Home Sistemas de Armas Vencedor de projeto para NaPaOc da MB sai em 2010

Vencedor de projeto para NaPaOc da MB sai em 2010

504
49

opv-piloto-pardo-1

O primeiro NaPaOc (Navio Patrulha Oceânico) da MB deve entrar em serviço em 2011. O quinto e último do primeiro lote, em 2015.

Os cinco NaPaOc devem sair por R$ 800 milhões, valor que inclui a a compra do projeto e a transferência de tecnologia de construção. Os navios serão construídos em estaleiros privados.

O projeto favorito parece ser o de origem alemã (FASSMER OPV 80), de 1.700 toneladas de deslocamento, o mesmo da classe do PZM Piloto Pardo, da Marinha do Chile, mostrado nas fotos.

opv-piloto-pardo-2

Subscribe
Notify of
guest
49 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ricardo
11 anos atrás

O dia que o Mauricio R. ficar contente com algo o mundo acaba ha hhah a

[ ]´s

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

Alfredo, apenas um pequeno adendo ao su coment

“Antes que venham os que não fazem ideia pra que serve um Navio de Patrulha” (ao invés de ceticos)

no mais, perfeito !

Abs
Mod MO

URUTAU
URUTAU
11 anos atrás

Bom Dia Senhores

O meu muito obrigado e a minha reafirmativa de apreço e admiração ao blog e seus moderadores em tempo muito obrigado GALANTE e NUNÃO

Forte Abraço Senhores

Alfredo.Araujo
Alfredo.Araujo
11 anos atrás

E antes q venham os céticos…

É navio de PATRULHA, não escolta…
Não precisa-se de misseis e defesa de ponto em um patrulheiro…

Se fosse assim a policia iria as ruas fazer ronda de Leopard2!

Challenger
Challenger
11 anos atrás

Para operar nesses Navios OPV, o ideal seriam Helicópteros Utilitarios tipo Agusta A-109LUH, semelhantes aos usados pela USCG, Bell 412 ou uma versão Naval do Panthers, não vejo necesssidade de helicópteros medios nesses Navios.

GHz
GHz
11 anos atrás

Nunão, Obrigado por ter liberado meu post. Pois, é, os OPV80 “Piloto Pardo”, conforme operados pelo Chile, só embarcam Dauphin, não podem operar Super Puma. Na MB, na prática só operariam com UH-12/13 Esquilo, o que siginifica não voar à noite/ mau tempo, ter alcance menor e transportar menos carga/passageiros. Acho isso uma restrição severa para um NPaOc. Imaginemos o NPaOc em ação SAR perto da costa africana, nos limites da área de responsabilidade brasileira. O OPV90 aparentemente teria condições marginais para operação do EC725, que será o principal helicóptero SAR da MB. O helicóptero teria que operar uns 1.500… Read more »

Genilson Mendes
Genilson Mendes
11 anos atrás

É um bom navio porem poderia ser mais veloz e ter um canhão de maior calibre.

Rodrigo Torres
Rodrigo Torres
11 anos atrás

E o projeto da inace? tudo bem que é patrulha, mas esse navio alemão não é pouco armado não??

delcio
delcio
11 anos atrás

com certeza vai haver uma briga boa , e os franceses nao vao ficar para traz facilmente com suas gowind

Noel
Noel
11 anos atrás

Pergunta aos marujos, a EMGEPRON já não tinha um projeto, ou esboço de projeto de um NaPaOc?
Não teria condições de desenvolver um projeto, com o conhecimento adquirido ao longo de tantos anos?

RADAR
RADAR
11 anos atrás

existe sim projeto de napaoc… as classe inhaúma, porém, o que era pra ser um excelente navio patrulha oceanico, tornou-se um péssimo escolta…o que interessa é o projeto de escoltas… cadê? o que vale é poder no mar, não presença fictícia…

Bronco1
Bronco1
11 anos atrás

Há quem garanta que a Engeprom é completamente incapaz de tocar um projeto de alto nível. E pela lista de projetos da marinha, em que pese o contingencimento de verdas, muitos deles esbarraram também na incompetência da Engepron. Sobre as Inhaúma, nao vamos misturar as coisas. Ainda que muito semelhantes às Vosper Mk.10/classe Niterói, foram baseadas em projeto alemão de corvetas e foram construídos desde o início para serem navios de combate, não patrulhas oceânicas. O problema das Inhaúma pode ser resumido em: peso excessivo em áreas sensíveis do navio, especialmente com o canhão/estrutura/carregado do Mk.8 na proa; altura da… Read more »

GHz
GHz
11 anos atrás

Challenger,

A MB não dispõe, nem tem previsão de dispor, de nenhum desses helicópteros que o Sr. citou.

