Home Aviação Naval Gripen M / Sea Gripen: Marinha acompanha F-X2 e se atualiza sobre...

Gripen M / Sea Gripen: Marinha acompanha F-X2 e se atualiza sobre versão naval

11674
88

Foi realizada na cidade de Linköping, na Suécia, no período de 16 a 20 de maio, a reunião de acompanhamento do Programa FX-2 da Força Aérea Brasileira (FAB), que prevê a aquisição de aeronaves de caça com transferência de tecnologia para o Brasil. A Marinha do Brasil (MB) participou da reunião com o propósito de obter conhecimentos fundamentais relacionados à negociação para a aquisição da aeronave Gripen NG pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC/FAB) e a atualização do estudo preliminar de viabilidade de uma futura versão naval do modelo, denominado Sea Gripen, constante no Acordo de Compensação Industrial.

Comitiva MB na apresentacao do Gripen com FAB e Saab - foto via MBDurante o evento, a comitiva da MB, composta pelo Diretor de Aeronáutica da Marinha, Vice-Almirante Carlos Frederico Carneiro Primo, e por representantes da Marinha na COPAC e da Diretoria-Geral do Material da Marinha, teve a oportunidade de participar da cerimônia de rollout (apresentação) do Gripen E, versão que foi adquirida pela FAB. A cerimônia de apresentação teve grande repercussão internacional na mídia especializada, contando com as presenças do Ministro da Defesa da Suécia, do Comandante da Força Aérea Brasileira, dentre outras personalidades e autoridades de diversos países.

Comitiva MB na Universidade de Linkoping - foto via MBParalelo ao evento, a comitiva da Marinha realizou uma visita à Universidade de Linköping, com o objetivo de verificar sua principal área de atuação, capacidades e as possibilidades de futuro estreitamento de informações com a MB. Durante as visitas às instalações e aos laboratórios da universidade, pôde ser observada a excelência nos recursos instrucionais disponíveis e os projetos desenvolvidos pelos alunos e professores, em parceria com a indústria aeronáutica daquele país, contribuindo para o círculo virtuoso de cooperação e sinergia entre a academia e a indústria.

FONTE / FOTOS MENORES (clique para ampliar): Marinha do Brasil

ILUSTRAÇÃO DO ALTO: Saab

NOTA DO EDITOR: o título original é o subtítulo

VEJA TAMBÉM:

88
Deixe um comentário

avatar
76 Comment threads
12 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
45 Comment authors
Sandro Rosa PedraHélio juniorFabioRommelqeMadmax Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Gustavo Borges
Visitante

Sem um aumento cavalar nos recursos da marinha a compra do Sea Gripen seria um tiro no pé. Adianta nada ter aviação embarcada sem ser capaz de repor munição, combustível e pessoal nos navios que ainda navegam.

Celso
Visitante
Celso

Fica dificil nao entender q isso nao passa de mais um devaneio dos atuais comandantes da MB…..afinal, nem certeza se tem de q terao 4 subs ate 2022, muito menos um subnuc, pior ainda……qdo eh q a atual baleia branca dita A 12 vai de fato entrar em manutencao seria. Enfim, muita serpentina e nenhum carnaval, mas passeios em comitivas estao a todo vapor na marinhatour.

Gelson Jorge Emerim
Visitante
Gelson Jorge Emerim

A versão naval do Gripen caberia como uma luva nos anseios da MB. Pois trata-se de um ótimo vetor. Uma parceria entre a SAAB e um estaleiro respeitável poderiam desenvolver um conjunto formidável para uso naval. Digo um porta-aviões novo e adequado para esta aeronave. Seria o momento ideal para levar adiante este sonho. Porém, na atual conjuntura econômica do país e diante da falta de uma organização adequada da MB, neste momento não se deveria levar adiante esta ideia. A MB já provou que não sabe usar os recursos que tem disponíveis. A compra de versões navais de asas… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

A Saab nem sonha em projetar e construir porta aviões Gelson.

Gelson Jorge Emerim
Visitante
Gelson Jorge Emerim

Marcelo,
talvez não tenha me expressado bem mas o que quis dizer é que será (seria) necessária uma parceria entre a SAAB (desenvolvendo a versão naval do Gripen – já que ela não existe ainda) e um estaleiro naval com experiência neste ramo (desenvolvendo um porta-aviões adequado para o emprego desta aeronave – sem remendos ou adaptações).
Abraços.

