Home Indústria Naval Caminhão atropela corveta: governo corta parte da capitalização da Emgepron

Caminhão atropela corveta: governo corta parte da capitalização da Emgepron

17689
193

Concepção em 3D da corveta classe Tamandaré

Governo cortou R$ 500 milhões de 2,5 bi reservados à capitalização da Emgepron, verba destinada ao programa de construção das corvetas classe Tamandaré. Corte se soma a outros, em diversos ministérios, para compensar crédito 9,58 bilhões de reais aberto para atender a reivindicações dos caminhoneiros e garantir a lei e a ordem

A conta para atender à principal reivindicação dos caminhoneiros que paralisaram o país nos últimos dez dias, a redução do preço do diesel, ficou em 9,5 bilhões de reais até o final deste ano, valor de crédito extraordinário ao Ministério de Minas e Energia para subvencionar o preço desse combustível. Uma conta que será paga por cortes em verbas originariamente destinadas a diversos ministérios, incluindo o da Defesa, e em especial o programa das corvetas classe “Tamandaré” (CCT), do Comando da Marinha. No caso, corte de 500 milhões nos 2,5 bilhões reservados no orçamento para capitalização da Emgepron (Empresa Gerencial de Projetos Navais), fórmula criada para atender a parte dos custos de obtenção dos navios.

Na Medida Provisória (MP) nº 838 publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) na quarta-feira, 30 de maio de 2018 (clique no link para acessar a página original) a União concedeu subvenção econômica à comercialização de óleo diesel em território nacional até o final deste ano, subvenção cujo valor total foi limitado em R$ 9.500.000.000,00 (nove bilhões e quinhentos milhões de reais). Para tanto, foi aberto crédito extraordinário ao Ministério de Minas e Energia (MME) nesse mesmo valor, por meio da MP nº 839, publicada na mesma edição do Diário Oficial (clique no link para acessar).

Lei e Ordem – A este crédito para o MME soma-se outro para o Ministério da Defesa (MD) de 80 milhões de reais, especificamente para emprego em Operações de Garantia da Lei e da Ordem – parte das quais, como se vê pelo acompanhamento das notícias dos últimos dias, são devido aos efeitos da própria paralisação dos caminhoneiros.

Perfil da corveta classe Tamandaré

Os cortes – Na sequência da MP que gerou esses créditos extraordinários, os quais somam 9 bilhões e 580 milhões de reais, vê-se no DOU páginas e mais páginas de cortes em despesas de diversos ministérios, desde programas menores aos mais caros, e até valores que eram reservas de contingência. Isso inclui programas dos próprios ministérios de Minas e Energia e Defesa. Neste último, chama a atenção o corte de 500 milhões de reais na “Participação da União no Capital da Empresa Gerencial de Projetos Navais – EMGEPRON – Recomposição do Núcleo Naval – Construção das Corvetas da Classe Tamandaré”.

Os cortes em programas dos diversos ministérios (classificados como cancelamentos) ocupam as páginas 4 a 39 da edição extra do DOU, e a parte relativa ao cancelamento de 500 milhões no programa das corvetas, dentro do orçamento deste ano, está nas páginas 32-33 (clique no link para acessar).

Concepção em 3D da Corveta classe Tamandaré
Concepção em 3D da Corveta classe Tamandaré

Capitalização da Emgepron – A participação da União no capital da empresa, que gerencia projetos navais, foi a fórmula encontrada no ano passado para viabilizar parte do programa da classe “Tamandaré”. Segundo informou em outubro de 2017 o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, isso se deve à Emgepron não ser afetada por contingenciamentos devido ao teto de gastos públicos, uma vez que a ela não depende financeiramente do Tesouro.

Assim se conseguiu aprovar, em dezembro de 2017, o Projeto de Lei Orçamentária para 2018 (PLOA 2018) que incluiu, entre outros programas das Forças Armadas, os recursos para capitalização da Emgepron para viabilizar o início da construção das corvetas neste ano. Nas páginas 944, 987 e 1065 do PLOA 2018, constou a emenda de R$1 bilhão para capitalizar a Emgepron com esse objetivo (o PLOA 2018 pode ser acessado clicando aqui).

De 1 bilhão para 2,5 bi, e agora 2 bi – Em 29 de março deste ano, foi publicado no DOU uma modificação das fontes de recursos para a capitalização da Emgepron, destinada ao Programa da Corvetas classe Tamandaré (CCT). A mudança adicionou R$ 1,5 bilhão ao montante original de 1 bi aprovado no PLOA 2018, totalizando 2,5 bilhões de reais na participação da União no capital da Emgepron.

Agora, com a conta da subvenção ao diesel gerando cortes em diversas áreas, podemos interpretar que esse cancelamento de 500 milhões reduz para 2 bilhões de reais essa capitalização, dentro do orçamento deste ano.

A classe Tamandaré – A Corveta Classe “Tamandaré” (CCT) foi projetada pelo Centro de Projetos de Navios da Marinha do Brasil (CPN) com detalhamento contratado à Vard. A CCT é uma evolução das classes “Inhaúma” e “Barroso”, e em relação a esta última, aproveitou a maior parte das linhas comprovadas do casco, diferenciando-se porém pela ampliação da boca (largura) em cerca de um metro e meio.

Como se pode ver nas ilustrações comparativas acima, o convés de proa teve seu desenho modificado, o que é visível especialmente na sua junção com a superestrutura do passadiço, encontrando esta um deck (convés) acima.

Comparadao desenho da Barroso, o projeto da Tamandaré tem o convés de proa com alinhamento mais horizontal, o que aumentou o volume interno na área entre o canhão principal e a superestrutura, ganhando assim parte do espaço necessário à instalação de lançadores verticais de mísseis.

Na outra extremidade do navio, o convoo foi estendido até o espelho de popa para aumentar seu comprimento, o que, combinado à ampliação da boca do navio e consequentemente da largura do convoo, visa a operação de helicópteros de maior porte que o Super Lynx, como o Sea Hawk. A área do hangar também foi ampliada. O projeto incorporou um corredor central interno, ao longo de praticamente toda a extensão do navio, para rápida movimentação de tripulantes a seus postos de combate e facilitar também o abandono da embarcação.

A CCT foi concebida para ser uma plataforma poderosa para missões diversas e para emprego contra ameaças aéreas, de superfície e submarinas. O navio pode ser configurado com vários sistemas e armas, como canhões de médio e grosso calibres, metralhadoras e sistemas de controle tático e conta, como já mencionado acima, com hangar e convoo para helicóptero orgânico. Também incorpora o conceito “stealth” (furtivo), com suavização das linhas externas e uso de reentrâncias, cobertas por portas, para acomodação de itens como botes, lanchas e lançadores de torpedos.

Segundo o Centro de Projetos de Navios, “as Corvetas da Classe ‘Tamandaré’ (CCT) incorporam melhorias contínuas nos projetos já desenvolvidos pela MB, por meio de inovações tecnológicas e buscando corrigir deficiências encontradas nas classes anteriores mantendo os aspectos positivos. A nova classe de corvetas possibilitará o incremento do número de navios escolta em atividade na MB, permitindo a manutenção da atuação nos cenários atuais, adequando-se as novas tecnologias e as necessidades de capacitação para a moderna guerra naval.”

Concorrência e cronograma – Para construir um lote de 4 navios da classe “Tamandaré”, a Marinha divulgou em dezembro do ano passado um Pedido de Propostas (RFP) a estaleiros internacionais, com a obrigação de que formassem consórcios com estaleiros brasileiros para a construção de pelo menos parte da classe no Brasil. Para mais detalhes sobre o RFP, clique aqui.

Os estaleiros deveriam responder ao pedido com suas propostas para construção das corvetas, seguindo o projeto elaborado pelo Centro de Projetos de Navios (CPN) da Marinha do Brasil, ou seja, de propriedade intelectual da Marinha. Caso desejassem, além da oferta de construção do navio projetado pelo CPN poderiam adicionar proposta para construção de navio de propriedade intelectual do  proponente (napip), sendo que nesse caso suas características deverão superar às do projeto da Marinha.

O dia 18 de maio marcou o prazo final para entrega de propostas dos estaleiros concorrentes. A divulgação de uma Short-List está marcada para o dia 27 de julho e a definição do vencedor está prevista para 28 de setembro de 2018.

Características principais da Tamandaré (projeto CPN):

  • Comprimento total: 103,4m
  • Comprimento de linha d’água: 94,2m
  • Boca máxima: 12,9m
  • Boca moldada (linha d’água): 12,06m
  • Calado (carregado): 4,25m
  • Pontal: 9,3m
  • Deslocamento máximo: 2.790t
  • Deslocamento leve: 2.267t
  • Velocidade máxima: 25 nós
  • Tripulação: acomodações para até 136 pessoas
  • Propulsão: CODAD (4 MCP)
  • Capacidades operativas: ASup/GAA-GE/GAS/AAw/MIO

Arranjo interno e compartimentação da corveta classe Tamandaré

VEJA TAMBÉM:

193 COMMENTS

    • Pois é.
      Cadê os intervencionistas que aproveitaram as reivindicações dos caminhoneiros para tentar espalhar o caos no país para, na sua ótica, permitir a intervenção dos militares na república?

  1. Quando li o título achei que algum caminho com problemas havia invadido acidentalmente algum e colidido contra uma Corvetta.

  2. Continuo apoiando os caminhoneiros, Marquinhos ________
    _______________________e com o povo todo apoiando a paralisação, teríamos força para pedir que o governo cortasse da própria carne para baixar os impostos dos combustíveis. Mas como o povo não se juntou, tiveram que engolir a primeira oferta do governo, que sempre será dar subsídios e jogar a conta para o outro lado, invés de diminuir o inchaço da máquina estatal. Enquanto o povo não se juntar e parar TUDO, exigindo corte de impostos e da máquina estatal, sempre vai ser assim, uma categoria para e consegue subsidios enquanto o resto paga a conta. Burros!
    Ainda mais que com esses generais acovardados, vamos continuar sendo roubados pela classe política.
    Mas importante é as migalhas que o governo dá né, uns milhoeszinhos com 20 anos de atrasso aqui para comprar umas corvetinhas e pra uns já serve de cala a boca.

    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ATAQUE OUTROS COMENTARISTAS. LEIA AS REGRAS DO BLOG:
    http://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

      • Voce nao leu o que eu escrevi. Como eu disse, se só uma categoria parar entao é claro que o governo vai oferecer subsidios para eles, atender suas demandas e penalizar os outros. O governo sempre faz assim. Essa sempre sera a solucao oferecida pelo governo. Dessa forma ele nao perde seu poder de arrecadacao, que no fim é o poder que os politicos tem para inchar o Estado e permanecer no poder, distribuindo privilegios, cargos, cala-bocas e etc. O que defendi é que toda sociedade se junte para que o governo nao tenha para onde fugir senao cortar da propria carne, sem penalizar o resto.

  3. Já era esperado, o Bardini já tinha cantado essa pedra, só faltava oficilaizar.

    São opções que o Governo , e consequentemente o Brasil faz.

    O Brasil vive de crise em crise, anda por espasmos, e o interesse nacional vai a sabor dos governantes míopes e do congresso composto por integrantes desqualificados, que fazem dos seus mandatos um balcão de negócios.

    O congresso deveria ter um papel moderador nas decisões do Executivo, zelando pelos interesses nacionais, e mais especificamente neste caso com a indústria de defesa nacional.

    Mas como fazer isso com a péssima qualidade dos congressistas ?

    São eleitos ex-palhaços, ex-jogadores de futebol, funkeiros, pastores, coronéis da política que se eternizam no poder, elegendo seus filhos e parentes, mantendo os feudos e interesses pessoais, mas sempre distantes dos interesses nacionais.

    Enquanto o povo brasileiro , que elege esse tipo de gente, não receber educação e assim poder passar a pensar, ficaremos fadados a ser uma nação ridicularizada e periférica , onde a nossa marca registrada é o samba, o pagode, e a corrupção generalizada.

    Uma greve criminosa como essa dos caminhoneiros, vai nos custar R$ 13,5 Bilhões de reais.

    Não existe almoço grátis. O Governo Federal não gera receita, portanto quem vai pagar essa conta somos nós e ainda por cima teremos cortes em investimentos importantíssimos, como o citado na matéria.

    Definitivamente, o Brasil e o mundo civilizado, são incompatíveis.

    Nossa sina é viver eternamente sendo o “País do futuro”, mesmo sendo sabotado diariamente pelos que são eleitos para zelar pelos nossos interesses, como Nação.

    Preços tabelados e congelados, como foi o resultado da negociação do Governo com o s caminhoneiros, vão causar distorções na economia caríssimas para serem corrigidas no futuro.

    Até na América Latina estamos ficando para trás.

    O resultado disso tudo é o país que vivemos hoje, nas pesquisas internacionais, sempre liderando o ranking do que não tem valor, do que não presta.

    • Governantes bandidos ou bandidos governantes?
      Míopes eles não são mesmo, estão todos de olho no dinheiro dos nossos impostos.

    • Eu nao entendo. Vc vem com o chavao do Nao tem almoço gratis. Sim. Mas sua análise no fim é rasa, falta ir mais longe, ela para no chavão. Diz que o governo nao gera receita… Mas ele tem receita! E de onde vem? E porque ele tem receita? Porque tem gastos! Se cortar os gastos precisará de menos receita, logo menos impostos. E porque o combustivel é caro? Por causa dos impostos. Mas o governo nao abre mao dos impostos porque precisa pagar seus déficits. A única soluçao de longo prazo e duradoura, que nao implica em novos ciclos economicos (como imprimir dinheiro) é o governo cortar gastos. Isso que a sociedade precisa se unir para cobrar. Mas enquanto o braisleiro achar que o governo que vai resolver, que o governo tem que investir, gastar para a economia crescer, vamos sempre pagar combustível caro.

      • Prezado,

        Não me preocupei com a profundidade de nada, nem fiz nenhuma análise.

        Fiz apenas um desabafo porque não aguento mais o rumo que estão dando ao Brasil.

        Abs.

      • O nome é esse, começou assim e por um período, a MB tinha tirado a classificação de Corveta, apesar do nome não ter se alterado.

        • Gustavo,
          Oficialmente, no que sai por exemplo sobre o programa nas comunicações do Diário Oficial da União, sempre foi corvetas.

          Mas isso é uma questão irrelevante, o porte dos navios tem como base um projeto que indica 2.790 toneladas, podendo ser maior conforme as ofertas recebidas. Não vejo relevância em intuir se o resultado final será neste porte ou maior antes do processo chegar a esse ponto, só por conta de como é chamado o programa nos informes oficiais ou nos corredores das organizações militares envolvidas.

