas etc. Ou seja, mais uma matéria em que os comentários entram num círculo vicioso de discussão paralelo à informação trazida pela mesma. Boa parte dos comentários não leva em conta o que está escrito na mesma, e que seria um bom ponto de partida para a discussão: “Esta… Read more »

Burgos

Pera aí !!!
Não fui eu quem falou isso não !!!
Não ponha as palavras na minha boca !!!
Foi o atual Presidente da República que falou !!!
Eu só postei o que li na internet!!!

Last edited 8 meses atrás by Burgos
bit_lascado

GLO pra inglês ver.

Sensato

Não foi por terem fracassado anteriormente que foram descartadas e qualquer um aqui sabe disso.

Willber Rodrigues

Sim, eu sei que os militares, esse ano, não vão “subir morro” pra trocar tiro com traficante, finalmente pararam de dar murro em ponta de faca com isso. Usei essa frase apenas como exemplo, mas vejo que foi falho, e só causou discussões em looping. No mais, ainda critico esse GLO, pois sabemos que ele tem data de começo e fim. Ajudaria muito mais se houvesse, de forma permanente, um centro de inteligência unindo as agências de inteligência de todos os órgãos de segurança do país ( FA’s, PF, PM’s estaduais, etc ), com troca em tempo real de informações.… Read more »

Camargoer.

Olá Wilber. Seu comentário sobre a FAB é correto, mas eu tenho dúvidas se espalhar o EB pelas fronteiras vai funcionar. O contrabando de armas pesadas ocorre nos portos e aeroportos, como mostram as grandes apreensões de fuzis. Este contrabando acontece com participação de funcionários de empresas de cargas. Eu concordo com a ideia de remover os quartéis das áreas urbanas. No passado, estes quartéis eram afastados, mas as cidades cresceram. Quem tem que fazer policiamento de fronteira é a PF e as polícias estaduais. Apreensão de armas se faz com investigação. Concordo que essa ideia de colocar soldado do… Read more »

Rafael

o exército só atua quando a polícia já não tem mais poder para combater o crime, o exército é o último recurso quando o poder paralelo já consegue impedir a polícia de fazer a segurança da região, leis mais severas impede o crime crescer, mas não quer dizer que o crime não vai crescer, leis mais severas educa as pessoas também, faz com que elas não queiram considerar o crime uma opção, é claro que com um bom investimento na educação impede o crime de crescer, más… se o governo não levar a sério o crime, o crime não deixa… Read more »

Allan Lemos

Caro, México e Colômbia são dois narcoestados onde o crime organizado já se instalou nos altos escalões dos governos(o Brasil parece seguir o mesmo caminho).

Então a culpa não é do uso das forças armadas para combater o crime organizado ou a falta dele.

É lógico que precisa haver inteligência, mas quando a situação sai fora de controle, a única coisa que resolve é poder de fogo.

Na verdade, a própria polícia poderia dar conta se não houvesse tantos “garantistas” no MP e no Judiciário.

Camargoer.

Caro Allan. Uma das bases da democracia é o Estado de Direito. Isso significa que existe um ordenamento jurídico de direitos e deveres que serve de base para a sociedade. Quando estes direitos e deveres são relativizados, significa que a lei é aplicada com exceções, obviamente o contrário de uma democracia. Um bandido é um bandido porque age contra a lei. Se a polícia, ou o ministério público ou o judiciário agirem á margem da lei, ignorando garantias ou direitos, deixam de ser agentes do estado democrático. Viram bandidos porque bandidos. Um ladrão é ladrão porque ignora o direito de… Read more »

Helio

Muito pelo contrário. Tanto a Colômbia quanto o México são exemplos de que dá certo sim. O que não dá certo é ter um governo onde ministro da justiça sobe morro dominado por faccao pra ouvir demandas desses

Sensato

Você sabe da extensão de fronteiras que temos né? Se usasse o exército da China não seria suficiente para cobrir tudo. Entra contrabando nos países mais ricos e desenvolvidos do mundo. Fazer isso “não deu certo em NENHUM lugar do mundo”. O combate ao crime organizado é no campo jurídico, educacional e financeiro.

