Home História ‘A guerra não acabou’: manifestantes queimam a Union Jack na lembrança da...

‘A guerra não acabou’: manifestantes queimam a Union Jack na lembrança da Guerra das Malvinas

4006
98
Manifestantes queimam uma bandeira Union Jack durante um protesto na Argentina nos 36 anos da Guerra das Malvinas

Manifestantes tomaram as ruas de Buenos Aires para queimar a bandeira do Reino Unido e fazer ouvir sua voz, com uma mensagem clara 36 anos depois da Guerra das Malvinas: “A guerra ainda não acabou e não estamos mortos”.

Quase quatro décadas depois que os britânicos afirmaram seu controle sobre as Ilhas Falkland – conhecidas como Islas Malvinas na Argentina – os manifestantes entraram em confronto com a polícia do lado de fora da embaixada britânica em Buenos Aires na segunda-feira. Um manifestante foi filmado ateando fogo a um enorme Union Jack.

O veterano da Guerra das Falklands Norberto Covacevich disse: “A guerra ainda não acabou e não estamos mortos, não são os mortos que lutam, vamos lutar até o fim, até a última gota de sangue [vamos lutar] piratas, viva a pátria”.

Durante o fim de semana, o ministro argentino da Defesa, Oscar Aguad, falou sobre a tensão entre o Reino Unido e a Argentina sobre as ilhas.

“Nós honramos a memória do nosso soldado. Também homenageamos aqueles que continuam a lutar para que as Malvinas (Ilhas Falkland) se tornem da Argentina”, disse Aguad. “Mas nós, argentinos, devemos definitivamente entender que o confronto não nos leva a lugar nenhum.”

As Ilhas Falkland, um Território Ultramarino Britânico que abriga cerca de 3.000 pessoas, estiveram no centro de uma disputa de poder entre a Argentina e o Reino Unido em 1982. A Argentina reivindica as ilhas como suas, alegando que adquiriu o território da Espanha quando tornou-se independente em 1816.

Em 1982, a Argentina invadiu as Malvinas, o que desencadeou uma guerra de 10 semanas, durante a qual os britânicos retomaram as ilhas. A luta viu 255 militares britânicos e 655 argentinos mortos.

Em março de 2013, 1.518 pessoas foram às urnas nas ilhas para votar para permanecerem britânicas.

FONTE: RT.com

98
Deixe um comentário

avatar
40 Comment threads
58 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
57 Comment authors
marcusAlexandre EstevesRenan Lima RodriguesMahanRenato de Mello Machado Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

“A guerra ainda não acabou e não estamos mortos”. Ainda….
Talvez por essa mentalidade o governo argentino não se empenha em reequipar suas FFAA.

Cronauer
Visitante
Cronauer

Boa observação!

Heitor
Visitante
Heitor

Estou de acordo… Não creio que vão conseguir algo a nível tanto diplomático, econômico ou militar se continuarem a ter “peito de pombo”.

Fábio CDC
Visitante
Fábio CDC

Não estão mortos ainda, mas estão com um pé na cova.
.
Ou se cuidam ou em menos de 10 anos colocam o outro pé, e ai, bem, não haverá mais o que fazer senão começar do zero.

Marcelo
Visitante
Marcelo

“A guerra ainda não acabou e não estamos mortos”, só estão em coma politico, econômico e militar ..

Gil
Visitante
Gil

Recordando que a Argentina não perdeu a guerra

Somente foi vice campeã.

Alessandro
Visitante
Alessandro

kkkkkk… excelente Gil

Abraham
Visitante

A argentina não tem chance contra a inglaterra

Bardini
Visitante
Bardini

36 anos se passaram… E na cabeça desses malucos, a posse daquelas ilhas continua sendo mais importante que os rumos da própria Argentina.
.
O pior é ver gente aqui no Brasil, querendo que a Argentina se arme. Gente que fica criticando o Governo Argentino, por não dar voz as “necessidades” das FFAA Argentina. Gente querendo que esses malucos se equipem com caça, navio e afins, provenientes dos maiores inimigos da Europa, da OTAN e do Ocidente…
.
Daqui 36 anos, ainda vão estar comendo capim pela raiz, se continuarem com essa mentalidade.

Cronauer
Visitante
Cronauer

Assino abaixo!