MARCOV
Visitante
MARCOV

NAe, novas aeronaves, fragatas, submarino nuclear . . . é muito programa pra pouco dinheiro. Não dá pra bancar tudo ao mesmo tempo e esperar um bom resultado e que seja mantido o cronograma. O melhor seria focar no mais necessário e possível. Será que um maior número de submarinos convencionais não seria o ideal neste momento. Eu não me lembro, mas com o valor do nuclear nós poderíamos construir/adquirir quantos convencionais novos?

Marcelo
Visitante
Marcelo

Ok Gelson. Mas para desenvolver o Gripen naval, não é necessário parceria com o fabricante do porta aviões, basta conhecer a operação nesses navios. Me parece que foi utilizada consultoria inglesa para obter esse conhecimento por parte da Saab, se não estou enganado, já que a Suécia também nem sonha em projetar, construir e operar porta aviões.
Abraços!

Beto Santos
Visitante
Beto Santos

Nossa pessoal parece que vocês não sabem em que país vivem, os comandantes da MB estão certíssimos em analisar a possibilidade e atualizar os dados do SeaGripen pois como todos sabem um projeto destes demora praticamente 10 anos em países sérios o que já justifica a visita para análise mas como estamos no Brasil este processo vai demorar muito, no mínimo o dobro, então até lá já vamos ter resolvido o problema das embarcações ou desmancha ou arruma mas a penúria acho que não vai mudar nunca.

Bardini
Visitante

E as perguntas que não querem calar: Vão bancar o Sea Gripen com o mesmo dinheiro que bancarão os Submarinos Nucleares e os PAs, bem como as dezenas de escoltas, patrulhas e demais navios? Ou a MB irá abrir um puxadinho na casa da moeda, para imprimir seu próprio dinheiro? Já que, rever seus gastos e planejamentos que não dão em nada nunca acontecerá…

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Turismo… bancado com o cancelamento de importantes programas…. deveriam é dar o exemplo.

Do jeito que a coisa vai…. no final do ano, nem navegação em água doce vão ter mais.

Sem mais comentários.

Sds.

carvalho2008
Visitante

A questão é ….quando precisaremos ou se precisaremos….pois a janela de projeto é uma e a crise pode reduzir ou sumir antes, durante ou somente depois dela….e ai fica em saber prever e definir quando é que o assunto deveria ser endereçado ou não como projeto… . Certa vez, defendi que modelos tampão da FAB deveriam ser materializados na sua versão naval pois, findado o FX….poderiam ser repassados e retrofitados para a MB…foi assim que defendia a epoca os Phanton FGMK e os Hornets em detrimento aos M-2000….seriam caças que embora mais antigos poderiam ter uma perna dupla de operacionalidade…..no… Read more »

Gelson Jorge Emerim
Visitante
Gelson Jorge Emerim

Marcelo, eu estava pensando em algo que não ficasse atrelado unicamente ao sistema de catapultas a vapor para o lançamento de aeronaves. Sei que os britânicos tem alguma experiência com rampas do tipo ski-jump porém com aviões VSTOL. Imaginei que pudesse haver alguma forma de adaptar os Sea-Gripen para operar como os porta-aviões soviéticos (chineses e indianos) o fazem. Isto talvez reduza um pouco a necessidade de um porta-aviões enorme e com tudo o mais que isto implica. Pensei num navio menor e mais ágil. Algo novo. Algo que a MB possa manter e operar. Neste sentido é que uma… Read more »

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

O projeto já prevê a dupla aptidão catobar e stobar

Rubens Sommer Junior
Visitante
Rubens Sommer Junior

Antes de comprar aviões/navios ,precisamos primeiramente vender uma duas duzias de navios velhos e reduzir a esquadra a reais condições de custo x beneficio para poder pensar em comprar navios/aviões modernos de verdade que naveguem e voem no mar e não só no litoral. Não adiantar comprar e depois não poder usar adequadamente por não ter recursos $$$.

Corsario137
Visitante

Fico com o Baschê, turismo pago com recursos públicos. Delírio mirabolantes da MB.

Satyricon
Visitante
Satyricon

Nada contra uma versão naval do Gripen. Reformar-se o A12, ao custo de U$1Bi por estimativas preliminares da DCNS, contitue-se devaneio absoluto, na minha opinião. PA são instrumentos de projeção de poder, e não operam sozinhos. Na atual conjuntura a MB não tem condições de escoltá-lo, e muito menos de projeção de coisa alguma. Portanto é preciso um cérebro pensante na MB para riscar essa idéia em definitivo, e mandar esse casco (pq sem propulsão, ele é só isso mesmo) para Alang. E acaba-se com esse ralo de dinheiro do contribuinte. Com essa quantia compra-se escoltas realmente necessárias ou um… Read more »

