Navio patrulha classe Grajaú da MB ao largo de Fortaleza - foto Nunão - Poder Naval

A Marinha do Brasil, através do Comando de Operações Navais (CON), contratou a empresa MTU do Brasil Ltda. para realizar serviços de revisão geral (rotina W-5) nos dois motores principais modelo 16V 396 TB 94 (MCP1 e MCP2) do navio-patrulha Grajaú. O valor do contrato está avaliado em R$ 577 mil e o prazo é de 105 dias.

FONTE: Diário Oficial da União

FOTO: meramente ilustrativa

Tags: , , ,

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

13 Comentários para “MB contrata MTU para revisão dos motores do NPa ‘Grajaú’”

  1. João Filho 3 de dezembro de 2013 at 13:52 #

    Off topic;

    Sera???

    Angola compra o porta-aviões espanhol ‘Príncipe de Asturias’

  2. Almeida 3 de dezembro de 2013 at 14:19 #

    Já dei umas voltas nele e pode ser impressão minha mas ele tinha os motores diesel mais “fedorentos” que já vi. Era insuportável ficar na direção do vento, muita fumaça preta e cheiro de óleo.

    Sim, eu sei que grandes motores diesel tem cheiro forte. E que o diesel nacional é uma boa bosta. Estou comparando com outros navios que já embarquei por aqui.

  3. juarezmartinez 3 de dezembro de 2013 at 20:53 #

    Caro Almeida! Este sintoma a que tu te referes caracteriza problemas co os bicos injetores diesles ou ainda coma própria bomba injetora, ou um ou ambos estão com desgste genrado pulverização exceciva dos bicos que por consequência gera um super enrequecimento das mistura ar combustível. Resultado: Muita fumaça preta e um cheiro ardente de diesel mal queimado.
    O agente causador disto tudo é o “qualquer coisa com um pouco de diesel” que a a incompetência da Pètrobras disponibiliza por aqui.
    No meu modesto entender, se eu fose da Divisão de puprimentos da Mb começava imediatamente c comprar S 10, os problemas se reduziriam e muito.

    Grande abraço

  4. Almeida 3 de dezembro de 2013 at 23:03 #

    Opa! Obrigado pelo esclarecimento juarezmartinez!

    Espero que essa revisão melhore a situação! Torço pela melhora nas condições de trabalho desses marinheiros!

  5. Observador 4 de dezembro de 2013 at 12:20 #

    João Filho3 de dezembro de 2013 at 13:52 #

    É “vero”:

    http://www.angola24horas.com/portal/index.php/k2/categories/nacional1/item/589-angola-compra-porta-avioes-principe-das-asturias

  6. GUPPY 4 de dezembro de 2013 at 13:00 #

    Prezados Observador e João Filho,

    Li recentemente que Angola está intensificando intercâmbio com a Rússia na área militar e, inclusive, analisando a possibilidade de adquirir caças. Agora um porta-aviões, qual será a de Angola no Atlântico Sul? Daqui a pouco, a Namíbia e a África do Sul também vão querer um porta-aviões.

    Sds

  7. Observador 4 de dezembro de 2013 at 16:45 #

    GUPPY4 de dezembro de 2013 at 13:00 #

    Caro Guppy:

    Embora seja fora do tópico, o jeito é comentar o assunto por aqui até a notícia ser postada no Blog.

    Sobre o que quer Angola, é fácil dizer.

    Angola é uma democracia de fachada, governada desde 1979 pelo mesmo presidente, mantido no Poder com o apoio do MPLA, o qual, pelo menos oficialmente, abandonou a doutrina marxista na qual foi criado (igualzinho a muitos partidinhos sem-vergonhas deste lado do Atlântico).

    São Bolivarianos da África, embora nem de longe sejam os únicos.

    Por isto a malta que nos governa gosta de manter boas relações com eles.

    E tal qual a esculhama que governa a Venezuela, os donos do Poder em Angola estão montados no petróleo e querem mostrar força para a vizinhança comprando uma série de brinquedinhos para as forças armadas, de preferência de origem russa.

    Por isto compraram o Príncipe das Astúrias. Só quero ver o que vão querer pousar e decolar dele.

    Como os venezuelanos já perceberam, os angolanos também vão aprender que comprar é mais fácil do que operar.

  8. daltonl 4 de dezembro de 2013 at 18:00 #

    Eles não compraram ainda, por enquanto são rumores,
    assim como nossa marinha também “inspecionou” o
    ex-USS Independence e chegaram a conclusão que não tinham recursos para operar algo tão grande.

    Além do mais o PDA apesar de ter “apenas” 25 anos precisará de um bom dinheiro para reforma sem falar que
    segundo a Wiki a marinha angolana tem apenas 1000
    integrantes.