Rafael Oliveira

Uma boa parte dos militares são próximos do crime organizado. Militares são pessoas comuns que se relacionam com o restante da sociedade. Pode ter estudado com um bandido na escola, ter casado com a irmã de um traficante, dentre outras inúmeras possibilidades. Fora a parte que tem muitos militares que são bandidos mesmo sem nunca ter subido o morro para trocar tiro, como o sargento da FAB que traficava cocaína nos aviões desta. Não pense que é um caso isolado. Tem muitos militares que são traficantes, inclusive se valendo de veículos militares para cometer o crime. Ou seja, não existe… Read more »

Camargoer.

Olá Wilber. Exatamente. Operações de segurança pública devem ser realizadas pelas polícias estaduais ou federais. Esta ideia de colocar tanque de guerra em favela fracassou.

Eventualmente, militares podem ser acionados em momentos de catástrofe natural, grandes eventos (como jogos olímpicos ou conferências de cúpula), apoio para eleições…

Criminalidade é problema de segurança pública e tem que ser tratado pela polícia.

Crime organizado demanda ação coordenada que inclua órgãos da receita federal e do banco central, porque o principal meio de investigação é “seguir o dinheiro”.

PACRF

Concordo. Crime organizado só se combate com inteligência. Esse “ingrediente” está em falta na ABIN, na PF, nas FAs e nas polícias civil e militar estaduais, infelizmente.

Camargoer.

Exato. No casos das polícias estaduais, o modelo de “duas polícias” fracassou. Isso nada tem a ver com ser militar ou civil. A maior parte do policiamento ostensivo é de apoio para a população ou pequenos crimes. O crime organizado demanda investigação mais profunda, apoio do MP estadual e federal, e apoio dos órgãos de inteligencia financeira. Basta lembrar que as apreensões de fuzis acontecem em condomínios, mansões ou nos setores de cargas dos aeroportos. Aproveitando… precisamos repensar essa ideia de polícia de encarceramento em massa, que serviu para fortalecer as facções criminosas como PCC e CV, e assumir que… Read more »

Allan Lemos

Não existe “encarceramento em massa”, o que existe é o encarceramento dos indivíduos que cometem crimes.

Aliás, o próprio fato do índice de crimes solucionados no Brasil ser baixíssimo já anula completamente essa falácia de que aqui há uma cultura punitivista.

O fortalecimento das facções criminosas se deve à cultura garantista e permissiva do Legislativo e do Judiciário. A LEP por exemplo é uma piada.

Maximus

Tu ainda segue com essa idéia estapafúrdia de que a guerra as drogas fracassou e de que o modelo de duas polícias fracassou tbm? Tu nao conhece absolutamente nada sobre esse assunto e mesmo que eu te explique inúmeras vezes, ainda sim tu nao vai entender devido a tua ______
________

COMENTÁRIO EDITADO. DEBATA OS ARGUMENTOS SEM ATAQUES PESSOAIS. LEIA AS REGRAS DO BLOG:

https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Leandro Costa

Então não explica nada para ele mais não, Maximus. Explica para mim porque eu também acho que o modelo de duas polícias fracassou, e isso nada tem a ver com a falta ou não de poder de fogo das forças do Estado nas favelas ou fora delas. O modelo simplesmente não funcionou e a guerra contra as drogas fracassou de forma clara.

Mas me explica sua visão que fiquei realmente curioso.

Maximus

Leandro. O Rio é um caso a parte que nao deve ser tomado como regra, infelizmente a corrupção permeia quase que todos os cantos das instituições cariocas e mais ainda na PM que é a linha de frente no combate ao crime. Em outros estados, muitos dos quais eu conheço muito bem, o trabalho policial e a cooperação entre as polícias funciona de forma muito harmoniosa. Como é o caso do RS por exemplo (estado onde resido) Aqui estamos vivendo um dos melhores momentos do estado em termos de seg. Pública. Todos os nosso índices de criminalidade estao em patamares… Read more »

Leandro Costa

Fico grato pelo esclarecimento, e concordo que o Rio é um tanto pior do que o ‘normal,’ mas o fato é que legalmente nos apoiamos em um modelo que tem variáveis demais para dar certo. Se aí no RS os planetas estão se alinhando, eu fico extremamente feliz com isso, mas não deveria ser necessário que houvesse uma harmonia, que mais parece algo que acontece apenas devido à boa vontade de entidade X ou Y. Se unificar, não tem por que, nem como dar errado. Ordem dada é ordem cumprida e pronto. Um comando uníssino, combate à criminalidade feito por… Read more »