Guacamole
Visitante
Guacamole

Não me importo que a Argentina se rearme, contanto que seja de nós que comprem seus equipamentos.
Tá na hora das nossas empresas de defesa começarem a visar o lucro lá fora também ao invés de depender exclusivamente das forças daqui.

Fabiano
Visitante
Fabiano

Esse é o espírito meu caro.
O problema é ter/fabricar/vender arma guiada por GPS dos EUA.
Os Exocets argentinos deveriam ter afundado boa parte da frota britânica na época não fosse a ajuda franceses para neutraliza-los após o segundo vaso afundar.

Dalton
Visitante
Dalton

Apenas 5 aeronaves das 14 adquiridas estavam em solo argentino quando do início da guerra e apenas 5 AM-39 exocet, quantidade insuficiente para
“afundar boa parte da frota britânica”.
.
O “Atlantic Conveyor” foi atacado no fim do mês de maio quando então a
luta já estava perdida e os argentinos renderam-se umas duas semanas
depois.

Fabiano
Visitante
Fabiano

O problema é ter/fabricar/vender arma guiada por GPS dos EUA.
Os Exocets argentinos deveriam ter afundado boa parte da frota britânica na época não fosse a ajuda franceses para neutraliza-los após o segundo vaso afundar.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Pensei que isso de desativar Exocet remotamente fosse lenda…

Bosco
Visitante
Bosco

Mateus, Independente da opinião do Fabiano, a qual respeito, mas é lenda sim. Se você tiver curiosidade você vai ver que os navios britânicos tinham como arma antinavio o míssil …. Exocet. Na verdade dos britânicos eram meio que sócios dos franceses no Exocet, sendo ele derivado do Martel que era binacional. Os britânicos não precisariam de nenhuma ajuda dos franceses para saber as ‘fraquezas” do Exocet simplesmente porque o utilizavam, tinham seus parâmetros operacionais e eram co-desenvolvedores. E essa história de “chip” ou algum código de desativação é mais irreal ainda, por mais que algum artigo estrangeiro ou algum… Read more »

Phil
Visitante
Phil

Acabou sim. Adios.

José Luiz
Visitante
José Luiz

“As melhores táticas não compensam uma estratégia ruim” Esta singela frase talvez resuma o conflito das Malvinas. Mas sem entrar no mérito da questão política ou da validade da ação argentina, a Guerra das Malvinas é um verdadeiro laboratório de guerra, um conflito que realmente vale a pena ser estudado por todos os que gostam de guerra aeronaval. Sem paixões ou ideologias, quando analisado sem nacionalismos se trata de uma guerra muito interessante. Por ter curta duração e envolver ações terrestres, aéreas e navais em todo o aspecto incluindo dois desembarques anfíbios e ações submarinas. Uma guerra completa em escala… Read more »

Bruno
Visitante
Bruno

Alguma indicação de algum livro imperdível?

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

“código das profundezas”, sobre os submarinos argentinos

‘A Guerra Que foi Possível Pelas Falklands/malvinas”, sobre todo o conflito, inclusive aspectos diplomáticos pré-guerra

Agnelo
Visitante
Agnelo

Guerra das Malvinas. Bom 1 e 2, da BIBLIEX.
O outro não me lembro, mas acho q é Guerra das Falklands/Malvinas. Da BOBLIEX também e 1 volume.

Marcos
Visitante
Marcos

Fica difícil para os argentinos, quem escolheria ser cidadão argentino sendo a opção ser cidadão do reino unido?

Nonato
Visitante
Nonato

Especialmente se for inglês de nascimento…
O mesmo se aplica a argentinos e brasileiros se tivessem a possibilidade de se tornar britânicos…

Vinícius
Visitante
Vinícius

Jamais deixaria de ser “BRASILEIRO a ser britânico…….amo meu país, meus antepassados e a história dos nosso heróis.
Tenente Caldeira, Policial Militar de SP, quarta geração de militares da minha família.
BRASIL acima de tudo !!!!!!!!
Somente abaixo de DEUS !!!!!!

Marcos
Visitante
Marcos

Em parte, visto as crescentes levas de brasileiros em busca de seus “Green cards”

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Não estão mortos porque se renderam kkkkk

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Pensei a mesma coisa. O cara lá gritando viva a Pátria! Vamos até a última bala, até a última gota de sangue… mas… ué… O cara não é veterano? Ele teve a chance dele e está vivinho aí… Achei hilário!