[[ ]]
GHz

Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

Além do peso no caso do Sea Hawk tem ainda o problema do tamanho. Ele é em geral bem mais comprido do que helicópteros do mesmo peso.

trackback
11 anos atrás

[…] Fonte: Pode Naval Categories: Defesa, Naval, Negócios e serviços, Sistemas de Armas Comentários (0) Trackbacks (0) Deixe um comentário Trackback […]

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

A cauda fica p/ fora, desde que o footprint do trem de pouso e o diametro do rotor principal girando fiquem em segurança sobre o convoo, deve haver um gabarito a ser preenchido, a cauda pode ficar prá fora.

Nunão
Nunão
11 anos atrás

Jorge, É por aí mesmo. A adaptação do projeto (mais do que do navio já completado) é possível, mas creio que dificilmente seria melhor que um projeto concebido para as funções específicas de um NaPaOc. Mesmo para escoltas, as necessidades de muitas marinhas modificaram-se sensivelmente desde o projeto da Barroso, com as necessidades de operações mais eficientes de lanchas rápidas sendo incorporadas, inclusive com rampas à popa, capacidade de levar frações de tropa etc. Características que são mais importantes ainda, na maioria dos casos, para NaPaOc (embora cada marinha tenha sua necessidade). 22 nós é uma boa velocidade máxima, desde… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

A vantagem da “Commandante” italiana é que é um design existente e em uso, ao contrário da “Gowind”.

Rodrigo
Rodrigo
11 anos atrás

Se fosse assim a policia iria as ruas fazer ronda de Leopard2!

Aqui no RJ não seria má idéia!!!

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

O entreguismo frances do governo Lula tem que ter um fim imediato!!!
As forças armadas tem que ter liberdade em avaliar e selecionar aqueles meios que de acordo c/ suas necessidades são os mais adequados.

RADAR
RADAR
11 anos atrás

BRONCO1…

MESMO DERIVADAS DAS MK-10, AS CCI, FORAM CLARAMENTE ALTERADAS DO PROJETO INICIAL, EX…ALTURA DO MASTRO ABSURDA, PARA QUE PUDESSE TER MAIOR EQUILÍBRIO PARA ENTRADA DE MAIS ARMAMENTOS… CANHÕES DE 40mm APERTADOS NO CONVÉS, E UM “BACALHAU” NÍTIDO NO PISO, POIS NO PROJETO INICIAL, ELES NÃO ESTAVAM LÁ… AS ACOMODAÇÕES DE TRIPULANTES, PARECEM GAVETAS DE CEMITÉRIO, E FORAM INCORPORADOS MAIS BELICHES DESDE O SEU LANÇAMENTO… CENTRO DE OPERAÇÕES APERTADO DEVIDO A QUANTIDADE EXCESSIVA DE EQUIPAMENTOS ADAPTADOS… E OUTRAS COISAS MAIS….

AGORA MAQUETE É MAQUETE, CONCORDO COM VC, QUE FAZER A MAQUETE FUNCIONAR É OUTRA COISA…

FRT ABRÇ …SDS

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

O projeto alemão, testado no Chile é mto interessante.

GHz
GHz
11 anos atrás

Com a triste experiência do evento Air France AF447, espero que esteja sendo levado em consideração no projeto do NPaOc, que será um navio SAR por excelência, a capacidade de operar organicamente os novos helicópteros EC725 ou SH-70, de dia e de noite, com sol ou chuva. http://www.naval.com.br/blog/?p=11569 A classe “Piloto Pardo” só possui capacidade de operar helicópteros menores, até o porte do Super Lynx (que normalmente não embarcariam nos NPaOc, especialmente os distritais) o que, na minha ótica, já é uma limitação que poderíamos prescindir nesta oportunidade. Já foi comentado que o NPaOc deverá ter um canhão de 76mm.… Read more »

Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

Esse me parece um verdadeiro patrulha mesmo, não um downgrade de Corveta. A Gowind francesa não seria mais o caso oposto? Um navio com real capacidade de combate, mais assemelhado a uma Corveta?
Alguém sabe se já existem reais competidores ou a marinha está avaliando livremente as opções existentes?

