quarta-feira, dezembro 1, 2021

Saab Naval

Rússia vai comprar MiG-29K para ajudar a RSK MiG

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

MiG-29K

A agência de notícias RIA Novosti informou que a Rússia vai apoiar financeiramente a RSK MiG, em especial, com um novo programa de aquisição de caças navais MiG-29K para a Marinha russa, segundo entrevista do Vice-Premier Sergey Ivanov, no dia 11/02.
A situação financeira da RSK MiG não é das melhores, mas a Rússia considera a empresa estratégica, por isso fará as encomendas.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Marco

O exemplo pode ser seguido pelo Brasil, pois nosso país ajuda seus vizinhos bolivarianos com equipamentos militares, porque não comprar equipamentos de empresas brasileiras em situação de risco pelo mesmo interesse estratégico que faz para ajudar outros países.
Equipamentos que antes de serem os mais avançados, são brasileiros. Localizados em locais estratégicos é melhor do que nada.

Jacubão

É o monstro da crise global arruinando economias e emprêsas.

Virtualxi

O Brasil deveria aproveitar a chance e comprar 12 a 24 unidades para operar no Navio não aeródromo São Paulo. Torná-lo operacional e com isso incluir uma estratégia de dissuasão e ampliação do poder naval para todos os âmbitos da Ámérica Latina e Costa da África do Sul. Poderíamos adquirir os modelos fornecendo bens como carne e outros diretamente ao governo russo,ajudando secundáriamente as indústrias aqui do Brasil e mantendo os empregos em situações aceitáveis. Brasil está na hora de pensar em defesa como estratégia de defesa nacional e principalmente gastando recursos para compra de equipamentos sofisticados e reais, e… Read more »

AJS

Além da FAB com o F-X2, também a MB está a procura de aviões?

Fábio Max

Um bom exemplo da Rússia para o Brasil. Empresa estratégica, a propria expressão já diz, é importante para o país, precisa ser mantida porque é capaz de gerar riquezas e/ou segurança nacional, precisa ser preservada. O Brasil deixou a Avibrás quase ir pro vinagre, deixou a Bernardini ir pro vinagre e a Embraer só não foi, porque alguns valentes como o Osires Silva, a mantiveram no braço, até que se convenceram em privatizá-la mantendo ações golden share. Por isso que achei estranho, no post sobre a companhia aérea mexicana, a dita complexidade de financiamento. O BNDES deve dar financiamento para… Read more »

marujo

Não entendo como pode passar despercebida de muitos colegas foristas,o comentário do Sr. LM,capitão de fragata da Marinha, a respeito do programa FX – 2. Ele disse com todas as letras que o avião a ser escolhido pela FAB terá que ter capacidade de operar embarcado, ele terá que operar a partir do São Paulo, dentro de uma concepção de atuação conjunta igual a britânica. O avião que for escolhido para a FAB, segundo o Sr. LM, também será adotado pela MB,a partir de 2020

Dalton

Marujo…

Quando os avioes finalmente vierem, e irá demorar alguns anos ainda, o nosso Sao Paulo terá uma vida util de apenas uns dez anos.

Ou seja, os avioes irao durar muito mais do que o Sao Paulo e nao há nenhum indicativo de como será o nosso futuro porta-avioes, se é que haverá um futuro porta-avioes.

Se assim, porque limitar a escolha do futuro aviao da FAB, em decorrencia de termos um porta-avioes com tao pouco tempo de vida?

Nao li nada oficialmente sobre isso que comentou…mas…também posso estar redondamente enganado.

abraços

Vassili Zaitsev

Resumindo, A Rússia comprou os 26 Mig-29 que a Argélia recusou receber, sob alegação de que eram “de qualidade inferior” ao estipulado no contrato de compra. Para não verem os caças novinhos em folha parados, resolveram soltar 690 milhões de dóllares e ficar com eles.

pira

o MiG 29 K é melhor que o Su-33 atualmente pois o Su-33 parou no tempo.
não é de todo um mal essa compra.

Baschera

Bem que a notícia poderia se aplicar ao nosso caso, o de que o governo decide apoiar uma industria de defesa em dificuldades.
O melhor apoio não é dar $$$$ a vontade, mas adquirir equipamentos que beneficiem toda a cadeia industrial.

Sds.

Fábio Max

Eu penso que se é para adquirir aviação embarcada, que se comprem aeronaves que a FAB saiba e aceite operar. Porque, se não houver mais um NAe para tanto, simplesmente se transfere o equipamento para a força aérea.

Simples e cristalino!

Mas que é algo complicado, é. O único avião do FX-2 com versão embarcada é o F-18. O SU 37 tem uma variante naval, mas não está no FX-2, e ao mesmo tempo, o que a marinha faria com aviação navalç de caça, sem um NAe?

Nunão

Dalton, o que parece é que A12 e A4 terão correspondência no tempo e no espaço pelo resto de suas vidas na MB.

O que foi comentado é que o futuro caça da FAB, se possível, seria utilizado pela MB em um futuro NAe. Aliás, pelas duas Forças.

Ou seja, tudo futuro, mas que depende desse tal de F-X2 também ter… futuro!

Daniel Camilo

Caro Fábio Max: “O único avião do FX-2 com versão embarcada é o F-18. O SU 37 tem uma variante naval, mas não está no FX-2, e ao mesmo tempo, o que a marinha faria com aviação navalç de caça, sem um NAe?”
E o Rafale meu prezado??? Abs.

Flamenguista

Ainda defendo a mudança de doutrina para navios expedicionários multi-emprego, os “porta-helicópteros” e, talvez, “porta-VANT-C” com o emprego do CFN e blindados anfíbios embarcados, e basear a aviação naval de asa fixa no continente. Com isso, economizaríamos em escoltas dedicadas e, teríamos mais recursos para aumentar a frota de subs, sejam nucleares ou convencionais. Imaginem o litoral brasileiro com 4 ou 5 bases navais com a dotação de 4 a 6 F-18 ou Su-32 FN?

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Reator nuclear pode tornar Brasil autossuficiente em radiofármacos

Empreendimento reduzirá riscos de desabastecimento e custos dos medicamentos, além de ampliar o acesso dos brasileiros à medicina nuclear São...
- Advertisement -