Home Concorrências Internacionais ‘Short List’ do Programa Tamandaré deve sofrer novo adiamento

‘Short List’ do Programa Tamandaré deve sofrer novo adiamento

13290
162
Concepção da corveta classe Tamandaré projetada pelo CPN
Concepção da corveta classe Tamandaré projetada pelo CPN

Segundo uma fonte ligada à concorrência das corvetas classe Tamandaré ouvida pelo Poder Naval, a divulgação da “short list” das propostas não ocorrerá mais em 27 de agosto, mas deve ser adiada para o final de outubro.

Em 18 de junho de 2018, a Marinha do Brasil (MB) informou a entrega das propostas pelas empresas interessadas no Projeto Corvetas Classe “Tamandaré”.

A proposta vencedora será responsável por todo processo que envolve a seleção de fornecedores e tudo que envolve a construção e integração de sistemas e armamentos as corvetas.

A seleção considerará a melhor oferta para aquisição/construção no Brasil das quatro corvetas da Classe Tamandaré. Neste processo será analisada apenas uma proposta por fornecedor, que deverá considerar duas opções, onde a primeira trata-se do projeto de corvetas desenvolvido pela Marinha do Brasil, sendo de sua propriedade intelectual.

Na segunda opção a Marinha do Brasil abre a oportunidade da proponente ofertar um projeto de sua propriedade intelectual, o qual será denominado NAPIP (Navio de Propriedade Intelectual do Proponente). Porém, nesta segunda opção, caberá a empresa atender as seguintes condições exigidas pela Marinha do Brasil para aceitação do NAPIP:

  • O proposto deverá atender ou superar os requisitos/capacidades do projeto desenvolvido pela MB, com relação aos sistemas, subsistemas, sensores e armamentos previstos no projeto de concepção da força.
  • A proponente deverá ter construído navios com base no projeto do NAPIP, comprovando suas capacidades.

A classe Tamandaré – A Corveta Classe “Tamandaré” (CCT) foi projetada pelo Centro de Projetos de Navios da Marinha do Brasil (CPN) com detalhamento contratado à Vard. A CCT é uma evolução das classes “Inhaúma” e “Barroso”, e em relação a esta última, aproveitou a maior parte das linhas comprovadas do casco, diferenciando-se porém pela ampliação da boca (largura) em cerca de um metro e meio.

Nove propostas

Segundo a MB, foram recebidas, após a análise documental, 9 (nove) propostas comerciais que passaram desde então a serem analisadas sob os pontos de vista técnico, jurídico, fiscal e orçamentário/financeiro.

As referidas propostas indicaram a participação das seguintes empresas nacionais e internacionais, em formação de consórcios ou em grupos de empresas, as quais permanecem no processo de escolha da Melhor Oferta:

Type 31e da BAE Systems
Type 31e da BAE Systems
  • BAE Systems, CONSUB Defesa Tecnologia S.A. e MAC LAREN Oil Estaleiros Ltda.
Meko A100 Light Frigate oferecido à MB
Meko A100 Light Frigate da Thyssenkrupp
  • Consórcio “ÁGUAS AZUIS” – ATECH Negócios em Tecnologias S.A, EMBRAER S.A e THYSSENKRUPP Marine Systems GmbH, contando com as seguintes empresas subcontratadas: ARES Aeroespacial e Defesa S.A, Fundação EZUTE, OCEANA Estaleiro S.A, OMNISYS Engenharia Ltda, SKM Eletro Eletrônica Ltda e WEG equipamentos elétricos S.A.
Sigma 10514 oferecida para ser a classe Tamandaré
Sigma 10514 da Damen, em maquete da versão oferecida no programa da classe Tamandaré
  • Consórcio “DAMEN SAAB TAMANDARÉ” – DAMEN Schelde Naval Shipbuilding B.V e SAAB AB, contando com as seguintes empresas subcontratadas: CONSUB Defesa e Tecnologia S.A, WEG equipamentos elétricos S.A, e WILSON SONS Estaleiros Ltda.
Corveta da Fincantieri para o Qatar
Corveta da Fincantieri
  • Consórcio “FLV” – FICANTIERI S.p.A, LEONARDO S.p.A e VARD PROMAR S.A., contando com as seguintes empresas subcontratadas: Fundação EZUTE e ARES Aeroespacial e Defesa S.A.
Gowind 2500
Gowind 2500 do Naval Group
  • Consórcio “VILLEGAGNON” – NAVAL GROUP, ENSEADA Indústria Naval S.A e MECTRON S.A.
Concepção em 3D da Corveta classe Tamandaré
Concepção em 3D da Tamandaré. O Goa Shipyard Limited optou por concorrer com o projeto do CPN
  • GOA Shipyard Limited, INDÚSTRIA NAVAL DO CEARÁ (INACE), Fundação EZUTE e SKM Eletro Eletrônica Ltda.
Corveta proposta pelo GRSE
Corveta proposta pelo GRSE
  • GRSE – Garden Research Shipbuilder Engineers, ELBIT Systems Ltd e SINERGY Group Corporate.
Proposta da STM turca para a classe Tamandaré
Proposta da STM turca para a classe Tamandaré
  • STM, Estaleiro BRASFELS Ltda., Fundação EZUTE, THALES, e OMNISYS Engenharia Ltda.
Projeto 58300 Amazonas da Ukrinmash
Projeto 58300 Amazonas da Ukrinmash
  • UKRINMASH, THALES e AMRJ.

