Home Noticiário Internacional Itália exerce opção para nona e décima unidades da FREMM

Itália exerce opção para nona e décima unidades da FREMM

1010
11

 FREMM Carlo Bergamini - foto 2 Marinha Italiana

Construção dos dois navios representa um contrato de 764 milhões de euros para a Orizzonte Sistemi Navali e completará o fornecimento de 10 exemplares da FREMM para a Marinha Italiana

Nesta quinta-feira, 16 de abril, a Fincantieri divulgou nota informando que a Itália exerceu a opção de construção da nona e décima unidades da FREMM (fragata europeia multimissão) destinadas à Marinha Italiana. A parceria Orizzonte Sistemi Navali S.p.A entre a Fincantieri (51%) e a Finmeccanica (49%), que é a contratante principal italiana dentro do programa ítalo-francês FREMM, foi notificada sobre essa decisão pela OCCAR (Organisation for Joint Armament Cooperation – organização para cooperação conjunta em armamento).

Com essa encomenda, que representa um contrato de 764 milhões de euros para a Orizzonte Sistemi Navali, será completado o fornecimento de 10 exemplares da FREMM para a Marinha Italiana. Ainda segundo a nota da empresa os dois navios deverão ser entregues após 2020 e trarão, como novidade, um grau de flexibilidade maior que os antecessores, podendo atuar em todas as situações táticas.

FREMM Carlo Bergamini - foto 3 Marinha Italiana

FREMM Virginio Fasan - foto Marinha Italiana

A nota, porém, não esclareceu diferenças específicas em sensores, armamentos ou conceitos de emprego para explicar essa maior flexibilidade frente aos exemplares já entregues ou encomendados, fazendo referência apenas às características básicas dos navios: comprimento de 144 metros, boca de 19,7 metros, deslocamento a plena carga de cerca de 6.700 toneladas, velocidade máxima acima de 27 nós e acomodações para 200 pessoas. Na Marinha Italiana, as FREMM substituem fragatas construídas pela Fincantieri na década de 1970, das classes “Lupo” e “Maestrale”.

FREMM Carlo Margotini - foto Marinha Italiana

FREMM CArlo Bergamini - foto Marinha Italiana

Nas fotos desta matéria, que podem ser encontradas em maior resolução no site da Marinha Italiana, são vistas as três fragatas FREMM que a Itália já opera: Carlo Bergamini (F 590), Virginio Fasan (F 591) e Carlo Margottini (F 592). A principal diferença da primeira é o canhão principal de 127mm sobre o convés de proa, ao invés da arma de 76mm instalada no mesmo local dos outros dois navios (em comum aos três, está o canhão de 76mm sobre o hangar). Todas são classificadas na Marinha Italiana como fragatas multitarefa (multiruolo), embora a F 590 seja descrita como de emprego geral enquanto as duas outras têm ênfase em guerra antissubmarino (ASW).

FREMM Carlo Margottini no Mediterrâneo em março de 2015 - foto Marinha Italiana

VEJA TAMBÉM:

11
Deixe um comentário

avatar
11 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
Wellington GóesjoseboscojrFernando "Nunão" De MartiniIväny Juniorrafael oliveira Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
rafael oliveira
Visitante
rafael oliveira

Duas FREEM italianas por 764 milhões de euros me parece um bom negócio.

Detalhe: esse valor é menor que o acréscimo de 900 milhões de dólares no contrato do Gripen.

Iväny Junior
Visitante
Member

Foi realmente muito bom o preço. Mas sobre o contrato do Gripen a FAB divulgou uma nota esclarecedora ainda há pouco.

A cotação atual entre coroas suecas x dolár deixa o preço atual em 4.6 bilhões de dólares. É só analisar o câmbio no banco mundial. A FAB não é partido político brasileiro.

Iväny Junior
Visitante
Member

Analisando bem essa encomenda da Itália saiu bem mais barata que a marroquina (http://www.usinenouvelle.com/article/a-brest-le-maroc-prend-possession-de-sa-fregate-fremm-mohammed-vi.N236729) que é do padrão francês, menor e menos armada.

O padrão italiano da FREMM é comparável à Classe 125 da TKMS.

Em todos os casos, ótimos navios. Os melhores da dcns junto com o CDG e o Mistral.

Iväny Junior
Visitante
Member

Nunão Estou tomando por base o contrato francês de um barco da mesma classe porém em padrão um pouco menor que custou 670 milhões de euros. “Le coût du programme s’établit à un peu plus de 9,5 milliards d’euros aux conditions économiques de 2014, et le coût unitaire d’une FREMM, hors coûts non récurrents de développement et de logistique initiale, à 670 millions. Les principaux engagements pour l’année prochaine (507 millions d’euros en AE et 362,7 millions en CP) couvrent des hausses économiques.” http://www.senat.fr/rap/a14-110-8/a14-110-819.html#toc308 Como a Itália também é parceira no projeto a diferença entre preços é exorbitante. Claro que… Read more »

Iväny Junior
Visitante
Member

tomando por base também*^^

rafael oliveira
Visitante
rafael oliveira

Ivany, eu sei que fui eu que introduzi um “off topico” no texto, mas pretendo não discutir o assunto aqui. Já expus minha opinião lá de que a nota não é nem um pouco esclarecedora e que a diferença de cotação não explica a diferença de valores entre o que foi ofertado e o que foi contratado.

Nunão, de acordo com seu comentário de que não é possível saber exatamente o que está sendo pago. Vou aguardar mais notícias relacionadas.

Até mais.

joseboscojr
Membro
Member
joseboscojr

Pessoal,
É o preço do navio limpo, sem mísseis, helicóptero, torpedos, etc.
Depois de armado, o custo deve subir pelo menos uns 10%.

Iväny Junior
Visitante
Member

Bosco

No pior dos casos, totalmente limpo afora os sensores e armamentos, ainda é um ótimo negócio.

Wellington Góes
Visitante
Member
Wellington Góes

Gosto mais do design do casco das FREMM italianas do que das francesas, em especial o formato do casco na proa. No design francês ela é maior, parece uma mesa, já na italiana é a proa é mais esguia.

Em contrapartida, a superestrutura das FREMM francesas é mais lindo, sem toda essa parafernália de antenas que tem a versão italiana.