Maximus

Eu concordo em partes contigo Leandro. Ainda discordamos sobre a legalização mas entendo teu ponto de vista, apenas acho que a simples taxação não daria muito certo.
Sobre unificação das PM’s com a Civil eu acho ainda mais difícil… mas esse é um assunto pra outro momento.
Grande abraço Leandro.
Venha conhecer o RS, especialmente a região de Gramado e Nova Petrópolis. Vale a pena o passeio

Heinz

O Rio de Janeiro é Sodoma e Gomorra do Brasil, é o mais alto panteão do significado de corrupção depois de Brasília. Aquilo ali deveria entrar em estado de sítio, e começar a caça as bruxas, digo, corruptos, de dentro do sistema principalmente e depois largar o aço em narcoterroristas

Camargoer.

Hoje, o tráfico internacional de drogas movimenta mais dinheiro do que nas décadas passada. Existem mais dependentes químicos hoje do que no passado. O número de mortes pelo abuso de drogas hoje é maior que antes. Há mais pessoas presas por tráfico hoje que antes…. então, caso o objeto da “guerra ás drogas” era reduzir o tráfico, o consumo e a criminalidade relacionada ao tráfico de drogas, então a política de guerra ás drogas fracassou. Sobre a segurança pública, o número de crimes hoje é maior que no passado. As taxas de homicídio hoje são mais altas do que antes… Read more »

Marcelo Baptista

Por favor, Maximus, explique seu ponto de vista.

Henrique A

Se há muitos presidiários é por que há muita gente cometendo crimes.
Os policiais vão prevaricar, deixar de atuar? PCC e CV não existem simplesmente porque há muitos presidiários mas sim porque os presídios são espeluncas super lotadas sem infraestrutura, qualquer um mais organizado vai conseguir crescer ali dentro.

Heinz

“encarceramento em massa” acorda da sua ideologia Camargoer.

Gabriel

Acrescento que mesmo com um sistema de inteligência que precisa ser melhorado, a grande parte do Crime Organizado é monitorado e acompanhado. Infelizmente temos muitos defensores de bandidos no nosso pais (nos comentários aqui, inclusive, é fácil perceber alguns), por isso que a impressão que fica é que nada funciona a contento.

Henrique A

O que há no RJ é uma insurgência, uma guerra de baixa intensidade. A PM e PC não tem efetivo e meios para ações de vulto aí as FFAA se fazem necessárias. A verdadeira solução seria a remoção dos habitantes e demolição das favelas, até porquê muitas delas estão em áreas ilegais, mas os políticos atuais não querem resolver definitivamente os problemas.

Camargoer.

O problema de segurança pública no Brasil é grave e complexo, mas não é uma guerra civil. São apenas criminosos. Alguns são pés-de-chinelo. Outros fazem parte de organizações criminosas. Não existe solução definitiva para o combate ao crime. Não existe bala-de-prata. É preciso atuar na polícia ostensiva. È preciso atuar contra o crime organizado. É preciso atuar contra crimes financeiros. É preciso atuar contra o contrabando de armas. É preciso atuar contra a lavagem de dinheiro. Cada coisa é uma coisa. Favela não é origem de criminalidade. È consequência de uma sociedade desigual. Lembre que as maiores apreensões de fuzis… Read more »

Camargoer.

Caro. Existem vários modelos de GLO. Por exemplo, nos casos de uma catástrofe natural ou no apoio ás eleições. Um outro tipo seria, por exemplo, no caso de uma greve ou paralisia das forças de segurança estaduais. A ideia de colocar soldado ocupando favela já foi tentada e fracassou. A intervenção na polícia do RJ também fracassou. Crime organizado demanda integração das forças de segurança estaduais e federais, focando o estrangulamento das fontes de recursos. Nos último anos, os arsenais de fuzis usados pelo crime organizado foram encontrados em condomínios fechados e em área ricas. Quem tem que fazer o… Read more »

PACRF

Vale lembrar, que a presença do crime organizado e das milícias nas áreas de baixa renda se fundamenta na seguinte razão: a ausência do Estado (federal, estadual e municipal), que torna a tarefa de subjugar essas pessoas mais fácil.

Camargoer.

