Navio de guerra chinês em Cape Town, África do Sul, em 2019

Em agosto de 2023, Ali Bongo, então presidente do Gabão, revelou a um alto funcionário da Casa Branca que prometeu secretamente ao líder chinês Xi Jinping que Pequim poderia estacionar forças militares na costa atlântica do Gabão. Jon Finer, assessor principal de segurança nacional dos EUA, alarmado, instou Bongo a retirar a oferta.

Os EUA consideram o Atlântico a sua frente estratégica e vêem uma presença militar chinesa permanente ali – particularmente uma base naval, onde Pequim poderia rearmar e reparar navios de guerra – como uma séria ameaça à segurança americana.

“Sempre que os chineses começam a bisbilhotar um país costeiro africano, ficamos ansiosos”, disse um alto funcionário dos EUA.

A China está conduzindo uma campanha discreta para garantir uma base naval nas costas ocidentais da África, enquanto os EUA esforçam-se há mais de dois anos para persuadir líderes africanos a negar um porto à Marinha do Exército Popular de Libertação da China. Após o encontro com Finer, Bongo foi derrubado por sua própria guarda presidencial, e os EUA começaram esforços para persuadir o novo líder da junta gabonesa a rejeitar as investidas chinesas.

Oficiais americanos afirmam estar ganhando a batalha, pois até agora nenhum país africano com costa atlântica assinou um acordo com a China. Na Guiné Equatorial, vizinha do Gabão, Washington não observou sinais de construção militar num porto comercial de águas profundas construído pelos chineses na cidade de Bata, onde seria o local mais provável para tal presença.

Empresas chinesas construíram cerca de 100 portos comerciais na África desde 2000, desde a Mauritânia, no extremo oeste, até ao Quênia, no Oceano Índico, segundo o governo chinês.

O golpe militar em Gabão em agosto acionou leis dos EUA que restringem a assistência de segurança a regimes militares, limitando a capacidade dos diplomatas americanos de oferecer incentivos.

Diplomatas americanos tiveram que se reorganizar para persuadir as novas autoridades gabonesas a rejeitar as aproximações chinesas. Em Libreville, a capital do Gabão, foram discutidas medidas para manter o Gabão afastado do envolvimento com a China, incluindo um acordo de cooperação em defesa e treinamento americano para ajudar o Gabão a proteger suas fronteiras. A Casa Branca decidiu que o Gabão sediaria os exercícios marítimos liderados pelos EUA deste ano, projetados para ajudar os países costeiros a combater a pirataria e a pesca ilegal.

Os EUA também ofereceram apoio para preservar as florestas tropicais do Gabão, que cobrem quase 90% do país. Além disso, fizeram uma proposta diplomática ao presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, incluindo o convite a oficiais militares equato-guineenses para observar exercícios navais liderados pelos americanos e a ideia de ajudar o país a combater a pirataria.

Apesar das preocupações dos EUA com assassinatos extrajudiciais e tortura de opositores do regime na Guiné Equatorial, o embaixador do país em Washington afirmou que a China fornece hardware militar e treinamento, além de infraestrutura, mas negou ter recebido pedidos chineses para estabelecer uma base naval. Autoridades dos EUA, contudo, permanecem cautelosas quanto à possibilidade de Obiang permitir uma presença chinesa permanente no país.

FONTE: The Wall Street Journal

Subscribe
Notify of
guest

73 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues

“Após o encontro com Finer, Bongo foi derrubado por sua própria guarda presidencial, e os EUA começaram esforços para persuadir o novo líder da junta gabonesa a rejeitar as investidas chinesas.”

Tudo coincidência, claro….afinal, Deus me livre de insinuar que os EUA já fizeram isso antes…

109F-4

Não é que pensei a mesma coisa?…muita coincidência…

Alex Barreto Cypriano

Sua insinuação é um preconceito que esbarra na praticidade dúbia de derrubar de um líder regular e aberto a negociar por vantagens em troca da renuncia de promessa (secreta) feita aa China por outra liderança precária com a qual a oferta de compensações seja limitada ou proibida legalmente. Seria muito mais do interesse chinês derrubar Bongo pra colocar um racketeer pretoriano sempre faminto por dinheiro e armas. Igualmente, pode tudo ter sido uma infeliz coincidência… Apenas o tempo, e o acompanhamento meticuloso dos acontecimentos, pode retroativamente confirmar ou não qualquer suspeita.

Willber Rodrigues

Sim, claro, minha insinuação é fruto de minha mente fértil, certo? Afinal, não há nenhum precedente ou exemplo pra isso nos últimos 60 anos, não é?

Esteves

Exceto as consequências da Segunda Guerra e de outras como no Iraque, não, não há.