  4. Lembrando que no preço subsidiado do diesel “para os transportes” pegam carona os proprietários de SUVs e Picapes de luxo, assim, fica um pouquinho mais fácil pros ricões. E você, assalariado, paga a conta.

    • Já não apoiava essa greve, depois do prejuízo de 15 mil que tomei essa semana é que não apoio mesmo! E agora vamos pagar mais caro pela gasolina para cobrir a redução do diesel dos corporativistas. Enquanto não venderem todas as estatais, extinguirem a previdência, cortarem salários de funcionários públicos que estão muito acima da média do mercado, e quebrarem os monopólios do governo em setores como energia, saneamento e transportes, para reduzir essa carga tributária asfixiante, viveremos sempre neste país afundado na pobreza e no atraso.

  5. Me parece uma medida totalmente correta para a atual conjuntura nacional.
    Não temos hipótese alguma de guerra, esses barcos na minha opinião são um gasto totalmente desnecessário e inútil, chega a dar vergonha alheia ver alguém apoiando esse tipo de gasto.
    O ideal mesmo seria cancelar tudo, e repensar daqui a uns 15 ou 20 anos adiante, se estes gastos são necessários.
    O mais importante neste momento é manter o bem estar e atender as justas reivindicações dos nossos irmãos caminhoneiros.
    Ótima e acertada medida do governo, mas repito, o ideal mesmo é encerrar totalmente este programa e resolver problemas mais importantes.

    • Pois é, preferem jogar culpa toda em uma classe sofrida que vende almoço pra comprar janta, impressionante ainda que muitos acreditaram que a greve foi locaute ( LOCKOUT), mas foi algo criado pelo governo e Globo pra jogar opinião pública contra os que lutaram pelos seus direitos.

      Mas realmente ninguém fala nada das mordomias dos 3 poderes, um único juiz custar quase 50 mil mês pro estado, ou ex presidente 1 milhão por ano, ou até mesmo 2 bilhões anuais com deputados e senadores……realmente culpado é trouxa que produz e trabalha

  6. A greve dos caminhoneiros tinha como objetivo obter benefícios para os caminhoneiros. Pode parecer óbvio, mas no Brasil é preciso desenhar para as pessoas entenderem.
    Uns desocupados na internet tentaram pegar carona no caos reinante e juntamente com radicais e malucos em geral procuraram transformar o movimento dos caminhoneiros numa espécie de “revolução francesa” tropical. Obviamente não deu certo.
    Eu sinceramente fico impressionado com a falta de noção dessa gente que vota sistematicamente em corruptos e depois tem a cara de pau de fazer discursos inflamados contra os corruptos que eles próprios elegeram

    • Muita gente desinformada ou mal intencionada via o movimento dos caminhoneiros como uma manifestação popular boa para o Brasil, agora começa a chegar a cionta da extorsão.

      • Nao, nao viram. Ela começou pedindo por pautas da categoria, normal, mas rapidamente evoluiu para um movimento popular há muito não visto no Brasil contra a classe politica que legisla em causa própria e nos mantém reféns. E dessa vez nao foi liderada por sindicatos. __________________ preferem ficar criticando da cadeirinha. A análise de que vamos pagar a conta é verdadeira se, e somente se, uma greve ficar restrita à categoria. __________________Que não fizeram nada, se informaram somente pela grande mídia e preferem somente criticar. Nunca fazem nada, vamos continuar trabalhando para pagar pelo poder dos políticos que sentam nas nossas costas. E agora realmente vamos pagar a conta, e continuar_______
        __________________________


        COMENTÁRIO EDITADO. LEIA AS REGRAS DO BLOG.

        http://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

    • JT8D,

      Na verdade, o custo do transporte influencia, ainda que indiretamente, a todos.

      O diesel, especificamente, não é utilizado apenas pelos caminhões para fins de transporte das mercadorias, mas também amplamente utilizado na produção primária (máquinas agrícolas), que é o verdadeiro motor da economia.

      Logicamente os caminhoneiros procuraram obter melhores condições para a sua classe, mas indiretamente outras classes também se beneficiam.

      A Marinha deveria gerir melhor as despesas com pessoal, para que os entusiastas e militares não precisassem criticar o movimento legítimo dos caminhoneiros que vai implicar na diminuição de impostos para o diesel.

      Se o governo vai gerir bem ou mal a crise é outra história.

      • Caro Mercenário, o que beneficiaria de fato a população é se o governo passasse a investir em parceria com a iniciativa privada na construção de mais ferrovias. Mas é claro que os caminhoneiros não iriam incluir isso em sua pauta de reivindicações

        • Nem os caminhoneiros e nem muito menos as montadoras de caminhão que empregam muitas gente e tem muita influencia no congresso, lembre-se que tem toda uma indústria de auto peças na cadeia dos caminhões que também emprega muita gente, por isso que a malha ferroviária não vai para frente no Brasil, as hidrovias também são boicotadas, enfim, no final tudo gira em torno do lobby, quem tem mais força ganha, e nisso as montadoras de caminhão largam muito na frente. Quanto ao assunto a MB ainda saiu no lucro, até 1 mês atrás ela tinha 1 bilhão para a Engeprom, foi para 2,5 bilhões e acabou com 2 bilhões, ou seja no final ficou com 1 bilhão a mais que inicialmente, se é o suficiente, só o tempo vai dizer, mas uma coisa fica claro, a corveta de papel fica cada vez mais longe e as corvetas e fragatas oferecidas pelos estaleiros fica cada vez mais perto da MB, justamente por serem mais baratos que a corveta Tamandaré feita pelo CPN

          • “as corvetas e fragatas oferecidas pelos estaleiros fica cada vez mais perto da MB, justamente por serem mais baratos que a corveta Tamandaré feita pelo CPN”

            Será? Nada garante que sejam mais baratos, porque opções ao projeto do CPN terão que ser superiores em capacidades do mesmo para serem avaliados. Não necessariamente os navios de propriedade intelectual do proponente serão mais baratos que o de propriedade intelectual da Marinha, só por serem do proponente.

  7. Eu já falava desde as primeiras postagens dessa greve… Os caminhoneiros vão ganhar um agrado e o povão revoltadinho, vai ficar com a conta.
    .
    Protestar contra tudo quanto é problema, nunca deu e nunca dará certo. Manifestação sem foco, vira só uma baderna…

    • Sim Bardini, o que essa gente precisa fazer é votar certo nas eleições que se aproximam. Votaram por mais de uma década em bandidos e depois ficaram revoltados quando perceberam que foram roubados

    • No O forte quase fui linchado quando me pus contra a forma do protesto e ressaltei o óbvio: quem pagaria o preço e a inutilidade de tudo ( exceto para a categoria de forma limitada , e para os empresários do ramo). Fui chamado de inimigo “do povo”.

      Como diz o Juarez costumeiramente, nada como um dia depois do outro.

    • Bardini, vc só tem razão na medida em que a greve, como você queria e torcia contra, não teve apoio popular maciço que não o apoio psicológico e muitas hashtags. Tivesse o resto da sociedade se recusado a continuar, e não corrido para o posto para pagar caro na primeira oportunidade, a coisa poderia ter outro desfecho. Todo mundo sabe que greve restrita a uma categoria sempre vai acabar em agrado para esses e a conta repassada para os outros.
      O apoio que tentávamos angariar era para que ela se generalizasse de verdade, aí sim o povo teria força para _________________
      _________________________.
      Pela primeira vez uma greve no Brasil não partiu de sindicatos dominados pela esquerda. Aliás os sindicalistas foram rechaçados quando tentaram pegar carona. Era um sinal. Mas tem gente que prefere só criticar, não dá solução nenhuma e fica com o prazerzinho raso de dizer, eu avisei… Parece que gosta. Mas tem eleição né? Vai mudar muito sim…

      COMENTÁRIO EDITADO. LEIA AS REGRAS DO BLOG.
      http://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

      • Se vocês continuarem votando como sempre fizeram não vai mudar nada. E se todas aquelas pessoas bem intencionadas como você tivessem conseguido que o governo renunciasse, quem assumiria? Rodrigo Maia? Ou vocês iriam colocar uma espécie de “rei” no poder? Quem? Porque os militares já haviam deixado bem claro que não iam intervir. Então conta pra gente o que se passa na sua cabeça, já que você é contra eleições

        • Eu não tenho certeza se os militares não iriam intervir mesmo, tivesse o clamor popular sido mais fote e a greve continuado por mais uma semana e o governo se mostrado incapaz de conter a revolta. Eles falam que não mas dependendo da situação é possível.
          Nunca disse que sou contra eleiçoes, isso é uma falácia. Acontece que as eleições que temos são fraudulentas. Não é possível garantir a lisura do processo uma vez que a contagem de votos é secreta, feita por 23 pessoas e não há chance de recontagem. Aliás, o próprio presidente do TSE já afirmou que vai descumprir a lei do voto impresso. Que raios de democracia é essa onde um ministro de tribunal superior se recusa a cumprir a lei? Lei só para os mortais.

    • Greve é uma luta, na qual o setor de transportes tinha objetivos específicos e os cumpriu. O resto são as os riscos, custos e perdas aceitáveis.

      O setor de transporte rodoviário, empresários e caminhoneiros, estava lutando por si mesmo e ganhou. Os militares fizeram o trabalho deles, com um impacto pequeno por sinal. A conta era esperada e quem está surpreso é ingênuo.

      Porque afinal, cortar privilégio é que não iam.

  8. O problema não são os caminhões e sim os políticos.
    Esta lambança é supra partidária envolve da esquerda a direita.

    E por estas e outra que acredito que não vão passar de 36 os Gripens.

  9. Nós pagamos por nossos erros. É tão difícil licitar novos trechos de ferrovias? Porque tudo demora tanto? Um país inteiro nas mãos de caminhoneiros?
    .
    Basta licitar. Não precisa nem de verbas públicas. Ou então libera isto de uma vez e que a iniciativa privada construa ferrovias onde ela achar necessário. Oque tem de mudar, é que as empresas tem de ser donas das ferovias, ter o poder de amplia-las de acordo com as demandas do mercado. Este papo de concessão não funciona, a não ser que o período de concessão seja maior. 30 anos é muito pouco, já que os investimentos necessários são altos. Finalmente vão antecipar a renovação das concesões da malha da RFFSA, oque vai viabilizar mais investimentos. Precisa ter crise pro governo se mover.
    .
    Há um monte de trechos de ferrovias que levam a lugar nenhum, porque falta licitar novos trechos para interligar com outras malhas. Uma das concessionárias (desculpe, não lembro o nome, a noticia nao é nova) devolveu a União mais de 7000 km de vias. Pagou a multa e devolveu.
    .
    Quanto aos combustiveis o governo não pode reduzir impostos só dos combustíveis derivados de petroleo. Se for reduzir, tem de reduzir do etanol também, para não criar desiquilibrio. O setor de alcool esta começando a se recuperar da quebradeira geral causada pela gasolina “subsidiada” do governo anterior.
    .
    E no fim, vai sobrar pra corveta.

    • Caro Zorann, concordo que as ferrovias são necessárias para complementar o modal de transportes, assim como a navegação de cabotagem, também praticamente extinta desde o advento da indústria automobilística e consequente opção pelo transporte rodoviário. Ocorre que o trem e o navio não entregam a mercadoria “na porta”, ainda assim necessitamos de caminhões para distribuição das cargas. O ideal seria que caminhões transportassem até 20 ton de carga nas rodovias.

      • O modal tem de ser diversificado. No Brasil o transporte ferroviario representa 10%. Nos EUA, Russia, China, mais de 35%. Enquanto em outros países a malha ferroviária aumenta, aqui ela diminui.
        .
        Ainda há a questão das bitolas diferentes, que dificulta a integração entre as malhas.
        .
        Logico que precisamos de caminhões. Mas o transtorno seria menor se a malha ferroviaria fosse maior. É bem diferente vc ir buscar de caminhão um container num porto seco perto de vc, do que atravessar o pais inteiro de caminhão para busca-lo em Santos.

        • Zorann,

          No Brasil, o transporte por ferrovias não é de 10%. Números de 2014, do IBGE, colocavam essa porcentagem em 21%.

          Não discordo, de forma alguma, de seu argumento de que a malha deve ser maior. E qualquer um que esteve vivendo no Brasil nos últimos 10 dias sabe o que foi possível impactar o país com a parada do transporte rodoviário. Mas acho que precisamos usar os números mais próximos possíveis da realidade para tratar do assunto, até mesmo para pensar nos problemas.

          Segue links com os números de 2014, de reportagem e do IBGE, além de um mapa:

          http://www.valor.com.br/brasil/3792646/sistema-rodoviario-predomina-no-transporte-mostra-mapa-do-ibge

          https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2013-agencia-de-noticias/releases/14707-asi-ibge-mapeia-a-infraestrutura-dos-transportes-no-brasil.html

          ftp://geoftp.ibge.gov.br/organizacao_do_territorio/redes_e_fluxos_geograficos/logistica_dos_transportes/mapa_LogTransportes_5mi.pdf

          Em outro comentário, coloquei link da ABTF (mesmo fazendo as ressalvas para a fonte), que coloca essa porcentagem em 25%.

          • Olá Nunão!
            .
            Você está correto. Fui puxar o valor de cabeça (preguiça…) e acabei me equivocando. Obrigado.
            .
            Mas se pegar os valores totais, incluindo passageiros/carga, a diferença com outros países continentais, fica maior ainda.
            .
            Resumindo: é muito pouca ferrovia. Como o JT8D 31 de Maio de 2018 at 22:15 disse, mais da metade da malha é subutilizada. Muitos trechos estão simplesmente abandonados. Tem um trecho inteiro aqui na minha região (que liga várias cidades – centro oeste de Minas) abandonado. Trechos inteiros tiveram os trilhos roubados. Outros tem problemas com dormentes/trilhos velhos que limitam a velocidade dos trens a 15 km/h. O trecho que passa pela região metropolitana de São Paulo (que é compartilhado com a CPTM) só permite o tráfego de trens de carga durante a madrugada. São inúmeros problemas.

          • Sim, Zorann, só quero esclarecer que não estou negando os problemas (e nem tem como), apenas quis trazer números mais recentes.

            Há muito o que fazer.

            Quanto aos trens de carga de madrugada e finais de semana, eu os conheço em São Paulo, vejo as linhas da minha janela, e quando morava em outra cidade vizinha, desde a infância era acostumado a ver os armazéns e pátios de carga da RFFSA.

            Com os números, se não dá pra ver o copo meio cheio ou meio vazio, porque a situação está longe dessa metáfora, pelo menos dá pra ver 1/5 ou 1/4 cheio: não há impedimentos intransponíveis para se sair de um patamar de 20 a 25% de carga transportada por ferrovias para algo como 40%, o que aproximaria o Brasil do mix se transporte de países continentais mais desenvolvidos, aumentando e modernizando a malha. Mas quando leva tantas décadas pra fazer uma Norte-Sul, de fato desanima.