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
11 anos atrás

aliado a esses navios poderiamos tem avioes de vigilancia aerea com radares poderosos e avioes çaças baseado em terra pode ser até o tucano e claro as corvetas nas imediações. Poderia se pensar em plataformas com radares tudo interligado.

pedro paulo
pedro paulo
11 anos atrás

Olha so galera sou carioca ,estou morando em salvador,no dia 7 setembro teve a parada naval aqui em salvador com os navios do 2 distrito naval,mas e vergonhoso de ver a corveta cabocla porra aquilo e um lixo, que ja deveria virar sucata, e navios minagem niguem mais fala da renovaçao dessa frota, nos sim deveriamos desenvolver um projeto nacional de navio patrulha oceanico mas bem armados q esses projetos lixos essa e minha opiniao

Challenger
Challenger
11 anos atrás

Tenho uma revista Militar “Tecnologia e Defesa” de 1999, e nela aparece uma propaganda da Emgepron, que diz.
Contrução, Reparos e modernização de Navios de Guerra

“Principais produtos”

Corvetas; Submarinos; Navios-Patrulha; sistemas Taticos e de Guerra eletrônica, entre outros sistemas, só pra citar alguns.
Achei que fosse-mos capazes de construir pelos Navios Patrulha, será que é propaganda enganosa.

Na Real. Afinal de contas o que é a EMGEPRON ela faz jus ao seu nome?

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

Pedro Paulo, recomendo ua leitura no Arte NAval … e depois do be a ba vem dizer o que eh lixo o que nao eh m… nem vou entrar no merito sobre o que eh a CV Caboclo (tipoexplica pra que ela serve que eh perda de tempo ….uando na “Sapiencia Navalis” )

Ei, vc se formou quando em “Sapiencia Navalis”

eita …

Mod MO

Nunão
Nunão
11 anos atrás

“GHz em 12 Set, 2009 às 14:40 A classe “Piloto Pardo” só possui capacidade de operar helicópteros menores, até o porte do Super Lynx (que normalmente não embarcariam nos NPaOc, especialmente os distritais) o que, na minha ótica, já é uma limitação que poderíamos prescindir nesta oportunidade. Já foi comentado que o NPaOc deverá ter um canhão de 76mm. O canhão dos “Piloto Pardo” é de 40mm, o que, por si só, já traz alguma preocupação sobre o impacto que um sistema mais pesado vai ter no projeto final. GHz, Pelo que sei, o Piloto Pardo foi equipado com canhão… Read more »

Roberto Carvalho
Roberto Carvalho
11 anos atrás

Finalmente uma noticia sobre os NaPaOc’s

Achei que fosse crime falar sobre eles. Não havia lido nada nos últimos meses a respeito.

Parabéns ao Blog!

Roberto Carvalho
Roberto Carvalho
11 anos atrás

Nunão,

Se forem selecionados 2 estaleiros privados, ao invés de apenas 1, talvez seja possivel cumprir esses prazos.

Nunão
Nunão
11 anos atrás

Roberto, Ainda assim, prazo bem curto para o primeiro. Vide o tempo de construção dos dois primeiros NaPa 500 lá no Ceará. Sobre o que escrevi no outro comentário: Fui no site do fabricante e creio que, no caso de estarem corretos os dados sobre as provas de mar que a Fassmer publicou no ano passado, em que a velocidade máxima com carga total aproximou-se de 22 nós, minhas ligeiras objeções em relação ao assunto seriam infundadas. De qualquer forma, vi nas especificações do fabricante que a classe pode chegar a 25 nós (obviamente, com motores mais potentes que os… Read more »

Jorge
Jorge
11 anos atrás

Caro Nunão. Do que você e os colegas postaram, posso entender que por princípio, as disposições internas de um NaPaOc são diferentes de uma Escolta, diferenças essas que inviabilizam qualquer adequação da Corveta Barroso e/ou Inhaúma. Nesse aspecto, perdeu-se o investimento feito no projeto e construção das mesmas. Já que nada se aproveitará delas. Já entendi que um NaPaOc, não foi feito para enfrentar uma embarcação ou aeronave de guerra. Em caso de conflito deve retornar à segurança de sua base. Por esse motivo, não precisa ter nada além de metralhadoras e canhões até 57mm. Eventualmente dispositivos de defesa contra… Read more »

GHz
GHz
11 anos atrás

Outra classe de OPV que poderia operar com EC725 seria uma versão simplificada do projeto SIGMA holandês.

http://www.damen.nl/PRODUCTS/SIGMA_-_CORVETTES.aspx?mId=8632

[[ ]]
GHz

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Para bons entendedores meia palavra basta. Alemanha, mais uma bela chance para reverter o mal estar com a Marinha do Brasil e provar que pode transferir tecnologia.
Se olharem para a frente, podem ainda fazer bons negócios com o Brasil. Vamos tentar novamente.
Abs

corsario01
corsario01
11 anos atrás

Este projeto alemão não satisfaz o que a MB quer. São detalhes internos que ele não tem como oferecer. O que seriam? Uma coisa que não posso dizer, mas existe.