JPonte

Será inevitável em algum momento na costa atlântica surgir uma grande base naval chinesa …. é uma questão de tempo …. olha lá se não surgir no Caribe ….

Claudio Moreno

Farão ali no RJ ou na Lagoa dos Patos..

A final não temos mais Marinha de Guerra e pior…nem guarda costeira!

Sgt Moreno

Caravaggio

Não tem pais mais hipócrita nesse mundo que os EUA hahahahaha

Raimundo Augusto

No entanto os Latinos Americanos do Sul só sabem visitar e se qualificar nos ESTADOS UNIDOS. Isso sim é que é hipocrisia.

Yuri

Tem, a China.

Um Simples Brasileiro

EUA tentando reagir as investidas chinesas na América Latina e África.

BVR

Talvez com um certo atraso, o que pode significar transtornos significativos para eles à médio prazo.

737-800RJ

Pode ser que no final da década já tenhamos destróieres Type 052D navegando no Atlântico Sul… O Brasil estará preparado pra esse cenário com apenas 4 submarinos convencionais?

“Ah, mas a MB está focando no desenvolvimento do Álvaro Alberto!”

Sendo muito otimista, SE ficar pronto, vai estar operacional quase em 2040… Por isso que um novo pedido de Riachuelos é essencial!

adriano Madureira

comment image

Claro, nossos inimigos são os chineses, que estão a nós cercar…

Eles são potência naval, podem navegar por todo o globo se quiserem, assim como outras nações.

o Bondoso e ético irmão do norte não irá enviar uma NAe para a Argentina?!
Mas nós não podemos receber navios iranianos… Quem são eles para aconselhar alguém?!

comment image

carvalho2008

Não entendi os graficos.

Não existe bases estrangeiras em territorio brasileiro

Esteves

Também não no Paraguai.

Willber Rodrigues

Toda embaixada norte-americana tem vários marines e já é construída pra ser uma “base” de resposta rápida militar.
Então, tecnicamente falando, temos uma base dos EUA aqui.

Fernando "Nunão" De Martini

Wilber,

Muito longe de ser considerado como algo minimamente próximo de uma base, nem mesmo quando há (ou houve, no caso do consulado em São Paulo) um pequeno destacamento de apoio a essa tropa mínima de marines. Não dá nem pra começar a comparar com base militar.

Esteves

Também não nas Malvinas. No Peru. Ou no Chile.

Esteves

Embaixadas localizam-se nas capitais. Em outras cidades são consulados. Cidades como Rio de Janeiro que foram capitais podem ainda receber embaixadas por razões políticas.

No caso, Brasília deveria ter uma base norte-americana por ser capital? Nao faz sentido o mapa marcar San Pablo.

Tá tudo errado.

Derez

Achei que seria isso. E as embaixadas serve também para espionar o país em que está.

bruno

Qual resposta rápida militar foi dada por alguma embaixada americana no mundo até hoje?

Alex Barreto Cypriano

Pois é. As vezes dá uma depressão ler certas coisas. Mas sou otimista: a longo prazo todos estaremos… Putz melhor deixar pra lá…😅

Ciclope

Guiana francesa e as Malvinas são cabeças de ponte aqui.

Esteves

Haverão. Na medida que outros mares ficarem ocupados é natural aproveitar oportunidades. Países africanos tentarão ganhar em duas frentes jogando com os interesses chineses e ocidentais. Como Vargas fez e Waldemar segue fazendo.

O problema do protótipo é que o aprendizado precisa ser transferido para os primeiros ou o conhecimento ficará perdido. O AA deveria ter um irmão gêmeo.

Sinceramente…temos que rever nossos interesses oceânicos e ocupar a ZEE.

Last edited 12 dias atrás by Esteves
Talisson

Quando um grupo tarefa chinês passar por aqui, e futuramente um indiano, faremos o mesmo que fizemos quando o Yantar e aquele avião americano de coleta de dados passou próximo de nosso território. Nada.

Esteves

Navio chinês não precisa passar. 50% das nossas exportações vão pra lá.

adriano Madureira

“EUA instam países africanos a rejeitarem propostas da China para construção de bases navais na costa atlântica”.
Os países africanos só aceitarão o “pedido” dos americanos se forem ameaçados e chantageados, caso não seja, estarão se lixando para Washington,que nunca fez porcaria nenhuma pela África.

Esteves

Fizeram Tarzan.

adriano Madureira

Não esqueça de Sheena…

Macgaren

Rei leão

Alex Barreto Cypriano

‘Wakanda forever!’.