            PS – muita gente coloca a “culpa” no governo JK, o que acho um equívoco fazer, historicamente. Há algumas boas pesquisas nessa área que mostram uma história muito mais complexa. O transporte rodoviário no Brasil era relativamente ainda pequeno e a demanda por ele era imensa na década de 50. A briga por mais rodovias e caminhões vinha desde pelo menos a década de 1920, em que os produtores queriam ter alternativas a alguns monopólios de transporte ferroviário (de capital britânico no caso das mais lucrativas ferrovias), e contavam com lobby de capital americano para pressionarem por mais desenvolvimento do modal rodoviário. Ainda hoje, só de saber a situação da maioria das estradas do Brasil (boa parte sem pavimentação em pleno século XXI) pode-se perceber que a situação do modal rodoviário está longe de ser desenvolvida. Obviamente, deixou-se de investir o mínimo necessário em ferrovias, houve muitos erros políticos no caminho, e é evidente que uma participação bem maior de ferrovias nesse mix de transporte ajudaria ambos os modais e ao país como um todo – o que é quase um truísmo.

    • Locomotivas também usam Diesel é mesmo assim precisam de caminhões pra despachar os produtos depois de chegar ao porto seco não existe isso de só Ferrovia resolve tudo se complementam não existe truque magico.

      • Deveriam set modais complementares. Só que a extensão da malha ferroviária ativa atual é a mesma da época do império. A extensão da malha ferroviária dos EUA, um país do mesmo tamanho do nosso, é dez vezes maior. Então essa complementação não está ocorrendo. As ferrovias praticamente só transportam minério. Somos totalmente dependentes do transporte rodoviário

        • JT8D,

          Quanto à extensão da malha ferroviária, certamente ela é pequena, e não muito diferente do que era há 100 anos. No Império, chegou a cerca de 10.000 km, chegou a se aproximar de 40.000km na década de 60, e com a eliminação de inúmeros ramais não produtivos foi reduzida a cerca 30.000km ao longo das décadas seguintes, perto do que existia em 1920 (ou seja, está hoje perto do que era em extensão há 100 anos, embora seja uma malha diferente no mapa).

          Mas eu me surpreendo, na mídia, com alguns comentários rasos do tipo “as ferrovias acabaram”, “tudo é por rodovia” e coisas do tipo.

          Na verdade, 25% da carga no Brasil é transportada por ferrovias. Deveria a uns 45% para chegar ao patamar de países continentais como os EUA.

          Além disso (ainda que a fonte tenha a suspeição de falar bem de si), segundo a ANTF, o crescimento da carga ferroviária nos últimos 20 anos foi mais ou menos 3x o crescimento do PIB, algo como 150% comparado a 50%. Está longe de ser algo estagnado, como muito se ouve e lê por aí. Segue o link:

          http://www.antf.org.br/releases/mais-eficiencia-mais-tku/

          Tem bastante minério nessa porcentagem, mas não só, pelo que entendi do link acima. Commodities representam, segundo a ANTF, 35% do que é transportado em ferrovias para os portos. A questão é que o investimento é muito menor do que deveria para ampliar a malha onde ela é claramente deficitária, e obras intermináveis como a Norte-Sul são de ficar estarrecido. Mas, pelos números, a coisa não está tão feia assim quanto ao aproveitamento das ferrovias. Precisa ampliar a participação, com certeza, e planejar os modais para reduzir os custos de transporte como um todo. É, de fato, inconcebível pensar em continuar competitivo com cargas transportadas por vários milhares de km por caminhão.

          Olhando o mapa abaixo, dá pra perceber várias áreas onde deveria ser expandida a malha:

          http://www.antf.org.br/wp-content/uploads/2016/12/mapa1.jpg

          • Nunão, concordo, plenamente. Apenas queria lembrar que desses 28000 km da malha atual nem a metade está ativa, ou seja, estamos sim com a mesma extensão de malha da época do império. Também com relação á porcentagem do PIB, não se deixe enganar pelas estatísticas. Quando você tem um número muito pequeno, qualquer acréscimo será porcentualmente grande (por exemplo, se você tem 0,1 e passa para 0,2 você teve um aumento de 100%).
            O setor está sim estagnado, como descreveu muito bem o Zorann, e as empresas que fabricam material ferroviário no Brasil estão em estado terminal por falta de encomendas significativas. Mas tudo bem, quando os chineses comprarem tudo a preço de banana o governo vai passar a estimular o setor

  10. Acredito que foi colocado 1,5 bilhões a mais justamente pra prever esse tipo de coisa, acho, não sei se estou certo mais 500 milhões a menos não vai prejudicar o programa.

  11. Por isso que falo que falta um saco roxo nas FAAs…
    Se institui um % do PIB, e ponto final.
    As coisas acontecem e o governo se vê obrigado a trabalhar pra fazer o que deveria fazer.
    Aí se aproveita para reestruturar as pensões e o efetivo!
    Daí sim poderíamos ter as FAAs aparelhadas, modernas e efetivas!!

  12. Cantei a pedra aqui mesmo uns dias atras. Procurem e acharão, e ontem, mesmo reafirmei isso. Está ai.
    Pior é ver gente que chega ao ponto de incoerência de apoiar a manifestação ( 87% segundo “pesquisa” divulgada pelo “data folha”) mas ser contra aumento de impostos ou corte de gastos, consequências inarredáveis de uma benesse a um categoria com valores do erário.

    Quem apoia tem que estar pronto a assumir o preço por questão de coerência.

  13. Bobo é quem acreditar nessa falsa bravata do GF.
    Esses energúmenos estão sempre tentando nos levar contra quem representa o povo nesse país.
    No passado foram outros, a bola da vez agora são os caminhoneiros, depois os petroleiros e por ai vai.
    Engraçado que o ninho de serpentes denominado senado nacional e toda aquela podridão política de Brasília nunca cortam na carne para economizar.
    Custos que saem para mais de 150 milhões de reais para cada “representante do povo”, ou seja, temos mais de 350 deputados só no senado, multiplicado por 150 milhões, façam as contas!
    Mas como sempre os contribuintes pagarão mais esse pato, por não agirem, se manifestarem e se mobilizarem.
    Segura mais essa no peito contribuinte, aumento de 0,75% na gasolina rsrsrs.
    Classe Borey, a resposta é simples: porque envolve nação estrangeira, ou seja; se cancelarem terão muito a responder a nosso senhores ocidentais !
    Cada povo tem o país que merece mesmo !

  14. O Brasil é assim, algumas categorias gritam, recebem privilégios, e o resto da população paga. Enquanto houver no Brasil uma máquina pública tão grande nunca haverá desenvolvimento.

  15. Politico brasileiro não presta. Esta semana na calada da noite, os vereadores aqui de São Paulo aprovaram um pacote de aumentos de mordomias de mais 44 milhões mês. Tem dinheiro sim. O que não tem é seriedade e gerenciamento atrelado à corrupção e descaso com a defesa do país. Não acredito nesta democracia. Falta uma posição mais dura e enfática dos comandantes militares Brasileiros.

  16. Volto mais uma vez a bater na mesma tecla: enquanto os militares não efetuarem mudanças e reformas que façam com eles não percam de 70 à 80% do que recebem do gov. fed. em folha de pagamento e encargos sociais, vamos continuar navegando de canoa furada, voando sem asas, e marchando à pé! Essas reformas não foram feitas até hoje mas são de suma importância para que os bilhões que gastamos com o Dep. de Defesa se concretizem realmente em DEFESA! A conta é simples! É muita folha de pagamento para pouquíssimo adestramento de nossas forças, para poucos esquadrões da FAB, para poucos navios da MB para poucos soldados e bem equipados do EB, isso sem mencionar nossos baixíssimos estoques de munição É isso que precisa ser discutido! Vai desagradar geral? Opa se vai! Talvez seja necessário exonerar uma chuva de militares? Com certeza! Vai gerar discussão isso! Mas…. não tem jeito é necessário! A MB, EB e a FAB precisam transformar esses bilhões que recebem em forças que realmente sejam operacionais! Eu não vejo outra saída, se algum colega vê por favor a coloque na mesa! Não da mais para contar com a boa vontade do Gov Federal! No primeiro desfalque deles a verba é cortada, porém a despesa com folha de pagamento fica ali firme e forte e subindo ainda! É inadmissível isso! Desculpa o Desabafo!

  17. Claro que dá para cortar aonde o governo quiser: Cargos em Comissão, subvenções à ONGs, repasses ao legislativo e judiciário e etc. E enquanto a gente se distrai com tudo isto os desembargadores do Paraná já conseguiram o auxílio fruta e o TCE-PR pleiteia o auxílio saúde, ou seja, enquanto todos nós pagamos pela saúde, eles querem receber.
    Quanto à conta da greve, ela irá certamente para a população, porque do contrário haverá uma infração por parte do governo e mais ações na justiça americana contra a Petrobrás. Quando FHC lançou ações da petrolífera em wall street, ficou definido que a empresa sempre praticaria preços de mercado, para que as outras irmãs pudessem atuar livremente no mercado brasileiro. Nunca mais a Petrobrás poderia ser utilizada como meio de atenuar as variações de preços do petróleo no mercado mundial, mesmo extraindo o barril a US$ 9 e dispondo de vastas reservas.

  18. A paralisação dos caminhoneiros afetou os pobres e beneficiou os ricos

    10 bilhões em cortes e benefícios para os empresários do setores agrícola, logística, aéreo, transporte, construção e industrial.

    É a mesma coisa do passe livre para os estudantes. Quem vai pagar o passe livre dos estudantes é o pobre que usa o ônibus para trabalhar. O brasileiro precisa entender que não existe almoço grátis ou redução de preços, não existe.

  19. ____________ criticam as manifestações dos caminhoneiros talvez por inveja de nao terem mostrado a mesma força, preferem seguir as demandas de determinadas companhias da imprensa, para assim pensarem que estão antenados houveram excesssos sim! Que se apure e prendam os responsáveis.
    Quanto ao corte no programa nada de novo, ja que por qualquer motivo saúde, educação e segurança tem verbas cortadas.
    O dinheiro das elites do fincionalismo público _ tanto cívil quanto militar_ e das quadrilhas de bandidos na política não se mexe.
    _______________________
    _______________________


    COMENTÁRIO EDITADO. LEIA AS REGRAS DO BLOG.

    http://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

  20. Vamos pós pingos nos “i” s:
    Sou da de área,de logística, parei, não fiz bagunça, e compreendo perfeitamente o que a classe sofre, pois os fornecedores não aceitam que se repasse o custo do diesel para o frete, e ainda vou para alguns arautos da verdade é da pseudo moralidade que os caminhoneiros não tem culpa que corvetas da MB foi atingida por um “Exocet caneta”:
    No Brasil, a carga tributária média que incide sobre o diesel e de aproximadamente.adamente 40 a 45% dependendo do ICMS cobrado em cada estado.
    Para efeito de comparacao, nos Estados Unidos, e em média e8,5%. Agora, perguntem se algum governador topa tirar algo como 25% de ICMS como alguns estados chegam a cobrar?
    Claro que não, porque não vão conseguir fechar a conta no final do mês, porque sem excessão, todos estados estão inchados de pessoal e com seus sistemas previdenciarios,. Quem paga a conta???
    Os trouchas, que aceitam tributação sobre um combustível que movimenta toda a logística do país.
    Vamos adiante, vamos falar sobre eficiência e custos de produção.
    A Statoil, que a Petrobrás da Noruega, uma estatal que produz 2.100.000 barris de petróleo por dia com 21.000 funcionários, já a “nossa” Petrobrás produz algo em torno 2.800.000 barris por dia e tem entre funcionários e terceirizados algo em torno de 180.000 funcionários.
    O preço da gasolina nos Estados Unidos anda por volta de 2,76 o litro, preciso explicar mais?????

    • Os estados também são vítimas já que tem pouca autonomia e quase 70% da arrecadação fica concentrada nas mãos da união, pior que o governo federal ainda tem o poder de escolher a dedo qual estado vai receber mais dinheiro da união e não precisa nem dizer que costumam beneficiar os estados governados pelo próprio partido e aliados, o petê cansou de fazer isso. A única saída para os estados é colocar altas taxas nas mercadorias e serviços, famoso ICMS, que faz bastante mal a economia e para quem ganha menos.

    • Prezado Juarez, o fundo das reivindicações não se questiona a validade. O problema foi a forma e a deturpação. De sexta em diante tinha virado uma tentativa de criar caos para derrubar o governo ou forçar intervenção, coisa simplesmente absurda.

      E tu próprio és o exemplo de como é possivel fazer as coisas sem avacalhação. Se tu parou, estava no teu direito. Mas quando se tranca rodovias indiscriminadamente se perde a razão.

      Também sabemos da escorchante carga tributária que assola o combustível e muitos outros setores e é bem evidente onde deveriam começar os cortes, figurando como primeiro da lista o congresso nacional com verbas de representação e de gabinete surreais e salários astronômicos. Aquilo ali é um câncer. Mas o corporativismo é grande. No executivo os cargos comissionados não usados como moeda de troca na chantagem parlamentar. Toda estrutura é mantida para se auto-alimentar e gerar “tetas” para se comprar o congresso. A Petrobras é exemplo disso.
      Se não se sede, avacalham tudo e nada mais se vota ou anda. Dilma e Collor pagaram o preço de não ceder (embora estivessem errados por outros motivos). Temer, em quem não votei, ressalto, é também refém deste sistema ( o que não isenta de suas faltas), como será próximo presidente.

      Mas pra isso mudar temos que renovar, pelo voto, e fazer algo que é nossa principal falha: ter memória e cobrar depois, pesadamente depois. Quem não desembocar a contento, proscrever. Como disse em outro post, o eleitor é um soldado, e o voto é o fuzil. Um soldado e seu fuzil não ganham guerras, mas muitos unidos sim.

    • Na verdade já está mais que provado que os combustíveis no Brasil não são caros em relação ao resto do mundo, está na média mundial, nos EUA os os combustíveis fósseis são baratos por serem subsidiados por presso indústria do petróleo, que literalmente manda no país. Se o cliente não aceita o preço do frete, a greve deve ser feita contra o cliente, não cabe ao governo pagar a conta do fracasso das negociações entre as partes. Aliás, fala-se em inchaço do estado para defender o subsidio ao diesel mas estavam lá obrigando o governo a TABELAR O PREÇO DO FRETE(o diesel baixa e o consumidor vai pagar a conta em nome da margem de lucro das transportadoras) e dar cota na prestação de serviços para estatal. A verdade é que ninguém é contra mamar nas tetas do Estado, as pessoas são contra ficar fora da mamata. Sobre a taxação em si, o combustível fóssil tem que ser taxado justamente para compensar o dano ambiental que causa, por isso a energia limpa (combustível vegetal, energia solar, eólica, geotécnica, biomassa etc…) tem baixos impostos. O diesel é taxado pelo mesmo motivo que o cigarro e a bebida.

