Home Aviação Naval Marinha do Brasil reavalia o programa de modernização de seus AF-1 Skyhawk

Marinha do Brasil reavalia o programa de modernização de seus AF-1 Skyhawk

11531
208

A Marinha do Brasil está repensando o número de caças Boeing (Douglas) AF-1/AF-1A Skyhawk (A-4KU e TA-4KU) a serem modernizados pela Embraer Defesa & Segurança para o padrão AF-1B /C, informou a Força ao Jane’s.

O número total final de jatos modernizados está sendo reavaliado devido a restrições orçamentárias, e a decisão de desativar o porta-aviões de São Paulo (A12), do qual a aeronave voaria.

No entanto, isso é equilibrado com a esperança de preservar a experiência operacional baseada em porta-aviões. Vários cenários com diferentes números de aeronaves estão sendo considerados, e a Embraer foi convidada a fornecer estimativas de custo para as mudanças em potencial.

O contrato de modernização de 12 jatos AF-1 Skyhawk da MB foi assinado em 14 de abril de 2009, na LAAD. Ele previa a modernização de 9 monopostos e 3 bipostos.

Em 27 de novembro de 2014 foi assinado um termo aditivo ao contrato de modernização dos jatos AF-1/1A da Marinha do Brasil pela Embraer.

O primeiro caça AF-1 modernizado (AF-1B) foi entregue em 26 de maio de 2015.

No dia 26 de julho de 2016 um AF-1 modernizado caiu no mar enquanto realizava um voo de treinamento.

(E-D) O Presidente da Embraer Defesa & Segurança, JacksonSchneider, entrega maquete do primeiro AF-1B modernizado aoComandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira
O Presidente da Embraer Defesa & Segurança, JacksonSchneider e o Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, durante a entrega do primeiro AF-1B modernizado

Os principais pontos do Programa de Modernização eram os seguintes:

  • Revisão Geral das aeronaves (PMGA);
  • Novo radar com inúmeras capacidades (Elta 2032);
Radar Elta-2032
  • Sistema OBOGS (On Board Oxygen Generation System), para geração de oxigênio proveniente da atmosfera para os tripulantes, sem a necessidade de abastecimento das atuais garrafas de oxigênio;
  • Novo sistema de geração de energia, com a substituição dos antigos geradores e conversores;
  • Novos rádios para realizar, automaticamente, comunicação criptografada e a transmissão de dados via data-link;
  • Sistema inercial (EGI) de última geração;
  • HOTAS (Hand On Throttle and Stick), mão sempre no manche;
  • Novo HUD (Head Up Display);
  • Dois display tático 5”x7”, Color Multi-Function Display (CMFD;
  • Computador principal para cálculo de navegação e balístico, permitindo ao piloto o emprego dos armamentos (bombas, metralhadora e futuramente o míssil MAA-1B)
  • Revisão Geral dos motores.
Cockpit do AF-1M
Subscribe
Notify of
guest
208 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fábio Mayer
Fábio Mayer
2 anos atrás

Sugestão:
a) Modernizem todos os bipostos;
b) Entreguem-nos para a FAB usá-los em treinamento LIFT;
c) Concentrem os esforços e os recursos financeiros em aviação de patrulha.

Leandro Costa
Leandro Costa
2 anos atrás

A frustração é generalizada mesmo. É impressionante…

MO
MO
2 anos atrás

Eu acho que baseado nisto, naquilo e tudo que vimos acho que devemos debater coisas realizadas, pois se depender de algo previsto, se isto tudo não serviu como balizamento, acho a partir dai é fazer noticios para aqueles tontos que vem aqui e fala que NPa deveria ter Misseis, Temos Capacidade para construir NAes, que Destroyer é uma coisa e Contratorpedeiro outra, ‘As’ Arleigh Burke e estas bobeiras afins …

Miguel Felicio
Miguel Felicio
2 anos atrás

Sempre a Marinha, sempre na frente escorregando na maionese e ainda querendo fazer corvetas com valor 3 vezes maior que uma russa (só para citar uma), essa muito melhor armada, muito melhor equipada. E ainda estão querendo comprar o Ocean, e meu suado dinheiro indo para o ralo novamente em mais um projeto dos pensadores e des-governantes nacionais.