Cruzador classe Slava

Casco do cruzador Ukrayina da classe Slava
Casco do cruzador Ukrayina da classe Slava oferecido ao Brasil

A proposta mais inusitada é a oferecida pela Ukrinmash da Ucrânia, que além da corveta Project 58300 disponibiliza como offset o casco do cruzador Project 1164 classe “Slava”, que o jornalista Roberto Lopes divulgou em primeira mão no Poder Naval em 13 de julho.

O site Defesanet confirmou a informação ontem e incluiu dados adicionais da proposta:

“Transferência para a MB do cruzador de mísseis de “Projeto 1164” (“Atlant”), que será restaurado e desmilitarizado na Ucrânia para posterior entrega no Rio de Janeiro. De acordo com a decisão da Marinha quanto ao emprego do navio e sua nova configuração, esse importante meio naval será modernizado por especialistas ucranianos, já em solo brasileiro, com a implementação de um novo conjunto de documentos de projeto a ser desenvolvido pelo SRDSC, que incluirá modernos sistemas de combate e armamento, de comunicações, de navegação, dentre outros, a critério da MB. É importante notar que o cruzador permanece em água doce, sendo submetido a um programa contínuo de armazenamento e preservação em acordo com normas e procedimentos específicos.”

162
Deixe um comentário

avatar
78 Comment threads
84 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
83 Comment authors
cipinhaLuís HenriqueRommelqeJonasNNilson Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vovozao
Visitante
Vovozao

Acho muito ruim, cada prorrogação seja por problemas técnico, seja por dúvidas do TCU, só causa mais atrasos na entrega final das corvetas. Além disso estamos em final de governo e ninguém assina nada.com medo de mais tarde ser investigado, ficamos na corda bamba da mesma maneira que ninguém queria ser o pai do Gripen, FHC, Lula, Dilma, nos não temos tempo nossas escoltas estão no ossssoo não podemos esperar, hoje mesmo estava lendo sobre os Russos, Chineses, Americanos, Ingleses e Indianos, estão de olho grande em nossa Amazônia Azul, recursos minerais, vamos fiscalizar com que???? Respondam quem tem a… Read more »

marcus
Visitante
marcus

Em 2028 será escolhido o vencedor, e os trabalhos iniciados em 2029. Por falta de dinheiro as corvetas serão entregues em 2039.

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Mas qual a justificativa para o adiamento ?? Melhor analisar as propostas ? Alguma disputa judicial ?

Flamenguista
Visitante
Flamenguista

A proposta ucraniana de transferencia do cruzador, me parece que foi um tiro no pé.Denota um afã desmedido em ganhar o contrato. Gostaria que fossem a Bae ou Ficantieri, mas é só torcida mesmo.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Eu acrescentaria aqui a ThyssenKrupp com a MEKO 100

Gustavo
Visitante
Gustavo

pra mim tb com uma pequena alteração, ficaria entre Ficantieri, ThyssenKrupp ou a Naval Group em vez da BAe. Ficantieri e Naval Group pensando no passo seguinte, das fragatas.

Alessandro H.
Visitante
Alessandro H.

Também vou de Meko / Thyssenkrupp

José Carlos
Visitante

A melhor proposta é a Ucraniana, construção direta no AMRJ e transferência total de tecnologia.

Gino A. Piva
Visitante
Gino A. Piva

Acho que a proposta Ucraniana tem grandes chances, pude verificar os detalhes no site defesanet que eles realmente vieram com uma proposta muito tentadora e não vieram para brincadeira. Consta tambem na proposta ucraniana a construção de 5 diques flutuantes ( 2 de ate 3500 ton, 2 de ate 8500 ton e 1 de ate 25000 ton) na Ucrânia e final transferencia para o Brasil, isso ao meu ver daria uma fundamental capacidade para a MB fazer manutenções de todos seus navios no próprio país. Já em relação ao “SLAVA”, creio que a MB jamais pensou em ter uma escolta… Read more »

Luiz
Visitante
Luiz

Realmente tudo que a marinha quer é um cruzador soviético inacabado, afinal de contas é um negócio da “china” pois é barato reforma-lo e ocidentaliza-lo, um negócio sem riscos, além da grande cooperação Ucrania-Brasil vivida nos últimos anos que proporciona grande interoperabilidade entre nossas forças armadas além da grande proximidade geopolítica entre as partes, visto a grande afirmação daquele país do leste europeu como um player internacional referencia em estabilidade e desenvolvimento.(o que e´importante pois demonstra a capacidade do pais em honrar compromissos e negócios em ambiente internacional) “mas essa proposta deve ter feito os olhos dos integrantes do almirantado… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Você não leu a matéria???