Verdade. As facções criminosas surgiram dentro dos presídios do RJ e de SP ocupando um espaço de assistência aos presos e ás suas famílias. Depois, elas se espalharam pelas áreas de periferia, atuando tanto na assistência quanto na segurança local. As milícias surgem ocupando um espaço de segurança privada que em seguida tomaram o monopólio da prestação de serviços. Muita gente deve se lembrar das “vans alternativas” nas décadas de 80 e 90. Então, a fórmula para combater o crime organizado passa pela repressão financeira de um lado e pela recomposição dos serviços do Estado. Esta história de prender bandido… Read more »

Burgos

A questão Camagoer é: Não fracassou !!! O problema todo que tão dando só direito pros “manos” e não pra quem vai lá buscar os “manos”que se esconde atrás da população de inocentes e que alguns agem até em conluio ajudando meliantes pelo fato deles darem suborno a essas pessoas para os defenderem. Faz assim, vc vê pelo seu ângulo que eu vejo pelo meu 👍 Só que posso lhe dizer que sua opinião não se sobrepõe a minha e minha não se sobrepõe a sua. Mas desde já não concordo com sua tese. Pra mim não passa de uma… Read more »

Camargoer.

Caro. Bandido é bandido porque quebra a lei. Juiz que age contra a lei é bandido. Policial que age contra a lei é bandido. Empresário que age contra a lei é bandido. Militar que age contra a lei é bandido. Político que age contra a lei é bandido. Há algum tempo, ficamos sabendo que alguns bandidos roubaram metralhadoras de um quartel do EB. São bandidos. Também soubemos de uns bandidos que apreenderam fuzis de uma facção criminosa no Rio de Janeiro e as venderam para outra facção. São bandidos. Teve um bandido que superfaturava obras de um tribunal. Bandido. Teve… Read more »

Santamariense

Teve um ex-presidente que chefiava uma quadrilha. Bandido. Mas, esse tu não cita, pois é em quem tu vota.

Piassarollo

Tu estás certo meu caro, pra mim tudo não passa de uma grande propaganda. Abs

Willber Rodrigues

FA’s fazendo GLO = enxugar gelo.

Santamariense

Qualquer ação contra o crime organizado no Brasil é enxugar gelo. Qualquer ação contra corrupção no Brasil é enxugar gelo. No Brasil , ninguém mexe com os grandes criminosos e, quando mexem, eles dão um jeito de virar o jogo a favor deles, usando os próprios poderes da república em seu favor, contra aqueles que “ousaram” lhes responsabilizar por seus crimes. O Brasil não tem jeito nem correção. Ilude-se quem pensa que isso aqui, um dia, será um país sério.

PACRF

Os EUA e seus aliados empreenderam quatro guerras: duas contra o Iraque, uma contra Líbia e outra contra o Afeganistão, a pretexto de combater o terrorismo. Resultado: o terrorismo continua, ou seja, “enxugaram um monte de gelo”. Só serviu para alimentar a indústria armamentista. O mundo, inclusive Israel, está enxugando gelo há anos. Acha que os bombardeios de Israel, que já matou mais de 10.000 pessoas, a maioria civis, contra Gaza vai resolver alguma coisa? Vai sim: fortalecer o Hamas e o Hezbolah.

GRAXAIN

PF, SRF, Guarda Portuária vão agradecer muito a ajuda da MB. Trabalho sinérgico e profissional… vai ser interessante ver a interoperabilidade e apreensões de pré-agendadas.

Allan Lemos

Trabalho de guarda costeira.

Bardini

Ser Guarda Costeira, é uma das funções da MB.

Last edited 8 meses atrás by Bardini
VIctor Carvalho

A MB não precisa de decreto de GLO para fazer seu trabalho de guarda costeira.

VIctor Carvalho

A atividade de policiamento ostensivo preventivo e/ou repressivo é uma atividade altamente técnica e especializada. Assim como a atividade de polícia investigativa. Sinceramente sou contra este tipo de operação pois se coloca pessoas despreparadas para a atividade em campo. Seria a mesma coisa que colocar um submarinista para pilotar um caça. Não é racional e não traz resultados efetivos. A atividade de polícia deve ser desenvolvida pelas polícias. Se as polícias não dão conta da demanda, que se aumente o efetivo através de concursos e os meios materiais necessários. A impressão que tenho é que o governo federal tenta ressignificar… Read more »

Camargoer.