MO
MO
Reply to  Miguel Felicio
2 anos atrás

Vai virar outro Bahea, um enfeitaum que enfatizaram sua capacidde de ajuda umanetartea …. como se alguem engolice este discurso de quem não almeja nada …

Engraçado que hoje vi uma postagem que somos o 3o povo mais idiota do mundo, até ai caguei, pois devemos ser o 2o ou o 4o, mas a capa é uma tonta crente que esta abafando, com a bandeira de cabeça para baixo …

Guizmo
Guizmo
2 anos atrás

Não existe planejamento nenhum. ZERO. Senhores, se eu pudesse falar 10% do que vivo, atuando como consultor em projetos do governo federal…..nada disso espanta

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Kkkk, Guanabara Bay e Maionese, combinação incrível ! Rsrsrsrs.
_____________________________________________________

Pega todos AF, todos mesmo …. inclusive os fora de operação e doem para a Argentina,
nesse tema vai acabar a Maionese Day’s.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
2 anos atrás

Um projeto de quase década que não consegue revitalizar 12 aeronaves é um acinte com o contribuinte, não deveria sequer ter sido aventado! Como também é um acinte saber que os aviões de transporte adquiridos para o Nae São Paulo (já desativado) serão entregues em 2021!!!

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Eu afirmei desde o começo, a liderança do consórcio tinha que ser dos Israeli ou entregar tudo mesmo para eles, em dois anos estava tudo entregue. Grana ? Ia aparecer com certeza.

Airacobra
Airacobra
2 anos atrás

Eu ja tive uma marinha, nela havia 5 NAes, 5 LHDs, 5 NTs, 10 NDDs, 15CTs, 20 Fragatas, 20 Corvetas, 30 Varredores, 20 NaPaOcs, 100 NaPaCos, 30 Submarinos, 5 NSSs, 150 aviões, mas por má gestão minha e depois por falta de dinheiro tive que dar baixa em tudo e fechar as portas, resumindo, não tenho mais marinha, hoje só tenho alguns modelos na estante, será o destino de algumas marinhas por ai? Só posso afirmar que a minha marinha era bem mais equipada

Airacobra
Airacobra
2 anos atrás

…será este também o destino…

Airacobra
Airacobra
2 anos atrás

MB, exemplo de gestão!

Fábio Mayer
Fábio Mayer
2 anos atrás

Galante,
Pouca gente mais do que eu criticou tanto a Copa e a Olimpíada. O problema é que se as próprias forças armadas não usam direito o dinheiro que lhes é disponibilizado, levando décadas em programas fracassados de modernização e aquisição de meios, não podem criticar o dinheiro público carreado para eventos festivos. AS FFAA deveriam ser o exemplo de bom uso dos recursos, com efetividade, mas elas também não são. Claro que o país precisa de aeronaves e capacidade bélica, mas não essa, improvisada e quase pândega!

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

Deveriam terminar a modernização, e manter o esquadrão voando, cancelar o projeto (relativamente barato) é jogar mais dinheiro no lixo. Recuperar a doutrina operacional da operação de caças navais é milhares de vezes mais caro que a modernização, mais uma vez, projetos que agregam são cancelados enquanto outros que são um buraco negro para o dinheiro publico, continuam abertos e famintos.

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

Outro ponto, o caça perdido, era modernizado… Já se sabe o motivo? Tem relação com a modernização? Abraços!

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Além do planejamento, que não é lá grandes coisas nas FFAA, existe a inconsistência dos repasses que matam qualquer planejamento.
.
Por exemplo, a fabrica que a Iveco montou para fazer o Guarani era para uma quantidade X de veículos. Gastaram dinheiro para atender esta quantidade, mas o EB nunca conseguiu contratar o tal número X de veículos.
http://www.forte.jor.br/2017/04/06/laad-2017-guarani-desacelera/

Leandro Costa
Leandro Costa
2 anos atrás

Não li nada a respeito do resultado das investigações sobre o acidente, mas eu acredito que tenha sido pura e simples colisão. Esse tipo de coisa simplesmente acontece em qualquer parte do Mundo. Pilotar aviões de combate é algo arriscado à se fazer, é inerente à profissão.

NoMeansNo
NoMeansNo
2 anos atrás

Fico surpreso de ter alguém surpreso com esse tipo de coisa… Dos militares do governo e do povo só se pode esperar o pior. E pode ter certeza de uma coisa: nesse lugar, o pior SEMPRE pode ser piorado. SEMPRE. E assim sempre será. Isso não se trata de opinião. É FATO.

diego
diego
2 anos atrás

Bem, se a ideia é preservar capacidade em aeronaves que sejam embarcadas então deveria manter algum plano para o A-12 , as catapultas foram recondicionadas e não disparou nenhuma vez um A-4 … fazer uma cesaria no A-12 tirar velhos motores e caldeiras e colocar novas made corea fica bem mais em conta e daria para usar o barco por 15 anos como escola para manter capacidade e conhecimento nesse tipo de embarcação.

claudio quadros
claudio quadros
2 anos atrás

por que deixa são Paulo ancorado meio do Atlântico ai pode te utilizada .