MARCOV
Visitante
MARCOV

Eu continuo a perguntar: será que um maior número de submarinos convencionais não seria o ideal neste momento? Uma esquadra composta em sua maioria por submarinos convencionais, com AIP, complementada por fragatas equipadas com SAM e ASM não seria mais eficiente para a nossa realidade? Um NAe é aplicável para missão externa. Para a defesa da nossa costa poderíamos utilizar aviões baseados em terra com reabastecimento em voo. Eu me lembro que a Armada argentina utilizava os Super Étendard de suas bases em terra e não de porta-aviões. Eu entendo que a MB intenciona em manter o know-how em tudo,… Read more »

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Tchê, os caras conseguiram uma boquinha pra viajar e ver umas suecas. Estão pensando o quê? É o resumo das FFAA brasileiras. O almirantado, “coronelado” e “brigadelado” torrando as tufas, usufruindo do que ha de melhor no poder público, enquanto a piazada de campo vai na farofa. E detalhe: sem precisar dar explicações a ninguém.
.
Gripen M? Tá bom…
.
Sds

Marcelo
Visitante
Marcelo

Concordo com os colegas, puro turismo. . É o “direito marajá” que parlamentares, membros do judiciário e muitos militares de alta patente entendem ter: viagens internacionais, custeio pleno, ser tratado como rei, mas claro, tudo em nome do povo. É o corporativismo que se serve do Estado, não o Estado que se serve do servidor público. Total inversão que muito explica o nível de sub-desenvolvimento social e moral do país. Coletividade? Outras pessoas que não seus grupos? Ser bom e honesto por ser valor pessoal independente das circunstâncias? O que já foi regra se torna motivo de escárnio. O Brasil… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

Gelson Jorge Emerim 13 de junho de 2016 at 19:47
Ok. Entendi. Mesmo assim nao eh necessario parceria com fabricante do navio.
Creio que qualquer aviao que opera CATOBAR pode operar STOBAR, como Russia, India e China, mas o problema no STOBAR eh que a carga util fica severamente comprometida, com as aeronaves operando praticamente em configuracao de defesa da frota, bem mais leve que uma configuracao de ataque e as vezes com pouco combustivel. Por isso, caso nao seja uma aeronave V/STOL como os Harriers e o F-35B, eh melhor operar CATOBAR.
Abracos!

Marcelo
Visitante
Marcelo

Ah, esqueci de dizer (ou escrever…) a Inglaterra possuia uma vasta experiencia em CATOBAR, antes da operacao dos Harriers. Inclusive as catapultas a vapor do Sao Paulo (ex-Foch) sao inglesas!
A Saab deve ter contratado um senhorzinhos ingleses, com muita estoria para contar!…kkkk

Ricardo Da Silva
Visitante
Ricardo Da Silva

Podia ser:
Gripen E + F + M = Gripen BR

Gelson Jorge Emerim
Visitante
Gelson Jorge Emerim

Marcelo,
é verdade…é verdade, bem lembrado!
Como um porta-aviões plenamente operacional é apenas um sonho nesta nação sem ciência do futuro, acho que não veremos nada disso por aqui nem a médio ou mesmo longo prazo.
Uma pena!
Abraços.

Julio
Visitante
Julio

Concordo com o Fernando.
Não podemos nos esquecer que se não fosse a má gestão do País estes projetos estariam caminhando. A MB faz a parte dela que é de planejar o futuro de acordo com as condições econômicas e ambições da Nação. Agora, enquanto esses políticos permanecerem preocupados em projetos de poder pessoais e partidários somente, fica realmente difícil planejar alguma coisa. Se não fosse estes anos perdidos com o PT, quem sabe…

Celso
Visitante
Celso

Nunao, ainda bem q discordar nao tira pedaco de ninguem, mas neste caso tbm fica impossivel aqui dar credibilidade ou razao para estas pseudas comitivas. Afinal, aonde de fato irao nos levar estas visitas frequentes e caras aos cofres publicos, qual eh a justificativa plausivel…enfim, dezenas de perguntas e e inumers respostas sem pe nem cabeca. Nada tira o foco de que nossa MB esta sucateada e norteada por pessimos administradores a dezenas de anos. Querer defender ou tapar o sol c a peneira , nao encontra respaldo nem mesmo dos mais ufanistas. A realidade esta bem a vista e… Read more »

Soldat
Visitante

Bom como os colegas estão comentando de porta-aviões vai um vídeo abaixo sobre as construções de 2 porta-aviões Ingleses:
Apesar de ser contra o Reino Unido, sou favor da independência da Escócia e de outras coisitas a mais.
Tenho que dizer os engenheiros da BAE SISTEM são de++++++.