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Tigre de papel

Mateus
Visitante
Mateus

As ilhas Malvinas/Falklands pertencem as ovelhas.

Lá tem mais ovelhas que habitantes

Ilhas Sheep

Top Gun Sea
Visitante

É!!! geograficamente o arquipélago é bem ao lado da Argentina e não tão longe do Brasil, olha onde está a Inglaterra, mas na época das explorações e colonizações (podia denominar se corrida do ouro) feita pelos europeus sobretudo ingleses, franceses, espanhóis e portugueses que detinham o know how de construír grandes caravelas para cruzar o Atlântico onde entravam no continente sulamericano e saqueavam, estrupavam índias novinhas, matando os caciques e aldeões, escravisavam, tomavam posses e extratificavam todos os recursos possíveis da terra como madeira, ouro, espécies hoje raras como no Brasil por exemplo, na África onde também praticavam barbares em… Read more »

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

É amigo… vc tem que ler um pouco mais sobre isso ai q vc escreveu. Só pra citar um ponto que eu achei escandaloso… Vc tem certeza q os europeus chegavam na África e gastavam um pingo de suor capturando negros para os fazer de escravos ? Eles simplesmente COMPRAVAM dos próprios NEGROS !! Como sempre foi no mundo antigo, muito antes do mercantilismo, os perdedores de conflitos entre tribos/países/feudos, eram escravizados, estuprados, massacrados… e etc… O que europeus fizeram ? Negociavam com esses “reinos” africanos… Tudo bem que eles potencializaram muito esse “negócio”. Mas escravidão existe desde o momento… Read more »

Top Gun Sea
Visitante

Quem vendeu escravo ou quem pagou na forma de especiarias ou perfumes, ou seja, não importa como se deu o comércio de escravos, ou se é desde a antiguidade, o que é relevante o quanto perdurou e/ou perdura a desumanidade.

Gideon
Visitante
Gideon

Top Gun, se você não entende nada de um assunto é melhor não falar sobre ele. Quando você fala sobre um monte de coisas que você não estudou como você fez aí em cima, você acaba de passando por idiota.

Top Gun Sea
Visitante

O que eu disse tenho conhecimento de causa e muita pesquisa nos tempos de pós. Se você não conhece a verdadeira história do Brasil você perdeu uma grande oportunidade de ficar calado no seu canto assistindo Big Brother babaca!

Nonato
Visitante
Nonato

Se você é contrário a ocupação portuguesa no Brasil (não estou dizendo que deveriam ter colonizado, nem matado índios nem ter trazido negros), tem três alternativas, dependendo da sua origem. Voltar para Portugal, voltar para a África ou ir morar com tribos indígenas que têm pouco contato com a civilização, no meio da floresta. Muita gente fica fazendo críticas, mas não quer voltar ao status quo. E essa questão dos negros, no Brasil estava tudo muito calmo, mas recentemente o PT e outros grupos radicais negros estão tentando promover discórdias raciais. Não basta ser negro, esses grupos querem que você… Read more »

Renato B.
Visitante
Renato B.

Realmente, basta pedir aos traficantes que eles vão embora. Que mundo é esse em que criminosos são tão cordatos?

Até agora não conhecia ninguém que acredite que criticar criminosos faça eles mudarem de comportamento. Geralmente, só garante balas na cabeça.

Top Gun Sea
Visitante

Bom! Você fez uma redundância salada russa aí que só o tribunal de Haia para lhe dár a solução. Voltando ao meu comentário – procura saber o que foi às colonizações na América do sul e sobretudo o Brasil para debater mas, não essa historinha contadas nas escolas primárias e secundárias. Você vai ver que de boas intenções o inferno não está cabendo.

Leonardo
Visitante
Leonardo

Eu ia comentar ontem de madrugada, mas vi que outros já responderam tudo o que eu pensava. O que me deixa triste é que essa visão de conflito, de nós contra eles, de luta de classes e marxismo, é o que se ensina sobre História nas escolas. O Top Gun Sea é fruto de uma era infeliz que estamos vivendo na educação.