Leandro Costa
Leandro Costa
2 anos atrás

Trocar o grupo propulsor de um porta-aviões não é tão simples quanto fazer isso em um carro. E qual estudo foi feito para dizer que uma solução made in Korea seria mais barata?
.
Claudio, eu acho que estava brincando, mas antes que alguém leve à sério, é bom lembrar que existe uma necessidade de certa quantidade de vento sobre o convés para que se possa fazer lançamento de aeronaves.

Juarez
Juarez
2 anos atrás

Pois é o tempo, sempre ele, eu disse neste espaço, faz algum tempo que o VF 1 tem data de velório marcada em 2018. A MB por teimosia,empafia e falta de experiência fez uma série de bobagens: Colocou as anvs em carga sem sequer tem acordado um.CLS para apoiar Enviou os motores para LMASA apesar de todos terem avisado para não enviar que iria terminar mal, não deu outra, morram os motores. Foi dito textualmente ao comando da Faranaerv que fizesse modernizacao com a IAI, porque a Embraer tem tanta expertise nisto quanto eu tenho em física quântica, mas mais… Read more »

edcarlos
edcarlos
2 anos atrás

Velhos A-4 modernizados terão qual serventia para a MB. O ideal seria helicópteros e aviões para transporte, vigilância e guerra eletrônica.

Saudações!

VIVALDO JOSE BRETERNITZ
VIVALDO JOSE BRETERNITZ
2 anos atrás

Perto de casa tem um sucateiro que talvez possa se interessar….

Ádson
Ádson
2 anos atrás

Galante, torço para que voltem atrás e modernizem os doze, que já é pouco, e integrem a estes mísseis anti-navio. Vc tem informações sobre quantos foram modernizado e estão operacionais?

Bueno
Bueno
2 anos atrás

Triste fim dos A-4 Skyhawk. Triste Brasil ;(

Vader
2 anos atrás

Piada pronta, kkkkkk… Pior de tudo é uma Marinha que não consegue nem modernizar uma dúzia de Skyhawks da década de 50 vir falar em Gripen Naval… . Pândegos… O almirantado tira sarro com o dinheiro público. . PS: Galante, tenho visto bastante este seu argumento aqui e ali, porém, com todo o respeito, um erro não justifica outro. Não é porque os sacanas do PT saquearam o país com esse lixo de Copa e Olimpíadas que devemos apoiar que a Marinha ou QUALQUER instituição pública desvirtue um único centavo do nosso dinheiro, ainda que perto do descalabro total seja… Read more »

diego
diego
2 anos atrás

Caro Leandro costa, comparação infeliz a apresentada. Agora, se tem algum engenheiro no AMRJ e que recebe seu salario deveria trabalhar para elaborar o que seria possível com o barco pois se gastou muito$$$ para trocar tubulações de alta pressão, revestimento do convés, manutenção das catapultas que depois de feitas não disparou 1 A-4 sequer e etc. Se o casco aguenta mais 15 anos deve ser utilizado, fazer uma cezaria e retirar os velhos conjuntos de propulsão e caldeiras em um barco de projeto antigo não é possivel que o AMRJ não consiga fazer sozinho… pagar 1bi para os franceses… Read more »

Emmanuel
Emmanuel
2 anos atrás

Lamentável.

diego
diego
2 anos atrás

Ver o A-12 abandonado da seria impressão que só tem Almirante preguiçoso que vive em reclamar falta de verba, se fosse na china eles davam um jeito ….

Zmun
Zmun
2 anos atrás

Os príncipes da Guanabara e suas peripécias. É revoltante como o dinheiro do contribuinte é desperdiçado pelos canalhas do setor público. O governo, como um todo, é um antro de incompetência, desperdício, e corrupção. Eles vivem em um mundo paralelo, não precisam produzir, não precisam ser eficientes, basta continuar aumentando as suas panças que o dinheiro vem. Como diz o ditado, enquanto houver cavalo, são Jorge não anda à pé.
.
O povo, nem de cavalo pode ser chamado, já está no nível de burro de carga. O pior é que essa situação continuará assim por muito tempo.