O projeto da Vosper é interessante, mas a Gowind tem muitas versões e pode ser forte concorrente tb.

Creio que uma das coisas mais importantes seria a capacidade de receber um Helicóptero pesado.

E isso, este modelo alemão ( Piloto Pardo) não tem.

URUTAU
URUTAU
11 anos atrás

Enquanto o nosso querido BRASIL vacila e muitos aqui se preocupam com os americanos nos invadindo e comendo nossas criancinhas a la estilo finado Michel Jackson rsrsrsrsrssr no Noroeste da America do Sul Chávez confirma projeto nuclear com a Rússia e mais gastos militares 13/09 – 21:05 – EFE ImprimirEnviarCorrigirFale Conosco CARACAS – O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, confirmou neste domingo que o país desenvolve um projeto nuclear civil com apoio da Rússia, nação que concedeu ao governo venezuelano um crédito de US$ 2,2 bilhões para a compra de armamento. “O governo russo aprovou um financiamento de US$ 2,2… Read more »

Challenger
Challenger
11 anos atrás

Os UH-12 são inadequados para operações no Mar e operações na Antartica, como vc disse eles tem varias limitações como capacidade de carga, alcance, são monoturbina e transportam apenas 5 pessoas, e a MB provavelmente tem ciencia disso.

O Agusta A-109LUH, Bell 412 e o Dauphin são candidatos ideais para essa vaga, ótimos também para os Esquadrões Distritais.

Um bom Exemplo é A-109 Power do HITRON (Helicópter Interdiction Tactical Squadron)da Guarda Costeira Americana.

Nunão
Nunão
11 anos atrás

“Jorge em 13 Set, 2009 às 20:43 PORQUE A CORVETA BARROSO NÃO DEVE SER USADA COMO NAPACO!” Jorge, trata-se de uma embarcação projetada e construída para cumprir missões de escolta, não de patrulha. Se o projeto poderia ser adaptado para futuros NaPaOc, é uma outra questão, mas creio que embarcações de menor deslocamento e com projetos que propiciem melhor adequação à função (ex: operação rápida de lanchas, tripulação reduzida, custos menores de operação) seriam mais interessantes. Chegou-se a discutir bastante nos fóruns, blogs e listas, tempos atrás, até a possibilidade de adaptar as Inhaúma (fazer um “downgrade”) para essa função,… Read more »

Sierra
Sierra
11 anos atrás

Ué… E o projeto alemão das novíssimas Corvetas K-130??? Por que não aproveitá-las??? “Os alemães já informaram que irão apresentar o projeto de suas fragatas da Classe “Sachsen” (Typ 124) e, caso haja interesse por parte da MB, também apresentariam o projeto das modernas fragatas Typ 125. Além disso, estariam dispostos a oferecerem as corvetas da Classe “Braunschweig” ( K130) para o projeto dos futuros NaPaOc. http://www.naval.com.br/blog/?p=362 http://www.naval.com.br/blog/?p=944” Vão dizer “NaPoOc não é Corveta…” mas…. como a estrutura dela é “modular”, em caso de algum distúrbio, pode-se inserir os módulos de armamentos e sensores… E pelo que sei, a Marinha… Read more »

Jorge
Jorge
11 anos atrás

Meu sonho de curioso em assuntos da MB: Uma comparação entre o projeto da Corveta Barroso e um NaPaCo de projeto mais atual. Como leigo total em construção naval, ler frases curtas e muita afirmativas, na maioria pseudo-explicativas, não tem efeito nenhum. Tem-se criticado os jornalistas leigos, mas a contradição e passionalidade dos “entendidos” não ajuda em nada. Quem sabe uma alma caridosa e verdadeiramente conhecedora, não monta um desenho de perfil das supracitadas embarcações, ou fotos, e nos esclareça. PORQUE A CORVETA BARROSO NÃO DEVE SER USADA COMO NAPACO! Afinal, quando a mesma foi “lançada” ao mar, só li… Read more »

Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

“Mauricio R. em 13 Set, 2009 às 12:33

A cauda fica p/ fora, desde que o footprint do trem de pouso e o diametro do rotor principal girando fiquem em segurança sobre o convoo, deve haver um gabarito a ser preenchido, a cauda pode ficar prá fora.”