Soldat
Visitante

Os Gripen navais ficariam bem nessas Belonaves.
Sonho de um latino-Americano.

Bardini
Visitante

Soldat
.
Um hipotético Sea Gripen não poderia operar a partir de um PA Classe Queen Elizabeth. Os “porta Harriers” não tem cabo de parada.

Bardini
Visitante

O que a MB sonha em ter, não foge muito disso:

leoangelozi
Visitante

Gastar dinheiro que não tem para passar no exterior. Só isso! Mal conseguem manter a atual frota funcionando, quanto mais comprar navios novos, imagina então operar aviões de combates novos.. e onde?!

Felipe
Visitante
Felipe

[OFF] Parece que os Type 45 britânicos estão com problemas em águas quentes. Notícia da CNN: http://edition.cnn.com/2016/06/09/europe/britain-royal-navy-warships/index.html

Jodreski
Visitante
Jodreski

A vida de vice Almirante vai bem obrigado hein! Nada como viajar as custas do dinheiro público a merce de nada! Esse devia estar na cadeira pensando o que ele vai fazer com a frota atual que está apodrecendo no cais isso sim. Mas não está indo viajar e brincar de sonhos e devaneios…

Marcelo
Visitante
Marcelo

Essa dos Type 45 é dose hein? Os submarinos nucleares da classe Astute também estavam cheios de problemas ….que acontece com a Inglaterra? Espero que os 2 NAes saiam direito!

augusto
Visitante
augusto

“Marcelo 14 de junho de 2016 at 15:20 Essa dos Type 45 é dose hein? Os submarinos nucleares da classe Astute também estavam cheios de problemas ….que acontece com a Inglaterra? ” Marcelo isso se chama monopólio, aqui a o mesmo só que com nome de Embraer. Seu fosse o primeiro lorde do almirantado daria um gelo na BAE e chamaria a northop e a lockheed martin pra conversa a ThyssenKrupp tambem é uma boa

Farias Cardoso
Visitante

Sonho e jogo dos comandantes para a platéia. Eles sabem mais do que ninguém que os governos de países dominados pelos USA não investem nas FA. Nem os governos militares conseguiram romper com a barreira imposta pelos USA e só equipamentos obsoletos era comprado pelas FA. É assim. Ficou sob o guarda chuvas dos USA tem que fazer o que eles determinam.
Agora o governo interino do Temer já fala em alterar a Constituição Federal para permitir acabar com o monopólio estatal da energia atômica. Se isso acontecer Aramar a a NUCLEP estarão com os dias contados.

glaxs7
Visitante

Gente, sem querer menosprezar mas, navalizar o gripen pra embarcá-lo aonde, numa Niterói ou uma Greenhalgh? Meu a Marinha tem outras prioridades neste momento e o que é pior, tem outras urgências. Vai ficar gastando energia num projeto que deverá ficar pronto dentro de 10 anos enquanto a frota atual afunda, é no mínimo, um despropósito. Os oficiais deveriam ter um pouco mais de foco na realidade pra evitar o colapso das atuais embarcações, vide o caso do NA 12. É como pensar numa cirurgia estética pra tirar as rugas do rosto de um paciente que está enfartando.

vicente de paulo
Visitante

gripen será algo de certo no futuro da marinha do brasil.

MO
Membro

isso me lembra uma coisa …

“Ja deu Rafale / Vamos de Fremm …”

kkkk

em tempo:

M/T Marlin / A8WC9

Inbound Alemoa Terminal

Video + Photos (including tug Smit Parintins on assistence)

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2016/06/mt-marlin-a8wc9-demandando-alemoa-video.html

Bardini
Visitante

Eu, que não sou um admirador da ideia do Sea Gripen, não vejo nada de mais na comitiva da MB ir a Suécia. Não vai ser cancelando este tipo de ação que salvaram a MB do seu Naufrágio.
.
No mais, a SAAB pode oferecer o que ela bem entender… E isso é até interessante. O que não pode ocorrer é a MB utilizar-se desta oferta, para alavancar mais um planejamento falho.
.
Farias Cardoso,
.
E por que diabos a entrada da iniciativa privada no setor nuclear de geração de energia seria um problema?
.
Até a MB sairia ganhando com a quebra desse monopólio burro.

Fernando Malbec
Visitante
Fernando Malbec

Lamentável os comentários sobre devaneios……programas desse tipo são de longo prazo e requerem um planejamento, que ao meu ver, é o que a MB estaria fazendo. Parabéns à Aviação Naval pela procura de um substituto para os AF-1 aproveitando a oportunidade e aprendendo com os erros e acertos da FAB.