Bosco
Visitante
Bosco

Coitado desse Top Gun Sea. Esse já foi doutrinado pelo Marxismo Cultural e é caso perdido. Ele deixa o “Pensador Coletivo” pensar por ele e só repete as velhas baboseiras antiocidentais. Ele critica o Ocidente do passado utilizando a ótica de hoje. Ótica essa que só evolui eu favor da valorização do ser humano aqui no Ocidente, por conta da evolução civilizatória que só aqui no Ocidente houve e que só aqui no Ocidente permite haver as condições necessárias para a evolução. Como ele pensa em bloco eu seria capaz de dizer tudo aquilo que ele acha verdadeiro e certo… Read more »

Top Gun Sea
Visitante

Haja antolhos para esse tanto de bucéfalos! Mas é adequado para o seu uso!

Top Gun Sea
Visitante

Haja antolhos para esse tanto de bucefalos! Mas, é adequado para o uso!

Top Gun Sea
Visitante

Que mente vazia!! Que desperdício de neurônios!

Top Gun Sea
Visitante

Não fale besteira! Você deixa a entender que fugiu de escola e vive do achismo! Você não tem bola de cristal! E a instituição que eu faço o meu mestrado não tenho nada a reclamar.

Marcos
Visitante
Marcos

Concordo plenamente, ressaltando ainda que até hoje o comércio de escravos existe na África, vide recentes matérias noticiando as atividades dos mercadores de escravos No norte da África.

Nonato
Visitante
Nonato

E matança entre tribos…

Top Gun Sea
Visitante

Isso são leis, decisões e atitudes regidas por estes povos nativos. Mas, mostra que as civilizações posteriores e futuras evoluiram pouco depois de mais 500 anos.

Wagner
Visitante
Wagner

Gostaria de fazer uma pergunta e agradeço desde já a quem puder responder :. Juridicamente a questão já está resolvida ? Sei que para os ingleses tanto faz, mas nos tribunais internacionais como esta ou foi decidida essa questão ? Obrigado.

Mateus
Visitante
Mateus

Não. O território econômico argentino, ou zona econômica exclusiva passa pelas Malvinas/Falklands e o mesmo pode ser dito para as Falklands/Malvinas. É uma aberração jurídica.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Será que é uma aberração Mateus? A distância entre Havana e Key West é de 171 km e nem por isso os EUA reivindicam soberania sobre Cuba e vice-versa.

ROBINSON CASAL
Visitante

Descubra aspectos inéditos da guerra aérea nas Falklands/Malvinas !

Nilson
Visitante
Nilson

Ótimo vídeo, ficaremos sempre com a dúvida: 800 metros de pista, combustível bem defendido e uma boa estratégia de uso da pista de Port Stanley pelos argentinos, teriam mudado até que ponto a guerra?? Obrigaria os Estados Unidos a entrarem?? Faria a Inglaterra bombardear solo argentino?? Geraria um impasse devido ao inverno próximo, obrigando a uma negociação e sobrevida do regime militar argentino?? Bom, o “se” não joga, mas para fins de estudos é uma situação muito interessante…

Nilson
Visitante
Nilson

E mais importante, efeito borboleta: teríamos ganhado a copa de 82?? kkkk

Bob Joe
Visitante
Bob Joe

A Argentina só retomará as ilhas, seja qual nome for, quando destruir completamente o Reino Unido. Ninguém mandou eles invadirem lá, agora aguentem o boicote dos anglo saxões.

Nonato
Visitante
Nonato

Destruir o reino unido como assim? Acho que os argentinos têm o direito de reivindicar as ilhas assim como muitos países reivindicam territórios sem necessariamente invadir. Invadir de novo não. Se bem que os europeus já ocuosram praticamente todo o mundo. Até por volta de 1940 dominavam praticamente toda a África e grande parte do oriente médio e África. Até mesmo Índia e China já foram dominadas. Portugal mesmo tinha Macau na China. Inglaterra tinha Hong Kong até recentemente… Portugal parece ter sido o primeiro país ocidental a ter contato com o Japão. Arigato (obrigado) parece ter origem na língua… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Os europeus saíram porque quiseram. Ou por questões geopolíticas do momento (Dom João VI fugiu de Napoleão e transferiu a corte para o Brasil), os países europeus saíram enfraquecidos após a segunda guerra, etc.