  21. Alguns projectos de DESEFA devem deixar de fazer parte dos programas de Governo e devem começar a fazer parte dos programas de Estado, o governo pode mudar , mas o estado é o mesmo, eu vou citar alguns : 1º PROSUB, 2º KC-390, 3º Gripen NG , 4º Guarani, 5º Corvetas Tamandarés , 6º ASTROS 2020, 7º Satelites SGCD, 8º Fuzil IMB2 , 9º Avião ERJ-145 , 10º EC-725 Super Cougar , 11º PROSUPER , 12º EMB-195-E2, 13 º PRONAE, 14º PROANFB, 15º UAV Hermes.
    Para não citar o MANSUP, o ALAC , o TPN .
    Todos esses devem ser projectos de ESTADO, não devem depender de greves e contra-manifestações, o seu orçamento deve ser protegido de ingerências, é isso que eu defendo. Defesa é assunto sério, não podemos brincar com esses assuntos.

    • Olá Filipe. Existem muitos outros órgãos do governo federal que precisam ser protegidos por que também estão relacionados a temas sérios mas que receberam cortes. Por exemplo, a Vigilância Sanitária (da qual depende toda a exportação de carnes). Ou o INPI que cuida do registro de patentes. Até a Fundação Oswaldo Cruz que (além de pesquisa) também produz e distribui vacinas para o SUS.

      • Só um adendo….
        A vigilância sanitária feita pelo MAPA para exportação e importação de carnes está no limite do caos.
        O Brasil precisa muito valorizar isso.

  22. Filme repetido. A defesa é sempre a primeira pasta a levar as tesouradas do governo federal quando este é incapaz de governar e manter esse país minimamente viável

    • Olá Fabio. Eu listei alguns outros órgãos que também tiveram cortes. Alguns cortes não parecem ser grandes quando comparados aos R$ 500 milhões da Engeprom, mas representam uma substancial parcela dos recursos de custeio dessas instituições. Cortar R$ 3 milhões da vigilância sanitária parece pouco, mas considerando sua importância pode ser um desastre.

  23. Olá Colegas. Estava olhando a planilha e encontrei algumas coisas: Embrapa (- R$ 21 milhões), CNPq (-R$ 43 milhões), FNDE (fundo nacional para o desenvolvimento da educação, -R$ 55 milhões), Inmetro (-R$ 5 milhões), DPRF (-R$ 4,5 milhões), DPF (-R$ 7,8 mihões), Fundação Nacional da Saúde (-R$ 7,3 milhões), Vigilancia Sanitária (-R$ 3 milhões), Fundo Nacional de Saude (- R$ 159 milhões), Engeprom (-R$ 500 milhões), FIES (-R$ 150 milhões). Mas tem muitos outros órgãos do governo federal.

  24. Reclamar que tudo está mal é exatamente isto.

    Não tem mira nem foco, então deixa a liberdade do governo definir o que corte e como corta….

    Sem mira, a coisa é certa…governo irá cortar tudo menos a propria maquina administrativa e política….a verba de campanha deles está lá….

  25. Quando eles (governo), abrir os olhos não teremos mais marinha! Nas vacas gordas não fizeram o dever de casa, a frota já era da década de 70, se for enumerar a quantidade de maus gastos e corrupção, copa, olimpíadas, saio do tópico. Muita coisa até que sem problemas, mas com responsabilidade. A quantidade de desvios, corrupção, roubos que vimos nos últimos anos pela lava jato, pagariam a substituição de parte, ou todos navios de superfície de escolta da frota. O Brasil é um país rico, mais gasta mal o dinheiro, é rico mais é um país travado. Enquanto isso esse ano foi sancionado 1,7 BI para fundo de campanha, á esqueci, nessa parte não pode mexer! Mas quando o país pega fogo, quem que eles chamam??? Adivinha… Os militares!

    • Olá Marcius. Talvez seremos nós que não veremos mais país algum (não é plágio, é referência mesmo ao Ignácio de Loyola Brandão).

  26. Alguém ai já se deu ao prazeroso trabalho de ler “guerra irregular moderna” de Friedrich August von Der Heydte? Especialmente o capítulo XI – Subversão?

  27. Camargoer
    Concordo sim com vc
    Mas históricamente quando se tenta tirar dinheiro de algum lugar, antes que se pense, se fale, se decida, se reuna, a defesa é sempre, sempre a primeira a perder

    • Olá Fábio. O orçamento do MinDef é o terceiro maior do governo federal (o MEC tem o segundo que é um pouco maior. O MinTrabalho é o quarto e o MinSaude o quinto). Portanto, o MEC e o MinDef são aqueles que sempre que sofram os maiores cortes. A questão é que o governo federal deve reservar (no minimo) 13% para a educação e 18% para a saúde.

    • Só pra ajudar na discussão: como a própria matéria indica, há diversas outras áreas que estão sofrendo cortes. E, como bem ponderou o Camargoer, eles podem não ser tão grandes quanto os 500 milhões do programa das corvetas no sentido absoluto, mas no sentido relativo podem ser catastróficos para programas menores.

      Vale a pena clicar nos links das MPs, disponibilizados no texto, e checar.

      Tem corte para tudo que é lado, alguns dos quais são até paradoxais num sentido mais amplo dos problemas e vulnerabilidades do transporte no Brasil, dos quais tanto se falou na última semana, como tirar dinheiro que seria investido no transporte aquaviário, como dragagem, de portos, hidrovias, além de dinheiro para ferrovias, e até mesmo para construção de estradas (o que também é necessário para melhorar a própria atividade de transporte rodoviário…).

      Alguns exemplos:

      Dragagem de Adequação da Navegabilidade em Portos 45.594.577

      Melhoramentos no Canal de Navegação da Hidrovia do Rio Tocantins 1.501.018

      Construção de Terminais Fluviais na Região Norte 5.547.000

      Construção de Trecho Rodoviário – Entroncamento BR-163 (Rio Verde
      de Mato Grosso) – Entroncamento BR-262 (Aquidauana) – na BR419/MS 32.663.966

      Construção da Ferrovia Transcontinental (EF-354) – Sapezal/MT – Porto Velho/RO 1.109.400

      Formação, Capacitação e Fixação de Recursos Humanos Qualificados para C,T&I 21.750.024

      Integralização de cotas em Fundos de Garantia de Operações de Crédito Educativo 150.000.000

      Reforma Agrária e Governança Fundiária 30.779.491

      Pesquisa e Inovações para a Agropecuária 2.729.070

      Defesa Agropecuária 2.996.839

      Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação 55.101.206

      Fiscalização em Metrologia e Qualidade 4.126.725

      Policiamento Ostensivo nas Rodovias e Estradas Federais 1.531.947

      Prevenção e Repressão ao Tráfico Ilícito de Drogas e a Crimes Praticados contra Bens, Serviços e Interesses da União 4.131.273

      Força Nacional de Segurança Pública 1.918.358

      Implementação do Programa Mais Médicos 34.015.114

      Apoio à Manutenção de Unidades de Saúde 38.968.809

      Controle e Fiscalização Ambiental 1.173.456

      Apoio à Criação, Gestão e Implementação das Unidades de Conservação Federais 2.920.619

      Desenvolvimento Integral na Primeira Infância – Criança Feliz 3.891.600

      Serviços de Proteção Social Básica 3.891.600

      Apoio à Produção ou Melhoria Habitacional de Interesse Social 7.742.355

      Saneamento Básico 6.197.373

      E várias reservas de contingência sumiram, como a do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, nada menos que 777.126.483, ou do Ministério da Fazenda, que perdeu 979.297.559 para contingências, do próprio Ministério de Minas e Energia, que perdeu uma reserva de 932.985.811 relacionada à Agência Nacional de Energia Elétrica, do Ministério dos Transportes (olha a incoerência, já que a questão toda está ligada a transportes…), que não tem mais uma reserva de 525.110.709, e por aí vai.

      Por fim, um grande corte na “Reserva para Participação da União no Capital de Empresas Estatais
      não Dependentes”: 1.667.955.033

      • Quais alternativas tinha o executivo? Fazer cortes em despesas do judiciário e do legislativo estava ao alcance do governo? Ou seriam necessárias leis votadas no congresso?

        • JT8D,

          Mencionei exemplos de cortes para fazer o pessoal pensar a respeito, pois na própria matéria está escrito que eles não se limitam à Defesa.

          Não faço parte do governo para decidir quais são os cortes e em que áreas, mas creio ser fundamental esclarecer o assunto. As MPs estão nos links das matérias para quem quiser ver.

          Em todos os casos, o que fica de lógico é: esse ou aquele item pode ser cortado para que se consiga recursos para bancar a diminuição do preço do diesel, que de uma semana para outra virou prioridade em relação a tudo o mais que foi cortado. Essa é a lógica implacável do que passou a ser mais importante e do que deixou de sê-lo, desde o “programa Criança Feliz” de desenvolvimento na primeira infância até a “Fiscalização em Metrologia e Qualidade”, passando por saneamento, saúde etc. E pelas corvetas que o caminhão atropelou, mas que aparentemente ainda sobrevivem com alguns ferimentos neste orçamento de 2018. Mas ainda tem muitos meses até o final do ano e muitos caminhões (metaforicamente) pode ficar desgovernados até lá.

        • Caro JT&D. Talvez uma alternativa seria demitir o presidente da Petrobras e congelaria os preços nas refinarias, o que indicaria uma efetiva disposição de repensar a politica de preços da empresa. Em seguida, indicaria um ministro como interlocutor para negociações, que obviamente levariam algum tempo, mas exigindo a imediata interrupção do protesto… pensei em muitas outras também.

          • É como o Nunão colocou. O que é prioritário? Eu tenho uma escala de prioridades bem clara mas que é bem diferente desta colocada pela presidência (o que me coloca obviamente em oposição a eles).

          • Camargoer, os preços são elevados por causa dos impostos. Vi uma reportagem relatando que bolivianos compram gasolina da Petrobras pagando menos de 2 reais o litro, só porque na exportação não incidem impostos. Então eu não acredito que seria simplesmente se livrar de uma “pessoa má” para resolver o problema do combustível caro. Seria preciso reduzir impostos. E aí seria necessário recuperar o dinheiro dos impostos perdidos fazendo cortes, e assim chegamos á situação atual. Mas se a estrutura inchada do legislativo, com seus milhares de assessores parlamentares, auxílio moradia, aposentadoria após dois mandatos etc. pudesse ser reduzida, aí teríamos um bom corte de gastos. Só que para isso os senhores parlamentares teriam que votar leis contra seus próprios interesses. Como você vê, as coisas não são tão simples que possam ser resolvidas com meia dúzia de chavões e palavras de ordem. Teríamos que começar com uma reforma do sistema eleitoral para impedir que os partidos continuem colocando no congresso políticos fantoches que se elegem com um número ínfimo de votos, puxados pelos votos de outros candidatos. Enfim, temos que discutir o que realmente importa, e não simplesmente ficar choramingando

  28. cortar os privilégios dos 3 poderes, ou diminuir impostos ninguém tem coragem. Todos os governadores se esconderam, ae o governo federal que já não tem moral alguma, criou os subsídios para classe dos caminhoneiros, e agora a população vai pagar a conta.

    subsídio é uma enganação!!

  29. A Petrobras extraindo Petróleo é eficiente e dá lucro.
    .
    Onde não existe eficiência é no processo de refino e distribuição. Sempre foi e continuará sendo esse o problema, mas muitos não querem enxergar isso.
    Não existe concorrência no setor de refino e distribuição. É por isso que é ali que o Governo dita as regras do jogo e faz a politicagem desgraçada, que ferra com o país e com a própria empresa.
    .
    Agora começam a levantar cada vez mais a bandeira de privatizar toda a Petrobras. É cometer um erro pra resolver outro erro!
    Isso não vai resolver a porcaria do problema. Acordem pra realidade. De que adianta vender a empresa, que perdeu bilhões em valor de mercado e não mudar as regras do jogo e o arranjo atual do Estado?
    .
    Quando a Petrobras começou a atuar sem muita interferência do Governo, respeitando o mercado internacional e deixando de fazer mágica com o preço dos combustíveis (vide campanha Dilma 2014), os caminhoneiros não aguentaram a realidade do mercado. Não houve a “seleção natural”, para despachar do mercado de transporte quem não consegue mais competir, não houve a remoção do excesso de caminhões ociosos do país… Não, não aconteceu o que manda a natureza dos negócios.
    Todos pararam pedindo arrego e benefício. Ganharam uma mão… Agora estão querendo até o braço, que é a regulação do frete, coisa que vai ferrar ainda mais com o que restou do país. É mais uma bandeira furada que só beneficiar um setor, enquanto o povão revoltadinho paga a conta.
    .
    Pra quem quer mudar a situação atual do país:
    – Levantem a bandeira do fim do monopólio sobre o refino e distribuição de combustíveis. Acabem com a mão do Governo nesse setor, onde se faz a politicagem rasteira. Não precisa se perder tempo em uma Guerra aberta e infernal, que é a tentativa de privatizar a Petrobras. Façam a empresa jogar o jogo do mercado aqui!
    – Levantem a bandeira por um novo pacto federativo. O país tem de lutar para que o dinheiro dos impostos caia na conta dos Estados e principalmente, acima de tudo, na conta dos Municípios. Lutem para o que dinheiro dos impostos pagos fiquem o mais próximo possível da população. Tem de se cortar as responsabilidades e o tamanho do Governo Federal.
    .
    Deu… Uma bandeira em cada mão. São duas causas extremamente realistas e necessárias, que contribuiriam e muito para um Brasil melhor e mais justo para todos. O povão revoltadinho deveria estar lutando por isso, ao invés de ficar choramingando por conta de subsídios ou protestar por tudo e por qualquer coisa.

    • Boa noite, esses dias atrás eu fiz um comentário parecido no que pese ao monopólio da Petrobras no Brasil concordo com que voce disse . Obviamente as pessoas não antederam, a falta de eficiência de uma empresa se da justamente pela fraca ou quase inexistência de concorrência. Pasadena foi só uma amostra disso. Uma empresa que tinha no seu conselho a Presidente do Brasil e se utilizava para palanque politico ” Auto-suficiência” o “o Petróleo é nosso” e todas as demais propagandas nacionalistas burras, e ainda, subsidiava o preço para controlar a inflação em ano de eleições.

