Lançada a Languedoc, quarta FREMM da Marinha Francesa

Lançada a Languedoc, quarta FREMM da Marinha Francesa

54
4
SHARE

FREMM Languedoc flutuando fora da oficina de construção - foto DCNS

O navio foi posto a flutuar em 12 de julho, nas instalações de Lorient da DCNS, onde se trabalha simultaneamente em cinco fragatas multimissão FREMM

Em 12 de julho foi posta a flutuar (o equivalente ao lançamento) a quarta fragata multimissão FREMM destinada à Marinha Francesa, a Languedoc.  O evento ocorreu nas instalações da DCNS em Lorient, na França, com o alagamento da doca onde foi construído o casco a partir da manhã do dia 12.

Com a saída e manobra do navio, manobra para a qual foram utilizados rebocadores, a Languedoc foi atracada ao cais de acabamento, onde a construção continuará pelos próximos meses, com a integração de diversos sistemas, mastros de sensores e outros equipamentos.

A construção do navio foi iniciada em setembro de 2011, e a DCNS, no momento, realiza trabalhos simultâneos em cinco fragatas do tipo: a Normandie, terceira fabricada em Lorient e a segunda para a Marinha Francesa, iniciou suas provas de mar em outubro de 2013 e será entregue ao operador no final deste ano; a Provence foi lançada (posta a flutuar) em setembro de 2013 e iniciará suas provas no terceiro trimestre de 2014; a Languedoc acaba de flutuar e duas outras estão, no momento, em construção.

FREMM Languedoc embandeirada para flutuar - foto DCNS

Além desses navios, a Aquitaine, primeira FREMM construída para a Marinha Francesa, foi aceita oficialmente para operação em novembro de 2012 e a Mohammed VI foi entregue à Marinha Real do Marrocos em 30 de janeiro de 2014.

FREMM é a sigla para fragata europeia multimissão, capaz de executar missões antiaéreas, antissuperfície e antissubmarino, um programa que na França deverá compreender 12 navios, 11 para a Marinha Francesa e um para o Marrocos.

Dados técnicos da FREMM

  • Comprimento total: 142 m
  • Boca: 20 m
  • Deslocamento aproximado: 6.000 toneladas
  • Velocidade máxima: 27 nós
  • Tripulação: 108 (incluindo grupo aéreo embarcado)
  • Capacidade de acomodação: 145 homens e mulheres
  • Alcance: 6.000 milhas náuticas a 15 nós

FONTE / FOTOS: DCNS (tradução e edição do Poder Naval a partir de original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

4 COMMENTS

  1. Clicando na imagem do alto para ampliar, pode-se ver ao fundo, bem no canto direito, algumas seções de casco prontas de futuros navios.

  2. Este bichao segue o principio de construçao do Zunwwat (nao sei se escreve assim)?? É retasso , sem reentrancias ou saliencias , ainda nao instalaram o canhao?

    Sds. Eduardo o mais leigo naval q aereo ainda!!rs

  3. Eduardo,

    A coisa mais comum do mundo é navios de guerra serem lançados ao mar / postos para flutuar com muitos itens ainda por instalar, como mastros, sensores, canhões, mísseis etc, para falar só dos que são visíveis externamente. Isso libera as carreiras de construção e diques (conforme o caso) para as construções seguintes, com o resto do trabalho de acabamento sendo realizado num cais.

    E isso ocorre há décadas e mais décadas (pra não dizer séculos)

    Clicando nos diversos links ao final da matéria você poderá ver imagens de navios da classe tanto nessa fase de lançamento quanto já completos.

Deixe uma resposta