Fabio
Fabio
2 anos atrás

Além da falta de dinheiro, acho que falta na Marinha uma gestão mais realista dos recursos existentes, Com o dinheiro gastos ate agora para modernizar os AF-1, os KC-2 que foram comprados, poderia te comprado no mínimo 15 AW119 Koala em substituição aos Bell 206B Jet Ranger III (IH-6B na Marinha). Mais uns 6 helicóptero MH-60. A Marinha deveria seguir o exemplo do exercito que nos últimos anos fez muito com pouco…

Juarez
Juarez
2 anos atrás

E, devagarinho os NOVENTA PRÍNCIPES do principado naval da Guanabara Bay vai se defrontando com a realidade, e em breve se chocar com ela, quando dia 30 não pingar o soldo integral na conta.

G abraco

Agnelo Moreira
Agnelo Moreira
2 anos atrás

Concordo com Galante O A-4, se equipado com Misseis anti-navio, poderão dar uma força muito grande à Marinha. Todos sabem da ameaça q a aviação é pra meios de superfície. Força Aérea Argentina, Iraquiana e Iraniana deram bastante trabalho por conta disso. Além de poder dar um bom Apoio Aéreo Aproximado aos CFN em caso de emprego destes. A maioria das surtidas dadas pelo USMC em suas campanhas partem de terra e não de NAe. Com seu caráter expedicionário e o possível aumento da participação do Brasil em “Zonas Quentes” de missões da ONU, creio q pode ser um fator… Read more »

Flanker
Flanker
2 anos atrás

Enquanto tínhamos (tínhamos mesmo?) um NAe, existia justificativa para manter um esquadrão de caças com capacidade de operação embarcada. Entretanto, com a baixa do navio, levando-se em conta a conjuntura atual e prevista para o futuro, sabemos que não iremos operar outro navio desse tipo tão cedo. Se os A-4 continuarem operando, servirão para que? Manter doutrina, dirão. Mas qual doutrina? Operação embarcada? Mas, embarcada onde? Doutrina de operação de caças à reação? Só se for isso, mas mesmo assim é só para voar mesmo. Pois se não há dinheiro nem para modernizar míseras 12 células, obviamente não haverá dinheiro… Read more »

Flanker
Flanker
2 anos atrás

Enquanto tínhamos (tínhamos mesmo?) um NAe, existia justificativa para manter um esquadrão de caças com capacidade de operação embarcada. Entretanto, com a baixa do navio, levando-se em conta a conjuntura atual e prevista para o futuro, sabemos que não iremos operar outro navio desse tipo tão cedo. Se os A-4 continuarem operando, servirão para que? Manter doutrina, dirão. Mas qual doutrina? Operação embarcada? Mas, embarcada onde? Doutrina de operação de caças à reação? Só se for isso, mas mesmo assim é só para voar mesmo. Pois se não há dinheiro nem para modernizar míseras 12 células, obviamente não haverá dinheiro… Read more »

zorannGCC
zorannGCC
2 anos atrás

Olá Galante! . Logicamente que os gastos com Olimpiadas e Copa fora escandalosos. Eu e boa parte da população não era a favor destes eventos. Mas sejamos sinceros né, pelo menos os eventos foram realizados, o gasto não foi absolutamente em vão. . No caso da Marinha, é diferente né. Gasta-se tempo e dinheiro com A4, somente um fica pronto, exatamente a aeronave que sofre acidente e no fim vão abandonar tudo. Gasta-se dinheiro com modernização de catapultas do A-12 que nunca foram usadas. Fazem PMG do Ceará, que demora quase uma década e no fim o navio é aposentado… Read more »

Flanker
Flanker
2 anos atrás

Quanto tempo o São Paulo ficou em manutenção? Cinco, seis anos? Mais? Nesse tempo desmontaram catapultas, remontaram, trocaram linhas de vapor, entre outras tantas coisas. Mas antes de fazer tudo isso, os responsáveis não pensaram em verificar o estado em que se encontravam os sitemas que, finalmente, se mostraram caros demais de recuperar/substituir? Se antes de mexer no navio tivessem feito essa inspeção que resultou na recomendação de sua baixa, não teriam sido economizados muitos milhões que foram gastos e no final não serivram para nada? O Ceará e outro exemplo. Passou anos em PMG e consumiu alguns milhões. Na… Read more »