O Cruzador seria Revitalizado e os armamentos soviéticos seriam removidos.
Ele viria para o Brasil terminado.

E no Brasil a MB decidiria quais sensores e armamentos seriam instalados.

Não tem nada de soviético.
A MB decidiria os sensores e armamentos Ocidentais.

O projeto, o casco e as turbinas a gás são de propriedade da Ucrânia.
A MB teria acesso à tudo isso, inclusive um Centro de Manutenções para as turbinas a gás.
Algo que a MB sempre pagou caro para realizar serviços de manutenção no exterior.

Luiz
Visitante
Luiz

Realmente é de uma simplicidade ímpar modernizar e substituir sistemas originalmente previstos para uma embarcação por outros mais modernos,o preço não deve ser impeditivo talvez por isso a marinha vá abandonar o sonho que vem nutrindo há alguns anos de modernizar pelo menos duas ou três FCN para embarcar de cabeça em um OFFset desse. Realmente seria maravilho contar com um centro de manutenções para turbinas ucranianas no Brasil, é uma demanda reprimida dos nossos navios militares que utilizam essas obras primas da engenharia além de manter uma padronização da nossa frota com turbinas made in Ucrania. Enfim o que… Read more »

romp
Visitante
romp

Falta de visão de vocês meus amigos, claramente este cruzador cairia como uma liva para MB, poderia colocar 4 astros 2020 na esquerda, 4 astros 2020 na direita no lugares daqueles obsoletos lançadores de mísseis, iria ser uma verdadeira máquina de saturação em massa aquática.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Sim, Gino.Eu também tive a oportunidade,de ler a matéria toda.Ao termino,chorei igual a criança de emoção.Se 80% que foi dito acontecesse, estaríamos no céu.Ou melhor, no mar navegando.

Alessandro H.
Visitante
Alessandro H.

Penso que o cruzador seria mais um “navio cerimonial”, do que efetivamente ofensivo.
Se fosse para se aventurar numa grande modernização de planta de propulsão e armamento, pq não incluimos a revitalização do Nae SP enquanto foi, tempestivamente, possível??

Henrique de Freitas
Visitante
Henrique de Freitas

Inclusive no roda pe da proposta tem uma oferta de um veiculo lançador Cyclop 2.0 …fantastico para usar em Alcântara.

Vovozao
Visitante
Vovozao

Flamenguista, os outros também devem estar com os seus trunfos, veja só Saab/Damen mantém dois navios caça Minas para que será que não é o trunfo, Bae forneceu Napoc e quando da entrega.do Atlântico estava presente. Tudo conta , são acostumados a.isso, sempre com trunfos.

Daniel Ricardo Alves
Visitante

Enrolou, enrolou e não falou porque a marinha deve adiar o “Short List”. O que aconteceu?

Foca
Visitante
Foca

Todas as propostas com deficiência. Vai desde o valor da proposta de alguns, que ultrapassou o teto previsto no programa, até falta de documentação. Todas infringindo os preceitos estabelecidos pela Marinha.

Além disso O TCU requereu esclarecimentos sobre pontos importantes da licitação

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

Penso que os valores estavam altíssimos e a MB vai de novo insistir na participação de Seul, China e Rússia para ter poder negociação e derrubar preços ocidentais.

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Onde está escrito isso ? Tem fonte a informação ?

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

É apenas minha opinião!

Ozawa
Visitante
Ozawa

Especulo, vez que não identifiquei a razão do adiamento no texto, que tal fato se deva a uma avaliação mais acurada dos, imagináveis, vastos acervos documentais das proponentes, a partir da última entrega, em todos os aspectos envolvidos, o que acho, a partir dessa especulação particular frise-se, bastante razoável pelo volume de informações e possíveis diligências supervenientes a partir das análises realizadas. Essa classe será, possivelmente, a espinha dorsal da frota de superfície da MB pelos próximos 20 anos, aspirando-se um aditivo no contrato de construção, assim, a dilação do prazo para uma avaliação e julgamento mais seguros é uma… Read more »

Ozawa
Visitante
Ozawa

p.s.: e que em outubro dê “DAMEN SAAB TAMANDARÉ”; “FLV” e “ÁGUAS AZUIS” . . .

Fábio de Sousa
Visitante
Fábio de Sousa

Concordo !