Ola Victor. Você tem razão quando escreve que segurança pública é uma atividade de polícia e que o crime organizado demanda trabalho de inteligência e investigação. É um erro achar que o crime organizado se combate com tanque de guerra ou com a polícia invadindo a favela. A Profa Jacqueline Muniz, especialista em segurança pública, apelidou estas operações de “polícias ostentação”. Muita sirene, muito tiro, muito barulho… mas sem qualquer resultado prático, além das imagens para as redes sociais e meio de mídia. O problema do crime organizado são as relações com o poder político, econômico e com setores da própria… Read more »

Maximus

Quanta baboseira

VIctor Carvalho

Concordo contigo, Camargoer. Excelentes apontamentos.

SmokingSnake 🐍

Os estados tem que fazer o seu papel que é ir lá e apreender as armas ilegais e drogas que entraram, quem não faz seu papel é o governo federal que deixa entrar arma ilegal e drogas a vontade e depois ainda quer culpar as polícias estaduais que não tem poder para controlar as rodovias federais por onde entra tudo. O motivo do governo federal pouco se importar com drogas e armas entrando é que o custo político e prejuízo fica todo para os governadores dos estados, eles gostam mais de ficar atrás de produtos de descaminho porque acham que… Read more »

Bardini

“Sinceramente sou contra este tipo de operação pois se coloca pessoas despreparadas para a atividade em campo.” . O Fuzileiro Naval é muito bem preparado para exercer atividade em campo, principalmente quando o assunto é a proteção de estruturas costeiras, objetivo da tropa nesta GLO. São excelentes profissionais, que detém grande capacidade de dissuasão contra o inimigos internos do Estado. . “Se as polícias não dão conta da demanda, que se aumente o efetivo através de concursos e os meios materiais necessários.” . Aumento de efetivo requer todo o tramite legal, concursos, treinementos e qualificações, que tomam tempo e muito,… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Bardini
VIctor Carvalho

“O Fuzileiro Naval é muito bem preparado para exercer atividade em campo, principalmente quando o assunto é a proteção de estruturas costeiras, objetivo da tropa nesta GLO. São excelentes profissionais, que detém grande capacidade de dissuasão contra o inimigos internos do Estado.” Fuzileiros navais não tem preparo para atuar como policiais. A PM de SP oferece um ano de formação em curso básico para seus soldados (mais de 1.300 horas-aula), aprendendo todo tipo de procedimento operacional padrão, direito, etc, e ainda assim é considerado por muitos como insuficiente para atuar na atividade-fim de policiamento. Um fuzileiro naval, suponho, não tem… Read more »

Bardini

Você claramente não conhece as capacidades da força, que é profissional. O CFN tem certificação nível máximo no Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz da ONU e se mantém, em um sistema de rodízio de suas unidades nível batalhão, capacitado a atuar como Força de Reação Rápida da ONU, podendo intervir em uma pacificação por meio de missão de paz. O CFN simplesmente sobra, em termos de capacidades em uma GLO que vai defender estrutura física… . E você também não compreende – aqui, talvez intencionalmente – que uma GLO tem o objetivo de estabilizar situações que… Read more »

Victor Carvalho

Não precisa me atacar pessoalmente, dizendo que não conheço, que não compreendo ou que finjo não compreender… a discussão não precisa enveredar pelo campo do pessoalismo. Voltando a temática…. Com todo o respeito mas certificações, em qualquer nível, do Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz da ONU não servem de nada em uma operação de garantia da lei e da ordem no território nacional, seja por questões circunscricionais ou por conta das diferenças doutrinárias perante o modus operandi das Instituições policiais. Se citar para um policial, seja militar, civil, federal, etc, que você é um profissional de segurança… Read more »

SmokingSnake 🐍

MB se rebaixou a uma guarda costeira quase sem navios.

Aposto que essa GLO no final só vai servir para apreender os produtos das pessoas de bem comprados a preço justo fora do país, muita coincidência isso logo agora que estão colocando um fim nas importações através da cobrança de impostos absurdos de mais de 90%.

Last edited 8 meses atrás by SmokingSnake 🐍
PACRF

O crime organizado, assim como o terrorismo, só são combatidos com inteligência. O uso da força só deve ser empregado no momento de se realizar alguma operação, que exija sua presença. O problema é que os serviços de inteligência pelo mundo têm falhado há muito tempo. Falharam no 11 de setembro nos EUA, falharam em Barcelona e em Paris, falharam no Reino Unido, falharam na Rússia, que considerava ser possível tomar Kiev em duas semanas e falharam no Brasil no 8/1. A força militar, por exemplo, foi utilizada pelos EUA e seus aliados na Líbia, no Iraque e no Afeganistão… Read more »

Allan Lemos

e falharam no Brasil no 8/1.