Bob Joe
Visitante
Bob Joe

Os argentinos perderam a moral pra reivindicar a soberania delas, já era, agora só na bala. E como o Macri está ”investindo alto” nas FFAAs de lá…

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Por favor cara. Estude mais. Eu parei de ler no ‘estrupo.’ Eu até entendo quando a pessoa fala errado, mas escrever aí já é demais. E até aí o texto ainda não fazia muito sentido.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Isso foi para o Top Gun Sea

Top Gun Sea
Visitante

Isso foi o teclado do Smartphone, se nunca lhe aconteceu é por que você está na idade da pedra seu papagaio de pirata.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Os Argentinos são espetaculares. Acho que Eles não tem a minima ideia do que lhes restou das forças armadas.

Um ataque as Ilhas Falklands só acontece ser for a cusparadas.

PS.: fiz questão de checar a fonte “RT.com”… o banner “#1917LIVE” explica tudo. Nem os Russos votariam nessa “rashtag”.

Segue o jogo

Bruno w
Visitante

Off topic
Russos vão treinar com os Chineses em seu PA ,até o Kuznetsov ficar pronto…

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Repito a leitura que ja fiz no passado. . isto é uma bomba relogio que pode ser armada ou desarmada frente a conflitos globais. . não é uma questão sobre quem tem direito a que. cada lado acha que tem. . O fato é que situações como esta, mostra que existe a disposição de ambos para dominar ou manter o dominio sobre as ilhas. . falta a gasolina, os meios, os ingredientes do financiamento belico. . Numa eventual escala global do oriente vs ocidente, fica claro o risco daquele cenario do atlantico sul ser utilizado para enfraquecer engajamentos de qualquer… Read more »

Jota
Visitante
Jota

Bom dia a todos. Top gun sea , realmente voce falou bonito mas usou argumentos incompletos e/ou tendenciosos. Numa rápida pesquisa na Wiki:estimam que a África “exportou” 8 milhoes de escravos para paises muçulmanos e orientais pelas rotas da África Ocidental, 10 milhoes para paises árabes mediterraneos pelas rotas subsaarianas e entre 10 a 20 milhoes para américa pela rota do Atlântico. TODO MUNDO se beneficiou por essa violência , inclusive ricos reinados africanos . Tribos guerriavam entre si(ainda guerreiam!) e os perdedores eram escravizados. A escravidao é uma mancha, uma vergonha, uma aberraçao que a humanidade como um todo… Read more »

Top Gun Sea
Visitante

Como disse isso se alongou por mais 500 anos, a história do Brasil também foi vítima de um passado cruel. Um erro, uma insensatez, uma ignorância não justifica outros. Ter isso como exemplo só demonstra a comunalidade entre povos e sua desumanidade que perdura até hoje. E fazer essa comparação não onera países que ainda a praticam. Os retrospectos das colonizações do ponto de vista humanitário foram muitos negativos mas podemos entender que evoluímos, com o advento do órgão da ONU, DH. Hoje ninguém invade outras costas, nação ou terras indígenas por exemplo devido a repercussão e entidades que as… Read more »

cfsharm
Visitante
cfsharm

JESUIS!!!! Valei-me Santo Heródoto de Alexandria!!! Tá faltando conhecimento de História né Top Gun Sea – pode criticar a vontade mas pelo menos fundamente. O Mercantilismo acabou faz séculos, os países deixaram de ser colônias e … a maioria continua sendo uma colônia por culpa exclusivamente sua!!! Esta história de colonizador mau x colonizado bom já era – só serve para varrer para debaixo do tapete a verdade incômoda da incompetência, burocracia e enriquecimento ilícito na ex-colônia. Afinal depois que o colonizador foi embora era para ter virado um paraíso, só que não. Quanto as Falklands, na boa só os… Read more »

pangloss
Visitante
pangloss

Se essa foto inicial for vista pela Theresa May, ela vai passar a dormir embaixo da cama, de tanto medo.
O aspecto dos manifestantes deixa clara sua falta de preparo militar.
Fazer guerra a partir da sala do DCE da faculdade de História é moleza.
Sangrar o sangue dos outros é o negócio dessa mulambada.

nigo
Visitante
nigo

FALKLANDS

Walfrido Strobel
Visitante

A Argentina não pretende retomar as Malvinas, mas o recado vale para o Macri, não é hora de nenhuma aproximação com a Inglaterra, eles devem ser tratados como inimigos, estes votos dos pró Malvinas podem fazer falta em uma reeleição.