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

A proposta da Damen/Saab parece que veio bem agressiva na parte dos offsets, vou tentar postar a entrevista do Roberto Caiafa aos representantes da Damen/Saab na Ridex, vamos ver se não bloqueiam o comentário novamente kkk.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Nunão, libera o comentário por favor. Vídeos do Caiafa são proibidos?

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Oxalá rakasê Ozawa san! Tambem considero a melhor proposta Damen/ Saab a melhor proposta!
Entendo, concordando novamente, que as nove propostas, com esse grau de complexidade, devem totalizar uma quantidade tao grande de documentos a serem analisados, que teria tornado impossível realmente fazer uma analise homogenea e competente no prazo originalmente previsto. Em casos deste genero, nem se pode agregar novos elementos na comissao de analise/julgamento de propostas, porque pode-se perder a linha de coerencia relacionada ao cotejo.
Ha a hipótese de nenhuma proposta ter atendido integramente aos requisitos estipulados no Edital. Nao seria a primeira vez.

Bardini
Visitante
Bardini

Esse programa é uma completa sucessão de erros…

Adriano Luchiari
Visitante

Minha opinião é que esse programa “subiu no telhado”. Nada será decidido antes da posse do novo presidente da República, que definirá um novo MD e novos comandantes das FFAA. Esses, por sua vez, darão andamento aos programas já contratados com recursos disponíveis e contingenciados, o resto o tempo dirá…

Eduardo von Tongel
Visitante
Eduardo von Tongel

Já nasceu no telhado esse programa!

Parabellum
Visitante
Parabellum

Todas as propostas possuem seu atrativo, porém a da Ucrânia desperta atenção especial. Além da parceria com o AMRJ, ainda podemos imaginar 3 cenários de emprego de nossa marinha de guerra: Primeiro: contra ameaça mais poderosa; só nos resta utilizar a tática do desgaste valendo-se dos submersíveis. Segundo: com uma ameaça de mesmo nível ou inferior (Argentina ou Venezuela por exemplo; pois se uma esquadra vier do hemisfério norte ou contornando pelo sul da África ou sul da América do Sul, esta com certeza será superior), temos plenas condições de sucesso com os meios que dispomos. Terceiro: que seria o… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

O armamento soviético, especificamente, os mísseis supersônicos anti-navio P500 Bazalt são proibidos para venda externa. São verdadeiros monstros com 5 toneladas, mais de 500 km de alcance e ogivas avassaladoras de 1.000 kg. O Cruzador oferecido, virá Revitalizado, porém com os armamentos soviéticos Removidos. A MB terá que instalar sensores e armamentos à sua escolha (leia-se Ocidentais) Eu gosto ainda mais. Uma Fragata Ocidental de 6.000 toneladas custa U$ 800 mi à U$ 1 bi. Um Destroyer com 9.000 – 10.000 toneladas custa U$ 1,5 bi à U$ 2 bi. A MB poderá ter um Cruzador com 12.500 toneladas por… Read more »

Marcos Campos
Visitante
Marcos Campos

Enfim é uma belonave impressionante…

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Isso é um pais fulera! Aqui tem jeito não! O pouco que compramos, é uma frescuragem danada!

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Douglas. Achamos que o projeto todo custará entre US$ 1,2 a US$ 1,5 bilhão (ou uns R$ 4 bilhões) paras as 4 corvetas (poderá ser o dobro disse se for pedido um segundo lote). Será o terceiro maior programa da MB (depois do SubNuc e dos Scorpenes). Será mais caro que o programa das Macaé que prevê mais de vinte navios. A obrigação da MB é escolher a melhor proposta, mesmo para isso seja necessário alongar o tempo de avaliação.

Helio Eduardo
Visitante
Helio Eduardo

Caros amigos, Na boa, a matéria do Defesanet não traz nenhuma crítica! Nem uma pequeninha! Não faz nenhuma ressalva ao fato do casco do cruzador está parado a longos e longos anos… Lendo, parece até trivial pegar um navio parado desde 1997 e deixá-lo pronto para transferência à outra Marinha… Não chego ao mérito do projeto 58250, mas não posso deixar de observar que a Ucrânia tem um senhor conflito na sua fronteira e não esqueço o fiasco do foguete, o Cyclone-4 (se não me engano)….. Não acho, por todo o expopsto, e nada li até agora, sobre ter a… Read more »

Luiz
Visitante
Luiz

O único aspecto interessante da proposta ucraniana é a utilização do AMRJ o resto é balela.