Não falhou nada, houve reportes das agências de inteligência, isso foi relatado na CPMI, o que houve foi omissão deliberada.

AVISO DOS EDITORES:

6 – Mantenha-se o máximo possível no tema da matéria, para o assunto não se desviar para temas totalmente desconectados do foco da discussão

https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

PACRF

De qualquer forma falharam. Se por omissão, então a falha foi de natureza criminosa, consequentemente cabe a Justiça julgar os responsáveis. No entanto, os serviços de inteligência têm falhado constantemente há anos, é só vermos a quantidade e a qualidade das armas que se encontram em poder do crime organizado e das milícias, além dos assaltos a bancos e “rebeliões” de criminosos e milicianos “espetaculares”, que temos vistos ultimamente.

AVISO DOS EDITORES:

6 – Mantenha-se o máximo possível no tema da matéria, para o assunto não se desviar para temas totalmente desconectados do foco da discussão

https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

BraZil

Pois é. Pra que subir morro. Hj se pede drogas por aplicativo e o cara vai deixar na casa dos usuários (financiadores, parceiros, cúmplices), na rua, se vc for pego diz que é para consumo próprio. (só com maconha, por enquanto). O Brasil perdeu a guerra contra o crime organizado, no momento em que ele se cooptou com as mais poderosas instituições desse país. Legislativo e Judiciário e vamos ser realistas, quantos aqui nesse blog dão um “tapinha” e acham que é só recreação, sem nada a ver ou influenciar com a joça que está esse país?

Nativo

Enquanto não se vigiar fronteiras, .portos aeroportos e a lavagem de dinheiro de forma firme. Isso aí vai ser apenas mídia e nada mais.

Fernando "Nunão" De Martini

Mas você mencionou “portos e aeroportos” no seu comentário, o que é exatamente o alvo dessa GLO…

Nativo

Sim.meu caro mas, essa vigilância vai ser por apenas por um breve período de tempo. Com certeza nem uma ano se dará e qual será o resultado prático? Só uma grande despesa.

josebaldo

Cuidado a turma atuar muito forte, pois vão constranger os semideuses do Olímpio que compõe a receita federal e demais a$$ociado$.

Bardini

Um Navio Patrulha mostrando-se mais uma vez, muito útil. Mesmo que no improviso, dada a falta de meios disponíveis, com maior e melhores capacidades para a missão: . . Dentro disto, destaco novamente este tipo de projeto, agora, não em um contexto de ser o centro de comando e controle das operações de contramedidas de minagem, como de costume, mas de uma operação GLO: . . Como dito em várias oportunidades: tal navio seria extremamente interessante para nossos Distritos Navais, podendo executar uma série de missões ao longo da costa. Isto incluindo também as missões de Garantia da Lei e… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Bardini
J.Neto

Concordo, principalmente pela localização do 8 DN…

Henrique A

Muito interessantes as suas sugestões. Uma classe de navio que iria de encontro a sua ideia de ter meios utéis, versatéis e baratos seria os Stan Lander 5612 da Damen:

https://media.damen.com/image/upload/q_auto,f_auto,w_750/catalogue/defence-and-security/landing-ships/landing-ships-collage-large

Henrique A
Last edited 8 meses atrás by Henrique A
Thunder

Sou contra o uso das forças armadas para esse fim. O certo é a criação de uma Guarda Nacional e Guarda Costeira ligadas ao ministério da segurança pública ou da Justiça. Concomitante a isso o fortalecimento com efetivo e meios para polícia federal, rodoviária federal e receita federal. inclusive com a introdução de aviões de asa fixa pela receita federal.

soutoF

Boa tarde amigo Nunão é verdade que a MB
vai licitar a construçao de 12 navios patrulha 500 ton.

Fernando "Nunão" De Martini

Que eu saiba, por enquanto só o primeiro ou os dois primeiros.

Você está sabendo de alguma licitação para um lote maior?

Camargoer.