Miriam
Visitante
Miriam

Que estranho que sul americanos apoiem a presença britânica em região tão claramente situada entre nós. Brasileiro é como criança: prefere pirraçar ” los hermanos” e não procura analisar a consequência estratégica, bélica e moral da questão. Os argentinos até que estão calmos, em vista da imprensa inglesa ter denunciado a presença de submarinos atômicos na região das Malvinas. E quando se veiculam rumores sobre a possível missão de espionagem do Ara San Juan + explosão internacionalmente detectada somam-se os pontos e encontramos exatamente isto: um ato de guerra. Desigual, injusto e prepotente.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Se fosse ao contrário seria a mesma coisa.Eles tiveram a chance de resolver a parada,não resolveram problema é deles

Bosco
Visitante
Bosco

Então só porque é vizinho e tem o idioma mais parecido com o nosso eles têm automaticamente o posicionamento mais correto e justo?
Não entendi!!!
Estranho é alguém ter um posicionamento automaticamente diverso de qualquer potência ocidental , independente de qual seja esse posicionamento.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

O que tem de tão bom nas Falklands para a Argentina as querer tanto? Isso tudo é orgulho ferido?

colombelli
Visitante
colombelli

Os tipos da foto dizem tudo do que se trata. Paradoxalmente são os que estão mais longe de uma farda, devem ser os maiores críticos das FA argentinas. Ou seja, a mesma incoerência costumeira e que aqui também se vê neste tipo de gente. Na hora e entrar numa trincheira encharcada e fria pra lutar contra os melhores estes ai seriam os desertores. Enquanto continuar com esta mentalidade, nunca conseguirão acesso fácil a equipamento ocidental e continuarão a perder oportunidades. Talvez se fizessem o contrário conseguissem mais em termos de acesso as riquezas das Malvinas. Melhor alguma coisa do que… Read more »

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Se a Argentina tivesse vencido a guerra, tenho certeza que atacariam o Chile em seguida, depois Uruguai e até mesmo o Brasil. Que bom que perderam.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Atacar o Brasil?

Nunca. Para o Brasil ser uma “Russia” só falta o “General Inverno”, por aqui reina o “General Distancias”, somos um continente, só um louco atacaria um Pais de dimensão continental e com 200.000.000 de almas (sendo que uma delas é a mais honesta do Universo).

Gabriel
Visitante
Gabriel

Esse plano existia sim , existem livros e arquivos sobre isto

Felipe Silva
Visitante
Felipe Silva

Ricardo Bigliazzi 5 de Abril de 2018 at 17:55
Rachando aqui! Kkkkkkk

colombelli
Visitante
colombelli

Para quem não sabe, a Operação Rosário, concebida pelo almirantes Anaya e Massera, previa as Malvinas como estágio 1, Beagle como 2 e uma região de SC como o 3. Esta região foi adjudicada juridicamente ao Brasil em 1895 pelo então presidente dos EUA em uma arbitragem por conta do princípio uti posidetis, pois era ocupada por brasileiros e nunca deixou de ser almejada pelos argentinos. Não se enganem com estes elementos. Eles são “hermanos” só deles mesmos. Em 1942 o EB fez um estudo e a conclusão é que a argentina tomaria o RS em 06 semanas facilmente. Ainda… Read more »

Gabriel
Visitante
Gabriel

Vou escrever nada!

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

sem entrar no mérito das ilhas serem argentinas ou inglesas, o fato é que se estes caras tivessem juízo saberiam que o maior inimigo dos argentinos não foram os ingleses. Foi a junta militar que os jogou de maneira absolutamente irresponsável num conflito com uma das 5 maiores potências globais.

Nunca paro de me assombrar com a incompetência, insanidade e irresponsabilidade dos generais argentinos. Salvo a Força Aérea e nobres exceções, o alto comando foi bisonho em todas as ações.

cwb
Visitante
cwb

Clevelandia no estado do Paraná era território argentino,o presidente americano Cleveland arbitrou em favor do Brasil.
Então…..