Pela verdade
Visitante

“não esqueço o fiasco do foguete, o Cyclone-4 (se não me engano)” – Enganha! leia atentamente a avaliação do Tribunal de Contas da União: “TCU avalia cancelamento de acordo Brasil – Ucrânia”, site do Tribunal de Contas da União, publicado 02/01/18 15:19. ….A fiscalização do TCU, realizada a pedido do Congresso Nacional, deixou claro que a comercialização de lançamentos por meio do Cyclone-4 seria inviável enquanto um Acordo de Salvaguardas não fosse assinado. O acordo é o instrumento internacional comumente utilizado para impedir que empresas de um país acessem, sem autorização, tecnologias de ponta de domínio de outra nação…. ….… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

A primeira fase atrasou um mês sabe-se lá pq, a segunda dizem agora que vai atrasar mais outros 2 e de novo ninguém sabe pq. Quando olhar de novo, já se passaram os 11 anos da Barroso e isso não saiu do papel ainda. E o pior dessa matéria é que vamos voltar à discussão do mal(bem)dito Slava 🙂 E já q a reedição dessa discussão é um caminho sem volta, proponho um novo enfoque: que o nome Tamandaré se dê, logicamente, ao Cruzador e não às corvetas. (Vale o lembrete tb q quando algo parece bom de mais pra… Read more »

Gabriel
Visitante
Gabriel

eu me pergunto se esse novo atraso tem a ver com esse bem(mal)dito Slava 🙂
Será que a Marinha está realmente avaliando essa aquisição, será esse o motivo desse novo adiamento?

Juarez
Visitante
Juarez

É, eu acho que o que comentei no tópico anterior das CCT, parece que tinha fundamento, ou seja:
Quem faz ou participa do projeto, não participa do processo de compra ou execução de obra. Alguém deve ter assoprado para a Marinha que fosse adiante, ia virar em uma enxurrada de processos.

Foca
Visitante
Foca

Em uma resposta para você há alguns meses atrás, o Almirante Luiz Monteiro te revelou que 2 concorrentes que estão proibidos de contratar com a Administração Pública, um com estaleiro no RJ e outro na BA ajuizaram ação judicial na Justiça Federal para que a Marinha não os escluissem da Licitação. Ora, ambos estão proibidos de contratar com a Administração Pública. Um atolado em corrupção, outro recebeu e não entregou os navios para a Marinha. Para surpresa geral na Marinha, os oficiais de justiça, no início desse ano, entregaram as decisões liminares obrigado a Marinha a aceitar proposta desses dois… Read more »

nonato
Visitante
nonato

O governo querendo derruba rápido.
Como a Justiça vai atrapalhar uma licitação dessas, relevante para o país, e contratar quem está proibido de contratar?

GEN Escobar
Visitante
GEN Escobar

Ixiii….essas 4 corvetas ficarão prontas lá para 2068…junto com o Submarino Nuclear!

João Carlos
Visitante
João Carlos

Nao… o sub. nuclear é pra depois…

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Em termos de Offset os ucranianos não estão bricanos “1 – Construção no Brasil de um Centro de serviços para reparo e manutenção de turbinas a gás da empresa “Zorya-Mashproekt” que serão instaladas nas novas corvetas e poderão, futuramente, dotar outras unidades da MB, com a correspondente transferência de conhecimentos científicos e tecnológicos. Esse novo Centro poderá ser a solução para o problema histórico da MB com as manutenções de suas turbinas, tradicionalmente realizadas fora do país, a elevados custos e com grande imobilização dos meios envolvidos. 2 – Fornecimento de 5 diques flutuantes, a serem construídos na Ucrânia e… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

“Transferência para a MB do cruzador de mísseis de “Projeto 1164” (“Atlant”), que será restaurado e desmilitarizado na Ucrânia para posterior entrega no Rio de Janeiro. De acordo com a decisão da Marinha quanto ao emprego do navio e sua nova configuração, esse importante meio naval será modernizado por especialistas ucranianos, já em solo brasileiro, com a implementação de um novo conjunto de documentos de projeto a ser desenvolvido pelo SRDSC, que incluirá modernos sistemas de combate e armamento, de comunicações, de navegação, dentre outros, a critério da MB. É importante notar que o cruzador permanece em água doce, sendo… Read more »

Gino A. Piva
Visitante
Gino A. Piva

Assino embaixo! Ótimo comentário!

marcio alves
Visitante

O Slava com sensores e armamentos ocidentais seria um grande salto para a MB e teria um papel importante na MB como escolta do A-140 por exemplo. O armamento seria o Barak 8 com opções da versão MR (70 km) ou LR (150 km) já que certamente o ESSM não seria autorizada sua venda ao Brasil vide a remoção dos Phalanx do A-140. O armamento anti-navio poderia ser o Branhmos (alcance 290 km) ou a nova versão do RBS-15 mk 3 (alcance 300 km) dando uma formidável capacidade anti-navio, para defesa de ponto seria o Sea Ceptor e ciws de… Read more »