      Não param para pensar na engrenagem e como ele funciona. Petróleo é uma commodities, tem o preço estabelecido pelo mercado internacional, o mesmo preço do Barril no Brasil é praticado em qualquer lugar no mundo.

      Se vai haver uma politica de subsidio igualmente praticado no governo anterior, algum setor vai ter que cobrir esse deficit. Porque não é errado subsidiar determinado setor da economia por algum tempo ex: redução do IPI de automóveis para aquecer o mercado, vender mais carros, gerar emprego… tudo isso tem que ser colocado na ponta do lápis;

      No caso o Brasil já tem um rombo previsto de 160 bilhões, a capacidade de endividamento tem um limite, uma hora essa conta estoura e fica insustentável e teremos outra crise econômica.

      Ai voltamos a falar do subsidio do Dísel, alguém vai ter que pagar essa conta, ou podemos fazer igual a Venezuela, vender combustível á 0,4 centavos o Litro, Dizer que somos autos-suficientes e gritar para o mundo todo ” o Petróleo é nosso” e apoiar a greve dos caminhoneiros.

      Não sou contra a greve, eles tem os motivos deles, mas tem que entender porque o preço está caro, porque a politica mudou, porque pagamos tantos impostos. O maior gasto do Brasil se chama Previdência Social, o que gastamos com Transporte Educação e Saude junto não da o rombo da Previdência, tudo isso está interligado.

  30. A conta do subsídio para o diesel até o fim do ano, no valor de 9,5 bilhões, é café pequeno para o custo total da greve. Isso sem falar que a partir do dia primeiro de janeiro de 2019 o problema reaparecerá.
    Mas fora os 9,5 bilhões, quanto custou 70 milhões de frangos mortos? E os milhões de litros de leite jogados fora? E os hortifruti que apodreceram? E os negócios que deixaram de ser realizados? Etc, etc, etc.
    Claro que este prejuízo será repassado aos futuros preços. Ou a população aceita e paga, ou se não puder pagar, muita empresa fechará, gerando mais desemprego.
    E quanto o governo deixou de arrecadar com a paralisação dos negócios?
    Mesmo os caminhoneiros, com preço mínimo de frete e diesel subsidiado, terão carga para transportar?
    O problema central continua sem solução. O altíssimo custo da máquina pública. E não falo em custo de remédios, salários de professores, manutenção de estradas. Falo dos salários vergonhosamente altos, fora os penduricalhos, que mais que dobram os vencimentos, do legislativo, do judiciário e do ministério público. Um ascensorista do congresso nacional ganhando igual um general 4 estrelas. E mordomias mil.
    Neste quesito isento em parte o executivo. É o único em que seus servidores chegam a ficar anos sem aumento. Porque nos outros poderes sempre é dado, no mínimo, a inflação do período. E se num ano não é dado, no seguinte é compensado. Direta ou indiretamente.
    Como mudar isto? De forma pacífica é que não será.

    • Então não será mudado. Porque os únicos com capacidade de mudar as coisas pela força lavaram as mãos. Enquanto isso vamos vivendo nesse “estado democrático de direito” de faz de conta, onde um juiz do supremo solta sistematicamente quem bem entende, como se o país fosse uma fazenda de sua propriedade

  31. Colombelli, Tchê, sou milico de alma e raiz, não gosto de baderna, agora não vejo saída para as nossas mazelas tão somente na base do voto e do paz e amor. Meu amigo hoje, este país está dividido social e economicamente em três castas bem definidas:

    1 Os cidadões de primeira classe, representados por todas as linhas de funcionários públicos, dos três poderes e das estatais, que vivem um mundo paralelo, aonde aumentos, prêmio “assiduidade”, auxílios pervertidos de toda a extirpe, 16 salários anuais são “dereitus adequeridos” independente se o país está a beira da ruína e do caos social. Como todo Brasileiro estão extremamente preocupados com seus umbigos e suas maior preocupação é definir o roteiro da próxima viagem que farão em um dos tantos “prêmios licença remunerada” que ganharão.

    2. Os cidadão de segunda classe, ao qual pertenço, são aqueles indivíduos representados por empreendedores, profissionais liberais, autônomos e assalariados que efetivamente produzem riqueza e são escorchados por impostos Noruegueses e recebem em troca serviços Surdezes e sustenta todas as benesses que os de primeira classe gozam.

    3 Os cidadão de terceira classe que são todos aqueles que não trabalham, não produzem e vivem parasitando os de segunda classe, e são sustentados por uma infinidade benefícios sociais insustentáveis também pagos pelos cidadão de segunda classe.

    _______________________
    _______________________

    na hora mexer com esta tigrada de cima, a greve dos caminhoneiros vai parecer mais um passeio.

    COMENTÁRIO EDITADO. LEIA AS REGRAS DO BLOG.
    http://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

    • Prezado amigo Juarez,

      Tem uma peça francesa “Le diable rouge” que fala justamente sobre isso. Em certa parte da peça o responsável pela economia do Reino (especie de ministro da economia) fala para o rei que a crise econômica pode ser superada se eles aumentarem os impostos sobre os ricos. O rei responde que não. Que não podem taxar os ricos porque se isso ocorrer, eles tiram o dinheiro deles do Reino e levam para outra nação.

      Então, o ministro respinde ao rei: “-Vamos aumentar os impostos dos pobres!”

      O rei retruca: “-Claro que não! Eles têm pouco a oferecer e se os irritarmos, corremos o risco de revolta, pois eles são muitos.”

      O ministro sem saber o que fazer, pergunta ao rei qual é a solução. O rei sorri e diz: “-Existe uma classe abaixo dos ricos e acima dos pobres. Essa classe podemos aumentar os impostos. São eles que produzem. Vão pagar sem reclamar, e vão trabalhar e produzir mais ainda para compensar essa perda com impostos, pois eles trabalham sem parar alimentando um sonho impossível de se tornarem ricos um dia e morrendo de medo de um dia se tornarem pobres.”

      É isso aí meu conterrâneo gaúcho. Nossos governantes, há muito tempo, seguem essa cartilha do le diable rouge.

      Grande abraço

  32. Se fôssemos uma população instruída o apoio se daria de outra forma, exigindo uma reforma tributária que mudasse o foco da tributação do consumo para a renda, eu aceitaria pagar um IR maior, mais amarrado, com menos isenções, se meu consumo ( gasto com combustível, alimentação, vestuário, etc.) fosse tão alto por causa da alta carga tributária.
    Mas como não somos, ficamos apoiando movimentos que resultarão em isenções que acarretarão em aumento de carga tributária para a maioria. Esta aí o resultado, menos investimentos para garantir os programas de estado, como defesa, construção de malha ferroviária para ser menos dependente de rodovia, ciência e tecnologia, etc.

  33. Esse país só possui duas únicas soluções possíveis.
    A seguir:
    1 – passaporte na mão e o aeroporto mais próximo;
    2 – Ogiva W-87 (já temos todos os cálculos).

  34. Eu só faço rir dos que querem culpar os caminhoneiros por suas reivindicações, mas ficam bancando os entendidos das contas públicas. kkkkkkkkkkkkkkkk

    Ah tá, aos amigos paulistanos “revoltados com os caminhoneiros”, seus vereadores aprontaram outra conta para vocês pagarem. E esta não tem nada a ver com greve ou sem greve.

    Meus amigos, o problema nunca foi e nem nunca será os 0,46 centávos a menos no preço do diesel, o problema é de outra ordem e ninguém aqui metido a conhecedor do orçamento público chegou a mencionar, ou seja, gastos discricionários (farra das emendas parlamentares) que o governo Temer fez desde o ano passado, para se livrar dos seus problemas com a Justiça. Aumentando sobremaneira o deficit fiscal.

    “Ah, mas a culpa é dos caminhoneiros”. KKKKKKK

    Putz!!!!

    Obs.: A culpa desse desarranjo das contas públicas não está nem na paralisação dos caminhoneiros, muito menos nos “paneleiros” que iniciaram o processo de derrubada da Dilma. Mas sim nestes dois governantes, enquanto isto o pessoal fica aqui em baixo xingando uns aos outros. Quando o povo é ausente de capacidade de raciocínio, dá nisto, muitos comentários sem noção.

    • Pois é, como você mesmo disse a culpa é desses dois governos, já que um era o vice da outra. E ao que me consta os paulistanos não votaram neles. Então quem votou neles que se vire e aprenda a votar.
      Obs.: certamente a maioria dos que hoje se revoltam votaram nos candidatos que nos levaram a crise que tornou a atividade dos caminhoneiros inviável. Mas a maior virtude da democracia é que ela é um sistema didático. Se você vota errado, você sofre as consequências e vai votar melhor na próxima eleição. Num sistema democrático um povo sempre terá o governo que merece. Então aproveitem, vocês merecem

      • Tu não entendeste a crítica em relação aos paulistanos a que me referi. rsrsrs
        Misturou as coisas.

        No mais, concordo contigo, a democracia está ai e é para aprendermos com ela, não solapá-la por causa dos representantes que colocamos.

  35. É engraçado como tem gente que prefere culpar os caminhoneiros por lutarem por seus direitos do que culpar o governo federal que apesar de arrecadar muito, administra e desperdiça tudo o que arrecada. Em qualquer país civilizado, a população teria se unido aos caminhoneiros para abaixar os impostos.

    O corte de verba do projeto Tamandaré é apenas mais capítulo de um governo que prefere tirar dinheiro de projetos essenciais do país do que cortar as muitas regalias e desperdícios do dinheiro público.

    • Daniel,

      Eu não achei nada engraçado na greve.

      Fazer greve é um direito de todas as categorias, agora bloquear estradas, restringir o ir e vir de terceiros e privar a população de abastecimento é caso para a polícia e para a Justiça.

      O meu direito termina onde começa o seu. E vice-versa.

  36. Tentando voltar ao tema básico da matéria: as Tamandarés. O que essa redução vai acarretar em termos práticos? Seria atraso no início/alongamento dos prazos de entrega do programa, redução no nº de navios, simplificação dos armamentos/sistemas, enfim qual o efeito prático, já que os R$ 2,5 bi também não dariam p/ todo o programa. Talvez, mais do que nunca a proposta vencedora terá que ter o menor preço e sobretudo as melhores condições de financiamento bancado por instituições internacionais. Gostaria que quem tiver conhecimento se pronunciasse sobre essas questões.

    • Luciano,

      Meu palpite: como o programa prevê construção local, com mão de obra paga em reais, e nacionalização em torno de 40%, faz sentido que essa parcela seja bancada com valores em reais. Também se pode reservar valores como contrapartidas para financiamentos externos (que serão determinantes em relação ao conteúdo externo, de armas, sistemas etc), de modo a conseguir juros melhores, entre outras possibilidades, e quanto maior o valor, melhores as condições.

      Sobre o programa de construção em si, sendo feita uma escolha neste ano (está no cronograma) é importante que logo em seguida seja feita encomenda de materiais especificados na proposta que tenham maior tempo de fabricação (long lead time items). Em geral, motores, caixas de transmissão e outros equipamentos pesados estão nessa lista, assim como os armamentos de maior porte (canhões). Para isso, é importante já ter um valor reservado.

      • Me desculpe, mas fiquei um pouco confuso. Pelo que eu entendi ( se não é isso, mais uma vez me desculpe ), vc se refere somente ao destino da verba reservada em reais, então eu deduzo que p/ vc isso poderia comprometer a parte nacionalizada ( percentual e/ou andamento ), piora nas condições de financiamento c/ juros maiores e atraso ou até revisão de equipamentos importantes. Seria isso, amigo?

        • Luciano,
          Coloquei mais de uma possibilidade, mas não escrevi nada sobre comprometimento do índice de nacionalização exigido ou de revisão de equipamentos especificados, e sim de programação de pagamentos para esses itens. Não dá, na minha visão, para se falar em impactos de redução nas especificações.

          A diminuição de 2,5 bi para 2 bi reduz, a meu ver, o que se poderia empenhar já neste ano em encomendas, acarretando necessidade de reservas maiores no orçamento em outros anos e/ou prazos globais maiores do que o possível com a reserva que era maior, como uma das possibilidades.

          • Entendi, na verdade o que eu tinha questionado ( os efeitos práticos ) vc só colocou agora no seu 2º parágrafo. Obrigado pela atenção.

  37. E por quê não deixaram os preços de frete flutuarem em função do aumento do insumo diesel? O problema é o sistema de compromissos econômicos estabelecidos politicamente que não somente impede a iniciativa de empreender mas que também destrói o próprio fundamento da razoabilidade econômica, o cálculo contábil. A tal contabilidade criativa, aqui e lá e desde muito tempo atrás, administra a fraude que corrói o austero capitalismo. De resto, tudo na mais anômala normalidade.

      • Olá Rodrigo. Essa informação não procede. Eu encontrei dois relatórios de associações de fabricantes de peças onde estão as seguintes informações: a frota de caminhões hoje é de cerca de 2 milhões (3% da frota total), tem uma ideia média de 9 anos e 9 meses (que é um valor que vem sendo mantido há vários anos), que 1/3 da frota tem menos de 5 anos 3 outro 1/3 acima de 11 anos, que o número de veículos por habitante está caindo. Portanto, os novos caminhões que vem sendo adquiridos estão essencialmente renovando a frota. O que aconteceu com o preço do diesel foi o mesmo que aconteceu com a gasolina e com o gás, aumentos sucessivos que dobraram o preço (apenas para comparação, o botijão custava 2 anos atrás cerca de R$ 50,00, agora está acima de R$ 75,00.

      • Olá Rodrigo. Para comparação, encontrei dados da frota dos EUA. Em 2016 eles tinham uma frota de 263 milhões de veículos, sendo 8,4 caminhões. Isso representa 3,2%. A relação nos EUA é de 1,2 habitante por veículo enquanto que no Brasil essa relação é de 4,8. Fiz uma conta dividindo o PIB pelo tamanho da frota. Considerando que a malha ferroviária dos EUA é maior que a brasileira, dá para inferir que não existe excesso de frota.

  38. Kkk até parece! Agora a culpa por todas as falcatruas, roubalheiras e verbas desviadas será dos pobres caminhoneiros que só querem condições financeiras para continuarem a car a logística Brasileira. Será que vão propor estatizar também a caminhãoBras ou ou criarão o tensalão nacional. Quem tá operando a contra-informação dessa vez? O trabalho, embora pouco sutil, está bem feito.

  39. Elguem citou ai sobre o icms dos estados , que estão sempre no aperto e muito inchados . pois bem acho que foi no ano passado os funcionarios do teatro municipal do Rio de Janeiro entraram em greve , quando vi o numero de funcionarios quase cai pra traz , 550 , isso mesmo 550 funcionarios , pode isso Arnaldo.