Alex Barreto Cypriano

Lá vamos nós de novo na lógica da guerra fria: torcer por um lado e/ou esculhambar os satélites (ou patetas-stooges, como no clássico dialogo no Dr Strangelove) Aqui, a partir de 4:27:
https://youtu.be/-dHbNaJqWUQ?si=NwJouvXmLbt7Z8Su

Yuri

Nunca fizeram porque nunca conseguiram, a África sempre esteve alinhada com os “vermelinhos”.

adriano Madureira

Por isso que para mim __________
___________seja em seu solo ou fora deles é pouco…

Se acham donos do mundo.

EDITADO. NÃO USE O ESPAÇO DE COMENTÁRIOS PARA PROPAGAR DISCURSOS DE ÓDIO E XENOFOBIA. VOCÊ JÁ FOI ADVERTIDO ANTES PELOS MESMOS MOTIVOS.

LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Maurício.

É muita hipocrisia…

Rogerio Loureiro Dhierio

Deus salve a América.

China malvada, eixo do mal, cosia abominável. E seja lá o que mais for.

Bom mesmo são os EUA.
Graças a eles vivemos em paz e harmonia no mundo.

“American way of life Will always prevail”.
Barack Obama.

Hipócritas.

Esteves

Bem…poderíamos estar sob fascistas europeus ou sob fascistas asiáticos. Poderíamos dirigir Ladas ou comer carne de cachorro.

Sempre é tempo de mudar.

AVISO DOS EDITORES: FOQUEM NO TEMA DA MATÉRIA.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Marcos

Carne de cachorro igual aos Suíços?

AVISO DOS EDITORES: FOQUEM NO TEMA DA MATÉRIA. MAIS UMA VEZ O ASSUNTO ESTÁ DESVIANDO PARA DISCUSSÕES TOTALMENTE FORA DO TEMA DA MATÉRIA.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Yuri

E tá errado? Viveríamos em paz e harmonia se não fosse a China, a URSS e todos esse pessoal querendo perturbar a ordem do mundo. Ainda teríamos problemas, mas seriam outros e bem menores do que o que temos hoje.

Carlos Campos

Vejo como bom para o Brasil, pois tem apenas os EUA e os países Europeus com capacidade de projetar poder no Atlantico Sul, é um problema, em um guerra contra a China os EUA iriam sufocar o comércio do Brasil com nosso principal cliente

Esteves

A América via, viu, vê a África com enorme preconceito. Provavelmente chineses também.

https://youtu.be/zwaNQh3tuXg?si=Wg_NfpvhOq6zobER

Henrique

O Atlanco Sul é cheio de bases da OTAN, mas a China não pode kkkkk.

Esteves

Cheio de bases da OTAN?

Makarov

Ilha de ascensão e Santa Helena, existe base em uma delas ou nas duas, não lembro…. Malvinas também. Inclusive o Brasil deveria ter capacidade para mandar pelos ares essas bases nessas ilhas caso necessário…..

Esteves

Compreendo.

Mars

Criança, se a China fosse a maior potência do mundo, eles teriam bases no Caribe, quintal americano. Hoje a hegemonia americana é ameaçada pela China, é óbvio que eles vão tentar impedir. Os chineses e qualquer país faria o mesmo no lugar deles, não tem hipocrisia nenhuma aí.

Jagder#44

Nossa. Me sinto no centro acadêmico da faculdade de filosofia, quando leio estes comentários.

AVISO DOS EDITORES: MANTENHA O RESPEITO. DEBATA OS ARGUMENTOS SEM FAZER PROVOCAÇÕES INÚTEIS.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Esteves

Tivesse estudado não teria escrito “me sinto…”

AVISO DOS EDITORES: MANTENHA O RESPEITO. DEBATA OS ARGUMENTOS SEM ATACAR AS PESSOAS COM PROVOCAÇÕES INÚTEIS.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Esteves

Qualquer dia desses….

André

Se fosse estudar filosofia não falaria essas asneiras. Típico alvorecer do _________

COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O RESPEITO. DEBATA OS ARGUMENTOS SEM ATAQUES PESSOAIS.

LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Esteves

O Brasil poderia entregar aos chineses na Costa da África economizando frete. Ajudamos a construírem portos e entrepostos. Nossas empreiteiras voltariam à fazer negócios levando agro, minérios e combustíveis ecos + pontes e obras de infraestruturas.

Os chineses, claro, pagam a conta. Esteves…essa ideia não é má.

Heinz

O Brasil como anão diplomático e militar nada poderá fazer, a briga é de cachorro grande ai, ficaremos deitados em berço esplendido, estamos mais preocupados com o carnaval. O Brasil, um musel de novidades.
Quanto aos EUA, bem acredito que isso não impedirá a China de construir bases navais no atlântico, é a China trazendo seus meios para o “quintal” americano e segue o jogo de xadrez.

Claudio Moreno

Os EUA está fazendo troca de ouro por espelhos… Me faz lembrar o refrão de uma música da Legião Urbana.