Rubino Marcelet
Visitante
Rubino Marcelet

Se não me engano existe um Oficial da MB trabalhando diretamente no programa F-X2 na COPAC!!! Parabéns à MB por estar fazendo a coisa certa: aprendendo para depois aplicar o nosso imposto da melhor maneira possível. E que os políticos não atrapalhem!!!!

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezados, Repararam na maquete maior, da terceira foto? Quanto aos questionamentos e opiniões acima, repito que aquisição de aeronaves de alto desempenho não é a prioridade atual da MB. Por diversas vezes já as elenquei aqui neste espaço. Não é prioridade, mas precisa ser planejado. Forças Armadas se planejam com, no mínimo, uma decada de antecedência. Senão, é improviso e não planejamento. O grande desafio no Brasil é planejar a longo prazo sem nenhuma certeza do que irá ocorrer. Por isso, são considerados diversos cenários econômicos, políticos e de eventuais ameaças. Assim, afirmo que não é turismo e sim, planejamento… Read more »

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Eu acho o Gripen M ótimo, mas em bases aeronavais, com fins de interdição naval. Antes de projetarmos poder, precisamos consolidar nossa Amazônia Azul.
4 bases aeronavais, com no mínimo 6 Gripen M cada, mais estoque de mísseis antinavio, mais aeronaves de esclarecimento, antisubmarino e VANT’s de grande autonomia, e pronto.
E scrapear o Opalão.

MARCOV
Visitante
MARCOV

Quando a MB insiste em utilizar NAe eu imagino a FAB insistindo em criar um esquadrão de bombardeiros estratégicos . . .

edson marques da silva
Visitante
edson marques da silva

Por falar em NAe kd ele ??

MO
Membro

no mesmo lugar dos ultimos anos …

glaxs7
Visitante

Fernando Malbec, É mas, pra embarcar aonde? Não adianta falar em esta ou aquela aeronave se nem se sabe ao certo com qual navio a MB vai contar. As prioridades hoje são outras e acho que o planejamento deveria ser pra driblar a atual situação da Marinha. Um Sea Gripen não pousa em qualquer navio e me parece que tem mais opções de aeronaves do que de navios no mercado. Acho que antes de se pensar em transformar um Gripen em Sea, deveria se ter o navio ou pelo menos o projeto deste pra saber se o vetor é o… Read more »

Bardini
Visitante

Eu já comentei a respeito do assunto envolvendo aquela “maquete” da terceira foto em outra oportunidade. . Se trata do General Future Fighter, GGF, desenvolvido entre SAAB e pesquisadores suecos. É basicamente uma técnica empregada pelos pesquisadores para se fazer de uma forma barata, uma série de análises de novos conceitos por meio de aeromodelos em “sub-scale”. . Aquele, encima da mesa, é o famoso “FS-2020” ( https://i.imgur.com/nVtBC.jpg ), que pode ser visto voando em videos no youtube. Após a escolha do Gripen por parte do Brasil e o aprofundamento das relações estre instituições de ensino, decidiu-se criar um “GGF2”,… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini
Visitante

E para quem quiser se “aprofundar” mais a respeito do GFF: http://www.diva-portal.se/smash/get/diva2:859608/FULLTEXT01.pdf

space jockey
Visitante
space jockey

Esse é o assunto que mais rende aqui, e com razão.
.
O Sea Gripen + um Nael !
.
O verdadeiro CADÁVER NATIMORTO INSEPULTO !

MO
Membro

caramba vai continuar os devaneios, mal se sabe se vai ter melancia para guarnição amanha no rancho e vcs falando de NAe, aeronaves …….. tsc tsc …

Em tempo:

M/S Asuka II* / 7JBI

Turnaround Santos, 06/02/2016

32 photos

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2016/06/ms-asuka-ii-7jbi-turnaround-santos-em.html

Nonato
Visitante
Nonato

Quanto ao “turismo” tenho a seguinte opinião. Aparentemente, é salutar a MB acompanhar essas tratativas do FX2, isto é, é melhor ter sinergia entre as forças do que trabalhar isoladamente. Sem dúvida, em épocas de caças magras é importante economizar. Mas também não será cancelando essas viagens que sobrará dinheiro. Mas sou crítico de certas viagens em excesso. Por exemplo, quantas viagens os indianos já fizeram à França e Suécia, ou os suecos fizeram ao Brasil. Para mim essas visitas deveriam ser de dois tipos. A inicial, para conhecer, e as seguintes para resolver e não para cortesias, passeios, visitas…… Read more »