Oganza
Oganza
2 anos atrás

Um povo instruído e orgulhoso pode salvar da lareira um navio velho e obsoleto?
– Pode e lá se vão mais de 200 anos de orgulho.
https://www.youtube.com/watch?v=bjYJSZSasDg
.
Ps.: O canal que produziu esse vídeo não referência pra nada, mas esse vídeo ficou muito bom, principalmente em sua mensagem simbólica.
.
Sobre a matéria, nada a declarar que já não tenha dito antes sobre nossa Guarda Costeira.
Ps.: A MB sofre de síndrome metonímica aguda.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

Zorann
Dois ficaram prontos, justamente os que colidiram. Um foi perdido e o outro a MB faz um silêncio sepulcral sobre seu estado.
.
Poderiam aproveitar para aposentar o A-4, junto com o cancelamento do C-1. Melhor não ter nada do que ter aeronaves da década de 60.
.
A Royal Navy, com todo seu passado glorioso, ficou sem NAe e não desapareceu. A MB, que nunca esteve aos pés da Royal Navy em termos de operacionalidade, também pode ficar.

.

zorannGCC
zorannGCC
2 anos atrás

Olá a todos! . O pessoal não está dando muita bola para as mudanças nos Documentos Estrategicos de Defesa. A nova END, no que se refere a Marinha, tira totalmente o foco na negação do uso do mar e consequentemente acaba com a necessidade de termos uma “força submarina de envergadura” como esta presente na END ainda em vigor. . Pra mim esta mudança vai levar o programa do Submarino Nuclear pra geladeira. E possivelmente novas unidades do Scorpene não serão contratadas. Se isto se confirmar, teremos gasto mais de R$ 40 bilhões atoa ( se contar o contrato com… Read more »

zorannGCC
zorannGCC
2 anos atrás

Olá Rafael Oliveira!
.
Obrigado pela correção! Realmente você tem razão.

Ádson
Ádson
2 anos atrás

Rafael Oliveira 25 de julho de 2017 at 15:27
Rafael, Royal Nave nunca ficou sem asa fixa.

_RR_
_RR_
2 anos atrás

Previsível… . Será triste ter de perder as asas fixas da Marinha ( e com elas o que restou do conhecimento e expertise acumulado em operações embarcadas desse tipo )… Mas se tiver de ser, que seja… . E no final, talvez seja mesmo o melhor a fazer… Que se concentre os recursos da aviação naval em manter a força de ‘Seahawk’ voando a contento. E aproveitem e peguem mais alguns mísseis ‘Penguin’… E de resto, segue a aquisição dos UH-15 ( torcendo pra resolverem todos os problemas, já que não tem mais como simplesmente recusa-los ) e modernização dos… Read more »

Ádson
Ádson
2 anos atrás

“_RR_ 25 de julho de 2017 at 15:53
Previsível…”
Não acho aceitável nem previsível, basta modernizar os A-4. É o correto e esperável.

Tamandaré
Tamandaré
2 anos atrás

Cancela-se o contrato, a Marinha foca nos navios e a FAB cumpre as missões de patrulha (que já faz a muito tempo) e ataque naval. Simples assim. – Não acredito que seja difícil para a FAB fazer “treinos” periódicos em ambiente marítimo (isso se já não o faz) e comprar armamento para tal (RBS 15 ou Exocet), visto que os Gripens já virão. Não tem necessidade da Marinha comprar caças ou reformar os Skyhawk. Não tem nada que pensar em NAe agora; o foco agora é PATRULHAS, ESCOLTAS e SUBMARINOS. Com a casa arrumada é que poderíamos voltar a pensar… Read more »

JOSE DIAS
JOSE DIAS
2 anos atrás

E INACREDITAVEL A FALTA DE CAPACIDADE E DECISAO ! NAO SE PLANEJA A LONGO PRAZO … IMAGINEM NO CURTO ! NAO CONSEGUIR PROJETAR, CONSTRUIR E EFETUAR A CONSTRUCAO MECANICA COM O FERRAMENTAL QUE A MARINHA POSSUE ? ENVIEM PARA KOREIA E FARAO EM 1/4 DO TEMPO E A 1/4 DO CUSTO … MAS NAO FIQUEM NO MEIO DO CAMINHO SEM SABER SE VAI OU SE FICA ! EXTREMAMENTE INFANTIL ! SE HOUVER UMA GUERRA … UMA INVASAO POR MAR … O QUE FARAO … VAO BATER PAPO PARA RESOLVER ? PODEM FICAR COM UMA PARTE A OUTRA ‘E MINHA …… Read more »