  40. Além da alienação de muitos aqui do fórum defendendo essa manobra política para culpar uma manifestação de trabalhadores nacionais garantida na constituição nacional.
    Há três pontos que precisamos analisar!
    O primeiro é que tipo de democracia é essa que vivemos, onde um trabalhador não pode exercer seu legítimo direito a greve garantida na constituição nacional.
    Segundo é a extrema dependência nacional de combustível e estradas, em um conflito com uma força mais capaz, a mesma já sabe como paralisar o país.
    O terceiro e a total falta de opções de transportes no país para cargas, pois falta investimento em ferrovias, hidrovias, metrôs etc..
    Por fim, concordo com um amigo acima que diz que gastamos muito mal os investimentos em defesa.
    Dos bilhões para defesa, 80% vão para folhas de pagamentos e crescendo.
    Isso para forças militares que não são completamente profissionais e com soldados pessimamente formandos.
    Tem que se acabar com o serviço militar obrigatório, reduzir o número de oficiais de alta patente, transferir as bases nos grandes centros urbanos para as fronteiras do país, integrar centros de treinamentos comuns as forças, comandos etc.
    Por fim volto a repetir, um país onde o povo e desunido, separatista, preconceituoso etc.
    Só pode ser o que é mesmo.
    O Brasil é exatamente o que sua elite quer que ele seja, um país de povo submisso, desunido, facilmente manipulados e extremamente desigual!
    Temos o país que merecemos !

  41. Quanto ao tema da matéria,

    Justamente por isso entendo que as Forças Armadas não podem se iludir achando que conseguirão realizar seus reaparelhamentos somente com equipamentos novos.

    Não conseguimos isso há mais de 100 anos (Nunao como, grande historiador, sabe disso). Então, como sempre ocorre, tem de se mesclar compras de equipamentos novos com compras de oportunidade. Infelizmente a realidade brasileira é essa.

    Parabéns Nunao pela matéria.

    Grande abraço

  42. O lucro da Petrobras no primeiro trimestre de 2018 foi 6,96 bilhões. Melhor resultado em 5 anos.

    3,23 bilhões vieram da venda de ativos (campos Carcará, Iara e Lapa)
    Aumento das margens na venda de gás natural
    Redução de custos operacionais
    Aumento dos preços do barril no mercado internacional
    Dolarização e flutuação do preço dos combustíveis na bomba

    São os 5 motivos da melhora dos resultados da Petrobras. Gestão e eficiência. Mas a estatal não tem ativos para vender a todo momento. Também não tem custos para cortar a todo instante. E os preços de qualquer produto sobem até se estabilizarem. Ou caírem.

    Quando as condições normais de temperatura e pressão puderem ser medidas sem ações artificiais como venda de ativos e recuperação de margens, iremos descobrir do que a Petrobras é feita. Até lá grandes grupos e banqueiros que detém lotes formidáveis de ações ganharao fortunas com Pedro Parente.

    A alavancagem (dívida) segue alta em torno de 82 bilhões de dólares. Para reduzir essa alavancagem a estatal vende e venderá mais ativos: Abreu e Lima, Landulpho Alves, Alberto Pasqualini e Getulio Vargas. 4 refinarias.

    Logo…a lucro da Petrobras é coisa de espertos.

    Tamandarés foi cantado aqui. Ou o orçamento aprovado na Câmara será contigenciado ou os bilhões da Emgepron serão cortados. Não haverá 4 Tamandarés. Assim como a grana do Prosub está acabando.

    O diesel não entra na conta do frete. O diesel entra no custo da transportadora que estabelece o frete. Por que as transportadoras não protestam pela redução dos pedágios? Por que as transportadoras não protestam pela redução dos custos da CLT? Por que o protesto não é feito pela redução do risco que na conta das seguradoras representa 50% do valor do frete? Por que o protesto não é feito para reduzir os juros dos contratos com as financeiras?

    A paralização é dos sindicatos. Isso não significa que a paralisação é injusta. A paralização é das transportadoras que estão sendo pressionadas pelos sindicatos.

    O país está entrando na corrida eleitoral e todos sabem qual a estratégia dos sindicatos e quais partidos alimentam e são alimentados por sindicatos.

    O país precisa ser reformado. Extrair receitas da Petrobras para agraciar e acariciar prefeitos e governadores antes da estatal apurar resultado não é royalties. É roubo.

    O Ministério da Defesa deveria esticar o prazo da GLO que acaba em 4/junho até o final do ano. Santos não pode cair nas mãos dos sindicatos. Se caiu tem que tirar.

  43. “Ignorante” …. significado:

    “adjetivo de dois gêneros
    1.
    que desconhece a existência de algo; que não está a par de alguma coisa.”
    2.
    que denota a ignorância do autor ou daquele que é responsável por uma obra.”

    Atacam os efeitos, mas o motivo são as causas:

    Estado falido !

    Gigantesco e crescente déficit público aliado ao “pibinho” (PIB) e seu ínfimo crescimento.

    Vem de mais de 15 anos, uma hora a conta chega.

    Vai piorar e muito.

    “Walfrido Strobel 31 de Maio de 2018 at 16:01
    Muita gente desinformada ou mal intencionada via o movimento dos caminhoneiros como uma manifestação popular boa para o Brasil, agora começa a chegar a cionta da extorsão.”

    A conta está acumulando há muito, soma-se a ineficiência do estado, a corrupção etc etc etc ….

    Nas “raízes” estão os problemas.

    Estimado CA Luiz Monteiro

    O Brasil está tampando o sol com a peneira e cobrindo um santo despindo o outro há muito tempo,
    creio que desde 1500.

    “Às vezes Deus acalma as tempestades, às vezes Ele acalma o marinheiro. Outras Ele nos ensina a nadar.”

    Desconhecido

    Shalom

  44. Pelo que entendi, cortaram 500 milhões do total de 2.5 bi reservados do orçamento de 2018. Nada impede que seja adicionado mais dinheiro no orcamento de 2019 para esse projeto. Inicialmente iriam reservar do orcamento de 2018 1 bilhão , surpreendentemente reservaram 2.5 bi , no final das contas, mesmo com o corte de 500 milhões se tem reservado 1 bilhão a mais do que o inicialmente previsto.

    • Sim e não. A Emgepron não tem receitas. É uma estatal que vive de demandas (projetos) e de dotação do governo. A capitalização de 2,5 bi na Emgepron foi feita, acho, porque o contingenciamento da despesa da MB (1 bilhão reais até 1,5 bilhão dólares) com as Tamandarés era, é ou será esperado.

      Nao da pra mexer no decreto que aprovou o orçamento. Mas dá pra colocar grana na Emgepron. Agora da pra tirar também.

      Vida loka.

  45. Considerando o atual estado das contas publicas do país que tem sido geridas por irresponsáveis nos últimos anos, devemos torcer para que não haja cortes financeiros mais profundos nos programas militares. Um país que gasta mais de R $100 bilhões do que arrecada, com uma elevada dívida pública que já beira R $ 4 trilhoes, é problema á vista.

  46. O Estado terá um défice orçamental de cerca de 10 Bilhões e precisa cobrir este valor de algum lugar…
    Eu uma sugestão:
    01 presidente + o vice
    27 governadores +o vice
    11.136 prefeitos + vice
    513 deputados federais
    1.024 deputados estaduais
    56.810 vereadores
    81 senadores
    Total 69.620 políticos eleitos no Brasil…
    Tem mais vereador no Brasil do que Militar na MB⚓
    Reduz o salário de cada um pela metade e teremos uma receita de aproximadamente 500 bi…
    Espero ter ajudado

  47. Para começar , cortar 50% dos Orçamentos do Judiciário e Legislativo , do Judiciário cortando-se 50 % do Orçamento , assim mesmo continuará o mais caro do mundo , no Judiciário pouparíamos mais de 40 Bilhões de Reais !

  48. Bruno Ricardo 1 de junho de 2018 at 0:08

    Podes explicar como ?

    Tem acompanhado os números para 2019, 2020 …. ?

    Vai piorar e muito, sugiro leitura tecnica na área macroeconomica,
    sente-se e encoste-se antes e numa ótima cadeira.

    Não esqueça a medicação a mesa, copo com água e o nº do SAMU.

    Plano de saúde em dia completam o kit, se depender do SUS avise seu guia, padre, pastor, rabino…..

    Boa sorte !

    Ops,
    Lembre-se:

    Causas (as raízes), os efeitos são consequências dessas.

  49. Estimado CA Luiz Monteiro 31 de Maio de 2018 at 22:56

    Conheço e é tema de aulas de macro economia nas boas escolas do ramo.

    Caro Juarez Martinez

    Onde assino ?

    Exemplo:

    Na España as provincias dão descontos nos impostos (parte “delas” no IVA) para atrair investimentos das empresas de logística, transportes etc …. assista, a partir de 4 minutos e 10 segundos, desconto na provincia de Granada:

    https://www.youtube.com/watch?v=ynIvcSIWolQ&t=78s

    Prezado Colombelli

    Sabes que tenho uma lina de raciocínio muito próxima da tua,
    mas nos últimos dias teno quase total discordância contio.]
    Meu sincero respeito, mas discordo.

  50. A Petrobrás anuncia lucro record, mas o que não é dito que a venda de ativos compõe a parte do leão deste lucro…

    A Petrobrás dolarizou o preço dos combustíveis em uma economia não dolarizada em um ambiente de flutuação positiva do preço do barril, ou seja, de alta…

    Ora, ora, num ambiente assim era esperado que houvesse uma gritaria e revolta entre uma categoria que se via impossibilitada de repassar os seus custos em uma economia que se mostra impossível de absorvê-los. Deu no que deu: greve de caminhoneiros e locaute de empresários do setor de logística…

    Enquanto isso, não só o parque de refino se mostra ocioso em quase 50%, como boa parte dele deverá ser alienado pela Petrobrás…
    Ninguém fala nada.

    Como também não se fala que o Diesel terá uma redução em preço de refinarias de 46 centavos, mas que a gasolina terá uma alta de 74 centavos… Ora, se haverá a alta compensatória no preço da gasolina por que há tanta choradeira em termos de orçamento?

    De estranhezas em estranhezas nós seguimos, mas, o mais estranho é a permanência de Pedro Parente à testa da Petrobrás…

    • Cesar, bom dia.

      Vou dar a minha opinião no seu comentário, onde você diz : “A Petrobrás dolarizou o preço dos combustíveis em uma economia não dolarizada em um ambiente de flutuação positiva do preço do barril, ou seja, de alta…”

      Penso o seguinte, como leigo :

      A Petrobrás é uma empresa que possui ações negociadas em Bolsa de Valores, e obviamente está sujeita a todas as regulamentações inerentes, aqui e no exterior.

      O petróleo é uma commodity que possui seu preço estabelecido em dólares.

      Talvez 90% dos seus custos (produção, importação de gasolina e diesel e fornecedores de serviços a plataformas marítimas, equipamentos para perfuração, etc…) sejam em dólar.

      Assim, não vejo como ela possa manter uma política de preços em Reais para os combustíveis, sem estar alinhada as flutuações do dólar e do preço (em dólar) do petróleo no mercado internacional.

      Seria repetir o que foi feito nos governos Petistas (não quero politizar o assunto, mas é fato) e manter congelado ou dar pequenos aumentos irreais aos combustíveis, deteriorando assim, seu valor de mercado e o pior : Criando uma distorção nos preços dos combustíveis, que são sua fonte de receitas.

      Combustível é caro em qualquer lugar do mundo, e o preço atualmente praticado aqui no Brasil não é dos mais caros. O problema é que o brasileiro , na sua grande maioria, é muito ma remunerado, mas em dólar o preço praticado, não contando os impostos, não é dos mais caros em relação a outros países.

  51. “COMENTÁRIO EDITADO. LEIA AS REGRAS DO BLOG”, “COMENTÁRIO EDITADO. LEIA AS REGRAS DO BLOG”…
    Sinceramente vou dizer uma coisa, tá extremamente chato comentar aqui nesse site, TUDO na vida passa pela política_______
    _______________________
    Tô cansado de ter meus comentários editados, proibidos ou sinalizados como spam por essa ***** de REGRAS DO BLOG. Se quiserem me bloquear fiquem a vontade, fiquem aí viajando em “naviuzinhu”, “submarinozinhu” e “porta aviãozinhu” que NUNCA teremos, pois como já disse, o brasileiro prefere votar no Zé Povinho do BBB do que ter uma filosofia militar como vocês mesmos querem. Fazer o que? Abraços.

    COMENTÁRIO EDITADO.
    NOTA DOS EDITORES: ESTE SITE TEM MAIS DE 150.000 COMENTÁRIOS PUBLICADOS, PERTO DE 99% SEM QUALQUER NECESSIDADE DE EDIÇÃO OU ADVERTÊNCIA. A IMENSA MAIORIA DOS COMENTARISTAS CONSEGUE COMENTAR SEM PRECISAR SER ADVERTIDO OU EDITADO. SE VOCÊ NÃO CONSEGUE, FIQUE À VONTADE PARA NÃO COMENTAR, MAS NÃO COLOQUE NOS OUTROS A CULPA DA SUA INCAPACIDADE DE RESPEITAR ALGUMAS SIMPLES REGRAS DE CONDUTA QUE SEVEM PARA A DISCUSSÃO NÃO DESCAMBAR PARA BRIGAS POLÍTICAS E PESSOAIS. NÃO É DIFÍCIL ENTENDER ISSO. LEIA AS REGRAS DO BLOG:

    http://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

    • E não me venha com o link das tais “REGRAS DO BLOG” porque não li nem lerei, beleza campeão?

      NOTA DOS EDITORES: ENTÃO ESTÁ MAIS DO QUE EXPLICADA A SUA INCAPACIDADE DE COMENTAR CIVILIZADAMENTE.

        • Que papelão você esta fazendo rapaz.

          A trilogia e seus e seus Editores disponibilizao materias sobre Defesa de primeira linha , grátis, e so pedem em troca civilidade nos comentários.

          É pedir muito ?

  52. Essa conta deveria ir para a galera que acredita em almoço gratis e apoiou essa greve.
    Ao inves de pedirem para cortar despesas(super salarios, estatais, reformas, …), preferem pedir para cortarem receitas em um Estado que ja esta quebrado. Vai entender.

    • Everton, bom dia.

      Primeiramente lhe digo que não acredito em “almoço grátis” nem estou aqui defendendo o Governo, nem defendo privilégios de que algumas classes possuem.

      Isto posto penso que seja mais fácil para o Governo cortar onde ele possa apenas dar uma “canetada” , onde não precise de aprovação do Congresso, como é o caso dos exemplos que você citou, os quais também estou de pleno acordo.