Fila
Visitante
Fila

Os Phalanx não foram removidos por falta de autorização…

Humberto
Visitante
Humberto

No fundo, esta discussão é estéril, a Ucrânia pode oferecer o que quiser de offset, mas se não estiver no rol do que a MB solicitou, não vale nada. Não existe a possibilidade de alterar os pré-requisitos de uma concorrência depois que as propostas forem abertas, obviamente você pode cancelar (sem prejuízo para o Estado) a concorrência e abrir uma outra. Particularmente não sei se o TCU está envolvido nesta parte do processo, creio que no máximo como órgão de consulta, não acho que seja ela o responsável por este adiamento. Pelo que eu já li, o problema deve ser… Read more »

jorge Alberto
Visitante
jorge Alberto

muitissimo bem colocado!

Bryan
Visitante
Bryan

Atrasos são normais em programas dessa complexidade.

Robert Smith
Visitante
Robert Smith

Equipamento Russo, novo ou velho…. TO FORA! Porem “aparentemente” alguma coisa causou essa postergação da apresentação do “Short List”… seria por causa dessa proposta maluca? A MB esta há quase uma década tentando conseguir construir quatro pequenas corvetas de 2500 toneladas e não consegue sair do papel… vai querer incorpora um cruzador de 12 mil toneladas? que terá que ser completamente construído(re), armado(re) e preparado para uso? um projeto com mais de 30 anos! vocês tem noção o quanto isso custaria? e pra que?… qual seria a utilidade de uma nave desse porte para o Brasil? Pais das Maravilhas… olha… Read more »

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

A meu ver, é muito providencial a colheita de informações sobre o programa pelo TCU, minimizando assim qualquer “favoritísmo” e ou desvios que possam ou não vir a acontecer no projeto. Por fim, ainda acho que a MB deveria analisar a possibilidade e ou viabilidade de construção de mais umas 5 unidades da CCB (claro, se tal façanha for economicamente viável e demandar menor custo de aquisição). Esse segundo lote das CCB,s poderia ter “blocos” de construção feitos no AMRj em parceria com estaleiro nacional. Dotando essas novas unidades com sensores e sistemas de armas, comunicações, EW nacionais. Com o… Read more »

USS Montana
Visitante
USS Montana

Como diz o AC/DC, “money talks”, meu finado pai tinha uma frase sobre isso mas é extremamente inadequada ao blog, por isso me reservo ao título da música do AC/DC.
Enfim, o Brasil tem que voltar a dar prioridade as FFAAs e parar de demonizá las, na hora do aperto todo mundo chama a PM e as FFAAs, né?

romp
Visitante
romp

ótima banda por sinal.

USS Montana
Visitante
USS Montana

Ops, sempre. 🎸🎸

Silvano Conti
Visitante
Silvano Conti

Ucrânia. Pintou o campeão.

Flávio
Visitante
Flávio

Foca 10 de agosto de 2018 at 15:24 “Em uma resposta para você há alguns meses atrás, o Almirante Luiz Monteiro te revelou que 2 concorrentes que estão proibidos de contratar com a Administração Pública, um com estaleiro no RJ e outro na BA ajuizaram ação judicial na Justiça Federal para que a Marinha não os escluissem da Licitação. Ora, ambos estão proibidos de contratar com a Administração Pública. Um atolado em corrupção, outro recebeu e não entregou os navios para a Marinha. Para surpresa geral na Marinha, os oficiais de justiça, no início desse ano, entregaram as decisões liminares… Read more »

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Na boa, ver um navio do porte do Cruzador na MB e sabendo que se pode vir a construir mais e localmente é bem interessante ainda mais somando a tudo o que foi descrito pelo companheiro mais acima(Luís Henrique 10 de agosto de 2018 at 14:04).

Claudio Luiz
Visitante
Claudio Luiz

Concordo com ambos.

Vovozao
Visitante
Vovozao

Vejo todos comentarem sobre o cruzador: não seria mais fácil a MB, adquirí-lo como.oferecido, totalmente desdentado, e, fazer tudo aqui, somente teríamos propulsão ucraniana, sistemas Thales, resto com a MB. É eles se não me engano não poderiam nem participar, o projeto deles ainda não possui nem navio, certo, tudo projeto, intuito é vc tumultuar.

Fabiano
Visitante
Fabiano

A MB não consegue construir em serie 6 Napa de 500t vai sim conseguir construir “outros cruzadores localmente”…é muita viagem!

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

caro;
O problema dos NPa de 500t foi do estaleiro e não da MB….

Overandout
Visitante
Overandout

Põe um reparo .30 na proa e um furuno no mastro

Juscelino S. Noronha.
Visitante
Juscelino S. Noronha.