Se perguntar para o americano quem é Gabão e aonde fica, os caras vão rir pensando ser uma pegadinha. Agora me vem com essa..eu posso ficar aqui mas não quero os chinas aqui ok? Em troca agente protege suas matas e aproveita pra explorar recursos também. Fechado?

Sgt Moreno

João Batista dos santos

Os países africano foram abandonado pelo mundo crianças morrendo de fome agora que se ofereceu pra colocar uma base militar o estados unidos com medo da proximidade da base querem agora oferecer recurso a países da da costa africana a china tá botando o mundo pra se organizar e te respeito a quebra o mololio dos países rico como a Europa na agricultura tá sofrendo com a china e vestindo em todo o mundo sub desenvolvido

Carlos

Ainda tem um ex-Blackwater que sugeriu que os EUA deveriam colonizar países que “não podem se governar”, principalmente na África.

Jeferson

Sim somente o EUA pode invadir países e pior construir bases militares sem consentimento daquele país e tá tudo certo não sofre nenhuma punição!

Last edited 12 dias atrás by Jeferson
Yuri

Os EUA não invadem nenhum país faz mais de 20 anos e mesmo na última vez que fizeram, muitos congressistas americanos votaram contra.

Macgaren

Isso é uma democracia.
Russia invadiu a Ucrania e quem fala contra ou acidentalmente cai de escadas ou por acaso coloca polonio no próprio café.

Yuri

Aconteceu alguma coisa com quem foi contra a guerra do Iraque? Não.

Carlos

Se aconteceu eu não sei, mas se tu soubesse o que acontece antes de cada votação… E isso em qualquer congresso de qualquer país.

Yuri

Sei bem o que acontece, em países com altos índices de corrupção. O que não é exatamente o caso dos EUA.

Eduardo Tadeu Vieira da Cunha

É pura hipocrisia. Julgam-se no direito de terem bases na Coreia do Sul, no Japão, nas Filipinas, etc, praticamente no “litoral da China”, mas a China não pode ter bases navais do outro lado do Atlântico.
Torço pelo dia que veremos navios chineses e russos “passeando” no Golfo do México.

Yuri

Os interesses dos chineses são piores e mais malignos do que os dos EUA. Ah, e Cuba já é praticamente uma base militar chinesa gigantesca, só lembrando.

Fabricio

Tá certo! Esses ¨democratas chineses¨ são um perigo.

H.Saito

Follow the Money!

Zé Rato

Portugal também está no meio desta disputa EUA-China pelo controle do Atlântico. Nos inícios da década passada, os EUA decidiram desinvestir na Baje das Lajes (nos Açores), por razões económicas, retirando perto de um milhar de soldados e cortando centenas de empregos civis. Obviamente a economia local ressentiu-se bastante. Paralelamente, Portugal atravessava uma profunda crise económica. Essa base manteve uma presença militar americana, mas reduzida a pouco mais de uma centena de militares. A base virou um aeroporto também de natureza civil. Obviamente a China tentou aproveitar a oportunidade e o vazio. Investiu fortemente em empresas estratégicas portuguesas (bastante lucrativas,… Read more »

Zé Rato

Num comentário a este artigo da Trilogia, coloquei um texto sobre a importância estratégica desta Base das Lajes:

https://www.forte.jor.br/2022/02/15/infograficos-presenca-militar-dos-estados-unidos-em-todo-o-mundo/

Esteves

Prioridades.

Oriente Médio, Europa, Ásia, Índico, Pacífico, Ártico. Não necessariamente nessa ordem. América Latina, África, Portugal, Antártica, também não necessariamente nessa ordem são menos prioritários incluindo os mercados civis. A GM anunciou investimentos bilionários (com dinheiro do BNDES) após a entrada de duas marcas chinesas à fabricarem carros no Brasil.

O Cobertor.

Longo, mas vem encolhendo em razão dos aumentos nos custos pós pandemia incluindo preços de armas de energia, mísseis e navios modernos.

Talvez não tenha sido um erro, mas uma questão orçamentária.

Claudio

Avante China!!!

Makarov

Estados Unidos hipócritas da América….

Daniel Alves

Depois que os EUA anexaram o Havaí e destituíram sua rainha e a família eal, não têm moral para censurar nenhum país, embora tenham armas para dissuadir os mais fracos a fazê-lo. Mas não creio que esse seja o caso da China.

dretor

PQP quem deveria esta na frase Os EUA consideram o Atlântico a sua frente estratégica , era “O BRASIL consideram o Atlântico a sua frente estratégica ” mas nem pra proteger nosso quintal servimos ne, essa classe politica do brasil tem que ser completamente substituida e a forma de aceite dos candidadtos para eleições mudada para adotar criterios de ensino minimo e qualificação e nao de “popularidade”