      • Claro, concordo plenamente. Por isso concordamos que o problema é mais complexo e estrutural ao contrario de algumas medudas simplistas e imediatistas que alguns ofereceram aqui.

  53. Todos esqueceram do que acomteceu em 1969 nos EUA ?!
    Só vou dar um nome Jimy Hoffa !!!
    Acho que assim que se escreve.
    Vê lá se o Governo Norte Americano mexe nos subsidio dos Caminhoneiros desde 1969 ?! Duvido que mexe !!!
    Todos tem que entender o seguinte (o Governo também). O caminhoneiro é também um cidadão e eles também têm direitos não é só obrigações.
    Agora tirou o subsídios do projeto da Classe Tamandaré e outros também pra segurar a dívida interna.
    Mas eles não entenderam que eles tão sendo é tão dando aumento dessa dívida e não queiram pagar a conta.
    Resultado: Como sempre quem paga a dívida final é o povo .
    Brasil !!!
    Um país sem líderes,sem uma administração seria e sem nada.
    Daqui a pouco vamos ser uma Marinha de um Navio só.
    Uma pena !!!
    Pois tínhamos tudo pra dar certo !!!
    Vejo no horizonte um final não muito bom !!!

  54. Alex Menezes 1 de junho de 2018 at 0:41
    O Estado terá um défice orçamental de cerca de 10 Bilhões e precisa cobrir este valor de algum lugar…
    Eu uma sugestão:
    01 presidente + o vice
    27 governadores +o vice
    11.136 prefeitos + vice
    513 deputados federais
    1.024 deputados estaduais
    56.810 vereadores
    81 senadores
    Total 69.620 políticos eleitos no Brasil…
    Tem mais vereador no Brasil do que Militar na MB⚓
    Reduz o salário de cada um pela metade e teremos uma receita de aproximadamente 500 bi…
    Espero ter ajudado
    ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

    Isto é apenas o pico da maquina.

    Se voce alocar as demais instituições politicas ( sindicatos patronais ou Trabalhadores, Partidos Politicos, Federações e agremiações) chegará a um numero de aproximadamente 3 milhoes de pessoas que movem a maquina politica brasileira.

    Não produzem 1 pão.

    São orgãos, organismos,instancias e entidades focados exclusivamente na política…sem gerar qualquer valor direto….Endende????

    Este país é muito rico e abundante….pois sustenta tudo isto….e ainda anda….

    façam esta fração sobre a população economicamente ativa e dai perceberá o problema….

    comparem com outros países e vejam se possuem tantas instancias, representantes, etc….é uma boquinha em qualquer beco….

    • Sábias observações Carvalho 2008
      E pegando uma carona no seu comentário, eu deixo uma pergunta.
      Pq eles só cortam (gastos) pro lado de cá e nunca pro lado de lá?
      O resultado final é sempre o mesmo !!!
      O Pais nunca cresce !!!
      Estranho né ?!

    • Caro Carvalho2008;

      O número de servidores públicos federais brasileiros é bem pequeno, se comparado a qualquer (qualquer!) país desenvolvido e democrático, em termos em porcentagem da população ou em relação ao PIB.
      quando se inclui o número de servidores estaduais e municipais, o situação muda de figura, mas é fundamental que se pare com esse mito de que o poder executivo (federal) brasileiro é inchado.
      quanto aos poderes legislativo e judiciário, prefiro não comentar por acreditar que minha visão crítica é por demais severa com o produto do trabalho (sic) dessas duas instâncias

      • Não me referi a maquina publica mestre….apenas a maquina política….em que pese que uma fração dela imiscui-se na maquina publica….daí, vera que a situação é pior ainda….pois falta atendente e sobra assessor e secretario….

  55. Vou postar o mesmo que postei la no Terrestre…

    ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
    carvalho2008 31 de Maio de 2018 at 17:36
    O Brasil sente em maior grau, alguns vicios da democracia ocidental que embora não perfeita, é o melhor modelo ainda no momento. Outros países estão sofrendo a mesma coisa.

    Trata-se do subproduto do capitalismo aliado a democracia parcialmente instalada nas nações.

    Criou-se uma camada social que embora viva sendo citada conceitualmente, ela incrusta-se de fato e na realidade em meio as demais classes sociais.

    Trata-se da classe política.

    Política em si deveria ser nata do ser humano como apenas uma de suas dimensões de relacionamento. No entanto, o modelo ainda imperfeito das democracias atuais permitiram que uma razoavel parcela de suas populações se profissionalizem na política, tornando esta dimensão como meio de vida.

    Quando política torna-se um meio de vida, os interesses e necessidades pessoais sobrepujam os interesses da coletividade.

    A solução é dar um passo a mais e implementar uma democracia 2.0, que impeça a profissionalização de políticos.

    O exercicio político deve ser universal e nada mais que um momento em si do cidadão, não seu objetivo de vida.

    implantar e aprofundar a democracia, limitando a quantidade de anos de mandatos que um cidadão possa exerce-la afim de permitir a aproximação e circulação de novos cidadãos e ideias.

    Devemos implantar clausula constitucional que permita a renovação e participação de cabeças nos mandatos.

    Quantos anos um cidadão deveria dedicar-se “exclusivamente” a política?

    Devemos implementar limite de 16 anos cumulativos ininterruptos ou não, para qualquer cargo eletivo do executivo, legislativo ou judiciario, sem direito a reeleição consecutiva, em mandatos de ate 4 anos, aplicavel inclusive a ministros e secretários, presidentes ou diretorias executivas de sindicatos trabalhistas ou patronais, partidos, bem como qualquer natureza de agremiação.

    são destes celeiros viciados e sem rotatividade que surge a germinação das classes políticas que servem somente a si. sem renovação de celeiro, sem renovação de politica.

    Se fizermos isto, as decisões passam a ser no interesse democratico da coletividade sem o risco de apoderarem-se das estruturas para servir a si mesmas.

  56. carvalho2008 31 de Maio de 2018 at 17:45
    findo o limite de 16 anos, o sujeito volta a exercer apenas sua cidadania política, quer seja como partidario, correligionario ou simpatizante, mas não exerce mais cargos diretivos, legislativos ou executivos, dá a vez a outro.

    Se é diretor de sindicato, já contam seus 4 anos sobre o limite de 16…presidente de clube de futebol…idem….diretor ou presidente de partido…tambem…valem 16 anos para a vida toda….sem trocadilho ou dança das cadeiras em qualquer esfera, dá a vez a outro e volta a trabalhar em sua profissão de origem….

    é centralização da maquina política em si mesma que causa os desvios, seja a ideologia que for….

  57. Desculpem a minha ignorância! Mas pelo que li na maioria dos comentário , o projeto CCT acabou!

    Acho que não foi isso. Contingenciamentos existem há seculos neste país, e não é tirando este valor que a licitação acabou, ou o projeto afundou!!

    A discussão descambou para o lado da greve se é legal ou não, deixando o foco sobre as Corvetas em segundo plano.

    Calma gente, parece até o pessoal correndo para os postos de gasolina e pagando 10,00 o litro!! Olha a histeria coletiva!

    A MB nem anunciou o fim do Programa, vamos aguardar um parecer oficial!!

    • Marcelo,

      Nem a matéria diz isso.

      E não espere um parecer oficial. Pode até vir, mas não é praxe.

      O ponto a discutir, como bem destacado pelo Camargoer em comentário de ontem, é a questão das prioridades de curto, médio e longo prazo de um governo. Isso fica evidente no caso das corvetas e de outros programas cortados em suas verbas deste ano, que indica o que é ou não prioridade em programas de impacto no desenvolvimento, frente a um subsídio paliativo em combustível com duração de sete meses para aplacar uma situação de caos imediato. Isso vale não só para não só no caso das corvetas, que foi o programa de corte mais vistoso na verba reservada no orçamento deste ano no aspecto absoluto (no relativo, foi de 20%, o que não é pouco mas não afunda de forma alguma o programa), mas outros programas também. Eu acho quase um paradoxo, por exemplo, afetar programas da própria infraestrutura de transportes, como dragagem de portos, para compensar parte da redução do preço do diesel, ou cortes em várias obras de estradas de rodagem ou de ferro – só pra dar um exemplo.
      É essa a questão de fundo que está, por exemplo, no próprio título da matéria, e é por isso que colocamos os links para as MPs publicadas, com todos os cortes para quem quiser ver.
      Mas você está certo: é pedir demais uma discussão dessas pra parte dos comentaristas – mas muitos entenderam e estão debatendo questões de fundo. Não vi, todavia, o que você escreveu (“pelo que li na maioria dos comentário , o projeto CCT acabou!”) na maioria dos comentários, e sim na minoria.

  58. Parabéns aos editores pelo título da matéria. E também a alguns comentaristas lúcidos que aparecem (raramente, infelizmente) por aqui. Ademais, eram esperadas atitudes como esta em vários setores do governo; só ficou espantado quem não quer se informar…

  59. Vaidades. Egos. Escrever e ver publicado. Muitos são colados. Recortam, colam, publicam. Eu não tenho nada contra os links, até servem para clarear, mas se o comentarista precisa recorrer a exemplos prontos ou recortados é porque se julga incapaz de opinar. Ou de convencer.

    Então…crítica. Diminuir ou esquartejar o que foi publicado por outros não é certo. Tudo na internet é ralo. E raso. Trata-se aqui de um site diferente porque mesmo os que nada ou pouco entendem gostam de defesa. O tema apaixona e os editores são pacientes. Nem sempre.

    A crítica sustenta a filosofia. Eu não concordo que o país tenha ou terá recursos para ter e manter uma marinha oceânica de guerra. Subs e patrulhas é outra história. Quem decide pensa diferente.

    O governo retirou a CIDE, o PIS e o COFINS do diesel. E garantiu a redução na bomba. Os contigenciamentos pagarão a conta.

    Pedro Parente caiu. Queria vender todos os ativos da estatal (vendeu vários), cortar despesas e manter a flutuação dos preços nas bombas. Já vai tarde.

    Os papéis da Petrobras estão caindo 15% e os papéis-carbono da BRF (novo emprego do Parente) estão subindo 15%. Tudo especulação.

    Presidente de estatal do mercado, que trabalha 3 vezes por semana, joga golfe toda sexta-feira e pica os ativos da empresa sem dar satisfações ao país agrada aos especuladores e investidores de bolsa.

    As Tamandarés sofrerão cortes. Poucos duvidavam disso.

  60. Alguém sabe dizer se a Marinha continua aumentando o efetivo?
    E se a resposta for sim, porquê ela está fazendo isso?
    Precisa mesmo de +60k de pessoal e quase uma centena de almirantes para fazer a Marinha operar os meios que possui?

    • Matheus,
      O assunto já foi bastante debatido aqui. O efetivo real tem se mantido abaixo do autorizado nos últimos anos e os concursos mais recentes tem reduzido o número de vagas, portanto a curva é de redução de efetivo e não de aumento.

      • Normal que o real esteja abaixo. O efetivo autorizado está fora da realidade.
        Estava baseado no sonho do Brasil Potência, com 2 bases navais, navios aeródromos, submarinos convencionais e nucleares, etc., etc., para medir forças com a potência hegemônica.
        Isto é passado. Sonho de uma note de verão! 🙂
        Precisam rever este efetivo autorizado.

    • Ações de bolsa sao especulação. A Petrobras vale o que vale pelo seu faturamento, seus ativos, suas despesas, seu patrimônio, sua capacidade de gerar caixa, sua alavancagem, suas margens, seu lucro, sua capacidade de investir. Seu resultado.

      Queda de 15% porque o presidente saiu é especulação em um local (bolsa) que vive de especular.

  61. Carlos, tem que ter um certo cuidado nestas informações.
    Se vc não tem ação da Petrobras, não perdeu nada. Mesmo quem tem (que é o meu caso) e não realizou, também não perdeu. Só perde ou ganha quem realiza.

  62. Eu sabia que de alguma forma iria sobrar para os projetos das Forças Armadas !! Eles só não se preocupam em diminuir a roubalheira aos cofres públicos !!

  63. “Humberto 1 de junho de 2018 at 15:46
    Carlos, tem que ter um certo cuidado nestas informações.
    Se vc não tem ação da Petrobras, não perdeu nada. Mesmo quem tem (que é o meu caso) e não realizou, também não perdeu. Só perde ou ganha quem realiza.”

    Quem é o controlador da Petrobras ?

    O Tesouro Nacional !

    Quem é o Tesouro ?

    Nós !

    Sim Humberto, A PETROBRAS é minha e de mais de 200 milhões de brasileiros.

    Os minoritários tem papéis, para rentabilidade e especulação, creio quanto a especulação não ser seu caso, deve ser minoritário vezes 46 bilhões a menos.

    Cada aporte de capital é feito pelo tesouro, nós !

    Cada empréstimo tomado é avalisado pelo TN ou pela própria, ela é to TN ? Portanto nossa dívida.

    Tente entender neste vídeo:

  64. Olá Mk 48,
    Observe que não estou politizando, ou seja, impondo uma perspectiva ideológica-partidária, apenas constatando a estranheza do sistema de preços adotados pela Petrobrás.

    Existe um mecanismo que muitos países adotam para lidar com preço de combustíveis, que como disseste é em dólares, moeda de referência que também é, como bem sabemos, a moeda nacional dos EUA… Tal mecanismo é muito simples: adoção de um imposto sobre os combustíveis que serve para trabalhar com a flutuação derivada da matéria prima, petróleo, como daquela provinda do câmbio. Daí que quando há alta cambial ou do petróleo você rebaixa a alíquota do imposto, quando há baixa, cambial, ou do petróleo, você aumenta o imposto… Com isso você estabiliza o preço e permite previsibilidade ao consumidor…
    O valor arrecado, em boa parte das nações que praticam este sistema, serve para subsidiar o custo dos combustíveis.
    No Brasil, todavia, devido a voracidade governamental por recursos orçamentários e extra-orçamentários, neste momento de alta do barril de petróleo, houve ao invés de rebaixamento das alíquotas dos impostos incidentes, o contrário… Soma–se isto a dolarização e você terá uma situação muito difícil de se conviver…

    Sds

    • Olá Carlos.
      Recomendo também a reportagem na Folha de São Paulo sobre as suspeitas de corrupção na compra das fragatas Niterói durante o governo militar “Ditadura abafou apuração de corrupção dos anos 70, revelam documentos britânicos”.