Na minha humilde opinião, depois de ler a matéria me chamou muito a atenção dos detalhes propostos pelos Ucranianos. Então minha a aposta é na:

BAE SYSTENS / TYPE 31, DAMEN / SIGMA 10514, UKRINMASH / PROJECT 58300 AMAZONAS + CASCO CRUZADOR PROJECT 1164 SLAVA.

USS Montana
Visitante
USS Montana

Volta São Paulo, volta das profundezas do atlântico e venha nos defender. 😂😂

Dodo
Visitante
Dodo

Galera, pergunta off toppic, o que diabos o phm atlanto esta fazendo nas ilhas canarias ? Aparentemente esta navegando de um lado para o outro entre a ilha de las palmas e tenerife. Alguem tem alguma informaçao a respeito disso ??

Marcelo
Visitante
Marcelo

O comandante tá dando uma descascada nele e se exibindo pras gatinhas na praia.

Relaxa cara, são só manobras, provavelmente adestrando a tripulação. Ele tem muitos dias até chegar ao Rio, vai fazer muito disso ainda, se não chegava em uma semana no maximo

Dodo
Visitante
Dodo

Kkkkk obrigado Marcelo. Eu bem que pensei nisso mesmo, manobras de treinamento, só realmente não entendi o porquê de fazer isso em uma ilha no litoral norte da África ao invés de vir logo ao brasil,como você mesmo disse,fica até parecendo que tá querendo se mostrar pra alguém,talvez mandar um recadinho para algum governo ? Kkkk

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Ucrânia, glória a Ucrânia!!
Lembrando que os chineses se deram bem quando compraram um porta aviões e um su-33 da Ucrania.

Frederico Booumann
Visitante

Esse cruzador é um navio de se impor respeito… Bahia, Atlântico, Wave, Albion, Slava….

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

Um slava com artsan?

Um slava com solução Tamandaré?

As CCTs existem para serem baratas de operar. Já este outro casco de 12 mil ton com outra motorização….

Mas vamos fazer uma conta reversa

Quanto custa um casco das Tamandaré com motor e geradores? Us$ 250mm?

Então este seria o piso do slava no offset c

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

Mico ou oportunidade?

Everton Matheus
Visitante
Everton Matheus

Proposta séria da Ucrânia. Descartem o cruzador e vejam só os ganhos em modernizaçao do AMRJ, transferencia completa de tecnologia e poder de produçao “independente”, galera, eles ofereceram 5 DIQUES!!! Eu sou eterno defensor do Ocidente e acredito que temos de priorizar as melhores ofertas… Me dói dizer isso mas existe uma certa desconfiança e ma vontade da nossa parte com a Ucrania(alguns motivos justos e outros nao), isso de uma proposta que ofetece sistema Thales que dispensa comentarios. E me dói mais ainda assumir que babariamos se fosse outro pais(ocidental) com essa mesma proposta. Até onde me lembro a… Read more »

BrunoFN
Visitante
BrunoFN

Das opções ”vazadas’ pela imprensa .. vejo a opção ucraniana a mais completa a vantajosa pra MB …. questão é preço …e sendo a MB uma força ”tradicionalista ” como ela é … fico com aquele receio q essa seja mais uma da serie ” oportunidades perdida ” q vamos deixar passar … proposta tentadora e pra mim favorita A MB precisa concluir essa fase desse processo .. n da pra adiar mais .. e perder o q sobrou da nossa credibilidade .. ( vide PROSUPER).. pq pelo q parece hj e q a MB n quer escolher nada pq… Read more »

Juarez
Visitante
Juarez

Juarez, você tem dúvidas de que que ambos irão ingressar com nova ação contestando decisão da Marinha por outras propostas? Vão alegar que a Marinha excluiu sem razão suas propostas. Se eu fosse o CM e o Almirantado cancelava esse programa e escolhia direto o vencedor. Boa tarde Comandante, “Foca”. Não tenho a menor dúvida, como não tive a três semanas atrás que isto iria terminar mal pela razão que eu já explicitei aqui: Quem participa do projeto não pode participar da licitação de compra e ou de execução, e eu, não estou inventando nada, está escrito lá na 8666… Read more »

GabrielBR
Visitante
GabrielBR

Essa Godwind 2500 do naval group talvez seja a de melhor compensação industrial , o problema talvez seja politico uma vez que o parceiro parece ser do grupo Odebrecht.
Mas voltando a questão , ao meu ver, a grande incógnita se chama “Risco do Projeto” e precisa de uma análise mais minuciosa mesmo…precisamos analisar nossa capacidade de nacionalização de componentes e quanto tempo isso pode demandar.

Juscelino S. Noronha.
Visitante
Juscelino S. Noronha.

