Home Marinha do Brasil CAAML realiza inspeção na corveta ‘Julio de Noronha’

CAAML realiza inspeção na corveta ‘Julio de Noronha’

2737
23
Corveta Julio de Noronha

No dia 7 de agosto, a Corveta “Julio de Noronha” recebeu equipe de inspetores do Centro de Adestramento Almirante “Marques de Leão” (CAAML), dando mais um passo para seu retorno à fase operativa. Foram verificados os setores de máquinas, controle de avarias, fainas marinheiras, manobra e navegação.

Chegando ao término do período de manutenção e modernização e caminhando positivamente para se juntar aos demais meios operativos, o resultado apresentado pelos inspetores indica que o navio está no rumo correto.

Inspetores do CAAML na Julio de Noronha

23 COMMENTS

  1. Agora temos uma Marinha com um sub, duas corvetas e um navio doca, o resto só flutua. A, esqueci, temos uma guarda costeira com três NaPaOc e dois napa500.

  2. Esse problema de fazer água na proa em mar grosso, foi resolvido na Barroso, que é um projeto inspirado na classe Inhaúma.
    Classe Inhauma.
    Dimensões
    Deslocamento: 1.970 Ton (carregado)
    Comprimento: 95.77 metrôs
    Boca: 11.4 metrôs
    Calado: 3.7 metrôs e 5.3 M de calado máximo.
    Tripulação: 133 homens, sendo 20 oficias e 113 praças.
    Construtores: Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (Inhaúma e Jaceguai) e Estaleiro Verolme (Júlio de Noronha e Frontin)
    Desempenho
    Velocidade máxima (nós): 29
    Propulsão: CODOG (Combinado diesel e gás), com 1 turbina a gás GE LM2500 de 27.480hp, 2 motores a diesel MTU 16V956 de 3.940hp cada acoplados a dois eixos.
    Raio de Ação (km): 7.400 a 15 nós

    Classe Barroso (2002)

    A Classe Barroso 
    Baseada na Classe Inhaúma, o primeiro exemplar, designado como V-34. O casco foi lançado ao mar em 2002 e entrou em serviço a partir de 2008. Atualmente encontra-se em missão da ONU, no Líbano.
    Projeto
    Basicamente, além da atualização do sistema de armas e eletrônica embarcada, as modificações desenvolvidas no país tem por objetivo sanar problemas com o projeto original das corvetas. Para melhorar as qualidades marinheiras do projeto das Inhaúma que tem problema de estabilidade e diminuir o embarque de água em mar bravio, a proa foi remodelada como é visualmente perceptível, sendo maior e mais alta, também tendo recebido “bochechas” como na Classe Niterói. O convôo foi estendido para facilitar as operações com helicópteros. O navio possui linhas mais suaves de modo a diminuir a reflexão de radar e aumentar a furtividade da embarcação.
    Características
    Dimensões
    Deslocamento (toneladas): 1.785-padrão / 2.350-plena carga
    Dimensões (metros): 103,4 x 11,4 x 5,3
    Tripulação: 160
    Construtores: Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
    Desempenho
    Velocidade máxima (nós): 29
    Propulsão: CODOG – Turbina a gás ou motor a Diesel – 2 motores a Diesel MTU Friedrichshafen (16V 1163 TB83) para velocidades de cruzeiro ou 1 Turbina a Gás para alta velocidade General Electric (LM2500)
    Raio de Ação (km): 7.200 a 14 nós

  3. Se não existe dinheiro para comprar novos meios, o negócio é a marinha utilizar toda a experiencia do AMRJ para prolongar a vida útil das fragatas, corvetas e outras embarcações.

  4. Talvez se trocassem esse canhão Vickers Mk 8 de 114mm por um Bofors MK4 de 40mm e colocassem uma “cerca” fechada nas laterais da proa ao invés de colocar essa guarda aberta, melhorasse o desempenho em mar agitado, pura opinião de leigo.

  5. Ádson, se houver vontade e $$$, tenho 99,9% de certeza que da sim, pois ao menos o pilone central suporta pesos acima de 1 ton, então sem problema.

  6. Por quê países miseráveis como Coréia do Norte e Vietnã conseguem se armar com quase uma centena de submarinos [caso C. Norte] e o Brasil, ainda uma Ecinomia grande, sempre compra caríssimas sucatas que dão despesas de reforma absurdas e são rapidamente de-comissionadas?
    Isso não parece economia, ou corte de gastos: isso parece sabotagem governamental.

    Já perdemos a liderança política e Militar da América Latina, vamos agora ter que começar a perder território!

    É revoltante essa sabotagem contra nossas FFAA!!!!

    Algum Generais deveríam dar um murro na mesa para PODEREM CUMPRIR SUAS ATRIBUIÇØES CONSTITUCIONAIS!!

  7. Maynard…
    .
    a maioria absoluta dos submarinos da Coreia do Norte são “pequenos” ou mesmo “anões” e quanto aos “grandes”, são antigos e estão sendo retirados de serviço…o que de fato garante
    uma dissuasão é que a capital da Coreia do Sul está muito próxima da fronteira e portanto dentro do alcance da artilharia norte coreana e no momento que os militares norte coreanos usarem armas atômicas eles estarão condenados.
    .
    No mais, a Coreia do Norte está bastante ultrapassada e não seria páreo para a mais rica e populosa Coreia do Sul e se a Coreia do Norte conseguiu o que conseguiu principalmente no
    que se refere a tecnologia de mísseis isso se deve ao fato de ser uma ditadura cruel que faz
    vistas grossas ao sofrimento da grande maioria da população.

  8. Maynard, não consigo ver que meios atuais ou das últimas décadas da MB se encaixariam ao mesmo tempo nos três itens da categoria que você escreveu que sempre é comprada, de “caríssimas sucatas que dão despesas de reforma absurdas e são rapidamente descomissionadas”.
    .
    Consigo pensar em alguns que se encaixariam num ou outro item, mas não nos três.
    .
    Não estou querendo pegar no pé nem defender a MB, estou querendo saber mesmo quais os meios que vc pensou pra comentar, pois os fatos pra mim não batem com essa categoria, ainda mais pensando em ser sempre compras assim, como vc escreveu.

  9. Maynard 14 de agosto de 2017 at 9:53
    80% do PIB da KN é para os Militares.
    __________________

    A KS é outra praia, pesquise e entenderás.

  10. Já servi 6 anos na Barroso (2008 a 2014).
    Não dou mais 5 anos, para o navio ficar com a Inhaúma e a Frontin ficaram.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here