  65. O que falta a muitos de vocês é estudo. Falam um monte de coisas sem nexo baseado apenas em “achismos”. Quando falam que a greve beneficiou apenas ricos, chega a beirar o absurdo.
    Esquecem que empresas e todo o setor agrícola movimentam toda a economia do país.
    Criam riqueza!!! Geram impostos!! Produzem alimento e geram empregos!!
    Me desculpem.
    Não sou contra qualquer investimento nas forças armadas, acho até que devem existir, mas tanto elas quanto os tres poderes não criam nem geram quase nada de inovador. Nem as universidades fazem isso hoje.
    Sugam dos cofres públicos o dinheiro produzido por toda classe trabalhadora. E incluo aí os empresários e produtores rurais. Quem reclama da greve, só pode achar que leite, carne, ovos, etc, nasce em caixinha, na prateleira do supermercado.
    Se o país não tiver empresas e agricultura nenhum militar tem salário e as forças armadas não tem grana pra comprar nada.
    Não terão nem o que comer.

    • Sim, o diesel é a principal fonte de energia da nossa produção agropecuária e de nosso transporte de mercadorias. O problema é saber se a redução de preços, subsidiada pelos impostos de todos nós, chegará às mercadorias adquiridas pela população. Considerando que a lei da oferta e da procura não foi revogada pelo governo via tabelamento de preços, minha aposta no momento é de que, infelizmente, a população em geral não se beneficiará da redução, que será “mordida” de pouquinho em pouquinho em cada etapa da cadeia econômica. A distribuidora fica com um pouquinho, o posto fica com um pouquinho, o produtor rural fica com um pouquinho, o transportador fica com um pouquinho, o industrial fica com um pouquinho, o transportador fica com o pouquinho, o atacadista, o varejista. E o que sobra para o consumidor, que no final paga os impostos sobre o produto e financia o subsídio??

    • Achismos? Estudar? Você já ouviu falar de economia? Ou pelo menos história? Sem empreendedorismo e acumulação de capital a “mágica” não acontece. Ah, você deve discordar né. Então mostre um único exemplo onde a “classe trabalhadora” sozinha construiu uma nação. Faça um favor a si mesmo, deixe de achismos e vá estudar

      • Pelo jeito vc deve ser defensor de que o empreendedorismo e acumulação de capitais se façam com subsídios governamentais, tentando rotular opiniões contrárias como sendo da “classe trabalhadora”. Defendendo então o capitalismo tupiniquim clientelista, e não o capitalismo liberalista. Ou não??

        • Não. Quem se referiu à classe trabalhadora foi nosso amigo, que nos chamou de ignorantes. Eu só disse o óbvio. Não precisa ser muito inteligente pra entender que controle de preços é um tiro no pé. Quem quiser gasolina barata, eu sei de um país que está 4 centavos o litro.

      • Não falei que você era ignorante. Quando falei da classe trabalhadora, inclui os empresários e agricultores. As pessoas que mais trabalham nesse país são os empresários, que colocam o seu patrimônio, tempo, saúde, para gerar impostos, empregos e riqueza.
        Sou muito a favor da acumulação de capital. Isso faz o país prosperar.
        O que me deixa irritado é que tem muita gente que trata o empresario como vilão da história. Me deixa triste ler comentários dizendo que a greve beneficiou ricassos que tem carros a diesel. Essa greve abriu precedentes.
        O que me deixa irritado é quantidade de “bolsas” dando dinheiro pra uns e o empresário ter que implorar por um financiamento mais baixo para fazer o negócio crescer.
        Desculpem se ofendi alguém, não era essa a intenção.

  66. Engraçado a verba para campanha dos políticos que foi aprovada é de quase 3 Bilhões! Quer dizer que foi cortado da saúde, segurança, educação, investimento da Emgepron? Devia reduzir a verba para campanha para 500 milhões, sobraria 2.5 milhões para ”coisas” com maior retorno para o país…

  67. Estava lendo uma matéria em outro site, esta verba de 2,5 bi foi inesperada pela MB, ela havia solicitado mais 1,5 bi (além dos 500 milhões) para tentar agilizar mais o processo no ano que vem; então este “corte” não vai impactar tanto no projeto.

    • Roberto, só um complemento / esclarecimento pra nenhum leitor se confundir: a informação sobre os 1,5 bi adicionados está nesta matéria desde o começo.

      Aliás, desconheço qualquer outro site de defesa que tivesse dado essa informação sobre os 1,5 bi extras reservados ao programa em março deste ano, foi só o Poder Naval que deu a informação, há cerca de duas semanas.

      Cuidado com matérias não muito bem escritas e confusas, no calor de algum outro site publicar algo depois de surpreendido com uma notícia.

      E não veio nada a mais como algo “inesperado”: foi reservado 1bi em dezembro pelo Congresso (PLOA 2018) em negociação sempre difícil de orçamento e não 500 milhões como vc escreveu (não sei se essa sua confusão vem da leitura da matéria de outro site). E a este 1 bi reservado desde o final do ano passado foi acrescentado 1,5 bi em março deste ano, totalizando 2,5 bi (dos quais doram agora cortados 500 milhões).

      O governo não reserva dinheiro de forma “inesperada” para a Defesa, a verba a mais (que não foi só pra esse programa, mas também o de outros ministérios, em março) foi justificada em março por perspectivas de aumento da arrecadação, e nesse caso pôde ser reservada para um programa que já se sabia necessitar de bem mais que o 1 bilhão original aprovado pelo Congresso em dezembro do ano passado para o orçamento deste ano.

      Parafraseando Ivan Lins, “nada cai do céu nem cairá”…

      https://m.youtube.com/watch?v=e6BD2_KZnoU

      • Nunão, pelo que eu li no DefesaNet (se quiser apagar o nome do site, sem problema algum) é que a MB havia solicitado 1,5 bi para o projeto; durante as negociações aumentou-se este valor para 2,5 bi pois, como você bem salientou havia a previsão de aumento de arrecadação, e agora veio o corte de 500 milhões.

        • Roberto,
          Só quis esclarecer, pois a matéria à qual você se refere traz informações truncadas e uma tabela errada (no PLOA 2018, na aprovação pelo Congresso em dez 2017, entrou 1bi para o programa, e não 500 milhões, só pra dar um exemplo de como a informação está confusa lá). Deixo claro que não estou metendo o pau em outros sites, não tenho esse costume, mesmo porque todos podem errar.

          Mas a matéria parece ter sido escrita às pressas e ficou truncada nas informações, sem praticamente trazer nada de novo em relação à do Poder Naval, tirando a informação (ou opinião), creditada a uma fonte, de que esse corte de 20% no valor reservado ao programa não vai afetá-lo.

          • A tabela esta errada ? Então retiro o que disse sobre “esta verba de 2,5 bi foi inesperada pela MB, ela havia solicitado mais 1,5 bi (além dos 500 milhões) para tentar agilizar mais o processo no ano que vem” pois me baseei tanto nela quanto nas informações divulgadas; peço que desconsidere, também parte do meu comentário abaixo, pois estávamos escrevendo ao mesmo tempo.

  68. “Aliás, desconheço qualquer outro site de defesa que tivesse dado essa informação sobre os 1,5 bi extras reservados ao programa em março deste ano, foi só o Poder Naval que deu a informação, há cerca de duas semanas.”
    Sim, sempre leio primeiro aqui as melhores informações relacionadas ao tema defesa. Mas leio outros sites também, que trazem informações complementares e/ou diferentes daqui.
    Esta que li me chamou a atenção exatamente por ser mais explicativa em relação ao corte anunciado, informando esta negociação em que a MB solicitou um valor e lhe foi prometido um valor maior.
    Como a MB “não esperava” este valor a maior, o corte anunciado não irá impactar profundamente no programa. Foi isso que eu entendi da matéria e quis trazer para o debate, mas se entendi algo errado e/ou trouxe a informação incorreta, peço desculpas pelo equivoco.

    • Não há motivos para pedir desculpas, Roberto. Esclarecer os temas é fundamental e buscar informações em mais de um site também.

      • É que existem sites que trazem informação confiável, como vocês da trilogia, o próprio site em questão e mais um ou outro na rede, então, quando leio algo nestes sites confiáveis, não checo a informação. Nós acreditamos “cegamente” no que esta escrito e absorvemos a informação. Vou ter mais cuidado nas próximas vezes.

  69. Confusão.

    A capitalização da Emgepron adicionou 1,5 bilhão ao 1 bilhão original do PLOA2018. São 2,5 bilhões de reais para as CCT. O que eu havia entendido é que sendo decreto pode haver contigenciamento. E que havendo capitalização de uma estatal não haveria cortes.

    O 1 bilhão do PLOA estão sujeitos a contigenciamento/engavetamento. Os 1,5 bilhões da Emgepron podem ser “descapitalizados”.

    Há 2 bilhões? Se sim não dá pra 4. Da pra começar 1 que sofrerá cortes, adiamentos e custará mais que os US$450 milhões previstos para cada uma porque tudo que para, anda, para, fica mais caro.

    Só tomando uma. Ou duas.

    • Esteves, se você clicar nos links disponibilizados no texto da matéria para o PLOA 2018 e para as publicações no Diário Oficial, verá que todos os valores, seja em dezembro de 2017, seja em março desse ano, e também o cancelamento da poucos dias atrás estão referidos da mesma forma, como “Participação da União no capital da Empresa Gerencial de Projetos Navais”. Não tem diferença no objeto e forma, só nos valores em cada ocasião.

      • Sim. E foi isso que não entendi. Se os 2 bilhões (ex 2,5) estão na capitalização da Emgepron, que PLOA 2018 foi esse de 1 bilhão? Fui reler as matérias e encontrei o que o Poder Naval afirma: a grana está na Emgepron. Então, não poderia sofrer cortes.

        Mas sofreu. E não dá pra 4. Talvez 2.

        Se planeja 4 vem grana pra duas. Se pensa em patrulha tipo Meko oferecida por 130 milhões US$ a Malásia é capaz de chegar grana pra construir patrulha de 500 ton.

        Essa gente do governo enjoa no mar?

        • Esteves, PLOA significa Projeto de Lei Orçamentária Anual, que geralmente é votado em dezembro de cada ano.

          Ele foi aprovado (ou seja, virou LOA 2018) em dezembro de 2017 incluindo a participação da União no capital da Emgepron em 1 bilhão, visando a construção das corvetas classe Tamandaré.

          Neste ano de 2018, esse valor subiu para 2,5 bi, e com o corte ficou em 2 bi.

          A efetiva capitalização da empresa e o uso do dinheiro, no meu entender, só ocorrerão com a seleção do consórcio vencedor da concorrência e a assinatura do contrato etc. Não tem onde gastar esse dinheiro em corvetas classe Tamandaré antes disso, se o contrato ainda não existe.

          Quanto a “não dar pra 4 talvez 2”, não vejo onde o estranhamento: não se paga um programa desses num só exercício fiscal. Mesmo porque tem parte que deverá ser financiada externamente (aquisição de armas, sensores e diversos equipamentos importados).

          Ficou mais claro?

          Se quiser, segue cartilha sobre orçamento:

          http://www2.camara.leg.br/orcamento-da-uniao/leis-orcamentarias/entenda/cartilha/cartilha.pdf

          • Ok, ok. Quando o Poder Naval publicou a capitalização afirmou que capitalizada a Emgepron a grana não sairia. Saiu 500.

            Nao se paga um programa desses no exercício. Sim, mas se contrata. E pra contratar precisa ter no orçamento.

            É o conflito de sempre que a ex presidenta tentou explicar quando pegou de banco público. O orçado vem de um planejamento. A execução vem da disponibilidade. Se tem grana paga. Se não tem, contigencia.

            Assim o governo vai deixando o planejamento de lado e executando a despesa com o caixa. Se o caixa tá baixo, não paga.

            Quando as estatais de telecom foram privatizadas teve isso. Elas eram geridas pelo regime de caixa único executando a despesa que batia na porta. Privatizadas e depois vendidas tiveram que mudar para o regime de competência onde a despesa é executada se foi planejada. Não planejou, não paga. Até aprender a planejar.

            Grato pela cartilha.

          • “Quando o Poder Naval publicou a capitalização afirmou que capitalizada a Emgepron a grana não sairia”

            Esteves,
            Por favor, dê nome aos bois da forma correta.
            O Poder Naval publicou a notícia, mas quem afirmou isso não foi o Poder Naval, foi o ex-ministro da Defesa, Raul Jungmann.
            A matéria está disponível pra você checar.

  70. Nove bilhões e meio é o problema certo?
    Que tal:
    – 2,5 bi do Fundo Partidário
    – 2,0 bi de Auxílio Moraria de Juízes, Procuradores e Promotores (apenas Federais)
    – 1,2 bi da Câmara dos Deputados (ela custa 6,1 bi no ano, economiza ~20% e sobra 1,2 Bi)
    – 0,8 bi do Senado (custo anual 4,4 bi no ano, economiza ~20% e sobra 0,8 Bi)
    TOTAL = 6,5 Bi

    Reveja a desoneração de igrejas e clubes de futebol, aplique-se a limitação do Teto Constitucional nos proventos de TODOS os servidores.

    Façam uma análise de todos os imóveis que o Governo Federal possui, os aluguéis que pagam em outros, e a construção desnecessária de outros (isso incluído o Executivo, Judiciário e inclusive as Forças Armadas).

    Carros Oficiais, Auxílios a perder de vista, Funcionários nomeados em excesso, Funcionários Concursados subutilizados (inclua aí as Forças Armadas), Imóveis Ociosos, Emendas Parlamentares, patrocínios de estatais a times de futebol (até entendo patrocínios ao para-esporte e a categorias sem apelo comercial… mas ao Futebol?)…

    Não falta dinheiro. Falta definir prioridades. Ou melhor, trocar aqueles que definiram que a prioridade seriam eles mesmos!

  71. Adendo: estive no Chile exatamente na semana da greve. Para comparação, vi um país estável, seguro, patriótico, orgulhoso, com um governo eficiente e um povo feliz e organizado…

    A diferença era brutal. Do Brasil vinham as notícias de caos, exército nas ruas, falta de comida, etc. No Chile ocorria a virada cultural, o Palácio do Governo aberto para visita, e uma enorme banda Prussiana tocando.

    Pobre Brasil…

  72. Sofisma x razão! Discurso x fato. Sócrates morto! Quinta coluna com camisa da CBF! Anacronismo ideológico imperante! Anomia total! O ” Brazil” de volta ao radar! Deitado em berço esplêndido! Sendo estuprado prazerosa mente! E as vivandeiras por vontade própria gozando alegremente ! Os patriotas achando que a as vítimas são os inimigos! Esse é o ” Brazil” ! A culpa é dos “comunistas”! A culpa é dos “nordestinos”! A culpa é dos “analfabetos”! A culpa é da esquerda! A culpa é de quem não sabe votar!
    A culpa só existe prá afirmar que existe alguém inocente!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here