Olá Thunder. Há alguns anos, passei a defender a extinção da Polícia Rodoviária Federal. A prerrogativa do patrulhamento de rodovias deve ser das polícias estaduais. Se um dia fez sentido, não faz mais. Aliás, o PRF custa mais caro que a PF, esta sim um das mais importantes instituições do sistema de segurança pública no Brasil. Também sou crítico do uso das forças armadas e das GLO como meio de política de segurança pública. Eventualmente, durante uma calamidade, um grande evento esportivo ou uma reunião de cúpula, ou até mesmo em uma situação de caos generalizado, as forças armadas podem… Read more »

Henrique A

O Brasil já passou do ponto de não retorno; as FFAA são necessárias para que aqui não vire o Haiti mas a “normalidade” brasileira é 50 mil assassinados (contas oficiais, vai saber se são corretas) e milhões de pessoas e km² controlados pelo crime organizado.

As FFAA são as únicas instituições com efetivo suficiente e capacidade de massificar meios para estabilizar rapidamente um território. É o ideal? Não, mas os políticos tão pouco se mexem para criar soluções definitivas.

Camargoer.

O Brasil vive uma crise de segurança pública há décadas. A consolidação das facções criminosas e das milícias agravou uma situação que já era ruim. O que é preciso é uma reforma da estrutura de segurança pública. É um equívoco achar que as forças armadas resolverão o problema de segurança pública. Criminalidade se resolve com ações de polícia e investigação, atuando coordenado com o ministério público e com os demais órgãos do poder público. Já se colocou as forças armadas para subir o morro com tanques de guerra. Não funcionou, assim como não funciona achar que o problema é o… Read more »

Henrique A

Quem incomoda a maioria das pessoas é o “bandido pé-de-chinelo”. É esse que rouba, furta e comete latrocínio, doleiro não afeta diretamente 99% das pessoas.

Sonegador não é o responsável pelas pessoas morarem em condomínio fechado ou colocar arame farpado no muro.

Henrique A

Você conhece a história do drone Hermes 900 da PF? Essas instituições não tem know how para operar esses meios complexos do dia para noite sem muitas mudanças e muito dinheiro gasto.

Salomon

Prezados, sem fazer o jogo do contente, bem longe disso, alguma coisa vai render. Principalmente na captura das pequenas embarcações que levam material ilícito para navios fundeados, inibição de mergulhadores que colocam cargas nas obras vivas, em compartimentos escondidos, esse tipo de coisa.
Óbvio que as quadrilhas vão se voltar para outros portos menores, como Angra dos Reis, que continuarão desguarnecidos.
Ou outra solução qualquer, tipo subs do tráfico. Se tinha ilícito num avião militar usado pela Presidência, as possibilidades são infinitas.
O mercado é fortemente comprador, infelizmente, e justifica maior gasto na logística aumentando o preço na ponta.

Henrique A

As PM e PC dos estados são na maioria das vezes intituições decrépitas; sem efetivo, meios e com muita penetração da corrupção inseridas num sistema caótico.

As FFAA são as únicas instituições com efetivo, doutrina e disciplina para agir maciçamente num determinado local.

É o ideal? Não, mas vão deixar o crime dominar mas do que já domina? “Ah, mas a inteligência…” inteligência é apenas a produção de um produto, este produto permite que operações sejam deflagradas, por si só não tem efeito e não substitue a presença do braço armado do estado no terreno.

naval762

Pai Lule já mandou o recado, não mexam com os meus financiadores de campanha.

Esteves

”esgotamento das forças tradicionais de segurança pública, como as estaduais Polícia Militar e Polícia Civil” As maiores atividades do crime organizado são determinadas pelo poder financeiro. Juntas, estimam que ultrapassam 1% do PIB mundial. O Brasil ocupa lugar de destaque na primeira e na quinta maior atividade criminosa do mundo. 1) Narcotráfico O Brasil é grande mercado consumidor e o maior corredor de exportações para drogas. Países do Oeste, produtores, utilizam a vasta Costa brasileira como rota sainte. Para isso, contam com a falta de presença do estado em portos e aeroportos. 2) Falsificação e tráfico de armas. 3) Tráfico… Read more »

Last edited 8 meses atrás by Esteves
Henrique A

Interessante que esses militares da foto estão utilizando os capacetes modelo EB. O CFN abandonou aqueles capacetes israelenses?

Augusto José de Souza

Esse navio poderia ser definitivamente repassado para o grupamento de patrulha naval sul-sudeste ou para o sul.