Hmm, é mesmo, olhando agora fotos do Sea Hawk, o tripé traseiro do trem de pouso parece ficar bem mais pra frente do que no Black Hawk.

OPV
OPV
11 anos atrás

Este modelo, é exelente, O Chile comprou o projeto da alemanha, levou dois anos para construir (em ASMAR-Chile), já estão navegando (2 Unidades). Pelo que sei a Argentina tem planos para construir 4 Unidades. O Fato do Brasil comprar o projeto ja pronto e testado vai ser exelente para adquirir essa experiencia. Não duvido que logo mais o Brasil esteja projetando novos e bons navios por enquanto comprar projeto pronto é uma medida inteligente. Não da para fazer todo ao mesmo tempo do contrario vamos ficar apenas em boas ideias. Já existem projetos demais e estamos avanzando muito e em… Read more »

GHz
GHz
11 anos atrás

Aí vai mais um exemplo de NPaOc moderno que opera com helicópteros médios.

http://navy-matters.beedall.com/opvh.htm

Realmente não concebo NPaOc nos dias de hoje sem esta capacidade. Lembrando que o convoo maior também facilita a operação de VANT.

[[]]
GHz

trackback
10 anos atrás

[…] Vencedor de projeto para NaPaOc da MB sai em 2010 Tagged with: FASSMER • NaPaOc • OPV90  Se você gostou desse post, compartilhe! […]

Leonardo Angelozi
Leonardo Angelozi
10 anos atrás

Cade nossas defesas de ponto decentes. meu deus do ceu… temos meia duzia de fragatas caindo aos pedaços com sistemas obsoletos e misseis ridiculos… poderiamos investir nisso, isso sim importa.. o q adianta lota o oceano com NavPat.

Vem meia duzia de sukoi e afunda as plataformas e as escoltas q temos a 250Km de distancia.. enquanto nossos Modernos sistemas de misseis só tem alcance de 15km, 20km… RIDICULO!!!!!!!!!!!!!

Luiz Guilherme
10 anos atrás

Acredito que esta seja uma opção válida. Eu já imaginava que precisariamos de algum tipo de embarcação com o fim principal de patrulha oceânica, uma vez que o deslocamento de uma fragata ou, corveta é muito caro e, nem sempre ágil. Além disto, uma unidade deste porte pode ter uma presença mais efetiva para as ambições brasileiras de guardar sua costa e, recursos obitidos na zona exclusiva. Penso que devemos ter mais do que 5.

José peixoto
José peixoto
10 anos atrás

Entendo que a MB já tem um navio de patrulha, com capacidade de guerra, é o projeto das fragatas leves. Não acho correto estar procurando novos projetos, feitos por marinhas de mares interiores. As condições do atlântico são totalmente diferentes. Basta modificar o armamento das nossas fragatas leves, como por exemplo: canhão de 76 mm, quatro misseis antinavios, torpedos antinavios/submarinos leves, missil antiaéreo até 15 Km e helicoptero.Assim teremos patrulhas oceânicas, com poder de combate e melhor – com nossa tecnologia – vamos valorizar o que é nosso???Seria um bom começo! O próximo passo – vamos projetar um navio de… Read more »

José peixoto
José peixoto
10 anos atrás

Somente para completar um pensamento estratégico.
Prezados colegas.
tecnologia e idéias se desenvolvem com trabalho, capital e tempo.
Quando vemos um projeto americano, inglês ou francês, ficamos todos loucos em copiar ou comprar, mas não pesquisamos para descobrir, que aquele projeto é fruto de trabalho, pesquisa e investimento de vários anos. Ninguém faz milagre, devemos acreditar em nossos engenheiros e investir.Sem isto, nunca teremos tecnologia, capital, trabalho e desenvolvimento.
Vamos copiar dos países desenvolvidos, SIM, MAS A ORGANIZAÇÃO, NÃO OS PROJETOS. ASSIM SEREMOS NO FUTURO… MAIS RICOS.
ABRAÇOS.