  9. Guilherme Poggio 4 de dezembro de 2013 at 20:08 #

    segundo a Wiki a marinha angolana tem apenas 1000 integrantes.

    Bem lembrado caro Daltonl

    O PDA precisa de pelo menos 600 homens para sair navegando (não estou contando o pessoal do grupo aéreo).

  10. GUPPY 4 de dezembro de 2013 at 22:19 #

    Caro Observador,

    Totalmente de acordo com o seu comentário.

    Agora, SE um dia a MB tiver que enfrentar a Marinha angolana, o treinamento para afundar o Fernando Alonzo (Príncipe das Astúrias) já foi feito há alguns anos pelo Submarino Tupi (ou Tamoio), rsrs.

    E interessante a informação do Admiral sobre o efetivo da Marinha angolana e o dado do Poggio sobre o número mínimo de tripulantes para o futuro “Agostinho Neto” (ou José Eduardo dos Santos”) suspender.

    Quer saber: Não tem sentido.

  11. Luiz Monteiro 4 de dezembro de 2013 at 23:26 #

    Por falar em navios espanhois…

    Em 2011, a MB fez uma oferta para aquisição de um LST da Classe Bay. Todavia, a RAN ofereceu um valor maior e acabou “levando” o navio.

    Logo em seguida, MB procurou a MN a fim de adquirir o “Siroco”, mas os franceses informaram que não pretendiam vender o navio.

    Em breve, uma fragata da Classe Alvaro de Bazan deve chegar ao Rio, com autoridades navais espanholas. É uma boa oportunidade para buscar informações sobre a possibilidade de obtencao de um LPD Classe Galicia. Caso eles queiram
    vender.

  12. daltonl 5 de dezembro de 2013 at 8:32 #

    LM…

    claro que você sabe disso, foi apenas uma distração sua, os “Bays” são classificados de LSDs não LSTs.

    Quanto ao “Siroco” de fato não estava à venda na época,
    mas com os cortes, como detalhado nos “Papéis Brancos”
    que já foi comentado aqui no blog, o “Siroco” deverá ser descomissionado em breve e dizem que deverá parar na Marinha Chilena que adquiriu o irmão dele em 2011.

    abs

  13. Luiz Monteiro 5 de dezembro de 2013 at 10:14 #

    Prezado Dalton,

    Obrigado pela correção.

    Foi ato falho. São LSD.

    Abraços.

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Nota à Imprensa de 04/05/15: Avaria no Navio de Desembarque-Doca ‘Ceará’

Operação 'Amazônia Azul'2015
Rio de janeiro 06 de março de 2015
A Marinha do Brasil está realizando, desde o dia 1° até 6 de maio, a Operação Amazônia Azul 2015, desenvolvendo atividades de fiscalização nas Águas Jurisdicionais Brasileiras.

O Grupo Tarefa Sudeste, que coordena as ações nas áreas de responsabilidade do Comando do 1º Distrito Naval – área marítima do Rio de Janeiro e Espírito Santo – realizará atividades de Patrulha e Inspeção Naval, bem como ações de proteção aos navios mercantes, plataformas fixas e suas instalações.

Durante a Operação, serão empregados dois Navios-Patrulha, um Rebocador de Alto Mar, um Aviso de Patrulha, além dos meios da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.
o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Apa”, subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sudeste, realizou exercício de retomada de plataforma na Bacia de Campos. Tal iniciativa visa manter e aprimorar a capacidade de pronta resposta no caso de tentativa ou efetiva invasão das plataformas de petróleo. Em paralelo, manteve as ações de Patrulha Naval e Inspeção Naval na região.
Ricardo Pereira / FututraPress

Em complemento às informações divulgadas anteriormente, a Marinha do Brasil participa que o reboque do Navio de Desembarque-Doca (NDD) “Ceará” […]

Nota à Imprensa: Avaria no Navio de Desembarque-Doca ‘Ceará’

NDD Ceará

Em complemento à Nota à Imprensa emitida hoje pelo Comando do 4º Distrito Naval, a Marinha do Brasil (MB) informa […]

Sopro de esperança: provas de mar da corveta ‘Júlio de Noronha’ começam no meio do ano

V32

Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa Há muitos ditos populares que, usados com jocosa maledicência, podem […]

Nota à Imprensa sobre a situação do NDD ‘Ceará’

ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-01-02-15-5 copy

MARINHA DO BRASIL COMANDO DO 4º DISTRITO NAVAL ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL “NOTA À IMPRENSA” Belém – PA, 02 de […]

Irã anuncia nova rota comercial bem defronte à área de patrulhamento da FTM-UNIFIL

071712_hn_iran_640

O governo do Irã prepara a criação de uma linha de transporte marítimo entre seu país e a Síria. O […]