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Lembro que Argentina poucos anos antes da aventura Malvinas, tentou tomar o controle do canal de Beagle do Chile e por pouco não começaram uma guerra.
As maiores e melhores divisões do EB e bases da FAB estão no sul e não é (era) sem motivo.

cwb
Visitante
cwb

Na época do conflito haviam 3 pontos sensíveis para os argentinos:as Falklands,beagle e a dívisa com o Brasil,no caso a região de Clevelandia

cwb
Visitante
cwb

Se o fato é verdade,alguém poderia confirmar.

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

cwb, o canal de Beagle com certeza houve escaramuças em 1978. Grande movimentação de tropas das 3 forças. Por isso afirmo q a Argentina vitoriosa nas Malvinas tentaria a hegemonia no cone sul.

francisco
Visitante
francisco

se eu fosse o governo argentino, dava uma melhorada nas forcas armadas, e mandava que fisessem patrulhas constantes( apurrinhando) o mais proximo ate onde fosse possivel das ilhas malvinas, obrigando os britanicos a se manterem bem armados e em alerta constante tendo com isso uma despesa insustentavel, que nao pudesse ser mantidos por muito tempo, obrigando os britanicos a aceitarem uma negociacao.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Antes de despesa ficar insustentável para o Reino Unido ela já terá quebrado a Argentina.

Jefferson
Visitante
Jefferson

Eu jamais levaria meus homens a guerra por esse motivo…
Olhem o tamanho da Argentina, um dos maiores países do mundo. Deixa essa ilha para os ingleses e vamos investir na Argentina. Para o século 21 acho melhor ingleses e argentinos se unirem contra as invasões chinesas que estão por vir.
Quase 1000 mortos, sendo que a ilha tem 3000 mil pessoas. Absurdo!
1000 vidas perdidas em vão.

Mattos
Visitante
Mattos

Essa coisa de ilhas Falkvinas não vai dar em nada e os ingleses jamais sairão de lá. Se sairem entram os americanos. A Argentina falida não tem condições nem de fazer guerra de mentira e os ingleses, estão vendendo almoço para comprar a janta. Os dois portas aviões limparam os bolsos da rainha. Que deram o HMS Ocean num preço de mãe.
Resumindo os dois vão ficar igual torcida no estádio, uma provocando e xingando a outra.

Jefferson
Visitante
Jefferson

Mas os ingleses não xingam ninguém…quem xinga são “alguns” na Argentina. Acredito que uma guerra nem passe na cabeça do Macri, ele deve ser contra essa guerra idiota. Essa guerra foi uma besteira desde o início!

Mahan
Visitante
Mahan

Filhos de Moscow.

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

A batalha que os ingleses consideram o ataque argentino imperdoável. Isso é como as tensões entre Japão e China com as ilhas japonesas Senkaku. Ficam nessa viadagem, mas não se matam a pau porque não vai dar em nada. Só vai acabar ferrando a super economia japonesa e chinesa

Alexandre Esteves
Visitante
Alexandre Esteves

Após 133 anos de efetiva ocupação, creio que aquele arquipélago pertence de fato e de direito à coroa britânica pelo princípio do UTI POSSIDETIS, muito usado por nossa diplomacia durante os séculos XIX e XX. Logo, há um embasamento jurídico muito forte para firmar as pretensões inglesas tão forte quanto sua marinha.
Perdem-me os argentinos, mas as Malvinas são na verdade Falkland.

marcus
Visitante
marcus

Se a Argentina tivesse durante a guerra das Malvinas, todos os submarinos funcionando perfeitamente e torpedos de qualidade, teria mandado metade da frota inglesa para o fundo do atlântico.

Dalton
Visitante
Dalton

Nenhuma marinha do mundo consegue manter todas as suas plataformas ativas todo o tempo nem mesmo há munição para todas, ao menos não para garantir a total capacidade …na US Navy antes de um submarino ou qualquer outro navio entrar em manutenção sua munição é repassada para outro que então inicia seu ciclo de treinamento.
.
Em 1982 à Argentina contava com apenas 3 submarinos e um deles o “Santa Fé” era de
pouco valor militar.

ROBINSON CASAL
Visitante

Mais uma análise da guerra das Malvinas/Falklands sob enfoque dos Nove Princípios da Guerra .