Já pensou se a BAE SYSTENS vem com uma contra proposta e facilita o PRONAE para a MB? Só uma suposição.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Seria um sonho, mas acredito que isso nunca aconteceria

Jr
Visitante
Jr

A proposta ucraniana no papel é excelente e de encher os olhos de qualquer um, o problema é eles cumprirem o prometido com a qualidade e o preço prometido. Eles tem um histórico muito ruim, vide os tanques oplot vendidos para o exercito tailandês, os mesmos coitados, sofreram para receber esses tanques a conta gotas. Os tailandeses tiveram que ter muita paciência e quando acabaram de receber todos os tanques do primeiro contrato, correram para assinar um contrato com os chineses para uma segunda leva de tanques, eles nem quiseram saber de um segundo contrato para a compra de mais… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Penso que, Luis Henrique mandou bem, novamente, na avaliação que faz da oferta dos ucranianos. É tentadora. Mas não precisamos desse tipo de meio mesmo que venha lotado de russas… E não teríamos como manter um meio dessa tonelagem porque a vida nos escancara que não somos capazes e competentes para fazer a lição de casa atual. Pra que e porque passar de ano se reprovados estamos em manutenção, modernização e atualização? Provavel que a MB tenha feito contas. E refeito. E a grana não dá. Estamos vendo o orçamento do Prosub de 6 bilhões de euros explodir com essa… Read more »

Delfim
Visitante
Delfim

O programa foi suspenso por causa do debate.
Aí _____________________ ganham, cancelam o programa para _________________
E todas as armas serão substituídas por… lançadores Astros e canhões 30mm.

COMENTÁRIO EDITADO. NÃO USE O ESPAÇO PARA PROPAGANDA OU CONTRAPROPAGANDA ELEITORAL. LEIA AS REGRAS DO BLOG:

https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Delfim
Visitante
Delfim

Não foi propaganda e sim sátira. Mas tudo bem.

Foca
Visitante
Foca

Short list adiado para o dia 30 de outubro.

Diversos concorrentes eliminados sumariamente.

http://www.defesanet.com.br/cct/noticia/30173/Corveta-Classe-Tamandare—CCT—-Short-List-Adiado–Geopolitica-e-Lava-Jato–/

Carlos
Visitante
Carlos

Na minha humilde opinião, a MB deveria desenvolver navios patrulha, sensores, sistemas e armamento. Casco de alta tonelagem a gente sempre conseguirá de qualidade, mesmo em cenários em que haja alguma sanção ao Brasil. Navios patrulha tem uma demanda maior de unidades, o que torna mais viável economicamente. Sensores, sistemas e armamentos tem um custo de desenvolvimento muito menor. Só comparar quanto o investimos no a-darter e saber m200 com o que investimos em ToT no PROSUB, por exemplo. Meios de valor elevado ou nós compramos usados ou usamos até o último dia possível. Também não adquirimos em grande número,… Read more »

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Consórcio “ÁGUAS AZUIS” – ATECH Negócios em Tecnologias S.A, EMBRAER S.A e THYSSENKRUPP Marine Systems GmbH, contando com as seguintes empresas subcontratadas: ARES Aeroespacial e Defesa S.A, Fundação EZUTE, OCEANA Estaleiro S.A, OMNISYS Engenharia Ltda, SKM Eletro Eletrônica Ltda e WEG equipamentos elétricos S.A. …………………….. Eu torço imensamente por esse consórcio, gosto desse navio e acho interessante as empresas envolvidas, parece envolver bem as empresas brasileiras…se for para ser feito no Brasil e gastar o olho da cara que seja com bastante empresas do Brasil e com transferência de conhecimento e troca de experiências. Além dessa, eu ficaria com o… Read more »

Marcos Campos
Visitante
Marcos Campos

Eu já desconfiava que a decisão ficaria para depois do resultado das eleições.
Dependendo do candidato que vencer, a MB entra em sua era de ouro ou afunda de vez….

fogoamigo
Visitante
fogoamigo

Com o adiamento da divulgação para 30/0utubro, já saberemos o resultado das eleições. Caberá,portanto, ao presidente eleito definir o prosseguimento desse programa em condições de forte crise fiscal.
Começo a sentir o cheiro de carne queimada…..

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Tem o que o Juarez mencionou,
Tem a questão do NAPIP,
Tem necessidade de mais prazo para avaliações e demandas em esclarecimentos e
Tem o CA LM que não se manifestou desta vez.

Dodo
Visitante
Dodo

As pessoas esquecem que a Ucrânia é atualmente um país falido, com metade de seu território conflagrado em uma sangrenta guerra civil, e cuja nossa parceira em muitos artigos de defesa(Rússia) anda tretando bastante. Senhores, eu não sou favorável à nada vindo daquele país. A Ucrânia hj é o Congo slavo

Pela verdade
Visitante

Apenas 7% do território da Ucrânia é ocupado como resultado da agressão das forças armadas da Rússia.
A proposito, sobre a famosa parceria com a Rússia. Dê exemplos positivos!